segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

VIVE A VIDA

Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares.

Josué 1.9

Viver é o grande desafio de todo homem... a maioria de nós, apenas existe ou sobrevive, esquecendo-se de viver a vida com intensidade. O Senhor Jesus disse: Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre. Por que então, a gente não consegue viver a vida na sua intensidade, de modo feliz, em paz e harmonia?

A resposta é simples: porque não ouvimos ao Pai. Quando Josué chorava a morte de Moisés, Deus lhe falou dizendo: Não to mandei eu? Em outras palavras, Deus lhe disse, porque você não me obedece? Porque não age como eu lhe oriento?

A grande dificuldade da vida é seguir sempre caminhando... Alguns de nós param diante das altas montanhas (o frio, o cansaço) ou à sombra dos vales profundos e são contaminados pelo desânimo, a tristeza, a amargura, a acomodação.

Na verdade, Deus deseja que todo homem enfrente os problemas da vida com ânimo e alegria, na certeza de que a vida é mais que dor. É preciso compreender que podemos superar os obstáculos com esperança e confiança mesmo que a vida seja uma eterna despedida... Pode-se viver como Jesus nos ensinou.

Fandermiler Freitas

O SILÊNCIO DA ATITUDE

domingo, 28 de fevereiro de 2016

ESTRELAS DOURADAS

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna 

João 3.16

Durante a II Guerra Mundial, nos Estados Unidos, era costume uma família que tivesse um filho que servisse nas Forças Armadas colocar uma estrela na janela frontal da sua casa.

Porém, uma estrela dourada indicava que o filho tinha morrido por apoio à causa do seu país.

Há anos, Sir Harry Lauder contou uma história comovente sobre este costume. Ele disse que uma noite um homem caminhava por uma rua de Nova Iorque, acompanhado pelo seu filho de 5 anos. O pequeno foi atraído pelas luzes que brilhavam nas janelas das casas e quis saber por que é que algumas casas tinham uma estrela nas janelas.

O pai explicou que aquelas famílias tinham um filho a combater na guerra. A criança bateu as palmas quando viu outra estrela na janela e exclamou, “Olha, Papai, outra família que deu o filho ao seu país”.

Finalmente chegaram a um descampado, depois da correnteza das casas. Daquele lugar podia-se ver uma estrela a brilhar no céu. O pequenino voltou à olhar, “Oh, Papai”, “Olha para aquela estrela no céu! Deus também deve ter dado o Seu Filho”.

Sim, de fato! Há uma estrela na janela de Deus. Sabes o que Ele fez por ti? Ele deu o Seu Filho, por causa do Seu amor por nós.

Estrelas Douradas!

O CÉU CURA

sábado, 27 de fevereiro de 2016

O AMOR


PAZ NA TEMPESTADE

“Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que Ele, em tempo oportuno, vos exalte, lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” 

1Pe 5:6-7

Quando somos assolados por problemas, temos o privilégio de poder lançá-los sobre DEUS. A palavra “lançar”, na verdade, significa jogar ou arremessar. Podemos jogar ou arremessar nossos problemas para DEUS e, creia-me, ELE pode pegá-los. ELE sabe o que fazer com eles.

Essa passagem nos permite saber que humilhar-se significa não se preocupar. A pessoa que se preocupa ainda pensa que ela pode, de alguma maneira, resolver seu problema. A preocupação é a mente correndo de um lado para o outro, tentando encontrar uma solução. O homem orgulhoso é cheio de si, enquanto o homem humilde é cheio de DEUS. O homem orgulhoso se preocupa; o homem humilde espera, espera por DEUS.

Apenas DEUS pode nos ajudar, e ELE quer que saibamos disso, para que em cada situação nossa primeira resposta seja nos apoiarmos N´ELE e entrarmos no SEU descanso.

No que diz respeito ao descanso de DEUS, gostaria de dizer isto: não há o “descanso de DEUS” sem oposição.

Para ilustrar, compartilho com você uma história: Foi pedido a dois artistas que retratassem a paz através da pintura. Um pintou um lago calmo, bem atrás das montanhas. O outro pintou uma cachoeira impetuosa e espumejante sobre a qual se inclinava uma árvore com um passarinho repousando em um ninho sobre um dos seus galhos.

Qual delas verdadeiramente retrata a paz? A segunda, porque não há paz sem oposição. O primeiro quadro representa estagnação. A cena representada pode ser serena, uma pessoa pode ser motivada a ir até lá para se convalescer. Ela pode oferecer uma bela imagem, mas não retrata o “descanso de DEUS”.

JESUS disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como dá o mundo” Jo 14:27. SUA Paz é espiritual, e SEU descanso é aquele que funciona durante a tempestade – não na ausência dela.

Joyce Meyer, em “CAMPO DE BATALHA DA MENTE.”

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

O JUIZ QUE PAGOU

Numa pequena cidade vivia um zeloso cristão que se tornara magistrado. Certa manhã, compareceu diante dele, na sala do Tribunal, um amigo de sua mocidade, que se havia desviado do caminho da justiça e cometera um delito contra a lei do país. Aqueles que conheciam as relações que havia entre ambos, esperavam que o juiz tratasse o homem misericordiosamente; ficaram, porém, muitíssimo surpresos ao ouvirem que a sentença foi pesada multa.

Ficaram ainda mais surpresos quando o magistrado se dirigiu ao oficial, dentro do Tribunal, e, tirando do próprio bolso o dinheiro, pagou a multa. Cumprira seu dever como magistrado, defendera a lei, mas também mostrou um pouco da misericórdia de Deus em favor de seu amigo, ao pagar a penalidade que a sentença lhe impunha. - Seleto

ATITUDE


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

OS DOZE PRATOS

Um príncipe chinês orgulhava-se de sua coleção de porcelana, de rara quão antiga procedência, constituída por doze pratos assinalados por grande beleza artística e decorativa.

Certo dia, o seu zelador, em momento infeliz, deixou que se quebrasse uma das peças. Tomando conhecimento do desastre e possuído pela fúria, o príncipe condenou à morte o dedicado servidor, que fora vítima de uma circunstância fortuita.

A notícia tomou conta do Império, e, às vésperas da execução do desafortunado servidor, apresentou-se um sábio bastante idoso, que se comprometeu a devolver a ordem à coleção, se o servo fosse perdoado.

Emocionado, o príncipe reuniu sua corte e aceitou a oferenda do venerando ancião. Este solicitou que fossem colocados todos os pratos restantes sobre uma toalha de linho, bordada cuidadosamente, e os pedaços da preciosa porcelana fossem espalhados em volta do móvel.

Atendido na sua solicitação, o sábio acercou-se da mesa e, num gesto inesperado, puxou a toalha com as porcelanas preciosas, atirando-as bruscamente sobre o piso de mármore e arrebentando-as todas.

Ante o estupor que tomou conta do soberano e de sua corte, muito sereno, ele disse: "Aí estão, senhor, todos iguais conforme prometi. Agora podeis mandar matar-me. Desde que essas porcelanas valem mais do que as vidas, e considerando-se que sou idoso e já vivi além do que deveria, sacrifico-me em benefício dos que irão morrer no futuro, quando cada uma dessas peças for quebrada. Assim, com a minha existência, pretendo salvar doze vidas, já que elas, diante desses objetos nada valem."

Passado o choque, o príncipe, comovido, libertou o velho e o servo, compreendendo que nada há mais precioso do que a vida em si mesma.

Quantas vezes, deixamos o nervosismo do momento tomar lugar nas nossas vidas e ferimnos com duras palavras a quem amamos? Quantas coisas colocamos na frente do amor, do respeito, da compreensão que deveríamos ter?

Que neste dia, tenhamos tempo para meditar se não estamos matando por um prato quebrado...

Autor Desconhecido

VENCENDO COM A PACIÊNCIA

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

VENCENDO O MEDO


Pois o Espírito que Deus nos deu não nos torna medrosos; pelo contrário, o Espírito nos enche de poder e de amor e nos torna prudentes.

II Tm 1.7

O medo é uma reação em cadeia no cérebro que tem início com um estímulo de estresse e termina com a liberação de compostos químicos que causam aumento da freqüência cardíaca, aceleração na respiração e energização dos músculos.

A principal função do medo é paralisar. Impedir o realizar, o caminhar, Paulo nos diz que Deus não nos deu o Espírito de medo, portanto o medo não procede de Deus, pelo contrário o Espírito que nos deu é o de ousadia e poder.

O que separava o Moisés pastor de ovelhas do Moisés libertador de Israel era o medo. Ele estava paralisado pelo medo e não conseguia ouvir a voz de Deus: Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.

O medo também derrotou Pedro. Jesus o chamou para ir ao seu encontro sobre as águas  e ele obedeceu, sua fé tornara-se real ao sair do barco e pisar sobre as ondas do mar. Mas diz a Bíblia: Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor!

O que Deus deseja não é que o homem seja "afoito" (imprudente), mas que ele nunca deixe-se dominar pelo medo, deixando de alcançar as bênçãos e propósitos de Deus para a sua vida. O medo pode ser controlado, pois o espírito que Deus nos deu nos enche de poder e de amor e nos torna prudentes.

LIVRES

domingo, 21 de fevereiro de 2016

COMO CARANGUEJOS

"Pois me alegraste, Senhor, pelos teus feitos; exultarei nas obras das tuas mãos" (Salmos 92:4).


Charles L. Allen, em Milagre de Amor, escreve de um pescador amigo que lhe disse que nunca precisa de uma tampa para seu cesto de caranguejos. Se um dos caranguejos começa a subir por um dos lados do cesto, os demais logo o alcançam e, passando por cima, o empurram de volta para baixo. Algumas pessoas são muito parecidas com caranguejos.

O Senhor Jesus nos ensinou a amar ao próximo como amamos a nós mesmos. E se o amor de Deus está em nós, ficamos felizes quando nossos amigos alcançam grande sucesso, ou realizam um sonho há muito buscado, ou transformam as suas lutas em grandes vitórias. Como cristãos devemos nos alegrar com a alegria de nossos irmãos e comemorar com eles as bênçãos recebidas.

Infelizmente existem cristãos que ainda são capazes de dizer, em relação aos anseios de um irmão: "Tomara que não consiga." São como caranguejos, que não conseguem chegar ao topo e fazem de tudo para impedir que outros o consigam.

Precisamos compreender que Deus tem planos para cada um de nós, individualmente. E seremos imensamente felizes se nos colocarmos em nosso lugar e fizermos aquilo que o Senhor preparou para nós. Às vezes buscamos ardorosamente um lugar de destaque e, quando lá chegamos, percebemos que não era bem aquilo que imaginávamos. Frustrados, pelo muito esforço, descobrimos que tudo foi em vão. O melhor é deixar Deus nos dirigir porque Ele sabe o que é melhor e o que realmente alegrará nossos corações.

Não tenha inveja do sucesso de seus irmãos. Louve a Deus por eles serem abençoados. Exulte pelo muito que Deus tem feito por você e por eles. A sua alegria será dobrada por sua vitória e pela deles.


Paulo Roberto Barbosa

COLHEITA


sábado, 20 de fevereiro de 2016

ALEGRIA

O coração alegre é um bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos.

Provérbios 17.22

Eu conheço pessoas que estão sempre a rir, elas nos fazem tão bem que é impossível se sentir triste perto delas. Essas pessoas possuem um espírito de alegria que invade o ambiente onde estão.

O que a Bíblia diz sobre a alegria (ser bom remédio), a medicina já comprovou em suas pesquisas. "Quando sentimos prazer, o corpo libera endorfina, o hormônio da felicidade. Esse processo favorece a beleza da pele, porque estimula a circulação sanguínea local", explica o dermatologista Otávio Macedo (SP). "A satisfação desencadeia um processo holístico no organismo, ou seja, cada órgão percebe essa sensação de bem-estar. É um sistema integrado", completa o médico.

Eu conheço um homem que não anda há mais de 10 anos e vive com uma aposentadoria minguada. Ele sempre tem dificuldades para contar. Mas o que mais é evidente nele é o seu coração alegre. Quando ele fala conosco é como se de sua boca jorrasse balsamo que caindo sobre a gente nos fizesse enxergar a vida com outros olhos.

Oxalá que Deus convertesse o nosso coração triste e abatido num coração alegre a enxergar a vida com otimismo e esperança. Sabendo que esperar em Deus não é cansativo, chega a ser prazeroso para os que tem a alegria divina.

Fandermiler Freitas

Ministério Sarando a Terra Ferida - Tempo Favorável

A VITÓRIA


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

O RELÓGIO DE DEUS

"(..) já se fazia escuro e Jesus ainda não viera ter com eles (..) por volta da quarta vigília da noite, veio ter com eles, andando por sobre o mar"

(João, 6.17b e Marcos, 6.48b)

Ainda? ? com essa palavra, João parece denunciar o ambiente de inquietação que se instalava entre os discípulos no meio do mar. Por mais que eles relutassem em tecer tais conjecturas, as altas ondas, o rijo vento, o barco afundando, a hora avançada, as forças mitigadas, o negrume da noite, todas as coisas pareciam apontar para um atraso divino, uma dessincronia entre a ação de Deus e as necessidades humanas, uma distração de Deus em face ao desespero humano.

Diz o texto que, naquele momento de medo, pânico, perplexidade, e de total incapacidade de não atribuir a Deus a falibilidade humana, Jesus vem andando por sobre as águas e o Seu relógio marcava a quarta vigília da noite. Teria Deus perdido a hora? Dormido no ponto? Havia o relógio divino trabalhado descompensado com a hora do nosso sofrimento? Teria Ele abdicado do compromisso radical que tem com as nossas vidas?

Não! Diz o texto enfaticamente: Ele veio na quarta vigília da noite. Por que? Porque é na quarta vigília que a noite se faz mais escura, as ondas mais revoltas e os ventos mais rijos em razão da proximidade do nascer do sol (o texto atesta esse fenômeno quando diz que neste período eles remavam com dificuldade porque o vento lhes era totalmente contrário). Como sempre, o relógio de Jesus estava rigorosamente pontual. Veio quando a escuridão era mais densa, as ondas mais encapeladas e os ventos totalmente contrários.

O relógio de Jesus é assim: sincronizado com o nosso sofrimento e as nossas dores. Jamais chega atrasado em nossa vida para a manifestação de Sua graça e de Sua misericórdia. Jamais posterga o milagre esperado. Ele sempre aparece quando a noite se faz mais escura e os ventos são totalmente contrários.

Talvez, muitos de nós estejamos, hoje, vivendo essa síndrome do ainda. Uma terrível sensação de que Deus perdeu a hora, Deus perdeu o bonde da história de nossa vida; um Deus atrasado em cumprir as Suas promessas. Talvez, muitos de nós estejamos nutrindo em nossas vidas essa ideia de um Deus distraído e incapaz de manifestar a Sua graça no tempo certo de nossos sofrimentos.

Precisamos entender isto: o Relógio de Jesus nunca falha. Ele Sempre aparece. Quando as trevas forem mais densas, as ondas mais revoltas e se fizer a quarta vigília da noite, louvemos e cantemos ao Senhor. Porque está vindo ao nosso encontro.

Creiamos nisto.

Rev. José Kleber Fernandes Calixto
Igreja Presbiteriana de Coromandel, MG.

UMA PALAVRA

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

CONFIANDO NO SENHOR

Numa classe de crianças foi contada a impressionante história de Jesus e de Pedro, resolvendo um problema sobre pagamento de impostos, através de uma moeda encontrada na boca de um peixe...

O pequeno Raul ficou cheio de esperanças, lembrando-se da multiplicidade de problemas financeiros que envolviam sua pobre mãe viúva. Quanto mais o menino pensava na maneira como se desenrolou a história que ouvira, mais ele ia se convencendo de que Jesus poderia hoje fazer coisa semelhante por eles.

E tanto insistiu nesse pensamento que, esvaziando o seu cofrezinho, juntou as poucas moedas que havia economizado e foi correndo à peixaria mais próxima. Ali, ele se dirigiu ao rapaz que atendia aos fregueses, pedindo-lhe:

- Quero comprar um peixe dos maiores que houver.

O moço, gentilmente, explicou que os peixes maiores custavam bastante mais caros. Vendo, então, que o dinheiro que levava não seria suficiente, Raul pensou um pouco e por fim acrescentou:

- Moço, na verdade eu preciso apenas de uma cabeça de peixe.

- Ah, isso se arranja facilmente - disse o peixeiro - e posso lhe conseguir uma bem grande, por um preço bastante pequeno!

Efetuando a compra, o garotinho saiu radiante de alegria, na certeza de estar dando os passos finais na solução de tantas dificuldades. Correu, levando pra casa a cabeça do peixe embrulhada num pedaço de jornal. Na cozinha, ele a colocou sobre a mesa e foi procurar a mãe, para agora lhe contar sobre a história que ouvira a respeito de Jesus. Relatou-a com todos os detalhes e por fim, exclamou:

- Mamãe, pode estar certa de que agora vamos pagar todas as nossas dívidas!

Logicamente não havia nenhuma moeda na boca do peixe, como esperava o pequeno órfão. Esse fato veio abalar a fé da criança naquele momento.

Porém, ao limpar a mesa, casualmente a mãe deparou com o seu nome impresso no pedaço de jornal que embrulhava a cabeça do peixe.

Lendo com atenção, ela tomou conhecimento de que se tratava de um anúncio que certo advogado fizera publicar, convocando-a ao seu escritório, a fim de lhe comunicar a respeito de uma herança que lhe fora deixada por um parente que acabara de partir. Inacreditável! Surpreendente!

O milagre esperado pelo menino acabou acontecendo, embora de forma diferente. De joelhos, mãe e filho deram graças ao Senhor pelo socorro que tão oportunamente lhes enviava.

Nem sempre Deus responde às nossas súplicas de maneira que esperamos, nem por vias tão diretas ou processos semelhantes a outros já acontecidos, porém, felizes e venturosos são aqueles que nele confiam.

NUNCA


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

A CAIXA DO CORREIO

Na África do Sul um homem recebeu um aviso do correio. Era um pacote. Tinha que pagar U$4,00 para retirá-lo.  Pegou o pacote, examinou-o, mas não conseguiu identificar o que tinha dentro. Não quis pagar os U$4,00. O pacote ficou 15 anos no correio.

A caixa era levada de um lugar para outro dentro da agência do correio. Muitas vezes era usada para apoiar os pés. Até que um dia o dono da caixa morreu. A caixa foi então leiloada, mas ninguém queria dar nada por ela. Até que alguém resolveu dar um lance de U$0,50.

Ao abrir o pacote… Surpresa!!! Tinha dentro dele 15 mil dólares.

O que aconteceu com aquela caixa freqüentemente acontece com a Bíblia. A Bíblia é rejeitada como algo sem valor.  Mas há dentro dela uma riqueza de valor infinito: Jesus Cristo - A Vida Eterna.

RIQUEZA


domingo, 14 de fevereiro de 2016

UM PAI QUE OUVE

Um dos agradecimentos mais expressivos da história saiu dos lábios de um filho. Ele disse assim: "Pai, graças dou ao Senhor, porque me ouviu. Eu sei que o Senhor sempre me ouve, mas digo isto por causa destas pessoas que se encontram aqui, para que creiam que o Senhor me enviou". Um filho agradece a um pai que sempre ouve.

Tem pai que nunca ouve; é idolatrado por muitas pessoas, mas não ouve o filho. Tem pai que gosta de agradar os outros e pouco se importa em expressar seu amor, admiração pelo próprio filho ou filha. Eu não sei que tipo de pai você é, mas você sabe que tipo de pai você tem sido.

Jesus Cristo foi o filho que agradeceu ao Pai sempre por ser ouvido. Aquele agradecimento foi uma oração pública. Ele revelou profunda intimidade com o Pai Celestial e confiança profunda.Você sabe o que Ele fez depois desta oração? "Jesus gritou bem alto: "Lazaro, venha para fora!" Quem Ele chamou era um homem que estava morto há três dias, já todo enfaixado. E aquele homem voltou à vida e saiu do túmulo" (Ev. João 11:43 ss).

Quando um filho é ouvido por seu pai todos reconhecem a unidade entre pai e filho. Este é um princípio divino para ser vivido: um pai que ouve tem um filho obediente. Um pai que ouve, que ensina, que não se omite nos problemas, não se esconde no serviço. Este é o tipo de pai que os filhos precisam. Somente pais que conhecem a Deus, que são filhos obedientes de Deus podem andar nesse caminho de modo perfeito.

Assim todo dia é dia de ser pai no sentido mais profundo dessa palavra. É esse pai que você pode ser. Quer?

Hagton Henrique Bastos

sábado, 13 de fevereiro de 2016

LEÕES OU ELEFANTES?

Passeando pelos canais da TV, uma cena me chamou a atenção. Apareceu um enorme elefante, daquele tipo "super" super grande, super agitado e super imponente.

O narrador dizia: "este é um raro macho, daqueles que lideram uma enorme quantidade de elefantes". Mostrou então um elefantinho abandonado num descampado sendo atacado por seis leões. O narrador dizia então: "Este pobre elefante já tem seu destino traçado - morrerá porque ficou abandonado e não tem a menor chance de sobrevivência num ataque deste tipo - é uma pena..."

Mas o elefantinho, mesmo com um leão agarrado em sua perna e outro montado sobre seu corpo continuava correndo, lutando para sobreviver. Até que parou. Os leões então avançaram. Um na orelha, outro nas costas, um no pescoço. "É o fim deste..."

De repente, o inesperado: o elefantinho se levantou e saiu correndo novamente. Os leões, que também eram jovens e inexperientes, já estavam cansados e não conseguiam mais acompanhar o perseverante elefante.

o narrador, então, falou: "Este elefante conseguiu sobreviver porque nunca se entregou - com certeza será um daqueles super líderes". Apareceu então a imagem do grande elefante e do elefantinho correndo sozinho pelo descampado, com toda uma vida vitoriosa pela frente.

Que tipo de pessoa você é? Do tipo "elefantinho", que dentro de si tem um Deus enorme e maravilhoso que lhe fortalece em todas as situações, ou você é do tipo "leão inexperiente" que se cansa a toa e desiste fácil?

HÁ BONDADE NO MAU?


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

ESCRAVO

O diácono Candinho foi membro de uma igreja evangélica em Jacarepaguá durante muitos anos. Convertido em 1927, conheceu pessoalmente e conviveu com o grande missionário judeu Salomão Luiz Ginsburg, de quem contava muitas experiências, inclusive esta:

Uma ocasião, no Estado do Rio, o missionário tinha de chegar a determinado lugar de difícil acesso onde estava sendo aguardado. Conseguiu quem o conduzisse, e aproveitou a oportunidade de falar sobre o Evangelho ao guia. Este respondeu:

- Não, missionário. Eu não posso aceitar a sua religião, porque ficarei proibido de beber, fumar, de fazer tantas coisas que gosto de fazer. Os crentes são escravos. Não têm liberdade.

O missionário pediu ao guia um maço de cigarros, e ao invés de acender um cigarro, guardou o maço no bolso e prosseguiu viagem sob a admiração do guia, que não ousava dizer nada. As horas foram passando e o missionário continuava de posse dos cigarros.

Lá pelas tantas, o companheiro sentindo um desejo irresistível de fumar, não se conteve:

- Como é, o senhor não vai me devolver os cigarros?

- Não - respondeu o missionário.

O inveterado fumante perdeu a calma e ameaçou tomar do missionário os cigarros, à força, ao que este respondeu:

- Espere, vou devolver-lhe os cigarros; eu só fiz isto para provar-lhe que eu não sou escravo, mas você é escravo. Você está querendo brigar comigo porque não pode passar sem fumar uma hora. Isto é ser escravo.

"Não reine portanto o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências. " "Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?" (Rm 6.12,16).

A HUMANIDADE ESTÁ CANSADA


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

ALEGRIA EM QUALQUER LUGAR


Mas alegrem-se os justos, e se regozijem na presença de Deus, e folguem de alegria" (Salmos 68:3).

"Mudar é uma decisão fácil de tomar. Encarar a dificuldade e permanecer firme e feliz é que valoriza o caráter." (Elizabeth Clarke Dunn)

Que decisão preferimos tomar quando estamos diante de momentos difíceis e angustiantes? Trocamos de casa? Trocamos de trabalho? Trocamos de igreja? Ou entendemos que em Cristo somos mais que vencedores e que cabe a nós modificar o ambiente e torná-lo agradável e abençoado?

Deus nos escolheu e nos enviou para ser luz e sal em qualquer lugar ou situação. Não podemos e nem devemos ser contagiados por circunstâncias negativas e sim fazer Cristo brilhar em nós e através de nós.

Um ambiente tenebroso deve ser dissipado com nossa presença. Uma conversa enganosa e mentirosa deve ser santificada com nossas palavras. Corações desanimados precisam ser restaurados e vivificados pelo Espírito Santo que em nós habita. Nós fazemos a diferença e não devemos permitir que o pecado nos faça diferente.

Se a nossa casa enfrenta turbulências e momentos de intranquilidade, cabe a nós contribuir para que a paz de Deus passe a reinar naquele lugar. Se o nosso trabalho está envolto em desonestidade e enganos, o nosso testemunho tem de proporcionar fidelidade e verdade em todos os momentos.

Se a nossa congregação está fria e perdendo a comunhão com o Senhor Jesus, ofereçamo-nos a Deus para ser um canal de restauração e avivamento. Não devemos sair correndo em busca de felicidade em outros lugares mas, sim, confiar que o Senhor vai tornar o lugar feliz com a nossa participação.

Eu não preciso mudar para encontrar alegria. O Senhor está comigo e na Sua presença -- em qualquer lugar -- eu sempre estou feliz.

Paulo Roberto Barbosa

OLHAR PARA TRÁS


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

QUANDO O MEDO NOS INVADE

"Em Deus, cuja Palavra eu louvo, em Deus ponho a minha confiança e não terei medo" (Salmos 56:4).

No final do ano de 1944, Burt Frizen estava lutando na Batalha do Bulge (Batalha das Ardenas). Atingido pelo inimigo, muito ferido e incapaz de mover-se, ele estava caído no campo de batalha, esperando a morte. Na maior parte das longas seis horas que esteve ali caído, ele inúmeras vezes cantou suavemente uma canção que havia aprendido com sua mãe: "existe um nome para mim muito querido . . . como música doce para meu ouvido. . . quando meu coração está apertado e cheio de medo... Jesus me enche de paz." De repente ele ouve um barulho próximo. Abrindo seus olhos, ele viu um soldado alemão de pé junto dele com uma arma na mão.

"Chegou a hora", pensou Burt enquanto esperava pelo tiro.

Começou a cantar novamente a canção e sentiu quando os alemães o ergueram, com braços fortes, e o colocaram sobre a borda de uma rocha. Os próprios alemães cuidaram de seus ferimentos, brincaram com ele e o levaram para um lugar seguro. Jesus o encheu de paz naquele tempo de guerra.

Muitas vezes nos sentimos como aquele soldado no campo de batalha. Sentimo-nos impotentes, sem esperanças, derrotados e tomados pelo medo. Medo de não conseguir levantar novamente; medo das críticas por mais um fracasso; medo de abrir os olhos e encarar aqueles que confiavam em nós.

Mas, por pior que seja a nossa situação, por maior que seja a nossa frustração, por mais que as circunstâncias gritem que a derrota é iminente, sempre valerá a pena cantar, mesmo que no íntimo da alma, "Jesus, eu confio em Ti. Tu és a minha esperança, Tu és a minha força, Tu és a minha alegria.

Eu sei que Tu transformarás a minha derrota em vitória".

Quando Jesus está em nossos corações, por mais difícil que seja a crise pelo qual estejamos passando, nada estará perdido. Tudo é possível para o nosso Senhor. Ele nos sustenta, nos abraça, nos socorre quando a aflição nos domina. Ele nos ama e tem prazer em nos dar o melhor. As lutas e dificuldades se tornarão degraus para nossa edificação e crescimento espiritual. Seremos fortalecidos e
o nome do Senhor glorificado para sempre.

Que a música daquele soldado seja sempre cantada por todos nós. Quando tudo parecer perdido... "Jesus nos enche de paz."

Paulo Roberto Barbosa

CONHECIMENTO E SABEDORIA

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

MAR VERMELHO

Porém Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto perto do mar Vermelho;

Ex.13.18

Em algum momento da vida já esteve em um caminho sem saída? Você olha para todos os lados e não ver nada em que possa se agarrar. Foi assim que o povo de Israel se encontrava quando Faraó com seus seiscentos carros se levantaram contra eles.

A saída do Egito tinha sido comemorada com festa e alegria, o povo avançava rumo a terra prometida e o coração de cada homem, mulher e criança ia cheio de sonhos. Depois de ver o que Deus tinha operado no Egito, cada israelita acreditava ser tudo possível.

No entanto, quando ao longe uma pequena nuvem de poeira se ergueu no deserto, anunciando que Faraó e seu exército os perseguiam, toda alegria virou tristeza. Quem disse que a vida com Deus é só alegria? O Pai Exige fé e confiança. Por isso, não se admires de ver um cristão autêntico sofrer ou passar dificuldades. As adversidades fazem parte da vida com Cristo. Elas moldam nosso caráter e nos modelam.

O povo apressou-se em fugir, no entanto a única coisa que encontrou foi o Mar Vermelho, e então lamentou ter ouvido Moisés e obedecido a voz de Deus. Já vi muitas pessoas agirem assim, basta o Mar Vermelho surgir no horizonte para perderem toda a convicção em Deus e desacreditar de suas promessas.

O Mar Vermelho foi o primeiro obstáculo que pôs o povo a prova. Israel mostrou-se fraco e  rebelde. Deus nos ama e deseja levar-nos a uma terra prometida. Mas uma coisa é certa: dificuldades, obstáculos e provas surgirão durante nossa caminhada. Cada Mar Vermelho que se erguer será a oportunidade de crescer, evoluir e ver o poder de Deus agir.

NÃO FALA A VERDADE


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

GASTE O AMOR

Gaste o amor a mãos cheias! 


O amor é o único tesouro que se multiplica por divisão: é o único dom que aumenta quanto mais você tirar.

É a única empresa na qual quanto mais se gasta mais se ganha: doe-o, difunda-o, espalhe-o aos quatro ventos, esvazie seus bolsos, sacuda o cesto, emborque o copo, e amanhã você terá mais do que antes!

Autor Desconhecido

SENTIMENTO

domingo, 7 de fevereiro de 2016

A LEI DO CAMINHÃO DO LIXO

O empresário acenou para o taxista e solicitou seus serviços para uma corrida até ao aeroporto. O motorista, muito comunicativo e simpático, conversava animadamente com o seu cliente enquanto fazia o longo trajeto. Mesmo conversando o tempo todo, ele não desviava o olhar e a atenção do trânsito, e muito correto no modo de dirigir, andava sempre na faixa correta e conduzia seu veículo com o máximo de cuidado possível... Todavia, quando seguia tranquilo por uma rua, mais que de repente um caminhão transportador de lixo veio ao seu encontro ao sair de uma rua transversal, de marcha a ré, e atravessou instantaneamente à sua frente. O taxista pisou no freio bruscamente, se desvencilhou do caminhão e ainda conseguiu escapar de se colidir em um outro carro que seguia na pista ao lado. Foi por um triz!

Não satisfeito pelo erro cometido, o motorista do caminhão sacudiu a cabeça negativamente, fez alguns gestos feios com as mãos e começou a gritar nervosamente, como se ele tivesse alguma razão naquilo tudo. Já o taxista, surpreendentemente sorriu para ele, pediu lhe desculpas e fez um sinal de “calma” seguido por um outro de “positivo” com o polegar, e assim, desestabilizou todo aquele sentimento de fúria que era manifesto na fisionomia do outro.

Indignado com tudo o que presenciou o passageiro do táxi logo ponderou: “Oras! Tinha que ser o contrário: você é que deveria ter esbravejado com ele e o xingado” 

O taxista, com a mesma calma lá do início, relatou ao empresário uma lei que aprendera logo depois que tivera um encontro com Jesus Cristo, que sempre colocava em prática nessas situações, e que por coincidência, tinha tudo a ver com acontecido ali naquele momento, a começar pelo título: “A Lei do Caminhão de Lixo”

Ele explicou que muitas pessoas são como esses caminhões, vivem por ai carregadas de coisas podres: cheias de frustrações, cheias de raivas, de traumas e de desapontamentos… À medida em que as suas pilhas de lixo crescem, e se acumulam, elas precisam de um lugar para descarregar e, às vezes, descarregam sobre o primeiro que cruza o caminho delas, e então, quem não tem nada a ver com o infortúnio delas passa a ser o alvo do seu ”bota-fora”. 

Nunca tome isso como pessoal, isto não é problema seu! É deles! Apenas sorria, acene, deseje sempre o bem, e vá em frente... Afinal, não precisamos pegar o lixo de tais pessoas e nem tampouco espalhá-lo sobre outras pessoas do nosso convívio, da nossa casa, do nosso trabalho, ou os das ruas.

Fique tranquilo… respire fundo e profundo… e deixe o lixeiro passar! O princípio disso é muito simples: “Pessoas felizes não deixam os caminhões de lixo estragarem o seu dia!”

A vida é muito curta, por isso, não leve lixo com você! Limpe os sentimentos ruins, os aborrecimentos do trabalho, as picuinhas pessoais, o ódio e todas as suas frustrações... Não saia distribuindo essas porcarias por ai... Se você é de CRISTO, aja como ELE agiria. Viva como ELE viveu, e assim: “Ame as pessoas que te tratam bem, e trate melhor ainda as que tratam mal”

“Amem os seus inimigos, façam bem aos que os odeiam, abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam” (Lucas 6: 27 e 28)

Adaptação do texto de André Sanchez


Cícero Volney

sábado, 6 de fevereiro de 2016

FIEL

Sempre que lemos a Bíblia encontramos Jesus incentivando seus discípulos a ser fieis e a confiar em Deus independente das circunstâncias. As escrituras estão repletas de bons exemplos, homens, mulheres, crianças que souberam viver uma vida cristã de paz, alegria e fidelidade.

Há também aqueles que seguiram o caminho da infidelidade, traçam um percurso perigoso, cujo fim foi um desastre pessoal. O que esses homens nos ensinam? Que a fidelidade está em nossas mãos...

Sem dúvida, Judas encabeçaria esta lista. Seu nome deriva da palavra hebraica Judá (louvor). A tradução mais aproximada seria "louvado". Seu nome significa louvor, mas será sempre lembrado por trair. Como alguém tão próximo de Jesus seguiu uma rota tão divergente da do Mestre? 

A resposta é simples: Escolhas! Tudo na vida depende de nossas escolhas... Deus deseja que sejamos fieis. Somos capazes de ser? Claro que sim. Mas nós preferimos não o ser. Achamos o sacrifício muito grande. Aí, nos enganamos, trair exige um preço muito maior que marcará o nosso caráter para sempre.

Kleber Lucas - Nosso Deus é fiel.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

UM PÉ LÁ OUTRO CÁ

"Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz" 

Efésios 5:8

"Uma família visitou alguns amigos que moravam em uma fazenda. O filho mais novo, com cerca de 10 anos, resolveu que montaria em um cavalo, coisa que nunca havia feito antes. Percebendo que o cavalo era muito maior que ele, aproveitou o momento em que estava próximo a uma cerca para colocar em ação o seu plano. Achou que era inteligente e cauteloso e que a cerca o ajudaria a montar no cavalo. Com um dos pés apoiado na cerca, jogou sua outra perna por cima do cavalo. Imediatamente o animal começou a se mover lentamente para o lado. O menino queria, ao mesmo tempo, manter um pé na cerca e o outro no cavalo, porém, suas pernas se abriram e ele foi direto para o chão."

Muitas vezes vivemos a mesma experiência. Queremos estar com um pé na igreja e outro no mundo. E as consequências são semelhantes -- a queda é inevitável. O menino da fazenda enfrentou momentos de muita dor, mas, no caso de nossa vida com Deus, as dores são muito maiores.

Quando Jesus entra em nossos corações, nossos pés precisam caminhar juntos em Sua presença. Devemos ser diferentes, mostrar que a transformação em nós operada foi total e definitiva. Não podemos ao mesmo tempo amar e odiar, ser humildes e arrogantes, iluminar e e escurecer, louvar e murmurar, crer e duvidar, ser bênção e maldição. Ou somos de Cristo ou somos do mundo.

Não conseguiremos andar de pernas abertas -- um pé lá e outro cá. Não podemos usar, simultaneamente, vestes limpas de Deus e sujas do pecado. Como andaremos olhando para o alto, buscando a direção do Senhor Jesus e, no mesmo instante, olhando para baixo, envergonhados por saber que o que fazemos desagrada a Deus. É certo que não tardará para estarmos caídos e sofrendo as dores de nossas atitudes.

Andemos sempre como filhos da luz -- como filhos de Deus. Estaremos firmes e seguros e a nossa vida será plena de felicidade.

Paulo Barbosa

DIZER A VERDADE


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

NÃO BRINQUE COM O PECADO

Cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.

Tiago 1:14-15

Vários anos atrás, Burt Hunter, um repórter do jornal Long Beach Press Telegram, recebeu a incumbência de escrever uma reportagem acerca de uma mulher da cidade que lidava com serpentes. Quando o repórter foi à casa dela, uma autêntica mansão, descobriu que a mulher era jovem e de uma beleza estonteante.

Quando Burt expressou surpresa pelo fato de ela envolver-se numa atividade tão arriscada, a moça riu.

- Acho que gosto desse ingrediente de perigo. Mas qualquer dia desses vou ficar cansada de mexer com serpentes e daí partirei para outra coisa.

Enquanto Burt aprontava o seu equipamento fotográfico, a jovem trouxe algumas cestas de vime contendo vários répteis venenosos e colocou-as no chão. Depois de segurar vários deles, ela disse:

- Agora fique bem quieto. Esta é a minha serpente mais nova. É muito venenosa e ainda não está bem acostumada comigo.

Enquanto Burt observava, a moça ergueu a cobra de dentro do cesto. Repentinamente parou.

- Algo está errado - disse ela. - Não sei o que é, mas vou precisar colocá-la... - E não terminou a frase. Em poucos instantes ficou rígida. A serpente a havia picado!

- Rápido! - disse a moça, ofegante. - Corra ao banheiro, no piso superior. Na caixinha de remédios vai encontrar um frasco de contraveneno. Depressa, por favor!

Quando Burt retornou com o precioso soro, a moça lhe pediu que pusesse o contraveneno em uma seringa. Em seu nervosismo, Burt apertou muito o frasco. Este quebrou-se! O precioso líquido lhe escorreu entre os dedos.

- Você tem outro frasco? - perguntou ele, ansioso.

- Era o único que eu tinha - respondeu com voz fraca a jovem desesperada. Em poucos minutos lhe sobreveio a agonia da morte, e aquela vida se foi.

Muitos que brincam com as mortíferas serpentes do pecado manifestam a mesma ousada desconsideração para com o seu bem-estar eterno revelada por aquela encantadora de serpentes de Long Beach. Quando se trata desse tipo de serpentes, a única atitude segura é: "Não manuseies isto, ... não toques aquilo outro." Col. 2:21.

SABER USAR

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

DINHEIRO DA ESCRAVIDÃO



COMO EVITAR A ENTRADA DE MALES NO CORAÇÃO

"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida".

 Prov. 4:23

As fontes e os poços do oriente eram preciosidades tratadas com cuidado especial. Tapava-se cuidadosamente com uma pedra a boca de uma nascente, de maneira que a expressão, "uma nascente fechada, ou uma fonte selada", tornou-se característica para tudo que era guardado com mais cuidado. Assim é o coração. Ele é a fonte de onde procedem todas as saídas da vida, como nos diz o sábio. 

O coração e o intelecto são a fonte da vida. Se esta fonte for venenosa, a melhor parte da vida está perdida. E o livro que nos manda guardar o coração é a carta magna de um Pai bondoso e amável. Deus nos quer bem. Ele é o nosso melhor Amigo. Mas como havemos de guardar o coração? 

Alguém disse que não podemos evitar que os pássaros voem sobre nossas cabeças, mas podemos impedir que façam ninhos sobre elas; assim não podemos evitar que os pensamentos e desejos maus entrem em nossos corações, mas podemos impedir que permaneçam nele. Expulsemo-los todos sem demora e enchamos o coração de coisas boas e ele se tornará uma fonte preciosa. 

Fonte: http://www.universidadedabiblia.com/

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

SE TU SOUBESSE

Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. 

João 4.10

Uma senhora, já bem idosa, no pior período da Grande Depressão, entrou em uma Agência de Seguros de Minneapolis, EUA, caminhando lentamente. Ela perguntou se poderia parar de pagar a apólice de seguro de vida de seu marido. "Ele já morreu faz um bom tempo", disse ela, "e eu não disponho mais de recursos para continuar a fazer os pagamentos". O atendente, atrás do balcão, verificou a apólice que ela havia trazido e constatou que valia muitas centenas de  milhares de dólares. Aquela pobre senhora era rica, mas não tinha a menor idéia disso. Ninguém havia lhe explicado como funcionava as apólices de seguros. 

Talvez você não saiba que, um discípulo de Jesus, é muito rico. Talvez nem ele saiba, porque o que os nossos olhos vêem é apenas uma parte da realidade - a visível. Além do mais, o mundo nos agita muito, nos faz andar para cá e para lá num ritmo frenético. Somos sufocados pelas preocupações e acabamos perdermos o importante de vista.

Quando Jesus estava falando com a mulher samaritana, ele usou a seguinte frase: "Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz"; Quantas coisas seriam diferentes se homem conhecesse verdadeiramente Jesus? Quanto a realidade seria afetada pela presença do Mestre? Quanta miséria, dor, angústia seria extinta? Se ele entendesse que é rico e não miserável, que há espaço para a felicidade em sua vida e que só precisava abrir a porta como tudo seria diferente.

Por que não compreendemos isto? Porque temos guardado Jesus dentro da Bíblia, levado ele conosco no domingo à igreja, mencionado seu nome aqui ou ali numa oração e acreditamos que é o suficiente. Agimos como se o Mestre fosse um amuleto da sorte. Entretanto, para Deus isso não é o suficiente. Ele deseja que O busquemos todos os dias e que o tenhamos como companheiro de viagem nesta vida e não que busquemos apenas quando a situação está insustentável.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

UMA CASA PARA DEUS

E mandou o rei que trouxessem pedras grandes, e pedras preciosas, e pedras lavradas, para fundarem a casa" 

I Reis 5:17

A edificação do primeiro templo em Jerusalém foi uma das obras mais lindas que já foi feita neste mundo, tanto que era considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo.

Salomão recebeu a incumbência de edificar uma casa para Deus, um lugar que seria referência para o povo adorar a Deus, e, diz a Bíblia que ele considerou isso uma grande missão. 

A Construção do templo foi obra de sete anos. Trabalharam nele quase 200 mil homens tirando madeira, cortando e transportando pedras e em diversos outro serviços.

A Bíblia conta que ali era um lugar sagrado, pois Deus podia ouvir os homens e perdoar pecados. Um lugar de sacrifícios e oferendas. Deus se fazia presente e enchia o Templo com sua glória.

Hoje, após a morte de Jesus, o Templo de Jerusalém perdeu o seu statos de Casa de Deus. A morte de Jesus transformou o coração do homem remido por Deus em um santuário do Espírito Santo. A única coisa que Deus exige do remido é santificação e consagração para que o seu Espírito posso encher sua vida de seus frutos. 

Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual..." (I Pe 2:5)