quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

NOVO OLHAR


E vos renoveis do novo homem, criado segundo Deus...

Efésios 4.24

Estamos às portas do desconhecido, o ano passou e parece que não demos conta; quanto trabalho, quanto estudo, sol, praia, viagens, friagem, chuvas... Tanta coisa não é mesmo? Tudo já se foi, o hoje, amanhã não será mais, senão uma recordação em nossas mentes, em fotos armazenadas em computadores ou outro dispositivo do tipo, mas do ano que já está se indo, fica a lembrança dos meses, semanas, dias, apenas momentos.

Foram muitos dias que providencial e abençoadamente Deus nos deu e você e eu já podemos contar quantas benções recebidas. Infelizmente temos o hábito de lembrar apenas das benções que possui tamanho e propriedade, como um bom emprego, umas viajem, ou um carro, mas lembramos pouco das que recebemos diariamente, como o simples fato de estarmos com saúde e vivos.

Hoje, como você sabe, é o último dia do ano de 2009 é especial, pois indica mudança. Faltam poucas horas para este ano se despedir e nós dele, então, que tal fazer diferente nas poucas horas que nos restam dele? Muitos irão usar esse tempo para se alcoolizar, outros preferem estar com a família, ainda outros passarão longe da família em festas. Convido-te a ver um novo tempo chegar a tua vida num ambiente bem melhor e entrar em 2010 com Deus realmente no coração mediante a aceitação de Jesus Cristo como Salvador.

Um feliz ano novo!

ERA RICO E NÃO SABIA

Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente.
I Cor 2.12


Um homem descontente com a sorte queixava-se de Deus:

- Deus dá aos outros as riquezas, e a mim não dá coisa alguma. Como é que posso ser feliz nesta vida, sem possuir nada?

Um companheiro seu, ao ouviu estas palavras, perguntou-lhe:

- Acaso você é tão pobre quanto diz? Deus não lhe deu, porventura, saúde e mocidade?

- Não digo que não, até me orgulho bastante da minha força e da minha juventude.

- Trocaria sua saúde e sua mocidade por dinheiro?

- Não!

O homem, então, pegou na sua mão direita e lhe perguntou:

- Você venderia sua mão direita, deixaria que a cortassem por um bom dinheiro?

- Não, de jeito nenhum!

- E a esquerda?

- De jeito nenhum!

- E seus olhos, você os venderia, ficaria cego pelo resto da vida por uma "bolada"?

- Não daria nem um olho por dinheiro!

- Veja - observou o velho - quanta riqueza Deus lhe deu e você ainda se queixa?

Fonte: www. metaforas.com.br

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

TEMPO


Faltam dois dias para o ano terminar. Pouco tempo nos resta em 2009. Foram cerca de 363 dias e 9.432 horas. Muito tempo! não acha? E o que nós fizemos da nossa vida? como gastamos todo o tempo que Deus nos deu?

Circunstâncias adversas sempre haverá na vida. Deus não nos prometeu um paraíso nesta vida, muito pelo contrário, o Apóstolo Paulo declarou que "todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos" (2 Tm 3.12). Ainda existe os nossos erros que nos levam para longe da alegria e para mais perto da dor - Senhor; sara a minha alma, porque pequei contra ti. - Sl 41.4.

Dias de desânimo e abatimento todos enfrentamos, o próprio Senhor Jesus viveu - "A minha alma está profundamente triste até a morte" (Mc 14.34). A separação da morte sempre vai nos atingir enquanto estivermos aqui e a angústia há de ferir a alma de todo homem.

Quando pesamos os nossos dias, observamos assustados que são poucos os momentos de alegria, harmonia, de conforto e realizações. E se o homem não estiver com os pés na rocha, sua vida será como aquela casa construída na areia - "E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda" (Mt 7.27). Sabe o que pode fazer diferença na vida de uma pessoa? A presença de Deus. diz a Bíblia que Enoque andou com Deus e isso fez toda a diferença na sua vida. Quer ter um 2010 inesquecível? Então, Ande com Deus!

Nós não podemos mudar o tempo que passou, mas podemos organizar melhor os dias que virão. Portanto seja sábio e se aproxime de Deus e faça dEle sua companhia diária.

Um ótimo 2010, vivendo na presença de Deus!

SEMPRE ESTAREI AO SEU LADO


Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.

Mateus 28.20

Na Romênia, um homem sempre dizia ao seu filho:  "Haja o que houver, eu sempre estarei a seu lado."

Certo dia, após um terremoto de intensidade muito grande quase acabar com a cidade, este homem correu para a escola do seu filho e só encontrou um montão de ruínas.

Imediatamente, ele e outros pais começaram a cavar. Depois vieram os bombeiros e mais pessoas para ajudar. As horas passavam rapidamente e com elas, a esperança de encontrar alguém com vida.

Um a um, cansados e desesperados, os pais foram deixando o trabalho de buscas para os bombeiros, mas, esse homem, de forma obstinada, continuava. Pediram-lhe que descansasse um pouco, mas, ele não parava.

A sua promessa ao seu filho lhe renovava as forças: "Haja o que houver, eu sempre estarei a seu lado".

Ao afastarem uma enorme pedra, com a ajuda de um guindaste, ele chamou mais uma vez pelo filho. E uma doce voz infantil lhe respondeu:

- Pai... estou aqui!

- Você está bem, meu amor?

- Sim, papai, mas, estamos com sede e fome.

- Tem mais alguém com você?

- Sim, todos os alunos da minha classe estão aqui.

Eles haviam ficado presos em um vão entre dois pilares de concreto.

Quando a televisão veio entrevistar o menino e perguntou se ele havia ficado com medo, ele emocionou a todos: Não, eu falei para os meus amgos: "Não precisam ter medo, meu pai irá nos achar. Ele prometeu que sempre irá estar ao meu lado. E meu pai nunca quebra uma promessa".

Autor desconhecido

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O SAPATO PERDIDO

Aquele que tem duas túnicas, reparta com o que não tem nenhuma, e aquele que tem alimentos, faça o mesmo.

Lucas 3.11

Ao subir num ônibus urbano, um homem de certa idade escorregou e perdeu um sapato. O ônibus arrancou rapidamente e não podia mais parar, ficando-lhe impossível recuperar o calçado.

O homem tranqüilamente retirou seu outro sapato e jogou-o pela janela.

Um jovem que a tudo observara lhe perguntou:

- Por que o senhor jogou fora seu outro sapato?

- Para que quem os encontrar possa usá-los. Apenas alguém necessitado dará importância a um sapato usado na rua, mas de nada lhe adiantará se não tiver o par completo.

Autor Desconhecido

NOVA ESPERANÇA


2 Co 5.17 - "E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas"

Se olharmos para os acontecimentos atuais, perceberemos que vivemos em um mundo bastante desanimador. No início de um novo ano, procuramos em vão por perspectivas de tempos melhores. Se analisarmos a situação internacional, se observarmos as dificuldades econômicas e o baixo nível moral dos povos, não há muitos motivos para esperar por momentos melhores para este mundo. Até mesmo é duvidosa as nossas realizações que temos para nossa vida pessoal neste novo ano.

Tendo pouca esperança, resta-nos somente uma alternativa: procurar a renovação individual das pessoas. É preciso encontrar um caminho que permita que você vença as batalhas acima das circunstâncias, de modo que esteja sobre elas e que elas até mesmo sejam controláveis.

Será que isso realmente é possível? Milhões de pessoas experimentaram tal transformação e obtiveram um resultado inteiramente diferente para suas vidas ao aceitarem Jesus como seu Salvador pessoal. Seus corações ficaram repletos de paz profunda e permanente, que não pode ser abalada por nenhuma tempestade em suas vidas. Elas descobriram o segredo da alegria e da verdadeira felicidade, que consiste da confiança em Deus e da obediência a Ele, e obtiveram novo valor para suas vidas. Para elas, todas as coisas realmente "se fizeram novas"! Paulo descreve essa maravilhosa transformação da seguinte maneira: "E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas" 2 Co 5.17.

Também você pode começar o novo ano como uma nova criatura em Jesus Cristo! Então sua tranqüilidade e seu propósito na vida não dependerão mais das circunstâncias, pois você terá uma nova vida, que se manifestará em novos rumos da vontade de Deus. Novas forças estarão à sua disposição! O "novo homem", nascido do alto pela fé em Jesus Cristo, poderá dar passos confiantes no novo ano. Esta é uma maravilhosa mensagem para você! Será possível encontrar a Deus na condição de pessoa que foi perdoada, que foi purificada dos seus pecados. Você terá sido renovado através de Jesus Cristo, tornado aceitável diante de Deus através dos méritos de Jesus Cristo, seu Salvador.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

HÁ ESPERANÇA

Mas apesar disso, ainda há esperança para Israel.

Esdras 10.2

Quando tudo vai mal e a gente fica triste, cansado e desorientado o nosso coração se fecha para o mundo e tudo o que vemos é o desânimo e as dificuldades. Podemos até dormir assim, mas de manhã quando o sol nasce, o nosso peito se enche de uma força extra que nos impulsiona para frente. Essa força é a esperança. No entanto, quando alguém perde a esperança pouca coisa resta a ser feita, porque ele já desistiu...

Lembro-me de uma jovem que conheci há alguns anos. Ela estava apaixonada por um colega meu. Por algum tempo o romance floresceu. Mas o rapaz foi perdendo o interesse e acabou rompendo o namoro. Ela não aceitou e tentou de todas as formas reatar. Porém, quanto mais ela se empenhava nisso, mais o jovem se afastava. Ela, então, começou a ver a vida com outros olhos, perdeu a alegria, se trancou dentro de casa e já não queria sair. Dias depois, fomos surpreendidos com a notícia de que ela se suicidara.

É muito triste quando uma pessoa, assim como essa jovem, perde a esperança e prefere à morte a vida. Talvez eu esteja falando com alguém que já se cansou de tudo e está pensando seriamente em dar um basta. A estrada perdeu o sentido e a razão de viver submergiu entre os dias. Se você está vivendo assim, ouça o que Esdras falou para Israel: “ ainda há esperança...”

Não deixe o desânimo invadir seu coração. Faça como Davi. Quando os momentos de desânimo e abandono chegarem, busque a Deus. Veja a Linda canção que ele escreveu: “Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida" (Sl 138.7). E lembre-se: “nada está totalmente perdido, nada está 100% destruído. Jesus morreu numa dura cruz para nos dar a esperança. Portanto, ainda há esperança."

QUANDO A TEMPESTADE VEM

Estamos concluindo mais um ano e, as bênçãos que eu tenho para contar são muitas. Foram muitos dias, alguns de dor, tristeza; outros, de alegria e vitória. Tenho muito o que agradecer porque em meio a tantos desafios, dificuldades e desilusão, eu pude ver meu Senhor agir.

E nestes últimos dias, eu quero dizer obrigado Jesus porque nunca me deixaste só nem abandonado. Eu sou um homem que aprendi na dor e na tragédia que quando a tempestade vem eu posso confiar e esperar no Senhor. Ele nunca me abandonará! Ele nunca me deixará frustrado.

Se tempestades estão sobre tua vida vida creia em Deus e confie em sua mãos. Ela é suficiente para te restaurar e aliviar a alma. Quando ela chega, precisamos correr para os braços de Jesus e entregar-lhe o nosso clamor, as nossas lágrimas e a nossa dor. Ele é um Deus que ama aqule que de coração sincero se atira aos seus pés.

Se a vida não está fácil, busque a Deus e Ele irá te ajudará. Amém!

O clipe de hoje, QUANDO A TEMPESTADE VEM - Diante do Trono.

UMA FLOR HORROROSA


O parque estava quase deserto quando me sentei num banco embaixo dos ramos de um velho carvalho, desiludido da vida, com boas razões para chorar, pois parecia que o mundo estava conspirando contra mim.

Eu queria ficar só, mas, um garoto ofegante se chegou, cansado de brincar, parou na minha frente, cabeça pendente, e, cheio de orgulho, disse-me:

- Veja o que encontrei, e estendeu em minha direção uma flor horrosamente decaída, macetada, nas últimas.

Querendo me ver livre do garoto o quanto antes, fingi um pálido sorriso e tentei iniciar a leitura de um livro de auto-ajuda, mas, ao invés de ir embora, ele se sentou ao meu lado, levou a flor ao nariz e disse:

- O seu cheiro é ótimo. Fique com ela!

Então, estendi minha mão para pegá-la e respondi com ironia:

- Obrigado, menino, essa flor era tudo o que eu precisava para completar o meu dia.

Mas, ao invés de estender o braço, ele manteve a flor no ar, para que eu a pegasse de suas mãos. Nessa hora notei, pela primeira vez, que o garoto era cego.

- De nada, disse ele sorrindo, feliz por ter feito uma boa ação.

Uma ação tão boa que me fez ver a mediocridade dos meus pensamentos e das minhas atitudes diante dos reveses da vida.

domingo, 27 de dezembro de 2009

A CRUCIFICAÇÃO

Desde a hora sexta até à nona, houve trevas sobre toda a Terra.

Mateus 27.45

É impressionante vermos como Cristo na Cruz simplesmente entregou-se por nós demonstrando um amor sem limites. Lá no Gólgota, no ápice da prova do seu amor pela humanidade morrendo numa Cruz.

Uma coisa importante a ser observada, na passagem mostrada acima, é a manifestação da natureza quando da morte do Filho do “Homem”. Apesar de ninguém se manifestar a favor de Jesus para defendê-lo a fim de não ser morto na Cruz, houve, porém, a manifestação energética dos fenômenos ante a morte do Filho de Deus.

Jesus veio para nos dá vida em abundância por meio de um ato de amor em favor de cada um de nós. Contudo, o que não vimos, foi nenhuma manifestação humana a favor de Cristo, ao contrario, todos diziam: “Crucifica-o”, Crucifica-o”, “Crucifica-o”. A natureza, enquanto obra da criação do próprio Deus, manifestou-se em desacordo às atitudes direcionadas à Cristo. O céu escureceu, a terra tremeu e alguém disse que “Verdadeiramente este era o filho de Deus”. Lá no ponto máximo, quando Cristo estava prestes a expirar, e quando a natureza se manifestava, um homem pode encontrar-se com Deus.

Cerca de três horas, a Terra passou por um momento de completa escuridão, pois o Filho de Deus estava sendo oferecido em favor do resgate de muitos. Vemos que, nem mesmo a Terra, agüentou tamanho ultraje contra o filho de Deus, manifestando-se contra o desprezo do homem em relação a Cristo. Como você vai se posicionar diante da morte redentora de Cristo? Qual será seu posicionamento quanto a esse fato? Você vai receber esse sacrifício que foi realizado Ele em favor de você?

Tenha um bom domingo.

ENTRE A CRUZ E O EMPREGO


Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus.


II Timóteo 3.4
 
Certo funcionário de uma empresa foi chamado um dia ao gabinete do dono. Sem meias palavras, o homem foi direto ao assunto:

- Estamos reestruturando a empresa e precisamos de uma pessoa exatamente do seu tipo para ocupar uma importante gerência. Analisamos a sua ficha e vimos que só há um problema com você: você é crente e o cargo é incompatível com a sua fé, de modo que você terá que fazer uma opção entre a promoção no emprego e sua religião. Mas você não precisa responder agora. Vá para casa, hoje é sexta-feira, pense, e na segunda nos diga o que foi que decidiu.

Nosso irmão foi para casa envolto no manto da dúvida e naquele final de semana seu coração virou campo de batalha entre o certo e o errado.

Na segunda-feira, lá estava ele na empresa, já ansioso por encontrar-se com o dono, que perguntou-lhe:

- E aí? Qual é a sua decisão?

- Acho que vou aceitar a proposta que me fez.

O patrão nem levantou a cabeça:

- Então, vá imediatamente ao Departamento de Pessoal. Você está despedido!

- Mas... patrão, foi o senhor mesmo que me fez a proposta!

- Sim, mas, na verdade estou procurando alguém de absoluta confiança para ocupar este cargo. Se você foi capaz de tão rapidamente trair a sua consciência religiosa, quem me assegura que mais rapidamente ainda não trairá a empresa?

João Soares da Fonseca

sábado, 26 de dezembro de 2009

OS CINCO MACACOS


E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus..

Romanos 12.2

Um grupo de cientistas colocou cinco macacos em uma jaula. No meio da jaula, uma escada, e, sobre ela, um cacho de bananas. Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, um jato de água fria era acionado em cima dos que estavam no chão.

Depois de um certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros pegavam-no e enchiam-no de pancada. Com mais algum tempo, mais nenhum macaco subia a escada, apesar da tentação das bananas.

Então, os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo retirado pelos outros, que o surraram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo já não mais subia a escada.

Um segundo macaco, veterano, foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado, com entusiasmo, na surra ao novato. Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu. Um quarto e, afinal, o último dos veteranos, foram substituídos.

Os cientistas, então, ficaram com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas. Se possível fosse perguntar a algum deles por que batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria:

"Não sei... mas as coisas sempre foram assim por aqui!"

Autor desconhecido

O ILUSTRE VISITANTE

E responder-lhes-á o Rei: Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes.

Mateus 25.37-40
 
Ruth, olhou em sua caixa de correio, mas só havia uma carta. Pegou-a e a olhou antes de abri-la. Mas logo parou, para observar com mais atenção.
 
Não havia selo nem marcas do correio, somente seu nome e endereço. Ela decidiu ler a carta: "Querida Ruth. Estarei próximo de sua casa, no sábado à tarde, e passarei para visitá-la. Com amor, Jesus."

As mãos da mulher tremiam quando colocou a carta sobre a mesa. "Por que Jesus iria querer visitar-me? Não sou ninguém especial, não tenho nada para oferecer-lhe..." - pensou.

Preocupada, Ruth recordou o vazio reinante nas estantes de sua cozinha. "Ai, não!, não tenho nada para oferecer-lhe. Terei que ir ao mercado e comprar alguma coisa para o jantar." Ruth abriu a carteira e colocou o conteúdo sobre a mesa. Era muito pouco, suficiente apenas para comprar pão e alguma outra coisa.

Ruth colocou um abrigo e se apressou em sair. Um pão francês, um pouco de peru e uma caixa de leite. Sobram-lhe apenas alguns trocados, que deveriam durar até a segunda-feira, quando receberia sua pensão novamente. Mesmo assim, sentiu-se bem e saiu a caminho de casa, com sua humilde compra debaixo de um dos braços.

- Olá, senhora, pode nos ajudar?

Ruth estava tão distraída pensando no jantar, que não viu as duas pessoas que estavam de pé no corredor. Um homem e uma mulher, os dois vestidos com pouco mais que farrapos.

- Olhe, senhora, não tenho emprego. Minha mulher e eu temos vivido ali fora na rua. Está fazendo frio e estamos sentindo fome. Se a senhora pudesse nos ajudar, ficaríamos muito agradecidos.

Ruth olhou para eles com mais cuidado. Estavam sujos e tinham mal cheiro e, francamente, ela estava segura de que eles poderiam conseguir algum emprego se quisessem.

- Senhor, eu queria ajudar, mas eu mesma sou uma mulher pobre. Tudo que tenho são umas fatias de pão, mas receberei um hóspede importante esta noite e planejava servir-lhe isso.

- Sim, senhora, entendo, de qualquer maneira, obrigado - respondeu o homem.

O pobre homem colocou o braço em volta dos ombros da mulher, e os dois se dirigiram para a saída. Ao vê-los saindo, Ruth sentiu um forte pulsar em seu coração.

- Espere!

O casal parou e voltou à medida que Ruth corria para eles e os alcançava na rua:

- Fiquem com isso tudo - disse ela.

- Mas, e o seu convidado, senhora?

- Eu dou um jeito. Não se preocupem.

Quando a mulher estendeu as mãos para pegar o lanche, Ruth percebeu que a mulher tremia de frio.

- Sabe, tenho outro casaco em minha casa, tome este - ofereceu Ruth. Ela desabotou o próprio casaco e o colocou sobre os ombros da mulher.

- Obrigado, senhora, muito obrigado - despediu-se, agradecido, o casal.

Sorrindo, voltou a caminho de casa, sem seu casaco e sem nada para servir para Jesus.

Ruth estava tremendo de frio quando chegou à porta de sua casa. Procurou a chave rapidamente na bolsa, enquanto notava outra carta na caixa de correio.

"Que esquisito, o carteiro nunca vem duas vezes em um dia" - pensou ela. Apanhou a carta e a abriu:

"Querida Ruth. Foi bom vê-la novamente. Obrigado pelo delicioso lanche e pelo casaco. Com amor, Jesus."

ELE VENCEU



1 Coríntios 15.55-57 - “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo”.

Não poderia de em mais uma oportunidade para falar do natal, afinal, ainda está muito rescente. vamos analisar que Jesus não veio apenas para morrer. Ele veio para vencer. Através de Sua morte e ressurreição Ele venceu o pecado, a morte e o Diabo. Não existe destino que Ele não tenha derrotado, nem desesperança ou medo, escuridão ou perdição que Ele não tenha sobrepujado triunfalmente. “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Co 15.55-57). Esse é o sentido do Natal! Sem Sua morte e ressurreição não haveria festa de Natal. Por Jesus ser Deus, Ele não podia permanecer morto. O Pai O ressuscitou, Jesus retornou para a glória do Pai e voltará como Soberano sobre todo o mundo.


O Natal é para você apenas uma festa sentimental, com velas, música e presentes? Será que o Natal não significa mais do que um bebê que não sai da manjedoura a vida toda? Está na hora de oferecer um presente a Jesus, um presente que Ele merece há muito tempo: você mesmo! Entregue sua vida a Ele!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

NOITE FELIZ


Hoje é natal! Dia de celebrar que Jesus nasceu por mim e você. Há quase dois mil anos, os anjos em festas iluminaram as campinas de Belém e cantaram Jesus nasceu, glória a Deus nas maiores alturas. Dias depois, os magos chegavam em Jerusalém a procura do pequeno Rei dos judeus.

Quase dois mil anos depois, hoje continua sendo natal! Dia de recordar o menino Jesus. o Salvador envolto em panos deitado numa manjedoura. A dividade feita carne e habitando entre nós.

Na noite em que o Filho de Deus nasceu em Belém foi uma noite feliz! Uma estrela brilhou no céu, anunciando que o plano perfeito de Deus estava se concretizando que Deus nos amava tanto que estava disposto a sacrificar seu próprio Filho por minha causa.

Hoje é natal! O que você vai fazer para louvar e agradecer a Jesus por sua vinda a terra para trazer nos perdão, amor e esperança?

Clipe de hoje é Noite feliz, André Valadão.

HOJE É NATAL!




...Ele será chamdo Emanuel... Deus conosco.

Mateus 1. 23



Chegou o grande dia! O natal em fim, essa data tão esperada e que mexe com a gente chegou. O natal é sem dúvida diferente de todas as outras datas comemorativas; as ruas se iluminam, as pessoas espremem-se nos lugares antes vazios, a alegria reverbera e penetra cada poro do nosso ser, É NATAL!


Todos têm motivos para se alegrarem, pois essa data é tão diferente que nos leva a crer que realmente é. O que há de especial nisso é justamente o significado da data. A celebração do nascimento de um menino, que cresceu, mudou o mundo de então e alterou para sempre a história da humanidade. Estamos falando evidentemente de Jesus Cristo, o Filho de Deus. É por isso que tudo é especial nessa época, pois estamos falando de algo que é divino, misterioso como sua vinda, incrível como sua morte e desafiador igual à sua ressurreição.

Certamente tudo conspira para vivenciarmos um momento diferente, respirarmos um ar que não temos todos os dias. É divinal, sublime, milagroso e providencial. O que seria de todos nós se tal fato não tivesse ocorrido? Estaríamos condenados a vivermos longe do Criador pelas era intermináveis, separados para sempre de qualquer possibilidade de uma vida com Deus. Mas demos graças hoje, pelo dom de Deus que é Cristo Jesus o nosso natal, o verdadeiro presente que temos nesse dia, lembremos que Deus já nos deu o maior de todos os presentes, o que contempla sem falhas, a necessidade urgente de cada homem e mulher de receber sem custo algum o Filho de Deus.

Nossa oração e desejo nesse dia é que você, quem quer que seja, esteja onde estiver, receba uma benção poderosa do próprio Deus, A SALVAÇÃO EM CRISTO JESUS.





FELIZ NATAL!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

NATAL

Chegou o natal! Depois de um ano inteiro de lutas, dores, conquistas e derrotas, chegamos ao mês de dezembro e, finalmente hoje é véspera de natal. As pessoas se preparam, reunem a família, os amigos e juntos fazem comidas, realizam uma festa, distribuem presentes. Tudo é muito lindo! É maravilhoso!

Mas é preciso cuidado com o coração para que ele não se incline totalmente para as luzes, enfeites, roupas, comidas, presentes, festa e amigos e se esqueça de Jesus, de seu nascimento naquela noite fria de Belém. É preciso se esforçar para louvar e agradecer a Deus pelo nascimento do pequeno Messias, assim como fizeram os pastores e os anjos que o louvaram e os Magos que ofereceram seus presentes. Por isso, quando chegar o momento de nos reunirmos com os nossos amigos e familiares não nos deixemos seduzir pelo "clamour" dessa data e venhamos a nos perder entre as cores e os gostos do natal, sem notar que estamos nos afastado do verdadeiro sentido do natal: celebrar o nascimento do Salvador.

Antes de tudo o que o mundo possa dizer sobre o natal, nós devemos nos comportar como filhos de Deus, embaixadores do Reino celestial, ministros da verdade e anunciar que Jesus nasceu em Belém, sem um lugar onde ficar. Só José e Maria sabiam de sua divindade. Mas hoje, nós conhecemos a verdadeira história do natal, por isso que em nosas vidas, casas, no lar seja celebrado que Jesus nasceu por nós e que movido pela gratidão e felicidade possamos dar-lhe o lugar de honra em nosso coração e, em nosso meio, ele possa senta-se a mesa e ceiar conosco.

Que seja celebrado o verdadeiro natal! Feliz Natal!

O QUE É O NATAL PARA VOCÊ

Não há muito tempo, um professor de psicologia, em uma de nossas grandes universidades, deu um teste de sugestão de palavras para sua classe de 40 alunos. Ele os instruiu para escrever a palavra "Natal" e toda a classe fez isso. "Agora", disse o professor, "escrevam ao lado da palavra Natal, tudo o que vocês lembram a respeito desse dia". Quando os alunos entregaram as suas listas de palavras, o que o professor encontrou foi: árvore, pinheiro, presentes, peru, festa, feriado, cantata, Papai Noel, mas ninguém escreveu: "o aniversário de Jesus". Da mesma forma que não havia lugar para o bebê Jesus na pousada, não há lugar para Ele na celebração do Natal. Que importância temos dado à festa de Natal? Temos, como quase todo mundo, aproveitado esta data para nos encher de comida, para beber até não podermos mais, para mostrar a todos as nossas roupas novas, para exibir os nossos presentes? Para nós, cristãos, o Natal nos faz lembrar que Jesus nasceu. O calendário religioso apresenta o dia 25 de dezembro como a data do nascimento de Cristo. Está este dia correto? Creio que isso é o que menos importa. Estamos felizes porque Jesus nasceu. Nasceu para nos dar a paz, para encher nossos corações de regozijo, para perdoar os nossos pecados, para nos ensinar a amar. Jesus nasceu! Ele não encontrou lugar nas pousadas de Belém, mas deseja encontrar lugar em nossos corações. Ele nasceu para ser o nosso Salvador, o nosso Senhor, o companheiro de todos os dias e de todas as situações. Jesus nasceu! E quem recebeu o presente fomos nós... Estamos preocupados com as comidas e as bebidas da festa Natalina? Claro que não! O que desejamos, ardentemente, é nos fartar da graça de nosso amado Redentor. Glória a Deus! Jesus nasceu! Nasceu para mim, para você, para todos aqueles que compreendem o que significa, verdadeiramente, o dia de Natal. Jesus nasceu! Parabéns ao aniversariante. Parabéns para todos nós.

Do site de Pr. Walter Pacheco

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

CONHECER JESUS


Uma pobre menina que vivia pela rua adoeceu na ocasião do Natal e foi internada num hospital. Ali aprendeu a história de Jesus, como Ele veio ao mundo para salvar-nos. "Cabinho de Vassoura" era o apelido que os companheiros de rua tinham dado à menina. Um dia ela falou baixinho com a enfermeira: "Gosto daqui; estou passando muito bem aqui ; com certeza terei de sair do hospital quando ficar boa. Mas vou levar comigo ao menos alguma coisa dos bons tempos passados aqui. A senhora soube que Jesus nasceu?"

"Sim, soube", respondeu a moça. "Fique quietinha agora, não deve falar".

"Sabia? Pensei pelo seu olhar que a senhora não soubesse de Jesus, e ia contar-lhe alguma coisa dEle".

"Pensava por causa do meu olhar...?", perguntou a enfermeira, esquecendo-se da ordem de silêncio.

"Oh, parece estar, como quase todo o mundo, descontente. Parece-me que nunca ouviu de Jesus. Não se deve ficar triste quando se sabe que Jesus já veio ao mundo para nos salvar."

Fonte: Jesus Voltará

O SENTIDO DO NATAL


I Timóteo 1.15 - "Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.".


Todos sabem que, no natal, comemora-se o nascimento de Jesus Cristo. Mas, quem é Jesus e para que ele nasceu? Na Bíblia estão às palavras do apostolo Paulo que disse: "Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal." I Timóteo 1.15.

Que Jesus veio ao mundo, ninguém duvida. A própria historia geral cita esse fato. Alias, todos os outros fatos históricos ficaram divididos entre antes e depois de Cristo. Ele se tornou um ponto de referencia. Mas, quanto ao propósito da sua vinda, começam as polemicas que se originam em meras opiniões humanas. O que o texto bíblico diz é que Jesus veio para salvar os pecadores. Ele não veio fundar uma nova religião, nem criar uma nova linha de pensamento. Ele veio salvar os pecadores. O que é salvação? Quando alguém se entrega a Cristo, ele o liberta dos vícios, das angustias, e das opressões espirituais. A salvação é o livramento no sentido futuro. Os que aceitam a Cristo ficam livres da condenação eterna que sobre eles recairia no juízo final.

O apostolo Paulo termina a frase com as palavras: "dos quais eu sou o principal". Ele disse que a salvação era para os pecadores e que ele se considerava o principal deles. Isto é reconhecimento do estado pecaminoso. A parte de Deus na obra da salvação foi enviar Jesus para morrer em nosso lugar, recebendo sobre si o castigo que seria nosso. A nossa parte é reconhecer que somos pecadores e que precisamos do perdão que Cristo oferece. Jesus é o nosso medico espiritual que atende com amor a todos os que reconhecem a doença do pecado. Ele ama a todos e diz "Vinde a mim todos vos que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei." Mateus 11.28.

Reconhecendo esta situação, você pode falar com Cristo agora mesmo onde você estiver. Se você o fizer com fé e com um sincero desejo de ter uma experiência real com ele, sua vida será transformada.

Só assim você poderá ter um FELIZ NATAL, pois, dessa forma, o nascimento de Jesus fará diferença para a sua vida, como fez para mim e para milhares de pessoas em todo o mundo.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

NATAL

Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus...

Mateus 1. 21a

Estamos às portas da maior das comemorações do ano, o Natal. É, sem dúvida, uma época especial, as pessoas se aproximam não só por causa da chegada dos parentes que estavam longe, mas refiro-me ao fato de que nossos corações ficam cheios de ternura, nos tornamos mais suaves, sutis e nossas falas ficam temperadas, conseguimos dizer coisas boas o que na correria do dia-a-dia não fazemos, então tudo é diferente, damos mais tapinhas nas costas e saudações típicas de fim de ano, isso tudo é muito bom, mas por que não continuamos fazendo isso durante os trezentos e sessenta e cinco dias do ano?

Ser gentil durante todo o ano, pode ser até difícil e por vezes mecânica, mas é legal. Nesses dias nos veremos mais do que do costume; nas ruas, nas lojas, nas casas com os amigos, em restaurantes, na pracinha, na Igreja, em diversos lugares, daremos mais sorrisos do que no normal, então por que não continuar durante os meses seguintes? Eu sei que você que está lendo esta humilde reflexão, continuará a exercer esse ofício, mas se não, convido-te a iniciar! Uma vida diferente nascerá dentro de ti.

Convido-te em especial para pensar no real sentido do Natal. Longe dos presentes que enchem os olhos dos agraciados ou da mesa farta que temos nesses dias, pensemos então no nascimento do Filho de Deus. O Senhor Jesus veio ao mundo em forma de homem e padeceu por você, por mim por todos nós para nos dá vida sem fim.

Jesus é o grande homenageado do dia que se aproxima, e não nós mesmos, não esquecemos disso. Esse dia não deve ser uma desculpa para a compra de presentes ou coisa parecida, receba o maior de todos os presentes, Cristo no seu coração.

O MENINO QUE VIU COMO JESUS

A seguinte história foi contada sobre uma família que parou numa lanchonete no dia de Natal. Eles estavam viajando, longe de casa, e pararam para descansar e almoçar. A família de Nancy eram os únicos com crianças na lanchonete.

Nancy conta como foi: "Eu coloquei Joãozinho, de dois anos, numa cadeira de bebê e notei que a lanchonete era calmo e todo mundo estava comendo e conversando.  De repente Joãozinho gritou "Oi, amigo."

Meu filho bateu na mezinha da cadeira e seus olhos estavam alegres e animados. Ele estava sorrindo e gaguejando. Eu olhei ao redor e vi a pessoa para quem ele falou. Num canto, perto da porta, estava sentado um mendigo. A roupa do homem estava suja e manchada.

Eu podia ver os dedos de um dos seus pés num sapato desgastado. Seu cabelo estava assanhado. Sentamos um pouco longe dele, mas eu imaginei como era o cheiro do homem. O mendigo acenou no ar meio doido. "Olá meu amiguinho. Oi homenzinho. Tudo bem?" ele falou para Joãozinho.

"O que é que a gente faz,"? eu perguntei a meu marido.

"Oi. Olá," gritou Joãozinho para o homem.

Todo mundo na lanchonete olhou para a gente e depois para o homem.  Nosso almoço chegou e daí o homem realmente começou a gritar. "Meu amiguinho! Você conhece 'Atirei um pão no ga-tô-tô'"… ?

Ninguém achou graça no mendigo. Ele obviamente estava bêbado. Eu e meu marido ficamos constrangidos. Mas, não queríamos criar uma cena. Tentamos ignorar o velhinho. Comemos em silêncio. Mas, Joãozinho não. Ele cantou tudo que sabia e o mendigo continuou com seus comentários.

Finalmente acabamos nossa refeição e fomos sair. Meu marido foi pagar a conta e pediu que eu saísse logo da lanchonete. O mendigo estava perto da porta. Eu orei "Ó senhor, me deixe sair daqui antes que ele fale de novo com Joãozinho."

Quando passei perto do homem eu virei de costas para ele. Quando fiz isso, Joãozinho se inclinou de repente e se jogou para o mendigo. Antes que podia parar ele, Joãozinho já estava nos braços do homem. De repente um velhinho, sujo e de mau cheiro e um menino pequenino consumaram sua amizade.

Num ato de confiança total, Joãozinho deitou sua cabecinha no ombro do mendigo e sorriu. O mendigo fechou os olhos e ninou e balançou Joãozinho em seus braços. O tempo parecia parar. Finalmente o velhinho abriu seus olhos e olhou diretamente nos meus.

"Tome cuidado deste menino." Ele conseguiu dizer.

"Eu vou, sim." Eu disse, mal conseguindo falar.

Ele levantou Joãozinho do seu ombro, e, com ternura e muita dificuldade, como se tivesse doendo muito, colocou meu menino de volta nos meus braços. O homem disse "Deus te abençoa, doutora. Você me deu meu presente de Natal."

Eu mal consegui falar. Estava tão envergonhada. Com Joãozinho nos meus braços, corri para o carro. Meu marido me perguntou porque eu estava chorando. Eu só conseguia dizer "Meu Deus, meu Deus, me perdoe."

Eu havia acabado de testemunhar o amor de Cristo por meio de uma criancinha. Meu filho não viu nenhum pecado, e não fez nenhum julgamento. Ele, uma criança, viu uma alma, quando eu, uma Cristã só vi roupa suja. Eu fui uma Cristã que era cega, segurando uma criança que não foi. Eu senti como se Deus estivesse me perguntando:

"Você está disposto a compartilhar seu filho por um momento, quando eu compartilhei o meu para eternidade"?

Aquele mendigo me lembrou também, que para entrar no Reino, precisamos todos nos tornarmos como crianças.

- Autor desconhecido. Tradução: Dennis Downing, do site www.hermeneutica.com.br.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

PASTORES

Eu posso até imaginar como foi aquela noite. Os pastores estavam nos campos de Belém. Era verão, o céu estava estrelado e as ovelhas quietas tornavam o som dos insetos inconfundível.

Tudo parecia igual a qualquer outra noite. As cores, os sons, o céu e a escuridão eram os mesmo de todas as noites, mas algo diferente estava acontecendo, porque Deus tinha escolhido aquela noite a muito tempo, para que o Seu Filho nascesse.

Quando os anjos escolheram os pastores para serem conhecedores do cumprimento das profecias – o nascimento do prometido messias, eles receberam a notícia com alegria e deixando suas ovelhas foram encontrar Jesus deitado numa manjedoura.

Hoje, milhares de anos depois de seu nascimento, temos o privilégio de mais uma vez celebrar e anunciar que o nosso Salvador veio a este mundo iniciar uma obra que findou com sua morte na cruz e ressurreição. Quero celebrar a vitória de um Deus que por tanto me amar enviou seu Filho como uma criança.

Lembremos dos pastores e imitemos sua alegria e prazer em adorar a Jesus. Que neste natal possamos, assim como os pastores, deixar nossos negócios, afazeres, preocupações e bens para ir ao encontro de Jesus e ajoelhando adorar.

Que todo dia seja nata no seu coração!

UMA HISTÓRIA DE NATAL


A história de John Pierpont é uma seqüência de fracassos. Após formar-se na Universidade de Yale, iniciou sua carreira de professor, mas faltava-lhe energia para manter a ordem na classe. Por isso, fracassou como docente. Tentou a advocacia, mas era excessivamente escrupuloso, e os colegas mais espertos sempre levavam a melhor sobre ele. E mais uma vez fracassou. Resolveu ser comerciante, mas vendia muito barato e não sabia dizer não aos pedidos de fiado. Também fracassou.

Talvez o pastorado fosse o lugar ideal para uma pessoa tão generosa. Por isso, John Pierpont matriculou-se no curso de Teologia da Universidade de Harvard. Formou-se e foi ordenado pastor, mas fracassou também no pastorado. Tentou a política, porém não conseguiu eleger-se para nenhum cargo.

John Pierpont faleceu em 1866, com oitenta e um anos de idade, alquebrado por inúmeras frustrações. Seu corpo foi sepultado no Cemitério de Mount Auburn, em Cambridge, Massachusetts. E sobre seu túmulo há uma pequena lápide de granito, onde está escrito: JOHN PIERPONT - POETA, PREGADOR, FILÓSOFO, FILANTROPO. Ele viveu seus últimos anos num emprego muito humilde, numa das subseções do Ministério da Fazenda, em Washington, abrindo e fechando gavetas de arquivos.

Mas o nome de John Pierpont ficou gravado na história não por seus fracassos, mas por um grande sucesso. Numa fria tarde de inverno, enquanto caía a neve, ele escreveu numa partitura as notas de Jingle Bells, a canção que celebra a alegria de se deslizar pelo escuro gelado das noites brancas, num trenó puxado por um cavalo. Quase cento e cinqüenta anos após o falecimento de John Pierport, milhões de pessoas ao redor do mundo são embaladas por essa linda canção de Natal. Apesar de tantos fracassos, uma única canção foi o suficiente para gravar na História o nome de John Pierpont.

Muito mais importante do que ter o nome gravado na História é tê-lo escrito no Livro da Vida. Neste livro estão gravados os nomes daqueles que viverão eternamente felizes com Jesus. “Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor” (Apocalipse 21.3,4). Foi para nos garantir essa felicidade que Jesus veio ao mundo. Ele nasceu, viveu e, por fim, morreu pregado em uma cruz para pagar pelos nossos pecados e nos garantir a salvação. A Bíblia diz: ”Dificilmente alguém morreria por um justo. Mas Deus prova o seu própria amor para co­nosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda peca­dores. Logo, muito mais agora, sendo justi­ficados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Romanos 5.7-9).

- Rev Adão – Igreja Presbiteriana de Campinas http://www.ipcamp.org.br/

domingo, 20 de dezembro de 2009

SUMO SACERDOTE

Hebreus 10:21-22. - "...e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência, e lavado o corpo com água pura"

O elemento essencial de todo sumo sacerdote é que, além de ser chamado por Deus, ele precisa ter algo para oferecer como sacrifício. Isto era verdadeiro quanto aos descendentes de Arão, que eram sumos sacerdotes sob a lei de Moisés, e é verdadeiro de nosso sumo sacerdote: Jesus Cristo.


A diferença entre estes dois sacerdotes é impressionante. Os sumos sacerdotes, sob a lei, tinham somente o sacrifício de sangue de animais para oferecer. Mas isto, temos certeza, não pode retirar o pecado. Nosso sumo sacerdote, Jesus, ofereceu a si mesmo como sacrifício, um oferecimento que limpa a consciência das obras mortas do pecado.


Jesus, como nosso sumo sacerdote, é descrito tanto como advogado como intercessor. Ele sempre vive e intercede por nós, uma intercessão que inclui mais do que perdão pelos pecados. Ele está ali para interceder de qualquer modo que precisemos, dando-nos força para superar a tentação, conforto em meio ao sofrimento ou privação, ajuda quando enfrentamos enfermidades, e sabedoria quando somos desafiados a tomar duras decisões.


Ele, como intercessor, também é advogado. Um advogado, um ajudante que os réus literalmente levavam ao tribunal para que ficassem ao seu lado e defendessem o seu caso. O Espírito Santo foi um advogado ou "Consolador" que os discípulos tiveram com eles para guiá-los em toda a verdade.


Como nosso advogado, Jesus fica, não somente ao lado de Deus no tribunal celeste, mas fica ali em favor de seus discípulos. Ele entende nossas fraquezas, nossas frustrações, nossas ansiedades, nossas angústias; e ali está para ouvir e defender nosso caso diante de Deus. Junto ao trono de Deus estão a "misericórdia" e a "graça" para nos ajudar nos tempos da necessidade.


Lembremo-nos, portanto, de não desanimar, mas orar sempre quando temos necessidade de Deus. Deus nos ama, Ele sabe o que é melhor para nós, e tem poder para nos dar. Certifique-se de pedir-lhe, mas lembre-se também de agradecer através de Jesus, nosso sumo sacerdote.

MISHA E JESUS

Em 1994, dois Americanos foram convidados pelo Departamento de Educação da Rússia a ensinarem ética e moralidade (baseado em princípios da Bíblia) em instituições públicas. Num orfanato, eles encontraram 100 meninos e meninas que foram abandonados ou abusados sob a guarda do governo. Os homens contaram a seguinte história:

"Foi há muito tempo atrás... Contamos a história de Maria e José chegando em Belém. Não achando lugar na hospedaria, foram ao estábulo onde Jesus foi colocado numa manjedoura..." Durante a história as crianças ficaram maravilhadas. Ficaram ligadas em cada detalhe.

Terminamos a história e demos às crianças pedaços de papelão e tecido para cada uma fazer uma manjedoura. Eu comecei a olhar os trabalhos delas e cheguei à mesa do pequeno Misha. Ele tinha 6 anos e já tinha terminado seu projeto.  Quando olhei para a manjedoura dele, vi não um, mas dois nenês deitados.

Eu chamei o tradutor e perguntei porque havia dois nenês na manjedoura. Cruzando seus braços, e olhando a sua manjedoura Misha começou a repetir a história.  Por uma criança tão pequena, que ouviu a história pela primeira vez, ele contou tudo muito bem, até que chegou à parte onde Maria deitou o bebê Jesus na manjedoura.

Daí ele começou a acrescentar alguns detalhes e disse: "Quando Maria deitou o neném na manjedoura, Jesus olhou para mim e me perguntou se eu tinha um lugar para ficar. Eu disse a ele 'eu não tenho papai ou mamãe, então não tenho onde ficar.'”

Daí, Jesus disse que eu poderia ficar com ele. Mas, eu disse a ele que eu não poderia porque eu não tinha um presente para ele como todos os outros. Mas, eu queria ficar tanto com Jesus. Então eu tentei pensar em alguma coisa que eu poderia dar a ele como presente.

Eu pensei que se eu pudesse aquecê-lo que isto poderia ser um presente. Então, eu perguntei a Jesus "Se eu aquecer você, isto serve como um presente?"  Jesus me disse: "Se você me aquecer, isto vai ser o melhor presente que alguém já me deu." Então eu deitei na manjedoura e Jesus olhou para mim e me disse que eu poderia ficar com ele - para sempre.

Quando o pequeno Misha terminou sua história, seus olhos estavam cheios de lágrimas. Ele deitou sua cabeça na mesa e chorou. O pequeno órfão havia encontrado alguém que nunca o abandonaria nem o abusaria, alguém que ficaria com ele - para sempre.

 autor original desconhecido. Tradução por Dennis Downing do site www.hermeneutica.com.br .

sábado, 19 de dezembro de 2009

É TEMPO DE CORRIGIR



Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova dentro em mim um espírito inabalável.



Salmo 51.10




Por que reconhecer o erro é tão raro hoje em dia? Aliás, parece que sempre difícil para o ser humano ver suas próprias mazelas, pois nas horas que somos avaliados sobre nossa postura, rapidamente nosso “instinto” de sobrevivência entra em cena e então, nos defendemos.


Talvez você conheça alguém que mesmo estando errado, consegue arranjar argumentos para sua defesa, muitas vezes veste-se de uma humildade que não existe e acaba saindo da situação incomoda em que estava. Reconhecer os erros é uma virtude. Quantos possuem? Quantas pessoas têm a capacidade de descer do pedestal em que estão para melhorar a situação provocada por eles mesmos?


O reconhecimento dos erros esta intimamente ligada à humildade. Quando exercitamos essa virtude, facilmente podemos nos desvencilhar dos orgulhos que nos desgasta e nos cega os olhos como uma noite sem estrelas. Jesus certamente falou bastante sobre essa virtude, nos ensina a exercitar diariamente, pois é através dela que podemos nos tornar pessoas melhores, podemos construir uma sociedade mais fraterna e um mundo mais humano.


sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A GRAÇA DE DEUS



2 Coríntios 8:1 – “Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas...”



É comum em algumas pessoas, depois de receber uma bênção, agradecer pela "graça que Deus lhes concedeu". Normalmente, pensamos em alguma coisa especial recebida em resposta às orações. Pode nos surpreender quando encontramos alguns comentários de Paulo sobre a graça de Deus concedida a igreja da Macedônia.


Em 2 Coríntios 8:1-7, Paulo falou sobre a necessidade dos cristãos da Judéia e sobre a prontidão dos irmãos da Macedônia em ajudá-los. Ele descreveu o sofrimento das igrejas da Macedônia como: muitas tribulações, profunda pobreza. E qual foi a graça concedida? Livres das tribulações? Bênçãos financeiras para resolver o problema da pobreza? Não. A graça de Deus concedida aos pobres da Macedônia foi o privilégio de poderem tirar dinheiro dos seus bolsos para ajudar outros pobres. E Paulo, admirado com a atitude desses irmãos, explicou no VV. 3: "Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários, pedindo-nos, com muitos rogos, a graça de participarem da assistência aos santos." A oportunidade de se sacrificar foi uma graça de Deus concedida àquela igreja.


Alguns anos mais tarde, Paulo escreveu aos filipenses e falou, de novo, de uma graça de Deus concedida: "Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele, pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, agora, ouvis que é o meu" Filipenses 1:29-30. Eles tiveram o privilégio de sofrer por Cristo, assim demonstrando a mesma atitude que os apóstolos: "...regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome" Atos 5:41.


Nossa tendência, muitas vezes, é de pedir que Deus nos livre de tribulações, perseguições e problemas financeiros. Não seria melhor pedir a coragem e a fé para crescer no meio dos problemas?


Senhor aumenta-nos a fé!

AMARGO REGRESSO


Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.

Romanos 5.8

Esta história é contada como verídica. Fala de um jovem soldado que finalmente estava voltando para casa, depois de ter lutado numa guerra muito sangrenta. Ele ligou para seus pais e disse-lhes: "Mãe, Pai, eu estou voltando para casa, mas, quero lhes pedir um favor. Eu tenho um amigo que eu gostaria de trazer comigo."

- Claro, filho, nos adoraríamos conhecê-lo!

- Mas, há algo que vocês precisam saber, ele foi terrivelmente ferido na guerra; pisou em uma mina e perdeu um braço e uma perna. Ele não tem nenhum lugar para ir e, por isso, eu quero que ele venha morar conosco.

- Puxa, filho, não é facil cuidar de uma pessoa com tantas dificuldades assim… mas, traga-o com você, nós vamos ajudá-lo a encontrar um lugar para ele.

- Não, mamãe e papai, eu quero que ele venha morar conosco.

- Filho, nós não podemos assumir um compromisso tão grande assim. Ele não seria feliz morando aqui conosco. E nós perderíamos um pouco da nossa liberdade. Vamos achar um lugar em que cuidem bem dele.

- Está certo, papai, o senhor tem razão!

Alguns dias depois, no entanto, eles receberam um outro telefonema, da polícia. O filho deles havia cometido suicídio, num hotelzinho de beira de estrada numa cidade vizinha, bem perto deles.

Quando ele foram fazer o reconhecimento do corpo descobriram que o “amigo” do qual o rapaz falara era ele mesmo, que havia sido gravemente ferido na guerra e escondera o fato de seus pais, com medo de não ser aceito por eles.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

O EXEMPLO DE ESDRAS


Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar e cumprir  a lei do Senhor, e para ensinar em Israel os seus estatutos e as suas ordenanças.

Esdras 7.10

O mundo de hoje tem exigido homens cada vez mais competentes e intruídos. Eles tem mais chance de sucesso. E o sucesso depende de muitos fatores: competência, formação profissional, domínio de língua estrangeira etc.

Quando Esdras se dispos a ir a Jerusalém para reconstruir o templo de Deus que estava em ruínas, ele sabia que tinha tomado uma atitude de grande coragem, sacrificar muitos anos de sua vida, abidicar do luxo, poder, prestígio e conforto do palácio de Artaxerxes, para empreitar uma aventura de quatro meses de caminhada (Esdras 7.9), enfrentar a oposição dos povos ao redor de Jerusalém, pôr a vida em perigo todo os dias e viver em uma cidade em ruína eram algumas consequências de sua decisão.

Esdras não se satisfazia em agradar apenas o homem. Ele era olhado com amor e respeito pelo seu povo e o rei o admirava pela sua sabedoria e conhecimento (Esdras 7.25). Ele era um homem especial que não deixou o orgulho e as riquezas do mundo contaminar-lhe o coração; Não se preocupou apenas consigo, com seu bem-estar, com este mundo. Mas buscou em primeiro lugar as coisas lá do alto.

Ele saia do palácio com um único objetivo na vida (buscar e cumprir a lei do Senhor) e, por isso, rejeitara tudo o que o mundo lhe oferecia. E posso garanti para você que ele foi feliz! Sabe por quê? Porque a vida de um homem não consiste apenas nos bens que ele possui nem nas conquistas de sua alma, mas sobretudo em cumprir os desejos de Deus, porque o Pai satisfaz o desejo do nosso coração e oferece paz e alegria a alma. Coisa que nada nesse mundo pode dar. Pense Nisso!

AMANDO O INIMIGO

Certa vez um homem foi visitar o pastor dizendo que queria se divorciar da sua mulher.

O pastor disse: “Mas a Bíblia diz que você deve amar sua esposa como Cristo amou a igreja.” (Efé 5:25).

O homem respondeu: “Mas, eu não consigo. E, de qualquer forma, eu não sou perfeito como Cristo.”

O pastor respondeu: “Então, se você não consegue agir assim, lembre que Jesus nos mandou amar o nosso próximo. Você não pode continuar a amar ela como seu próximo?” (Mar 12:33)

O homem falou:  “Mas, ela me traiu, ela não me trata como próximo dela. Não consigo amar ela como meu próximo.”

“Então,” - disse o pastor: “Só tenho mais uma palavra do Senhor para você. ‘Amai os vossos inimigos’.” (Mat 5:44; Luc 6:27)

Fonte:Erwin Lutzer, “Aprendendo a Amar”, (Learning to Love”) Preaching Today (Pregação Para Hoje), Tape No. 99

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

FELICIDADE

Vaidade de vaidades! diz o pregador; vaidade de vaidade! tudo é vaidade.

Eclesiástes 1.2

O que é preciso para ser feliz? É uma pergunta cuja resposta apresenta muitas facetas, mas é interessante pensarmos o que podemos fazer para alcançarmos esse estado tão sonhado por muitos.

A felicidade não é apenas um estado de espírito, ou um objeto onde podemos buscar no mercado e levarmos pra casa, não está disponível em prateleiras com um rótulo a mostra só esperando que peguemos e nos apossemos como se fosse um mero sentimento em compota. Além de ser imaterial, a felicidade não se compra! Não se adquiri ninguém se apossa desse sentimento, pois ele mesmo não se deixa escravizar-se, antes esse sentimento pode naturalmente florescer em corações abertos a esse sentimento.

Muitos a buscam em coisas passageiras, como carros, casas, aviões, ou até em jogos, mulheres e diversões que possam por um momento distrair suas vidas cheias de sofrimento e dor. A Bíblia fala que Salomão foi o homem mais sábio da terra, e, além disso, era rei e tinha muitas posses, possuiu mulheres, terras e tudo o que um rei poderia ter, mas no fim de sua vida ele disse que, essas coisas são vaidades, vaidades.

Ainda hoje muita gente busca confortar-se com essas coisas, o que é lamentável, pois o fim disso tudo é apenas sofrimento e desespero. Salomão já velho fala a todos sobre a futilidade da vida, da brevidade dos nossos dias, e alerta sobre a eternidade que iniciará logo após o fim desta.

Prepare-se para o futuro, prepare-se para a eternidade, onde a felicidade reinará absoluto. Enquanto esse tempo não chega, você pode receber hoje mesmo a felicidade total para sua vida, recebendo Deus em seu coração por de Jesus Cristo.

PARA SALVAR, PERDEU A VIDA


Aconteceu numa das praias de Pernambuco, há muitos anos. Eda passava as férias com os avós e em companhia de sua prima aproveitava ao máximo a temporada à beira-mar.

Certo dia, as duas corriam para chegar à praia onde iriam nadar. Porém, mal entraram na água, avistaram um grupo de crianças na iminência de serem tragadas pelas águas agitadas do mar.

- Precisamos salvar aquelas crianças – gritou Eda para sua prima.

Sem esperar resposta, atirou-se na direção do grupo e a prima acompanhou-a, retirando da água as crianças que ainda estavam próximas. Eda, entretanto, avançava mar adentro para tentar salvar as duas que se encontravam em maior perigo. O mar parecia desafiar a coragem da valente garota de apenas doze anos – Eda Bezerra Pinheiro. Mas ela venceu, trazendo para a praia uma criança. Voltou em busca da outra, porém, um redemoinho arrebatou-a, levando-a no seu vórtice.

Como Eda lutou! Ela mergulhava e aparecia com a criança agarrada ao pescoço, até que um salva-vidas foi atirado. A criança agarrou-se a ele com sofreguidão e foi puxada para a praia ainda com vida. Enquanto isso, Eda desapareceu no furioso redemoinho. Finalmente, um moço se atirou para salvá-la e conseguiu trazê-la, quando o seu coração ainda pulsava anunciando que havia nela a vida.

- Salvem a menina! Sinto bater com força o seu coração – gritou o moço.

Dois médicos de prontidão acudiram-na, fazendo tudo para reanimá-la, mas era tarde demais! Eda já havia trocado a sua vida pela vida de duas crianças desconhecidas; porém, considerou-as dignas da sua compaixão.

Não se sabe nada mais a respeito dos acontecimentos que se sucederam. O mar abandonou a fúria, dando lugar a uma suave brisa que agitava as palmeiras. E aquele recanto maravilhoso, que naquela tarde começou tão lindo, teve o mais triste de todos os ocasos.

O que se sabe é que as crianças do Brasil conheceram e admiraram essa história da vida de Eda. Sentiram por ela um imensurável amor porque foi uma heroína, e a maior marca do seu heroísmo é a de ter amado mais a vida de alguém do que a sua própria, assim como Cristo, que a si mesmo se entregou para o resgate de “todo aquele que nele crê”.