terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

O MAIS RÁPIDO TELEGRAFISTA

"Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças." 

Eclesiastes 9:10

- Eu gostaria de falar com o Sr. Milliken, por obséquio.

- Sinto muito - ela disse - mas o Sr. Milliken está muito ocupado. Você tem hora marcada?

- Não, exatamente, mas ele me mandou uma mensagem dizendo que eu poderia vir para uma entrevista.

- Está bem. Qual o seu nome? Idade? Cidade de onde vem?

- Thomas Alva Edison. Dezesseis anos. Port Huron, Michigan.

A recepcionista foi falar com o chefe: - Está aqui um rapaz vindo de Port Huron, Michigan, dizendo que o senhor o espera. Seu nome é Thomas Alva Edison.
_ Sim, sim. Traga-o a mim. - O Sr. Milliken se lembrou de que havia recebido realmente um pedido de entrevista numa carta escrita com correção extrema. 

Se Thomas Edison fosse capaz de enviar mensagens telegráficas com a mesma limpidez, sem dúvida seria contratado pelo superintendente da Western Union.
A porta se abriu e em seguida se fechou. Por um longo momento o Sr. Milliken nada disse. Seus olhos se fixaram no rapaz de cabelos em desalinho, roupas descuidadas, e sapatos meio puídos. Como poderia um rapaz como este escrever uma carta manuscrita com tanta limpeza como a que ele, Sr. Milliken, havia recebido? Finalmente o presidente da Western Union disse: "Volte às 5:30h. Faremos um teste.

Às 5:30h em ponto Thomas assumiu o seu lugar à mesa. Os outros telegrafistas pararam para ver o que ia acontecer. Eles eram os mais rápidos operadores de Nova Iorque, e tinham enviado mensagens de até 800 palavras no mais curto espaço de tempo. Estavam esperando para ver Thomas bancar o bobo.

Tom apanhou um punhado de papel, preparou-se e disse: "Estou pronto!" A mensagem começou a sair cada vez mais veloz. Os dedos de Tom pareciam voar. O riso na face dos operadores se transformou em espanto. Ele estava realmente quebrando um recordo Thomas foi empregado e declarado o operador de telégrafo mais rápido da Western Union. Como isto aconteceu?

Thomas tinha o hábito de se dedicar por completo a tudo que lhe era dado fazer. Assim em Port Huron, quando lhe fora dada a oportunidade de aprender telegrafia, dedicou-se tanto a ponto de praticar durante 18 horas por dia, vindo a se tornar mestre no trabalho.

Nascido no dia de hoje, em 1847, Thomas Edison, cria em nosso texto. Tudo que lhe vinha às mãos para fazer, ele o fazia com toda a sua força. Esta mesma atitude ajudou-o a inventar a lâmpada elétrica.

Por que não tomar Eclesiastes 9:10 como lema de sua vida, também?

NÃO SE PODE ESQUECER


domingo, 26 de fevereiro de 2017

GRANDE LUCRO

"Mas o que para mim era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo."
 
Filipenses 3.7

O que fazer quando nossos sonhos, desejos e propósitos entram em conflitos com os ensinos de Jesus? Como reagir quando os valores divinos são postos à prova, quando temos de escolher entre obedecer ao Pai ou realizar algo grandiosos em nossa vida profissional, social e etc?

A Bíblia fala de um homem que enfrentou uma situação assim - Daniel. Ele era um cativo, levado pelo Rei Nabucondonozor para Babilônia. Ali enfrentou um conflito pessoal - obedecer a Deus ou cumprir as ordens do Rei! Daniel é um exemplo de que vale a pena sempre seguir ao Pai.

Por outro lado, temos inúmeros exemplos de homens que quando colocados a prova optaram pelo mundo, pelas riquezas, pelos prazeres, pelo poder, pela conquista. Nós temos muitos exemplos: Judas, Saul, Ló, Acã, Pilatos e tantos outros. Cada um escolheu aquilo que considerava mais importante para si e desprezaram a Deus.

E hoje, como nós estamos agindo? Consideramos Deus como lucro e obedecemos a Palavra de Deus ou preferimos o lucro aparente do mundo, os desejos do coração, o prazeres do mundo e vivemos acreditando ser grande lucro o viver sem Deus?

Fandermiler Freitas

É PRECISO DE REDES


sábado, 25 de fevereiro de 2017

NOTA DE ALEGRIA

Servi ao Senhor com alegria, e apresentai-vos a ele com cântico.Salmo 100.2

 Certa vez perguntaram ao compositor alemão Franz Joseph Haydn qual a razão de suas composições sacras serem tão alegres.

Ele respondeu:

- Não posso fazê-las de outro modo. Quando penso em Deus e em Sua graça manifestada em Jesus Cristo, meu coração fica tão cheio de alegria que as notas parecem saltar e dançar da pena com que escrevo. Já que Deus me tem dado um coração alegre, deve ser-me permitido servi-lo com alegria.
Desconhecido

RESPEITA


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

DEPOIS

Uma jovem que era constantemente advertida por sua mãe para que buscasse a Cristo antes que fosse tarde demais, um dia respondeu-lhe com impaciência: "Eu vou mãe, mas não agora. Agora é meu tempo de curtir a juventude".

Quando o pastor um dia visitou essa família, aquela mãe piedosa falou sobre a atitude da filha. O pastor estava tomando um cafezinho quando a filha entrou na sala. Educadamente, o pastor ofereceu-lhe a sua xícara com um restinho de café no fundo, dizendo: "Você pode beber o resto, pois eu não quero mais".

Ela se ofendeu, respondendo: "O senhor está sendo grosseiro em me oferecer o que o senhor mesmo não quer mais". Depois de um pequeno silêncio, o pastor disse: "Mas, filha, não é isso que você pretende oferecer a Deus?" A lição pastoral atingiu-lhe o coração.

INSIGNIFICANTES


DIREÇÃO ERRADA


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

COMO EVITAR O ESFRIAMENTO

E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo. 

S. Mat. 24:12-13.

Em 1776, James Cook, famoso explorador e capitão da marinha britânica, foi encarregado por seu país de liderar uma expedição com o fim de verificar se havia mesmo ou não uma passagem navegável entre os oceanos Atlântico e Pacífico, via costa norte do Canadá. A expedição zarpou de Plymouth, Inglaterra, no dia 12 de julho de 1776. Entre seus integrantes estava o Dr. Solander, um naturalista sueco, cuja responsabilidade era fazer observações científicas da flora e fauna encontradas ao longo do caminho.

No outono de 1779, a expedição pesquisou a área em torno do Estreito de Bering. Ali um grupo, sob o comando do tenente Hodder, e incluindo o Dr. Solander, armou um acampamento e dirigiu-se para o interior. Uma prematura tempestade de inverno apanhou de surpresa aqueles homens longe do acampamento, ameaçando-os de morrerem congelados. Devido à sua experiência com temperaturas baixas em seu país natal, a Suécia, o Dr. Solander reuniu os homens e advertiu-os acerca dos perigos da hipotermia.

- Precisamos resolutamente voltar ao acampamento sem uma única parada - disse ele. - Nosso grande perigo é adormecer e não acordar nunca mais.

- Mas acho que ficaremos terrivelmente cansados - comentou Hodder.

- É lógico que vamos ficar - disse Solander. - Quando o sangue começar a esfriar, os homens implorarão um pouco de descanso. Não permita que se detenham uma só vez. Incite-os com golpes, com baionetas, se for preciso. Ceder ao desejo de dormir será fatal.

Os membros do grupo de Hodder atenderam à admoestação do doutor e voltaram ao acampamento sem perder um homem.

Jesus advertiu-nos de que, ao aproximar-se o fim dos tempos, a iniqüidade aumentaria e o amor de muitos de Seus seguidores ficaria frio, ao assimilarem o espírito do mundo ao seu redor. Vemos que isso ocorre hoje: cristãos adormecendo enquanto se conformam mais e mais com o mundo.

O que podemos fazer individualmente para evitar esse fim triste? Resolutamente encaminhar-nos para Sião, enquanto animamos outros ao longo do caminho por nosso exemplo.

O DOM DA FALA

 

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

CRER E CONFIAR

"Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim."

 João 14:1

Em meio a tantas lutas , o coração do homem se inquieta, fazendo com que ele se preocupe com muitas coisas deste mundo, turbando-se em seu interior. O homem por sua natureza tende a acreditar somente naquilo que vê com os próprios olhos.

"Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem." Hebreus 11:01

Crer é confiar, é esperar, é ver o fato acontecer mesmo antes de ser realizar. Pela fé creia em seu coração que sua situação já mudou, que o seu problema já foi solucionado e que a providência de Deus já veio sobre a sua vida! 

Faça sua oração: Senhor Jesus eu creio em meu coração, que o Senhor já mudou a situação da minha vida, que o Senhor já abriu todas as portas que estavam fechadas, que o Senhor já trouxe a solução para os meus problemas. Em entrego tudo em Tuas mãos! Em nome de Jesus! Amém!

Que o Senhor te abençoe e te guarde!
Um forte abraço!
Brunner Couto

AS PALAVRAS


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

A ALEGRIA DO SENHOR É A NOSSA FORÇA

Quando o povo de Israel foi restaurado em sua própria terra, vindo do cativeiro em Babilônia houve uma reunião solene presidida por Neemias e Esdras, ocasião em que as Escrituras Sagradas foram lidas e ensinadas ao povo.

O primeiro sentimento deles foi de grande tristeza, de profundo pesar, por saberem que tudo o que estava escrito na Lei de Moisés lhes sobreviera em razão do seu viver pecaminoso, e assim, podiam entender agora o quanto haviam agido contra um Deus tão Puro, Amoroso e Santo, e o quanto haviam desconsiderado Sua Palavra que agora lhes estava sendo recordada.

A tristeza do arrependimento, que é segundo Deus, não é para produzir abatimento e sentimentos de morte, senão de alegria e vida.

Quando podemos reconhecer que Ele deve ser obedecido e amado, e o pecado deve ser confessado e deixado, temos nisto motivo para nos alegrarmos em Sua presença, porque certamente Ele também está alegre conosco, e o prova concedendo-nos a força da Sua graça para gerar em nós a mais pura alegria espiritual.

Importa então, que seja expresso no exterior, aquilo que está presente em nosso interior, porque se Deus afasta o nosso opróbrio; restaura-nos na terra santa da Sua gloriosa presença, o que é motivo de grande alegria. E, por isso fizeram bem Neemias, Esdras e os levitas em instruírem o povo a não estar contristado no dia da reconciliação, mas a se regozijar grandemente, em face da bondade e misericórdia recebidas de Deus.

Assim, quando o Senhor nos convence dos nossos pecados pela Sua Palavra, e nos arrependemos e lamentamos, ficamos na condição que é adequada para recebermos as grandes e preciosas promessas do Evangelho.

Os que choram são então consolados; os de espírito enlutado são alegrados, e nisto se cumpre a palavra da promessa do efeito do evangelho feita através do profeta Isaías:

“e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória.” (Isaías 61.3)


Silvio Dutra

LIVRES


domingo, 19 de fevereiro de 2017

O LIVRO DO MAPA DO TESOURO

Era uma vez um pobre e modesto alfaiate, que sonhava muito tornar-se rico.

Um dia bateu à sua porta um viajante mercador. Dentre os vários objetos que viu, o alfaiate interessou-se tão-somente por um livro muito velho, de capa de couro, escrito num idioma que ele nem conhecia.

O mercador assegurou-lhe tratar-se de um livro que continha os segredos de um grande tesouro escondido por piratas. Muito já haviam tentado desvendar este mistério, sem sucesso.

O alfaiate comprou o livro, não pelas histórias do mercador, mas porque achou que poderia ganhar algum dinheiro ao revendê-lo.

À noite, entediado, decidiu examinar melhor sua aquisição. Por mais que lesse, nada entendia, mas, seu coração disparou quando conseguiu decifrar algumas palavras: "prata... ouro... jóias".

De imediato desistiu de revender o livro. Afinal, se houvesse mesmo ali um segredo de um tesouro, ainda não desvendado, ele não iria desperdiçar esta oportunidade única que bateu à sua porta.

Para decifrar o resto, o alfaiate percebeu que teria que estudar algumas línguas estrangeiras.

Dedicou-se por anos, sem nunca desistir nem se cansar. Todas as tardes, não via a hora de poder fechar a alfaiataria para poder voltar aos estudos.

Um dia um mensageiro trouxe-lhe uma convocação: O seu país precisava de seus préstimos como intérprete do rei, pelo que seria muito bem recompensado.

Atendeu a convocação, mas teve que deixar a profissão de alfaiate, pois não queria parar de estudar e o rei sempre o requisitava.

Comprou numa bela casa próxima ao castelo do rei, para não perder muito tempo se deslocando.

Como o livro tinha muitas figuras, cálculos e números, enveredou-se nos estudos da filosofia, física, aritmética e matemática. Em breve, também era requisitado para efetuar cálculos complicados para grandes edificações.

Ganhou muito dinheiro e tornou uma pessoa notória em seu país, mas, nunca parou de estudar nem de tentar decifrar seu estimado livro; tarefa que finalmente ele conseguiu, muitos anos depois. E o livro dizia o seguinte acerca do tesouro escondido:

"Feliz é o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire entendimento; pois melhor é o lucro que ela dá do que o lucro da prata, e a sua renda do que o ouro. Mais preciosa é do que as jóias, e nada do que possas desejar é comparável a ela - Provérbios 3.14-16".

Conto folclórico oriental, recontado por Ronaldo A. Franco

Fonte: www.metaforas.com.br

NÃO É MOTIVO


sábado, 18 de fevereiro de 2017

RICO... MUITO RICO

"Riquezas e honra estão comigo; assim como os bens duráveis e a justiça. Melhor é o meu fruto do que o ouro, do que o ouro refinado, e os meus ganhos mais do que a prata escolhida" (Provérbios 8:18, 19).

"Nada há de errado no homem possuir riqueza. O errado é a riqueza possuir o homem." (Billy Graham)

"Se você quer se sentir rico, conte apenas o que o dinheiro não pode comprar." (Autor desconhecido)

"Homens fabricam dinheiro falso e, em muitos casos, o dinheiro fabrica homens falsos." (Autor desconhecido)

Este dia é muito significativo para mim. Mais do que a data de meu aniversário, é mais um ano que estou vivendo na presença de Deus. Sou um homem rico! Um homem muito rico! Talvez não tenha dinheiro... mas nada me falta. Tenho o amor de Deus em minha vida; tenho a paz do Senhor reinando em minha alma; tenho a presença viva e revigorante de Jesus em meu coração.

Esse privilégio e essa grande riqueza não é exclusividade minha. Essa é uma riqueza que você pode obter. Com muito ou pouco dinheiro, morando em uma bela casa, com muitos cômodos, uma grande piscina e vários carros na garagem ou em uma bem pequenina, sem muito conforto, porém, iluminada com a felicidade da presença de Jesus Cristo. Isso vale mais que todo o dinheiro do mundo sem a graça e a bênção do Senhor.

Quem tem Jesus tem tudo... quem não O tem não pode experimentar a alegria verdadeira e permanente.

Eu me sinto muito feliz. Tenho um tesouro que não cabe no maior banco do mundo. Tenho as mãos de Deus me abraçando. Tenho os olhares do Senhor fixos em mim, orientando-me em todas as decisões. Que bela e incomparável riqueza!

Você também quer ser uma pessoa muito rica?

Paulo Barbosa
ministerio-pararefletir.blogspot.com.br

SENTA E OUVIR

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

AMPARO NA RUÍNA

Quando destruição, o sofrimento, a angústia atingem a nossa alma é comum o desespero, a tristeza e a angústia nos ferir no mais íntimo do coração. Não raro a esperança desaparecer e a gente ficar perdido no deserto que nossa vida se tornou a contemplar as ruínas de nosso passado. Já aconteceu com você?

Aleksander Kircun, natural da Polônia, relata uma experiência sua que nos faz refletir como é precioso a comunhão em tempo de solidão e ruínas.

"Durante a Segunda Guerra Mundial, quando a linha de frente moveu-se um pouco para a direção ocidental, retornei a Varsóvia. A cidade estava em completa ruína. Ao contemplar a confusão reinante e os edifícios destruídos, meu coração quase se despedaçou. Senti-me só, terrivelmente só.

Mas o que mais me arrasou foi ver as ruínas do templo da Igreja Batista que frequentava. Para aumentar ainda mais minha tristeza descobri que da florescente comunidade de nossa igreja em Varsóvia não restavam mais do que catorze membros.


No meio dessa situação triste e aflitiva, surgiu de repente um lampejo de esperança e alegria. Representantes da Aliança Batista Mundial nos visitaram. E nos disseram: "Não estais sós. Trazemos auxilio para vossa igreja e palavras de encorajamento". Como foram maravilhosas estas palavras, nesse período difícil; e quão esplêndida, a nossa comunhão nessa época."

Quando se confia e espera em Deus a solidão é menor do que imaginamos e a tragédia não irá nos abater para sempre. Porque o nosso Deus levanta o caído e sustenta o aflito.

PESSOAS FELIZES

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

CORAÇÕES DISTANTES

O ódio excita contendas, mas o amor cobre todas as transgressões.

Pv 10.12

Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos: Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?

— Gritamos porque perdemos a calma disse um deles.

— Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado? Questionou novamente o pensador.

— Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça, retrucou outro discípulo.

E o mestre volta a perguntar: Então não é possível falar-lhe em voz baixa?

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador. Então ele esclareceu:

— Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido? O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância. Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas? Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê? Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram. E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta. Seus corações se entendem. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas. Por fim, o pensador conclui, dizendo:

— Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta.

Anônimo

ATITUDE


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

DIFERENTES

Sempre dou graças a meu Deus por vocês, por causa da graça que lhes foi dada por ele em Cristo Jesus. Pois nele vocês foram enriquecidos em tudo, isto é, em toda palavra e em todo conhecimento. 
1 Coríntios 1:4-5

Como é bom ter amigos e irmão! O Apóstolo Paulo louvava a Deus pelos irmãos de Corinto. Mesmo sendo uma Igreja com problemas, ele sabia que Jesus Cristo tinha dado a vida por eles, então, ele tinha que agradecer ao Pai por ter esses irmãos com ele.

E nós, como nos relacionamos com nossos irmãos? Louvamos a Deus por suas vidas ou estamos sempre a reclamar? Deus nos ama a todos e o seu amor alcançou cada um de um modo especial. É preciso compreender que o Pai nos escolheu com todos os nossos defeitos e nos fez seus filhos apesar de nossas falhas. Por isso, precisamos está sempre com um coração cheio de ações de graças.

Já pensou se Deus nos tratasse como tratamos nossos irmãos? Com certeza nenhum de nós seria salvo. Uma vez que costumamos desprezar aqueles com os quais não concordamos ou acreditamos que tenham opiniões teológicas diferentes da nossa. Mas o Pai nos trata assim, ele nos ama como somos e, por isso, entregou seu filho a uma cruz.

Fandermiler Freitas

CADA DIA MELHOR


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

SUSSURRO DE DEUS

Conta-se que um amigo levou um índio para passear no centro de São Paulo. Seus olhos não conseguiam acreditar na altura dos edifícios e ele mal conseguia acompanhar o ritmo frenético das pessoas indo e vindo. Espantava-se com o barulho ensurdecedor das sirenes, dos automóveis, as pessoas falando em voz alta. De repente o índio falou:

- Ouço um grilo...

O amigo espantado retrucou:

- Impossível ouvir um inseto tão pequeno nessa confusão!

O índio insistiu que ouvia o cantar de um grilo. Tomando o seu cicerone pela mão, levou-o até um canteiro de plantas. Afastando as folhas, apontou para o pequeno inseto.

- Como? 

-Perguntou o amigo, ainda sem crer.

O índio pediu-lhe algumas moedas, e então as jogou na calçada. Quando elas caíram e se ouviu o tilintar do metal, muita gente se voltou:

- Escutei o grilo porque o meu ouvido está acostumado com este tipo de barulho. As pessoas aqui ouvem o dinheiro caindo no chão porque foram condicionados a reagirem a esse tipo de estímulo. Depois arrematou:

- A gente ouve o que está acostumado ou treinado a ouvir. 

Vivemos em um mundo materialista. A vida nos impõe que sejamos muitas vezes duros. Acabamos nos tornando céticos. A voz de Deus não é ouvida senão por aqueles que tem o ouvido sensível. Muitas vezes a correria da vida e as agitações da nossa alma inquieta não nos permitem perceber o Divino. Treinamos os nossos sentidos para reagir apenas aos impulsos da sobrevivência, mas há realidades que só se percebem com o espírito. Aqueles que aquietam o coração e se deixam tocar pelo Eterno, escutam o sussurro de DEUS.

Autor desconhecido

O MODO DE SER FELIZ

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O BENFEITOR SECRETO

Por volta de 1910, meu pai era motorista de um homem muito rico e testemunhou o empenho do patrão em ajudar anonimamente pessoas que jamais poderiam retribuir o favor.
Meu pai me contou várias histórias fascinantes dessa época, mas uma em especial ficou guardada para sempre na minha memória. Um dia, ele levou seu patrão a um encontro de negócios em outra cidade. Nos arredores pararam para comer um sanduíche. Enquanto comiam, vários garotos passaram pelo carro, brincando com arcos. Um deles mancava. Chegando mais perto da janela, o patrão de meu pai viu que o garoto tinha um dos pés deformado. Ele saiu do carro e alcançou o menino.

- Este pé lhe traz muitos problemas? - perguntou.

- Tenho de andar devagar - o garoto respondeu. - E preciso cortar um pedaço do sapato para poder pisar melhor. Mas dá para ir levando. Por que o senhor está me perguntando isso?

- Talvez eu possa ajudá-lo a curar seu pé. Você gostaria?

- Claro - disse o menino, embora tenha ficado um pouco confuso com a pergunta.
O empresário anotou o nome do garoto, voltou para o carro e disse a meu pai: "Woody, o garoto que manca se chama Jimmy e tem oito anos. Descubra onde ele mora e pegue o endereço e os nomes dos pais." Ele entregou a meu pai um pedaço de papel com o nome do menino e pediu: "Vá visitar a família dele esta tarde e faça o possível para conseguir permissão para deixarem operar o pé de Jimmy. Podemos tratar da papelada depois. As despesas são todas por minha conta."

Eles acabaram de comer seus sanduíches e meu pai levou o chefe para seu compromisso de trabalho. Não foi difícil conseguir o endereço de Jimmy numa loja próxima. Quase todos conheciam o menino com o pé deformado.
A pequena casa em que Jimmy e a família moravam precisava de pintura e de consertos. Olhando à volta, meu pai viu camisas rasgadas e vestidos remendados no varal ao lado da construção. Um pneu velho pendurado por uma corda num carvalho servia de balanço. Uma mulher de trinta e poucos anos respondeu à batida na porta enferrujada. Parecia cansada e suas feições revelavam uma vida difícil.

- Boa-tarde - meu pai cumprimentou. - A senhora é a mãe de Jimmy?

Ela franziu um pouco as sobrancelhas antes de responder.

- Sou. Ele se meteu em alguma encrenca? - Seus olhos examinavam o colarinho engomado de meu pai e seu terno bem passado.

- Não, senhora. Eu represento um homem rico que quer resolver o problema do pé de seu filho, para que ele possa brincar como todos os seus amigos.

- A troco de quê, moço? Nada é de graça nessa vida.

- Não se trata de uma brincadeira. Se for possível, gostaria de explicar o que está acontecendo à senhora e a seu marido, se ele estiver em casa. Sei que é inesperado e não a culpo por achar suspeito.

Ela olhou para meu pai novamente e, ainda hesitante, convidou-o a entrar. "Henry", ela gritou, "tem um homem aqui dizendo que quer ajudar a resolver o problema do pé de Jimmy." Por quase uma hora, meu pai explicou o plano e respondeu às perguntas do casal.

- Se permitirem que Jimmy seja operado, vou lhes mandar algumas autorizações para assinar. Meu patrão pagará todas as despesas, como já lhes disse - concluiu.

Perplexos, os pais do garoto se olharam. Ainda não tinham muita certeza quanto ao que estava acontecendo.

- Aqui está meu cartão. Quando enviar os papéis para autorização, vou mandar uma carta esclarecendo tudo sobre o que conversamos. Se tiverem mais alguma pergunta, telefonem ou escrevam para este endereço.Isso pareceu lhes dar um pouco mais de confiança, e meu pai foi embora. Sua missão fora cumprida.

Mais tarde, o patrão de meu pai entrou em contato com o prefeito e lhe pediu que enviasse alguém à casa de Jimmy para reafirmar à família que a oferta era legítima. Naturalmente, o nome do benfeitor não foi mencionado.

Logo, com as autorizações assinadas, meu pai levou Jimmy a um excelente hospital em outro estado para a primeira de cinco operações a que seria submetido.

As cirurgias foram um sucesso. Jimmy se tornou o queridinho das enfermeiras na ala de ortopedia. Todos se abraçaram e choraram quando ele deixou o hospital pela última vez. Num gesto de carinho, deram-lhe um presente especial: um novo par de sapatos, feitos sob medida para seus pés "novos".

Jimmy e meu pai se tornaram grandes amigos durante as idas e vindas do hospital. Na última viagem, quando o garoto voltava definitivamente para casa, eles cantaram, falaram sobre o que Jimmy poderia fazer com seu pé normal e dividiram momentos de silêncio à medida que se aproximavam da casa.

O menino deu um largo sorriso ao sair do carro. Seus pais e os dois irmãos o esperavam, juntos, na maltratada porta da frente.

- Fiquem aí - Jimmy gritou para eles.

Todos ficaram olhando, surpresos, enquanto o garoto caminhava até eles. O defeito tinha desaparecido. Com abraços, beijos e sorrisos receberam o menino com o "pé curado". Seus pais balançavam as cabeças e sorriam enquanto o observavam. Ainda não podiam acreditar que um homem que nunca tinham visto pagara uma enorme quantia para consertar o pé de um menino que ele nem conhecia.

O rico benfeitor tirou os óculos e enxugou as lágrimas quando meu pai relatou a cena da volta de Jimmy para casa. "Faça mais uma coisa", ele disse. "Perto do Natal, vá a uma boa loja de sapatos. Faça com que chamem cada membro da família de Jimmy para que escolham um novo par de sapatos. Pagarei pelos sapatos de todos. Mas comunique que farei isso apenas uma vez. Não quero que fiquem dependentes de mim."

immy se tornou um homem de negócios bem-sucedido. Que eu saiba, ele nunca soube quem pagou por suas cirurgias. Seu benfeitor, o Sr. Henry Ford, sempre disse que é mais divertido fazer algo pelas pessoas quando elas não sabem quem lhes fez o bem.

WOODY MCKAY JR.

Nota do Tradutor: Henry Ford (1863-1947). pioneiro da indústria automobilística americana, fundou a Henry Ford Company em 1902 e a Ford Motor Company em 1903

O VIAJANTES


domingo, 12 de fevereiro de 2017

TEMPESTADES

Nos Andes há ocasiões em que um pesado silêncio desce sobre a montanha. As aves param de cantar, as abelhas cessam a colheita do mel, as árvores não se mexem. Os moradores desses lugares sabem o que está acontecendo: é a tempestade que se aproxima.

Quando isso acontece, os habitantes da região também começam seus preparativos. A tempestade deve ser enfretada com coragem e prudência. Não é preciso enfrentá-la, mas proteger-se dela.

Assim é a nossa vida. As tempestades sempre virão. É inevitável. Quando os seus sinais forem vistos na nossa montanha é preciso proteger-se do vento, da chuva, dos raios e da neve. O melhor lugar para passar uma tempestade é nos branços do Pai. No entanto, se a sua paz não é a de Cristo, mau sinal. Sinal de tormenta e destruição.

MUDAR

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

MENTE INSENSÍVEL

O famoso místico da Índia, Sundar Sing, conta que, passando pelas ruas de uma cidadezinha daquele pais, encontrou-se com um indivíduo, que ia carregando um balde de carne apodrecida. O mau cheiro que ela exalava era de tal forma repulsivo e penetrante que Sundar Sing perdeu o apetite por algum tempo. E todas as vezes que lhe vinha à mente aquela cena repugnante, sentia-se mal. Mas o homem, que em uma das mãos carregava o balde, tinha na outra um pedaço de pão e o ia comendo calmamente. Seu estômago já se acostumara de tal modo com aquela carnificina que nem sentia mais.

No mundo acontece a mesma coisa; indivíduos há, cuja consciência acha-se de tal maneira acostumada com o pecado, que eles chegam a gabar-se de ações tão indecentes e práticas tão degradantes que só o fato de mencioná-las já traz repugnância às consciências bem formadas.

"O Apóstolo dos Pés Sangrentos"

FELICIDADE


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O GUARDA-CHUVA

Uma menina estava presente a uma reunião na igreja. As pessoas oravam para que Deus mandasse chuva, pois uma seca assolava toda a região e já começava a haver grande necessidade. Foi então, que alguém viu uma menina com um guarda-chuva no braço e perguntou-lhe:

— Com uma seca destas, porque vocês está levando um guara-chuva, menina?

— Ora, irmão, o senhor não acha que Deus vai nos atender, enviando chuva?

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que esperam, e a prova das coisas que se vêem. (Hb 11.1)

POR QUE FAZEMOS?


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

O FERREIRO MISSIONÁRIO

"E rogamos-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam. E que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra..." 

1 Ts 5.12,13

Um ferreiro estava cantando a plenos pulmões ao ritmo do martelo, com cujas pancadas moldava uma peça na bigorna.

- Por que está tão alegre, irmão? - perguntou-lhe alguém.

-É que estou pregando o Evangelho em Portugal.

- O senhor está brincando.

- Não é pilhéria, meu irmão. A minha igreja sustenta um missionário em Portugal e eu vou cooperar com o produto do meu trabalho de hoje - confirmou sorridente.

O QUE SABEMOS


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

A SALA DO EMPURRÃO

Seguindo ele estrada fora, ao aproximar-se de Damasco, subitamente uma luz do céu brilhou ao seu redor" (Atos 9:3).

Muitos cristãos registram o local de encontro com Jesus. Alguns tiveram tal encontro em uma praia paradisíaca, outros em um supermercado, outros em um hospital e a grande maioria, em uma igreja. Eu tive meu encontro com Jesus na "sala do empurrão"!

Todas as vezes que conto esse encontro nas igrejas onde sou convidado a levar uma mensagem missionária, todos riem muito. Eu não queria ter um encontro com Jesus, mas... Jesus queria que eu tivesse um encontro com Ele. E a "sala do empurrão" foi o lugar onde fui procurar minha irmã e fui empurrado para dentro com um brado: "Mais um para Jesus!". Apesar de minha veemência, dizendo que não era exatamente aquilo que queria, acabei sendo abraçado pelo meu Senhor e Salvador e, daquele dia em diante, nunca mais deixei Jesus. Era a "sala do empurrão" e a sala mais abençoada de toda a minha vida.

Eu não sabia, naquele dia de sábado, que minha vida mudaria completamente. E como a mudança foi gloriosa! Como me alegrei naquela noite! Como me alegro até o dia de hoje! Eu sabia que não era feliz e sabia menos ainda que a felicidade estava tão perto e que não dependia de nenhum esforço meu. A "sala do empurrão" não podia me salvar, mas, louvo muito a Deus por aquela sala.

Talvez você esteja passando por momentos difíceis e não sabe onde encontrar a paz e a felicidade. Eu lhe digo que estão bem perto de você. Esta felicidade é Jesus!

Saulo, que se transformou no Apóstolo Paulo, encontrou Jesus na estrada, quando uma luz brilhou ao seu redor. Eu O encontrei na "sala do empurrão" e você pode encontrá-lo em qualquer outro lugar. Busque-o! E, se preferir, deixe que alguém lhe dê um empurrão abençoado, como aconteceu comigo.

Paulo Barbosa

AQUELE QUE JULGA


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

NADA LEVAMOS

Quando à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:

1. Primeiro que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época.

2. Segundo que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...).

3. Terceiro que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões.

Alexandre explicou:

1. Primeiro quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte.

2. Segundo quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem.

3. Terceiro quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Você já ouviu falar que alguém viu um caminhão de mudança na frente de um cemitério sendo descarregado para levar os bens para o céu ou inferno de um morto?

Todo o arroz que acumulamos ou comemos, todo o dinheiro que gastamos ou guardamos, não faz diferença nenhuma na eternidade. O que faz diferença é se nossa vida foi depositada aos cuidados do Pais e se buscamos as coisas lá do alto enquanto caminhávamos no pós desta estrada.

O SILÊNCIO DA ATITUDE


domingo, 5 de fevereiro de 2017

DEUS ESTÁ NOS DETALHES

Uma criança chorou. Isso mudou todo o curso da história da humanidade.

Deus está nos detalhes. A doutrina da providência divina declara que o governo providencial de Deus se estende a todas as coisas grandes e pequenas.

Coisas insignificantes podem proporcionar grandes consequências. O bater das asas de uma borboleta na China produz perturbações minúsculas nas correntes de ar, no final, afetam o tempo no outro lado do planeta.

Qual foi o choro que se ouviu por todo o mundo? Era o choro de uma criança que estava a mercê das ondas no rio Nilo. Moisés.

Um dos Faraós do antigo Egito decidiu reduzir o crescimento populacional do povo hebreu, escravos dos egípcios à época. Para tanto, declarou que as próprias parteiras hebraicas deveriam matar as crianças que nascessem. Contudo, em um ato heróico de desobediência civil, as parteiras se recusaram a executar o serviço e tentaram encobrir sua rebeldia.

No entanto, uma das mulheres hebraicas que dera a luz tomou um cuidado extra, incomum, para proteger seu filho:“Tomou uma arca de juncos, e a revestiu com barro e betume; e, pondo nela o menino, a pôs nos juncos à margem do rio.” Ex 2:3

Se houve uma mãe que entregou o filho às mãos da providência de Deus, foi esta. Ela deixou a pequena arca flutuar e ser carregada para onde a corrente levasse. A irmã mais velha da criança se postou perto da margem do rio, observando à distância o cesto flutuar enquanto era carregado pela correnteza. Naquele momento , os únicos olhos que estavam sobre o cesto eram os da irmã e os olhos de Deus.

Então, aconteceu algo que alguém consideraria uma coincidência. Os olhos de outra pessoa viram o objeto no rio. O que atraiu estes olhos para o rio é uma questão de suposição. Talvez fosse o choro da criança.

Aconteceu que, de todo o povo da face da terra, quem viu a arca que estava flutuando naquele lugar, naquela hora foi a filha do Faraó. A Bíblia não diz que ela ouviu o choro da criança. Entretanto, quando ela pegou a arca, a criança estava chorando, o que me leva a pensar que foi o choro que chamou sua atenção em primeiro lugar. É evidente que ela conhecia o decreto do pai. Se obedecesse ao decreto, ela teria lançado a criança de volta no rio. Mas esse não foi o fim da história porque a mulher teve compaixão. A criança chorou…

Os acontecimentos que se seguiram são quase tão surpreendentes como a própria descoberta. A irmã observou quando a criança foi tirada do rio, pensando rapidamente, ela foi à filha do Faraó e se ofereceu para encontrar uma mulher que cuidasse do infante. Podemos ver outra ironia, ela poderia ter dito “Não!’, em vez disso, ela disse “Vai!” . Então, a irmã do bebê partiu e trouxe sua mãe, onde se deu a ironia final. A própria mãe foi chamada para cuidar da criança. Seu filho lhe fora devolvido pela mão da providência de Deus que agia por intermédio da filha de Faraó.

Deus não se surpreendeu com o fato da filha de Faraó ir a margem do rio em um dia fatal da história. Ele não se surpreendeu com o fato da criança chorar. Ele ordenou que a criança chorasse e determinou que a princesa estivesse ali naquele exato instante. Deus não conhece acasos.

Fazemos o jogo do “O que aconteceria se?” Poderíamos supor que, se a criança não tivesse chorado, Moisés não existiria. Se Moisés não existisse, não haveria o Êxodo. Sem o Êxodo, não haveria a Lei do Sinai. Sem a Lei, não existiriam os profetas. Sem os profetas, não existiria Jesus. Sem Jesus, não haveria a cruz. Sem a cruz, não haveria a redenção. Sem a redenção, nada de cristianismo. Sem cristianismo, não haveria a Civilização Ocidental tal como a conhecemos. Tudo isto aconteceria se uma criança numa arca caseira deixasse de chorar no momento certo.

Contudo não há “O que aconteceria se?” em Deus. Ele é um Deus cuja providência está nos detalhes. Inclusive na sua, e na minha vida.

Fonte: http://www.webservos.com.br/  

CONFIANÇA


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

CONSIDERA TUDO


BARBA DE MOLHO

Cansado de ver seus sermões caírem no vazio, um pastor resolveu dar uma lição inesquecível aos seus ouvintes.

Num dos cultos semanais mais concorridos, ele subiu ao púlpito com seu aparelho de barbear, bacia, água, espuma, caneca, espelho e toalha. Nem sequer cumprimentou a igreja e, tranquilamente, colocou água na bacia, testou a temperatura, ajeitou o espelho, pegou uma caneca, fez espuma, passou na cara, e começou a se barbear.

Gastou vários minutos nisso, que pareceram uma eternidade para os presentes.

Ao final, quando todos esperavam que o pastor fosse fazer um desfecho maravilhoso, fosse lhes apontar o "moral da história", ele simplesmente enxugou o rosto com a toalha, encerrou o culto e despediu o povo de volta para as suas casas.

Aquela semana foi atípica. O povo comentou o fato todos os dias, tentado adivinhar o significado de tudo aquilo: “-Que mensagem ele quer nos passar?”, “-Qual é o simbolismo espiritual da água, do sabão, do barbear-se?”

Dias depois, quando ele subiu novamente àquele púlpito, a igreja estava cheia. O pastor olhou para a congregação e disse-lhes:

- Sei que vocês querem saber o significado do que fiz aqui neste púlpito na semana passada. Bem, eu vou lhes dizer: não há significado algum! Nenhum simbolismo. Nenhum desfecho maravilhoso. Nenhuma mensagem. Nenhum "moral da história".

- No entanto, se podemos tirar alguma lição disto tudo, é a seguinte: Há anos eu venho apresentando para vocês a mensagem bíblica, mas não tenho visto nenhuma mudança em suas vidas. Minhas mensagens têm caído no esquecimento, tão logo vocês saem do templo. Eu gostaria que vocês comentassem meus sermões durante a semana, do mesmo modo que se dispuseram a comentar o meu barbear nestes últimos dias, ou será que a minha barba é mais importante para vocês que a Palavra de Deus?

E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas. Deuteronômio 6.6-9

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

ENCORAJE A SI MESMO

Nós vivemos pelo encorajamento mas podemos morrer sem ele - morte lenta, triste e cheia de ressentimentos. Celeste Holm

A pessoa que você deve prestar muita atenção é você mesmo. As coisas que você diz para si mesmo, você tem a tendência de crer sem vacilar. Infelizmente são muitas as pessoas que falam negativamente a si mesmas muitas e repetidas vezes

A boa noticia é que isso não é difícil de se corrigir. Afinal, você é quem controla aquilo que você diz. Portanto, faça a opção de ser positivo quando estiver falando consigo mesmo. Em vez de dizer "eu nunca serei capaz de fazer isso!" diga a si mesmo: "Esse é um grande desafio que tem o potencial de retirar o melhor de dentro de mim”

Deixe você saber que você crê em si mesmo. Lembre a si mesmo que você é uma jóia da graça magnífica de Deus e Ele lhe criou de maneira incrivelmente singular. Portanto, você tem valor e capaz de alcançar tudo o que a vida pode lhe oferecer. Você é o seu mais importante motivador. Adquira o hábito de dar a si mesmo um positivo encorajamento numa base diária. Ao fazer isso você estará fazendo um bem enorme a você e a muita gente.


Para Meditação: O espírito do homem o sustenta na doença, mas o espírito deprimido, quem o levantará? Provérbios 18:14

Nélio DaSilva

A RAIZ DO HOMEM