domingo, 31 de julho de 2016

EU SEREI ESSE HOMEM

"Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes?" 

Atos 19:2

Charles sentou-se em seu lugar na aula de química enquanto o professor Jewett fazia uma preleção sobre o alumínio.

- Este metal é mais precioso do que o ouro - o professor disse.

- Napoleão 11, imperador da França, possuía uma coleção de talheres de alumínio que ele usava para honrar os seus hóspedes mais importantes. Todavia, o alumínio poderia ser um metal dos mais úteis se alguém encontrasse um modo fácil e barato de produzí-Io. Ele é leve e facilmente moldável. É forte, resistente à ferrugem, e não mancha. É bom condutor de eletricidade e de aparência artística. O homem que descobrir um modo barato de industrializá-Io, trará grande benefício ao mundo.

- Eu serei esse homem! - Charles murmurou.

Imediatamente ele instalou um pequeno laboratório no depósito de lenha do pai. Assistido por sua irmã, Julie, ele deu início aos experimentos mais diversos, e nada funcionou. Então um dia ele resolveu tentar a eletrólise. Descobriria um líquido que dissolvesse o minério de alumínio, e então passaria uma corrente elétrica através da solução.

No dia 23 de fevereiro de 1886, Charles derreteu certa mistura de alumínio. Ligou alguns fios ao cadinho e virou a chave. Após deixar que a corrente fluísse através da mistura vermelha e quente por várias horas, ele desligou a corrente e deixou que esfriasse. Rompendo a massa agora sólida, ele verificou finos fragmentos de alumínio.

A eletrólise é ainda o método utilizado para extrair alumínio. Como resultado da descoberta de Charles Martin Hall, o alumínio é agora um dos metais mais úteis do mundo. E usado em milhares de itens, desde goma para colar papéis até a construção de aviões.

Você quer ser realmente útil neste mundo? Deixe então que a rica corrente do Espírito Santo flua através de sua vida. Assim como a eletricidade purifica o alumínio, o Espírito Santo purificará a sua vida. Mediante o Seu poder o pecado será separado de sua existência. Somente então você poderá ser usado por Deus e será útil ao mundo.

Ouça isto: "Não há limites à utilidade de uma pessoa que, pondo de parte o próprio eu, oferece margem à operação do Espírito Santo na alma, e vive uma vida de inteira consagração a Deus." - O Desejado de Todas as Nações, págs. 180 e 181. Não quer você ser essa pessoa?

Fathers of Industries, págs. 237-245.
The World Book Encyclopedia, vol. 1, págs. 374-381.

PENSAMENTOS


sábado, 30 de julho de 2016

MUDANDO O CENTRO

"Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-Me." 

S. Lucas 9:23

No dia 19 de fevereiro de 1473 nasceu um menino em Thorn, Polônia, o qual se tornou um dos poucos homens de quem se pode dizer:

"Ele mudou o mundo." Quando Nicolau Copérnico foi para a escola aprendeu o que os meninos vinham aprendendo por 1.300 anos sobre o Universo, isto é, que a Terra era chata, estacionária, e o centro em torno do qual se moviam todos os corpos celestes. Não era coisa visível que o Sol nascia e se punha todos os dias - nascia pela manhã, fazia o seu percurso e se punha de tarde? O Céu ficava no alto, o inferno embaixo, e o homem, centro de tudo, ficava no meio.

Nicolau não via deste modo. Depois de muito estudo ele estava convencido de que a Terra girava em seu eixo, tal como ocorria com todos os outros planetas. E não apenas isto, mas ele cria que o Sol, não a Terra, era o centro em torno do qual os planetas giravam.

Seus escritos foram banidos como perigosos para a religião, e alguns que ensinavam suas idéias foram postos na fogueira.

Hoje ninguém crê que a Terra seja plana. Todos entendem como certo que a Terra gira em torno de seu próprio eixo. Entretanto, há algumas pessoas que parecem pensar que elas, sim, é que são o centro do Universo. Este é o tipo de pessoas que querem ter o seu próprio caminho, ver sua própria vontade feita todo o tempo. Toda atividade tem de girar em torno delas. (...)

Falando de crianças, a Sra. White diz: "Devem os pais ensinar-lhes lições de abnegação e nunca tratá-Ias de tal maneira que as leve a pensar que são o centro, e que tudo gira ao seu redor." - Orientação da Criança, pág. 132.

Aprendeu você a negar-se a si mesmo pela felicidade de outros?

Talvez você necessite mudar o centro da vida do seu ego para Jesus, o Sol da Justiça. Então outras pessoas encontrarão o seu lugar certo no universo de você. Nisto se resume a negação do eu - mudança do centro de nossa vida.

Outro modo de dizer abnegação é: Jesus primeiro, outros depois, e você por último.

Scientists Who Changed the World, pág. 13.
The Story of Civilization, Will Durant (edição americana), vol. VI, 1957.
The World Book Encyclopedia, vol. 7, pág. 65.

SE MUDAR...


sexta-feira, 29 de julho de 2016

A BÍBLIA DE MARY JONES

"Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de Mim." 

S. João 5:39

Bíblias eram escassas no País de Gales em 1794. As poucas disponíveis para venda eram tão caras que somente pessoas muito abastadas podiam adquirir uma. Embora a família Jones fosse pobre, eles não impediram Mary de pesquisa r as Escrituras.

Um dia ela caminhou mais de 3 quilômetros até a casa de uma família conhecida e timidamente pediu: "Por favor, posso ler sua Bíblia só por um pouquinho de tempo?" "Certamente, minha filha", a esposa do fazendeiro respondeu.

"Entre." A mulher conduziu Mary para o melhor aposento da casa onde a Bíblia ocupava lugar de honra. Então quietamente saiu enquanto Mary ficou só com uma Bíblia pela primeira vez em sua vida.

Com a respiração suspensa tão grande era o seu excitamento, Mary ergueu a toalha que cobria a Bíblia e colocou-a a seu lado. Com mãos trêmulas ela abriu o grande livro. Por acaso abriu-o em S. João 5. Ali leu as palavras de Jesus: "Examinai as Escrituras." "Sim, eu o farei! Eu o farei!" ela exclamou em prantos. "Oh, se tão-somente eu tivesse uma Bíblia só minha!" Seis anos mais tarde Mary caminhou descalça cerca de 44 quilômetros até a cidade de Bala onde se vendiam Bíblias. Em seu bolso ela levava o dinheiro que havia economizado. Mary foi direto à casa do Pastor Thomas Charles que possuía os únicos exemplares de Bíblias galeses para venda.

"Sinto muito", o Pastor explicou, "mas todas as Bíblias que tenho já estão reservadas." Mary não conseguia crer no que ouvia! Ela começou a chorar como se seu coração estivesse partido. Lágrimas encheram os olhos do Pastor Charles, também.

"Você terá a sua Bíblia", ele disse, entregando-lhe um de seus exemplares reservados.

Dois anos mais tarde o Pastor Charles contou a história de Mary em Londres e pediu que uma sociedade para distribuição de Bíblias fosse criada para que as Escrituras circulassem entre o povo galês.

"Por que somente o País de Gales?" alguém indagou. "Por que não para o mundo todo?" Foi assim, em virtude do grande desejo de Mary de possuir uma Bíblia, que se criou a Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira no dia 7 de março de 1804. Hoje muitas pessoas podem ler a Bíblia em sua própria língua. Certamente você possui uma. Não gostaria de tomar a decisão de ler sua Bíblia com mais freqüência e fidelidade?

The Hand of God in History, William S. Spicer, págs. 173.177.

APRENDER ALGUMA COISA


quinta-feira, 28 de julho de 2016

COMO ÁRVORES...

Qual o tamanho de um sofrimento? Quanto tempo devemos chorar por um ente querido que morreu ou pelo amor que se perdeu? Quanto tempo devemos guardar trancado um coração que sofreu uma traição? Quantos dias devemos ficar trancados em um quarto se alguém nos decepcionar? Qual o tamanho do ódio que devemos criar para aqueles que nos humilharam ou feriram? É muito difícil determinar o tamanho, o tempo certo. Tudo tem um limite, e cada um de nós é suficientemente adulto para perceber quando estamos passando dos limites.


Assim, as pessoas que se trancam na dor e fazem dessa dor o motivo para não viverem, para não lutarem e simplesmente desistirem da vida, estão indo contra um princípio natural e divino que aponta sempre para a continuidade da vida. Se você cortar uma árvore centenária e deixar apenas um pequeno toco, verá depois de alguns meses a vida renascer com pequenos galhos já crescendo e desafiando a vida para ressurgir.

Em alguns anos será novamente uma medida, nossa dor tem que ter limite, o nosso isolamento do mundo tem que ter um breque, porque somos como árvores frondosas que estão sujeitas a vários cortes durante nossa vida, alguns cortes derrubarão poucas folhas, outros podem até destruir todos os galhos que demoramos anos para juntar, mas sempre nos restarão algumas sementes que se regarmos com paciência e amor, em breve nos transformará de novo em belas árvores. 

Se você, no dia de hoje, é apenas um toco, lembre-se que dentro de você tem uma semente divina que deve ser cultivada sempre, que precisa muito mais da sua atenção que de mãos estranhas, por isso ame-se, respeite-se, respeite a vida e o curso que ela tem, transforme-se definitivamente numa árvore que dá frutos, que dá sombra e lembrar sempre a todos que enquanto existir vida existem possibilidades de transformar, de renascer e de ser feliz!!!! 

Alicinha
Fonte: http://www.webservos.com.br/

PARA FAZER COISAS GRANDES


quarta-feira, 27 de julho de 2016

COMO É BOM TER UM LAR

"Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males" (1 Timóteo 6:10).

Uma pequena menina, bonita e esperta, estava sentada sobre uma pilha de bagagens no salão de entrada de um hotel. Seus pais estavam no balcão de recepção, preenchendo as fichas de registro para um quarto. Uma senhora simpática perguntou à menina se eles estavam na cidade para visitar algum parente. "Oh, não", respondeu a menina. "Nós vamos ficar neste hotel até acharmos uma casa para morar. Meu papai tem um novo emprego e nós tivemos que vender nossa casa e mudar". A senhora disse: "Oh, sinto muito por você não ter um lar". A menina logo replicou: "Nós temos, sim, um lar. Só não temos uma casa para colocar ele dentro."

Que grande bênção é termos um lar para viver. Não importa se este lar fica dentro de uma casa grande, um palacete, uma mansão, uma cobertura duplex num bairro nobre, ou em uma pequena casa em um subúrbio qualquer. Seja qual for a quantidade de cômodos ou o tamanho do quintal, sempre somos felizes quando temos um lar para viver.

Muitas famílias moram hoje em prédios suntuosos, com vários carros na garagem, com mobílias compradas em shoppings caros, sem ter a alegria de um lar. Têm tudo que o dinheiro pode comprar, mas, não têm a paz e a felicidade almejadas.

Às vezes invejamos os ricos, pedindo a Deus que nos faça como eles. Enquanto isso, os ricos choram e se lamentam por não ter a vida abençoada e tranquila de muitos pobres que conhecem.

O problema da infelicidade é o dinheiro? Claro que não!. Ter dinheiro é muito bom desde que não seja ele o nosso maior tesouro. A verdadeira felicidade e o maior tesouro que podemos ter é o Senhor Jesus no coração. Se essa for a nossa realidade, então seremos felizes, tanto com dinheiro como sem ele. Se formos pobres, com Jesus, estaremos muito bem. Se formos ricos, com Jesus, estaremos ainda melhor, pois, o Senhor nos ensinará a usá-lo para a glória de Seu nome.

Como é bom ter um lar! Como é bom ter um lar com Jesus! Tudo o mais que conseguirmos são apenas... mais bênçãos.

Paulo Barbosa
Fonte: http://www.webservos.com.br/

COMPROMISSO COM A VIDA


VERDADE É FOGO


terça-feira, 26 de julho de 2016

SIGNIFICOU TANTO

E assentaram-se com ele na terra, sete dias e sete noites; e nenhum lhe dizia palavra alguma, porque viam que a dor era muito grande.


Jó 2:13 


Uma coisa que eu aprendi na vida, nas horas ruins e difícil do viver, é que a companhia, a presença e o olhar são mais preciosos do que palavras e sorrisos.

Tony Campolo conta que uma vez foi a um funeral. Por engano foi parar a uma sala errada onde jazia o corpo de um homem idoso. A viúva era a única enlutada presente. Ela parecia tão só que Campolo decidiu ficar para o funeral. Ele chegou mesmo a acompanhá-la ao cemitério. No fim do funeral, Campolo acabou por confessar-lhe que não havia conhecido o marido dela. 

– Eu pensei o mesmo - disse a viúva - Mas realmente não faz mal. O senhor nunca, mas nunca, vai entender o que isto significou para mim.

A maioria das vezes os que sofrem lembram-se das presenças despretensiosas e singelas dos que apenas o acompanharam. Alguém que esteve presente quando foi preciso, que escutou, que não estava sempre olhando para o relógio, que abraçou, tocou e chorou.

Um coração que sofre, na maioria das vezes, só precisa de alguém disposto a caminhar com ele algumas horas. As palavras não importam. A gente precisa é da companhia, mesmo que se faça em silêncio e de um abraço. A alma jamais esquecerá.

MUDAR DE VIDA


segunda-feira, 25 de julho de 2016

SALVO POR TRÁS DO ESCUDO

"Ele é escudo para os que nEle confiam." 

Provérbios 5:6

Antes que os astronautas tivessem autorização para arriscar a vida no espaço, vários satélites não tripulados foram postos em órbita a fim de prover informações sobre condições que os viajantes do espaço Inflam de enfrentar.

Um dos mais importantes desses satélites foi o Explorer I, lançado do Cabo Kennedy no dia 31 de janeiro de 1958. Sob a direção do Dr. James Van Allen, ele levava cerca de 8 kg de instrumentos especiais.

Alguns destes instrumentos tinham por tarefa medir a intensidade das radiações.

Os cientistas ficaram surpresos ao descobrirem que havia dois concentrados cinturões de partículas carregadas encastelados no campo magnético da Terra. Denominados Cinturões de Radiação Van Allen após sua descoberta, esses cinturões representavam um verdadeiro problema para vôos tripulados ao espaço exterior. Essas partículas elétricas produziam perigosos raios X quando entravam em contato com o satélite.

Os cientistas procuraram encontrar material especial de isolação para utilizar como escudo que protegeria o navegante do espaço de radiações tão altas que de outro modo a morte seria certa. Experimentos levaram finalmente a uma combinação de diferentes materiais que têm reduzido os efeitos dos cinturões Van Allen a não mais do que a radiação de uma radiografia de dente.

Embora pareça razoavelmente seguro enviar homens ao espaço hoje, ainda há riscos. O homem no espaço está na inteira dependência do seu artefato de voo. Tudo dependerá de funcionar ele ou não de modo perfeito e seguro. O homem não pode deixar seu artefato de voo no espaço por muito tempo, pois nele está seu suprimento de oxigênio e seu alimento. E ele é seu meio de ligação com o controle de Terra e sua proteção com os azares do voo. No uso de seu escudo ele pode penetrar os cinturões de radiação Van Allen e retomar seguro à Terra.

Assim é em nossa exploração espiritual. Tudo depende da adequação de nosso artefato espiritual de voo. Estaremos a salvo da mortal radiação do pecado somente se permanecermos em Jesus. Nosso vital suprimento de oxigênio é a oração, e a Bíblia é nossa inesgotável fonte de alimento. O permanecer junto de Jesus nos assegurará a importante comunicação com o Céu. Sua companhia nos protegerá contra o calor das tentações de Satanás.

Permanecer em Cristo por meio da oração, do estudo da Bíblia, de cânticos de louvor, é nossa garantia de esperança. Estaremos a salvo por trás do escudo.

World Book Encyclopedia. vol 18, pags, 564-572.

UMA CABEÇA MÁ


domingo, 24 de julho de 2016

UMA LIÇÃO DE PERDÃO

“Aquele que dá o que não pode manter, pra ganhar o que não pode perder, não é um tolo” - Jim Elliot

Recebi um convite para ministrar em um encontro de senhoras o tema: “Influenciando vidas através do caráter – abordando o perdão” Orando e buscando no Senhor o discernimento, lembrei-me de um episódio que ilustra com profundidade a prática do perdão: A vida de Jim e Elizabeth Elliot.

Quem nunca ouviu acerca de Jim Elliot que foi brutalmente assassinado juntamente com seus quatro companheiros quando empreendiam um projeto de evangelização aos índios Aucas no Equador? É uma das mais fascinantes e marcantes histórias missionárias. 

Nascido em 8 de Outubro de 1927 em Portland, Oregon, Jim recebeu a Jesus Cristo como Salvador aos 8 anos de idade... quão maravilhoso ver na vida dele as palavras de D.L.Moody cumpridas: “uma criança salva tem uma vida inteira pela frente para ser usada na obra do Salvador” . Ainda que a vida de Jim não foi tão longa, os poucos anos vividos foram com intensidade para o Mestre; conta-se que uma de suas mais constantes orações era: “Consuma minha vida, Senhor. Eu não quero uma vida longa, mas sim cheio de Ti, Senhor Jesus. Satura-me com o óleo do teu Espírito…” 

Embora se destacasse talentosíssimo em qualquer atividade em que se envolvesse e aos olhos dos homens pudesse seguir uma carreira secular de sucesso, ele era convicto de sua vocação e chamada para o ministério e por isso priorizou seus estudos com o intuito de alcançar a melhor preparação possível para este intento, tanto que empenhou-se em estudar grego já visando uma possível tradução do evangelho para alguma língua nativa. Foi durante seus estudos que conheceu Elizabeth Howard, que também tinha um chamado para missões transculturais e se casaram em 1953 na cidade de Quito (Equador) sendo que em 1955, nasceu sua filha Valerie.

Convicto de seu chamado transcultural, Jim foi duramente criticado por alguns líderes que viam nele um futuro promissor, mas pastoreando Igrejas nos Estados Unidos e não pregando aos índios na Amazônia Equatoriana.

Juntamente com Ed McCully, Peter Fleming, Nate Saint e suas esposas, Jim e Elizabeth foram trabalhar no Equador com os índios Quechua sendo que Jim e Elizabeth trabalharam intensamente na tradução do Novo Testamento para a língua dos Quechuas. Mais tarde começaram a elaborar um plano para evangelização dos índios Aucas (hoje conhecidos como Huaoranis) que tinham a fama de serem muito violentos e que não possuiam nenhum contato com o mundo exterior; foi aí que Roger Youderian, um novo missionário juntamente com sua esposa pediu para se juntar ao grupo. 

Durante quatro meses eles tentaram uma aproximação da tribo Auca levando presentes; a tática parecia estar dando certo pois os índios estavam retribuindo as gentilezas. Diante do progresso alcançado, os cinco jovens missionários resolvem montar um acampamento às margens do rio Curray e através de uma estação de rádio se comunicavam constantemente com suas esposas que tinham ficado na base da missão.
Pouco tempo depois, um grupo de quatro índios visitaram os missionários em seu acampamento. Os missionários deram-lhes presentes e alimentos como um sinal de paz o que foi retribuido. Outros contatos foram feitos por mais algumas vezes e um daqueles índios chegou a voar com Nate Saint em seu avião, sobrevoando sua própria aldeia. 

Incentivados por uma visita de alguns indios no dia 7 de Janeiro, os missionários decidiram ir até a aldeia dos Aucas. Era o dia 8 de Janeiro de 1956, o fatídico dia! Nate e Jim sobrevoaram a área da aldeia dos Aucas e avistaram um grupo de 20 a 30 índios se movendo em direção ao acampamento. Pelo rádio se comunicaram com suas esposas dizendo do encontro iminiente com os índios pela manhã e disseram que entrariam em contato novamente às 16h30, contato este que jamais foi feito. 

Ao chegarem na praia de seu acampamento, Nate e Jim avisaram aos outros que os Aucas estavam vindo. Como seria o encontro? Eles não sabiam. Mesmo munidos de armas, eles decidiram não utilizá-las e pouco tempo depois quando os Aucas chegaram os cinco foram violentamente assassinados pelos índios. 

Angustiadas pela demora do contato de seus maridos, suas esposas solicitaram imediatamente ajuda. Forças do exercito equatoriano sobrevoaram o rio Curray e encontraram os corpos de quatro missionários (não foi encontrado o corpo de Ed McCully). Eles haviam sido brutalmente perfurados por lanças e machados. As esposas desses missionários, apesar da grande dor que sofreram, decidiram continuar com a missão, e algum tempo depois foram sucedidas na evangelização dos Aucas. Todo esforço e sofrimento foram recompensados: a tribo foi evangelizada e alguns anos mais tarde, o assassino de Jim Elliot, agora convertido ao Senhor Jesus e líder da igreja na aldeia batizou a filha de Jim e Elizabeth no rio onde seu pai tinha sido morto.

Que lição! Se voc^estivesse no lugar de Elizabeth, você perdoaria os assassinos de seu esposo? Permitiria que o próprio assassino batizasse sua filha?
Difícil, não? A situação se torna um pouco mais compreensível quando eu paro para refletir que EU SOU responsável pela morte do Filho de Deus! Isso mesmo! Cada um de nós somos assassinos de Jesus Cristo, pois sua morte foi em virtude de NOSSO pecado!
Se EU fui perdoado por Deus, como posso negar o perdão ao meu próximo?

A vida e o testemunho desses cinco missionários martirizados por amor ao evangelho têm inspirado até hoje centenas de jovens a dedicar suas vidas ao Senhor da seara. Jim Elliot procurou servir a Jesus com todas as suas forças e a maior parte de sua vida e de seu ministério é contado por sua esposa Elizabeth em dois livros publicados posteriormente. Sua célebre frase, encontrada em seu diário nos inspira a entregar sem reservas a nossas vidas nas mãos do Mestre: 
“Aquele que dá o que não pode manter, para ganhar o que não pode perder, não é um tolo”.

Que Deus te abençoe!

Joel Barbosa

Esta postagem foi adaptada em cima do texto extraído da Biografia de Jim Elliot produzido por LUCIANO HÉRBET

CIDADÃOS DA ETERNIDADE


sábado, 23 de julho de 2016

AMAI OS VOSSOS INIMIGOS

"Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem."

 Mateus 5.44

Não é coisa fácil amar os inimigos. Às vezes é difícil amar até mesmo os nossos amigos! Como podemos desejar o bem para quem nos deseja o mal? Fazer algo de bom para quem nos odeia é realmente muito duro. E espera-se que oremos até por aqueles que trabalham contra nós, tornando amarga a nossa vida.

Jesus foi capaz de fazer isto do modo mais cabal. Quando Ele estava suspenso na cruz. sofrendo inaudita agonia pelos meus pecados, como também pelos de você, ainda assim orou pelos Seus perseguidores. "Pai, perdoa-Ihes", Ele disse. "porque não sabem o que fazem." O Mahatma Gandhi foi um homem com este mesmo espírito. Em 1947 alguém procurou matá-lo com uma bomba de fabricação caseira. Após o incidente Gandhi disse: "Ninguém deve desprezar o desnorteado jovem que atirou a bomba. Provavelmente ele me considerava inimigo do hinduísmo." E Gandhi pediu a seus seguidores que orassem pelo jovem. Tivesse ele vivido e teria tido a mesma atitude para com os que o assassinaram em 1948.

Pouco depois das 5:00h da tarde do dia 30 de janeiro de 1948, O Mahatma Gandhi se dirigia para o local de oração onde 500 pessoas o esperavam. Estas pessoas se levantaram quando ele se aproximou e trataram de arranjar um lugar em que pudessem ver melhor este homenzinho meio-despido e com grandes óculos, trazendo em torno do corpo um cinto de pano e sandálias nos pés. Batendo palmas levemente segundo o tradicionalmente cumprimento, ele sorriu e começou a subir a plataforma de madeira onde usualmente se assentava.
Um brâmane de linhagem depressa atravessou a multidão até chegar à fila da frente. Aí ele se curvou. Depois, metendo a mão no bolso da jaqueta cáqui que usava tirou uma pistola e atirou três vezes contra Gandhi.

"Oh. Deus!" Gandhi suspirou. e caiu ao chão já morto.

Duas horas mais tarde o primeiro ministro, Nehru, entrou no ar para pedir aos cidadãos da Índia que enfrentassem a tragédia no espírito de Gandhi. Ele sugeriu orações em lugar de violência, e perdão em lugar de ódio.

Ao contrário de Mahatma Gandhi, a maioria de nós não temos inimigos que nos ameacem a vida. Nossos inimigos são daquela espécie que nos incomodam e tornam nossa vida desagradável. E essas são as pessoas que devemos amar hoje. Você está disposto a tentar?

World Book Encyclopedia, vol. 8, pág. 27.
Enciclopédia Britânica, verbete Gandhi.

SEM RAIVA



sexta-feira, 22 de julho de 2016

JESUS NA ESCOLA

Jesus, aluno de uma escola de Nazaré, volta á sua casa com o seu boletim de notas. Sinceramente, não é nada bom. Sua mãe vendo suas notas ruins, não diz nada: "medita todas as coisas em seu coração" e pensa em como irá contar a José...

Boletim:

Matemática
Quase não sabe fazer nada, exceto multiplicar os pães e os peixes

Sentido de soma:
Não aprendeu, pois afirma que seu Pai e Ele são somente um.

Escrita:
Não tem nenhum caderno nem lápis, pois escreve na areia.

Geografia:
Não tem nenhum sentido de orientação: afirma que só um caminho que conduz a casa de seu Pai.

Química:
Não faz os exercícios que se pede e volta e meia transforma a água em vinho para oferecer aos seus colegas.

Educação Física:
Em vez de aprender a nadar como os outros, caminha sobre as águas.

Expressão oral:
Grandes dificuldades para falar claramente, pois se expressa em parábolas.

Ordem
Tem perdido todos os objetos na escola e afirma, sem vergonha, que não tem nenhuma pedra para descansar a cabeça.

Conduta:
Tendência a tratar bem os estrangeiros, os pobres, os perigosos e todos que se encontram com Ele.

"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Do aumento do seu governo e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o estabelecer e o fortificar em retidão e em justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos fará isso." (Is.9:6,7)

Agora é só aprender com Jesus!
Tenha um bom dia de aula.


Katia Bastos

TUAS REAÇÕES


quinta-feira, 21 de julho de 2016

PERTO DE TI


CONFIAR AINDA QUE SEJA DIFÍCIL

Diz a Bíblia que Deus enviou Jonas para Nínive, mas ele se recusou a ir e foi para Társis. Não vamos entrar no mérito de que Jonas tinha seus motivos e, talvez, fossem até justos. No entanto, isso não justificou o fato de ele desobedecer a Deus e por em risco a vida de várias pessoas.

É comum, às vezes, a gente não concordar com Deus... Entendemos que as coisas poderiam ser melhores ou, então, diferentes. Jonas não era diferente de nós, tinha sentimentos, convicções e crenças. Ele não conseguia fingir que estava tudo bem. Ele jamais se imaginou indo para Nínive... Mas agora, Deus o enviou para lá...  

Há dias que eu sou Jonas. Após ouvir Deus falar, fico contrariado com o que Ele me pede fazer. Então, corro a apresentar-me diante dEle com as mãos cheias de desculpas e a mente repleta de ideias e justificativas, esperando que Deus mude de ideia ou me peça para agir doutro modo. Vã esperança essa nossa de que somos mais sábios que Ele.

Deus não é como nós que vemos mal o final do dia. Ele enxerga além dos anos e sabe qual o resultado daquele caminhar. É preciso confiar em Deus até quando o caminho parece difícil.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

AJUDA DE CRIANÇA

Quando criança, o pastor Cícero da Silva gozava da liberdade interiorana e podia acompanhar o crescimento da criação de galinhas no quintal de sua casa. Nisto, tentava dar sua contribuição. 

Curioso como toda criança, ao perceber que os ovos das galinhas chocadeiras já estavam trincados, pegava um a um e cuidadosamente os abria, como se estivesse fazendo um grande favor às galinhas. Para ele, agindo assim, ajudaria os pintinhos a nascer. Porém, para sua decepção, todos morriam. E, para sua alegria, sua mãe demorou muitos anos para descobrir o "intruso" que estava "gorando" a reprodução.

Quantas vezes, nos esforçamos tanto para ajudar o que não precisa ser ajudado que acabamos por destruir ou arruinar o que foi feito perfeito por Deus? Muitas! Que Deus nos ajude a entender que sua vontade é o melhor para a nossa vida e que sejamos sábio para aceitar o seu tempo.

Quem operou e fez isso, chamando as gerações desde o princípio? Eu, o Senhor, o primeiro, e com os últimos, eu mesmo  Is 41.4.

BELOS SONHOS


terça-feira, 19 de julho de 2016

VOLTE AMANHÃ

Não digas ao teu próximo: Vai, e volta amanhã que to darei, se já o tens contigo. 

Prov. 3.28

Já vi em muitos estabelecimentos a frase: "Fiado só amanhã!". É uma maneira educada, humorada e inteligente do dono dizer que não vende a crédito. Se alguém em insistir em comprar fiado voltando no dia seguinte, encontrará  sempre a mesma frase: Fiado só amanhã!

Eu posso até entender os motivos que levaram ao dono agir assim: alguém comprou fiado, acertou data de pagamento, mas não cumpriu o combinado, ficando o proprietário no prejuízo - perdeu a mercadoria e o cliente.

No entanto, quero alertar aos meus leitores de um perigo muito grave: o de em razão das injustiças sofridas, fecharmos o coração e tratarmos todos como possíveis enganadores, deixando o dever cristão de ajudar ao próximo.

Lembremos que, às vezes, o necessitado não pode esperar até amanhã... E que Deus nos concedeu bens também com o propósito de socorrer o necessitado. Quem tem fome não pode esperar até amanhã... que tem frio não pode esperar até amanhã... o que sofre, sofre hoje e Deus espera que sejamos sensíveis a dor alheia.

O ÚNICO BEM


segunda-feira, 18 de julho de 2016

ENSINANDO CAVALO A VOAR

Conta-se que havia um rei cruel e desumano, que por um motivo banal, condenou à morte o seu humilde e fiel súdito. O homem, apesar da pena imposta, continuou tranquilo e sereno, e quando já estava prestes a ser executado, pediu então pra falar pela última vez com o rei, e aí lhe fez uma surpreendente proposta: que ele o permitisse ensinar o lindo cavalo branco real a voar... e que caso não o conseguisse, dentro do prazo de um ano, que então o rei cumprisse sua sentença de forma bem dolorosa, arrancando membro por membro de seu corpo, até que não pudesse mais resistir.... O rei adorou a ideia, não porque acreditasse que o seu cavalo pudesse voar, mas pelo sinistro prazer de vê-lo morrer com todo aquele requinte de crueldade, e então aceitou o acordo.

Ouvindo tudo aquilo, um amigo do ex-súdito lhe perguntou: “Por que adiar o inevitável? Não vês que cavalos nunca hão de voar???” O rapaz sorriu, e com aquela calma de sempre respondeu: “Nada é inevitável nessa vida, pois se adio a minha morte, as chances de eu vencer passam a ser de cinco a um...” O outro arregalou os olhos e quis saber: “Como assim???” e ele então explicou: “Dentro de um ano, o rei pode perder o trono; ou pode morrer; o cavalo pode fugir; ou então eu posso fugir; e se nada disso acontecer, poderei ainda tentar ensinar o cavalo a voar...”

Frequentemente nos vemos diante de obstáculos difíceis e aparentemente impossíveis de transpor. Por mais que busquemos soluções, elas parecem não existir. O primeiro impulso nos convida a desistir, mas é preciso que jamais esqueçamos que para o nosso amado Deus não existe impossíveis! (Lucas 1:37)

Antes de Santos Dumont, se dizia que o homem jamais poderia voar ("Oras! se Deus quisesse que o homem voasse, teria lhe dado um par de asas."), porém hoje, em poucas horas, o homem atravessa o vasto oceano e chega num outro continente! Assim como o súdito da nossa estória, aprendamos que é preciso olhar a situação com otimismo. Para cada possibilidade adversa, muitas favoráveis poderão ser encontradas, e, com muita fé e determinação, tudo o que nos parecia impossível, tornar-se-á realidade.

Não esmoreça nunca! mesmo que tudo indique o contrário, pois com certeza, Deus é fiel e não será preciso você ensinar um cavalo a voar...

ADAPTAÇÃO

Celso Ribeiro

PERGUNTAS


domingo, 17 de julho de 2016

O CARRO DA FAMÍLIA

"Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará." 

Daniel 12:4

O aumento do conhecimento nos últimos duzentos anos tem sido espantoso. Veja por exemplo o campo do transporte. No início do século dezenove o homem viajava como vinha viajando por milhares de anos, em veículos de tração animal ou a pé. Navios de linha levavam semanas para atravessar o oceano.

Durante a metade do último século ocorreu uma dramática mudança Navios a vapor e transportes ferroviários aumentaram sobremodo a velocidade nas viagens. Veio então o automóvel. Karl Benz da Alemanha foi o primeiro a fazer um carro com sucesso.

Imagine que você estivesse ali naquele dia em que Benz tirou o seu carro para fora da oficina. Você o veria sentar-se cuidadosamente ao volante e pôr o motor em funcionamento. Haveria um ruído, uma sacudidela e as rodas começavam a virar.

Foi assim que aconteceu. A esposa veio correndo lá de dentro da casa, e com as mãos levantadas gritou: "Você conseguiu, Karl, você conseguiu!" Depois de dois meses de experimento ele havia conseguido produzir um motor de combustão interna que realmente empurrava o veículo. Meses mais tarde, ele estava pronto para uma demonstração pública. Uma série de explosões fez as pessoas recuarem assustadas quando o carro começou a mover-se para a frente. E houve gritos quando viram o carro fora de controle e Karl e a esposa lançados fora do veículo. O carro sem ninguém dentro foi bater contra um muro de pedra. No dia 29 de janeiro de 1886, Karl Benz conseguiu a patente para o primeiro automóvel. Ele alcançou a impressionante velocidade de uns 14 quilômetros por hora. Isto era demasiado para os alarmados oficiais da cidade de Manheim, Alemanha. Uma lei determinou que a velocidade máxima dentro dos limites da cidade não poderia ultrapassar 6 quilômetros horários.

Que pensariam essas pessoas de um século atrás se pudessem ver a velocidade em que os carros correm nesta época?

O carro tornou-se uma necessidade. Há milhões deIes em todo o mundo hoje. A distância média que um carro percorre é de mais de 16 mil quilômetros por ano. Isto é bem uma espécie de correr de um lado para outro.

Seria isto parte do que Daniel viu em visão? Será um dos sinais de que Jesus logo estará vindo?

Fonte: 4tons

TORRES ALTAS


sábado, 16 de julho de 2016

ALGUÉM AJUDOU

"Porque aos Seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos." 

Salmo 91:11

O expresso de passageiros de Caraqui estava correndo a quase cem por hora na manhã de 21 de janeiro de 1954. Ao virar uma curva o maquinista viu o perigo, mas demasiado tarde para evitar o desastre. O expresso foi direto de encontro a uma composição transportadora do óleo que estava descarrilada à frente. Não levou muitos minutos e os carros esmagados estavam em chamas com uma centena de pessoas presas em seu interior.

O Pastor A. F. Jesson estava dormindo na parte superior do leito do terceiro carro a contar da cabine do maquinista, quando começou a tragédia.

E quando o esmagamento terminou, ele havia sido lançado para debaixo do seu beliche. Ele sentiu como se água estivesse correndo por cima dele. Era na verdade óleo diesel provindo da composição que causara o acidente. Então o Pastor Jesson agarrou-se ao seu beliche e conseguiu ver-se livre.

As chamas do óleo em combustão estavam já a uns dez metros de altura e o vento de inverno estava soprando essas chamas na direção do compartimento do Pastor Jesson. Foi aí que ele ouviu gritos de socorro. Um de seus companheiros de viagem ficou preso debaixo de um metro de ferragem retorcida.

Depois de procurar levantar pranchas muito pesadas, ele resolveu pedir ajuda. Um homem apareceu, mas os dois juntos ainda não conseguiram retirar o companheiro preso nos escombros. Nesta altura já havia fogo em seu carro, e o ajudante fugiu.

Não me deixe morrer! - gritava o homem preso nas ferragens.

O Pastor Jesson enviou um grito de socorro a Deus, e tratou de se curvar sobre o homem a fim de fazer mais uma tentativa.

Alguém me ajudou - o Pastor Jesson disse - e pudemos libertar o homem.
O Pastor Jesson olhou ao redor à procura do homem que o ajudara, mas não viu ninguém.

Embora estivessem agora cercados pelas chamas, sua roupa encharcada de óleo não pegou fogo. Mãos com mãos, ambos se afastaram do compartimento em chamas.

O senhor me salvou a vida - disse o homem agradecido.

Agradeça ao Senhor - o Pastor Jesson disse, olhando para trás ao trem abrasado - sem Seu auxílio não teríamos saído vivos.

Pedindo licença, o Pastor Jesson foi para trás de alguns cactos e ajoelhou agradecendo ao Senhor pelo livramento. Ele não somente estava vivo, mas não sofrera sequer um arranhão em parte alguma do corpo.

Youth´s Instructor, 4 de maio de 1954, pág. 5.

CÓLERA


ELE MORREU POR MIM

"Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos". 


João 15:13.


Durante a crise da Guerra Civil na América do Norte, era permitido a um homem convocado, mandar um substituto. Um fazendeiro no estado de Nova Iorque foi chamado para o exército. Sua esposa já havia falecido e ele tinha diversos filhinhos para criar. Estava em dificuldade por causa da família, quando um moço vizinho, inteiramente livre, se ofereceu para ir em seu lugar. Por causa dos filhos, o homem aceitou o substituto. O amigo generoso no primeiro encontro da batalha foi morto.

Quando a notícia lhe chegou aos ouvidos, o fazendeiro tomou dois cavalos e foi até o campo de batalha. Lá procurou o corpo do moço e ternamente o enterrou no cemitério ao lado da igreja. Sobre o túmulo, como expressão de gratidão pelo grande sacrifício deste amigo, mandou esculpir as seguintes palavras: "Ele morreu por mim". 

UM PRÍNCIPE SÁBIO

sexta-feira, 15 de julho de 2016

NÃO FEZ O BASTANTE


O MELHOR PLANO

"Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como faremos isto ou aquilo." 

S. Tiago 4:14

Robert Burns, o poeta nacional da Escócia, aprendeu desde cedo como é difícil fazer planos para o futuro.

Ele nasceu em 25 de janeiro de 1759, numa humilde cabana de dois aposentos junto ao Rio Doon. Filho de um agricultor, ele cresceu conhecendo o significado da luta e de sonhos infrutíferos. Duas vezes ele mudou de lugar, esperando melhorar sua sorte.

Então seu pai morreu e Robert, filho mais velho, teve de assumir a fazenda. Foram-se os seus sonhos de uma educação melhor e de uma vida mais fácil. A idade de 16 anos ele descreveu sua vida como "solidão de um eremita e trabalhos forçados de um escravo de galé".

Robert queria muito frequentar uma escola, mas não tinha tempo para isto. Aprendeu a ler, sim, e passou então a procurar educar-se a si mesmo, e instruir-se por si mesmo. Era um quadro comum vê-Io comer com um livro numa das mãos e a colher na outra. Ele levava livros no bolso, de modo que pudesse estudar enquanto dirigia a carreta.

Ele cantarolava melodias populares escocesas enquanto dirigia o arado, e logo começou a compor letras para essas melodias. Você poderá até já haver cantado alguma dessas melodias de Robert Burns.

Talvez Robert estivesse pensando em suas próprias desapontadas ambições quando escreveu o poema "para um Rato". Ai ele diz: "Os melhores planos feitos por ratos e por homens, muitas vezes saem errados." Isto pode ser verdade em relação a ratos e a homens, mas não o é com relação a Deus. O Senhor diz: "Eu o disse, e farei que se cumpra; Eu propus, e também o farei." Deus tem um propósito para sua vida e Seus planos são certos.

"Em Sua amorosa solicitude e interesse para conosco, Ele que nos compreende melhor do que nós próprios, permite-nos, por vezes, que procuremos egoisticamente satisfazer nossa ambição. Não tolera que omitamos os deveres caseiros, mas sagrados, que junto de nós nos aguardam. Muitas vezes estes deveres proporcionam a educação essencial à nossa preparação para uma obra mais elevada. Nossos planos são com frequência frustrados, a fim de que sejam cumpridos os planos de Deus a nosso respeito” - A Ciência do Bom Viver, págs. 473 e 474. Por que não pedir a Deus que execute Sua vontade em sua vida, mesmo que isto signifique que seus planos pessoais, aqueles que você mesmo estabeleceu, poderão não dar certo?

World Book Encyclopedia. vol. 2. pág. 599.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

FORÇA REVOLUCIONÁRIA

"Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sareis Minhas testemunhas."

 Atos 1.8

O Sr. Boulton estava mostrando ao Sr. Boswell, o famoso escritor, sua nova fundação Birmingham, Inglaterra. Voltando-se para seu hóspede, o Sr. Boulton disse: "Venderei aqui, senhor, tudo que o mundo deseja." 

- Que é isto? - perguntou o Sr. Beswell.

- Força - o Sr. Boulton respondeu.

Para tanto ele tinha de agradecer a seu sócio, James Watt, que tornou possível a utilização da força do vapor e inventou uma máquina de dupla ação rotativa. Pela primeira vez a força do vapor podia ser utilizada em toda espécie de máquina.

Vento, água e músculos eram as únicas fontes de poder ou força que se conheciam quando Watt nasceu no dia 19 de janeiro de 1736, na cidade de Geenock, Escócia. Quando ele morreu, em 1819, o mundo era um lugar diferente. Suas invenções tinham resultado num sistema de indústrias. O uso de uma nova espécie de força deu lugar à revolução industrial. No breve espaço da vida de um homem o mundo mudou. 

O poder que Jesus promete no verso de hoje também resultou numa revolução - revolução espiritual. A seguir ao derramamento do Espírito Santo no dia do Pentecostes, grande poder acompanhou a pregação e o testemunho dos primeiros cristãos. Milhares eram convertidos. Pessoas acorriam em multidão para dentro da igreja. Esses primeiros cristãos viram o mundo de pernas para o ar. Numa só geração o mundo mudou.

Antes que Jesus volte deverá ocorrer outro poder revolucionário.

Jovens estarão se rendendo a Deus do modo mais completo. O Espírito Santo virá então para suas vidas dando-lhes grande poder.

Onde eram antes fracos e vencidos por tentações, tornar-se-ão fortes para resistir ao diabo. Onde havia o temor de falar e testemunhar aos amigos e companheiros, tornar-se-ão corajosos e ousados.

Unirão suas mãos com outros jovens também cheios do Espírito para levar a mensagem de Deus a todo o mundo numa geração.

Por que não fazer este o dia em que Jesus poderá vir a sua vida e enche-la com o Espírito Santo? O poder que você obterá poderá mudar o mundo!

Fathers Of Industries PP. 135.

DO LADO DA JUSTIÇA


quarta-feira, 13 de julho de 2016

UMA PEDRA FALA

"Asseguro-vos que, se eles se calarem, as próprias pedras clamarão."

 S. Lucas 19:40

O ano era 1799. O lugar, Roseta, no Egito. O Sr. Boussard, um oficial francês do corpo de engenheiros de Napoleão, estava cavando uma trincheira a uns 7 quilômetros ao norte da cidade. De repente ele notou uma grande pedra de basalto negro surgindo acima na lama.

Pensando que poderia tratar-se de um antigo tablete, curvou-se para examinar o achado mais detidamente. Havia estranhos sinais gravados na superfície da pedra, e o engenheiro Boussard entendeu logo que os estudiosos que acompanhavam Napoleão estariam interessados nela.

Na próxima vez que foi ao acampamento ele levou consigo a pedra de basalto negro com inscrições em grego e duas formas de antigo egípcio. Não foi tarefa fácil. Imagine uma pedra retangular sólida com 1,20m de altura por 0,80m de largura e ainda com 0,28m de espessura.

Foram necessários mais de 20 de anos para que os eruditos concluíssem decifrar o que a escrita dizia. Primeiro eles tiveram de traduzir a parte em grego. A seguir, anotaram os nomes de pessoas e de lugares na porção grega, e viram que eram os mesmos nomes da outra escrita. Pouco a pouco os hieróglifos começaram a mostrar sentido Uma vez que se pudesse ler esta antiga escrita egípcia, seria possível saber muito mais sobre a vida no Egito durante o tempo de José e Moisés. E assim foi realmente o que aconteceu. E deste modo muitas pessoas vieram a crer nas histórias da Bíblia.

A arqueologia tem trazido à luz maravilhosas informações que confirmam os relatos da Bíblia que, durante muitos séculos, vinham pondo postos em dúvida pela crítica das Escrituras Sagradas. Descobrimentos na Assíria, Babilônia, em terras da Palestina, têm trazido ao conhecimento do mundo da atualidade fatos e narrativas que confirmam as declarações bíblicas. Assim, Jesus estava certo quando disse que as pedras haveriam de falar um dia.

Fonte: http://www.4tons.com/

A PESSOA MAIS PERIGOSA