domingo, 28 de abril de 2013

O VALOR DO SILÊNCIO

John Ortberg cita um livro chamado Solidão, do psiquiatra inglês Anthony Storr: “Storr diz que a capacidade de criar está inseparavelmente ligada à capacidade de ficar só, e que muitas vezes as pessoas que ficaram muito tempo sozinhas na infância tornam-se extremamente criativas”. Ortberg cita uma bela frase de Edward Gibbon: “A conversa alarga o entendimento, mas a solidão é a escola do gênio”.


Bem, já que estamos citando gente, que tal prestar atenção ao conselho do gênio dos gênios: “Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto”(Mt 6.6). Ele próprio praticava isso: “Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar; e passou a noite toda em oração a Deus” (Lc 6.12). A vitalidade do seu pensamento e a irresistibilidade de suas palavras nasciam dessas horas de silenciosa comunhão com Deus.

(John Ortberg, Revista Leadership, Summer, 1993, p. 36).

quarta-feira, 24 de abril de 2013

DEUS CUIDA DE NÓS


Quando desejo encontrar pistas para entender os mistérios da fé, procuro primeiro em Jesus. No que se refere à oração, Ele não parece compartilhar de algumas das minhas maiores lutas. Ele nunca pergunta se Deus existe, se alguém está de fato ouvindo. Nunca questionou a importância da oração. De fato, Ele costumava fugir das multidões de pessoas necessitadas a fim de ficar sozinho com Deus e às vezes devotava uma noite inteira a esta tarefa.

Segundo o que Ele mesmo afirmava: a oração torna qualquer coisa possível. Num comentário revelador, Jesus também disse: “O Seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de O pedirem”. Ele certamente não estava afirmando que a oração é desnecessária, pois Sua vida desmentia isso. Ele só podia estar dizendo que não precisamos nos esforçar em convencer a Deus que cuide de nós. O Pai já cuida, mas do que imaginamos.

Oração não é transmitir informações novas a Deus. Em vez de apresentar pedidos ao Senhor como se Ele não nos conhecesse, seria mais apropriado dizer: “Deus, tu sabes que preciso disto!” Então, depois, descansar confiando e crendo na Sua misericórdia e profundo amor.

Philip Yancey, em “ORAÇÃO, ELA FAZ ALGUMA DIFERENÇA?”
http://salmo37.wordpress.com/

terça-feira, 23 de abril de 2013

ESPERAR EM TI

Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no Senhor.

Salmo 27:14

Esperar é tão difícil! Não conheço ninguém que fique feliz com a espera necessária, mesmo que seja por pouco tempo ou quando o objeto de nossa espera é algo simples e curriqueiro.

Há alguns anos, comecei a tocar teclado, mas como não tinha o instrumento, resolvi comprar um. Comprei por telefone, após ver um anúncio na TV e tive de esperar pela entrega por mais de três meses. Foi uma longa espera...

O Salmista nos aconselha a não desistir de Deus, a esperar pelo Pai, mesmo que a espera seja longa ou difícil, porque só em Deus a gente pode esperar em segurança: "Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; pôr-me-á sobre uma rocha (Sl 27.5)

Uma coisa, no entanto, precisa ser dita: esperar em Deus sempre produz crescimento a alma e gera mudanças no coração. Mas esperar não é fácil, por isso, o salmista nos orienta não desanimar, a não abandonar o desejo de vencer e aguardar com confiança em Deus. Deus nunca falha.

Esperar em ti - Josi Myrtes

EXAMINE TUDO

segunda-feira, 22 de abril de 2013

COMO TUDO COMEÇOU?


"A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira."

Provérbios 15.1

Algo não ocorreu conforme o planejado e Maria estava péssima quando respondeu a pergunta de Marcos. Marcos trabalhava há muito tempo com Maria e não ficou nem um pouco satisfeito com a atitude de Maria. Violência gratuita, pensou ele, enquanto saia para realizar uma entrega, mas logo na primeira curva - que ele estava tão acostumado a passar todos os dias - uma mulher passou por ele de carro e quase um acidente aconteceu. Marcos ainda teve tempo de parar e dizer algumas palavras a ela, muito irritado ainda chegou a afirmar: "Que dia horrível!", eram neste momento oito horas da manhã.

A mulher do carro não era conhecida de Marcos, seu nome era Silvia, ficou uma pilha de nervos, será que aquele indivíduo não havia visto que aquela rua agora era mão única? Desde ontem a noite quando tinham colocado a sinalização? 
Silvia continuou seu caminho sem conseguir parar de pensar em como uma pessoa pode ser tão mal educada. Ao chegar ao trabalho, algo aconteceu que a fez perder a calma novamente: uma funcionária que havia sido contratada há pouco tempo ficou olhando para ela, foi o fim do dia para Silvia, ela explodiu, falou poucas e boas para a moça que ficou pálida e depois saiu correndo e chorando. O nome da moça? Era a Julia. Aquele dia foi muito triste, mas aos poucos as tristezas foram dando lugar a uma ira, quase incontrolável, que a fez fazer algumas coisas que depois se arrependeu:

- Ela gritou com sua mãe ao telefone quando ela ligou perguntando o que ela queria comer no almoço.

- Deu um murro na mesa do atendente do banco quando ele disse que estava faltando dois reais.

- Brigou com o namorado.

- Desabafou com várias pessoas no escritório.

Resultado: Sua mãe ficou triste, mas depois a perdoou e preparou um delicioso almoço para conversar melhor com sua filha. O atendente do banco entendeu que ela devia estar tendo um péssimo dia e deixou a história no passado. Fez as pazes com seu namorado, porém as coisas que disse no escritório àquelas pessoas ainda faz com que elas olhem para ela e para a Silvia e se lembrem daquele dia desagradável. 

Esta história poderia continuar, mas teve seu fim, pois o ciclo da violência foi quebrado. Constantemente somos agredidos verbalmente e assim que temos uma oportunidade descarregamos em outra pessoa uma metralhadora carregada de ira. Alguém precisa quebrar este ciclo. E este alguém pode ser você. Simplesmente não passe adiante, não desconte a injustiça na primeira oportunidade! Faça a diferença.

Alguns relacionamentos podem ser consertados, porém as palavras ditas na hora da raiva não podem ser recolhidas, elas permanecerão muito tempo depois na mente - e no coração - dos que ouviram. 

Busque responder com sabedoria, responda com mansidão.

Gilliard Lima
Fonte: www.7decretos. com

domingo, 21 de abril de 2013

EM CONSTRUÇÃO


É isso que acontece quando você se encontra num período de espera. Nada acontece! Só expectativas.

Por outro lado, só parece que não acontece nada. Na realidade, há muita coisa acontecendo. Os fatos ocorrem sepadamente do nosso envolvimento. Além disso, nós estamos sendo fortalecidos. Estabelecidos. Aperfeiçoados. Refinados.


Todos aqueles que DEUS usa grandemente são primeiro ocultos no segredo da SUA presença, longe do orgulho do homem. É Ali que a nossa visão se torna nítida. É ali que o sedimento é eliminado da corrente da nossa vida e nossa fé começa a agarrar o SEU braço. Abraão aguardou pelo nascimento de Isaque. Moisés não liderou o Êxodo senão com 80 anos. Elias esperou ao lado do riacho. Noé aguardou 120 anos pela chuva. Paulo ficou escondido 3 anos na Arábia. A lista não termina. DEUS está trabalhando enquanto SEU povo espera, ESPERA.

É isso que está acontecendo. Para o presente, nada. Para o futuro, tudo!

Charles Swindoll, em “JOSÉ”, livro da série Heróis da Fé
http://salmo37.wordpress.com/

sábado, 20 de abril de 2013

CAMINHO ERRADO

E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. 

Mateus 7:14

há alguns meses via a história de um jovem que foi acampar com  dois amigos e se perdeu na mata. Os bombeiros o procuraram por 20 dias e como não encontraram nenhum vestígios, desistiram das buscas. O pai do garoto, no entanto, nunca desistiu e após 71 dias de procura intensa encontrou o filho agonizando. Ele morreu em seus braços.

Essa história me faz lembrar do que Jesus nos disse no livro de Mateus: como é importante andarmos no caminho certo. Andando no caminho certo chegaremos ao destino certo. O mestre não estava falando literalmente das coisas dessa vida, algo muito maior, já que nessa caminhada, nós só temos uma única chance de acertar ou errar.

Mas como desassociar esse ensino da nossa vida? impossível! Mesmo assim fica o lembrete: Deus deseja que cada homem e mulher compreenda que a responsabilidade pelo futuro e destino eterno de cada um é consequencia do caminho, primeiro escolhido, depois trilhado por nós.

Fandermiler Freitas 

sexta-feira, 19 de abril de 2013

DE OLHO NO FUTURO

E a donzela era mui formosa à vista, virgem, a quem homem não havia conhecido; e desceu à fonte, e encheu o seu cântaro e subiu. Então o servo correu-lhe ao encontro, e disse: Peço-te, deixa-me beber um pouco de água do teu cântaro.

Gênesis 24. 16-17

Quando eu era criança, havia muitos poços perto de minha casa, comumente chamados de cacimbas. As pessoas usavam baldes para trazer a água a superfície. Pela manhã e à tarde, carregavam o precioso líquido para as suas casas.

Também era assim no tempo de Abraão. Mulheres enchiam seus cântaros e os levavam para suas casas. Diz a Bíblia que numa tarde, Raquel, levando o cântaro, ia ao poço, quando saiu-lhe ao encontrou um homem cansado que solicitou-lhe um pouco de água. A jovem, educadamente, deu-lhe a beber.

Aquela atitude mudou sua vida por completo. Aquele homem foi a casa de seu pai e a pediu em casamento para Isaque, filho de Abraão, seu senhor. Raquel tinha em suas mão o poder de escolher o futuro: ficar com seus pais ou ir de encontro a um novo mundo - melhor, maior e mais feliz.

É interessante como, às vezes pequenas atitudes tem o poder de desencadear reações que mudaram nossas vidas por completo. Um amigo, uma conversa, um livro, um namorado, uma ação impensada. E, lá se foi a velha vida. A realidade é outra. Mais alegre, mais feliz, mais triste ou dolorosa.

É preciso ter muito cuidado com o que estamos fazendo ou plantando, porque, muitas vezes o resultado da colheita não é o que buscamos. Deus sempre espera de nós o melhor, não só para nossa vida, mas para a dos que nos cercam. No entanto, temos falhado em busca da felicidade porque em diversas situações escolhemos o caminho que não leva a ela.

Lembre: São as nossas atitudes que constroem nossa lar, nossa terra, nosso céu e transformará o mundo que nos cerca em um lugar melhor ou pior.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

APRENDA COM OS BEBÊS


Após a fase de engatinhar no chão o bebê começa a querer andar. Mas ele não consegue andar de um momento para outro. Levanta e cai, levanta-se anda e cai e assim por muitas vezes.

Entretanto a cada vez que cai não pensa: Não conseguirei andar,pois já cai uma vez  Nem é dominado pelos pensamentos e sentimento de não ser capaz.

Ele esquece imediatamente que levou um tombo, levanta-se novamente e esforça-se para tornar a andar. Não importa quantas vezes caia, ele logo afasta da mente o fato de ter caído e torna a andar.

No ( Sl.27:11). Davi ora assim:" Ensina-me a fazer a tua vontade pois és o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por terra plana".

O que devemos aprender com esta lição:

Que devemos colocar Deus em primeiro lugar em nossas vidas. 
O sucesso não reside no fato de não cair e sim de não nos prendermos a essas quedas momentâneas e avançarmos esforçando-nos até conseguirmos nossos sonhos. Devemos encarar a vida com esperança, otimismo, acreditando que sempre conseguiremos o que realmente determinamos alcançar. 

" A chave do êxito estará sempre em nossas mãos, se a gente não desistir nunca de encontra-lo"
Em Cristo, com amor. 

Lena

Helena Rolim Gomes
helenarolim@hotmail.com 
Igreja Assembréia de Deus- Templo Central
Fortaleza Ceará 

quarta-feira, 17 de abril de 2013

NO CÉU VOU VOLTAR A OUVIR


Ludwig van Beethoven nasceu em 16 de dezembro de 1770, em Bonn, na Alemanha. Desde menino, já tocava piano melhor do que a grande maioria dos adultos. Aos sete anos de idade, deu o primeiro concerto, aos onze, era organista da corte, em Colônia, e aos doze, apresentou a sua primeira composição significativa.

Seu pai era cantor da corte, porém, devido a sua embriaguez, a família passava por grandes dificuldades. Costumava chegar em casa cambaleando, e por muitas vezes, arrancava Beethoven da cama diretamente para o piano, forçando-o a estudar por horas, não poupando cascudos e safanões quando a criança exausta, errava uma nota.

Em 1792, pouco antes de completar vinte e dois anos, Ludwig mudou-se para Viena e aos poucos, espalhou-se a fama do seu talento. Os vienenses amavam a música e compareciam em massa para ouvir Beethoven.

Aos vinte e sete anos, começou a notar um zumbido nos ouvidos. A princípio, ignorou, mas o zumbido piorava cada vez mais. Por fim, consultou alguns médicos, e o diagnóstico foi pior que uma sentença de morte: Beethoven estava ficando surdo.

Encontrou refúgio no campo, onde dava longos passeios pelos bosques. “Aqui, a surdez incomoda menos que em qualquer outro lugar, e as árvores parecem me falar de Deus”, escreveu.

Convencido que ia morrer, Beethoven confessou sua vergonha e desespero frente a surdez, num testamento endereçado a seus irmãos. No entanto, ele fez algo muito mais corajoso do que desistir, entregou-se à arte.

Continuou a compor, ainda que a melodia soasse cada vez mais fraca aos seus ouvidos. À medida que perdia a audição, suas composições se tornaram mais fortes, altamente emocionais e vibrantes, como sua vida, corajosa e turbulenta. Por estranho que pareça, compôs suas melhores obras, aquelas que mais conhecemos, depois de perder a capacidade de ouvir.

Apesar de viver sozinho e infeliz, compôs musicas sublimes. Morreu em 26 de março de 1827, em Viena, e alguns amigos dizem que suas últimas palavras foram: “No céu, vou tornar a ouvir”.

Fonte: http://www.meusonhonaotemfim.org.br/

MODO DE AGIR

terça-feira, 16 de abril de 2013

SARÇA ARDENTE

E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.

Êxodo 3.2

Quando eu penso na cena de uma árvore espinhosa no alto de uma monte coberta de chamas sem que venha a queimar, fico a pensar na maneira ímpar de Deus agir - no seu amor em nos chamar pra perto dele.

Moisés andava longe de Deus, satisfeito em ser pastor de ovelhas numa terra estranha. Tinha mulher, filhos. Parecia que tinha se conformado com seu exílio. No entanto, Deus não o tinha salvado das mãos de Faraó, livrando-o em um cestinho, quando criança, para uma vida assim. Deus tinha outros planos. Bem maiores e melhores do que findar seus dias cuidando de ovelhas.

A Sarça ardente veio relembrar a Moisés de que Deus estava ali, o queria de volta ao propósito de sua criação: libertar os israelitas do Egito. E, ele sabia, que precisava voltar a sua terra, a seus irmãos e enfrentar Faraó. Moisés tinha certo em sua alma que este era o grande desafio de sua vida, mas insistia em se esconder no deserto. Agora, Deus havia vindo buscá-lo e ele sabia que sua vida mudaria radicalmente.

OLHAR O CÉU

segunda-feira, 15 de abril de 2013

SE ESFORCE MAIS


“Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios 4:15)

As sete palavras que matarão qualquer crescimento espiritual: "Eu sempre fiz isso dessa maneira antes" E se formos refletir seriamente: "Mudanças sempre têm um preço". Geralmente elas custam tempo, energia, talento, dinheiro."

Estamos nós dispostos a pagar o preço? Estamos prontos a investir em nosso relacionamento com Deus? Temos consciência de que o preço não é barato?

Queremos realmente crescer diante do Senhor? Muitas vezes nos acomodamos e, por isso, perdemos a oportunidade de ver nossos sonhos realizados, nossos objetivos serem atingidos, nossa felicidade ser conquistada.

Achamos que o que temos feito já está bom, que nada mais necessita ser acrescentado, que uma tentativa de melhoria é pura bobagem. Temos pouco e estamos satisfeitos com esse pouco, não saímos do lugar e cremos que já é o bastante, não brilhamos e julgamos ser a nossa luz suficiente. Mas, será que Deus pensa da mesma maneira? Será que é isso que Ele deseja para nossas vidas?

Estamos glorificando o Nome de Jesus pensando assim? Precisamos ser mais ousados em nossa vida espiritual. Precisamos de mais determinação, mais coragem, mais esforço, mais fé, mais compromisso com Deus. Ele está conosco e, por isso, somos fortes. E, sendo fortes, podemos avançar muito mais.

Avançando mais, poderemos conquistar o mundo para o Senhor. Ele lutará por nós; Ele ganhará as batalhas por nós. E, nesta confiança, nossa vida espiritual será muito mais abençoada. Eu estou disposto a pagar qualquer preço para ser uma bênção nas mãos do Senhor. E você?

Paulo Barbosa

domingo, 14 de abril de 2013

SORVETE FAZ BEM PRA ALMA

Certa vez levei meu filho de cinco anos a um restaurante. A refeição nos foi servida, e então ele me perguntou se podia orar e agradecer pela comida. Eu concordei, e ele fechando os olhos, disse a Deus em alto e bom tom:



- Deus bom e maravilhoso, obrigado por esse almoço tão cheiroso. Mas eu ficaria ainda mais agradecido se o garçom me servisse sorvete como sobremesa... Eu amo sorvete demais, Senhor, e por isso eu te peço em nome de Jesus, amém!



Todos os demais clientes, em outras mesas, que escutaram o pedido do menino começaram a rir, exceto, uma senhora rabugenta, que fez o seguinte comentário:



- Que lástima! as crianças de hoje não sabem nem falar com Deus... Pedir sorvete para Ele! Eu nunca vi isso! Só me faltava essa!!!



Escutando-a, meu filho ficou preocupado e quis saber:



- Eu fiz alguma coisa errada? Deus está zangado comigo?



Enquanto eu o abraçava, assegurei-lhe que ele havia feito uma linda oração, e que Deus, com certeza, não estava nem um pouco zangado com ele...



Nisso, um cavalheiro mais idoso aproximou-se da mesa, deu uma piscada para o garoto e disse:



- Eu fiquei sabendo que Deus achou maravilhosa a sua oração...



- Mesmo? Perguntou eufórico o meu filho.



- Dou a minha palavra – respondeu o homem.



Então o velho abaixou-se para que sua boca estivesse na a altura do ouvido do menino, e num sussurro teatral, acrescentou (indicando a mulher cujo comentário havia desencadeado aquelas dúvidas):



- Que pena que ela nunca tenha pedido um sorvete a Deus... por isso a vida dela é assim tão amarga...



Sabe queridos, às vezes um pouco de sorvete refresca e adoça a alma... Que deleite é poder confiar plenamente em um Deus que é tão infinitamente grande, mas que se importa conosco em todos os mínimos detalhes... Ele se importa SIM, e quer que em tudo confiemos Nele, e mesmo aquelas pequenas coisas que desejamos, e que para os nossos olhos pareçam insignificantes, Ele espera que O peçamos, e Ele com certeza não nos negará!



Naturalmente, após o almoço, comprei o tão desejado sorvete para o meu filho. O garçom o trouxe em duas taças... A minha, ofereci também ao meu filho, ele então olhou fixamente para elas, por alguns segundos, e então, ele fez algo do qual nunca me esquecerei para o resto de minha vida. Pegou uma das taças e, sem qualquer anúncio do que faria, caminhou na direção da mulher, e ao se colocar de frente a ela, sorrindo, entregou-lhe a taça, e disse:



- Olha, este sorvete é para você! O Senhor Deus me atendeu o pedido, e Ele até me mandou mais do que eu havia solicitado... Tome, esse Deus mandou para a senhora!



Cícero Volney

sábado, 13 de abril de 2013

HONETOS... OU NÃO?

“E encurvam a língua como se fosse o seu arco, para a mentira…”

Jeremias 9:3

Um pastor, ao despedir-se de sua congregação ao final do culto, pediu que todos lessem, durante a semana, o Capítulo 53 do Livro de Jeremias. No final de semana seguinte, ele começou o sermão da seguinte maneira: “Hoje eu quero falar sobre honestidade”. Perguntou, então, quem havia lido Jeremias 53, como ele havia pedido. Mais da metade da Congregação levantou as mãos, confirmando que haviam atendido ao apelo do pastor. “Bem”, disse ele, “Jeremias só tem 52 Capítulos e o meu sermão desta noite será dirigido a vocês que levantaram as mãos. Desde agora eu lhes digo que estou muito preocupado com suas vidas espirituais.”

Que tipo de testemunho temos oferecido diante do altar do Senhor? Temos procurado engrandecer o nome de Jesus em tudo o que fazemos e falamos? Podem, as pessoas que nos conhecem, declarar que temos sido autênticos em nossa vida cristã? Tem a nossa vida espiritual brilhado, tanto nas reuniões da igreja, como no trabalho, na Faculdade, no supermercado, nas conversas com os amigos…?

O pregador de nossa ilustração se disse preocupado com os membros de sua Congregação. E nós, temos estado preocupados com as nossas vidas espirituais? Temos nos colocado diante de Deus, certos de que nada temos de nos envergonhar? Podemos declarar, sem temor, que ouviremos o Senhor nos chamar pelo nome, dizendo: “Vinde benditos de Meu Pai?”

O que fazemos quando cometemos erros? Procuramos escondê-los, como se isso fosse possível, ou confessamos ao Senhor as nossas falhas, esperando o Seu perdão e o Seu fortalecimento, para que possamos resistir às tentações quando as enfrentarmos novamente?

O nosso Senhor é a Verdade e esta é a única alternativa para aqueles que são chamados “filhos de Deus” e que querem adorá-lo em todas as suas atitudes. Sua vida tem mostrado honestidade diante de Deus?

sexta-feira, 12 de abril de 2013

NUVENS

Certa noite, um menino contemplava longamente ao céu. Sua mãe ficou curiosa e aproximando-se perguntou:

— O que tanto você está olhando?

— O que são as estrelas?

A mãe sem saber o que responder parou por alguns minutos, olhou para imensidão do céu e disse: As estrelas são como o amor, nunca se apagam.

Naquele momento, uma pequena nuvem cobriu uma estrela e o menino, notando, virou para sua mãe e disse: Mas mãe há dias que o céu está nublado e não podemos ver as estrelas. Então, o amor é assim um dia amamos e outro não?

Sua mãe sorriu, abraçou o filho e disse calmamente: filho, mesmo que o céu esteja nublado ou até mesmo chovendo, acima das nuvens as estrelas continuam brilhando, mesmo que não possamos vê-las certamente elas estão lá... Assim também é o amor. 


O Amor tudo sofre,tudo crer, tudo espera, tudo suporta.
Pense nisso.

Macena
http://www.webservos.com.br

quinta-feira, 11 de abril de 2013

A CASA CAIU

Mas o que ouve e não pratica é semelhante ao homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a corrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa.

Lucas 6.49

Meu pai conta a história de um homem que saiu do interior e foi morar na capital. Lá, disse ser carpinteiro. Seu primeiro trabalho foi construir uma casa. Passou o dia trabalhando. À noite, a casa estava armada. As pessoas elogiaram a rapidez com que fora erguida. No entanto, no dia seguinte, a casa estava no chão. Não havia segurança nem firmeza.

A Bíblia conta a história de pessoas que construíram suas vidas assim. Foram habilidosas e dedicaram-se com esmero ao erguerem seus sonhos. No entanto, os terrenos utilizados não eram seguros nem tinham firmeza. E a ruína que se seguiu foi terrível.

Caim tinha religiosidade, mas não tinha Deus. Sua vida foi movida por uma guerra interior, movida pela inveja, orgulho e desprezo. Como resultado se distanciou da família e de Deus.

Saul tinha um trono, um reino, riquezas, mas não tinha paz nem era sábio o suficiente para ouvir a Deus. Sua vida foi regada pela guerra, desânimo e total desespero. Resultado: Levou a família aos caos e morreu em profunda tristeza.

Judas tinha a certeza de que Jesus era o Messias, ouviu seus sermões e viu muitos milagres, mas não tinha a fé suficiente para entregar sua vida a Deus. Sua vida foi movida pela ganância e pelo remorso. Resultado: viveu uma vida triste que levou ao suicídio.

É preciso ter cuidado ao construir. Não temos muitas chances. Se não compreendermos que só em Deus teremos força, firmeza e segurança, poderemos está indo de encontro com as ruínas.

AS BORBOLETAS

quarta-feira, 10 de abril de 2013

EM FRENTE

Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.

Êxodo 14:15

Em muitas ocasiões, por diversos motivos, nós paramos de andar. Simplesmente nos entregamos ao desânimo. É como se o dia não tivesse mais importância alguma, como se a vida tivesse perdido a cor.

Lembro-me certa vez, na adolescência, que gostava muito de uma menina. A gente namorou por meses. Mas um dia o namoro terminou. A vida ficou tão sem graça, triste. O coração doía. Parecia que o mundo tinha acabado.

Hoje, anos depois, olhando para trás, vejo que estes dias cinzentos somaram-se a outros. A vida também é formada deles. Por isso, todos nós, aqui ou acolá, nos deparamos com a tristeza e com o desânimo.

A Bíblia diz que Israel estava vivendo dias assim. E clamava a Deus por ajuda. A resposta de Deus para eles é o que tem me mantido de cabeça erguida sempre que enfrento a adversidade: Marchem.

Compreendi com os meus dilemas que o pior lugar para está quando tudo parece desmoronar é parado. A vida exige de nós que nos movimentemos. Deus espera que os seus filhos jamais aceitem o desânimo e a dor como uma derrota, mas como um motivo para seguir em frente. Por que sempre haverá dias melhores.

VIVER POR ALGO

terça-feira, 9 de abril de 2013

O TAXISTA

Certa vez, ao entrar em um táxi, vi no painel do motorista um adesivo com a seguinte frase: "Maldito o sujeito que inventou o trabalho".

Olhei para o motorista e vi uma expressão estressada, a barba por fazer, o colarinho sujo e o rosto franzido. Tentei uma abordagem bem-humorada e ele respondeu com um grunhido. Disse-lhe o destino e ele partiu entre arrancadas e freadas, maldizendo o engarrafamento e xingando os motoristas vagarosos.

Epa! Vendo que havia embarcado numa canoa furada, resolvi sair daquela situação.

"Mudei de ideia, chefe. Vou ficar ali na próxima esquina, em frente àquela agência bancária."

Paguei-lhe e saí rápido. Na calçada, respirei fundo, fiquei observando com atenção os táxis que iam passando e fiz sinal para um senhor que me pareceu mais simpático, embora o carro fosse mais velho.

Ao entrar, o som de uma tranquila melodia já criava um clima completamente diferente. Informei o destino ao motorista, que sorriu para mim, ofereceu-me uma balinha de hortelã e ficou cantarolando a melodia, não sem antes me perguntar se eu preferia que o som fosse desligado.

"Esse engarrafamento não lhe tira o bom humor?" – perguntei-lhe, só para conferir.

"Que nada! Pra que vou me chatear com o trânsito? Não sei se o senhor está com pressa de chegar ao seu compromisso, mas eu já estou aqui no meu trabalho!"

"Então vá com toda calma, meu amigo. Vá devagar porque eu estou com pressa" – respondi.

Ele deu uma gargalhada e, no tempo certo, chegamos ao destino.

No mesmo tipo de trabalho, na mesma situação (engarrafamento no trânsito), esses dois profissionais mostram atitudes completamente diferentes. Qual dos dois trabalha melhor? Qual deles é mais feliz? Quem deixa mais satisfeito o cliente? Quem tem melhor qualidade de vida? Não precisamos nem pensar para responder.


Prof. Gretz

sexta-feira, 5 de abril de 2013

O que nossos olhos enxergam conspira contra a nossa fé. A “realidade” visível é o maior inimigo da esperança; nosso corpo e nossas necessidades gritam pelo socorro de DEUS, a realidade palpável nos açoita e, se não lutarmos contra a incredulidade que o visível nos impôe, desistiremos de orar, clamar e esperar.

Precisamos lembrar constantemente que a realidade não é A REALIDADE; aquela é apenas uma parte desta. A REALIDADE inclui o mundo espiritual, ela é muito maior, mais ampla do que aquela, A REALIDADE é onde DEUS começa a agir e antes que sua ação chegue à realidade.

Temos que ter força para suportar os fatos “reais”, temos que sustentar a dor com coragem e ter determinação para esperar que A REALIDADE se faça visível diante de nós. Esta coragem e determinação são criadas na oração e na confiança no PAI.

SE VOCÊ ENTREGAR À ELE TUDO NA TUA VIDA, ELE AGIRÁ A TEU FAVOR CONCRETIZANDO A VONTADE DELE EM VOCÊ E AO TEU REDOR. ISSO NÃO É ILUSÃO. A VERDADE, OU MELHOR, A REALIDADE, AINDA ESTÁ POR SURGIR NO MEIO DOS DESACERTOS, CREIA!!!!

Afinal, a vontade do Senhor é sempre boa, agradável e perfeita (Rm 12:2)

Neuma Fernandes
http://salmo37.wordpress.com/ 

UMA VERGONHA


terça-feira, 2 de abril de 2013

O PÃO DE CADA DIA


Ninguém é digno do prazer de viver, se não usar suas angústias, ansiedades e aflições para irrigar a vida. Ninguém é digno das flores, se não sujar as mãos para lavrar a terra e cultivá-la. A existência tem curvas imprevisíveis, perdas inesperadas, choques fora do plano que traçamos.

Quando olhamos para o relacionamento que Jesus tinha com Seus discípulos, verificamos que Ele os testava constantemente. Era capaz de enviá-los sem suporte financeiro e sem alimentos para uma terra esranha. Orientava-os a experimentar o vale do medo e a construir segurança mesmo quando o mundo desabava sobre eles. 

Corria risco de ser morto por proteger uma prostituta sem nenhuma religiosidade aparente e queria que os Seus discípulos aprendessem a amá-la independentemente de seus comportamentos. Para espanto deles, o Mestre não tinha medo de expressar Seus pensamentos em lugares onde se recomendava a prudência.

A oração do Pai-Nosso é uma síntese complexa do que Jesus viveu e ensinou. O Deus dessa oração não prometeu caminhos sem obstáculos, oceanos sem tormentas. Mas prometeu o pão cotidiano em cada travessia, força na angústia, coragem nas incompreensões e paciência nas perdas.

Deus não prometeu uma existência sem desertos, mas ensinou que há um oásis nos escombros das dores. Não prometeu campos de flores, mas ensinou, através de Jesus, que há dignidade nos vales dos temores e esperança nos abismos das derrotas. Ensinou que a vida deve ser homenageadas a cada momento como um espetáculo único.

Deus não facilita a vida humana. Uma análise do comportamento de Deus indica que, se atender prontamente todas as necessidades humanas, criaria exploradores, e não seguidores, pessoas autoritárias e não altruístas.

O próprio Jesus comenta que é necessário bater, bater e bater à porta desse misterioso Pai. Não é um processo instantâneo, mas exige o esforço da fé, da paciência e a sabedoria que Ele tem o tempo certo para tudo.

Augusto Cury, em “OS SEGREDOS DO PAI-NOSSO”
http://salmo37.wordpress.com/