quarta-feira, 30 de outubro de 2013

REINVENTANDO

Se a única ferramenta que você tem é um martelo, sua tendência será tratar todas as coisas como se elas fossem um prego.

Reinvenção é uma palavra típica da atualidade. Ela tem o seu lugar e a sua significação. De vez em quando você precisa separar um tempo em meio à correria para uma “reinvenção” da sua vida. Algumas perguntas são extremamente pertinentes nessas ocasiões. Perguntas como: “Estou caminhando na direção certa?” “O que realmente desejo desta vida?” “Tenho estabelecido alvos pessoais, financeiros e espirituais? O que preciso mudar em minha vida?

É muito fácil se tornar um escravo da rotina ao viver debaixo do mesmo padrão dia após dia, sem a capacidade de estabelecer alvos apaixonantes e desafiadores para a sua vida. São muitas as pessoas que se assemelham a alguém que dirige um veículo numa estrada lamacenta. As rodas se movimentam, mas não há progresso porque não há propulsão para a frente. Cria-se movimento, mas não um movimento de avanço, e logo da-se conta de que existe apenas uma mínimo de progresso em direção a um sonho.

Existem muitas coisas nessa vida que estão acima do seu controle, mas reinventar-se é algo que você pode fazer e está sob seu controle. Deus deu a você a liberdade de tomar decisões que podem trazer benefícios incríveis à sua vida. É necessário, porem, que você esteja aberto a mudanças, corajosamente disposto a crer num futuro melhor. Não permita que a sua vida ganhe a tediosa cor cinzenta. Se a reinvenção é importante em diferentes níveis, como no governamental, nos negócios, etc., ela se torna, porem, muito mais atraente no terreno pessoal. Considere a sua reinvenção pessoal…hoje!

Para Meditação:

E eu, Senhor, que espero? Tú és a minha esperança. Salmos 39:7

Nélio DaSilva
http://www.encorajamento.com/index.php

VIDA

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A GRANDE DÁDIVA

Um missionário na índia, depois do culto, pediu a todos os seus congregados que contribuíssem com alguma coisa para a construção de um templo. Na reunião seguinte, cada um trouxe uma coisa: pedras, madeiras, pregos, etc Uma velha senhora de cor negra veio à frente e, reverentemente, depositou a sua oferta em dinheiro. Era uma oferta de grande valor. O missionário estranhou que ela pobre, sem posses, depositasse ali uma oferta tão generosa.
Procurou-a depois do culto e perguntou como tinha conseguido tanto dinheiro. Então ela respondeu:

- Ah! pastor... eu não tinha nada para dar; não tinha nada para vender... vendi-me a mim mesma! Agora sou escrava, mas o meu coração continua livre para adorar o Senhor.

"E [Jesus], chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deitou mais do que todos os que deitaram na arca do tesouro; porque todos ali deitaram do que lhes sobejava, mas esta, de sua pobreza, deitou tudo o que tinha, todo o seu sustento" (Mc 12.43,44).

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

PARTILHAR BÊNÇÃOS

Aquele que vos der de beber um copo de água, em Meu nome, porque sois de Cristo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão. 

S. Mar. 9:41.

Alguns anos atrás, Sam Foss, escritor e viajante, chegou a uma cabana pequena e rústica situada no topo de uma colina, na Inglaterra. Viu ali por perto uma placa que dizia: "Sirva-se. Tome água fresca." A pouca distância ele encontrou uma fonte de água geladinha. Acima da fonte estava pendurada uma antiga caneca, e sobre um banco próximo havia uma cesta de maçãs e outra placa que convidava o transeunte a servir-se.

Curioso por conhecer as pessoas que demonstravam tanta hospitalidade para com estranhos, Foss bateu à porta. Um idoso casal atendeu, e Foss perguntou-lhes acerca da fonte d'água e das maçãs. Explicaram que não tinham filhos. O seu pedacinho de terra produzia uma reduzida colheita, mas como tinham abundância de água fresca, queriam simplesmente partilhá-la com quem passasse por ali.

- Somos muito pobres para dar dinheiro de esmola - disse o marido - mas achamos que deste modo podemos fazer algo pelas pessoas que passam por aqui.

Conta-se que o gesto altruísta daquele idoso casal inspirou o poema "A Casa Junto ao Caminho". Não são os grandes presentes dados com ostentação que o Céu mais considera, mas sim os pequenos atos de amor e bondade. 

Fonte: http://recursoshomiletica.blogspot.com.br/

CADA DIA


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

NÃO SE PODE ESCONDER

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;

Mateus 5.14

Existe um programa de TV chamado "Até que a morte os separe". Uma série sobre os crimes passionais mais impressionantes já ocorridos no Brasil. As histórias são sempre iguais: uma paixão avassaladora, uma festa de casamento deslumbrante, um homem maravilhoso e carinhoso, uma mulher apaixonada, brigas, traições, dinheiro e mortes.

O Senhor Jesus Cristo disse que não há como esconder uma cidade edificada sobre um monte, ela será sempre visível a todos. Do mesmo modo, uma pessoa não pode esconder o que há no coração por muito tempo. Ela até pode se camuflar de bondade, de carinho, de amor, viver entre os outros despercebidos, mas um dia, sua verdadeira essência surgirá.

Assim, foi Judas, que era filho do maligno. Ele não conseguiu esconder toda a sua maldade. Diz a Bíblia que ele procurou os Sacerdotes se prontificando a trair Jesus

Na verdade, nós somos atraídos pelo mal, pelo pecado, pela nossa própria cobiça. Somos pura fantasia... E não podemos esconder o que está em nós. É como uma luz acessa em meio à noite. É sempre visível.

Por mais que se negue, precisamos do Pai para que o melhor de Deus flua em nossa vida. Oxalá! Se o nosso coração fosse só luz e que esta luz iluminassem a todos os que nos cercam.

Fandermiler Freitas

OS OBSTÁCULOS

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

VENTO CONTRÁRIO

“Seja-vos feito segundo a vossa fé.” Mt 9:29

Há momentos da nossa vida em que os ventos parecem ser contrários. Nada dá certo! Nada funciona! Tentamos, tentamos, mas nada de resultados.

Esta é a conclusão a que chega Lucas pelo fato de que nada estava dando certo na viagem de Paulo, que queria chegar a Roma, mas não estava indo a lugar algum. Dois anos e meio preso, jogado de um lado para o outro, a vida andando em círculos, patinando, seus dias resumiam-se à vida monótona de uma cadeia.

Finalmente, parecia que tudo ia dar certo: ele conseguiu embarcar em um navio para Roma. Diz o texto que os ventos voltaram a soprar contrário e a viagem de Paulo tornou-se mais um problema, mais uma dificuldade e mais uma provação.

O que fazer quando tudo parece conspirar contra a nossa vida? O que fazer quando Céus estão blindados, Deus parece silente e o nosso barquinho começa a ser açoitado pelas ondas da vida?

Esse texto nos dá algumas dicas preciosas para enfrentar esses momentos de crise: Devemos reavaliar as nossas prioridades. A crise tem esse efeito didático, ela nos leva a reavaliar as nossas prioridades. E é exatamente isso o que Paulo e seus companheiros de viagem fazem naquele momento crítico da viagem. Diz o texto que eles não tiveram receio de jogar fora os seus pertences (
Atos27.18, 19 e 38).

A crise nos faz ver aquilo que realmente é importante e aquilo que não é. Então quando o barco das nossas vidas estiver sendo açoitado, é hora de revermos as prioridades, é hora de jogar ao mar aquilo que não tem muito valor, e nos agarrar àquilo que realmente importa.

Devemos nos agarrar às promessas iniciais de Deus. O navio estava prestes a sucumbir, mas havia alguém sereno dentro do barco. Quem era? Paulo. Porque ele tinha uma promessa inicial de Deus, dita pelo anjo que aparecera para ele na noite anterior: ele, apesar de todas as dificuldades, iria chegar a Roma para testemunhar de Cristo perante o César.

Os ventos eram impiedosos, o navio estava se partindo, mas Paulo estava sereno porque sabia que Deus jamais deixou de cumprir as Suas promessas. Portanto, quando o barco de nossas vidas não estiver indo a lugar algum por causa dos ventos contrários, agarremo-nos às promessas de Deus, porquanto são infalíveis.

Devemos lembrar que Deus não promete que seremos poupados dos sofrimentos, que promete seremos poupados no sofrer. Um anjo do Senhor aparece para Paulo, consola-o e anima-o. Porém, não o saca da tempestade. Dá ânimo, mas não lhe poupa do sofrer.

Nas horas difíceis, devemos nos lembrar dessas verdades que nos dão a certeza de que nossas vidas estão seguras nas mãos do nosso Deus e que toda crise obedece a um propósito determinado, durante um tempo determinado, dentro de Seu plano eterno.

http://salmo37.wordpress.com

terça-feira, 22 de outubro de 2013

EVITANDO QUE OS OSSOS SEQUEM

"O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos" 

Provérbios 17:22

Quando odiamos os nossos inimigos, damos a eles o poder sobre nossas vidas. Damos poder sobre nosso sono, sobre nosso apetite, sobre nossa felicidade. Eles dançam de alegria quando sabem que nos aborrecem. Nosso ódio não prejudica a eles mas a nós mesmos, fazendo de Nossos dias e nossas noites um grande inferno." (Dale Carnegie)

Muitas vezes perdemos nossa paz e nossa tranquilidade simplesmente por causa de outras pessoas. Ficamos zangados, enraivecidos, angustiados, desesperados e, na maior parte das vezes, sem nenhuma necessidade.

Não seria melhor ignorar os que nos querem mal? Não seria melhor orar por eles? Não seria melhor entregá-los nas mãos de nosso Salvador? Se não conseguirmos transformá-los em amigos, pelo menos não perderemos a estabilidade emocional e nem perderemos o gozo de vivermos como verdadeiros cristãos, cheios de regozijo e bênçãos.

Quando estamos alegres, nossos dias são floridos e perfumados. Quando estamos tristes, não conseguimos sequer ver o brilho das estrelas. Quando estamos alegres, os pingos da chuva parecem entoar canções maviosas. Quando estamos tristes, até os raios de sol se mostram opacos e enegrecidos. O ódio e o rancor tornam nossos dias sempre tristes e os nossos ossos começam a secar pela falta do elixir da alegria chamado "amor".

Não quero que meus ossos sequem. Não quero ter a alma conturbada e melancólica. Não quero que outras pessoas controlem o meu coração e a minha felicidade. Eu quero perdoar, quero esquecer, quero viver em paz com todos. Quero viver dias de puro prazer e alegria.

Eu quero o amor de Deus. Eu quero o Deus vivo comigo, eu quero ser completamente feliz!

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

MEU BARQUINHO


E o Espírito do Senhor se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do Senhor.

I Samuel 16.14

Há dias em que a gente se sente só, cansado, angustiado, revoltado, incompreendido. Parece até que o mundo está contra nós. Os amigos não têm a resposta a nossa angústia, o coração não consegue ter a calma necessária e perdemos o controle fácil.

Saul era um homem assim, tornara-se rei de Israel, tinha riquezas, soldados, mulheres, mas não possuía paz. Constantemente era afligido pela depressão, um espírito o atormentava. Ele perdera o equilíbrio necessário para ser rei. Não conseguiu mais distinguir entre o certo e o errado. Movia-se unicamente pelo que sentia não pela razão e se esquecia do amor e da verdade que deve reger nossas vidas.

Todo mundo tem dias de Saul, a vida nos deixa tão perturbados que não sabemos o que fazer. Mas é preciso ter calma e saber esperar em Deus. Nossa vida é como um barco em alto-mar. Sopra o vento, as ondas são grandes, a tempestade castiga, à noite é escura, mas nada dura para sempre.

Quando tudo estiver ruim, lembre-se que os discípulos tiveram um dia assim, depois de remarem a noite inteira, uma tempestade os afligiu e estava preste a afundar o barco, mas Jesus veio ao seu encontro e trouxe a paz e a calmaria.

Quando tudo estiver muito complicado vá até Jesus e peça ajuda, o Pai nunca abandonou um filho seu.

Giselli Cristina - Meu Barquinho

domingo, 20 de outubro de 2013

O AMOR DE DEUS


Alguma vez você já parou para pensar o quanto Deus te ama? O quanto seu carinho e cuidado são grandes por você? Muitas vezes nós encontramos tão religiosos que não damos a verdadeira importância ao Amor de Cristo! Talvez você esteja assim, talvez você seja convertido a tanto tempo que esqueceu a unção do primeiro Amor, esqueceu que o verdadeiro cristão não vive só de cultos aos domingos, redes de jovens aos sábados e acampamentos, um verdadeiro cristão vive como filho de Deus, que tem, e busca intimidade com o Pai, que se preocupa em adorá-lo em espírito e em verdade!

Eu não sei como anda a sua vida nesse exato momento mais sei de uma coisa O NOSSO DEUS sabe e está querendo fazer uma verdadeira reforma em tudo que a religiosidade desgastou! Deus quer uma vida nova pra você! Deus quer te usar e fazer de você mais que vencedor! Hoje eu quero que você pense na sua vida com Deus e em como você tem servido ao nosso Senhor, será que aquele fogo do Espírito ainda continua aceso em você? Ou infelizmente o tempo e a religiosidade o apagaram? Se agora você se encontra frio na fé se derrame diante do nosso Deus e peça a Ele que faça uma reforma em você, uma reforma no seu amor e principalmente no seu propósito de servi-lo com intimidade!

Eu não sei onde você está precisando de restauração mais Jesus sabe e está disposto a te ajudar, está disposto a fazer com que você tenha uma vida de santificação pois o que Ele realmente quer é fazer maravilhas em sua vida!!! Acredite no que Deus tem pra você, Ele te ama e quer te usar!

Patrícia Alves

VERDADEIROS AMIGOS


sábado, 19 de outubro de 2013

ELE MORA AQUI

"O Senhor teu Deus está no meio de ti, poderoso para te salvar; ele se deleitará em ti com alegria; renovar-te-á no seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo" 

Sofonias 3:17

Muitos anos atrás, próximo à residência real inglesa, na Ilha de Wight, foram levantadas várias casas para os pobres e idosos. Um missionário, visitando algumas das pessoas de idade avançada que ali moravam, perguntou a uma senhora: "A rainha Vitória já lhes visitou aqui?" "Oh, sim," foi a resposta. "Sua Majestade frequentemente vem nos ver." Então, desejando saber se a mulher era cristã, o missionário perguntou: "O Rei dos reis já fez alguma visita aqui?" A senhora, abrindo um largo sorriso, respondeu: "Não senhor, Ele não visita aqui -- louvado seja Deus, Ele mora aqui. É por isso que nós somos ricamente abençoados!"

Muitos de nós, em diversas ocasiões, recebemos a visita de Deus em alguma circunstância. Sentimos grande alegria no coração por uma graça recebida, chegamos mesmo a testemunhar da grande maravilha operada pelo Senhor, e continuamos a viver a nossa vida de indiferença ao Salvador que, mais do que uma bênção passageira, quer perdoar nossos pecados e dar-nos a salvação e a vida eterna.

Lembro-me de uma irmã que durante alguns meses esteve na igreja orando e pedindo a todos que intercedessem por uma bênção de que tanto necessitava. Após algum tempo Deus a atendeu e todos ficamos muito felizes. A irmã desapareceu das reuniões e ninguém sabia o motivo. Ao ser encontrada, um dia, na rua, foi-lhe perguntado a razão de ter sumido dos cultos. A sua resposta foi: "Eu não estou precisando de Deus para nada no momento."

Por que devemos nos contentar com relances da glória de Deus se podemos contar com Sua presença constante em cada passo de nossas vidas? Por que ser apenas espectadores ou ouvintes das grandes maravilhas que Deus opera se podemos ser participantes de cada uma delas? Por que tê-lo como visitante passageiro se podemos abrir as portas de nosso coração para que Ele ali faça morada?

Quando o assunto é Jesus, você pode dizer "Ele mora em mim?"

Paulo Roberto Barbosa

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

O MUNDO ESTÁ POBRE

"Com efeito, passa o homem como uma sombra; em vão se inquieta; amontoa tesouros e não sabe quem os levará" (Salmos 39:6).
 
"O mundo está pobre porque seu tesouro está enterrado no céu. Só os mapas desse tesouro estão na terra." (Calvin Miller)

O mundo não tem nada a oferecer para nós. Tudo que existe de verdadeiro valor está no Céu, e nós aguardamos o dia em que estaremos com o Senhor, em Suas moradas celestiais, desfrutando dos tesouros que Ele nos preparou, que estão relatados na Sua Palavra e gravados em mapas no nosso coração.

Nós somos ricos porque sabemos onde estão guardados os tesouros. Somos felizes porque sabemos que o Senhor colocou esses tesouros à nossa disposição. Descansamos perfeitamente porque sabemos que esses tesouros não podem ser roubados e nem consumidos por ferrugem ou traças.

Não somos pobres, como o mundo, porque não somos do mundo. Somos cidadãos dos Céus, herdeiros em Cristo, filhos benditos de Deus. Nossa vida no mundo é passageira, mas, nos Céus de glória, será eterna. Que grandiosa bênção!

Os mapas dos tesouros celestiais estão disponíveis para todos. Todos que amam ao Senhor; todos que têm prazer em ler a Sua Palavra; todos que compreendem que o mundo é enganoso e nada tem a oferecer. Os tesouros existentes na terra são falsos, provocam discórdia, semeiam egoísmo, levam à morte. Seu tempo de duração e a alegria que trazem duram muito pouco.

Os mapas dos falsos tesouros são difíceis de encontrar. Os mapas dos tesouros celestiais, pelo contrário, são encontrados facilmente. Deus quer que todos nós tenhamos os Seus tesouros, que nos alegremos neles, que os tenhamos para sempre.

Eu já tenho esses tesouros. E você?

Paulo Barbosa

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

VERDADEIRA LIBERDADE

Ele nos transportou do Império das trevas para o reino do Filho do seu amor.
Cl 1.13


Desde que o homem começou a registrar os seus conhecimentos, sentimentos, lutas, guerras e descobertas, é possível de se notar uma empreitada, um desejo ardente, independente do povo, da cultura e do tempo, pela liberdade.

Em nosso tempo, apesar da modernidade e das conquistas alcançadas pela sociedade, ainda é comum se ouvir o grito de liberdade ecoando pelas cidades, jornais, revistas, livros. Sempre tem alguém necessitando de algum tipo de liberdade.

A luta pela liberdade, sempre produziu morte, foi assim com Tiradentes, com centenas de seringueiros no Acre, etc. e nem sempre a sonhada liberdade produziu os frutos esperados.

A situação de todo homem diante de Deus, é de separado, de inimigo – Porque os vossos pecados fazem separação entre vós e o vosso Deus. Sendo assim, desde que o homem nasce, ele já nasce nessa situação e sem Deus no mundo, por isso, há uma grande necessidade de se conhecer a verdade.

E o que é a verdade? A verdade é que Deus amou ao mundo de tal maneira que Deus seu Filho Unigênito para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.

Assim se o homem conhecer essa verdade, e crer no poder que há na morte de Jesus Cristo, ele conhecerá a verdade, e ela o libertará de seu destino de pecador e de sua vida sem paz – isso significa que terá a vida eterna.

A liberdade verdadeira não é aquela que se preocupa em libertar o corpo, mas aquela que liberta a alma da condenação do inferno, o espírito das aflições psicológicas deste mundo e o coração das dúvidas e incertezas da vida. Quereis a verdadeira liberdade? Então, te aproxima de Deus e roga que te libertes.

Fandermiler Freitas

A MÃO DE DEUS

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

O GRANDE MILAGRE

O testemunho que dou a seguir, que poderia chamar de o grande milagre ou a vitória da fé, se refere às circunstâncias que acompanharam primeiro, um infarto do miocárdio que tive em 2006, e depois, um câncer de intestino em 2010.

Quando digo vitória da fé, não me refiro à capacidade de crer que seria curado, mas vitória da fé que é mediante a nossa comunhão com o Senhor Jesus Cristo. A fé que professamos n`Ele e em Sua Palavra. A fé que nos transformou em novas criaturas.

Muito bem, o grande milagre não foi a cura propriamente dita, mas a grande paciência, paz e alegria sobrenaturais que me foram concedidas pelo Poder da Graça, que pude experimentar com a presença do Senhor durante todo o longo período de ambas enfermidades.

Em nenhum dos casos fui impedido de ministrar e de continuar dando testemunho do grande amor e bondade do Senhor, porque era capacitado para isto pela graça de Jesus, e por vezes me surpreendia, quando nos cultos de adoração, me achava mais entregue ao louvor e adoração do Senhor, do que todos os demais membros da congregação que não padeciam de qualquer enfermidade. Ainda que não tivesse qualquer mérito para isto, senão por contar exclusivamente com a grande misericórdia e bondade de Deus.

Então o testemunho do grande milagre é este: Apesar de sermos pecadores limitados e imperfeitos, Deus é fiel em cumprir tudo o que nos tem prometido em sua palavra, de jamais nos desamparar ou abandonar, e de jamais nos deixar órfãos, pois estará conosco todos os dias, até a consumação dos séculos.

“Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.” (Hebreus 13.5)

“Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros.” (João 14.18)

“E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” (Mt 28.20)

Silvio Dutra

O QUE IMPRESSIONA


terça-feira, 15 de outubro de 2013

AS JANELAS DOURADAS

O menino trabalhava arduamente durante todo o dia, no campo, no estábulo e no armazém, pois os pais eram fazendeiros pobres e não podiam pagar a um ajudante. Mas, quando o sol se punha, o pai deixava-lhe aquela hora só para ele. O menino subia ao alto de um morro e ficava a olhar para um outro morro, distante alguns quilômetros. Nesse morro, via uma casa com janelas de ouro e de diamantes. As janelas brilhavam e reluziam tanto que ele era obrigado a piscar os olhos. Mas, pouco depois, ao que parecia, as pessoas da casa fechavam as janelas por fora, e então a casa ficava igual a qualquer outra casa. O menino achava que faziam isso por ser hora de jantar; então voltava para casa, jantava e ia deitar-se. Um dia, o pai do menino chamou-o e disse-lhe:

— Tens sido um bom menino e ganhaste um dia livre. Tira esse dia para ti; mas lembra-te: tenta usá-lo para aprenderes alguma coisa boa.

O menino agradeceu ao pai e beijou a mãe. Em seguida partiu, tomando a direção da casa das janelas douradas.

Foi uma caminhada agradável. Os pés descalços deixavam marcas na poeira branca e, quando olhava para trás, parecia que as pegadas o seguiam, fazendo-lhe companhia. A sombra também caminhava ao seu lado, dançando e correndo, tal como ele. Era muito divertido.

Passado um longo tempo, chegou ao morro verde e alto. Quando subiu ao topo, lá estava a casa. Mas parecia que haviam fechado as janelas, pois ele não viu nada de dourado. Aproximou-se e sentiu vontade de chorar, porque as janelas eram de vidro comum, iguais a qualquer outra, sem nada que fizesse lembrar o ouro.

Uma mulher chegou à porta e olhou carinhosamente para o menino, perguntando o que ele queria.

— Eu vi as janelas de ouro lá do nosso morro — disse ele — e vim de propósito para as ver de perto, mas elas são de vidro!

A mulher meneou a cabeça e riu-se.

— Nós somos fazendeiros pobres — disse — e não poderíamos ter janelas de ouro. E o vidro é muito melhor para se ver através dele!

Convidou o menino a sentar-se no largo degrau de pedra e trouxe-lhe um copo de leite e uma fatia de bolo, dizendo-lhe que descansasse. Chamou então a filha, que era da idade do menino; dirigiu aos dois um aceno afectuoso de cabeça e voltou aos seus afazeres.

A menina estava descalça como ele e usava um vestido de algodão castanho, mas os cabelos eram dourados como as janelas que ele tinha visto e os olhos eram azuis como o céu ao meio-dia. Passeou com ele pela fazenda e mostrou-lhe o seu bezerro preto com uma estrela branca na testa; ele falou do bezerro que tinha em casa, e que era castanho-avermelhado com as quatro patas brancas. Depois de terem comido juntos uma maçã, e se terem tornado amigos, ele fez-lhe perguntas sobre as janelas douradas. A menina confirmou, dizendo que sabia tudo sobre elas, mas que ele se tinha enganado na casa.

— Vieste numa direção completamente errada! — exclamou ela. — Vem comigo, vou-te mostrar a casa de janelas douradas, para ficares a saber onde fica.

Foram para um outeiro que se erguia atrás da casa, e, no caminho, a menina contou que as janelas de ouro só podiam ser vistas a uma certa hora, perto do pôr-do-sol.

— Eu sei, é isso mesmo! — confirmou o menino.

No cimo do outeiro, a menina virou-se e apontou: lá longe, num morro distante, havia uma casa com janelas de ouro e de diamantes, exatamente como ele tinha visto. E quando olhou, o menino viu que era a sua própria casa!

Apressou-se então a dizer à menina que precisava de se ir embora. Deu-lhe a sua melhor pedrinha, a branca com uma lista vermelha, que trazia há um ano no bolso. Ela deu-lhe três castanhas-da-índia: uma vermelha acetinada, outra pintada e outra branca como leite. Ele deu-lhe um beijo e prometeu voltar, mas não contou o que descobrira. Desceu o morro, enquanto a menina ficava a vê-lo afastar-se, na luz do sol poente.

O caminho de volta era longo e já estava escuro quando chegou a casa dos pais. Mas o lampião e a lareira luziam através das janelas, tornando-as quase tão brilhantes como as vira do outeiro. Quando abriu a porta, a mãe veio beijá-lo e a irmãzinha correu a pendurar-lhe ao pescoço; sentado perto da lareira, o pai levantou os olhos e sorriu.

— Tiveste um bom dia? — perguntou a mãe.

— Sim! — o menino passara um dia ótimo.

— E aprendeste alguma coisa? — perguntou o pai.

— Sim! — disse o menino. — Aprendi que a nossa casa tem janelas de ouro e de diamantes.

William J. Bennett
O Livro das Virtudes II – O Compasso Moral
Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1996

domingo, 13 de outubro de 2013

FLORES DE PERDÃO

"e, ao que quer demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa" 

Mateus 5:40

Um dia, quando Stan Mooneyham caminhava ao longo de uma trilha na África Oriental com alguns amigos, sentiu um delicioso perfume no ar. Ele olhou para cima, nas árvores, e ao redor, nos arbustos, tentando descobrir de onde vinha aquela maravilhosa fragrância. Percebendo o esforço de Stan, seus amigos lhe disseram que olhasse para baixo, para as pequenas flores azuis ao longo do caminho. Enquanto eles esmagavam as minúsculas flores com os pés, elas lançavam seu perfume no ar. Seus amigos lhe disseram: "Nós as chamamos de flores do perdão". Elas não esperam que lhe peçamos perdão por esmagá-las. Não lançam seu perfume em pequenas doses, nem aguardam que façamos com elas um acordo recíproco. Não esperam por desculpas; elas perdoam livremente, completamente, ricamente. Que exemplo comovedor de perdão ultrajante!

E nós, estamos prontos e dispostos a perdoar? Estamos preparados para esquecer o mal que nos fazem e, em vez de revidar ou de nos vingar, entendemos que o Senhor deseja que nossas atitudes, mesmo quando somos feridos, sejam de puro amor? Estamos convictos que devemos brilhar mesmo quando as dores nos estimulem a manter a luz apagada?

O revide mais eficaz de um verdadeiro cristão está em estender a mão a quem lhe vira as costas; é sorrir com simpatia a quem lhe fecha o semblante com rancor; é ajudar a vencer a alguém que trabalhe para que só alcance derrotas.

O mundo jaz no maligno -- nós caminhamos na presença de Deus. O mundo armazena egoísmo -- nós distribuímos generosidade. O mundo prega a incredulidade -- nós cremos e compartilhamos fé.

Se uma pessoa insistir em tirar-lhe a paz, aproveite e ofereça-lhe também o seu amor, a sua esperança, a sua alegria, a sua vida abundante, uma mão para ajudá-la a chegar ao Céu.

Semeie, a cada dia, flores de perdão em seu coração. O mundo ao seu redor será muito mais bonito, mais agradável, mais perfumado.

Paulo Barbosa

PERDOADO E ESQUECIDO

sábado, 12 de outubro de 2013

A HISTÓRIA DE DUAS FAMÍLIAS

Grandemente se regozijará o pai do justo e quem gerar a um sábio nele se alegrará.

Provérbios 23.24-35

Há 300 anos na Inglaterra, Ricardo Eduardo, um conceituado advogado casou-se com Elizabete Tuttie; o filho dessa união, Timóteo Eduardo, tornou-se um dos fundadores da famosa Universidade Yale. Ele, por sua vez, foi o pai de Jonatas Eduardo, um famoso professor e filósofo inglês.

Todos os descendentes dos Eduardos incluem nada menos de 265 pessoas de educação superior, 12 reitores de universidades, 65 professores, 60 médicos, 100 pastores, 75 oficiais do Exército, 80 escritores, 3 membros do Congresso americano, 2 senadores e 1 vice-presidente dos EEUU.

Em contrapartida, um dos contemporâneos de Jonatas Eduardo, Max Jucke, marginal da Nova Inglaterra, que também teve uma longa lista de descendentes, teve em sua família 300 mortos na infância, 310 mendigos profissionais, 440 aleijados por doenças crônicas, 50 prostitutas, 60 ladrões, 7 assassinos e 53 condenados por outros crimes.

Coincidência?

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A VIDA E A BOLA

A vida é como jogar uma bola na parede.
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca,
Se a bola for jogada com força,
Ela voltará com força:
Por isso, nunca “jogue uma bola na vida,”
De forma que não esteja pronto para recebê-la .
A vida não dá nem empresta;
Não se comove nem se apieda.
Tudo quanto ela faz é Retribuir e transferir
Aquilo que nós lhe oferecemos.

Albert Einstein

CIENTISTA RUSSO AFIRMA TER DESCOBERTO UMA MANEIRA DE FOTOGRAFAR O MOMENTO EM QUE A ALMA DEIXA O CORPO; ENTENDA

A morte é a única certeza da vida, já dizia o pensador. Agora, com o avanço da ciência, cada vez mais o momento da morte torna-se alvo de estudos e pesquisas. O cientista russo Konstantin Korotkov divulgou que pode fotografar o momento exato que a “alma” deixa o corpo.

Usando uma câmera bioeletrográfica, Korotkov diz ter captado o momento exato em que a energia sai do corpo de uma pessoa morta. A essa energia captada, o cientista chamou de “alma”.

A imagem é obtida através do método de visualização de descarga de gás (Gas Discharge Visualization), com uma técnica avançada de fotografia chamada Kirlian, que exibe a força de vida da pessoa em tom azul deixando o corpo gradualmente.

De acordo com Korotkov, umbigo e cabeça são as partes que a “alma” se desprende primeiro, e a virilha e o coração seriam as áreas que a energia deixa por último. O cientista afirmou também que nos casos de morte violenta e inesperada, a “alma” se manifesta em estado de confusão e leva dias para deixar o corpo morto. Para ele, isso pode acontecer porque a alma pretende utilizar toda a energia que o corpo possuía ou porque tem medo de deixar aquele corpo.

A técnica desenvolvida por Korotkov, que é diretor do Instituto de Pesquisa de Cultura Física em São Petersburgo, é apresentada como uma tecnologia médica do Ministério da Saúde da Rússia e é usada por mais de 300 médicos em todo o mundo para monitorar estresse e progresso dos pacientes tratados para certas doenças, como o câncer, de acordo com informações do Acontecer Cristiano. O cientista disse ainda que sua técnica de visualização da “alma” poderia ser usado para observar todos os tipos de desequilíbrios biofísicos e diagnosticá-los em tempo real, além de poder conferir se uma pessoa realmente tem poderes psíquicos ou é uma fraude.

Questionamentos

Embora o estudo de Korotkov ainda vá se tornar alvo de muitas análises, diversas perguntas já surgem quanto ao trabalho que o cientista afirma ter realizado.

A primeira delas se dá sobre o momento da morte. Ao longo dos anos, a percepção sobre esse instante mudou bastante. Antigamente, quando a ciência ainda não estava avançada o bastante, a morte era declarada com o fim dos batimentos cardíacos, e atualmente, através de técnicas de reanimação dos pacientes, médicos consideram o momento da morte quando o cérebro para de funcionar.

Outras dúvidas referem-se à alma. Entre religiosos, a crença de que a alma existe é quase unânime, mas entre cientistas, essa pergunta não tem uma resposta definitiva. Em caso de existir, as perguntas subsequentes são: onde fica a alma enquanto o corpo tem vida e qual o peso da alma?

Os estudos do cientista russo são uma amostra de até onde a busca pelo conhecimento pode levar as descobertas sobre a vida e a morte, mas não podem ser considerados definitivos, por não responder a todas as dúvidas sobre o assunto.
 
Fonte: http://noticias.gospelmais.com.br

CORAÇÕES PARTIDOS


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

A PROSPERIDADE DE DEUS

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores... Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.

Salmo 1.1,3

Nunca a alma humana desejou tanto a prosperidade como nos dias atuais. Não sei se por causa do espírito capitalista que nos envolve ou da ilusão de felicidade vendida pelas propagandas. Na verdade, vivemos num mundo que nos vende a fantasia de que a felicidade é um caminho que passa sempre pelo verbo possuir. A prosperidade é a ação de somar bens e conquistas na vida, de modo que a situação final do homem é de riquezas.

A Bíblia, no entanto, define o homem próspero de um modo bem diferente. Enquanto o mundo pensa em bens e posses, Deus pensa na família e no espírito. 

Segundo Salmista, o homem bem-aventurado (feliz) tem como resultado de suas ações a prosperidade. E ser próspero neste contexto significa que ele vive em paz com o seu próximo, tem uma família feliz e serve ao Senhor. Tenho visto muitos homens prósperos segundo o mundo que trocariam toda a sua riqueza e prosperidade por um momento de paz e felicidade.

Não é raro a notícia de suicídio ou de tentativas frustradas. E quando observamos as pessoas envolvidas, algumas delas tinha tudo pra viver uma vida feliz, mas o seu coração não encontrava a paz nem tinha a esperança. O suicídio foi a forma encontrada  para amenizar o desespero e agonia da alma. 

Por isso, nem por um momento passe pela sua cabeça que ser próspero implica em ter os bens desta terra. Isso é ser rico! A prosperidade de Deus vai além do que enchem os olhos, ela implica em ter uma família feliz, um casamento feliz e uma vida de paz, alegria, mesmo que a realidade momentânea seja de dor, escassez e tristeza.

Fandermiler Freitas

PROGRAMA A LIGA MOSTRA PREGAÇÃO EM RUAS, PRESÍDIO E BAILE FUNK

O programa “A Liga” desta terça-feira (1º) mostrou os diferentes lugares onde missionários cristãos (católicos e evangélicos) evangelizam, muitos deles improváveis quando pensamos em encontrar a Palavra de Deus como bailes funks e entre moradores de rua do Centro da capital paulista.

O apresentador Casé acompanhou quatro missionárias católicas da Pastoral que pregam em um presídio de Franco da Rocha. Além de lerem a Bíblia, elas oram com os detentos e deixam a mensagem de Deus.

Thaíde acompanhou o Pastor Aranilton Babão que levou um grupo de pagode para evangelizar moradores de rua da chamada Crackolândia, no centro da cidade de São Paulo. Ali eles entregam alimento, oram e conversam com usuários de drogas.

Ainda no Centro da capital paulista, Mariana Weickert acompanha a pastora Nildes e voluntários da Igreja Quadrangular que fazem um trabalho de pregação junto aos moradores de rua, usuários de drogas e travestis.

Outro local visitado pelo “A Liga” foi um evento gospel na Baixada Fluminense, no Rio, a apresentadora Rita entrevistou o funkeiro Adriano, famoso por usar este estilo musical para evangelizar. Adriano é filho de pastor e é o principal representante do funk gospel.

O pastor Babão comenta que se converteu depois de ficar preso, viciado em álcool ele foi evangelizado por uma vizinha que profetizou que um dia ele seria um servo de Deus. Ao sair da cadeia ele passou a evangelizar, trabalho que faz até hoje.

A pastora Nildes comenta que o trabalho social surgiu quando ela olhou através da janela de sua casa e enxergou a dificuldade das pessoas. Em sua opinião todos os evangélicos deveriam sair de suas confortáveis igrejas para atender ao pedido de socorro dessas pessoas.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

COMO UM TIJOLO

"Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores"
 
1 Timóteo 6:10

O dinheiro, em si mesmo, não é um mal. O amor ao dinheiro o é. O dinheiro é como um tijolo. Você pode usá-lo para construir uma catedral ou para esmagar a cabeça de alguém. O dinheiro, por si só, não é do bem nem do mal. A cobiça é a raiz de todo o mal. (Paul W. Powell)

Sabemos que o dinheiro faz parte da vida de todos. Sem ele, quase nada conseguimos fazer. E até que ponto temos sabido lidar com o dinheiro? Que importância ele tem tido em nossas vidas, especialmente na espiritual?

O missionário Paulo, personagem importante nas Sagradas Escrituras, diz que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. E o que ele quis dizer com isso? Que é pecado ter dinheiro, ou querer possuí-lo? Claro que não. O dinheiro, usado com sabedoria diante de Deus, é uma grande bênção, não somente para quem o tem como para aqueles que são abençoados por aqueles que o tem.

Mas quando esquecemos o que é correto, o que é honesto, o que é verdadeiro, o que é puro, em busca de riquezas, então desagradamos ao Senhor e afastamo-nos de Sua presença. Quando usamos o dinheiro para "comprar a bênção de Deus" também estamos pecando. Quando gastamos mais do que ganhamos, quando não colocamos limites no uso do dinheiro que Deus nos dá, mergulhando em dívidas e em aflições, também estamos nos afastando do Senhor e de tudo que Ele pode nos proporcionar.

Se queremos ser aprovados por Deus no uso do dinheiro, devemos colocar o que ganhamos e as nossas necessidades no Seu altar. Deus nos orientará e, se necessário, multiplicará o nosso salário. Ele fará cair sobre nós e a nossa casa "chuvas copiosas de bênçãos".

Seu dinheiro tem sido usado para construir um altar para adorar a Deus ou um muro para suas lamentações?

Pr. Paulo Roberto Barbosa

terça-feira, 8 de outubro de 2013

O REI E OS SÁBIOS

Conta-se que certa vez, num longínquo país do oriente, um rei muito prepotente e malvado, numa reunião em seu palácio, pergunta aos sábios do seu reino:

 - Quem é mais poderoso, eu ou DEUS?

Os sábios ficaram numa situação difícil. Se falassem que era DEUS, o rei mandava degolar a todos, se falassem que era ele, era realmente um absurdo, pois nem ele mesmo iria acreditar ser mais poderoso que o próprio DEUS! 

O rei percebendo o embaraço deles falou :

- Voltem daqui a três dias com a resposta, neste mesmo lugar!

Os sábios preocupados, reuniram-se para pensar, no entanto, a resposta não surgia, até que o mais humilde dos sábios falou :

- Podem deixar que darei a resposta adequada !

O que foi aceito com prazer. Mas logo ele que falava tão pouco!!! Que iria ele dizer ? Pensaram os outros .

Chegado o momento, o rei no seu palácio, junto com os sábios, perguntou:

- Sábios do meu reino, quem é mais poderoso, eu ou DEUS?

Nesse instante levantou o sábio indicado e disse :

- Sois vós !

- Mas porque sou eu? falou o rei com a arrogância que lhe era peculiar.

- Porque vós podeis me expulsar do vosso reino, enquanto que DEUS jamais me expulsaria do d'Ele.

domingo, 6 de outubro de 2013

NÃO DEIXE DEUS TE ABANDONAR

Vendo Saul o acampamento dos filisteus, foi tomado de medo, e muito se estremeceu o seu coração. 

1 Samuel 28:5


Quando o Senhor se torna nosso inimigo, Ele se volta contra nós e nos abandona, o inimigo realmente consegue vir sobre nós com grande poder.

O rei Saul teve medo quando viu o inimigo, porque Deus o deixara.

O coração do rei Saul tremia . Ele não sabia como enfrentar os filisteus, porque Deus o abandonara.

É possível que um precioso servo escolhido por Deus, ungido pelo profeta Samuel, abençoado pelo Senhor, com grandes vitórias em Nome do Senhor, chegue a um estado como o do rei Saul?

Creio, filho de Deus, que você e eu devemos ser muito cuidadosos em nossa vida. Não devemos pecar contra o Senhor, mesmo com todas as bênçãos que Ele tem nos dado. Devemos aperfeiçoara nossa salvação com temor e tremor , e andar humildemente na presença do Senhor.

É possível entristecer o Espírito de Deus e sentir que a bênção de Deus se foi. Esta é apenas uma advertência. Portanto, teremos o cuidado de logo pedir o perdão de Deus, voltar para Ele e recorrer à sua misericórdia se cairmos.

Humilhe-se hoje perante Deus, caminhe com Ele, e você será mais que vencedor.


Fiquem todos na Paz do Senhor!

Pr. Adilson

EU NÃO TENHO ÍDOLOS


quinta-feira, 3 de outubro de 2013

A PEDRA REJEITADA

Vocês já leram nas Escrituras que a pedra rejeitada pelos construtores passou a ser a mais importante do edifício? Isto é obra do Senhor e é uma coisa admirável de se ver.

 Mc. 12:10 (Bíblia Viva).


Uma antiga tradição rabínica diz que, quando foi construído o templo de Salomão, as pedras maciças para as paredes e os alicerces foram cortadas da rocha viva e modeladas na própria pedreira, sendo depois transportadas para o monte onde se erguia o templo. De acordo com a história, uma pedra de tamanho incomum foi levada para o local, mas os construtores não encontraram o lugar certo para colocá-la, de modo que ficou de lado, sem uso. Enquanto continuavam o trabalho do alicerce, aquela pedra parecia estar sempre no caminho deles.

Durante longo tempo permaneceu negligenciada e até rejeitada.

Então, um dia, os construtores chegaram ao local onde devia ser colocada a pedra angular. Para poder suportar o tremendo peso do templo, a pedra precisava ter tamanho e resistência enormes.

Tentaram colocar várias pedras, mas nenhuma era apropriada. Por fim, a atenção deles foi chamada para a pedra rejeitada fazia tanto tempo. Exposta às intempéries durante aqueles anos todos, ela não revelava nenhum defeito ou rachadura e, quando colocada no devido ângulo, encaixou-se perfeitamente.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Quem Será o Próximo a Chorar?

Não sabemos quem será o próximo a chorar e a lamentar por causa de seus pecados.

Mas uma coisa sabemos com plena certeza, a saber, que todo aquele que chora será consolado pelo Espírito Santo com a concretização da promessa de ser perdoado e salvo.

Afinal, Jesus não tem dito: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados”?

Deus fez esta promessa de curar, guiar e consolar a todos os que chorarem entre os pecadores, por saberem o quanto o pecado entristece o coração do Senhor.

“Isa 57:18 - Tenho visto os seus caminhos e o sararei; também o guiarei e lhe tornarei a dar consolação, a saber, aos que dele choram.”

Se você ler todo o capitulo de Isaías 57, você verá que esta promessa maravilhosa foi feita a qualquer tipo de pecador, pois até mesmo aqueles que estavam oferecendo seus filhos em sacrifício ao falso deus Moloque, achariam graça e misericórdia diante de Deus caso viessem a se arrepender com profunda tristeza do pecado horrendo que haviam praticado.

Esta promessa se refere portanto ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio do qual toda e qualquer transgressão tem sido perdoada aos homens que se arrependem.

Assim, portanto, quem será o próximo a chorar e a lamentar a sua triste condição pecaminosa, para que ache o perdão e a salvação em Jesus?

Silvio Dutra