quinta-feira, 2 de junho de 2016

A PROVA

 
Todo comportamento fiel a DEUS terá uma colheita farta, mas antes enfrentará a rejeição e o desprezo de muita gente. Lamentavelmente o caminho largo ainda atrai um grande número de seguidores.

A objeção inflexível do faraó deve ter posto à prova a fé de Moisés quanto ao sucesso de sua missão.

Moisés deve ter ficado atônito diante da hostilidade que a palavra do SENHOR provocou contra ele. Onde estava a vitória que ele previra? Onde estava DEUS? Moisés precisou reunir toda a sua coragem para transmitir a mensagem de DEUS e agora via-se falsamente acusado de liderar uma greve irresponsável contra a nação!

O faraó não se contentou em dizer “não” ao SENHOR; deu ordens para que os escravos recebessem palha para fazer tijolos, e ainda exigiu que continuassem a produzir a mesma cota. Em vez de gerar libertação a palavra de DEUS provocou problemas ainda piores para o povo. O DEUS que apareceu a Moisés no deserto e prometera estar com ele, dava a impressão de não tê-lo acompanhado ao Egito.

Há um teste para todos aqueles que confiam nas palavras “assim diz o SENHOR”. Depois de orar e tomar a decisão de obedecer, a situação pode piorar antes de melhorar! Queremos a solução rápida, mas, o problema se agrava. Como Moisés somos tentados a duvidar da Palavra que DEUS nos deu.

Confiar no SENHOR não tornou a vida de Moisés mais fácil, ao contrário, ele foi colocado numa situação de muita instabilidade espiritual e emocional. Perplexidade e desânimo tomaram conta do servo de DEUS. A Palavra recebida na sarça em chamas não se cumprira. O que estaria acontecendo? Será que ele não havia obedecido às instruções de DEUS? Moisés não podia negar que DEUS falara com ele, mas, a Palavra do SENHOR transformou-se num teste doloroso.

Assim como Moisés, devemos passar pelo mesmo processo se quisermos caminhar e orar com fé. Como ele, precisamos confiar na palavra do SENHOR apesar das circunstâncias negativas que nos cercam. Precisamos reconhecer que a maioria das vitórias não são instantâneas. Contudo, o propósito do SENHOR não é nos degradar, mas, nos abençoar no final.

Jim Cymbala, em “ORAÇÃO QUE VENCE BARREIRAS”
http://salmo37.wordpress.com/

Nenhum comentário: