sábado, 31 de outubro de 2015

O ESPÍRITO DA GRAÇAS

O Espírito Santo não é apenas o agente que manifesta a Graça de Deus em nossas vidas, mas podemos afirmar que Ele mesmo é a própria manifestação da Graça:

Quão mais severo castigo, julgam vocês, merece aquele que pisou aos pés o Filho de Deus, profanou o sangue da aliança pelo qual ele foi santificado, e insultou o Espírito da graça?
Hebreus 10:29

O contexto não é muito agradável, mas a declaração é clara: Espírito da graça. O Espírito Santo tem várias atribuições na Igreja, e uma das mais importantes é guiar os salvos à verdade e glorificar ao Senhor:

Mas quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falará de si mesmo; falará apenas o que ouvir, e lhes anunciará o que está por vir. Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e o tornará conhecido a vocês. Tudo o que pertence ao Pai é meu. Por isso eu disse que o Espírito receberá do que é meu e o tornará conhecido a vocês. 
João 16:13-15

Este é o ponto onde quero chegar. A graça começa atuando na vida do homem trazendo-o até o Salvador e vai evoluindo, fazendo-o reconhecer a Jesus como Senhor. Mas felizmente, não para por aí.

A Graça Salvadora tem dois aspectos:

Entre Deus e o Homem, no sentido vertical, e entre os homens, no sentido horizontal.

Conforme reconheceu John Bevere, citado no início desta reflexão, a Graça capacita o homem para algo maior.

Minha definição de Graça, neste ponto mais avançado é esta:

“A Graça de Deus é a capacitação concedida pela habitação do Espírito Santo na vida do homem, dando-lhe os dons que o levam a agir cada vez mais como o Seu Senhor.”

Porque a Graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens. Ela nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente, enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo.
Tito 2:11-13

Todos recebemos da sua plenitude, graça sobre graça.
João 1:16

Dessa forma o amor está aperfeiçoado entre nós, para que no dia do juízo tenhamos confiança, porque neste mundo somos como ele.
1João 4:17

Mas, se alguém obedece à sua Palavra, nele verdadeiramente o Amor de Deus está aperfeiçoado. Desta forma sabemos que estamos nele: aquele que afirma que permanece nele, deve andar como ele andou.
1João 2:5-6

O texto citado em Tito nos diz que a Graça nos dá a esperança de uma manifestação gloriosa do Senhor e creio que esta manifestação é para a caminhada ainda neste mundo e não apenas para a eternidade:

enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo.
Tito 2:13 

Esta maravilhosa Graça nos foi concedida exatamente para esta finalidade: Sermos realmente os enviados do Senhor e Salvador Jesus Cristo, para andar como Ele andou e dar continuidade às obras que Ele começou, manifestando a Sua gloriosa presença em nós.

Este é o sentido horizontal da Graça Salvadora. Somos o corpo de Cristo.

A Graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês.
2Coríntios 13:14


Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;
Hebreus 12:14

Marcelo Tristão de Souza

JULGAR OS OUTROS


sexta-feira, 30 de outubro de 2015

VALE A PENA SER JUSTO

“Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor.” 

Salmo 34.15 

Em dias como os nossos em que a iniquidade se tem multiplicado, e nos quais a corrupção aumenta, os justos se tornam cada vez mais raros, e por conseguinte, mais valiosos aos olhos de Deus.

São como o ouro que é valioso por conta de sua raridade.

Vale a pena investir em ser justo, sempre, e especialmente agora, porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos para fazer-lhes bem.

“Porque o Senhor é justo, e ama a justiça; o seu rosto olha para os retos.” (Salmo 11.7) 

Silvio Dutra

INCOERÊNCIAS

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

LUTANDO CONTRA SI MESMO

E se tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira para longe de ti; porque te é melhor que perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
Mateus 5.30


Todo mundo, por mais forte que seja ou mais poderoso que possa parecer, tem sempre alguma fraqueza, algo que lhe deixa vulnerável ao ataque dos inimigos.

Conta a Bíblia que Sansão era um homem poderoso, desafiava todos os inimigos e sempre saia vitorioso. Mas um dia quando os inimigos descobriram a sua fraqueza ele foi derrotado, foi humilhado e sua história caminhou para um triste fim.

Quando Jesus Cristo ensinava aos seus discípulos mencionou a passagem acima, desejava que eles tivessem conhecimento disso – “Na verdade o Espírito está pronto, mas a carne é fraca” – e por ainda estarmos neste corpo, somos desafiados todo dia pelo mal, pela carne, pelos nossos desejos.

Quando o homem tem conhecimento de suas delimitações e fraqueza, ele percebe que não é nada diante de seus inimigos, e que não deve confiar em nada que não seja divino, principalmente em seu próprio Eu.

Parece muito rígido o que Jesus disse: “se tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira para longe de ti;”, a intenção do Mestre era demonstrar que temos que fazer escolhas, devemos ser rigorosos – se algo nos afasta de Deus, devemos destruir sua influência em nós, mesmo que esta atitude venha nos fazer sofrer.

Lembremos: Deus sempre exige o primeiro lugar, por isso terei que lutar contra mim mesmo, destruir os meus desejos, aniquilar qualquer forma de mal, mesmas as que estão intrínsecas em mim, independente da dor que isso venha causar.

Fandermiler Freitas

A MENTIRA

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

A PARÁBOLA DOS TRÊS LEÕES


Numa determinada floresta havia três leões.

Um dia, o macaco, representante eleito dos animais súditos, fez uma reunião com toda a bicharada da floresta e disse: “Nós, os animais, sabemos que o leão é o rei dos animais, mas há uma dúvida no ar. Existem três leões fortes. Ora, a qual deles nós devemos prestar homenagem? Quem, dentre eles, deverá ser o nosso rei?”

Os três leões souberam da reunião e comentaram entre si: “É verdade. A preocupação da bicharada faz sentido. Uma floresta não pode ter três reis. Precisamos saber qual de nós será o escolhido.” Mas, como descobrir?

Essa era a grande questão: lutar entre si eles não queriam, pois eram muito amigos.

O impasse estava formado.

De novo, todos os animais se reuniram para discutir uma solução para o caso. Depois de usarem técnicas de reuniões do tipo brainstorming, entre outras, eles tiveram uma ideia excelente. O macaco se encontrou com os três felinos e contou o que eles decidiram: “Bem, senhores leões, encontramos uma solução desafiadora para o problema. A solução está na Montanha Difícil.”

“Montanha Difícil? Como assim?” Indagaram os leões.

“É simples”, ponderou o macaco. Decidimos que vocês três deverão escalar a Montanha Difícil. O que atingir o pico primeiro será consagrado o rei dos reis.

A Montanha Difícil era a mais alta entre todas naquela imensa floresta. O desafio foi aceito. No dia combinado, milhares de animais cercaram a Montanha para assistir a grande escalada.

O primeiro tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.

O segundo tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.

O terceiro tentou. Não conseguiu. Foi derrotado.

Os animais estavam curiosos e impacientes, afinal, qual deles seria o rei, uma vez que os três foram derrotados? Foi nesse momento que uma águia sábia, idosa na idade e grande em sabedoria, pediu a palavra: “Eu sei quem deve ser o rei!” Todos os animais fizeram um silêncio de grande expectativa.

“A senhora sabe, mas como?” Todos gritaram para a Águia.

“É simples”, confessou a sábia águia. “Eu estava voando entre eles, bem de perto e, quando eles voltaram fracassados para o vale, eu escutei o que cada um deles disse para a montanha.”

O primeiro leão disse: “Montanha, você me venceu!”

O segundo leão disse: “Montanha, você me venceu!”

O terceiro leão também disse: “Montanha, você me venceu, por enquanto! Mas você, montanha, já atingiu seu tamanho final, e eu ainda estou crescendo.”

“A diferença”, completou a águia, “é que o terceiro leão teve uma atitude de vencedor diante da derrota e quem pensa assim é maior que seu problema: é rei de si mesmo. Está preparado para ser rei dos outros.

Os animais da floresta aplaudiram entusiasticamente ao terceiro leão que foi coroado rei entre os reis.

MORAL DA HISTÓRIA:

Não importa o tamanho de seus problemas ou dificuldades que você tenha. Seus problemas, pelo menos na maioria das vezes, já atingiram o clímax, já estão no nível máximo, mas você não. Você ainda está crescendo. Você é maior que todos os seus problemas juntos.

Você ainda não chegou ao limite de seu potencial e performance. A Montanha das Dificuldades tem tamanho fixo, limitado.

A fé inteligente é a energia de Deus dentro de você. Use-a como ferramenta de realização dos seus sonhos. Não preste atenção nas coisas que se veem, mas nas invisíveis (sonhos) que a fé dá acesso.

Em Cristo: Pr Melqui

PROBLEMAS


terça-feira, 27 de outubro de 2015

A VINGANÇA DO AMOR

Meu nome é Dabousu. Nasci na França e durante a Segunda Guerra Mundial defendi minha Pátria nos campos de batalha.

No ano de 1944 fui feito prisioneiro pela Gestapo (polícia alemã) e fui condenado à morte. Considerando que era casado e tinha quatro filhos, não me mataram, mas fui levado a um campo de concentração e condenado à cadeia perpétua.

Depois de nove meses, pesava somente 40 quilos. Meu corpo estava coberto de chagas. Quebrei o braço direito, e, devido á falta de recursos médicos, o osso se soldou fora do lugar.

No da 24 de dezembro meus pensamentos estavam, mais do que nos outros dias, voltados para minha família. Eu estava no meio da depravação e da sujeira e, em contraste, imaginava como estariam minha esposa e filhos. Mergulhado nestes pensamentos, um policial entrou no pavilhão onde eu e os presos dormíamos. Gritou meu nome. Apresentei-me a ele e me deu ordem para segui-lo. Levou-me à casa do comandante. Guiou-me até a sala de jantar onde o comandante estava assentado perante uma mesa preparada como se fosse o banquete de um rei. Que visão maravilhosa para os meus olhos famintos! No entanto, não me ofereceu sequer as migalhas.

Deixou-me parado, fitando-o, enquanto se regalava com as várias iguarias que estavam sobre a mesa. Assim passou o tempo; ele comendo e eu olhando-o.

Certamente, o comandante sabia que eu era um cristão no Senhor Jesus Cristo e escolheu esta maneira de torturar-me. Deve ter chegado a ele a notícia de que eu falava de meu Salvador a meus companheiros. Satanás tentou-me de maneira terrível. Soavam em minha mente estas palavras: "Como é, Dabousu, continuas crendo no Salmo 23? Nele não está escrito: "O Senhor é meu Pastor, NADA ME FALTARÁ?". Naquele momento orei fervorosamente ao Senhor, ao mesmo tempo que dizia para comigo mesmo: Sim, continuo crendo no Salmo 23. Continuo crendo na Palavra de Deus".

Naquele preciso momento, um rapaz chegou trazendo uma bandeja com uma xícara de café e vários pastéis. Os pastéis pareciam bem saborosos e o comandante comia-os com muita satisfação. Voltou-se para mim e me disse: "Sr. Dabousu, sua senhora é uma excelente cozinheira. Dou-lhe os meus parabéns por seu trabalho".

Quando o comandante percebeu que eu não o entendia foi mais explícito: "Há sete meses que sua esposa está enviando-lhe periodicamente um pacote com biscoitos, pastéis, tortas e todas estas coisas que está vendo sobre a mesa. Tenho apreciado muito a comida de sua esposa".

Agora eu estava entendendo o que ele quis dizer-me. Pensei em minha querida esposa e nas crianças. Do pouco que certamente teriam para comer, abstinham-se do melhor para que eu tivesse alguma coisa para comer. E ali estava um homem enchendo seu estômago com ricos manjares à custa de minha querida família.

Mais uma vez, o diabo veio tentar-me. A voz do tentador soava em minha mente: "Odeie-o, Dabousu, aborreça-o, maldiga-o, grite, bata nele..." Eu orei fervorosamente e Deus me ajudou. Nenhum sentimento de ódio encheu meu coração, porém, eu ansiava que ele me convidasse para comer. Mesmo que não me desse nada para comer, que pelo menos deixasse pegar naqueles alimentos feitos carinhosamente pelas mãos de minha esposa. Mas o comandante egoísta e glutão comeu tudo e depois me dirigiu palavras grosseiras. Finalmente, disse-lhe: "Senhor comandante, embora o Sr. tenha tantas coisas, na realidade é pobre. Quanto a mim, sou rico, pois sou salvo pelo sangue precioso do Senhor Jesus Cristo".

Após ouvir meu testemunho, seu furor acendeu-se contra mim de tal maneira que suas palavras passaram a cair sobre mim como uma cachoeira. Mandou-me de volta para o pavilhão, junto com meus companheiros.

Quando terminou a guerra fui libertado junto com os outros prisioneiros. Daquele dia em diante me propus a descobrir o paradeiro do comandante. A maior parte dos comandantes dos campos de concentração foram mortos. Este, porém, tinha escapado usando um disfarce. Durante mais de dez anos o procurei, até que por fim consegui descobrir seu paradeiro. Fui visitá-lo, acompanhado de um pregador do Evangelho. Inicialmente, fingiu não me reconhecer.

"Eu era o número 175 no registro do campo de concentração", disse-lhe eu. "O Sr. não se lembra do dia 24 de dezembro de 1944?"

Como uma folha estremecida pelo vento, o homem começou a tremer. Sua esposa, que estava a seu lado, ficou cheia de pânico. "Veio para vingar-se?", disse-me ela com voz temerosa e fraca. Eu respondi: "Sim, vim para vingar-me". Olhou-me atemorizada.

Abaixei-me para pegar um pacote que eu tinha trazido, abri-o e apareceu uma magnífica torta feita por minha esposa. Pedi à Sra. do comandante que nos preparasse um café. Quando ficou pronto, os quatro nos assentamos à mesa.

Enquanto comíamos, os olhos do antigo comandante se encheram de lágrimas. Implorou-me que o perdoas-se. Respondi-lhe: "Ali mesmo, enquanto o Sr. me perseguia, eu o perdoei em nome do Senhor Jesus Cristo".

Um ano mais tarde, o antigo comandante juntamente com sua esposa aceitaram o Senhor Jesus como seu Salvador. Continuaram na fé e deram evidências de que tinham nascido de novo. Guiados pelo Espírito Santo, eles entenderam o amor de Deus, derramado em nosso coração. Este mesmo amor nos ajuda a obedecer as palavras do Senhor Jesus Cristo. "Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos de vosso Pai celeste (Mateus 5.44-45)"

Fonte: Revista Plenitude nº 21 – Agosto/1984

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

O PIQUINIQUE DAS TARTARUGAS

Regozijo-me porque em tudo tenho confiança em vós.

II Corintios 7.16

Uma família de tartarugas decidiu fazer um piquenique. Levaram um dia para preparar o lanche, um dia para chegar ao local escolhido e um dia para ajeitar o local.

Quando iam começar a comer, descobriram que não haviam trazido o sal.

Após longa discussão, a tartaruga mais nova foi escolhida para voltar em casa e pegar o sal, pois era a mais rápida de todas.

Ela lamentou, chorou, e esperneou, mas não teve jeito; finalmente concordou em ir, mas com uma condição: que ninguém comeria até que ela retornasse.

Todos concordaram com sua condição e a pequena tartaruga saiu.

Cinco dias se passaram e a pequena tartaruga não tinha retornado. Ninguém mais aguentava de fome e resolveram comer. Nesta hora a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou:

- Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora que eu não vou mesmo buscar o sal.

SÓ COM O AMOR

domingo, 25 de outubro de 2015

QUEM É VOCÊ?

E disse-lhe Isaque seu pai: Quem és tu?...

Gênesis 27:32

Certo dia,  aproveitando uma viagem a cidade de Rio Branco, fui visitar um amigo que não via há muito tempo. Toquei a campainha várias vezes e do interfone uma voz doce de criança falou: Quem é você?

Hoje, eu estive pensando na profundidade desta pergunta. Nós costumamos respondê-la com o nosso nome, nossa profissão, nossos laços sanguíneos e etc. Mas na verdade exige muito mais de nós, ela nos remete a uma analise sincera do nosso interior.

1. Há pessoas que são como as folhas levadas pelo vento. Ninguém nunca terá certeza de onde elas vão nem do que serão capazes de fazer.

2. Existem outras que são como galhos levados pelas águas de um rio. Mais cedo ou mais tarde vão ficar encostados junto às margens ou presos em algum lugar. Nunca chegarão ao final;

3. Outras são como os salmões que enfrentam todos os obstáculos naturais de um rio para alcançarem seus objetivos, mesmo que isto lhe custe a vida.

4. Algumas pessoas são como o fogo. Não existem sozinhas e precisam sempre de motivação. Sente-se pequenas de mais sozinhas;

5. Têm pessoas que são como a brisa de verão. Suaves, carinhosas e agradáveis. Mas  ninguém lhe dá valor. Elas parecem sem importância até que a estação muda e sente-se falta dela.

6. Há pessoas que são como vulcões ativos, estão prestes a explodirem.

Quem sou eu? Que tipo de pessoa eu sou? Como eu poderia me definir à luz da verdade. Jesus deseja sempre o melhor para nós. Ele almeja que eu e você alcancemos o padrão de Deus: homens e mulheres de sucesso. Defina sucesso como alguém que está de acordo com o Padrão dos céus (Mateus 5 a 7).

Fandermiler Freitas

OS IDEAIS


sábado, 24 de outubro de 2015

OBEDEÇA À LEI MAIS DIFÍCIL

Talvez, o mais difícil de tudo seja, simplesmente, esquecer. Todos conhecemos a história do homem que foi mordido por uma cobra venenosa. Só há tempo para uma coisa: remover o veneno e sobreviver ou então, procurar a cobra para matá-la, e aí os dois morrem. Uma antiga lenda judaica diz que, depois de muito tempo, Caim e Abel voltam a se encontrar, em uma noite fria, em frente a uma fogueira. Ambos permanecem um longo tempo em silêncio, cada um no seu lado do fogo, até que Abel diz: "Eu não me lembro, por favor, diga-me: fui eu quem lhe matou ou você que me matou?" Essa é, na minha opinião, a verdadeira medida do perdão.

Amargura e ressentimento são venenos que acabam com qualquer felicidade e, às vezes, o melhor que podemos fazer, mesmo que tenhamos sido feridos por nosso cônjuge, é deixar de desenterrar o passado, solucionar as coisas cedo e esquecer. Às vezes, sentimo-nos fracos, sem forças para perdoar, para tomar esse remédio do esquecimento. Se precisar da ajuda de uma transfusão espiritual, peça por ela. Isso se chama oração. Orar é um remédio espiritual poderoso. As instruções para seu uso se encontram nas Escrituras.

Como disse recentemente o grande mestre, Henry B. Eyring, não existem duas famílias iguais, por isso não existem conselhos específicos que funcionem, mas há um caminho para a felicidade. E esse caminho é seguir todos os mandamentos. Isso se aplica a todos. Quando perguntaram a Jesus qual era o mandamento mais importante dos dez, disse dois que não estavam entre eles, e que podem resumir-se em um: "Ame". Certamente, isso vai levar ao perdão, e esse à paz.

Traduzido e adaptado por Sarah Pierina do original ¿Tienes resentimiento hacia tu pareja?, de Oscar Pech.

http://familia.com.br

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

2. RESOLVA OS PROBLEMAS CEDO

Deixe-me contar-lhe a história de um casal: alguém que eu amo muito estava varrendo o quintal de sua casa. A vassoura, no quintal, pegou sol, chuva, vento; seu cabo estava cheio de grandes farpas. Então, ao varrer, uma grande farpa entrou em seu dedo da mão direita. Ele tentou tirá-la, mas como era destro, quanto mais ele tentava tirá-la, mais ela entrava. A farpa era muito grande e dolorosa. Ele pensou em pedir ajuda a sua esposa, com quem havia acabado de discutir, mas ela é uma mulher com temperamento forte, que quando se irrita pode demorar semanas saboreando o doce líquido de seu anticongelante espiritual. Semanas nas quais ele se tornava, para ela, o homem invisível. Quando sua esposa finalmente falou, e pode ajudar, ela examinou seu dedo de má vontade, mas a farpa já havia entrado tão profundamente em seu dedo que não estava mais visível. E, apesar de não estar mais visível, ele não conseguiu mais voltar a dobrar seu dedo da mesma forma. Por isso, Paulo disse em Efésios 4:26: "Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira." Se você deixa o sol se por ainda sentindo a ira, quando acordar já não vai mais encontrar a farpa, e essas farpas o envenenam. Se você tiver que corrigir alguma coisa com seu cônjuge, mesmo que seja com grande esforço, não vá dormir sem resolver o problema. No dia seguinte, mesmo tendo sido difícil, você se sentirá melhor. Quem se acostuma a dormir sem resolver o problema, na esperança de que a noite "apague" as coisas, pode acabar fazendo seu cônjuge sentir o gosto do ressentimento.

http://familia.com.br

PERDOAR É LIBERTAR

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

VOCÊ TEM RESSENTIMENTO DE SEU CÔNJUGE?

Algum tempo atrás, alguém me disse: "Todos os começos de um relacionamento são maravilhosos, mas o final é sempre o mesmo". Eu não concordo com isso. Você pode ser feliz para sempre com seu cônjuge, se ambos aprenderem a caminhar lado a lado, com um objetivo em comum. Talvez, um dos maiores problemas seja quando alguém fere seu cônjuge, e isso não se resolve; quando alguém coloca em sua mente uma espécie de livro de contas com erros e defeitos de seu cônjuge. Borges, em Fragmentos de um evangelho apócrifo, escreveu: "Não odeie seu inimigo, porque isso torna você de alguma forma seu escravo. Seu ódio nunca será melhor do que sua paz". E esse é o título destas palavras. Pense, por um momento, o ressentimento o tornou um escravo de seu cônjuge?

O problema com o ressentimento é que, como todos os vícios, gera dependência e desenvolve tolerância. Quem o prova corre o risco de desenvolver o "gosto" pelo amargo ressentimento, pelo rancor e, de alguma maneira, aprecia-o. Se eu entendi bem, na verdade, o antídoto contra o ressentimento não é um, são vários. Vou citar somente três:
 
1. Pare de desenterrar o passado

Uma lenda diz que um monge e seu discípulo, no caminho para o mosteiro, tinham que atravessar um rio. Na beira, estava uma mulher muito obesa e elegante, que também queria atravessar, mas a água no rio estava muito alta. Então, o monge a colocou em seus ombros e a levou até a outra margem. Enquanto ele a colocava no chão, ela os olhou com desdém e foi embora, sem agradecer. O discípulo ficou furioso. Não disse nada, mas estava enfurecido por dentro. Caminharam vários quilômetros em silêncio e ao chegar ao mosteiro, o discípulo, irritado, virou-se para o monge e disse: "Ela era tão pesada…, e nem sequer agradeceu". O monge riu e disse: "Sim, eu a carreguei, e ela era pesada. Mas eu a deixei no rio, muitos quilômetros atrás. Você ainda a está carregando." O passado é muito pesado, tem extremidades tão afiadas que cada vez que você o toca, suas feridas tornam-se mais profundas. Pare de carregá-lo. Quando você deixar o passado no passado, quando parar de pensar o que seu cônjuge disse, fez ou deixou de fazer e dizer, sua vida irá tornar-se muito mais leve.
  
http://familia.com.br/

PARA JULGAR

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

DECEPCIONADO

Ele respondeu: Tenho sido em extremo zeloso pelo SENHOR, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derribaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só, e procuram tirar-me a vida.

1 Reis 19:14  

Elias era um homem de Deus e sempre seguiu a risca as ordens do Pai. Por vários anos tinha servido a Deus com amor e dedicação. Ninguém poderia dizer que ele não fora fiel e dedicado. Ele mesmo disse isso a Deus no versículo acima.

Durante sua vida, Elias sentiu o poder de Deus agindo: foi alimentado por corvos, orou e fogo caiu do céu e consumiu o altar, suplicou ao Pai e ele ressuscitou o filho da viúva, orou e houve seca sobre a terra, orou novamente e voltou a chover.

Mas agora, ele estava se sentido só, escondido no mais profundo de uma caverna. Estava em depressão, decepcionado com a vida. Havia servido a Deus e isso o tinha levado a um vale mui triste, a ponto de pedir para si a morte: Basta; toma agora, ó SENHOR, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais.

Mas Deus não abandona os seus, Ele foi até Elias com a seguinte pergunta: "O que fazes aí, Elias?". Sabe o que Deus queria dizer para Elias? 

1. O seu lugar não é aí.
2. Você precisa ver a verdade e a verdade é que você tem que passar por cavernas, mas não precisa permanecer nelas.
3. Você nunca vai está só.
4. Não se sinta decepcionado porque a história não terminou.

Deus levantou Elias do mais profundo de sua dor e decepção e o levou novamente a vida. É isso que Deus faz com todo a aquele que na tristeza e decepção ouve a sua voz.

Fandermiler Freitas

CONCENTRE-SE NO PRESENTE

terça-feira, 20 de outubro de 2015

O PROFETA


Um profeta chegou certa vez a uma cidade para converter seus habitantes. A princípio as pessoas ficaram entusiasmadas com o que ouviam, mas pouco a pouco a rotina da vida espiritual era tão difícil que homens e mulheres se afastaram, até que não ficou uma só alma para ouvi-lo.

Um viajante, ao ver o profeta pregando sozinho, perguntou:

-"Por que continua exaltando as virtudes e condenando os vícios? Não vê que ninguém aqui te escuta?"

E ele respondeu:

-"No começo, eu esperava transformar as pessoas. Se ainda hoje continuo pregando, é para impedir que as pessoas me transformem..." 

Fonte: http://www.bilibio.com.br/

PALAVRAS AGRADÁVEIS


segunda-feira, 19 de outubro de 2015

DEITAR EM PAZ E DORMIR

Em paz também me deitarei e dormirei, porque só tu, Senhor, me fazes habitar em segurança.
 

Salmo 4.8

Nos dias atuais, a vida tem se tornado complexa e cheia de preocupações.  A gente trabalha muito, corre para todos os lados e tem sempre muitas indagações. São os filhos, o emprego, a família, as dívidas e muitas outras coisas que afligem o coração.

A gente, por diversas vezes, se sente impotente diante da vida. Os problemas são maiores e mais forte que nós. O coração, então, esmorece e a alma sente o desânimo e o sono vai embora.

Certa vez, o próprio Senhor Jesus disse a uma mulher que se preocupava demais com os problemas: "Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas." e no sermão do Monte Ele falou a uma multidão sobre a necessidade de não se influenciar demais pelas preocupações da vida:"Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir."

O Salmista tinha um segredo para manter o coração tranquilo: Confiar em Deus! Ele dizia com tranquilidade era o segredo para deitar-se em paz e dormir tranquilo.

Fandermiler Freitas

CLARIDADE

domingo, 18 de outubro de 2015

MÃOS LIMPAS

Havia na Áustria, no século passado, um médico chamado Semmelweis. Ele trabalhava num hospital em que o número de enfermos que morriam era maior do que o dos que eram curados.

Intrigado com isso, começou a se perguntar: “Por que as pessoas saem daqui para o cemitério e não para casa? Por que morre mais gente do que sobrevive?” Um dia, ele notou que os médicos saíam da sala de cirurgia e vinham diretamente cuidar dos enfermos. Detalhe: sem lavar as mãos. Estava explicado! A partir daí, o hospital fixou uma norma: Todos os funcionários da área médica teriam que lavar as mãos antes de estar com os enfermos. A reclamação foi geral. Muitos achavam que era uma bobagem da cabeça do Dr. Semmelweis. Mas sabe o que aconteceu? As mortes diminuíram consideravelmente. Era só uma questão de mãos limpas.

Em nossa vida espiritual e emocional precismaos ter sempre as mãos limpas para que o mal não contamine todo o nosso ser.

AMIZADE

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

UM MAL ANTIGO

O que o olho não vê o coração não sente.

E com base neste princípio, valendo-se da ocultação e da clandestinidade, reis e poderosos da Terra, em grande número, pilharam e juntaram para si fortunas, especialmente por lançarem mão do erário público.

Ouvi certa vez alguém dizer que onde está o dinheiro ali estará o ladrão, numa alusão àqueles que procuram administrar finanças públicas e alheias.

Pode parecer que há um exagero nesta afirmação, mas ela se aplica e se demonstra válida no mundo real, em muitos casos, desde a mais remota antiguidade. 

Qual a razão disto?

Por que a necessidade de conselhos de fiscalização, de oposição a governos, que não raro também se corrompem em suas funções?

Por que os poderosos entendem que é um direito natural deles enriquecer à custa do empobrecimento e dominação de outros?

Por que a grande maioria não lesada pela prática nefasta a aprova e lamenta não ter também a oportunidade de ocupar o mesmo lugar daqueles que detêm o poder, com o intento de enriquecer ilicitamente?

A razão disso tudo se encontra na raiz do pecado original, quando o homem tinha tudo a seu dispor, quando Adão era o dono de tudo na Terra e não tinha qualquer concorrente, e ainda assim estava insatisfeito e queria mais poder por usurpá-lo do seu próprio Criador. 

Ele o fizera por sugestão do grande usurpador, satanás, o diabo, o qual ainda se encontra muito atuante no planeta Terra. 

Então há esta conjunção maldita da própria cobiça inerente ao coração humano decaído no pecado, e a insuflação deste pelo maior dos cobiçadores do universo. 

Qual poderia ser o resultado, quando há a oportunidade de pelo exercício do poder legitimado, de se satisfazer a cobiça sem limites que habita no coração?

Não admira que tantos que eram honestos quando viviam na pobreza e sem poder, sejam corrompidos facilmente quando acessam a posições onde poderão se valer de vantagens ilícitas para a obtenção de fama e riquezas.

Por isso somos ordenados na Bíblia a orarmos por todos aqueles que se encontram em posição de governo, para que tenhamos vida quieta e sossegada, que é agradável a Deus, livre dos malefícios advindos dos desmandos daqueles que poderão fazer coisas inimagináveis, quer por sua própria cobiça, quer pela dominação do diabo. 

A oração é a única solução, porque trocar este por aquele com a esperança de melhora, é o mesmo que esperar que de uma mesma fonte contaminada pelo pecado saia alguma água purificada que esteja livre da citada contaminação. 

Jesus nos ensinou sobre aquilo que sai naturalmente dos nossos corações, por ser ele a coisa mais corrompida de toda a criação. 
Confiemos então em Deus e no Seu poder de controlar os desmandos dos homens.

Deus tem também os seus Josés e Daniéis, ainda que em menor número, para nos abençoarem pela administração fiel, honesta e sábia dos bens públicos. Ele sabe como levantá-los e usá-los, nas horas de crise. Confiemos nisto e sosseguemos o nosso coração.

Silvio Dutra

PALAVRAS


quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O SEGREDO DA FELICIDADE

Há muito tempo, em uma terra muito distante, havia um jovem rapaz, filho de um rico mercador, que buscava obstinadamente o segredo da felicidade.

Já havia viajado por muitos reinos, falado com muitos sábios, sem, no entanto, desvendar tal questão. Um dia, após longa viagem pelo deserto, chegou a um belo castelo no alto de uma montanha. Lá vivia um sábio, que o rapaz ansiava conhecer.

Ao entrar em uma sala, viu uma atividade intensa. Mercadores entravam e saíam, pessoas conversavam pelos cantos, uma pequena orquestra tocava melodias suaves. De longe ele avistou o sábio, que conversava calmamente com todos os que o buscavam. O jovem precisou esperar duas horas até chegar sua vez de ser atendido. O sábio ouviu-o com atenção, mas lhe disse com serenidade que naquele momento não poderia explicar-lhe qual era o segredo da felicidade. Sugeriu que o rapaz desse um passeio pelo palácio e voltasse dali a duas horas. "Entretanto, quero pedir-lhe um favor." – completou o sábio, entregando-lhe uma colher de chá, na qual pingou duas gotas de óleo.

—Enquanto estiver caminhando, carregue essa colher sem deixar o óleo derramar.

O rapaz pôs-se a subir e a descer as escadarias do palácio, mantendo sempre os olhos fixos na colher. Ao fim de duas horas, retornou à presença do sábio. "E então?" – perguntou o sábio – "você viu as tapeçarias da pérsia que estão na sala de jantar? Viu o jardim que levou dez anos para ser cultivado? Reparou nos belos pergaminhos de minha biblioteca?"

O rapaz, envergonhado, confessou não ter visto nada. Sua única preocupação havia sido não derramar as gotas de óleo que o sábio lhe havia confiado.

— Pois então volte e tente perceber as belezas que adornam minha casa. – disse-lhe o sábio.

Já mais tranquilo, o rapaz pegou a colher com as duas gotas de óleo e voltou a percorrer o palácio, dessa vez reparando em todas as obras de arte. Viu os jardins, as montanhas ao redor, a delicadeza das flores, atentando a todos os detalhes possíveis. De volta à presença do sábio, relatou pormenorizadamente tudo o que vira.

— E onde estão as duas gotas de óleo que lhe confiei? – perguntou o sábio.

Olhando para a colher, o rapaz percebeu que as havia derramado. "Pois este, meu rapaz, é o único conselho que tenho para lhe dar: – disse o sábio – o segredo da felicidade está em saber admirar as maravilhas do mundo, sem nunca esquecer das duas gotas de óleo na colher."


Anônimo

AO MESTRE

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

COMO CONQUISTAR O RESPEITO

Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão... na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza. 
I Tim. 4:12.

Muitos adultos acham difícil suportar o desprezo e o desdém de outros adultos, mas para um adolescente é duas vezes mais difícil suportar o desprezo e o desdém de seus companheiros da mesma idade.

Um dia, quando Leo Buscaglia estava saindo da escola, uma gangue de arruaceiros o cercou e começou a crivá-lo de apelidos por causa de sua ascendência italiana. Humilhado e aos prantos, rompeu o círculo de seus atormentadores e correu para casa. Lá, trancou-se no banheiro e chorou amargamente.

Seu pai o ouviu chorando e perguntou qual era o problema. Quando Leo contou o que havia acontecido, esperou que seu pai tomasse imediatas providências - ou que batesse nos desordeiros ou pelo menos reclamasse com os pais deles, exigindo que fossem castigados. Seu pai não fez nem uma coisa, nem outra. Em vez disso, começou a mencionar algumas coisas acerca dos italianos, das quais Leo podia orgulhar-se.

Mas isso não acalmou o garoto.

- Eu não gosto de ser diferente! - protestou ele. - Quero ser como todos os outros.

- Como todos os outros? Você quer dizer que gostaria de ser como aqueles garotos que o insultaram? - perguntou o pai, articulando bem as palavras.

- Não! - rosnou Leo em resposta.

- Então tenha orgulho daquilo que você é - aconselhou o pai. - Afinal de contas, todo o mundo é diferente de todas as demais pessoas.

Mas o conselho de Paulo ao jovem Timóteo foi além do conselho que o pai de Leo deu a seu filho. Sendo um modelo de cristão, podemos conquistar o respeito alheio.

FALSIDADE

terça-feira, 13 de outubro de 2015

DIAS MAUS

Ainda que o homem viva muitos anos, regozije-se em todos eles; contudo, deve lembrar-se de que há dias de trevas, porque serão muitos. Tudo quanto sucede é vaidade.

Eclesiastes 11:8


Quem nunca chorou? Quem viveu um ano inteiro sem a presença da dor, as garras do sofrimento e as cadeias da angústias? Ninguém! Até o Filho de Deus quando andou neste mundo chorou!

Todos nós conhecemos bem os soldados da tristeza: desilusão, traição, mentira, falsidade, morte, tragédia, acidentes, doenças etc. São tantos e atacam sem dó o coração humano, dilaceram as esperanças, tornam o homem desanimado e aprisiona a alegria. E muitos vencidos pela tristeza excessiva tiram a própria vida!

Já dizia uma música: "a vida não é um mar de rosa" - a própria Bíblia declara que os dias maus serão muitos! Foi assim com Davi - perseguido pelo próprio filho, chorando a morte de Jônatas; com Daniel - jogado na cova dos leões; com Paulo - açoitado, apedrejado, aprisionado, abandonado pelos amigos. Meu querido amigo, a tristeza faz parte da nossa vida!

Duas semanas atrás, fizemos uma enquete: "o que é mais triste?" e a resposta mais votada foi "O adeus de quem se ama". É claro que a resposta à questão se dará pela experiência de vida do votante. Já para mim, é a morte do cônjuge.

No entanto, devemos entender que Jesus veio a este mundo, viveu como homem, morreu nunca cruz e ressuscitou com um propósito: o de salva a alma do homem. Ás vezes, eu vejo as pessoas preocupadas demais com esta vida. São como Salomão - constroem casas, ganham dinheiro, conhecem os prazeres e quanto mais querem, mais se tornam infelizes. E, aos poucos, vão perdendo a alegria no olhar, sendo consumidos pela decepção das coisas. Já na velhice, Salomão gritou: tudo é vaidade, ou seja, não tem o valor que nós damos.

Se você está vivendo em tristeza, lembre-se: este mundo é só uma passagem, um curto momento de tempo. O que você precisa fazer é se preparar para encontrar com Deus. Naquele dia, Ele lhe dará a tristeza ou a felicidade eterna.
"Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida." Você tem a vida? 

Fandermiler Freitas

MENOR ABANDONADO

Era quatro e meia da tarde de um sábado ensolarado. Eu estava chegando em casa depois de um passeio ao parque com minha esposa e nossos filhos que ainda eram pequenos. A secretária eletrônica acusava vários recados, mas um em especial com cerca de dois minutos de duração chamou minha atenção. Quando comecei a ouvi-lo fiquei meio sem ação.

Era um amiguinho de nossos filhos que depois de ligar várias vezes, havia deixado um último recado dramático: "Por favor tio vem me buscar aqui em casa para eu ficar junto com vocês. Por favor, por favor, por favor, por favor, por favoooor..." (e isso se repetia por quase dois minutos).

Depois de ouvir o recado liguei para aquela criança. Ela havia passado metade do dia com a empregada e na outra metade estava sozinha assistindo a TV até que seus pais chegassem do trabalho e das atividades da igreja.

O apelo daquela criança cortou meu coração e me fez pensar muito. Cheguei à conclusão que "menor abandonado" não apenas aquele que está na esquina pedindo um trocado. Há muitos lares cristão com centenas de "menores abandonados" pelos pais que estão ganhando dinheiro ou correndo atrás da próxima atividade na agenda.


Falcão Sobrinho

domingo, 11 de outubro de 2015

LIÇÕES DE VIDA

Era uma vez um homem que tinha quatro filhos. Ele queria que seus filhos aprendessem a não julgar as coisas muito rapidamente. Então, ele mandou cada um de seus filhos em busca de determinadas árvores de pêra que, por sua vez estavam muito distantes umas das outras. O primeiro filho alcançou sua pereira no Inverno, o segundo na Primavera, o terceiro no Verão, e o filho mais novo no outono.


Quando todos tinham ido e voltado, ele os reuniu para descrever o que viram. O primeiro filho disse que a árvore era feia, torta e retorcida. O segundo filho disse que não, que ela era toda coberta de verde brotos e cheio de promessas. O terceiro filho discordou: Disse que estava carregada com flores que cheiravam tão doce e eram tão bonitas, que era a coisa mais graciosa que ele jamais tinha visto. O último filho discordou de todos eles, ele disse que era madura e inclinando-se com a fruta, cheia de vida e realização.

O homem então explicou a seus filhos que todos eles estavam certos, porque eles haviam visto apenas uma estação da vida da árvore. Disse-lhes que não se pode julgar uma árvore, ou uma pessoa, por apenas uma temporada, e que a essência de quem eles são e o prazer, a alegria e o amor que vêm daquela vida podem apenas ser medidos ao final, quando todos os as estações do ano estão em alta. Se você desistir quando for Inverno, você perderá a promessa da Primavera, a beleza de seu cumprimento no verão e a beleza das folhas em queda do outono.

Não deixe que a dor de uma estação destrua a alegria de todo o resto.

Não julgue a vida apenas por uma estação difícil. Persevere através dos caminhos difíceis e melhores tempos virão.

sábado, 10 de outubro de 2015

A FOFOCA

Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo.

 Levítico 19:16.

A uma hora da tarde do dia 14 de agosto de 1933, o vigia na torre da Montanha Saddle, Oregon, EUA, notou o que parecia ser um pequeno fogo na floresta, no Canyon Creek de Gales, Esta era uma área onde havia um campo madeireiro, e esperava-se que estes trabalhadores extinguissem o fogo, mas eles não conseguiram, Quando os trabalhadores regulares de combate a incêndios em florestas chegaram, o fogo já estava fora de controle, Voluntários uniram-se aos demais, formando um exército de uns três mil homens em combate às chamas, Ainda assim viram-se impotentes para deter o fogo, Fumaça e fagulhas subiam a uma altura de uns 150 metros, O calor era tão intenso que ninguém podia ficar dentro de um raio de uns 400 metros.

Foi o pior incêndio em floresta de que se tem notícia. Mais de um milhão de metros quadrados de madeira de lei foram destruídos pelo fogo, quantidade esta igual a toda a madeira de construção usada nos Estados Unidos em um ano. A perda foi estimada em mais de 200 milhões de dólares.

A fofoca é semelhante a um incêndio numa floresta. Ela começa com apenas uma pequenina fagulha de informação, Nesse ponto seria fácil detê-lo. Mas em vez disso os mexeriqueiros alimentam a chama. Acrescentam combustível ao fogo e passam-no adiante. Logo ele está totalmente fora de controle
.

Fonte: http://www.4tons.com/4ilustracoesparasermoes.htm

PARA SER FELIZ


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

CARINHO É O MELHOR INVESTIMENTO!

Havia uma pequena aldeia onde não existia dinheiro. Tudo o que as pessoas precisavam para viver feliz elas obtinham trocando CARINHO umas com as outras, simbolizado por um floquinho de algodão.

Era comum as pessoas darem seus floquinhos sem querer nada em troca, pois sabiam que receberiam outros num outro momento, outro dia.

Uma bruxa, que vivia fora da aldeia, convenceu um garoto a não mais dar seus floquinhos. Desta forma ele seria a pessoa mais rica da cidade e teria tudo o que quisesse. Iludido pelas palavras da malvada, o menino, que era uma das pessoas mais populares e queridas da aldeia, passou a juntar seus floquinhos e em pouquíssimo tempo sua casa estava repleta deles, ficando até difícil de se mexer ali.

Quando se deu conta, a cidade já não tinha mais CARINHO. E em seu lugar apareceram coisas ruins como a GANÂNCIA, ROUBO, ÓDIO, XINGAMENTO, INDIFERENÇA.

O menino foi o primeiro a sentir-se TRISTE e SOZINHO e foi procurar a velha para dizer-lhe umas boas, mas não a encontrou. Disposto a reparar o mal, pegou uma grande carriola, colocou todos os seus floquinhos nela e caminhou pela cidade disposto a distribuí-lo graciosamente a todos. Mas as pessoas não recebiam CARINHO a tanto tempo que o olhavam com DESCONFIANÇA.

Por fim, conseguiu distribuir todos eles, mas não recebeu nenhum de volta e ficou um dúvida se tinha feito a coisa certa. Foi quando a ESPERANÇA apareceu e disse-lhe que continuasse até que todos voltassem a se lembrar da importância de dar e receber CARINHO. Ao que ele respondeu: – Não tenho mais CARINHO para dar, minha carriola está vazia.

Tem sim, disse-lhe a ESPERANÇA, sua carriola pode estar vazia, mas seu coração, com certeza, está cheio.

– É verdade, disse o menino, já não me sinto mais triste e sozinho, que mistério é esse?

– Ao distribuir CARINHO, você estava semeando uma boa semente, e todos o que semeiam uma semente tão boa como esta, certamente colherão em abundância.

Fonte: http://www.amigodecristo.com

O VALOR DE UM HOMEM


quinta-feira, 8 de outubro de 2015

UM GIGANTE SEM RUMO



Quem quiser, pois, salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por causa de mim e do evangelho salvá-la-á.

Marcos 8.35

A verdadeira felicidade encontra-se na abnegação.


Certo homem, muito desanimado e desesperado, encaminhou-se para o Lago de Michigan, com a intenção de ali terminar com a sua triste existência. Ao andar pelas ruas, com fisionomia cerrada, passou por um dos bairros pobres da cidade. Na calçada, em frente de uma casa aparentemente abandonada, viu sentada uma menina a chorar.

Ele deteve-se e perguntou: "Menina, por que estás a chorar? O que tens?" "Nada, senhor", respondeu ela. "Então, por que choras? Perdeste-te no caminho para casa?" "Não senhor". "Diz-me, onde moras?" "Nesta casa", respondeu. "Então, por que não entras? O que se passa? Não queres dizer-me?" "Estou com fome e sinto tanto frio" – confessou ela entre soluços – "também, a minha mãe está tão doente e não temos nada em casa para comer." "Posso acompanhar-te até junto da tua mãe?”, perguntou o homem bondosamente.

Ambos entraram, ali, num quarto sobre um colchão jazia a mãe doente. Não havia calor, o armário estava vazio. Por todo o lado via-se a pobreza e a miséria. Tendo verificado a condição triste daquele lar, saiu calmamente do aposento, desceu as escadas e foi ao armazém mais próximo. Ali comprou víveres e em seguida foi comprar carvão. Voltou, e ao chegar, com o cesto cheio de alimentos, imaginem a alegria que encheu os corações da mãe e da filha. Também prometeu ajudá-las futuramente e, despedindo-se, retirou-se.

Quando chegou à rua parou e perguntou a si mesmo porque tinha vindo a esta rua? "Estava decidido ir ao lago para atirar-me à água". Naturalmente deixou de fazê-lo. Por auxiliar a outros, achou o caminho para a felicidade. Afinal ele era um gigante e não sabia! E tu?

Fonte: http://enfrentegigantes.blogspot.com