sábado, 31 de março de 2012

ALMA VIVENTE

E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.


Gênesis 2:7


Dois ou três rapazes, numa visita a um museu nacional, leram ao lado de um dos armários, estas palavras: "O corpo de um homem; peso: 70kg". 

– Onde está o homem? - perguntou um dos rapazes. 

Ninguém lhe respondeu. No armário, havia jarras de água e outros jarros contendo fosfato de cálcio, carbonato de cálcio, potássio, sódio e outros elementos químicos. O compartimento ao lado continha galões cheios de gases, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio. Estes elementos foram medidos em proporções exatamente iguais às do corpo humano. 

Depois de pensar sobre isto por algum tempo, o rapaz obser­vou: "Então sou feito disto, sou somente isto, não há mais nada?" 

– Mais nada! - concordou um estranho que sorriu e saiu. 

Mas o jovem ficou pensativo e seu companheiro lhe disse: 

— Se somos formados somente de um tanto de cálcio, outro tanto de gases, outro de água, etc., deveríamos ser todos iguais. Deve haver alguma coisa mais, que não se possa guardar em armários.

– Sim! - afirmou o outro - há o que Deus coloca nesta matéria, o que nos torna uma alma vivente.

sexta-feira, 30 de março de 2012

JARDINEIROS & JARDINS

“Rogai, pois, ao Senhor da seara que 
mande trabalhadores para a sua seara.”


Mt 9.38

O escritor Rubens Alves disse que no início de todas as coisas, Deus não criou uma cidade, mas um jardim. Na medida em que ia construindo percebia sua beleza e encantamento. Pessoalmente, portanto, Deus resolveu “habitar” o jardim, tão maravilhado que ficara com sua obra. O homem vivia seguro, no lugar certo, com todas as condições necessárias para uma vivência digna e feliz, experimentando a presença de Deus.

Ele pergunta: “o que vem primeiro? O jardim ou o jardineiro?”. Ele responde: é o jardineiro. Ele é quem sonha com o jardim antes que ele exista. O jardim começa no coração, no sonho. A missão do jardineiro é sonhar e levar os outros a sonharem com ele. Logo, se não sonharmos não conseguiremos criar jardins.

Como jardineiros temos a semente do sonho, da esperança – o evangelho de Jesus Cristo. Temos também o campo, o lugar onde lançar as sementes – o coração dos homens e mulheres. Parece tudo perfeito. Mas onde estão os jardineiros? Onde estão os semeadores? Nossa simples missão é semear sonhos e esperanças nos corações humanos.

ORE: Senhor, primeiramente rogo que me tornes um trabalhador mais comprometido com o crescimento de teu reino. Depois, oro para que tu levantes mais semeadores nessa seara. Em Jesus. Amém.


Fonte: http://www.lpc.org.br

EM PÉ

quinta-feira, 29 de março de 2012

QUERO, SÊ LIMPO!

Jesus sempre gostou das coisas simples. falava com sabedoria, mas usava uma linguagem do dia-a-dia. Era incrível a forma como abordava as questões espirituais e como comparava-as ao pão, a água, as pombas, cobras, pérolas etc. Jesus foi um homem notável porque entendia os anseios do coração humano e saciava as necessidade da alma da forma mais simples possível.

Certa vez um homem buscou Jesus. Ele era leproso e estava aflito e cansado. Vendo o Mestre, diz a Bíblia, prostrou-se e adorou. Jesus viu a necessidade daquele homem, notou o anseio de seu coração amargurado e desiludido com a vida. Era como se o homem fosse um livro aberto, onde se pudesse ler toda a sua história e conhecer suas dores.

"Meste, se quiseres torna-me limpo" (cura-me) - foi a única coisa que aquele homem disse, mas foi o suficiente. Talvez não compreendamos a essência e a profundidade dessa palavras - ela declaram que conformismo com a vontade de Deus e que não precisava ele narra detalhadamente as duas macelas e que ele colocava o seu futuro nas mãos do Pai, se o Criador quisesse que ele voltasse para casa, pudesse viver novamente em sociedade poderia curá-lo, caso contrário, bastaria um não. 

A resposta de Jesus foi mais simples ainda: "quero, sê limpo". Uma coisa que aprendo aqui é que Jesus deseja sempre o melhor para cada um de nós. O homem só precisa confiar no veredicto do Mestre. No entanto, uma coisa precisa ser dita: Jamais Deus irá nos dá algo que vá nos sujar mais ainda. Seu desejo é que sejamos limpos e saudáveis.

terça-feira, 27 de março de 2012

LIVRE ARBÍTRIO

Vês aqui, hoje te tenho proposto a vida e o bem, e a morte e o mal;


Det. 30.15


Um dos mais nobres direitos do ser humano é a capacidade de decidir seu futuro. O dom da escolha é o que chamamos de livre arbítrio. E não estou falando aqui de escolhas simples como decidir a roupa que vai vestir ou se vai comer pão, bolacha ou torrada. Não... é algo mais profundo... como o direito de escolher as curvas da estrada, os companheiros de caminhada, as portas que abrirá e o tempo que descansará.

Há Alguns dias, li a história de Amina Al Filali, uma jovem marroquina que foi forçada a casar-se com o homem que a estuprou. Pelas leis do país, os estupradores podem decidir casar-se com suas vítimas ou ir para a prisão. Depois de 5 meses de um casamento infernal, de agressões físicas, a jovem desiludida tirou a própria vida.

A história é triste. Uma jovem de 16 anos que não teve o direito de decidir. A família e a justiça lhe negaram o direito da escolha. Que bom que Deus não age assim para conosco! Ele nos permite o livre arbítrio. Temos a possibilidade de escrever nossa história no livro do tempo, de construir ou destruir templos, de plantar e derribar árvores. Que Deus nos ajude a termos a sabedoria necessária para que possamos utilizar o livre arbítrio para o bem, sobretudo para o nosso próprio bem.


"É preciso cuidar de nós mesmo e de nossas escolhas, antes que a areia do tempo leve tudo"

segunda-feira, 26 de março de 2012

JULGANDO PELA APARÊNCIA

Nossos olhos são implacáveis ao julgar. Eles julgam segundo o que veem. E são as roupas, a aparência e o modo como as pessoas agem que levam eles a falarem ao coração sua sentença. E, muitas vezes, se cometem verdadeiras atrocidades e injustiça pelo julgamento apenas das aparências.

Conta-se a história de um casal ao viajar por uma auto-estrada quando o seu carro deixou de funcionar. As pessoas passavam sem notar para o pedido de ajuda que faziam. No entanto, foi um homem sem camisa e num carro que parecia uma sucata quem parou para ajudá-los.

É normal nós ficarmos relutantes a confiar em estranhos. A gente geralmente fica com o pé atrás principalmente quando nossos olhos veem um homem magricela, de aparência suja e descuidada. Mas o que o casal descobriu era que o homem era um mecânico e que tinha ficado sem recursos alguns dias atrás.

Certamente, que devemos ser cautelosos em quem confiamos, mas isto não significa que devamos rejeitar todos aqueles que não se vestem como nós ou não são tão afortunados como a maioria. É importante lembrar que há pessoas de todos os tipos, classes e condições. Antes de deixar de lado aqueles que não combinam com os nossos padrões pessoais, precisamos lembrar que o Nosso Criador não faz acepção de pessoas.(Gál.2:6), nem nós o devemos fazer.

sexta-feira, 23 de março de 2012

EU QUERO

Um menino de 6 anos queria porque queria comer farinha láctea. A mãe ponderou: 

– Agora não; a vovó já vai colocar o almoço na mesa.

— Mas eu quero! - foi a resposta enfática do pirralho. 

A mãe, pacientemente argumentou: 

– Mas depois você não vai comer comida, que é necessária para você ficar forte e bonito. 

– Mas eu quero! - era a incisiva resposta, cada vez mais enfática do garotinho. 

Ele chorou, rolou no chão, gritou, apelou para a vovó, mas a mamãe sabia o que era melhor para ele. É natural que uma criança de 6 anos não saiba ainda os limites do querer. A mãe está ali para ensiná-la. 

há pessoas que são adultas na idade e crianças no entendimento. Continuam, até a velhice, pensando que "eu quero" é tudo! Basta dizer "eu quero" e tudo estará resolvido. Fazem pirraça (pirraça de adulto), gritam, batem pé e se não conseguem o que querem, viram a cara, ficam frustradas e incapacitadas para seguir adiante na vida... 

João Falcão Sobrinho, em O Jornal Batista.

quarta-feira, 21 de março de 2012

PEQUENAS COISAS

"Grandes são as obras do SENHOR, procuradas por todos os que nelas tomam prazer" 

Salmos 111:2

Em maio de 1987, Mario Andretti estava dominando as 500 milhas de Indianápolis como nenhum outro em 50 anos. Ele manteve a ponta em 170 das 177 voltas. Ele continuava na primeira colocação quando faltava apenas uma volta para o fim da corrida. A busca da segunda vitória em Indi do piloto de 47 anos de idade terminou quando uma minúscula parte do sistema de combustível deixou de funcionar. Pequenas coisas em nossas vidas podem causar grande dano. (Greg Potts)

Em vez de nos preocuparmos com coisas grandiosas, que poderão nunca acontecer e que, mesmo acontecendo, poderão não nos trazer a paz e o regozijo almejado, devíamos estar atentos às pequenas coisas que estão ao nosso redor, que poderão determinar nossa derrota ou os melhores momentos de uma grande felicidade.

Geralmente não é uma grande pedra que nos derruba e sim uma pequena pedrinha no caminho. Quase sempre perdemos nossa comunhão com Deus por causa de uma "minúscula" mentira. Deixamos de gozar das delícias de uma vida com o Senhor, às vezes, por um minuto de indiferença.

Muitas vezes sonhamos com uma grande realização, sem perceber que poderíamos ser muito mais felizes com algo bem menor. Queremos altas posições sem discernir que a nossa grande bênção está em algo pequeno, preparado por Deus, que nos daria muito mais satisfação. Lutamos para conquistar grandes ideais de nossa vontade quando seria muito melhor aceitar a vontade do Senhor, mesmo que isso significasse aceitar algo bem pequenino.

As maiores bênçãos de nossas vidas podem ser bem pequenas. Os maiores momentos de gozo em nosso coração podem ser muito pequenos. As pequeninas coisas, feitas por Deus em nossas vidas, são as maiores que poderíamos receber.

Estou muito contente com as pequenas coisas grandiosas que Deus tem feito. E você?

Paulo Roberto Barbosa 

SEM PRESSA

segunda-feira, 19 de março de 2012

NA ROCHA

Os coelhos são um povo débil; e contudo, põem a sua casa na rocha;

Provérbios 30. 26

Estudantes da Bíblia têm dificuldade em identificar o "coelho" mencionado em Provérbios 30. Muitos crêem que se trata do daimão (pequeno mamífero sírio). Se assim é, então Deus está a chamar a nossa atenção para uma pequena criatura invulgar. O daimão é aproximadamente do tamanho de um porquinho da Índia ou cobaia grande, mas não está intimamente ligado a qualquer outro animal conhecido. Parece-se com um roedor e foi caracterizado como o "coelho das rochas". 

É extremamente vulnerável ao ataque dos seus predadores. Entre os seus inimigos estão as cobras, águias, milhafres, leopardos, cães, e outras criaturas de rapina como o mangusto. Então como é que este bichinho consegue sobreviver? A resposta é simples: Ele constrói a sua casa em cavidades ou fissuras na rocha, quase sempre do lado de uma falésia íngreme. 

Somos muito parecidos com o daimão. Somos susceptíveis a muitos perigos. A doença, a depressão, a tentação, a guerra, os acidentes e a solidão ameaçam-nos constantemente. Se pudéssemos ao menos encontrar um caminho para sobreviver como essa pequena criatura! Sim, podemos. Também nós temos uma Rocha na qual nos podemos esconder - O próprio Deus (Salmo 62:2 - Só ele é a minha rocha e a minha salvação; é a minha defesa; não serei grandemente abalado). Confiar n'Ele não nos isenta dos problemas da vida, mas dá-nos proteção para a nossa alma. 

Fonte: www.gospelcom.net

quarta-feira, 14 de março de 2012

O ROLO DE BARBANTE

O pai de Marquinhos havia comprado um rolo de barbante a fim de poder amarrar seus sacos de milho. Então, ele disse ao garoto: “Olhe, Marquinhos, está vendo este rolo de barbante? Não quero que você mexa nele, está certo?” 

Mas aquele barbante enroladinho fascinava Marquinhos e todas as vezes que o pai saía, o garoto tirava pedaços do rolo para brincar. O pai, às vezes chamava a atenção, mas não adiantava muito. 

Passado algum tempo, quando um desses dias de agitação no trabalho, o pai de Marquinhos chegou em casa, no exato momento em que o menino concluía sua arrumação: o barbante estava esticado de um lado a outro. Ia do quintal ao muro do vizinho. Subia do teto da casa e descia ao chão. Para entrar em casa, era preciso arrancar os fios e abrir caminho. De repente, quando estava no meio da confusão, sentindo muita vontade de explodir, o homem parou, pensou: “Para que desejo todo o barbante? Deixe o menino brincar”. Disse-lhe a consciência. 

E naquele mesmo dia, o pai chamou o menino e disse: “Marquinhos, sabe aquele rolo de barbantes (o menino corou), mudei de idéia. Você pode brincar com ele quando quiser. Tem mais, todas as ferramentas da garagem que marquei com a palavra “Não”, você pode mexer agora. Se for preciso posso comprar novas ferramentas, mas não poderei comprar um novo Marquinhos”. Nunca houve um amanhecer mais lindo do que o sorriso daquela criança. “Ah! Muito obrigado, papai”, disse Marquinhos. 

às vezes, nós valorizamos demais as coisas que nos cercam, ao ponto de não pensarmos nas pessoas nem na alegria e felicidade que um bem pode proporcionar ao próximo. Isso é assim, porque nós nos concentrarmos demais no que não tem valor e esquecemos que podemos fazer alguém feliz apenas permitindo que usufruem um pouco do que temos.

terça-feira, 13 de março de 2012

DOIS CAMINHOS

Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela.

Mt 7.13-14


Quando eu era criança, durante as férias, na fazenda de minha avó, ao retornar para casa depois de um dia de aventura, me deparei, à beira da mata, com um caminho que se bifurcava. Não foi fácil decidir que caminho seguir. Por sorte acertei o caminho e, ao anoitecer, cheguei em casa.

Certa vez, Jesus Cristo falou de dois caminhos, não são caminhos comuns, mas são estradas que conduzem o homem a lugares eternos. Os caminhos findam com a morte do homem. Cada caminho tem um destino diferente. E este destino é o resultado da escolha que o homem faz em vida.

Um caminho conduz a vida eterna e o outro a perdição eterna. O que Jesus quer dizer é que enquanto estamos vivos fazemos escolhas e decidimos a que caminho trilhar. Nós somos responsáveis por isso. No entanto é bom lembrar que um dia este caminho finda para cada um e é impossível depois de chegar ao destino que ele nos leva retornar.

Você sabe em que caminho está seguindo? Se seu caminho findar hoje ou amanhã ou depois você sabe para onde está indo? Lembre-se que só existe dois caminhos: um que leva ao céu e outro ao inferno. E somos nós, com nossas escolhas que decidimos onde ele nos levará.

CONFIAR

segunda-feira, 12 de março de 2012

DOIS ANOS

dia 09 de março, meu filho Esdras fez dois anos. E como o tempo passa rápido! Tenho compreendido que é preciso viver intensamente os dias, aproveitar a companhia de quem amamos com sabedoria, esquecer e perdoar com facilidade e dar-se sem reserva e preocupações.

Eu ainda me lembro de quando o vi pela primeira vez, a alma parecia um balão sendo inflado pela presença daquele ser frágil e inocente. Os primeiros passos, os sorrisos, as palavras.

Deus tem me abençoado muito. O Esdras tem sido pra mim como um bálsamo que alivia as dores e me faz feliz. O Salmista diz QUANDO o Senhor restaurou a sorte de Sião, ficamos como os que sonham. É assim que me sinto.

Quero agradecer ao meu Deus por isso e pelo tempo de alegria que tem me dado e rogar as bênção dos céus sobre a vida de meu filho.




MANANCIAL

E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam.

Isa 58:11

O homem tem uma parte que é essencialmente espírito. Ela reside no coração, e é influenciada pelas emoções, sentimentos e desejos. Este mundo paralelo ao físico tem desejos, medos, necessidade que vão além do que se ver.

Jesus certa vez disse: Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu interior.

O que Jesus estava falando aqui é da angústia que se apodera do homem de vez em quando, do medo que apavora a alma mesmo quando não há motivos para tê-lo, da dúvida que paralisa, da falta de paz que perturba o coração e da insegurança que se apodera da vida quando se pensa no futuro.

Jesus afirmou que se você crê nele tudo isso desaparecerá e você será uma fonte de água clara e tranquila a correr. Nada que aconteça fora de você poderá turvar ou parar essas águas. A fonte vem do interior do homem. Elas são eternas e vivas.

Aline Barros - Manancial.

sábado, 10 de março de 2012

O RIO E O OCEANO

Dizem que antes de cair no Oceano o Rio treme de medo. 

O Rio olha para trás, para toda a jornada: os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados e vê à sua frente um Oceano tão vasto que pensa que entrar nele nada mais é do que desaparecer.

Mas não há outra maneira. O Rio não pode voltar. Ninguém pode voltar o curso de um Rio. A existência segue sempre para frente. 

Somente quando o Rio entra no Oceano é que o medo desaparece. Isso porque apenas ali ele se dá conta de que não se trata de desaparecer no Oceano, mas sim de tornar-se Oceano.

Por um lado é desaparecimento, por outro é renascimento. Por um lado é perder-se, por outro é ampliar-se muito além do já esperado. É só e pura transformação.

Assim somos nós... Voltar o curso da existência é impossível. Nós só podemos ir em frente, arriscar. Corajosamente tornamo-nos Oceano. Sem coragem evaporamos nossa possibilidade de vida eterna, de qualidade, de radicalidade na experiência de existir.

Não apresse o Rio, já diziam que ele corre sozinho. Mas não contenha o Rio, a água sabe para onde vai. Confie, solte-se, transforme-se...

quinta-feira, 8 de março de 2012

DIA DA MULHER

Hoje é um dia muito especial. O dia em que o mundo para pensar nos direitos da mulher.

Eu não poderia deixar esta data passar em branco, quero lembrar da imagem da guerreira do amor e de sua luta diária em prol de sua família, do amor que espalha entre os seus e da paz e segurança que eles encontram em seus braços.

A ciência já provou que a mulher é mais forte que o homem, no entanto, todo dia ela precisa provar que nasceu para fazer a diferença.  Toda mulher nascei pra ser a imagem do amor, por isso, tem na alma a persistência dos gigantes; 

Como poderia esquecer que o coração de mulher foi criado com Deus com a parte mais nobre dos céus - o poder da criação, de multiplicar - Ela, com certeza, é melhor parte da humanidade, aquela que nos ensina que é possível amar, perdoar, cuidar e sacrificar-se por sua herança.

Mulheres são como jóias preciosas a irradiar paz entre os homens e rosas de rara beleza a perfumar a vida. Se Deus não tivesse a feliz ideia de criá-las, o mundo seria mais triste e sem graça.

Feliz dia da mulher!

A MULHER DO FLUXO DE SANGUE

Certa mulher, não tinha nome, ela era conhecida por seus problemas. Certas pessoas são conhecidas pelas suas tragédias que acontecem em sua vida. Como você gostaria de ser lembrado pela bênção ou pela maldição? INDO DE MAL A PIOR Essa mulher era rica, contudo perdeu  todos seus bens devido à doença, vivia cada vez de mal a pior.

      Há pessoas que só manifestam a fé após uma tragédia em sua vida ou família. Não se manifesta a fé através de jejum, oração, vigília.... Isto é apenas para manutenção da nossa vida espiritual. Por que o toque dela foi diferente do toque das outras pessoas? Ela manifestou a fé de 4 maneiras

1.Saiu de sua casa

2.Andou no sol

3.Enfrentou o tumulto da multidão

4.Tocou em Jesus

      Essa mulher era Judia, sua doença a tornava imunda, se tocasse em alguém seria apedrejada. Quando ela saiu de casa ela estava disposta a tudo para mudar de vida. Ela manifestou a fé, fazendo algo que poderia custar-lhe a vida.

      Quando uma pessoa faz o que não pode e o que não dá, então ela   está entrando na dimensão da fé. Essa mulher foi curada pela manifestação de sua fé. Deus não age em cima das nossas necessidades, porém em cima da ação da nossa fé para suprir as necessidades. Fé sem obras é morta.

Helton Angelo

quarta-feira, 7 de março de 2012

A MULHER E A BALANÇA

Uma pobre senhora, com visível AR de derrota estampado no rosto, entrou num armazém, se aproximou do proprietário conhecido pelo seu jeito grosseiro, e lhe pediu fiado alguns mantimentos. Ela explicou que o seu marido estava muito doente e não podia trabalhar e que tinha sete filhos para alimentar. 

O dono do armazém zombou dela e pediu que se retirasse do seu estabelecimento. pensando na necessidade da sua família ela implorou: "Por favor senhor, eu lhe darei o dinheiro assim que eu tiver..." ao que lhe respondeu que ela não tinha crédito e nem conta na sua loja. 

Em pé no balcão ao lado, um freguês que assistia a conversa entre os dois se aproximou do dono do armazém e lhe disse que ele deveria dar o que aquela mulher necessitava para a sua família por sua conta.

Então o comerciante falou meio relutante para a pobre mulher:  "Você tem uma lista de mantimentos?" 

— "Sim". 

— "Muito bem, coloque a sua lista na balança e o quanto ela pesar, eu lhe darei em mantimentos"! 

A pobre mulher hesitou por uns instantes e com a cabeça curvada, retirou da bolsa um pedaço de papel, escreveu alguma coisa e o depositou suavemente na balança. Os três ficaram admirados quando o prato da balança com o papel desceu e permaneceu embaixo. Completamente pasmado com o marcador da balança, o  comerciante virou-se lentamente para o seu freguês e comentou contrariado: "Eu não posso acreditar!". 

O freguês sorriu e o homem começou a colocar os mantimentos no outro prato da balança. Como a escala da balança não equilibrava, ele continuou colocando 
mais e mais mantimentos até não caber mais nada. 

O comerciante ficou parado Ali por uns instantes olhando para a balança, tentando entender o que havia acontecido... Finalmente, ele pegou o pedaço de papel da balança e ficou espantado pois não era uma lista de compras e sim uma oração que dizia: "Meu Senhor, o senhor conhece as minhas necessidades e eu estou deixando isto em suas mãos..." 

O homem deu as mercadorias para a pobre mulher no mais completo silêncio, 
que agradeceu e deixou o armazém. O freguês pagou a conta e disse: "Valeu cada centavo..." 

Só mais tarde o comerciante pode reparar que a balança havia quebrado. Entretanto, só Deus sabe o quanto pesa uma oração... 

terça-feira, 6 de março de 2012

EVA

E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.

Gen. 2.18

Quando Deus criou Eva, ela foi feita para ser uma bênção na vida de Adão e foi... Acabou a solidão, destruiu o silêncio e tornou a palavra felicidade em realidade. 

Deus disse: "Far-lhe-ei uma companheira que lhe seja idônea." O objetivo do Pai era criar um que ser além dos atrativos físicos maravilhosos, desfrutasse de um espírito especial, capaz de completar o homem em todos os seus aspectos.

As palavras de Deus ao criar Eva, não são apenas para adjetivar a mulher de sua criação, mas foram também para Adão, para que ele olhasse para Eva sempre como um ser igual a si e especial.

Eva é o simbolo da preocupação de Deus com o ser humano solitário, com a tristeza da falta de companheirismo. A gente pode até culpar Eva por muitas coisas, mas lembremos que ela nunca fugiu do propósito de Deus de acompanhar Adão e de lhe amar.

Erros, todos cometemos e ela pagou o preço pelo seu, mas é impossível deixar de ver essa mulher como uma mãe amorosa, uma companheira fiel e um auxiliadora idônea.

Desejo a todos as mulheres uma semana abençoada e aos homens que amem e respeitem as mulheres.

segunda-feira, 5 de março de 2012

PODEMOS APAGAR A LANTERNA?

"E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus" 

2 Reis 4:9

O ano era 416 antes do nascimento de Cristo. O filósofo Diógenes estava em Atenas. Ele caminhava pelas ruas da cidade, levando uma lanterna, em plena luz do dia. Qual o motivo? Ele encostava a lanterna junto ao rosto das pessoas, dizendo: "eu estou procurando por um homem honrado". Ele nunca o encontrou.

E hoje, seria diferente? O filósofo poderia dizer que encontrou o homem que tanto buscava? Poderia, finalmente, apagar a sua lanterna? Poderia olhar para nós, cristãos, filhos de Deus, e reconhecer uma vida transformada, capaz de demonstrar, por suas atitudes, um caráter verdadeiramente honrado?

Quando abrimos o coração para Cristo, precisamos deixar que Ele assuma o controle de nossas ações. Devemos brilhar e glorificar o nome de Deus. Devemos ser diferentes das pessoas que não têm um compromisso com o Senhor. É necessário que sejamos reconhecidos, com lanterna ou sem lanterna, como alguém que caminha com o propósito de honrar e dignificar o nome do Senhor.

Pode Deus dizer para nós: encontrei um filho obediente, fiel, sincero, amoroso? Pode Ele observar-nos lendo a Bíblia? Tem Ele prazer em ver que estamos sempre em oração, colocando nossa vida, nossos anseios, nossas dúvidas, nossas decisões -- por mais simples que sejam -- em Seu altar?

E os nossos amigos, precisam acender uma lanterna para enxergar alguma coisa honrada em nós? Ou, como a mulher de nosso versículo inicial, testificam que somos verdadeiramente "santos do Senhor"?

Sua vida ainda precisa de uma lanterna?

sábado, 3 de março de 2012

ÁGUA PARA O REI

"E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave" 

Ef 5.2

Um pobre árabe encontrou uma fonte de água pura. Acostumado a en­contrar poços de água salobra, reconheceu ser aquela água própria para um monarca. Enchendo o seu odre da fonte, resolveu ir apresentá-lo ao rei. 

Viajou por muito tempo e depositou sua oferta aos pés de seu soberano. O rei não desprezou a dádiva, que lhe fora trazida com tanto sacrifício. Bebeu um pouco daquela água e, agradecendo ao árabe com um sorriso, deu ordem para que o recompensassem. 

Os cortesãos estavam ansiosos por beber da água também, mas o califa o proibiu. Depois da partida do árabe, o rei explicou: "Durante a longa viagem, a água tornou-se impura e desagradável ao paladar, mas fora uma dádi­va de amor. Como tal, recebi-a com prazer; mas eu bem sabia que se permitis­se que outra pessoa dela provasse, ela não haveria escondido o seu desagrado. Por isso proibi-vos de tocá-la, para que o coração do pobre homem não fosse magoado". 

Se um califa não-cristão pôde ser tocado pelo motivo que inspirou um pobre árabe em seu ato de amor, certamente nosso amante Pai celeste aprecia todo dom inspirado pelo amor que sacrifica.

Que Deus nos ajude a nos concentrar no ofertante e esquecermos-nos da oferta. 

quinta-feira, 1 de março de 2012

DILÚVIO

Sucedeu que, no primeiro dia do primeiro mês, do ano seiscentos e um, as águas se secaram de sobre a terra. Então, Noé removeu a cobertura da arca e olhou, e eis que o solo estava enxuto.
Gênesis 8.13

As águas ainda não baixaram totalmente, algumas ruas ainda estão submersas, mas em processo de vazante. O rio em breve voltará a sua normalidade e as águas apenas correrão entre os seus leitos. E assim, aos poucos, a vida tende a voltar a sua rotina. 
No entanto, para muitas pessoas a vida foi modificada para sempre. Perderam bens materiais, perderam alegrias, perderam esperanças...


Eu fico imaginando a agonia de Noé e seu filhos vagando um ano sobre as águas do dilúvio. Tudo o que eles conheceram não existia mais. Todos os seus bens e toda a esperança para um reinício estava na arca.


Quando um dilúvio chega, ele sempre traz tristezas e nos faz refletir sobre o que realmente é importante em nossas vidas. Rever prioridades é fundamental para olhar as águas sobre a terra e ver um futuro melhor.


Deus nos ensina que é importante olhar as coisas com otimismo, ele diz para o povo de Israel em um momento de profunda tristeza: "Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos".


Minha oração é que Deus nos ajude sempre que houver dilúvio a ter disposição para recomeçar. O otimismo precisa ser seguido de uma ação cautelosa: Semear coisas boas! Que a sabedoria do céu desça nos corações e nos faça semeadores do bem.