quarta-feira, 31 de julho de 2013

PACIÊNCIA

Um jovem pediu a um crente mais idoso que orasse para que ele tivesse mais paciência. O homem mais velho ajoelhou-se e começou: 

– "Senhor, envia a este jovem tribulações de manhã; envia a este jovem tribulações de tarde; envia a este jovem..." 

Nesse momento o jovem crente interrompeu: 

–"Não, não, eu não pedi que orasse por tribulações. Eu queria que orasse por paciência." 

– "Ah," respondeu o sábio crente, "É pela tribulação que aprendemos a paciência." 

As suas palavras ecoam o apóstolo Paulo em Romanos 5:3 quando ele disse que a "tribulação produz a perseverança." De acordo com um comentador da Bíblia, a palavra que é traduzida por perseverança ou paciência quer dizer "firmeza, a capacidade de manter-se firme sob as dificuldades." 

Fonte: http://www.gospelcom.net

terça-feira, 30 de julho de 2013

O ANEL VERDADEIRO

... fazei tudo para a glória de Deus" 

1 Coríntios 10:31

Conta-se uma velha história sobre um rei que tinha um lindo anel e três filhos. Cada um dos filhos queria o anel do pai. Quando o rei morreu, deixou três anéis iguais e uma carta que dizia: "Meus filhos queridos. Um desses anéis é o verdadeiro e os outros dois são falsos. A maneira de saber quem está usando o anel verdadeiro é que será amável e generoso para com todas as pessoas". Cada um dos três filhos passou o resto de suas vidas fazendo o bem, para provar que era o que tinha o anel real.

O mesmo acontece com a religião. O caminho para mostrar que sua religião é verdadeira não depende de brados fervorosos sobre ela e sim de vivê-la completamente.

A vida espiritual é vivida com humildade e naturalidade.

Quando é essa a nossa forma de viver, não precisamos proclamar, nem insistir, nem colocar notas nos jornais. A nossa maneira de viver fala por nós e todos sentem e percebem que somos filhos de Deus e que as nossas atitudes glorificam o Seu nome.

De que adianta eu dizer que devemos ter fé, que não devemos abandonar a esperança diante de um a dificuldade qualquer, que Cristo enche nossas vidas de alegria, que confiamos em Sua proteção, se o que sou mostra o contrário? Quando Cristo está presente em nossas vidas, o brilho que todos veem em nós é o maior sermão que poderíamos pregar.

Os filhos do rei mudaram a maneira de viver para que todos pensassem que o "seu anel" era o verdadeiro. Nós, filhos do Pai celeste, queremos usar o anel verdadeiro, não aquele que nos torne melhores que os demais, mas o que nos ensine a fazer tudo para a glória de Seu nome.

Se nossas atitudes glorificam o nome do Senhor, somos verdadeiros e o "nosso anel" também.

Paulo Roberto Barbosa

domingo, 28 de julho de 2013

EQUIPE DE RESGATE

"Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido" 

Lucas 19:10

Um grupo de escoteiros foi usado como "cobaia" em um treinamento de emergência. Um falso terremoto foi produzido e os escoteiros fizeram o papel das pessoas feridas que deveriam ser levadas para as unidades de emergência. Um escoteiro deveria ficar deitado, no chão, e aguardar o grupo de resgate, mas, os responsáveis pelos primeiros socorros se atrasaram e o escoteiro ferido ficou deitado por várias horas. Quando o grupo de socorro chegou ao local onde devia estar a vítima, encontrou apenas um bilhete que dizia: "Tendo sangrado até a morte, foi para casa..."

Até que ponto temos compreendido que fomos chamados como um grupo de resgate para buscar aqueles que estão perdidos? Com que pressa temos lidado com as pessoas que não experimentaram a bênção de conhecer a Cristo e recebê-lo no coração? Temos sido negligentes, ignorando os necessitados do mundo, como fizeram aqueles que deixaram o jovem esperando o socorro?

Jesus é nosso Salvador e Senhor e espera de nós a determinação de buscar todos aqueles que estão caminhando pelo mundo, sem saber o que fazer ou para onde ir. Ele nos chamou, nos ungiu e nos enviou aos campos áridos do pecado para levar a água do Evangelho para os sedentos e desanimados.

Muitos estão angustiados, enfraquecidos, feridos na alma e ansiosos por uma mão que os resgate de seus sofrimentos. Estão esperando e... o que estamos fazendo? O que tem sido prioritário para nós? Jesus veio buscar os perdidos e conta conosco para continuar Sua obra.

Assim como aquele escoteiro, que cansou de esperar e foi para casa, muitos irão procurar o socorro necessitado em outros lugares, talvez piores do que aquele onde ele se encontrava.

Você vai ficar acomodado ou vai se apresentar imediatamente para o resgate?

Paulo Roberto Barbosa

sábado, 27 de julho de 2013

TERRÍVEL ENGANO

 um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte

Provérbio 14.12

No Século XVII, Galilei Galileu afirmou que a terra girava em torno do sol. Isto teve grande repercussão em sua vida. Foi convocado a Roma para apresentar defesa no tribunal do Santo Ofício. Foi excomungado, condenado a prisão, viveu isolado, alheio ao convívio social e morreu cego. Galileu foi vítima de um terrível engano.

Quantas vezes agimos assim? Acusamos, julgamos, condenamos, humilhamos as pessoas "erradas" quando na verdade elas estavam certas e nós errados. Um dos ensinamentos de Jesus é "Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles;"

No Livro de provérbios, Salomão fala do nosso modo errôneo de ver a vida e de muitas vezes nos enganarmos sobre nossas escolhas. Há caminhos que parecem ser direito (bom, o melhor), mas findam em dor, tristeza, tragédia, morte.

Que Deus nos ajude a fazermos escolhas saudáveis e nos livre desses terríveis enganos, para não trazermos mal sobre nós e os outros. Minha oração hoje é vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.

Fandermiler Freitas

LIDAR CONSIGO MESMO

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O SAPATEIRO E O REFORMADOR

“A ética cristã não contém nenhuma partícula de joio – ela é trigo puro”

Um exímio sapateiro, que fora evangelizado por Martinho Lutero, decidiu mudar de vida. Ele era um profissional muito requisitado em sua época, por ser o melhor produtor de sapatos de couro de búfalo, costurados à mão. Em compensação, cobrava muito caro por cada um dos pares que confeccionava, e por isso, se tornara um dos homens mais rico daquela cidade. Assim como o Reformador Lutero, ele descobriu que a Bíblia era o Livro que faltava em sua vida, e passou a devorá-la com os olhos e a se encantar com cada versículo e capítulo lidos... Certa vez, em um de seus encontros com Martinho, ele perguntou ao mesmo:

- O que eu devo fazer agora que conheço o Evangelho? Qual deve ser o meu chamado?

A resposta do reformador foi surpreendente para o sapateiro, do mesmo modo que surpreenderia muitos de nós hoje, Lutero simplesmente disse:

- Faça um bom sapato e venda-o pelo preço justo.

Diante deste pequeno relato, podemos fazer uma reflexão a respeito do desafio de ser ético em um mundo tão arbitrário, em que vivemos. Talvez muitos ainda não tenham atentado para o significado real de ser um “pequeno Cristo” no cotidiano... Precisamos ser luz, e alumiar os ambientes e as pessoas ao nosso derredor... Alguns ainda pensam que Deus exige uma formalidade religiosa para o recebê-Lo: ser pastor, presbítero, missionário, apóstolo, levita, diácono, obreiro, líder de célula, professor de Escola Dominical, Educador infantil e etc... Mas eu lhes pergunto: Do que adiantará um bom título, se a pessoa estiver manchada por um currículo reprovado?

Não é preciso muito esforço para encontrarmos gentes se escondendo dentro dos templos: são profissionais desonestos, pais que educam mal seus filhos, patrões que exploram seus funcionários, pastores que assumem o sacerdócio pela estabilidade financeira e não pelo amor e piedade, frequentadores interessados em só encontrar um par amoroso, músicos e vocalistas buscando status e honra pra si, e por aí vai...

Neste carrossel de interesses pessoais, o homem contemporâneo parece ocupar o lugar do príncipe de Maquiavel, o qual na defesa de seus sonhos e ambições faz o possível e o impossível pra sempre sair ganhando em todas as relações de troca em que ele se envolve, seja elas afetiva, financeira ou de qualquer valor. O que fica subentendido nas entrelinhas desta pós-modernidade é que ser ético significa ser um otário, um “mané”, alguém totalmente quadrado, ou seja, ganhar pela ética é perder na relação, agir pela ética é deixar de lucrar... que horror!

Para a Igreja isso é triste, pois a ética é um ponto de luminosidade no mundo; agir a partir dela é dizer NÃO de forma retumbante ao curso pedagógico deste mundo. A ética, mesmo expressando-se numa atitude unilateral e individual, é sem dúvida um dos maiores exercícios de espiritualidade que o homem pode fazer.

Ser ético é adorar ao Pai em todos os instantes e em todos os lugares; é mostrar na prática a frase que diz “Jesus vive em mim”.
 
Cícero Volney

quinta-feira, 25 de julho de 2013

VIDA EXEMPLAR

Há alguns anos, o governo comunista da China mandou um escritor escrever uma biografia do missionário Hudson Taylor com o objetivo de torcer os fatos e provocar descrédito no seu trabalho.

Enquanto o autor fazia a sua pesquisa, ficou bastante impressionado com o caráter santo e a vida dedicada de Taylor, concluindo que sua tarefa seria demasiadamente difícil de executar. Mesmo sabendo que estaria arriscando sua vida, colocou de lado sua caneta, abandonou o ateísmo e recebeu o Senhor Jesus como seu Salvador pessoal.

Nosso exemplo, queiramos ou não, influencia a muitos que estão ao nosso redor. Nosso testemunho poderá conduzi-los à eternidade com Deus ou sem Ele. Somos luz para o mundo e essa luz não pode, de maneira alguma, permanecer apagada.

A nossa vida é uma pregação constante e nossos amigos a ouvirão sempre que se encontrarem conosco. Quando Cristo é o principal tema de nosso viver diário, as trevas se dissipam, os escarnecedores se colocam à margem, os indiferentes são motivados, o sol das bênçãos de Deus brilha com mais intensidade.

É grande a nossa responsabilidade e precisamos estar bem conscientes disso. Seria muito bom se, a exemplo de Daniel, ninguém pudesse encontrar coisa alguma de que nos acusar a não ser o fato de vivermos para adorar e glorificar o nome de Cristo. Os acusadores seriam envergonhados, o mundo seria envergonhado, o diabo seria envergonhado, o nome de Jesus seria exaltado, os céus estariam em festa e a felicidade seria total em nossas vidas. Se alguém buscasse motivos em sua vida para desmoralizá-la, o que encontraria? Muita coisa errada ou apenas o reconhecimento de que você realmente tem uma vida exemplar?

terça-feira, 23 de julho de 2013

FELIZ É O OUTRO

Tem um conto japonês milenar que é mais ou menos assim: Em uma planície, viviam um Urubu e um Pavão. Certo dia, o Pavão refletiu:

- Sou a ave mais bonita do mundo animal, tenho uma plumagem colorida e exuberante, porém nem voar eu posso, de modo a mostrar minha beleza. Feliz é o Urubu que é livre para voar para onde o vento o levar.

O Urubu, por sua vez, também refletia no alto de uma árvore: "Que infeliz ave sou eu, a mais feia de todo o reino animal e ainda tenho que voar e ser visto por todos, quem me dera ser belo e vistoso tal qual aquele Pavão."

Foi quando ambas as aves tiveram uma brilhante idéia em comum e se juntaram para discorrer sobre ela: cruzar-se seria ótimo para ambos, gerando um descendente que voasse como o Urubu e tivesse a graciosidade de um Pavão... Então cruzaram... e daí nasceu o peru: que é feio e não voa!

Moral da história: "Se tá ruim, nem vem com gambiarra que piora!"

sábado, 20 de julho de 2013

QUANDO DEUS USA AS VÍRGULAS

Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios. 


Sal 90:12


Uma vírgula é um sinal de pontuação que tem como função dar uma pausa para que o leitor compreenda todo o sentido de uma frase. Diferente do ponto que indica que a frase terminou, a vírgula nos anuncia que ainda há continuidade.

A vida da gente é cheia de pequenas pausas. São interrupções necessárias que tem como finalidade nos ensinar algo sobre a vida ou nos preparar para algo maior. Deus põe vírgulas pelo caminho por algum motivo especial que só o futuro dirá. A história de José é um exemplo claro disso.

1. Quando a vida muda tragicamente. José vivia no conforto do lar. Mas um dia, foi tirado de sua casa e vendido para um povo distante. De filho querido e herdeiro de grandes terras tornou-se um escravo.

2. Quando a calúnia nos alcança. Quando parecia que José havia dado a volta por cima e tudo começava a melhorar, ele foi acusado de trair seu senhor. Sua sorte mudou rapidamente e foi parar numa sela escura na prisão.

3. Quando as pessoas esquecem de você.  José estava na prisão há cinco anos, quando interpretou o sonho do copeiro. Tudo o que ele pediu em troca foi que ele falasse do seu caso a Faraó. No entanto, dois anos se passaram e o copeiro havia esquecido-se dele.


Em muito momentos da vida, pensamos que Deus se esqueceu de nós, as coisas vão mal, as pessoas são sensíveis e o silêncio faz tudo parecer triste e mortal. É duro quando Deus usa vírgulas...Mas é necessário.


Quando José saiu da prisão para reinar no Egito as vírgulas ficaram para trás, apenas como lembranças de que Deus jamais nos abandona e nem nos deixa só. Ele nos ama e quer sempre o melhor para nós. Creiamos que Deus sempre sabe o que faz e as vírgulas são importantes e necessárias antes que chegue o ponto final.

O FUTURO

quinta-feira, 18 de julho de 2013

ESTAMOS COMPROMETIDOS?

"O SENHOR chamou a Samuel, e disse ele: Eis-me aqui" 

1 Samuel 3:4

O compromisso é visualizado negativamente porque ele limita nossa capacidade de nos parecer independentes e livres, de experimentar novas coisas, mudar nossas mentes em determinado momento e enfocar interesses próprios em vez de ajudar outros. As pessoas se comprometem apenas quando o resultado esperado for maior do que o sacrifício comprometido. (George Barna)

Qual tem sido o nosso compromisso diante do Senhor? E quando nos comprometemos, o fazemos por amor à obra de Deus ou esperando que as bênçãos sejam maiores do que o nosso compromisso? Ele é fruto de nosso amor ao Senhor ou apenas um jogo de interesses?

Quando nos comprometemos a amar ao nosso irmão, não o fazemos para que o nosso irmão nos ame ainda mais e sim porque o Senhor nos tem amado grandemente. Quando nos comprometemos a sair e buscar os perdidos, o nosso propósito não deve ser o de ter uma coroa mais valiosa no Céu e sim porque o que já temos recebido tem sido maravilhoso e gratificante. Quando nos comprometemos a testificar das coisas do Pai não devemos, com isso, querer um lugar especial nas moradas celestiais e sim dizer ao mundo o quanto somos felizes por tudo o que o Senhor tem nos dado.

O nosso compromisso é por Amor a Deus, por gratidão ao sacrifício de nosso Salvador, porque estávamos perdidos e agora fomos achados, porque caminhávamos sem rumo e agora somos guiados por Jesus, porque éramos tristes e agora desfrutamos de grande felicidade.

Eu tenho um compromisso com o Senhor: pregar a Sua Palavra por todos os lugares do mundo onde puder alcançar. Este não é apenas um simples compromisso, mas o segredo de toda a minha alegria, a razão de todo o meu viver. Eu quero continuar sendo luz do mundo, sal da terra, bênção em todas as ocasiões. O meu compromisso não tem por objetivo alcançar coisas grandes e sim Louvar a Deus por tudo de grande que Ele já me deu.

O Senhor me chamou e eu respondi: "Eis-me aqui". Estou comprometido com ele. E você?

Paulo Barbosa

quarta-feira, 17 de julho de 2013

A MULHER E O GÊNIO

Havia uma mulher corcunda magoada com o mundo, que vivia magoada com seu terrível calombo nas costas. A mulher andava curvada, rastreando os cantos com seus olhos tristes, mal humorada, até que um dia encontrou um objeto mágico onde há séculos vivia um gênio, que se materializou na sua frente oferecendo-lhe quatros pedidos por sua libertação.

A mulher fez o primeiro: “Eu queria ter uma casa mais bonita do que a chata da Dona Maria, aquela mulher fofoqueira...”

Zás!!! Apareceu-lhe uma casa maravilhosa. 

Veio o segundo pedido: “Eu queria ter um carro muito mais bonito, possante e moderno do que o infeliz do Seu Zé.”

Zás!!!! Surgiu em sua frente um carro sensacional.

Assim fez o terceiro pedido: “Eu queria ter mais jóias do que a Dona Joana, aquela intragável.”

Zás!!! Apareceram-lhe jóias maravilhosas.

Foi a vez do quarto e último pedido: “Agora, gênio, eu quero que você realize meu último pedido: Que suma aquilo que traz as amarguras da minha vida, meu desgosto, meu maior defeito...”

E Zás!!!!... Sumiu-lhe a língua....

ILUDIR


terça-feira, 16 de julho de 2013

APRENDER A TREINAR SEU FILHO

O parto da girafa é feito com ela em pé, de modo que a primeira coisa que acontece ao recém-nascido é uma queda de aproximadamente dois metros de altura. Ainda tonto, o animal novinho tenta firmar-se nas quatro patas, mas a mãe tem um comportamento estranho: ela dá um leve chute e a girafa-filhote cai de novo no chão.
 
O processo se repete várias vezes, até que o recém-nascido, exausto, já não consegue ficar em pé. Nesse momento, a mãe novamente o instiga com a pata, forçando-o a levantar-se. E já não o derruba mais. A partir daí, ele se levanta sozinho, com forças, e consegue ficar firme de pé. A lição é simples: para sobreviver aos animais predadores, a primeira lição que a girafa deve aprender é levantar-se rápido para fugir dos inimigos.
 
Portanto, a aparente crueldade da mãe-girafa tem a importante função de treinar, educar o filhote, para que não seja devorado pelos outros animais selvagens. Esse aprendizado vai ser fundamental para a própria sobrevivência da espécie. Que você possa aplicar esta lição com amor, para treinar e educar seus filhos, pois vivemos dias difíceis. Grave isto: O mesmo sol que amolece a manteiga, endurece o barro.

Fonte: http://servoporemlivre.blogspot.com.br/2012/10/aprende-treinar-o-seu-filho.htm

FILHOS

sexta-feira, 12 de julho de 2013

TOMAI SOBRE VÓS O MEU JUGO

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.

Mateus 11:29 


Jugo, ou canga, é uma trave de madeira que se coloca sobre o pescoço dos bois para puxar o carro ou o arado e, figuradamente, significa domínio, submissão. Na época de Jesus, por exemplo, a Palestina estava sob o jugo romano, ou seja, sob o domínio dos romanos.

Quando Jesus andava neste mundo, ele escolheu seus discípulos e andou com eles por 3 anos, ensinando-os a viver, agir e pensar como um cidadão dos céus. Fez milagres, curou doentes e mudou vidas sem esperança. No entanto, nem por um momento ele deixou de exigir de seus seguidores um comprometimento sério com Deus.

A Bíblia diz que muitos dos discípulos ouvindo os ensinos de Jesus disseram: "Duro é este discurso; quem o pode ouvir? ...Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele." (João 6.60 e 66)  

Seguir a Jesus nunca foi tarefa fácil, pelo contrário, sempre exigiu comprometimento, mudança de pensamento e ação. O mestre não aceitava meio termo, não existia faz de conta. Quem quisesse segui-lo tinha que tomar sua cruz.

Hoje, fico pasmo, ao ver igrejas pregando um viver completamente descompromissado com as doutrinas de Jesus. Um discípulo que vive e pensa assim não pode ser aceito pelo Mestre. Não é possível enganar a Deus! A Bíblia deixa claro que Jesus tem um jugo e Ele exige que todo aquele que decidiu segui-lo o tome sobre si.

Fandermiler Freitas

MEU SONHO

quinta-feira, 11 de julho de 2013

LEMBRADO POR DEUS

Lembra-te de mim para bem, ó meu Deus, e de tudo quanto fiz a este povo.

Neemias 5:19

Quanto Thomas Edson Morreu nos EUA, aos 84 anos, em 18 de outubro de 1931, as luzes das casa foram apagadas por um minuto em sua homenagem; Em 31 de Janeiro de 1948, quando Gandhi foi assassinado, aproximadamente 500 mil pessoas, na Índia rendeu-lhe uma última homenagem. O que este homens tinham em comum? Realizaram grandes obras, fizeram a diferença em seu tempo. E após a sua morte foram lembrados por seus feitos.

Neemias abandonara uma carreira promissora e empenhara-se na construção de um muro que beneficiaria pessoas que não conhecia, mas amava; enfrentou inimigos poderosos, pôs-se em perigo e até arriscou a própria vida, mas afinal viu realizado o seu empenho.

Neemias ganhou o respeito do povo e foi reconhecido em Jerusalém por sua dedicação e amor ao próximo. No entanto, O seu maior desejo era que Deus se lembrasse dele e de todas as obras que ele fizera em favor do povo.

Ah! Se nosso coração tivesse o desejo de não ser esquecido jamais por Deus como o mundo seria melhor, como a vida seria menos dura e mais igualitária. Que Deus nos dê a sabedoria necessária para vivermos uma vida que produza o bem a quem nos cerca.

Fandermiler Freitas

quarta-feira, 10 de julho de 2013

O SENTIDO DA VIDA

O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância. Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas
João 10:10-11


Alguém falou com propriedade: “Hoje em dia a falta de um verdadeiro sentido para a vida impulsiona milhares de pessoas para as drogas, a violência, o desespero e o suicídio”. Um jovem de 16 anos escreveu em sua carta de despedida: “Queridos pais, por favor, não se culpem. Vocês me deram tudo o que podiam. Vocês não têm culpa. Mas é insuportável para mim não ter resposta para o sentido da minha vida. Já não posso agüentar esse absurdo. Por que devo viver se minha vida não serve para nada?”

A solução para o problema da falta de sentido para a vida começa com a aceitação do fato de que não somos produto do acaso. Deus é nosso Criador. Ele nos deu a vida. Querido leitor, você já pensou alguma vez que o próprio Deus quer que você viva? Além disso, Deus o fez com exclusividade, porque Ele não repete Suas obras. E Ele ama você.

Nisso se mostrou o AMOR de Deus: em que não tenha abandonado Suas criaturas à própria sorte quando caíram no pecado e se rebelaram contra Ele. Ao contrário, o Senhor pensou em salvá-las e para isso enviou Seu Filho como homem a este mundo como sacrifício pelo pecado. Jesus Cristo, o único que não cometeu pecado, morreu em lugar dos pecadores. Com o sacrifício de Sua vida pagou as culpas de todo aquele que clama pelo perdão divino.

Junto com o perdão, o pecador arrependido recebe uma nova vida, selada com o Espírito Santo. Uma vida totalmente nova, a vida do próprio Deus, que dá ao ser humano motivos para viver de maneira que agrade seu Criador e Senhor.

Fomos feitos para a glória de Deus. E esse é o sentido da vida. Qualquer outro propósito para o qual devotemos nossa existência será inútil, não trará satisfação nem significado. Pare um pouco e pense: qual o sentido da minha vida? Eu vivo para quê? Pergunte para Deus porque Ele criou você. Talvez você se surpreenda…


Extraído do devocional Boa Semente

terça-feira, 9 de julho de 2013

O RESTAURADOR DE QUADROS

Conta-se que certa vez o faxineiro de um museu de arte encontrou, num quarto de despejo, um velho quadro todo estragado, sujo, a pintura irreconhecível. O empregado ia levando o quadro com moldura e tudo para o lixo, quando o fato chegou ao conhecimento do diretor do museu, que quis ver a pintura. Realmente, o quadro parecia imprestável, mas o museu chamou um famoso restaurador de pinturas antigas para refazer o trabalho.

Removida a sujeira, corrigidas as ranhuras, o quadro se iluminou e deixou antever os vestígios de uma obra-prima. O restaurador trabalhou com perseverança e conseguiu restaurar a obra de tal maneira que muitos perguntavam se aquele seria o mesmo quadro. Quando viram, porém, a assinatura do autor da paisagem, restaurada com todos os detalhes, puderam compreender tudo.

O restaurador era filho do próprio artista. Ele não fez apenas um trabalho profissional. O seu amor de filho o inspirou a descobrir e restaurar a criação do pai. «O Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido» (Luc. 19:10).

Jesus veio ao mundo, trazido pelo amor do Pai, a fim de restaurar a criação de Deus e restituir-lhe a beleza e o brilho prejudicados pelo abandono causado pelo pecado.

INGRATIDÃO

domingo, 7 de julho de 2013

ESPERAR EM SILÊNCIO


Bom é aguardar a salvação do SENHOR, e isso, em silêncio.

Lam 3.26

Quando a situação não está fácil, costumamos buscar ajuda. Às vezes, gritamos, exigimos nossos direitos, ameaçamos, perdemos muitas vezes o controle, explodimos. Falamos demais.

Jeremias viveu uma situação assim quando Nabucondonozor sitiou Jerusalém. A cidade estava fechada. Nada entrava nem saia. Havia fome. Ninguém queria ouvir a Deus e, ele sofria ameaças, perseguições e era discriminado pela sociedade.

Quando a cidade foi invadida tudo foi destruído: o templo, os palácios. Os jovens foram levados cativos para Babilônia. Só restou destruição e miséria. No meio desse caos, Jeremias esperava em Deus como quem passa férias no Nordeste.

Isso muito me ensina: esperar em Deus é uma necessidade! É  preciso confiar mesmo quando tudo vai mal. O exemplo de Jeremias deve está constantemente diante de nós; Ele não grita, não acusa Deus, não reclama nem blasfemas.

Você confia em Deus? Então espere... Tenha fé... busque a presença do Pai... Louve-o com a alma e coração... fique em silêncio, porque só assim poderás ouvir Deus falar contigo.

Fandermiler Freitas

sábado, 6 de julho de 2013

A PERGUNTA DECISIVA

Numa universidade, dois amigos que cursavam medicina iam muito bem nas provas e trabalhos da faculdade. No final do semestre ambos tinham notas entre 9 e 10. Havia uma prova final no curso de Química, mas, a dupla estava tão confiante nas suas notas que resolveram passar um final de semana festejando com amigos de uma outra universidade.

A festa foi grande e também a ressaca. Ambos dormiram tarde demais e chegaram atrasados na universidade na Segunda, dia da prova final. Ao invés de tentar fazer o exame, a dupla procurou o professor depois com uma história que inventaram.

Os dois afirmaram que o carro deles teve um pneu furado e ficaram sem pneu de reserva. Segundo eles, demorou para consertar o pneu e isso resultou no atraso deles para o exame.

O professor considerou a história dos dois e concordou que daria uma segunda chance de fazer o exame no dia seguinte. Ambos estudaram para valer aquela noite e foram ao exame no dia seguinte na hora marcada.

O professor colocou ambos em salas separadas e os entregou o exame. Quando começaram o exame, perceberam que a primeira pergunta era uma questão fácil e valia um pontos. Animados, responderam à primeira pergunta e viraram a página. Na segunda página havia apenas uma pergunta – “Qual dos quatro pneus furou?” A resposta valia 9 pontos.

Autor desconhecido

sexta-feira, 5 de julho de 2013

PERDÃO INÚTIL

Uma história real acontecida nos EUA.

George Wilson foi condenado à morte em 1829.

Acusação: Latrocínio. Num assalto ao correio, havia matado um homem. Deveria morrer enforcado. Alguns amigos fizeram um veemente pedido de clemência ao então Presidente dos USA, Andrew Jackson. Sensibilizado, o presidente então concedeu o perdão a George Wilson.

Mas aconteceu o inesperado. Para surpresa de todos, o réu Wilson não aceitou o Indulto Presidencial. O juiz responsável pelo caso ficou perplexo. O que fazer? Deveria a sentença de morte ser cumprida ou não?

O caso foi devolvido ao Presidente e ao Supremo Tribunal e teve a seguinte decisão:

“O indulto para ter força de lei, necessita ser ACEITO pela pessoa em questão. É quase impossível de se crer que um condenado à morte recuse o indulto, mas se tal acontecer a sentença deverá ser cumprida”

George Wilson então, foi executado. Morreu enforcado apesar do indulto do Presidente!

Incrível, não? Mas é o que tem acontecido.

Esse relato antigo, porém, verdadeiro, ilustra o trágico desprezo que muitos dão à Graça de Deus oferecida para o perdão dos pecados da humanidade.

Deus enviou seu Filho, Jesus Cristo ao mundo e Ele veio em pessoa, para anunciar o perdão gratuito oferecido bondosamente pelo Pai de Amor. Recusá-lo é o pior erro e a maior loucura que um ser humano pode cometer em vida, pois, depois, na Eternidade, não existirá remédio, não existirá mais Perdão. Como está escrito: "Aos homens está ordenado morrerem UMA SÓ vez vindo após isso, o JUÍZO" - Hb 9.27

A humanidade está sob a sentença de morte por causa dos seus pecados. Estamos aprisionados neste planeta, aguardando apenas o dia da execução. Mas Jesus Cristo amorosamente, assumiu a nossa culpa na cruz oferecendo-se em nosso lugar. Ele desceu e morreu a nossa morte, removendo nossa penalidade, tornando-Se o nosso legítimo substituto. Por isso a Bíblia diz que Ele (Jesus) é nosso FIADOR diante do Pai, sabia? Então leia: “De tanto melhor concerto JESUS FOI FEITO FIADOR". - Hb 7.22

Assim, Ele agora nos oferece o gracioso perdão do Pai, tendo pago, em nosso lugar, a nossa "conta" humanamente, impagável. Contudo, alguém pode cometer a grande loucura de recusar o indulto do Supremo Juiz - o seu perdão. E o Perdão é uma transação de "mão dupla". A fim de que ocorra o Perdão, ele precisa tanto ser concedido quanto ACEITO pelo beneficiado, senão torna-se SEM EFEITO e a dívida então, deverá se paga pelo próprio devedor.

Na verdade, Deus tem tão alta consideração por nosso poder de escolha que jamais nos impõe Seu Perdão. Oferece-o livremente; anima-nos a aceitá-lo, mas a escolha final é nossa. Podemos recusá-lo, se assim o desejarmos, porém ao recusá-lo, assumimos as consequências...

ANTÔNIO ESTEVES

PERTURBAR O SONO

quinta-feira, 4 de julho de 2013

VENTOS E TEMPESTADES

Um escritor inglês, do século passado, conta em uma de suas obras que na praia perto de sua casa, uma coisa muito interessante podia ser vista com freqüência:

Um navio lançando a sua âncora no mar enfurecido. O navio dança sobre as ondas Parece estar sob o poder e à mercê delas. O vento e a água se combinam para fazer do navio o seu brinquedo. Parece que vai haver destruição; pois se o casco do navio for lançado sobre as rochas, será despedaçado.

Mas observamos que o navio mantém a sua posição. Embora à primeira vista parecesse um brinquedinho desamparado à mercê dos elementos, o navio não é vencido. Qual é o segredo da segurança deste navio? Como pode resistir às forças da natureza com tanta tranqüilidade? Existe segurança para o navio no meio da tempestade porque ele está ancorado!

A corda à qual ele está amarrado não depende das águas, nem de qualquer outra coisa que flutue dentro delas. Ela as atravessa e está fixada no fundo sólido do mar. Não importa quão forte o vento sopre ou quão altas sejam as ondas do mar... A sua segurança depende da âncora que está imóvel no fundo do oceano.

Muitas vezes nos sentimos no meio de uma tormenta, sendo jogados pelas ondas da vida para cima e para baixo e açoitados pelo vento da adversidade. Parece-nos, às vezes, que não conseguiremos sobreviver a determinados períodos de nossas vidas.

Sem uma vida espiritual, a nossa vida é como um navio sacudido pelo mar enraivecido das circunstâncias incontroláveis da vida. Mas, confiando em Deus, experimentamos sua presença e amor como âncora da nossa vida. Nos sentimos encorajados e esperançosos. Essa esperança mantém segura e firme a nossa vida, assim como a âncora mantém seguro o barco.

L. R. Silvado

terça-feira, 2 de julho de 2013

POR QUE CONSTRUIR MUROS?

Então lhes disse: Bem vedes vós a miséria em que estamos, que Jerusalém está assolada, e que as suas portas têm sido queimadas a fogo; vinde, pois, e reedifiquemos o muro de Jerusalém, e não sejamos mais um opróbrio.

Neemias 2.17


Tenho ouvido de algumas pessoas que Deus está no controle de tudo, que Ele faz o que quer e quando quer. Por isso, não há motivos para preocupar-se com o homem mal e seus desígnios, basta, a nós, esperarmos pacientes em Deus e em seu poder. Eu concordo e creio nisto. No entanto, é preciso compreender que Deus não é nosso servo para fazer tudo o que queremos e pensamos.

Em razão disso, duas coisas precisam ser ditas:

1. Confiança e fé não significam invalidez. Quando Deus tocou o coração de Neemias, ele era um oficial do alto escalão da corte persa que, abandonando tudo, foi para Jerusalém com o propósito de Reconstruir os muros. Neemias confiava em Deus? Ele acreditava que Deus poderia proteger seu povo? Será que Neemias cria no fato de que Deus era suficientemente capaz de salvar seu povo dos inimigos? Se a resposta for sim! Por que, então, Ele incentivou o povo a construir um muro?

2. Deus sempre espera de nós um pouco de ação. A Oração é fundamental e importante na vida de qualquer pessoa. Mas ela não é tudo. A fé é o desejo que nos move, que nos leva a encontrar a ação. Tiago diz que a Fé sem obras é morta.  Em João 14.12, o Senhor Jesus disse que aquele que nele crê fará grandes obras. Lendo isto, entendo porque Neemias tinha o desejo de construir aquele muro. Ele precisava externar o propósito de Deus em sua vida.

Construir um muro soa meio separatista, mas, às vezes, é preciso, não porque se perdeu a confiança em Deus ou em razão da incredulidade, muito pelo contrário, se faz necessário justamente porque Deus espera isto de você, porque a resposta de Deus para as orações de muitos é você.

Se você tem enfrentado um problema muito sério, grave, delicado e em oração suplica a Deus socorro, tens agido corretamente, mas é bom lembrar que, muitas vezes, Deus espera de nós mais que isso... Ele deseja que você tome uma atitude e que mova as engrenagens da fé.

Fandermiler Freitas

segunda-feira, 1 de julho de 2013

ALGO PRA SER SEMPRE LEMBRADO

“Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus.

Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus.” (Colossenses 3.1-3)


Nem sempre estamos conscientes do fato de que em Cristo estamos mortos para o antigo modo de vida com todas as suas aspirações terrenas e mundanas.

O que era um fim e grande objetivo da vida, passa a ser apenas um meio de subsistência da vida que temos no corpo.

Despertados que somos para a realidade de que o que permanece e prevalece são as coisas espirituais e não as carnais.

Todavia, não raro, tendemos a ficar de novo adormecidos quanto a estas verdades.

Então necessitamos ser novamente e novamente, alertados pelo apóstolo com estas palavras vigorosas do texto de Colossenses que nos fazem recordar a condição de novas criaturas espirituais que alcançamos em Cristo, sendo Ele próprio esta nova vida celestial e divina, que obtivemos pela graça, por meio da fé no seu santo nome.

Assim, será somente na comunhão com Ele, por permanecermos nEle, que acharemos vigor e alimento para a nova natureza recebida na conversão.

Daí a necessidade de concentrarmos o nosso pensamento nas coisas espirituais que são pertencentes ao céu, porque nosso espírito que se achava morto em delitos e em pecados, foi ressuscitado juntamente com Cristo, e Cristo é Deus, e Deus é espírito.

Silvio Dutra