sábado, 31 de dezembro de 2011

ANO NOVO, ÂNIMO NOVO!

Mais um ano se finda: quantas lutas, e quantas histórias... Quantos triunfos e quantas derrotas... Muitas foram as perdas, porém, maiores foram as nossas vitórias! A vida é assim... 2011 foi assim... e 2012, temos todo ele pela frente!

Faça uma retrospectiva e veja: Quantas promessas você ouviu; quantas vezes foi à Casa de Deus; quantas Palavras você escutou (ou até pregou); quanta gente você saudou... quantas visitas você fez; quantos hinos você cantou, ou tocou; quantos enfermos você animou... Quantas vezes você OROU a Deus...
Quantas viagens você fez; quantos lugares conheceu; quantas pessoas você ajudou; quantas consolou; quantas você abraçou...

Quantos momentos felizes passou com sua família... (valorize sempre esses pequenos atos, porque somente eles é que brotam dos grandes corações, corações sensíveis, sensatos...)

Quantos sorrisos você plantou; quanto choro você estancou; quantas lágrimas evitou que caíssem...

Tudo isso é DOM de Deus pra sua vida...

Amemos uns aos outros como Cristo nos amou. Esse é o verdadeiro amor (amor que Ele ensinou).

Pois é, AME aquele que te aborrece, aquele que te maldiz, aquele que não te ama. E o que é mais fácil: nunca deixe de amar aqueles que te são queridos, pois são jóias que Deus colocou para enriquecer sua vida.

Guarde em seu coração todos os bons momentos que Deus te fez passar. Tudo valeu à pena!

Seja grato por tudo que o Senhor te deu em 2011, e peça para 2012 ânimo novo, e novas oportunidades para amar e para fazer o bem.

Em 2012, jamais peças riquezas da terra – isso atrapalha a jornada – peças riquezas de Deus, pois com elas, você vai bem mais longe...
2011 se acabou, jogue fora o calendário velho, mas não se esqueça de jogar com ele todas as mágoas, erros e tristezas. 

Valorize a vida, pois é através dela, e da forma como você a conduz que um dia você verá a Deus (face a face), se de fato mantiverdes fiel a Ele.
Vamos orar mais, congregar mais, meditar mais nas verdades da Bíblia, e ouvir mais e falar menos.

Façamos com que 2012 seja em nossas vidas um ano de mais consagração e de dedicação a Deus, para que ninguém seja pego de surpresa.

Que tenhamos FÉ suficiente para entregarmos a DEUS todos os nossos caminhos e assim, descansarmos NELE. Não troque sua FÉ por nada e nem se abstenha da GRAÇA por nada.

Não troque a Segurança e o Amor de Deus pelas coisas vãs e passageiras desse mundo, pois um dia, tudo isso findará, e só nos restará o deleite e o aconchego do Lar Eterno Celestial.

Confie em Deus, conte tudo para Ele, e conte com Ele para tudo!

Que você e os seus tenham um Feliz e abençoado Ano Novo!

Silvana Lacerda

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

A VELHA VAI, A NOVA VEM

"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" 

2 Coríntios 5:17

Quando uma lagarta é transformada em uma borboleta, se torna uma criatura totalmente nova. Uma metamorfose acontece. Assim, se alguém está em Cristo, é uma nova criatura. A velha se foi, a nova veio!

Daqui há alguns dias o novo ano estará chegando. O velho se despede e o novo se apresenta. Mas, mais importante do que o ano que é mudado, é a nossa velha vida que precisa ir embora e dar lugar a uma nova vida em Cristo, transformada, renovada, edificada, abençoada.

Quando dizemos que estamos no Senhor e nada mostramos que testifique nossas palavras, estamos enganando aos nossos amigos e principalmente a nós mesmos. Jamais enganamos a Deus, que tudo sabe, tudo vê, tudo conhece. Ele é o Senhor e precisamos ser verdadeiros em nosso relacionamento com Ele.

2012!

Provérbios 16:1 - “Ao homem pertencem os planos do coração; mas a resposta é do Senhor.”



Quando se aproxima um ano novo às pessoas fazem promessas a si mesmas, e aos demais, de que neste novo ano muitas coisas serão diferentes. Faz parte do ritual de passagem de ano, nada errado com isso, muito pelo contrário, é bom e saudável começar um novo ciclo com a disposição de acertar e de fazer coisas boas, coisas novas, coisas produtivas. Assim como explodem nos céus os lindos fogos de artifício, explodem dentro de nós uma esperança renovada e um desejo, também renovado, de ser melhor, de ter o melhor e acertar mais.

O problema são as fórmulas para se alcançar as metas estipuladas. A maioria das pessoas acredita que em seus próprios esforços, ajudados pela disciplina, pela boa vontade, e pelos seus bens materiais, cumprirão o prometido e realizarão o almejado. Infelizmente não é bem assim. O correto é começar o ano novo da mesma forma que deveríamos começar cada um dos dias das nossas vidas – entregando a Deus nossos anseios, desejos e sonhos; nossas necessidades e propósitos.

O ideal é entrar, de novo, na roda dos doze meses, confiando nossas vidas a Deus. Pedindo que Seu Espírito Santo inspire nosso sonhar e conduza nosso fazer, sem esquecer que “Ao homem pertencem os planos do coração; mas a resposta é do Senhor.” Provérbios 16:1; mais ainda: “Deveis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo.” Tiago 4:14-15. Ou seja, bom mesmo é inaugurar cada amanhecer dos próximos 365 dias pedindo a Deus que reine absoluto em nosso caminhar, nos fazendo, de fato, templo Seu.

Que nossa oração seja que neste 2012 tenhamos, sim, fé, saúde, paz e amor, porém que tudo isso seja, antes de tudo, instrumento para fortalecer ainda mais nosso conhecimento e adoração a Deus em nossa intimidade com Ele, tendo sempre vivificado em nossos corações palavras como estas: “Deleita-te no SENHOR, e Ele te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nEle, e Ele o fará.”Salmos 37:4-5.

FELIZ 2012!

domingo, 25 de dezembro de 2011

O QUE É O NATAL?

Não há muito tempo, um professor de psicologia, em uma de nossas grandes universidades, deu um teste de sugestão de palavras para sua classe de 40 alunos. Ele os instruiu para escrever a palavra "Natal" e toda a classe fez isso. "Agora", disse o professor, "escrevam ao lado da palavra Natal, tudo o que vocês lembram a respeito desse dia". 

Quando os alunos entregaram as suas listas de palavras, o que o professor encontrou foi: árvore, pinheiro, presentes, peru, festa, feriado, cantata, Papai Noel, mas ninguém escreveu: "o aniversário de Jesus". Da mesma forma que não havia lugar para o bebê Jesus na pousada, não há lugar para Ele na celebração do Natal. 

Que importância temos dado à festa de Natal? Temos, como quase todo mundo, aproveitado esta data para nos encher de comida, para beber até não podermos mais, para mostrar a todos as nossas roupas novas, para exibir os nossos presentes? Para nós, cristãos, o Natal nos faz lembrar que Jesus nasceu. O calendário religioso apresenta o dia 25 de dezembro como a data do nascimento de Cristo. Está este dia correto? Creio que isso é o que menos importa. 

Estamos felizes porque Jesus nasceu. Nasceu para nos dar a paz, para encher nossos corações de regozijo, para perdoar os nossos pecados, para nos ensinar a amar. Jesus nasceu! Ele não encontrou lugar nas pousadas de Belém, mas deseja encontrar lugar em nossos corações. Ele nasceu para ser o nosso Salvador, o nosso Senhor, o companheiro de todos os dias e de todas as situações. Jesus nasceu! E quem recebeu o presente fomos nós... Estamos preocupados com as comidas e as bebidas da festa Natalina? Claro que não! O que desejamos, ardentemente, é nos fartar da graça de nosso amado Redentor. 

Glória a Deus! Jesus nasceu! Nasceu para mim, para você, para todos aqueles que compreendem o que significa, verdadeiramente, o dia de Natal. Jesus nasceu! Parabéns ao aniversariante. Parabéns para todos nós.

sábado, 24 de dezembro de 2011

PRIMEIRO NATAL

O primeiro natal foi um tempo de mágica. O poder se manifestou de várias maneiras e se aproximou dos homens de forma visível. A presença de Deus era meramente física. Anjos, estrela, Reis Magos, pastores, o próprio Filho de Deus transformaram aqueles dias em um tempo de amor e paz. Agora, as profecias se cumpriam e a história da humanidade estava inciando um novo capítulo: Deus entre os homens!

O primeiro natal foi o início de um tempo em que Deus pode morar nos corações humanos, pois foi através do nascimento de Jesus numa humilde estrebaria que foi possível a graça de Deus chegar a todos os homens.

Diante do Trono - O primeiro Natal.

NASCEU O SALVADOR

Lucas 2:11 - "É que vos nasceu hoje, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor"
.
Em um cartão de Natal estava escrito: " Se a nossa maior necessidade fosse informações, Deus nos teria mandado um pedagogo. Se nossa maior necessidade fosse tecnologia, Ele nos teria enviado um cientista. Se nossa maior necessidade fosse dinheiro, Deus nos mandaria um economista. Mas como nossa maior necessidade era perdão, Deus nos mandou um Salvador."

Interessante e bem diferente do que o mundo comemora e plantou na mente das pessoas. A grande bênção que devemos comemorar no Natal é que Deus, em Seu imenso amor, providenciou em Seu Filho Jesus Cristo, o suprimento de nossa maior necessidade: o perdão de nossos pecados.

A alegria que desfrutamos agora, o fato de podermos nos achegar à presença de Deus para agradecer por nossas vitórias e derramar o coração em relação às coisas que nos angustiam, a certeza de poder contar com a provisão de Deus em todas as circunstâncias, o direito de viver para sempre ao Seu lado, se tornou possível porque um dia, em uma humilde estrebaria, veio ao mundo o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Grande parte da população mundial se reúne em festas de comilanças e bebedices por ocasião do Natal. Programações especiais são mostradas em televisões, teatros ou mesmo em praças públicas. As ruas se enfeitam e os grandes shoppings capricham na decoração para atrair compradores que lhes garantirão os lucros esperados. Crianças fazem fila para tirar fotos com um homem vestido de vermelho e com grande barba branca. Afinal, é Natal!
Não, isso não é Natal. Jesus nasceu para que fôssemos perdoados. Nasceu para que tivéssemos saúde espiritual e para tomar sobre Si os pecados que nos afastavam do Criador.

Natal é reconhecimento e gratidão pelo fato de Deus se fazer homem e habitar entre nós e para que esquecessemos um pouco dos prazeres pessoais para lhe abrir o coração e dizer:

"Parabéns... Obrigado Senhor."

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

EMANUEL, DEUS CONOSCO

"Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco" 

Mateus 1:23

Dois missionários foram presos e encarcerados na mesma cela. Estavam proibidos de falar um com o outro. Chegou o Natal. Um dos missionários, amedrontado e calado, sentou-se no chão coberto com feno. Mexendo com os pedaços de feno ao redor, ele descobriu que poderia, mesmo sem falar, comunicar-se com o companheiro de prisão. Ele escreveu a palavra "Emanuel".

Assim que seu amigo leu o que estava escrito no chão, viu-se tomado de grande alegria. Eles estavam aprisionados, mas criam que o Deus Emanuel estava com eles e, por fim, lhes daria a vitória.

O que tem sido o Natal para nós? Um dia de festa? Um dia de comidas especiais? Uma ocasião para beber até não aguentar mais? Ou uma oportunidade de dizer ao mundo que Jesus nasceu e está conosco, para nos dar vida e vida abundante? O que é mais importante: dar um presente de amigo oculto ou dizer ao presenteado que o verdadeiro Amigo, motivo do Natal, jamais estará escondido? O que é mais importante: a troca de abraços e brindes em volta de uma mesa ou uma palavra de ânimo e conforto, tal como "O aniversariante aqui comemorado ama a você e quer perdoar seus pecados e dar-lhe vida eterna? O que é mais importante: comprar roupas novas para uma celebração ou pedir ao Senhor, que nasceu, para nos dar roupas novas, alvas e puras, que nos tornem brilhantes para a glória do Seu nome?

O dia do nascimento de Cristo é, realmente, 25 de dezembro? Provavelmente não. Mas, não estamos celebrando o dia e nem os costumes mundanos. Estamos celebrando o fato do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo ter nascido. Ele nasceu! Isso é o que realmente importa! Nasceu em nossos corações e, por isso, estamos muito felizes.

Vamos encontrar, neste Natal, todas as maneiras possíveis de comunicar que o verdadeiro Natal está em ter o Senhor Jesus, o Deus Emanuel, o Deus conosco, a nosso lado... todos os dias... para sempre.

JESUS VEM TE VISITAR

Foi na noite de Natal. Um anjo apareceu a uma família muito rica e falou para a dona da casa: "Trago-te uma boa notícia: esta noite o Senhor Jesus virá visitar a tua casa!"

Aquela senhora ficou entusiasmada. Jamais acreditara ser possível que esse milagre acontecesse em sua casa. Tratou de preparar um excelente jantar para receber Jesus. Encomendou frangos, assados, conservas, saladas e vinhos importados.

De repente, tocaram a campainha. Era uma mulher com roupas miseráveis, com aspecto de quem já sofrera muito.

- Senhora, - disse a pobre mulher, - Será que não teria algum serviço para mim? Tenho fome e tenho necessidade de trabalhar.

- Ora bolas! - retorquiu a dona da casa. - Isso são horas de me vir incomodar? Volte outro dia. Agora estou muito atarefada com um jantar para uma visita muito importante.

A pobre mulher retirou-se. Um pouco mais tarde, um homem, sujo de óleo, veio bater-lhe à porta.

– Senhora, - disse ele,  - O meu camião avariou aqui mesmo em frente à sua casa. Não teria a senhora, por acaso, um telefone para que eu pudesse comunicar com um mecânico?

A senhora, como estava ocupadíssima em limpar as pratas, lavar os cristais e os pratos de porcelana, ficou muito irritada.

- Você pensa que minha casa é o quê? Vá procurar um telefone público... Onde já se viu incomodar as pessoas dessa maneira? Por favor, cuide para não sujar a entrada da minha casa com esses pés imundos!

E a anfitriã continuou a preparar o jantar: abriu latas de caviar, colocou o champanhe no frigorífico, escolheu, na adega, os melhores vinhos e preparou os coquetéis. Nesse momento, alguém lá fora bate palmas. 

– Será que agora é que é Jesus? - pensou ela, emocionada. E com o coração a bater acelerado, foi abrir a porta. Mas decepcionou-se: era um menino de rua, todo sujo e mal vestido... 

- Senhora, estou com fome. Dê-me um pouco de comida! 

- Como é que eu te vou dar comida, se nós ainda não jantámos?! Volta amanhã, porque esta noite estou muito atarefada... não te posso dar atenção.
Finalmente o jantar ficou pronto.

Toda a família esperava, emocionada, o ilustre visitante. Entretanto, as horas iam passando e Jesus não aparecia. Cansados de tanto esperar, começaram a tomar aqueles coquetéis especiais que, pouco a pouco, já começavam a fazer efeito naqueles estômagos vazios, até que o sono fez com que se esquecessem dos frangos, assados e de todos os pratos saborosos.

De madrugada, a senhora acordou sobressaltada e, com grande espanto, viu que estava junto dela  um anjo.

- Será que um anjo é capaz de mentir? - gritou ela. - Eu preparei tudo esmeradamente, aguardei a noite inteira e Jesus não apareceu. Por que é que você fez  essa brincadeira comigo?

- Não fui eu que menti... Foi você que não teve olhos para enxergar. -  explicou o anjo. - Jesus esteve aqui em sua casa  três vezes: na pessoa da mulher pobre, na pessoa do motorista e na pessoa do menino faminto, mas a senhora não foi capaz de reconhecê-lo e acolhê-lo em sua casa”.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

A PROCURA DE JESUS

Tendo, pois, nascido Jesus em Belém da Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que vieram o Oriente a Jerusalém uns magos...

Mateus 2.1

Quando chega o natal e as luzes se acendem, eu sempre recordo da viagem dos Reis Magos em direção a Belém. Para mim, esta história é incrível - uma estrela guiando homens pelo deserto, de cidade em cidade, até chegar a uma humilde casa no interior de Israel onde estava o menino Jesus.

E o que mais encanta é que eles abandonaram seus afazeres, suas obrigações e se lançaram numa aventura que durou quase dois anos. Eu sei que a viagem foi dura - o sol escaldante, as areias quentes do deserto, o frio quase congelante da noite, os perigos de viajar por regiões desconhecidas, bandidos, animais selvagens, a saudade de casa..

Sei que o coração, alguma vez, duvidou, que os homens zombaram, que a família não entendeu. Mas a certeza de que Deus os guiava com uma estrela nunca esvaziou da alma. A fé bastou para superar tudo.

Neste natal, meu desejo é que sequíssimos a estrela de Deus e chegássemos a manjedoura do amor. Ali, encontrássemos o menino Jesus e  depositássemos nossos presentes: um pouco de tempo para ouvir seus conselhos, um pouco do nosso tesouro para ajudar o próximo, um pouco da nossa vida para permitir Deus nos amar e nos guiar.

Quem dera que neste natal todos fossemos reis que estivéssemos procurando Jesus.

OBRAS PARA O MUNDO

Na véspera de Natal de 2003, o célebre pintor Makoto Fujimura juntou-se a outros artistas numa festa no Museu Sato em Tóquio. Muitos tinham doado as suas obras a uma exposição beneficente para angariação de fundos destinados a crianças Afegãs. Após a refeição, o Sr. Fujimura, Cristão fervoroso que vive em Nova Iorque, disse umas palavras sobre o verdadeiro significado do Natal e a oportunidade que, como artistas, eles têm de criar obras que ajudem a trazer esperança ao mundo. 

Ao meditar nesse evento, Fujimura escreveu: "Estou convencido de que naquela noite em Tóquio, Jesus convidou-Se a Si mesmo para estar junto de artistas que até podem nem saber o Seu nome. Suspeito que alguns desses artistas já terão sentido a Sua presença nos seus estúdios ao trabalharem para criar a paz por meio dos seus quadros. Todos os dons de criatividade, como a [estrela] dos Magos, apontam para um estábulo em Belém". 

Paulo escreveu que Deus trabalha entre pessoas de todas as nações "Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, O pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós; porque n'Ele vivemos, e nos movemos, e existimos" (Atos 7:27-28). Devemos estar atentos à presença do Senhor onde menos O esperamos ver. Jesus pode convidar-Se a Si mesmo para qualquer festa de Natal. Afinal, é o Seu aniversário.

David McCasland

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

A ESTRELA

E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.
Mateus 2.1-2


Quando o céu está tão bonito à noite, eu costumo sentar na área e ficar olhando as estrelas, elas são tão belas e brilham de formas diferentes. É incrível saber que algumas delas já morreram e sua luz ainda continua a chegar até nós. Faz-me lembrar de minha vida e das coisas que eu já perdi, mas que continuam vivas em minha mente, meu coração.


Foi numa noite assim, pelo menos imagino, que olhando para o céu os reis magos viram uma estrela diferente. Talvez seu brilho fosse mágico, suas cores maravilhosas, sua intensidade fosse ímpar, ou quem sabe era apenas mais uma estrela. Não sabemos o porquê de apenas eles terem visto aquela estrela como divina e enxergado nela uma mensagem: Jesus Nasceu!


Quantas pessoas naquela noite olharam para o céu? Quantas não viram apenas um céu estrelado? Quantas fizeram canções, declaram amor, cantaram e sonharam fazendo delas sua inspiração? É incrível como apenas aqueles homens viram naquela estrela, uma declaração de amor do próprio Deus, enviando seu Filho amado!


Ainda hoje, quando o natal se aproxima, eu amo a estrela que anunciou Jesus, ela guiou os magos em completo silêncio, apenas com seu brilho. Deus fala de forma tão estranha, não acha? Que neste natal, possamos ainda ver no céu a luz da estrela mágica que anunciou Jesus, ela ainda está lá, bela, singela e eterna a ecoar pelos céus que Jesus nasceu, a procura de corações, como os dos magos, a lhe escutar e dispostos a seguir pela estrada a encontrar Jesus.


Que tal, hoje, mesmo que de dia, olhar para o céu, e ver a estrela do natal, lá entre as nuvens e o sol, ou escondida na escuridão da noite, a lançar seus raios divinos até você. Se isto acontecer, abra seu coração e receba Jesus, ele quer nascer para fazer você feliz.

NOITE FELIZ (HISTÓRIA DO HINO)

Em 23 de dezembro de 1818, o jovem sacerdote Joseph Mohr foi chamado de sua aldeia de Oberndorf, nos Alpes da Áustria, para visitar o lar de um lenhador no meio da selva, pois sua esposa acabava de ter um bebê. 

Depois de uma cansativa viagem, o sacerdote chegou quando já era alta noite. Ao ver a alegria no rosto da jovem mãe, inclinada sobre o berço de seu bebê, ficou feliz por ter atendido ao chamado. 

Ao regressar a pé no caminho através da selva, na noite cheia de estrelas, o sacerdote se lembrava do que havia presenciado. A paz daquela cena fez com que ele pensasse na manjedoura de Belém, onde havia estado outra mãe amorosa e outro precioso bebê: Maria e o Bebê Jesus. 

Ao chegar em casa, mesmo cansado, o jovem sacerdote não foi se deitar. Sentou-se no escritório e começou a escrever um poema. Eram quatro horas da manhã quando terminou. E pôs como título “Noite Feliz”.

Satisfeito, foi dormir. Não se passaram muitas horas, ele se levantou e se dirigiu à casa do jovem Franz Gruber, maestro da escola paroquial e organista da igreja. Mohr pensava no órgão da igreja: não funcionava havia alguns dias. Mas Gruber disse-lhe para não se preocupar pois comporia o hino para ser cantado a duas vozes, com acompanhamento de outro instrumento musical. 

Naquela noite, que era Natal, na igreja de São Nicolau, depois da celebração do culto de meia-noite, Franz Gruber, baixo, e o sacerdote Mohr, tenor, cantaram o hino juntos. 

Ao ouví-los, as pessoas se emocionaram. Vários meses mais tarde, o homem que estava consertando o órgão pediu a Gruber que o testasse para ver se estava bem. Ele tocou o hino “Noite Feliz”. O homem gravou o hino em sua mente e logo o tocou de ouvido em sua própria aldeia. 

Quatro crianças de sobrenome Strasser(dois irmãos e duas irmãs), que viviam na mesma aldeia, ouviram o hino, aprenderam-no e começaram a cantá-lo Seu pai, um fabricante de luvas, ia todos os anos à cidade de Leipzig para vender sua mercadoria, e eles iam junto, cantando canções de Natal. Uma vez, o diretor de música do principado de Sajonia os ouviu cantar “Noite Feliz”. Gostou tanto que, no ano seguinte, os convenceu a cantarem num de seus concertos, assistidos por muitas celebridades e pessoas da realeza. Esses senhores e senhoras também gostaram do hino. Como seu título original havia se perdido, ficou conhecido como “A canção tirolesa”. 

Por volta de 1850, o Coro Imperial da Igreja de Berlim o cantou especialmente para o rei Frederico Guilherme IV, que deu ordens para buscarem os compositores, pois queria parabenizá-los. O sacerdote Mohr havia morrido em 1848, mas Franz Gruber – que ainda vivia – pôde receber pessoalmente os elogios do rei. 

Nem Gruber nem Mohr fizeram nenhuma outra composição em sua vida, mas essa canção de Natal, por sua beleza e poesia, se transformou no mais famoso hino de Natal do mundo. 

A guitarra (zupfgeige) com que foi acompanhado originalmente se acha hoje preservada no Museu Municipal de Hallein, como uma relíquia do dia mais importante da vida da aldeia de Oberndorf, o dia em que foi composto o bonito hino Noite Feliz.

André Valadão - Noite Feliz

domingo, 18 de dezembro de 2011

A ÉGUA E SEU MENINO

…sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade… 

Colossenses 1:11

Quando eu tinha uns cinco anos, meu pai decidiu que eu precisava ter um cavalo sob os meus cuidados. Em seguida, ele comprou uma velha égua baia e a trouxe para casa, para ser minha. Eu lhe dei o nome Dixie.

Dixie era um animal formidável para mim, com minha idade e pequena estatura. Não havia sela pequena o bastante e nenhum arreio de estribo era suficientemente curto para as minhas pernas, então eu cavalgava sem sela a maior parte do tempo.

Dixie era roliça, o que significava que meus pés apontavam diretamente para fora, dificultando-me a permanecer montado. Mas, sempre que eu caía, Dixie simplesmente parava, olhava para mim e esperava enquanto eu tentava montar novamente em seu dorso. Isso me faz ressaltar a característica mais admirável de Dixie: ela era maravilhosamente paciente.

Por outro lado, eu era muito impaciente com Dixie. Mesmo assim, ela suportou meus chiliques infantis com estóica paciência, jamais retaliou. Gostaria de ser mais semelhante a Dixie, com paciência para desconsiderar uma multidão de ofensas. Tenho de perguntar-me: “Como reajo quando outras pessoas me irritam?” Reajo com humildade, mansidão e longanimidade? (Colossenses 3:12). Ou com intolerância e indignação?

Desconsiderar uma ofensa. Perdoar 70 vezes sete. Suportar a fragilidade e as falhas humanas. Demonstrar misericórdia e bondade aos que nos exasperam. Obter esse controle sobre nossas almas — esse é o trabalho de Deus.

6 MOTIVOS PORQUE DEVO PARTICIPAR DA SANTA CEIA



1º Para ser obediente ao Senhor. Mt. 26:26 Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.

2° Para confessar que, pelo sangue de Jesus, temos o perdão. Mt. 26:28. Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.

3° Para ter comunhão com Cristo e com os crentes. 1º Co. 10:16,17. Porventura, o cálice de bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é, porventura, a comunhão do corpo de Cristo? Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo; porque todos participamos do mesmo pão.

4º Para oferecer gratidão e adoração. Ap.5:9. E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação.

5° Para anunciar a volta do Senhor. 1° Co. 11:26. Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha.

6° Para participar da vida eterna. Jo. 6:54. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último Dia.
 
 
Por: pr Sidnei Alves Da Silva

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

SERVIR

Marcos 10:45 - "Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos."       


É natural ao coração humano a busca de conforto, status, poder e tudo quanto vem agregado a estas realidades. Tiago, João e sua mãe foram até Jesus solicitar tais privilégios na consumação do Reino de Deus. Jesus não disse nem que sim, nem que não, mas aproveitou para reforçar que o reino de Deus é reino de servos e, portanto, os servos são os verdadeiros governantes do mundo.

Para servir é necessário abrir mão dos próprios interesses, isto é, pensar no outro em primeiro lugar, ocupar-se mais em dar do que em receber, calar primeiro, perdoar sempre, sempre pedir perdão, enfim, fazer o possível para que os outros sejam beneficiados ainda que às custas de prejuízos e danos pessoais.

Servir não é privilégio de muitos.

Servir é para gente grande.

Servir é para gente que conhece a si mesma, e está segura de sua identidade, a tal ponto que nada nem ninguém o diminui.

Servir é para gente que conhece o coração das gentes, de tal maneira que nada nem ninguém causa decepção suficiente para que o serviço seja abandonado.

Servir é para quem conhece o amor, de tal maneira que desconhece preço elevado demais para que possa continuar servindo.

Servir é para quem conhece o fim a que se pode chegar servindo e amando, de tal maneira que não é motivado pelo reconhecimento, a gratidão ou a recompensa, mas pelo próprio privilégio de servir.

Servir é para gente parecida com Jesus. Servir é para muito pouca gente.

Que Deus nos ajude!


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

LIMPA POR DENTRO

Uma jovem crente casou-se com um rapaz não-crente. Ele era mecânico de uma firma automobilística. A fim de ajudar o marido, ofereceu-lhe um Novo Testamento muito lindo. Mas quanto à igreja e a religião, o rapaz era completamente indiferente. 

Entretanto, para agradar a esposa, ele levava todos os dias o livrinho para a oficina. Um dia, durante o descanso do almoço, resolveu abrir o Novo Testamento e ler algumas coisas. Gostou. Cada dia lia um pouco naquele mesmo horário. Certo dia a esposa veio ao seu local de trabalho e encontrou o livrinho sujo de graxa. Ele estava envergonhado, pois se tratava de um presente e ele não soube conservá-lo. Ao que a esposa declarou: 

– Querido, enquanto o Novo Testamento vai ficando sujo, sua vida vai ficando limpa e é isso que importa para mim!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

EU JÁ TENHO ISSO

Um homem de negócios americano, no ancoradouro de uma aldeia da costa mexicana, observou um pequeno barco de pesca que atracava naquele momento trazendo um único pescador. No barco, vários grandes atuns de barbatana amarela. O americano deu parabéns ao pescador pela qualidade dos peixes e lhe perguntou quanto tempo levara para pescá-los. 

– Pouco tempo.

Em seguida, o americano perguntou por que ele não permanecia no mar mais tempo, o que lhe teria permitido uma pesca mais abundante. O mexicano respondeu que tinha o bastante para atender as necessidades imediatas de sua família. 

O americano voltou a perguntar: "mas o que é que você faz com o resto de seu tempo?" 

O mexicano respondeu: "durmo até tarde, pesco um pouco, brinco com meus filhos, tiro a siesta com minha mulher Maria, vou todas as noites à aldeia, bebo um pouco de vinho e toco violão com meus amigos. Levo uma vida cheia e ocupada senhor". 

O americano assumiu um ar de pouco caso e disse: "eu sou formado em administração em Harvard e poderia ajudá-lo. Você deveria passar mais tempo pescando e, com o lucro, comprar um barco maior. Com a renda produzida pelo novo barco, poderia comprar vários outros. No fim, teria uma frota de barcos pesqueiros. Em vez de vender pescado um intermediário, venderia diretamente a uma indústria processadora e, no fim, poderia ter sua própria indústria. Poderia controlar o produto, o processamento e a distribuição. Precisaria deixar esta pequena aldeia costeira de pescadores e mudar-se para a Cidade do México, em seguida para Los Angeles e, finalmente, para Nova York, de onde dirigiria sua empresa em expansão".

– Mas senhor, quanto tempo isso levaria?

– Quinze ou vinte anos

– E depois, senhor? 

O americano riu e disse que essa seria a melhor parte - "Quando chegar a ocasião certa, você poderá abrir o capital de sua empresa ao público e ficar muito rico. Ganharia milhões". 

– Milhões, senhor, e depois?

– Depois... Você se aposentaria. Mudaria para uma pequena aldeia costeira, onde dormiria até tarde, pescaria um pouco, brincaria com os netos, tiraria a sesta com a esposa, iria à aldeia todas as noites, onde poderia tomar vinho e tocar violão com os amigos.

– Não senhor, eu já tenho isso.

sábado, 10 de dezembro de 2011

SEJA COMO O SÂNDALO

Não procurem vingança, nem guardem rancor contra alguém do seu povo, mas ame cada um o seu próximo como a si mesmo. Eu sou o SENHOR."

Lv 19:18

Ditados são frases que concentram sabedoria, tanto é que o rei Salomão nos deixou centenas deles. Há um ditado chinês que diz: "Seja como o sândalo, que perfuma o machado que o fere". 

O sândalo é uma planta cuja madeira exala um cheiro agradável. É usado para confeccionar leques, de modo que quando alguém se abana, sente a leve fragrância da madeira, vinda com o ar. Ao ser atingida pelo machado que a corta, a árvore do sândalo faz com que também este seja perfumado. Os chineses, em sua sabedoria, procuraram condensar nesse ditado o que Deus diz ao povo por meio de Moisés, em Lv 19. 

No sermão do monte, Jesus afirmou que, apesar da validade da lei do "dente por dente", novos tempos haviam chegado: "...mas eu lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém o ferir na face direita, ofereça-lhe também a outra" (Mt 5.39). 

Se, por um lado, a lei se baseia na justiça, o mandamento de Jesus baseia-se no amor. Não é para menos que Jesus nos ordena que amemos nossos inimigos. Mesmo as pessoas que não aceitam Jesus como Filho de Deus confessam reconhecer nele um homem que somente praticava o bem. Jesus declarou que suas obras eram obediência ao Pai: "Desci dos céus, não para fazer a minha vontade, mas para fazer a vontade daquele que me enviou" (Jo 6.38). Podemos concluir com toda a razão que, se Jesus materializou a vontade do Pai, o nosso Deus é um Deus de amor. Sendo nós filhos de Deus por meio de Jesus Cristo, e sendo Deus nosso Pai, cabe-nos, por descendência, fazer o mesmo. Deixemos a Deus a prerrogativa da vingança, pois ele mesmo diz: "A mim pertence a vingança e a retribuição" (Dt 32.35). – NE

O DIVINO ESCULTOR

Numa das galerias de Paris há uma estátua notável. O escultor, como em geral todos os artistas famosos, era muito pobre e viveu e trabalhou num só­tão. Ao terminar a estátua, olhou-a cheio de orgulho e afeição; quantas noites perdidas, quanto sacrifício e quanta paciência representavam aquela estátua! Bastante cansado, deitou-se. 

Naquela noite, caiu sobre Paris uma geada for­tíssima. O escultor, acordando no seu quarto frio e desconfortável, lembrou-se da estátua tão recentemente terminada, e teve receio de que a geada viesse a estragar o trabalho que com tanto esmero fizera. Correndo os olhos pelo quarto, nada via com que pudesse proteger sua tão sonhada estátua. Sem he­sitar um momento sequer, levantou-se e, tirando a roupa de cama com que se cobria, agasalhou com o máximo cuidado a bela escultura. Pela manhã, o es­cultor foi encontrado morto, mas a sua estátua ainda hoje existe. Morreu para perpetuar a obra de suas mãos.

Irmãos, somos a obra das mãos do Grande Artista. E Ele, semelhante a este escultor, morreu também para nos dar vida eterna. Há, porém, uma dife­rença: o escultor que morreu preservou apenas a sua estátua do mau tempo daquela noite; o Divino Escultor, porém, ressuscitou e vive para todo sempre, podendo proteger-nos de todos os perigos

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

TUDO É POSSÍVEL!

Marcos 9:23 -  “Tudo é possível àquele que crê.”

Jesus é o maior crédulo.

Ele mesmo afirmou – Todas as coisas SÃO possíveis para Ele. Adivinhe o quê? Porque Ele anseia fazer grandes coisas através de nós também.

De fato, Ele prometeu que faria ainda maiores coisas através de nós do que Ele próprio fazia porque agora Ele está ao lado do Pai para nos ajudar! (leia em João 14:12-14).

Então, está na hora de deixar de falar sobre o que não podemos fazer. Está na hora de parar de falar do que não podemos alcançar. Está na hora de parar de temer as aparentes impossibilidades, e começar a acreditar no Único que pode realizar grandes coisas.

Paulo colocou essa realidade da seguinte maneira: “Deus pode fazer “mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós” Efésios 3:20-21.

Creia no Deus todo porderoso, e você será mais que vencedor. Glória a Deus!

APENAS FELIPE

Certo senhor idoso, que a duras provas conseguiu conquistar um nome em face do êxito na fabricação de pregos, estava desapontado com a falta de interesse do seu filho caçula pelo trabalho. Enquanto os dois mais velhos já haviam adquirido razoável estabilidade no trabalho, estudando no período da noite, o mais novo apenas se ocupava com a sua turma e estudava de manhã. 

– Filho, quando falam de você ou com você na escola, na rua ou em qualquer outro lugar, qual é o nome que lhe dão? 

– Ora, papai, me chamam de Felipe. 

– Mas apenas Felipe? Nada mais que o identifique melhor? 

– Não. Apenas me chamam de Felipe. E isso não basta pára me identificar? O que pretende dizer com isso? 

– Bem, pode até ser que apenas Felipe o descreva suficientemente, mas muitas vezes encontramos pessoas que são identificadas até de maneiras curiosas, mas que não lançam qualquer dúvida em relação a elas. Quando eu era garoto, tinha um amigo que era chamado de Chico Peteca, porque fabricava e vendia petecas para ganhar seu dinheirinho; porém, voltando ao nosso caso, como me chamam seus colegas quando falam em mim? 

– Ah! Dizem sempre João dos Pregos... 

– Pois aí você vê a diferença. Tenho orgulho de saber que me dão esse nome. Chamam-me assim porque tenho fabricado pregos de qualidade superior, o que me custou tempo, suor e luta. E você é Felipe e nada mais! É um Felipe como centenas de outros, sem qualquer qualificativo que o diferencie dos demais. Filho, não acha que já é tempo de adquirir o seu próprio título? Um nome que indique a avaliação da sua capacidade, seus conhecimentos, dedicação e realizações? 

E você meu amigo, como as pessoas lhe chamam?

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

MEU FILHO NÃO ESTARIA MORTO

Um casal de missionários recém chegado para trabalhar na Índia estava à beira do rio Ganges – rio que corta quase todo país indiano. O casal orava e observava atentamente as pessoas que ali faziam suas preces, que se banhavam nas águas sujas do rio, depositavam os cadáveres de seus entes queridos seguindo as leis do Hinduísmo e a multidão de turistas que ali estava para fotografar e receber uma bênção especial do rio mais sagrado, misterioso e adorado da Ásia.

De repente, uma cena estranha e bizarra lhes roubou a atenção. Uma mulher que descia em direção ao rio, com passos firmes e rápidos, segurava em seus braços uma criança imóvel e indefesa. Aquela mulher ao aproximar-se da margem do rio, desenrolou a criança que estava se mexendo lentamente e a lançou com toda força nas correntezas do Ganges. Tudo foi muito rápido, estranho e inesperado.

As águas barrentas do rio engoliram ferozmente a pobre criança indefesa, que não teve nem tempo de dar o último suspiro. Após essa ação trágica e triste, a jovem mulher prostrou-se diante das águas e começou a fazer alguns rituais e súplicas. Coisas estranhas aos olhos de um cristão, que não está acostumado a ver tais práticas.

O casal de missionários, perplexo, resolveu se aproximar da jovem mulher para abordá-la, fazer-lhe algumas perguntas e, quem sabe, ajudá-la a mudar de vida:

- Quem era aquela criança? – Perguntou o casal.

- Era meu filho – Respondeu firmemente a jovem mulher.

- Você o amava?

- Claro que sim, eu o amava muito. Era meu único filho
.
- Então, por que você o jogou no rio para que ele morresse?

- Porque o deus que eu sirvo me pediu como sacrifício vivo. Apenas o obedeci!

Naquele instante, diante de tal resposta, o casal movido de muita compaixão e amor por aquela mulher que estava cega pela religião hindu, começou a falar-lhe sobre o amor de Deus por nós e o sacrifício que já foi feito por Jesus na cruz, para que não precisássemos mais fazer esse tipo oferenda viva. Eles gastaram algumas horas conversando e orando por aquela jovem senhora. Ela entendeu o plano de salvação e com o coração quebrantado e arrependido, entregou a sua vida para Jesus. Decidiu abandonar aquela religião maldita.

Depois que entendeu o erro que havia cometido ao lançar o único filho ao rio, a mulher com os olhos cheios de lágrimas e soluços, fitou o casal de missionários e exclamou em alta voz:

- Se vocês tivessem vindo a algumas horas antes, para me falar sobre Jesus e o amor de Deus, o meu filho não estaria morto. Eu ainda o teria comigo em meus braços!!!

O que você faria se fosse um dos missionários que presenciou aquela cena inusitada? Qual seria a sua resposta à aquela jovem e triste mãe? De quem é a culpa, quando tanta gente morre sem conhecer a Cristo?

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

HÉLIO

Este vídeo vinha sendo produzido deste a notícia da morte do nosso irmão Hélio. No entanto, só ontem, após o enterro quando nossa alma finalmente compreendeu a realidade de um fato tão trágico e a família pode então dá adeus ao seu ente querido, este vídeo começou a ganhar forma.

Só queremos dizer que Ele foi muito importante para nós, esteve entre nós e conosco comeu, brincou, cantou e se divertiu. A lacuna de sua ausência não será facilmente esquecida. Mas arde em nós a certeza de que em breve todos estaremos de novo juntos, num momento de profunda paz, amor, verdade e alegria. Ali, na eternidade, viveremos a realidade de um mundo sem a dor, a morte, a ausência e maldade. 

Novo Som - De Coração.

sábado, 3 de dezembro de 2011

ONDE DEUS ESTAVA QUANDO MEU FILHO MORREU?

Conta-se a historia de um pai cujo filho foi morto em um terrivel acidente. Ele procurou o seu pastor e com muita raiva perguntou: "Onde Deus estava quando o meu filho morreu?" O pastor pensou um pouco e respondeu: "No mesmo lugar em que Ele estava quando o filho dele morreu".

Uma coisa precisa ser dita: "Deus sabe o que é perder um Filho, porque Ele viu seu filho Unigênito, Jesus Cristo, morrer numa cruz". Por isso, Ele conhece a dor de perder um ente querido.

Se conhecemos a Deus de verdade compreendemos que o Pai sempre faz o melhor para nós - "Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus" - Rm 8.28. No entanto, as pessoas preferem acreditar no acaso, nas forças da natureza, no destino. Eu prefiro acreditar na vontade de Deus.

Como a morte de um Filho pode contribuir para o nosso bem? Não sei nem tenho uma resposta! Mas há uma certeza em mim: Ele sabe o que está fazendo! E se nós acreditamos nisto. Isso nos basta...

Baseado no Livro "Creia Sempre" de Ray Pritchard.

NOSSA VONTADE

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O CIDADÃO DOS CÉUS

Quem, Senhor, habitará no teu tabernáculo?
Quem há de morar no teu santo monte?
O que vive com integridade, e pratica a justiça, e de coração, fala a verdade;
o que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra seu vizinho;
o que, a seus olhos, tem por desprezível ao réprobo, mas honra aos que temem ao Senhor;
o que jura com dano próprio e não se retrata;
o que não empresta o seu dinheiro com usura, nem aceita suborno contra o inocente.
Quem deste modo procede não será jamais abalado.

Salmo 15

O CARTÃO DE VISITA

Um senhor de 70 anos viajava de trem tendo ao seu lado um jovem universitário que lia o seu livro de ciências. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no livro de Marcos. Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:

-O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?

-Sim, mas não é um livro de crendices. É a palavra de Deus. Estou errado?

-Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal. Veria que a Revolução Francesa,ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda creem que Deus tenha criado o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre tudo isso.

-É mesmo? E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?

-Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação, falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência.

O velho então, cuidadosamente, abriu o bolso interno do paletó e deu o seu cartão ao universitário. Quando o jovem leu o que estava escrito,saiu cabisbaixo sentindo-se pior que uma ameba.No cartão estava escrito:

Professor Doutor Louis Pasteur,
Diretor Geral do Instituto de Pesquisas
Científicas da Universidade Nacional da França.
"Um pouco de ciência nos afasta de Deus."