quinta-feira, 30 de setembro de 2010

VENDENDO O VOTO

Então, um dos doze, chamado Judas Iscariotes, indo ter com os principais sacerdotes, propôs: Que me quereis dar, e eu vo-lo entregarei? E pagaram-lhe trinta moedas de prata.

Mt. 26.14-15 
 
Vivemos um momento especial. Época de eleição. Estamos prestes a decidir que país queremos para os próximos quatro anos. É o momento de pedirmos orientação a Deus na escolha de homens sábios e compromissados. Diz a Bíblia que feliz a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para sua herança.
 
As pessoas escolhem seus candidatos de diferentes maneiras: afinidade, interesse, amizade e outros como Judas: que me quereis dar? Judas trocou Jesus por 30 moedas. O triste disso tudo é que ele se vendeu e destruiu seu futuro por algumas moedas.
 
O mesmo acontece hoje, muitos vendem à consciência, o direito, a responsabilidade, o futuro, a esperança por algum favor. O voto tornou-se material de troca. E todo mundo acha isso normal. Mas Deus diz Ai dos que ao mal chamam bem e oa bem, mal.

E o mais dolorido é que mesmo entre os que se chamam cristão isso é natural. Se você foi lavado pelo sangue de Jesus sua vida é o Mestre. A Ele pertence seus bens, inclusive seu voto.
 
Peça orientação ao Pai e O ouça. Deus nos chamou a ser luz e sal. Ele espera que sejamos diferente. Neste domingo, vote segundo o princípio bíblico.

Boa escolha!!!!!

MAIS CINCO MINUTOS

No parque, uma mulher sentou-se ao lado de um homem em um banco perto do playground.

- Aquele, logo ali, é meu filho. Ela disse, apontando para um pequeno menino usando um suéter vermelho e que deslizava no escorregador.

- Um bonito garoto. O homem respondeu e completou:

- Aquela usando vestido branco, pedalando sua bicicleta, é minha filha. Então, olhando o relógio, o homem chamou a sua filha.

- Melissa, o que você acha de irmos?

E Melissa suplicou: Mais 5 minutos, pai. Por favor. Só mais 5 minutos.

O homem concordou e Melissa continuou pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração. Os minutos se passaram e o pai levantou-se e novamente chamou sua filha.

- Hora de ir agora?

Outra vez Melissa pediu: Mais cinco minutos, pai. Só mais cinco minutos.

O homem sorriu e disse: Está certo!

- O senhor é certamente um pai muito paciente!

O homem sorriu e disse: O irmão mais velho de Melissa, Tommy, foi morto por um motorista bêbado no ano passado quando montava sua bicicleta perto daqui. Eu nunca passei muito tempo com Tommy e agora eu daria qualquer coisa por apenas mais cinco minutos com ele. Eu me prometi não cometer o mesmo erro com Melissa. Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta Na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-la brincar.

Em tudo na vida estabelecemos prioridades; quais são as suas prioridades? Dê a alguém que você ama mais cinco minutos de seu tempo hoje!

Dê a Jesus 5 minutinhos do seu dia !

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

TENDE BOM ÂNIMO!

João 16:33 - “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.”

Vocês já perceberam como era freqüente Jesus encorajar as pessoas e como ainda hoje o faz? Uma das suas expressões preferidas era: ”tende bom ânimo”. significa tomar coragem, não ter medo, animar-se. A primeira vez que Jesus usou esta expressão foi na cidade de Cafarnaum. Ele estava falando numa casa quando uma pequena abertura foi feita no telhado, e ele viu quatro homens rasgando as telhas para aumentar a abertura. Finalmente, quando a abertura estava bem grande, ele os viu descer um jovem numa maca diante dos olhos espantados de todos.

Qual foi a primeira coisa que o Jesus disse ao paralítico? Ele disse: “Tem ânimo, filho.” Era apenas uma breve palavra de encorajamento, mas que recuperou um espírito abatido numa hora de grande necessidade. Dentre os muitos dons do Espírito mencionados em Romanos 12: 6-8 está um que é pouco conhecido. É chamado o dom do encorajamento. Poucas pessoas podem pregar ou praticar os dons do Espírito Santo, mas o dom do encorajamento é um que a maioria de nós podemos e DEVEMOS usar.

As palavras de encorajamento de Deus são a antecipação dos Seus milagres; a desesperança não vem de Deus, muito menos O agrada, pois, Ele quer que tenhamos SEMPRE bom ânimo. Qual situação estejamos vivendo, vamos sempre ter bom ânimo.

“Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” João 16:33

MUDAR A VIDA

terça-feira, 28 de setembro de 2010

LIÇÃO DE VIDA

Numa noite, estava uma senhora negra, americana do lado de uma estrada no estado do Alabama enfrentando um tremendo temporal. O carro dela tinha enguiçado e ela precisava, desesperadamente, de uma carona. Completamente molhada, ela começou a acenar para os carros que passavam.

Um jovem branco, parecendo que não tinha conhecimento dos acontecimentos e conflitos dos anos 60, parou para ajuda-la. O rapaz a colocou em um lugar protegido, procurou ajuda mecânica e chamou um taxi para ela.

Ela parecia estar realmente com muita pressa mas conseguiu anotar o endereço dele e agradece-lo. Sete dias se passaram quando bateram a porta da casa do rapaz.

Para a surpresa dele, uma enorme TV colorida com o console e tudo estava sendo entregue na casa dele com um bilhete junto que dizia:

"Muito obrigada por me ajudar na estrada naquela noite. A chuva não só tinha encharcado minhas roupas como também meu espírito. Ai, você apareceu.

Por sua causa eu consegui chegar ao leito de morte do meu marido antes que ele falecesse. Deus o abençoe por ter me ajudado.

Sinceramente, Mrs. Nat King Cole".

Segunda lição: Pequenos atos ou gestos podem ser a diferença que falta para termos um mundo melhor... Seja Você esta diferença.

Autor Desconhecido

domingo, 26 de setembro de 2010

JESUS: SACRIFÍCIO E SACERDOTE

Hebreus 8:3 - "Pois todo sumo sacerdote é constituído para oferecer tanto dons como sacrifícios; por isso, era necessário que também esse sumo sacerdote tivesse o que oferecer".

Um dos papéis principais dos sacerdotes do Antigo Testamento foi oferecer sacrifícios. Representavam o povo pecador quando entravam na presença de Deus com o sangue de animais. O livro de Levítico inclui instruções detalhadas sobre esse trabalho. Um dos temas principais do livro de Hebreus é a posição de Jesus como eterno sumo sacerdote. Do capítulo 2 ao 10, o autor mostra o significado do sacerdócio de Cristo, que entrou uma vez por todas no Santo dos Santos.

O mesmo livro explica um fato curioso. "Pois todo sumo sacerdote é constituído para oferecer tanto dons como sacrifícios; por isso, era necessário que também esse sumo sacerdote tivesse o que oferecer" Hebreus 8:3. Diferente dos sacerdotes levíticos, que levaram animais como sacrifícios, Jesus se ofereceu como o sacrifício. O sacerdote também é o sacrifício! O sumo sacerdote entrou no Santo dos Santos levando seu próprio sangue!

Considere a importância desse fato. Jesus é a perfeita e completa solução para o problema do pecado. No Velho Testamento, o sacerdote tinha o seu papel e o animal sacrificado tinha o seu. O homem, por si só, não era e nunca será capaz de apagar seus pecados. O sangue de animais, também, não tinha poder para remover pecados. Os dois juntos, homem e animal, ainda não conseguiram perdoar pecados. Jesus, porém, é o perfeito e suficiente sacrifício e o único sacerdote qualificado para entrar e ficar eternamente na presença do Pai. "Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus" Colossenses 1:18-20.

sábado, 25 de setembro de 2010

ELEIÇÕES: VOCE VOTA?


Feliz a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para sua herança.
Salmos 33.12

As eleições estão chegando junto com os tapinhas nas costas, as promessas irrealizáveis, as conversas ao pé do ouvido, as sujeiras espalhadas nos quintais e ruas, além é claro, dos beijos afetuosos em crianças e idosos. A democracia é importante, tem seu papel para a liberdade individual nos deixa mais livres para ir e vir. Mas uma coisa gostaria aqui de ressaltar, uma vez que estamos às vésperas de consolidar a democracia.



Qualquer pessoa, absolutamente qualquer um pode ser candidato. Do doutor aos semi-analfabetos, ou analfabetos funcionais, aqueles que não conhecem como funciona o sistema – mas querem inconscientemente fazer parte – Existe também uns que tentam realizar seus projetos pessoais e para isso põem seu rosto e talvez seu único patrimônio, o nome, numa legenda que algumas vezes os engolem e acabam se perdendo. Há candidatos preparados e com compromisso de mudar a situação para melhor, estes se não tiverem padrinhos fortes, estão perdidos.
Nós nos preocupamos tanto com isso – o que é natural, pois queremos boas ruas e segurança – Mas os exemplos vistos não nos dão esperanças, então nos decepcionamos com tudo isso. As mudanças são fundamentais, mas podemos começar mudando nós mesmos: nossos pensamentos sobre o que é eleição, para que serve qual a função de cada um e etc.

Comecemos então a mudar. Já!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O AMOR DO CAVALEIRO

Um dia, numa praça, um jovem exibia seu coração, o mais bonito daquela cidade. Uma grande multidão se aproximou e admirou aquele coração, pois era perfeito. Não havia nele um único sinal que lhe prejudicasse a beleza. Todos reconheceram que realmente era o coração mais bonito que já haviam visto. O jovem estava vaidoso e o ostentava com crescente orgulho.

De repente um velho homem, montado num cavalo, surgiu do meio da multidão, desceu ao chão e bradou: "Seu coração nem de longe é tão bonito quanto o meu!"

O jovem e a multidão olharam para o coração do velho homem. Batia fortemente, mas era cheio de cicatrizes. Havia lugares onde faltavam pedaços e também partes com enxertos que não se encaixavam bem, que tinham as laterais ressaltadas.

A multidão se espantou: "Como pode ele dizer que seu coração é mais bonito?"

O jovem olhou para o coração do velho homem e disse, rindo: "O senhor deve estar brincando! Compare seu coração com o meu e veja. O meu é perfeito e o seu é uma confusão de cicatrizes e emendas!"

— "Sim" ,disse o velho homem. O seu tem aparência perfeita mas eu nunca trocaria o meu por ele. As marcas representam pessoas a quem dei o meu amor. Eu arranquei pedaços do meu coração e dei a elas e, muitas vezes, elas me deram pedaços de seus corações para colocar nos espaços deixados; como esses pedaços não eram de tamanho exato, hoje parecem enxertos feios e grosseiros, mas eu os conservo como lembranças de amor que dividimos. Algumas vezes eu dei pedaços do meu coração e as pessoas que os receberam não me deram em retorno pedaços de seus corações: Esses são os buracos que você vê. Dar amor é arriscar. Embora esses buracos doam, eles permanecem abertos lembrando-me do amor que tenho por aquelas pessoas, e eu tenho esperança de que um dia elas me dêem retorno e preencham os espaços que ficaram vazios. Agora você consegue ver o que é beleza de verdade?"

O jovem ficou em silêncio, com lágrimas rolando por suas faces. Caminhou em direção do velho homem, olhou para o próprio coração e arrancou um pedaço, oferecendo-o com as mãos trêmulas. O homem pegou aquele pedaço, colocou no coração e tirando um outro pedaço do seu, colocou-o no espaço deixado no coração do jovem. Coube, mas não perfeitamente, já que havia irregulares beiradas.

O jovem olhou para o seu antes tão perfeito coração. Já não tão perfeito depois disso, mas muito mais bonito do que sempre fora, já que o amor do velho homem entrara nele.

Diante da multidão que os observava em respeitoso silêncio, eles se abraçaram e saíram andando lado a lado, seguidos pelo cavalo, cujas patas batendo no solo emitiam o som de corações pulsando ...

Como é o seu coração???

Autor Desconhecido

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

MUROS CAÍDOS

Josué 6:1-2  - “Ora Jericó estava rigorosamente fechada por causa dos filhos de Israel; ninguém saía nem entrava. Então disse o Senhor a Josué: Olha, tenho dado na tua mão a Jericó, ao seu rei e aos seus homens valorosos”.

A dificuldade tem sido uma constante no caminho dos servos de Deus. Israel quando foi libertado das garras do Egito, vindo de uma escravidão que havia durado muito tempo, viajando pelo deserto, enfrentando toda sorte de embaraços, mas podemos ver que Deus nunca deixou Israel sozinho, sempre esteve a sua frente. Ao se aproximarem de Canaã, depararam com um grande obstáculo: tinham que passar por Jericó, a cidade “rigorosamente fechada”.

A cidade tinha dois muros de nove metros de altura, que corriam quase que paralelos, sendo o muro interior com espessura de 3,5m e os anteriores 1,8m, um vão livre de 4,0m, rodeando o monte. A cidade era intransponível, homem ou exército algum poderiam entrar, e eles não tinham tanques de guerras, bombas etc. Mas Deus disse a Josué: “Olha, tenho dado na tua mão a Jericó”. A ordem de Deus tinha que ser obedecida na integra. Tinham que cercar a cidade por seis dias, e no sétimo dia deviam rodear Jericó por sete vezes, sendo que na última vez os sacerdotes tocariam às trombetas, e o povo gritariam com toda força. Josué não pensou duas vezes, juntamente com o povo obedeceu a voz de Deus, e os muros de Jericó caíram. O exército inimigo foi vencido e o povo de Deus avançou em sua caminhada com destino a Canaã.

Quantas dificuldades passamos nesta vida, mas assim como Deus não abandonou o povo no deserto,  dando-lhes sempre a saída e os abençoando, hoje também Deus se faz presente em nossas vidas. Hoje muitas dificuldades da sua vida podem estar chegando ao fim, e você poderá junto com Deus, louvando unicamente a Ele, obedecendo ao seu comando, poderá estar derrubando muros de sua vida que o impede de conquistar a vitória em Cristo. Deus tem uma palavra para você, obedeça a Ele. Deus está colocando uma bênção em tuas mãos.

Nada nesta vida é tão intransponível que não possamos vencer quando se tem Deus no comando.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

VIDA


“... Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as vestes”?

Mateus 6.25b


Certa vez, conta a história, que Sócrates estava passeando numa rua que dava para um mercado de grande movimento na Grécia. Suas lojas, as novidades que esse país exportava para o velho mundo de então. Nesse passeio, um discípulo de Sócrates flagrou seu mestre defronte a uma dessas lojas e observando o trânsito de pessoas, e então o jovem filósofo indagou seu professor: Mestre o senhor está escolhendo alguma coisa para comprar ou está admirando as belezas desse mercado? Sócrates, sabiamente respondeu – Estou apenas observando o que eu não preciso para viver.

Que lição esse jovem aprendeu naquele dia. Diferentemente de Sócrates, muitas pessoas vivem superficialmente, são capazes de trocar o excelente pelo bom, e nesse pensamento vivem sempre procurando novidades que preencham o vazio de suas vidas. Esse filósofo que viveu antes de Cristo, já alertava sobre o viver futilmente, desprezando as coisas boas da vida como, por exemplo, contemplar a beleza de uma paisagem.

O pensamento de um grupo de pessoas resume-se a modismos e coisas do tipo que tornam o cidadão alienado e acostumado a consumir indiscriminadamente e às vezes, de forma irresponsável. Jesus também já alertava o povo de sua época sobre essas questões. Ele disse: “Não é a vida mais do que o alimento”? Ou seja, antes de se preocupar em vestir-se ou comer caviar, há uma vida que clama por um estilo menos pesado.

Comer, beber, vestir-se são essenciais, mas muitos tem se ocupado em valorizar esses elementos que são perecíveis, e se esquecem que nossa vida suplica por coisas mais triviais. Muitos abastados vivem em depressões profundas, enquanto que os privados de muitas opulências vivem uma vida de felicidade e tranqüilidade. Jesus fala: “Não é o corpo mais que as veste”?

Uma vida feliz não se mede pela quantidade de roupas presente no meu guarda-roupa, classe social ou conta bancária com muitas cifras, mas pela paz de espírito que domina meu ser.

A PEDRA DO MESTRE

Havia uma pedra, bela e grande.

Um dia, alguém passou por ali e vendo a pedra, pôs-se a contemplá-la. Ficou por um longo tempo olhando os contornos da pedra, as flores que a rodeavam e o sol que parecia deixá-la mais bonita.

Disse para si mesmo: "esta é a Pedra do Mestre. Posso Vê-lo sentado sobre ela a sorrir para mim." E entrou em êxtase rapidamente.

Foi quando outra pessoa chegou e lhe falou: "Estou há algum tempo a observar-te, de frente para esta pedra, e penso: 'o que pode levar alguém sorrir por tanto tempo a uma pedra e, sinceramente, não encontro um justo motivo que possa me convencer de que não estejas perdendo teu tempo.'"

Ele voltou-se para o estranho que invadira seu momento com o Mestre: "Pois bem. Fico também pensando em algo: 'O que pode levar alguém a perder seu tempo tão precioso querendo entender algo que está somente para ser sentido. Eu olho para a pedra e vejo Deus. Eu olho para a pedra e sinto Deus. Tu olhas para a mesma pedra, mas nada vês e com tua mente julgas o que não estás sentindo.'"

Para tornar-te um sábio, meu amigo, é preciso que vejas e sintas com o coração. Só assim poderás ver, mesmo numa pedra, a presença de Deus a abençoar-te.

Autor Desconhecido

terça-feira, 21 de setembro de 2010

NÃO ESTÁ SOZINHO

Você conhece a lenda do rito de passagem da juventude dos índios Cherokees?


O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho. O filho se senta sozinho no topo de uma montanha durante toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte. Ele não pode gritar por socorro para ninguém. 

Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem. Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.

O menino está naturalmente amedrontado. Ele pode ouvir toda espécie de barulho. Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele. Talvez alguns humanos possam feri-lo. Os insetos e cobras podem vir picá-lo. Ele pode estar com frio, fome e sede. O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele não remove a venda .

Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem. Finalmente... Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida. Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele. Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.

Nós também nunca estamos sozinhos! Mesmo quando não percebemos, Deus está olhando para nós, sentado ao nosso lado. Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos  protegendo.

Moral da história: Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele não esteja conosco. Nós precisamos caminhar pela nossa fé, não com a nossa visão material.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

EU VENCÍ

Apocalipse 3:12 - “A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome”.

Se olharmos em nossos dias, perceberemos que a vida tem sido muito difícil para uma certa camada da sociedade brasileira, e porque não dizer também do mundo. Em uma época em que sempre estamos ouvindo falar em globalização, mercado de trabalho, Euro, tecnologia, Etc. Podemos ver que grande parte da humanidade tem empobrecido cada dia mais. Muitos governantes procuram mais espaço em suas conquistas, provocando uma grande discussão em torno de seus feitos ou até mesmo usando do que o outro deixou de fazer em seu mandato, e esquecendo de propostas que realmente sirvam ao povo. Mas Deus, o criador do universo, é o dono de tudo, e Ele sim, planejou tudo.  “Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam”. Sl, 24:1 Deus, tem deixado que o homem trace seus próprios caminhos, que o homem tenha o livre arbítrio. A interferência do Senhor somente se dará quando o nosso Criador observar que a Igreja sem mácula de Nosso Senhor Jesus Cristo começar a sofrer.

Nós que somos o sal da terra em hipótese alguma podemos deixar de falar, pedir e clamar a Deus pela paz mundial, pois Deus conhece nossas obras, e tem aberto uma porta para seus fiéis que homem algum poderá fechar. Jesus falou; Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. João, 16:33. A nossa batalha tem que ser constante. Ainda que a terra possa se mudar, mas nós temos que ter paz em Jesus.

As aflições são todas momentâneas, pois na vinda de Cristo tudo cessará, podemos até enfrentar as mais variadas lutas, quero deixar claro; somente existirá um resultado, a vitória; pois Jesus é a nossa paz, Ele é nossa Bandeira, e principalmente a vitória vem do Senhor.

sábado, 18 de setembro de 2010

PODER PARA TE SALVAR

Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados - disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa.

Mt 9.6

Certa vez, trouxeram um homem paralítico a Jesus. Ele desejava voltar a andar. Seus amigos tinham caminhado com ele por muitos quilômetros na esperança de que Jesus o curasse. Vendo Jesus a fé e o desejo daquele homem, falou-lhe: perdoado estão teus pecados.

Ouvindo isto, os religiosos indagaram entre si: quem ele pensa que é? Deus para perdoar pecados! Mas Jesus conhecendo os pensamentos daqueles homens, disse para o paralítico levantar-te e anda.

As pessoas confundiam o ministério de Jesus. Pensavam que Ele era só um profeta com grandes obras e milagres. Muitas só queriam as bênçãos, a libertação, a cura; Mas Jesus desejava apenas que eles fossem salvos.

Hoje em dia, muitas pessoas têm o mesmo pensamento, querem a cura, a prosperidade, o milagre, mas não buscam a salvação, não almejam o perdão dos pecados. Que Deus nos ajude a busca o poder que pode salvar.

CASAMENTO

Naquela noite, enquanto minha esposa servia o jantar, eu segurei sua mão e disse: "Tenho algo importante para te dizer". Ela se sentou e jantou sem dizer uma palavra. Pude ver sofrimento em seus olhos.

De repente, eu também fiquei sem palavras. No entanto, eu tinha que dizer a ela o que estava pensando. Eu queria o divórcio. E abordei o assunto calmamente.

Ela não parecia irritada pelas minhas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: "Por quê?"

Eu evitei respondê-la, o que a deixou muito brava. Ela jogou os talheres longe e gritou "você não é homem!" Naquela noite, nós não conversamos mais. Pude ouví-la chorando. Eu sabia que ela queria um motivo para o fim do nosso casamento. Mas eu não tinha uma resposta satisfatória para esta pergunta. O meu coração não pertencia a ela mais e sim a Jane. Eu simplesmente não a amava mais, sentia pena dela.

Me sentindo muito culpado, rascunhei um acordo de divórcio, deixando para ela a casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa.

Ela tomou o papel da minha mão e o rasgou violentamente. A mulher com quem vivi pelos últimos 10 anos se tornou uma estranha para mim. Eu fiquei com dó deste desperdício de tempo e energia mas eu não voltaria atrás do que disse, pois amava a Jane profundamente. Finalmente ela começou a chorar alto na minha frente, o que já era esperado. Eu me senti libertado enquanto ela chorava. A minha obsessão por divórcio nas últimas semanas finalmente se materializava e o fim estava mais perto agora.

No dia seguinte, eu cheguei em casa tarde e a encontrei sentada na mesa escrevendo. Eu não jantei, fui direto para a cama e dormi imediatamente, pois estava cansado depois de ter passado o dia com a Jane.

Quando acordei no meio da noite, ela ainda estava sentada à mesa, escrevendo. Eu a ignorei e voltei a dormir.

Na manhã seguinte, ela me apresentou suas condições: ela não queria nada meu, mas pedia um mês de prazo para conceder o divórcio. Ela pediu que durante os próximos 30 dias a gente tentasse viver juntos de forma mais natural possivel. As suas razões eram simples: o nosso filho faria seus exames no próximo mês e precisava de um ambiente propício para prepar-se bem, sem os problemas de ter que lidar com o rompimento de seus pais.

Isso me pareceu razoável, mas ela acrescentou algo mais. Ela me lembrou do momento em que eu a carreguei para dentro da nossa casa no dia em que nos casamos e me pediu que durante os próximos 30 dias eu a carregasse para fora da casa todas as manhãs. Eu então percebi que ela estava completamente louca mas aceitei sua proposta para não tornar meus próximos dias ainda mais intoleráveis.

Eu contei para a Jane sobre o pedido da minha esposa e ela riu muito e achou a idéia totalmente absurda. "Ela pensa que impondo condições assim vai mudar alguma coisa; melhor ela encarar a situação e aceitar o divórcio" ,disse Jane em tom de gozação.

Minha esposa e eu não tínhamos nenhum contato físico havia muito tempo, então quando eu a carreguei para fora da casa no primeiro dia, foi totalmente estranho. Nosso filho nos aplaudiu dizendo "O papai está carregando a mamãe no colo!" Suas palavras me causaram constrangimento. Do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa, eu devo ter caminhado uns 10 metros carregando minha esposa no colo. Ela fechou os olhos e disse baixinho "Não conte para o nosso filho sobre o divórcio" Eu balancei a cabeça mesmo discordando e então a coloquei no chão assim que atravessamos a porta de entrada da casa. Ela foi pegar o ônibus para o trabalho e eu dirigi para o escritório.

No segundo dia, foi mais fácil para nós dois. Ela se apoiou no meu peito, eu senti o cheiro do perfume que ela usava. Eu então percebi que há muito tempo não prestava atenção a essa mulher. Ela certamente tinha envelhecido nestes últimos 10 anos, havia rugas no seu rosto, seu cabelo estava ficando fino e grisalho. O nosso casamento teve muito impacto nela. Por uns segundos, cheguei a pensar no que havia feito para ela estar neste estado.

No quarto dia, quando eu a levantei, senti uma certa intimidade maior com o corpo dela. Esta mulher havia dedicado 10 anos da vida dela a mim.

No quinto dia, a mesma coisa. Eu não disse nada a Jane, mas ficava a cada dia mais fácil carregá-la do nosso quarto à porta da casa. Talvez meus músculos estejam mais firmes com o exercício, pensei.

Certa manhã, ela estava tentando escolher um vestido. Ela experimentou uma série deles mas não conseguia achar um que servisse. Com um suspiro, ela disse "Todos os meus vestidos estão grandes para mim". Eu então percebi que ela realmente havia emagrecido bastante, daí a facilidade em carregá-la nos últimos dias.

A realidade caiu sobre mim com uma ponta de remorso... ela carrega tanta dor e tristeza em seu coração..... Instintivamente, eu estiquei o braço e toquei seus cabelos.

Nosso filho entrou no quarto neste momento e disse "Pai, está na hora de você carregar a mamãe". Para ele, ver seu pai carregando sua mão todas as manhãs tornou-se parte da rotina da casa. Minha esposa abraçou nosso filho e o segurou em seus braços por alguns longos segundos. Eu tive que sair de perto, temendo mudar de idéia agora que estava tão perto do meu objetivo. Em seguida, eu a carreguei em meus braços, do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa. Sua mão repousava em meu pescoço. Eu a segurei firme contra o meu corpo. Lembrei-me do dia do nosso casamento.

Mas o seu corpo tão magro me deixou triste. No último dia, quando eu a segurei em meus braços, por algum motivo não conseguia mover minhas pernas. Nosso filho já tinha ido para a escola e eu me vi pronunciando estas palavras: "Eu não percebi o quanto perdemos a nossa intimidade com o tempo".

Eu não consegui dirigir para o trabalho.... fui até o meu novo futuro endereço, saí do carro apressadamente, com medo de mudar de idéia...Subi as escadas e bati na porta do quarto. A Jane abriu a porta e eu disse a ela "Desculpe, Jane. Eu não quero mais me divorciar".

Ela olhou para mim sem acreditar e tocou na minha testa "Você está com febre?" Eu tirei sua mão da minha testa e repeti "Desculpe, Jane. Eu não vou me divorciar. Meu casamento ficou chato porque nós não soubemos valorizar os pequenos detalhes da nossa vida e não por falta de amor. Agora eu percebi que desde o dia em que carreguei minha esposa no dia do nosso casamento para nossa casa, eu devo segurá-la até que a morte nos separe.

A Jane então percebeu que era sério. Me deu um tapa no rosto, bateu a porta na minha cara e pude ouví-la chorando compulsivamente. Eu voltei para o carro e fui trabalhar.

Na loja de flores, no caminho de volta para casa, eu comprei um buquê de rosas para minha esposa. A atendente me perguntou o que eu gostaria de escrever no cartão. Eu sorri e escrevi: "Eu te carregarei em meus braços todas as manhãs até que a morte nos separe".

Naquela noite, quando cheguei em casa, com um buquê de flores na mão e um grande sorriso no rosto, fui direto para o nosso quarto onde encontrei minha esposa deitada na cama - morta.

Minha esposa estava com câncer e vinha se tratando a vários meses, mas eu estava muito ocupado com a Jane para perceber que havia algo errado com ela. Ela sabia que morreria em breve e quis poupar nosso filho dos efeitos de um divórcio - e prolongou a nossa vida juntos proporcionando ao nosso filho a imagem de nós dois juntos toda manhã. Pelo menos aos olhos do meu filho, eu sou um marido carinhoso.

Os pequenos detalhes de nossa vida são o que realmente contam num relacionamento. Não é a mansão, o carro, as propriedades, o dinheiro no banco. Estes bens criam um ambiente propício a felicidade mas não proporcionam mais do que conforto. Portanto, encontre tempo para ser amigo de sua esposa, faça pequenas coisas um para o outro para mantê-los próximos e íntimos. Tenham um casamento real e feliz!

Se você dividir isso com alguém, talvez salve um casamento.

Muitos fracassados na vida são pessoas que não perceberam que estavam tão perto do sucesso e preferiram desistir.

UM CASAMENTO CENTRADO EM CRISTO É UM CASAMENTO QUE DURA UMA VIDA TODA.


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

O ERRO

Mateus 7:21 - "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai..."

Triste condição do homem: a de estar no pecado, porque assim, ele fica sem poder desfrutar da certeza da salvação, permanecendo na prática errada. Ele passa a ignorar esse tão grande presente da salvação de valor incalculável que nos é dado através de Jesus. E o que é mais triste, persiste em ficar no engano, por se deixar levar pelas artimanhas do diabo, que investe alto nessa batalha espiritual contra nosso Deus. Devemos encarar com bastante seriedade o sacrifício de nosso Senhor por cada um de nós.

Note que em 1 João 2:2 a palavra nos diz: E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro. Essa passagem é bem clara em afirmar que Cristo morreu por todos nós. Também 1 Timóteo 2:4 diz que o desejo de Deus é que todos sejam salvos: O qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Mas não vamos ser imaturos o bastante para ver somente esses dois versículos como se fosse a regra para a salvação. É claro que o sacrifício de Cristo foi em favor de todos e que seu desejo sincero é que todos sejam salvos. É bem claro, também, que o homem precisa responder à vontade de Deus, mas, lembremos também de passagens como Mateus 7:21, onde Jesus responde: Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai.

com isso, percebe-se perfeitamente que existem duas partes envolvidas: A parte de Deus: em querer e oferecer salvação a todos e a resposta do homem: em querer e fazer a sua parte para aceitar esse presente de valor incalculável, que é a salvação.

Por isso, analise bem essas duas partes e observe que Deus jamais desistiu de você, e este é o desejo de Deus, te salvar. Se você conhece a verdade e mesmo assim permanece no erro, analise bem a sua condição.

VOTO COM PRINCÍPIO (2)

Continuando nossa reflexão sobre as próximas eleições, vamos ver o que está preparado para ser votado no ano que vem em Brasília.

• PL 122 – trata de questões como: A união civil de homossexuais; Tornando CRIME emitir qualquer opinião contrária ao tema (taxando de homofobia qualquer posição diferente); obriga a retirada de todo e qualquer livro que fale contra o homossexualismo (lembrando que a Bíblia em várias passagens trata e condena esta prática – sua publicação pode ser interrompida)

• Lei da Mordaça – Proíbe e/ou limita o tempo de programas evangélicos na Televisão, rádios, etc.

• Lei do Aborto – Declara que não é mais crime a realização de aborto até o 9º mês de gravidez (declaram que esta é uma questão de saúde pública e não de moral) – O Governo Federal do PT, assinou junto com outros países, em junho passado, um documento em que se compromete a lutar pela aprovação da discriminização do aborto.

• Projeto de Diretrizes Nacionais dos Direitos Humanos – Entre outras coisas propõe que a partir de 2012, os livros escolares infantis (para crianças até 7 anos) traga como modelo de família a constituída por um casal heterossexual e também a formada por um par de homossexuais masculinos ou femininos. Imagine VOCÊ explicando para seu filho (a), neto (a) ou sobrinho que o “papai e a mamãe” do coleginha dele são dois homens ou duas mulheres e que isso é normal.

Ai daqueles que, nas suas camas, intentam a iniqüidade e maquinam o mal; à luz da alva o praticam, porque está no poder da sua mão! (Mq 2.1)

Há no Brasil um Partido Político comprometido com todas estas matérias em tramitação é o PT. O voto é livre, mas nós vivemos pelos Princípios Eternos da Palavra de Deus. DEFINA SEU VOTO POR ELES. VOTE COM PRINCÍPIO!



Postado por Pr. Everton Gianordoli Filho

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

NOSSO MINISTÉRIO

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações...

Mateus 28. 19

Geralmente quando lemos Bíblia, nas passagens que falam sobre os discípulos, notamos a presença marcante dos doze à sua volta. Eles designados para estar diariamente com Jesus e serem seus auxiliares.

Mas, juntamente com o autor do cristianismo, seguia numerosa multidão, eram os discípulos que também, de alguma forma, tinham parte no ministério de Cristo. Provavelmente eram pais de família, jovens, mulheres, crianças pessoas que reconheceram estar vivendo sem razão e carentes de palavras que lhes aquecessem o coração. A mensagem arrebatava milhares, é só lembrar da multiplicação dos pães e peixes, mais de cinco mil homens foram mulheres e crianças.

Jesus Produziu vários discípulos. Era essa uma de suas missões, a obra que lhe fora designada, era abrir o caminho para o céu por meio do sacrifício, e a outra, objetivava em discipular. Jesus esmerava-se com o fim de “conseguir” o Maximo possível de ovelhas para um aprisco incorruptível.

Que lição podemos tomar para nossas vidas! A de esforço e amor pelas almas que caminham sem Deus. Façamos um exercício de memória: Quantas almas nós ganhamos para Cristo? Se o numero é baixo, talvez nossa missão enquanto discípulo do mestre esteja acompanhada de fracasso.

Contudo, o número de almas ganho no serviço, por nosso intermédio, é um elemento ou indicador que nós, precisamos continuar, independente dos números.

VOTO COM PRINCÍPIO

Tomai homens sábios, inteligentes e experimentados, segundo as vossas tribos (portanto irmãos em Cristo) para que os ponhais por vossos cabeças.” (Dt 1.13)

Estamos em um momento decisivo para a história de nosso país e da Igreja do Senhor. Há um mês das eleições, cabe revermos alguns conceitos, que ao longo dos anos tem levado a decepções e injustiças. Ao longo das próximas semanas estaremos debatendo estes conceitos. Leia e deixe Deus falar no seu coração.

Em primeiro lugar fomos “ensinados” a ver as eleições como uma competição em que o importante é simplesmente ganhar. Votamos em candidatos apenas porque a maioria está votando, porque um amigo pediu, porque um político mais antigo disse que ela é boa; mas em momento algum olhamos para sua história, seus projetos, naquilo que acreditam e defendem.

Uma eleição não é apenas uma disputa, é o momento em que determinamos nosso futuro. Não vote para ganhar a eleição, vote para ter um Brasil melhor. Talvez você diga: e se meus candidatos não ganharem? Você terá a consciência tranqüila que fez o melhor.

Seu voto é livre, mas pertence a Deus, assim como você é livre, mas também é d’Ele. Ore a Deus e peça a Sua direção. Lembrando que Ele NUNCA vai orientá-lo (a) a votar contra Sua Palavra e Seus princípios. Deus tem o melhor para esta nação e nós através do voto podemos tornar isso realidade.

Por isso é necessário o VOTO COM PRINCÍPIO!

Pr. Everton Gianordoli Filho

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

TEMPOS MELHORES

Todas as vezes que o diabo disse a alguém: “É o fim”, ali, na verdade, era o começo dos melhores dias, das maiores vitórias, dos melhores casamentos, das maiores curas.

O diabo disse para José do Egito, na cisterna do deserto: “É o fim!” , e Deus disse: “É o começo, José, o governo do Egito te espera.”

O diabo disse para Moisés no deserto de Sim: “É o fim!” , e Deus disse: “É o começo, transformar-te-ei no libertador do meu povo.”

O diabo disse a Ester no tempo de escravidão: “É o fim!”, e Deus disse: “É o começo, transformar-te-ei na rainha dos Medos e Persas.”

O diabo disse a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego na fornalha: “É o fim!”, e Deus disse: “É o começo, vocês serão grandes governadores da Babilônia!”

O diabo disse a Daniel na cova dos leões: “É o fim!”, e Deus disse: “É o começo, sua história mudará o mundo.” 13:03

O diabo disse a Jonas, na barriga de um peixe: “É o fim!”, e Deus disse: “É o começo, Nínive será salva através da tua pregação.

O diabo disse a João, exilado na Ilha de Patmos: “É o fim!”, e Deus disse: “É o começo, você escreverá a maior revelação de todos os tempos – o Apocalipse.”

O diabo disse a Jesus, morto na cruz: “É o fim!”, e Deus disse: “É o começo, todo o poder no céu e na terra Eu entrego nas tuas mãos.”

Por isso se o diabo disser a você que “É o fim!” comece a dar Glória a Deus e Aleluia, porque Deus está dizendo: “É apenas o começo.”

O diabo não tem poder de decretar o fim de nenhum filho de Deus.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

UMA RARIDADE

1 Tessalonicenses 5.18 - "Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco".

estava lendo esta passagem e daí me veio a mente de como temos a tendência de sermos ingratos. Ficamos chateados com pequenas e grandes coisas. Se não acontecem conforme planejamos, ficamos aborrecidos, reagimos com exagero, resmungamos, reclamamos, ficamos melindrados e insatisfeitos. Mas nem nos damos conta como nossa vida é boa.

A Bíblia nos mostra que "Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco" 1 Tessalonicenses 5.18. E olha só, temos vários motivos para dar graças a Deus. Pense no fato de que você, muito provavelmente, faz parte dos poucos privilegiados que vivem nesta terra e alegre-se por ser uma raridade. Pois, caso tenha acordado com saúde hoje pela manhã, você estará em melhor situação que milhões de pessoas que não sobreviverão à próxima semana. Se nunca esteve exposto ao perigo de uma guerra, à solidão de uma prisão, ao tormento da tortura ou à fome insuportável, então você vive muito melhor do que milhões de outras pessoas. Se você pode ir à sua igreja sem ter medo de ser molestado, preso ou perseguido, ou até de ser morto por sua fé, estará vivendo melhor que bilhões de pessoas. Se tem comida na geladeira, roupas em seu guarda-roupa, um teto sobre a cabeça e um lugar para dormir, então você é mais rico que muitos habitantes da terra. Se tem dinheiro no banco, na poupança ou em sua carteira, então você faz parte dos bem de vida deste planeta. Caso seus pais ainda sejam vivos e ainda estejam casados um com o outro, então, você faz parte de uma rara minoria. Se consegue ler e entender todo este privilégio e raridade que existe em sua vida, você é um abençoado que sabe ler, entre bilhões de pessoas analfabetas.

Com certeza temos todas as razões do mundo para praticarmos aquilo que lemos em Efésios 5.20: "dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo". Ao mesmo tempo, devemos dedicar-nos inteiramente à aquilo que fomos escolhidos em Cristo, de levar a mensagem da salvação, libertação e vida plena em Jesus a tantas pessoas que ainda não têm acesso a ela.

domingo, 12 de setembro de 2010

OS ANJOS

O menino voltou-se para a mãe e perguntou:  Os anjos existem mesmo? Eu nunca vi nenhum.

Como ela lhe afirmasse a existência deles, o pequeno disse que iria andar pelas estradas, até encontrar um anjo.

– É uma boa idéia, falou a mãe. Irei com você.

– Mas você anda muito devagar, argumentou o garoto. Você tem um pé aleijado.

A mãe insistiu que o acompanharia. Afinal, ela podia andar muito mais depressa do que ele pensava. Lá se foram. O menino saltitando e correndo e a mãe mancando, seguindo atrás.

De repente, uma carruagem apareceu na estrada. Majestosa, puxada por lindos cavalos brancos. Dentro dela, uma dama linda, envolta em veludos e sedas, com plumas brancas nos cabelos escuros. As jóias eram tão brilhantes que pareciam pequenos sóis.

Ele correu ao lado da carruagem e perguntou à senhora: Você é um anjo?

Ela nem respondeu. Resmungou alguma coisa ao cocheiro, que chicoteou os cavalos e a carruagem sumiu na poeira da estrada. Os olhos e a boca do menino ficaram cheios de poeira. Ele esfregou os olhos e tossiu bastante. Então, chegou sua mãe que limpou toda a poeira, com seu avental de algodão azul.

– Ela não era um anjo, não é, mamãe?

– Com certeza, não. Mas um dia poderá se tornar um, respondeu a mãe.

Mais adiante, uma jovem belíssima, em um vestido branco, encontrou o menino. Seus olhos eram estrelas azuis e ele lhe perguntou: Você é um anjo?

Ela ergueu o pequeno em seus braços e falou feliz: Uma pessoa me disse ontem à noite que eu era um anjo.

Enquanto acariciava o menino e o beijava, ela viu seu namorado chegando. Mais do que depressa, colocou o garoto no chão. Tudo foi tão rápido que ele não conseguiu se firmar bem nos pés e caiu.

– Olhe como você sujou meu vestido branco, seu monstrinho! Disse ela, enquanto corria ao encontro do seu amado.

O menino ficou no chão, chorando, até que chegou sua mãe e lhe enxugou as lágrimas com seu avental de algodão azul. Aquela moça, certamente, não era um anjo.

O garoto abraçou o pescoço da mãe e disse estar cansado.

– Você me carrega?

– É claro, disse a mãe. Foi para isso que eu vim.

Com o precioso fardo nos braços, a mãe foi mancando pelo caminho, cantando a música que ele mais gostava. Então o menino a abraçou com força e lhe perguntou: Mãe, você não é um anjo?

A mãe sorriu e falou mansinho: Imagine, nenhum anjo usaria um avental de algodão azul como o meu.

Fonte: Sobre anjos, de O livro das virtudes, v. 2, de William J. Bennett, ed. Nova fronteira.

sábado, 11 de setembro de 2010

O SENHOR MUDOU A SORTE


Jó 1:20 - “Então, Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a cabeça e lançou-se em terra e adorou;”

O capítulo primeiro deste livro, inicia falando da integridade de Jó. Ele tinha 10 filhos e o capítulo diz que ele possuía muitos animais e servos a ponto de ser considerado o maior de todos em sua geração no Oriente. O texto diz que Jó tinha o hábito de se levantar de madrugada e oferecer holocaustos ao Senhor por cada filho.

Ele se preocupava com o nível espiritual de seus filhos. Não fique preocupado apenas com o aspecto profissional e estudantil do seu filho, a maior herança que você pode deixar é a vida espiritual dele. Estamos hoje cercados de propostas malignas. Lute para que seu filho seja íntegro no meio desta geração.

O versículo 10 diz que o diabo estava bisbilhotando Jó. Ele age assim também nos dias de hoje. Ele bisbilhota a sua casa, seu estilo de vida, e tudo o que você tem. E o diálogo dele com Deus diz que o Senhor o cercava. Quando temos uma aliança de fidelidade com Deus, o diabo não pode nos tocar. Quando você está bem e as coisas estão dando certo, satanás se incomoda. No versículo 13 começa a intrigante história de perdas da vida de Jó. Ele recebe quatro notícias, uma atrás da outra. Veio um mensageiro e falou das perdas dos bois e jumentas, quando ainda falava, veio outro e falou das ovelhas e servos, outro mensageiro falou das perdas dos camelos e dos servos. E por fim falou da perda dos dez filhos de uma única vez. Quando Jó recebe estas notícias, imediatamente a sua reação foi esta do versículo 20: “então, Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a cabeça e lançou-se em terra e adorou;” Jó 1:20

Tem pessoas que optam em murmurar, lamentar, entrar em depressão, se fechar para a vida, deixar a igreja, questionar a soberania de Deus. O que faríamos diante de tantas notícias trágicas? Jó não enlouqueceu ou entrou em depressão. É possível crescer no sofrimento. Pessoas que estão vivendo uma rotina de perdas, é difícil administrar momentos de perdas. Jó, antes do sofrimento, conhecia Deus de uma forma, mas depois, ele mesmo diz, que então o conheceu a ponto de vê-lo. Levante-se não para murmurar, mas para adorar a Deus. Deus vai escrever uma história diferente. No capítulo 42, versículo 10 diz: “Mudou o SENHOR a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e o SENHOR deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra.”.

Deus mudou a sorte de Jó, não quando ele investia em banco, em lojas, em bens materiais, em viagens, mas quando orava pelos seus amigos. Há uma outra opção do que ficar ser lamentando. As grandes conquistas vem através do sofrimento.