domingo, 31 de janeiro de 2010

SACRÍFICIOS

Com efeito, quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e, sem derramamento de sangue, não há remissão.

Hb.9.22

No antigo testamento, quando alguém queria se apresentar diante de Deus e confessar sua culpa por ter cometido alguma falta contra Deus, ele precisa cumprir algumas formalidades, dentre elas, oferecer um animal para que através de seu sangue, essa pessoa fosse perdoada de seu erro. Em outras palavras, alguém deveria morrer por ele.

Diante de Deus, o homem nunca poderia ser considerado sem culpa se alguém não assumisse a sua. Não existe essa de deixa para lá, ou foi de brincadeira, sem querer, foi mal. Todo erro é pecado, e o pecado afasta o homem de Deus e levanta uma barreira que tem que ser desfeita para o homem poder voltar a ter contato com Deus. Era para isso que servia a morte dos animais - eles assumiam a culpa do pecado e desfaziam as barreiras.

Mas este tipo de sacrifício não era perfeito. Porque toda fez que o homem errasse teria que oferecer outro animal para ser morto em seu lugar. Se ele se afastasse de Deus 300 vezes num ano teria que sacrificar 300 vidas em seu lugar.

 por isso a justiça de Deus planejou um sacrifício que fosse capaz de perdoar todos e qualquer pecado e ainda, aproximar o homem uma fez por todas do Pai e abrir-lhe a porta do céu. E por ser assim, Deus enviou Jesus ao mundo e o conduziu a cruz do calvário. Um homem perfeito tomando o lugar dos homens maus e perversos. Jesus realizou o mais perfeito dos Sacrifícios e abriu o caminho do perdão divino.

O PIQUENIQUE DAS TARTARUGAS

Regozijo-me porque em tudo tenho confiança em vós.

II Corintios 7.16

Uma família de tartarugas decidiu fazer um piquenique. Levaram um dia para preparar o lanche, um dia para chegar ao local escolhido e um dia para ajeitar o local.

Quando iam começar a comer, descobriram que não haviam trazido o sal.

Após longa discussão, a tartaruga mais nova foi escolhida para voltar em casa e pegar o sal, pois era a mais rápida de todas.

Ela lamentou, chorou, e esperneou, mas não teve jeito; finalmente concordou em ir, mas com uma condição: que ninguém comeria até que ela retornasse.

Todos concordaram com sua condição e a pequena tartaruga saiu.

Cinco dias se passaram e a pequena tartaruga não tinha retornado. Ninguém mais aguentava de fome e resolveram comer. Nesta hora a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou:

- Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora que eu não vou mesmo buscar o sal.

sábado, 30 de janeiro de 2010

JOVENS SÁBIOS


1 Timóteo 4:12 - "Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza".



A juventude é uma época da vida emocionante e desafiadora, e a transição de criança para adulto é cheia de maravilhas. A criança ganha independência, desenvolve uma personalidade ímpar, assume responsabilidades e, quase antes que alguém note, surge como um adulto. Mas essa transição não é nada fácil porque em meio a isso, há tentações e desejos a serem superados. Há decisões a tomar que determinarão um futuro, e isso pode ser até mesmo para a eternidade. Mas, o que você não pode pensar jovem, é que você não foi deixado à deriva no mar, sem uma bússola. O Deus que o fez traçou o curso do sucesso e da segurança, mas para isso você tem que confiar nele e assim, você chegará ao destino certo.



Mas para chegar a alcançar tal destino, as pessoas dizem que tem que ter sabedoria, e as pessoas frequentemente associam um jovem a sabedoria com a idade e os cabelos grisalhos. É verdade que as experiências na vida podem nos ajudar para tomarmos decisões melhores. Mas a idade não é garantia de sabedoria. Salmo 119:99-101 mostra como o jovem pode ser mais sábio do que o velho quando nos diz: "Compreendo mais do que todos os meus mestres, porque medito nos teus testemunhos. Sou mais prudente que os idosos, porque guardo os teus preceitos. De todo mau caminho desvio os pés, para observar a tua palavra." As experiências ajudam, mas jamais servirão como substituto ao estudo e conhecimento da palavra de Deus.



Graças a Deus pelos jovens que seguem as instruções vindas de Deus através de Paulo quando ele falou a Timóteo: "Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza" 1 Timóteo 4:12.

A CONSTRUÇÃO DO TEMPLO

Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes.

Sl 126.6

Com o passar do tempo, o lugar estava ficando pequeno, então "procuramos outro lugar para a realização dos cultos". Uma das preocupações com o novo lugar é que ele deveria está localizado no mesmo bairro, para não dificultar o acesso dos visitantes que frequentavam. Assim, foi alugada uma casa no mesmo bairro. No dia 03 de março de 2004, foi realizado o primeiro culto.

Pr Elias fala das dificuldades em realizar os cultos de domingo: "por algum tempo, tentamos realizar cultos pela manhã de domingo", mas a regularidade mostrara-se um desafio, por isso, a princípio os cultos aconteciam quinzenalmente.

O trabalho crescia e só depois de sete meses de pregação do evangelho a primeira alma se entregou a Jesus Cristo, foi um jovem, no dia 04 de abril de 2004 e no dia 23 de junho, uma senhora, por intermédio de seu netinho.

Um outro irmão que o Pr. Elias fala com muito amor e carinho é do irmão José Soares. Ele morava em outro bairro e levou até a igreja a notícia de um terreno que poderia ser usado para a construção de um templo. "Depois de ter orado a respeito, o terreno foi comprado. Em seguida, com a ajuda de alguns irmãos, começou a construção do templo da Igreja."

A construção do templo foi concluída e a Igreja foi inaugurado no dia 31 de outubro de 2005, com a presença de 25 adultos e algumas crianças. No entanto, ele era utilizado para a realização de um culto evangelísitcos às quintas-feiras e um culto infantil. A igreja continuou a se congregar no prédio alugado.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

DEIXE DEUS ADVOGAR POR VOCÊ


...Se, todavia, alguém pecar, temos advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo.

I João 2.1

Não há advogado mais brilhante do que nós mesmos, na hora de nos defender. Quando nos acusam, a nossa reação é imediata e, portanto, expomos varias desculpas e explicações para nos livrar da acusação.

Podemos nos cercar de provas e refutar qualquer denúncia que, por ventura nos agrida. Somos capazes de rapidamente, usarmos os melhores expedientes para escaparmos de uma encrenca. De quase tudo podemos estar livres, mas há de uma coisa que ninguém escapará: referi-mo ao julgamento final, mencionado em Apocalipse para os que viraram as costas para aquele que pode. Mas hoje, se você quiser, pode isentar-se de toda a acusação que pesa sobre ti e cancelar a sentença de morte eterna imposta à raça humana.

A humanidade caminha numa trilha sem saber onde finda o percurso. Sabe-se apenas que todos morrerão. Contudo muitos não se preparam para o fim da jornada e vivem como se o começo e o termino da sua existência, se resumisse a esta vida fugaz. Não! Quando morrermos, iniciaremos a mais longa de todas as jornadas, viveremos para sempre, pelas eras intermináveis num lugar de descanso e refrigério para almas que arduamente empenharam-se em prol da construção do Reino de Deus. Você estará lá?

Em quanto estivermos habitando neste tabernáculo, isto é, nesse corpo, não estaremos livres de erros, e, talvez, o número de acertos seja mínimo em relação aos dos erros, mas isso não será desculpa perante Deus – A carne é fraca, mas o Espírito é forte. Naquele dia que será lindo para os crentes, onde encontraremos irmãos inesquecíveis, além de revê-los, nos será dado o privilégio de ver o único que pode ser o intercessor entre os homens e Deus, Jesus Cristo. Que dia!

Lá, no céu de todas as maravilhas, recompensas incorruptíveis serão dadas àqueles que em terra foram construtores do Reino de Deus em vida. Talvez para você, isso não passe de um conto como os de fada, no entanto a Bíblia não te aconselha a pensar assim, mas tomar uma postura oposta a que tu tens. Que tal morar num lar incomparavelmente superior ao que temos em terra? Convido-te a possuir uma morada celestial, possibilitada pela morte de Jesus na Cruz. Deus te abençoe.

COISAS DO FUTEBOL

Os que esperam no Senhor renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; andarão, e não se fatigarão.

Isaías 40.31

"Zico e Silas pro aquecimento", gritou Telê Santana, aos 20 minutos do segundo tempo do jogo Brasil e França. Pulei do banco instantaneamente e comecei a agradecer a Deus enquanto fazia o aquecimento. A torcida incentivava: "Vamos lá! Vamos virar!"

No Brasil, 100 milhões estavam sofrendo e vibrando. Acho que eles tinham 70% de esperança no Zico e 30% em mim. O Zico entrou logo e perdeu o pênalti. Para mim, teria sido a grande chance da minha vida, justamente no momento mais dramático do futebol brasileiro na Copa do México de 86.

O jogo continuava 1 a 1, Telê só me mandou entrar em campo no inicio da prorrogação, 40 minutos mais tarde. Nunca me aqueci e orei com tanta firmeza em toda a minha vida!

Os 30 minutos da prorrogação significavam para mim um prêmio e uma chance. Entrei com tudo, disposto a correr por mim e por meus colegas desgastados pelos 90 minutos anteriores. Me sai bem no primerio lance contra Tiganá. Ganhei confiança e tive certeza de que Deus estava comigo. Não errei nenhum passe, não me cansei e nem senti o tempo passar.

No finzinho do primeiro tempo da prorrogação, ajeitei uma bola para o Careca, ele me devolveu, rolei um pouco a bola, vi que não tinha ninguém e enchi o pé! A direção estava certa e fiquei torcendo, mas ela tocou na trave de cima e foi para fora.

Se aquela bola tivesse entrado, o destino da Copa teria sido outro. Mas ela não entrou! O Brasil perdeu. Porém, isso não alterou em nada o meu destino, nem o de ninguém no Brasil, nem mesmo a minha confiança em mim.

Na verdade, a única jogada que mudou o rumo da minha vida, foi a que fiz quando aceitei a Cristo como meu Salvador. O destino da minha vida que antes era a morte (separação de Deus) é hoje a vida eterna que tenho em Cristo.

A paz, a satisfação, o senso de direção e propósito para minha vida, me dão a certeza de que a coisa mais importante do mundo não é jogar na Seleção, mas no time de Cristo, um time que tem até um lugar para você!

Silas - Meio de Campo do São Paulo Futebol Clube e da Seleção Brasileira.

Fonte: Força para viver, de Jamie Buckinghan, 1981, Editora Mundo Cristão

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

SÃO PAULO DO PONTEGI - PRIMEIROS DIAS

Em novembro do ano passado, Pr Elias esteve conosco em três noites de conferências, na Igreja em Tarauacá. Um verdadeiro servo de Deus que tem como missão anunciar a Palavra de Deus.


Ele e irmã Eliane estão no Rio Grande do Norte, na cidade de São Paulo do Potengi desde 03 de setembro de 2003. Local escolhido por Deus para eles anunciarem as boas novas de salvação. Em 2008, no dia 04 de Setembro, para a alegria do Casal, nasceu seu primeiro filho, Matthias.

Durante esta semana, vou apresentar um breve histórico do trabalho do irmão. No intuito de fazer conhecido entre o povo de Deus a sua luta em prol do Evangelho e arregimentar obreiros de oração a favor do irmão e família. A Palavra de Deus nos diz: "fazendo sempre, em todas as minhas orações, súplicas por todos vós com alegria pela vossa cooperação a favor do evangelho desde o primeiro dia até agora;"


Pr Elias conta que “na semana seguinte a nossa chegada, no dia 09/09/03, abrimos, na garagem de casa, o 'Clube Boas Novas', nas tarde des terças, quintas e sábados. No primeiro dia do Clube, vieram 4 crianças, duas do vizinho do lado esquerdo de nossa casa e duas do lado direito.” Aos domingos pela manhã realizavam a Escola Bíblica Dominical com adultos.


Em dezembro daquele mesmo ano, no dia 07, foi realizado o primeiro culto para adultos, com a presença de 7 adultos e 15 crianças. Diz o Pr. que foi assim que “deu-se início então, de forma tímida, a Igreja Batista do Potengi.”

DEUS VAI FAZER


Ninguém gosta de ficar esperando, principalmente quando estamos ansiosos. Lembro-me que há alguns anos comprei um teclado de 61 teclas. Tinha o desejo de aprender tocar, mas os 30 dias exigidos pela transportadora foram uma eternidade.

Abraão também viveu momentos de espera, ele desejava ardentemente um filho e durante mais de noventa anos aguardou sua chegada. Mas o tempo passou e levou do coração todas as esperanças. Foi nesse tempo, quando estava pronto a desistir e o coração não mais acreditava, que Deus lhe apareceu e lhe disse: Eu sou o teu Deus e te darei um filho daqui a um ano.

Talvez você seja como Abraão, tem esperado a sua bênção a muitos anos e está a ponto de desistir, está cansado. Só quero te dizer uma coisa: Para Deus nada é impossível! Continue acreditando, porque Ele vai fazer.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

EU SEI QUEM VOCÊ É


O amor nunca desanima, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência.

I Coríntios 13.7

Todas as manhãs um senhor idoso pegava aquele ônibus lotado e descia em frente à uma clínica. Certo dia, uma moça que sempre o observava, perguntou-lhe: - O senhor trabalha nesta clínica?

- Não, respondeu ele, minha esposa está internada aí. Ela tem o mal de Alzheimer.

- Puxa, lamento muito. E como ela está?

- Não está muito bem. Está com a memória bastante prejudicada. Já nem me reconhece mais.

- Mesmo assim o senhor enfrenta este ônibus lotado todos os dias, somente para vim visitá-la.

- Sim!

- Mas, se ela já não o reconhece mais, nem se lembra das coisas, porque o senhor vem todos os dias?

- Ela já não sabe quem eu sou, mas eu sei quem ela é. Ela não se lembra mais das coisas, mas eu jamais me esquecerei dela.

AMIZADES





Salmos 1:1 - "Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores".


Amizades são uma parte importante da nossa vida. Desde a criação do primeiro casal, Deus mostrou a necessidade do companheirismo na vida humana. Em famílias, igrejas, bairros, escola, etc, criamos laços de amizade porque precisamos compartilhar a vida com outras pessoas.

Na Bíblia, Deus nos orienta sobre amizades. Ele fala do valor dos bons amigos e adverte-nos sobre os perigos dos companheiros errados. Ele oferece instrução e apresenta exemplos que nos ensinam. Estas orientações valem para os jovens que ainda estão escolhendo o seu rumo, e também ajudam os adultos no seu caminho pela vida.

As Escrituras nos orientam sobre a escolha dos nossos amigos, até porque eles têm muita influência em nossas vidas: "O justo serve de guia para o seu companheiro, mas o caminho dos perversos os faz errar" Provérbios 12:26. Por este motivo, a escolha dos amigos é um assunto de grande importância, afinal de contas, nossas escolhas não envolvem apenas pessoas, mas decidem a nossa direção na vida e na eternidade. Tiago frisou bem este fato quando perguntou: "Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus" Tiago 4:4. O mesmo livro nos revela um homem de grande fé que rejeitou os caminhos errados de outros homens e mostrou a sua lealdade ao Senhor e o resultado desta escolha de Abraão? "Foi chamado amigo de Deus" Tiago 2:23. Devemos escolher bons amigos que nos ajudarão, especialmente em termos espirituais. Mas sabemos que é fácil escolher mal. Muitas pessoas que não amam a Deus e não respeitam a sua palavra nos oferecem a sua amizade. Às vezes, podemos influenciar tais pessoas pela nossa fé e o exemplo de uma vida reta. O próprio Jesus fez questão de ter contato com pecadores, oferecendo-lhes a palavra eterna da salvação. O perigo vem quando não confessamos a nossa fé no meio deles. Ao invés de conduzir outros a Cristo, deixamos as más influências nos corromperem e acabamos pecando contra Deus.

Poderia estender este assunto ainda mais, pois a bíblia nos mostra como escolhermos os melhores amigos e nos adverte quanto a alguns q nos levam para o caminho contrário ao de Deus. Mas quando se trata de amizade, o que devemos fazer é valorizar a qualidade, e não quantidade: "O homem que tem muitos amigos sai perdendo, mas há amigo mais chegado do que um irmão" Provérbios 18:24.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

DEUS É PRECONCEITUOSO?

Disse mais o senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só: Far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.

Gêneses 2. 18

Não sou preconceituoso, racista e nem estou inserido num desses grupos que comumente são rotulados, e que a sociedade criou para designar certas atitudes daqueles que se posicionam contra uma situação. Sou defensor sim, do que acredito que seja o normal e correto diante de Deus e dos homens.

Quando Deus criou o mundo (infelizmente poucos acreditam assim), além de criar a natureza com suas belezas deslumbrante, estrelas, lagoas, animais e tudo que se arrasta sobre o solo, Ele também criou sua obra máxima, o ponto de perfeição, inquestionável; O ser humano. O Criador planejou apenas macho e fêmea, masculino e feminino, homem e mulher, cujo objetivo seria, também, encher a terra e gerar descendentes.

Contudo, o livre arbítrio conduziu o homem a separar-se do Pai e desta forma expulso do paraíso. Começa aí, a queda do homem: Seu semblante descaiu, teve de trabalhar para o sustento próprio, as mulheres passaram a ter dores no parto, e pior que isso; o homem morreu espiritualmente. Toda sorte de malícia, pecado repousou sobre o homem, que sem Deus, tornou-se senhor de si mesmo e com uma natureza decaída.

O homossexualismo não é fruto de uma sociedade moderna, há mais de três mil anos ouvem-se relatos dessa prática, que, diga-se de passagem, é abominável diante de Deus. Deus condena completamente os que assim procedem, seria Deus preconceituoso? Absolutamente não, Ele não seria incoerente com a mais exuberante criação: Macho e fêmea.

Deus ama todos os homossexuais, há, porém uma coisa aí que os separa: A santidade que lhe é própria e a prática pecaminosa deles. O amor de Deus se estende aos gays, lésbicas, travestis e todos os que estão nessa vida, onde o destino não é o céu, mas uma eternidade de sofrimento, abandono e completamente longe de Deus.

A BICICLETINHA


Amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro.

I Pedro 1.22

Certa vez fui convidado para falar durante um banquete numa sexta-feira à noite. Ao chegar em casa, de volta do seminário onde leciono, entrei com o carro na garagem e à luz do farol vi a bicicleta do meu filho Bob. Havia dias que permanecia na garagem com o pneu traseiro completamente vazio. Eu havia prometido consertá-lo, mas não encontrava tempo para fazê-lo. No dia seguinte, pela manhã, eu iria sair em viagem; por isso, ou o consertava agora ou o momento ideal nunca chegaria.

Chamei o Bob, pegamos a bicicleta e colocamos um remendo no pneu rasgado. A seguir, tomei um banho rápido, troquei de camisa e gravata e saí correndo para banquete.

Cheguei com apenas vinte minutos de atraso, mas o anfitrião já estava tendo úlceras.

- Por onde andava? perguntou ansioso.

- Perdoe-me o atraso, disse sincero, mas tive que consertar um pneu.

- Achei que seu carro era novo!

- É sim. Era o pneu da bicicleta do meu filho.

Puff! O sujeito perdeu a calma! Não poupou palavras. Rasgou o verbo, irado, insinuando que eu estava desperdiçando o precioso tempo dele e dos convidados por causa de uma bicicletinha. Quando parou para tomar fôlego, perguntei calmo: Já lhe ocorreu alguma vez, meu amigo, que para mim é muito mais importante consertar a bicicleta do meu filho do que participar do seu banquete?

Não muito tempo depois deste incidente, eu e o Bob jogávamos bola num parque quando lhe perguntei:  Diga-me a verdade, filho, você me ama?

- Te amo demais, pai! respondeu ele.

- Fico feliz em ouvi isto. Mas por que você me ama?

- Porque jogamos bola juntos e você conserta a minha bicicleta.

Fonte: Aprenda a mentorear, de Howard Hendricks (pg. 15),

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

POR QUÊ? SE SIRVO A DEUS?


Então, Elias, o tesbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Tão certo como vive o senhor Deus de Israel, perante cuja face estou, nem orvalho nem chuva haverá nestes anos, segundo a minha palavra.

Isaías 26.3

Não sabemos nada a respeito da vida de Elias antes de seu chamamento. Ele era um total desconhecido, que vivia como qualquer outro israelita, mas quando Deus o enviou a Acabe para anunciar-lhe uma grande seca, sua vida mudou completamente.

Tornara-se conhecido em Israel como profeta de Deus. Por outro lado, transformara-se num fugitivo, perseguido por Acabe. A Bíblia diz que ele teve que viver isolado em um ribeiro. Quando suas águas secaram, fugiu para Sidom e viveu com uma viúva que o sustentou.

É interessante observar a vida de Elias, parece que depois que Deus o escolheu e ele tornara-se seu servo fiel, sua vida desandou: teve que sair de casa, viver escondido pelos campos, habitar junto as fontes de água e por último ir para um outro país e viver ali longe de todos e de tudo.

Por que isso acontece com algumas pessoas? Elas decidem servir a Deus e, por isso, surgem grandes problemas  e dificuldades. Eu não sei! Mas é preciso confiar no Pai assim como fez Elias, mesmo que isso nos traga dor e sofrimento. Elias foi um homem que vive ao extremo a presão de ser perseguido e se viu muitas vezes sozinho e abandonado. Porém, nunca o vimos desesperado. Elias conhecia o seu Deus! Você conhece o seu?

PESCADOR



Quando Jesus chamou alguns de seus discípulos, Ele os chamou para serem pescadores de homens! Hoje em dia, as pessoas esquecem disso. Alguns querem a fama, outros grandes ministérios, mas quase todos se esquecem que o Mestre quer pescadores de almas. Homens e mulheres que se dediquem a tarefa de levar a mensagem do Evangelho aos que estão perdidos e distantes da vontade de Deus.

O clipe de hoje é Pescador - Grupo Logos


domingo, 24 de janeiro de 2010

NAS MÃOS DE MEU PAI


Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.

Isaías 26.3
 
Alguns botânicos exploravam certas regiões montanhosas à procura de novas espécies quando, através de binóculos, avistaram uma flor desconhecida encravada numa estreitíssima fresta de uma encosta muito inclinada.
 
Somente seria possível pegá-la se uma pessoa pequena e leve concordasse em ser baixada por meio de uma corda. E eles pediram a um menino que estava na expedição que aceitasse a tarefa.

O pequeno olhou para o fundo do abismo, deu meia-volta, saiu em direção ao acampamento e disse-lhes que voltaria num istante.

Algum tempo depois ele voltou trazendo o pai pelas mãos e explicou suas condições:

- Eu descerei para pegar a flor, se o meu pai segurar a corda.

O SACRIFÍCIO PERFEITO


Mateus 26:39 - "Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres".



Adão trouxe o pecado e a perdição ao mundo. Jesus Cristo nos trouxe, com Sua morte, a libertação do poder do pecado e da morte. Ele o sabia, e por isso morreu com as suas palavras vitoriosas "Está consumado!" em Seus lábios. Assim Ele fez tudo o que Deus exigia e pagou o preço pelos nossos pecados. O véu rasgado no templo abre o acesso ao Santo dos Santos, ao coração do Pai. Pela vitória alcançada no Calvário, nem a morte conseguiu retê-lO. Só aceitando e recebendo pessoalmente o sacrifício perfeito do Calvário é possível viver uma vida cristã de alegria e vitória na fé. Jesus Cristo, o início e o fim, é e continua sendo o centro de nossa salvação, pois Ele continuamente intercede por nós, e por Ele recebemos propiciação pelos nossos pecados: "Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas" Hebreus 10.10. Todos os que buscam refúgio no sacrifício perfeito de Jesus tornam-se justos pelo Seu sangue e passam a fazer parte de Seu Reino. Nessa posição devemos permanecer, mas também avançar na santificação! O apóstolo Paulo nos exorta com muita insistência: "Por isso, celebremos a festa (da Páscoa) não com o velho fermento, nem com o fermento da maldade e da malícia, e sim com os asmos da sinceridade e da verdade" 1 Co 5.8.

Jesus é o sacrifício vivo e eficaz em nossas vidas!

sábado, 23 de janeiro de 2010

O TEMPO


... Remindo o tempo, porque os dias são maus.

Efésios 5. 16

A sociedade vem passando por transformações num rítimo quase incompatível com os costumes anteriormente valorizados. É latente que o modelo de sociedade atual, difere em muito, da vivida pelos nossos pais e avós.

As pessoas estão sempre correndo apressadas, em busca de algo que lhes preencha seu tempo e que possa fazê-las não perder tempo. Nos últimos dias, o tempo é o grande senhor, e tem escravizado muitos. Alguém já disse: “Times is Money” (“Tempo é dinheiro”). Existe um fundo de verdade nesse pensamento, temos de ter tempo para todas as tarefas do dia-a-dia e para nós mesmos.

Devido à dinamicidade que nossa vida vem ganhando, tudo precisa ser feito com maior celeridade e assim, esquecemos muitas vezes de nós. Atarefamos-nos demasiadamente, acumulamos várias funções e não damos valor às coisas simples da vida.

Com correria nosso do cotidiano, acabamos dizendo que não temos tempo, mas a Bíblia nos diz que “há tempo para todo propósito e a há tempo de nascer e morrer”. Podemos fazer um exercício de memória, em que estamos ocupando mais o nosso tempo? Em que me empenho mais? Onde gasto mais meu tempo. Será que o nosso precioso tempo tem sido bem distribuído e inteligentemente gasto.

Muitos estão usando seu tempo para praticarem o mal e tornar suas vidas um caos. Nesse caminho, vários perdem momentos preciosos de suas vidas onde poderia reinar a paz e a tranqüilidade.

Deus é o Senhor do tempo. É Ele que comanda todas as coisas, e já tem um dia determinado, um tempo estabelecido para encontrar-se com sua Noiva (Igreja).

A palavra de Deus diz que “Hoje é o tempo oportuno para aceitar a Salvação"..." Escolhe, pois a Vida para que vivas tu e a tua descendência”. Já estamos vivendo os últimos dias, os sinais nos mostram que o tempo da vinda de Jesus não tardará. Se você ainda não escolheu viver, ainda tens tempo para tomar uma decisão e investir todo o teu tempo para estar com Deus.

A ROSA ENCANTADA


Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço; porque o amor é forte como a morte; mas, o ciúme é cruel como o inferno.

Cânticos 8.6

Era uma vez príncipe muito infeliz, pois lhe faltava alguma coisa na vida, mas não sabia dizer o quê. Dizia sempre que havia um imenso e angustiante vazio no peito.

Aflito, o rei mandou chamar um ancião, conhecido por sua sabedoria, e pediu-lhe ajuda. - Alteza, disse o homem, daqui a três luas nascerá no jardim do príncipe a mais bela flor que os olhos humanos já viram. Será uma rosa encantada, que trará felicidade ao seu filho, por causa da sua beleza e do seu perfume. No entanto, esta flor não pode ser retirada do lugar onde nascer, senão morrerá, e com ela morrerá a felicidade do moço.

Passadas as três luas, aos primeiros raios do amanhecer, fez-se um burburinho no jardim, bem sob a janela do príncipe, que, ao levantar-se e ir à sacada para ver de onde vinha aquele som, ficou mudo, completamente sem fala, diante a beleza da flor.

Era realmente uma flor sem igual! O jovem vestiu-se às pressas e desceu as escadarias a passos rápidos. Atirou-se de joelhos na grama, e ficou a admirar suas formas e cores, e a inalar seu indescritível perfume. E, de repente, ele se apaixonou por ela, e a felicidade invadiu sua alma. E ele se esqueceu que um dia foi infeliz.

Mas, uma coisa preocupante aconteceu: a notícia da rosa encantada esparramou-se rapidamente pelo reino e centenas de pessoas vieram vê-la e aspirar seu perfume.

E o príncipe ficou enciumado. Colocou guardas ao redor da flor, mas sua beleza parecia que atraía as pessoas, tendo os guardas, muitas vezes, de usar de força para as conter.

Um dia, aborrecido por ter dividir sua flor com tanta gente, mesmo ciente das advertências do sábio, o príncipe a arrancou do jardim e a plantou num vaso de ouro, cravejado de diamantes, e a levou para seu quarto. Agora ele a teria só pra si.

Regou-a, arrumou a terra ao seu redor, protegeu-a como pode e cuidou dela a noite inteira, mas, ao amanhecer, ela havia morrido.

Autor: Fábio Azamor.
Fonte: http://canalum.fm.br

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

PORTA ABERTA


E, [o filho pródigo] levantando-se, voltou para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.

Lucas 15.20
 
Foi em Glasgow, na Escócia, que esta história se passou. Uma adolescente fugiu de casa para viver "sua" liberdade, mas logo caiu na realidade da vida. Sem dinheiro para se manter e sem coragem de voltar para casa, acabou por entrar no mundo da prostituição.

Os anos se passaram, mas, apesar da saudade dos pais, ela nunca mais tentou qualquer contato com eles. Seus pais sempre a procuraram, em vão, porém, desde a morte do seu pai (que ela nem ficou sabendo), sua mãe intensificou as buscas, deixando um cartaz de "Procura-se" em qualquer lugar onde lhe permitissem.

Neste cartaz a mãe havia colocado sua própria foto, escrito embaixo: "Eu ainda amo você. Volte para casa".

Os meses se passaram sem qualquer notícia, até que um dia, numa fila de sopa para pessoas carentes, a moça viu a foto da sua mãe, que apesar de ter envelhecido bastante, ainda conservava o mesmo olhar que ela guardava em suas lembranças.

Não pode conter a emoção e, naquele dia mesmo, voltou para casa. Era tarde da noite quando chegou. Tímida, ela se aproximou da porta. Ia bater, mas ela se abriu sozinha. Entrou assustada, apavorada com a idéia de que algum ladrão tivesse invadido a casa e "sabe lá Deus o quê" poderia ter feito.

Correu para o quarto e viu sua mãe dormindo. Acordou-a. Ambas choraram muito. Abraçaram-se. Reconciliaram-se. Lembrando-se da porta aberta, a moça disse: Puxa, mãe, levei um susto tão grande quando cheguei.

- Por que, minha filha?

- É que a porta da frente estava aberta e eu pensei que algum ladrão tivesse invadido a casa. Você precisa tomar mais cuidado, mãe. Não pode mais esquecer a porta aberta.

- Não meu amor, você não está entendendo. Eu não esqueci a porta aberta. Desde o dia em que você foi embora, esta porta nunca mais foi fechada.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

NOBRE VINGANÇAS


Evitai que alguém retribua a outrem mal por mal; pelo contrário, segui sempre o bem, entre vós, e para com todos.

I Tes. 5:15.

Certo dia, um oficial do exército bateu num jovem soldado que era conhecido por praticar artes marciais. O golpe era injustificado, mas os regulamentos militares proibiam o revide; além disso, o jovem era cristão.

- O senhor ainda vai se arrepender disso - comentou o soldado com um sorriso.

Tempos depois, a companhia daquele soldado estava envolvida numa feroz batalha, quando ele viu um oficial ferido tentando desesperadamente arrastar-se de volta para a trincheira. O jovem soldado reconheceu-o como o oficial que o havia golpeado. Arriscando a própria vida, foi em auxílio do homem ferido e ajudou-o a ir a um posto de primeiros socorros.

Enquanto o oficial jazia deitado no chão, esperando que os médicos o atendessem, tomou a mão do soldado, gaguejou um pedido de desculpas e expressou-lhe gratidão. Apertando a mão do oficial, o jovem soldado deu uma risadinha amigável e disse: "Eu tinha certeza de que algum dia o senhor se arrependeria." Dali em diante, os dois tornaram-se os melhores amigos.

ALEGRAI-VOS NO SOFRIMENTO!



1 Pedro 5:10 - "depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar".


Nós que somos cristãos sabemos o quanto é difícil sofrer, seja juntos ou separados dos irmãos em Cristo. A tendência de muitos irmãos é de serem fortes quando estão com outros, mas quando se encontram sozinhos no mundo sua fé se torna fria e inativa. Muitos não sabem como lidar com os sofrimentos e em vez de aprenderem a sabedoria pelos males que sofrem, acabam muitas vezes blasfemando contra Deus. Mas Jesus nos mostra que pelo sofrimento é que vamos aprender como nos revela em Hebreus 5:7-8. Em vez de sermos servos revoltados por grandes ou pequenos sofrimentos, devemos nos alegrar neles. Se é que somos verdadeiros servos de Cristo, com ele seremos coparticipantes de seus sofrimentos. "Se pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois" 1 Pedro 4:13-14.

Deus nos ensina a buscar sua vontade e a praticar o bem, não importa onde nem com quem estamos, nossa responsabilidade é de sofrer por Cristo, de divulgar sua palavra não só no templo, mas não saímos de nosso comodismo. Mesmo que venhamos a sofrer praticando o bem, não podemos nos desanimar, pois "Se for da vontade de Deus, é melhor que sofrais por praticardes o que é bom do que praticando o mal" 1 Pedro 3:17.

Jesus sofreu por nós morrendo numa cruz; ali ele absorveu todo o nosso pecado, enfermidades e iniquidades, e por fim sofreu a morte em nosso lugar. Devemos nossa vida a Ele, e não há mal nenhum em sofrer pelo seu nome; e no porvir "depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar" 1 Pedro 5:10.

Enquanto estivermos vivos sofreremos, mas Jesus nos prometeu a glória. E mesmo que soframos por demasiado; todos esses sofrimentos não podem ser comparados com a glória eterna.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

VIVER BEM


"... Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as vestes”?

Mateus 6.25b

Conta-se a história de que Sócrates estava passeando numa rua que dava para um mercado de grande movimento na Grécia. Suas lojas, as novidades que esse país exportava para o velho mundo de então. Nesse passeio, um discípulo de Sócrates flagrou seu mestre defronte a uma dessas lojas e observando-o jovem filósofo indagou ao seu professor: Mestre o senhor está escolhendo alguma coisa para comprar ou está admirando as belezas desse mercado? Sócrates, sabiamente respondeu – Estou apenas observando o que eu não preciso para viver.

Que lição esse jovem aprendeu naquele dia. Diferentemente de Sócrates, muitas pessoas vivem superficialmente, são capazes de trocar o excelente pelo bom, e nesse pensamento vivem sempre procurando novidades que preencham o vazio de suas vidas. Esse filósofo que viveu antes de Cristo, já alertava sobre o viver futilmente, desprezando as coisas boas da vida como, por exemplo, contemplar a beleza de uma paisagem.

O pensamento de um grupo de pessoas resume-se a modismos e coisas do tipo que tornam o cidadão alienado e acostumado a consumir indiscriminadamente e às vezes, de forma irresponsável. Jesus também já alertava o povo de sua época sobre essas questões. Ele disse: “Não é a vida mais do que o alimento?" Ou seja, antes de se preocupar em vestir-se ou comer caviar, há uma vida que clama por um estilo menos pesado.

Comer, beber, vestir-se são essenciais, mas muitos tem se ocupado em valorizar esses elementos que são perecíveis, e se esquecem que nossa vida suplica por coisas menos triviais. Muitos abastados vivem em depressões profundas, enquanto que os privados de muitas opulências vivem uma vida de felicidade e tranquilidade. Jesus fala: “Não é o corpo mais que as veste”?

Uma vida feliz não se mede pela quantidade de roupas presente no meu guarda-roupa, pela classe social a que se pertence ou pela conta bancária, mas pela paz de espírito que domina seu ser.

TERRA FÉRTIL


Quando Pero Vaz de Caminha descreveu o Brasil para o Rei de Portugal, ele disse: "Águas são muitas; infinitas. Em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo;" Foi uma poética forma de dizer que a terra era boa e fértil. 

Quando os dozes israelitas, depois de 40 dias percorendo a terra de Canaã,  voltaram, eles estavam maravilhados com o que viram e, declararam ao povo - "Fomos à terra a que nos enviaste; e, verdadeiramente, mana leite e mel;" Estes homens falavam de uma terra era cheia de encantos. Em outras palavras, a terra era mui fértil.

Jesus contou a parábola de uma semente que caiu numa terra fértil e transformou-se em uma árvore que produziu muitos frutos.  Mas o que Ele queria dizer era que há coração que ao aceitar Sua Palavra são transformados e espalham bondade, amor, paz e verdade como uma árvore numa terra fértil.

 O desejo de Deus é que sejamos todo terra fértil, onde sua Palavra possa crescer e frutificar e que nossa vida seja abençoada pelo muitos frutos do céu.

Terra fértil - Ministério Além do Véu.

 

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

OBADIAS


Acabe chamou a Obadias, o mordomo. (Obadias temia muito ao SENHOR...)

I Reis 18.3


Israel enfrentava uma grande seca. 3 anos sem cair uma única gota de chuva sobre a terra. Tudo que era verde desaparecia dando lugar a uma vegetação morta e amarelada. Diz a bíblia que a fome era extrema em Samaria.

Nesse contexto de fome e seca, surgi um homem chamado Obadias. Ele era mordomo do Rei Acabe. Seu nome significa "Servo do Senhor". E diz a Bíblia que ele temia a Deus, de tal forma que, enquanto Acabe mandava matar os profetas do Senhor, ele os escondia em cavernas, covas e os alimentava com pão e água.

Onde Obadias conseguia alimento e água para alimentar 100 homens em tempo de seca e fome? É uma pergunta difícil de responder. Mas o fato é que ele arriscava a vida todo dia, para manter a salvo alguns homens de Deus. Sabe o que eu aprendo com Obadias?

Que, às vezes vale a pena sacrificar-se um pouco para ajudar o próximo. Tem dias que a gente pensa que os Obadias desapareceram e que a maldade humana vai vencer. Mas quando vejo a alegria de homens e mulheres salvando haitianos da morte, tenho a certeza de que ainda resta obadias no mundo e de que nem tudo está perdido.

Que Deus nos ajude a ser como obadias, um homem simples, pobre, mas com uma coração cheio de temor de Deus e amor pelo próximo.

DEIXE A RAIVA SECAR

Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males. O Senhor lhe pague segundo suas obras.

II Timóteo 4.14

Certa vez uma menina ganhou um lindo brinquedo no dia do seu aniversário, mas uma amiguinha o levou para sua casa sem permissão e o destruiu antes mesmo dela brincar uma única vez com ele. Ela ficou muito brava e queria porque queria ir até a casa da amiga para brigar com ela. Mas a mãe ponderou:

- Você se lembra daquela vez que você chegou em casa com lama no seu sapato? Você queria limpar imediatamente aquela sujeira, mas sua avó não deixou. Ela lhe disse para deixar o barro secar, pois assim ficaria mais fácil limpar.

- Sim, mamãe, eu me lembro.

- Pois é, meu amor, com a raiva é a mesma coisa. Deixe-a secar primeiro, depois fica bem mais fácil resolver tudo.

Mais tarde, a campainha tocou: era a amiga trazendo um brinquedo novo, em reposição ao que havia quebrado, pelo que se desculpou. E a menina respondeu:

- Não faz mal, não, minha raiva já secou!

Anônimo

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

VIDA OU MORTE

“...agora, será Cristo engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte”
Filipenses 1:20

O apóstolo Paulo deveria receber o diploma de quem mais suportou afrontas em prol de Cristo. E depois de sofrer todo tipo de perseguição por causa da sua fé em Jesus, Paulo foi preso. Ele aguardava o julgamento do seu caso, e irmãos em outros lugares oravam por ele. Quando escreveu aos filipenses, Paulo expressou sua confiança que Deus responderia às orações destes irmãos e que ele seria posto em liberdade: Filipenses 1:19 “Porque estou certo de que isto mesmo, pela vossa súplica e pela provisão do Espírito de Jesus Cristo, me redundará em libertação...”.

O que nos surpreende é o resto da afirmação dele: Filipenses 1:20 “...agora, será Cristo engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte”. Paulo tinha confiança da libertação, mas não sabia se ia viver ou morrer. Sua perspectiva sobre a morte era bem diferente do entendimento da maioria das pessoas pensam hoje. Paulo não considerou a vida neste mundo como a coisa mais importante, como muitos a intitulam e até fazem planos. Certamente não faria nada para tirar a própria vida, mas considerou a morte como um livramento do sofrimento que enfrentava aqui quando ele expressa: VV. 21“Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro”. Se Paulo tivesse direito de escolher sua liberdade, mas isso era uma escolha que lhe não cabia, e se ele tivesse decidido por motivos egoístas, teria optado pela morte! Ele disse no versículo 23 que tinha “o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor”.

Mas Paulo queria viver, não por ser a melhor coisa para ele, mas por causa dos outros. Ele vivia para servir, para honrar a Deus e para ajudar aqueles que procuravam fazer a vontade de Deus, ele expressa nos versículos 24 e 25: “Mas, por vossa causa, é mais necessário permanecer na carne. E, convencido disto, estou certo de que ficarei e permanecerei com todos vós, para o vosso progresso e gozo da fé”.

Paulo não fugiu da sua responsabilidade de servir nesta vida, mas ele ansiava o descanso eterno na presença de Deus. O que nós desejamos? A vida? A morte? Devemos aprender que, vivendo ou morrendo, a coisa mais importante é a eternidade na presença de Deus.

DEUS NÃO É VELHACO

Peça, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar; impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.

Tiago 1.6-8

Era uma vez um sujeito que se endividou muito e foi condenado a saldar suas dívidas de uma só vez, sob pena de ser preso. Coincidentemente, nesta mesma época um outro indivíduo recebeu a mesma sentença.

Apesar de seus esforços, nenhum deles conseguiu empréstimo em alguma instituição de crédito nem com seus parentes. E o dia fatal ia-se aproximando rapidamente.

Coincidentemente, também, cada um deles tinha um amigo de infância que era rico e, na noite anterior ao prazo fatal, decidiram lhe telefonar pedindo socorro.

O primeiro ouviu de seu amigo que podia ficar tranqüilo, pois tinha o dinheiro disponível e iria lhe emprestar a quantia necessária logo de manhã. Aliviado, deitou em sua cama e dormiu feito criança, pois seu amigo era uma pessoa de palavra.

O segundo ouviu de seu amigo a mesma coisa, mas não conseguiu dormir, pois seu amigo era daquele tipo pessoa que promete as coisas, mas não cumpre o prometido. Era um velhaco, que já havia falhado com ele antes. Indigno de confiança.

Conclusão: Quando pedimos algo a um amigo e ele nos promete que vai dar, mas continuamos preocupados, estamos dizendo com esta nossa preocupação que este nosso amigo não é digno da nossa confiança; em outras palavras, que é um velhaco.

Moral da história: Quando pedimos algo a Deus e continuamos preocupados, na prática estamos lhe dizendo que Ele não é digno da nossa confiança; que Deus é um velhaco.

Autor: Ronaldo Alves Franco.

domingo, 17 de janeiro de 2010

VOCÊ CRÊ NA SUA PREGAÇÃO?


Quem deu crédito em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor?

Isaías 53. 1

Jesus pregou por cerca de três anos e meio sobre esta Terra, numa região marcada por várias religiões, doutrinas variadas, uma população dominava por Roma e um povo à espera de um libertador que redimisse sua situação junto ao poderio dos Imperadores. É nesse contexto que Cristo abria caminho com suas parábolas e milagres o caminho para o Reino do Céu, mas sua pregação não foi tão tranqüila como muitos achavam que seria Ele foi morto por causa de sua pregação e nos trouxe uma oportunidade de conhecer Deus.

A Bíblia nos diz que ninguém deu crédito à pregação de Jesus e em decorrência disso, sua vida foi marcada por perseguições, acusações e desprezo. O resultado foi uma prisão sem julgamento a decepção de ver que um dos seus o havia traído e outro negado e uma população em massa gritando para que o crucificassem. Jesus sofreu tudo isso por você.

Hoje em dia muitos ainda desacreditam em Jesus, e mais que isso: Não dão credito à pregação da Bíblia realizada por muitos pastores em diferentes igrejas. A situação não é diferente dos tempos de Jesus: As pessoas ainda desacreditam em Deus mediante a pregação de Jesus e com isso, crucificam para si mesmo Cristo e enterram num tumulo onde para eles, Ele não pode ressuscitar e salva-los.

Mas Cristo pode perfeitamente salvar qualquer individuo, e Ele já materializou isso quando venceu a morte após ressurgir.

AS DUAS PULGAS

Virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas.

II Timóteo 4.3-4

Muitas instituições caíram e caem na armadilha das mudanças drásticas de coisas que não precisam de alteração, apenas aprimoramento. O que lembra a história de duas pulgas. Elas estavam conversando e então uma comentou com a outra:

- Sabe qual é o nosso problema? Nós não voamos, só sabemos saltar. Daí nossa chance de sobrevivência, quando somos percebidas pelo cachorro, é zero. É por isso que existem muito mais moscas do que pulgas.

E elas contrataram uma mosca como consultora, entraram num programa de reengenharia de vôo e saíram voando. Passado algum tempo, a primeira pulga falou para a outra: "Quer saber? Voar não é o suficiente, porque ficamos grudadas ao corpo do cachorro e nosso tempo de reação é bem menor do que a velocidade da coçada dele. Temos de aprender a fazer como as abelhas, que sugam o néctar e levantam vôo rapidamente."

E elas contrataram o serviço de consultoria de uma abelha, que lhes ensinou a técnica do chega-suga-voa. Funcionou, mas não resolveu. A primeira pulga explicou por quê:

- Nossa bolsa para armazenar sangue é pequena, por isso temos de ficar muito tempo sugando. Escapar, a gente até escapa, mas não estamos nos alimentando direito. Temos de aprender como os pernilongos fazem para se alimentar com aquela rapidez.

E um pernilongo lhes prestou uma consultoria para incrementar o tamanho do abdômen. Resolvido, mas por poucos minutos. Como tinham ficado maiores, a aproximação delas era facilmente percebida pelo cachorro, e elas eram espantadas antes mesmo de pousar. Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha:

- Ué, vocês estão enormes! Fizeram plástica?

- Não, reengenharia. Agora somos pulgas adaptadas aos desafios do século XXI. Voamos, picamos e podemos armazenar mais alimento.

- E por que é que estão com cara de famintas?

- Isso é temporário. Já estamos fazendo consultoria com um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar. E você?

- Ah, eu vou bem, obrigada. Forte e sadia.

Era verdade. A pulguinha estava viçosa e bem alimentada. Mas as pulgonas não quiseram dar a pata a torcer:   Mas você não está preocupada com o futuro? Não pensou em uma reengenharia?

- Quem disse que não? Pensei, sim! E fui conversar com a minha avó, que tinha a resposta na ponta da língua.

- E o quê ela disse?

- Não mude nada. Apenas sente no cocuruto do cachorro. É o único lugar que a pata dele não alcança.

MORAL: Você não precisa de uma reengenharia radical para ser mais eficiente. Muitas vezes, a GRANDE MUDANÇA é uma simples questão de reposicionamento.

Autor: Max Gehringer (adaptado)
Fonte: www.metaforas.com.br

sábado, 16 de janeiro de 2010

PREOCUPADOS COM CAVALOS

E disse Acabe a Obadias: Vai pela terra a todas as fontes de água, e a todos os rios; pode ser que achemos erva, para que em vida conservemos os cavalos e mulas, e não percamos todos os animais.

I Reis 18.5

Uma grande seca afetava Israel, de tal forma que as fontes de águas, rios e poços estavam secando. As plantações não resistiam e o pasto desaparecia rapidamente sobre o sol escaldante. A fome era intensa, o povo clamava por comida e a sede começa a atingir as cidades. O cenário era de miséria.

Enquanto isso, Acabe do seu palácio contemplava nos estábulos seus muitos cavalos. Eles eram grandes, fortes, caros e estavam preparados para a guerra. Um dia, notou que eles corriam o risco de morrer. Tinha que salvá-los. Por isso reuniu homens de sua confiança e os enviou a percorrer o reino com o intuito de encontrar água e alimento.

Por que a maioria de nós age como Acabe? Preocupa-se com cavalos quando existem pessoas que estão ao nosso lado precisando de ajuda? O coração de Acabe era sensível a visão de cavalos famintos, mas não sentia nada  quando via alguém desfalecer pelas ruas.

O problema é que amamos demais nossos bens e esquecemos-nos de amar quem se deixa estar ao nosso lado. Eu sempre gosto de lembrar uma frase de Renato Russo: "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar para pensar na verdade não há".

Que Deus nos livre da preocupação exagerada com cavalos. Nossos bens são importantes, mais nossa família, amigos e irmãos são mais.

O CORAÇÃO



Salmo 86:11 “Ensina-me, Senhor, o teu caminho, Deus meu, de todo o coração, e glorificarei para sempre o teu nome”.




Somente quando buscamos a Deus com o coração inteiro, encontramos a paz íntegra. A indecisão a respeito de Deus é descrito em português como “ânimo dobre” e o ânimo dobre é um hábito caro. Com tanto contentamento sendo arriscado, por que nós trememos? Por que não escolhemos a Deus com mais vontade? Mesmo que digamos que desejamos a comunhão com Deus e mesmo assim falhamos, talvez simplesmente não estamos dispostos a abandonar a aquilo que gostamos. Suponhamos que deve ter alguma maneira de ter o melhor dos dois mundos. Mas tais tentativas não tem sabedoria vinda do Senhor. Mas quando há uma escolha entre Deus e o diabo, a abordagem é a pior escolha de todas.



Nossa oração deveria ser pela integridade de um coração puro, um que não é somente limpo, como também decisivo. Tiago escreveu: “Chegai-vos a Deus e ele se chegará a vós outros....e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração” Tiago 4:8. O que precisamos é a coragem de buscarmos a Deus com um único propósito. Devemos orar para que Deus nos dê o intelecto, sabedoria de compreender aquela coisa; para o coração, a sinceridade de receber esta compreensão; para a vontade, a pureza que dá vontade de uma única coisa. Aqueles com integridade piedosa são aqueles que conhecem e amam e tem vontade de apenas uma coisa: a glória de Deus.



No fim, olharemos para trás e veremos que muitas coisas boas foram perdidas por demorarmos na indecisão? Enquanto nós demoramos, com os corações divididos e as cabeças não feitas, deixamos passar muitas das bênçãos que vêm da disciplina e uma ação decisiva.



Que aspiremos às alegrias do coração unido. Que sejamos devotos na nossa devoção e inteiros na nossa santidade. Que Deus nos ajude a tomar as nossas decisões.

O QUADRO


Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

Apocalipse 3.20

Uma importante galeria de arte abre exposição de um grande pintor.

Dentre todos os quadros, o que mais chama a atenção dos convidados é uma impressionante figura de Jesus batendo suavemente à porta de uma casa. O Cristo parecia vivo. Com o ouvido próximo à porta, Ele procura ouvir se lá dentro alguém lhe responde.

Um observador curioso, porém, aponta uma falha no quadro: Está faltando a fechadura nesta porta, diz ele, em voz alta, na frente de todos.

O artista, com muita tranqüilidade, lhe responde: Não, meu amigo, não está faltando a fechadura. Esta porta é assim mesmo, pois, é a porta do coração humano. Só pode ser aberta pelo lado de dentro.

Autor desconhecido.
Extraído do livro: Textos Selecionados, elaborado pelo
Instituto de Desenvolvimento do Potencial Humano - IDPH

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

MÃE MATA FILHA EM RITUAL

Notícias tristes sempre se espalham pela televisão e Mídia. Mas é o resultado de um mundo completamente longe de Deus que vive entregue aos desejos de um coração corrupto e mau.

Ontem, li uma notícia que me fez pensar no que o coração humano é capaz de fazer quando Deus não está nele. Gostaria de compartilhá-la com todos.


"Uma mãe de 24 anos assassinou a filha com mais de 50 facadas num ritual satânico na Inglaterra. Vítima de paranóia esquizofrênica, Aisling Murray arrancou os papéis de parede do quarto da filha Chloe e transformou o cômodo num altar antes de fazer a execução. Horas antes, ela tinha sido considerada pela polícia e por funcionários do serviço social local como capaz de tomar conta da filha. O crime aconteceu em 2003.


Segundo o tablóide britânico “Daily Mail”, que desenterrou o caso, as autoridades locais foram responsáveis pelo erro, já que tinham recentemente liberado Aisling, moradora de Manchester, após um longo período de internação. Poucos dias após receber alta, ela teve uma recaída e atacou seu ex-namorado, mas a ocorrência foi ignorada e ela continuou tomando conta da filha.

Segundo relatório feito nessa semana pelo serviço de saúde local, a família da mulher foi vítima de negligência. Na ocasião, a assistente social responsável pelo caso ainda seria muito inexperiente e teria dado pouca atenção aos sinais de Aisling.

“O relatório mostra que houve alguns erros no cuidado e no tratamento da filha daquela mulher”, disse Mike Farrar, um dos responsáveis pelo relatório.

Fonte: SRZD

PARA MEU NETO


Ouvi num domingo, na igreja, a história de uma família de refugiados do Leste europeu, forçada a sair de casa por tropas invasoras. Perceberam que a única chance de escapar dos horrores da guerra era atravessar as montanhas que circundavam a cidade. Tinham certeza de que estariam a salvo num país vizinho e neutro, caso conseguissem fazer a travessia. mas o avô não estava bem e a viagem seria dura.

- Me deixem para trás – pediu ele - os soldados não vão se importar com um homem velho como eu.

- Vão sim – disse o filho – para o senhor será a morte.
- Não podemos deixar o senhor aqui, papai – reforçou a filha – Se o senhor não for, então nós também não vamos.

O idoso finalmente cedeu e a família, composta de umas dez pessoas de diversas idades, inclusive uma netinha de um ano, partiu em direção à cadeia de montanhas que se via à distancia. Caminharam em silêncio, revezando-se para carregar o bebê, o que tornou mais difícil a subida do desfiladeiro.

Depois de várias horas, o avô se sentou numa rocha e deixou pender a cabeça.

- Continuem sozinhos. Não vou conseguir – disse.

- Vai, sim – encorajou o filho – Tem de conseguir.

- Não – disse o avô – Me deixem aqui.

- Vamos – disse o filho – Precisamos do senhor, é sua vez de carregar o bebê.

O homem levantou o rosto e viu as fisionomias cansadas dos demais. Olhou para o bebê envolto num cobertor, agora no colo de seu neto de treze anos, um menino magrinho.

- Claro – disse o avô – É a minha vez. Vamos passem o bebê para mim. Ele se levantou e ajeitou o bebê no colo, olhando seu rostinho inocente. De repente, sentiu uma força renovada e um enorme desejo de ver sua família a salvo numa terra em que a guerra seria uma memória distante.

- Vamos – disse ele, com determinação – Já estou bem. Só precisava descansar um pouco. Vamos andando.

O grupo prosseguiu, com o avô carregando o bebê. E, naquela noite, a família conseguiu cruzar a fronteira a salvo. Todos os que iniciaram o longo percurso pelas montanhas conseguiram terminá-lo, inclusive o avô.


Floyd Wickman e Terri Sjodin
Histórias para Aquecer o Coração dos Pais
Jack Canfield & Mark V. Hansen & Jeff Aubery & Mark & Chrissy Donnelly
Editora Sextante
Fonte: www.metaforas.com.br