domingo, 31 de dezembro de 2017

O ANO FINDOU

O fim de um ano e o início de um novo ano é uma excelente oportunidade de limpar o cadastro e começar de novo. O conhecido pregador Henry Ward Beecher (1813-1887) disse: “Passamos mais um ano. Mais um longo estágio na nossa viagem nesta vida, com as subidas e descidas, o pó, a lama, as rochas, os espinhos, os fardos que carregamos aos ombros, já passaram. O velho ano morreu. Afastem-no. Deixai-o ir. Deus na Sua providência, nos fez sair dele. Já passou. A sua maldade passou; o seu bem permanece. O mal pereceu, e o bem sobrevive.” 

Fonte: http://www.gospelcom.net 

ANO NOVO

sábado, 30 de dezembro de 2017

O MUNDO ESTÁ POBRE

"Com efeito, passa o homem como uma sombra; em vão se inquieta; amontoa tesouros e não sabe quem os levará" (Salmos 39:6).
 
"O mundo está pobre porque seu tesouro está enterrado no céu. Só os mapas desse tesouro estão na terra." (Calvin Miller)

O mundo não tem nada a oferecer para nós. Tudo que existe de verdadeiro valor está no Céu, e nós aguardamos o dia em que estaremos com o Senhor, em Suas moradas celestiais, desfrutando dos tesouros que Ele nos preparou, que estão relatados na Sua Palavra e gravados em mapas no nosso coração.

Nós somos ricos porque sabemos onde estão guardados os tesouros. Somos felizes porque sabemos que o Senhor colocou esses tesouros à nossa disposição. Descansamos perfeitamente porque sabemos que esses tesouros não podem ser roubados e nem consumidos por ferrugem ou traças.

Não somos pobres, como o mundo, porque não somos do mundo. Somos cidadãos dos Céus, herdeiros em Cristo, filhos benditos de Deus. Nossa vida no mundo é passageira, mas, nos Céus de glória, será eterna. Que grandiosa bênção!

Os mapas dos tesouros celestiais estão disponíveis para todos. Todos que amam ao Senhor; todos que têm prazer em ler a Sua Palavra; todos que compreendem que o mundo é enganoso e nada tem a oferecer. Os tesouros existentes na terra são falsos, provocam discórdia, semeiam egoísmo, levam à morte. Seu tempo de duração e a alegria que trazem duram muito pouco.

Os mapas dos falsos tesouros são difíceis de encontrar. Os mapas dos tesouros celestiais, pelo contrário, são encontrados facilmente. Deus quer que todos nós tenhamos os Seus tesouros, que nos alegremos neles, que os tenhamos para sempre.

Eu já tenho esses tesouros. E você?

Paulo Barbosa

NÃO SABER OUVIR


sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

E JESUS NÃO LHE RESPONDEU PALAVRA ALGUMA

"Ele, porém, não lhe respondeu palavra." 

Mateus 15.23

Pelas Escrituras sabemos com que intensidade aquela mulher clamou ao Senhor por sua filha muito enferma e sofrida e Jesus não lhe respondeu palavra alguma. Já nos encontramos há alguns dias no novo ano, mas o clamor em nossa alma ainda não silenciou, o clamor por ajuda palpável, concreta. Parece que o Senhor não responde de nenhuma maneira. Como seria bom você receber consolo exatamente através destas linhas, você que já espera há tanto tempo!

Por que o Senhor não atendeu imediatamente o pedido daquela mulher cananéia que tinha uma fé tão grande? Não parece duro ou incompreensível que: "Ele, porém, não lhe respondeu palavra"? Será que a sua oração não foi correta? O seu pedido não era urgente? Todas essas perguntas o próprio Jesus respondeu ao dizer: "" mulher, grande é a tua fé!" Mas, num primeiro momento, Ele não lhe respondeu palavra alguma. Este é o modo do Senhor agir. Depois de Seu silêncio, Ele nos deixa experimentar poderosamente Sua ajuda maravilhosa! 

O incompreensível silêncio do Senhor nos atinge grandemente em tempos de sofrimento. Por que Deus se cala? Por que Ele deseja que a nossa fé se firme cada vez mais! Mas não vai mais demorar muito o momento em que o Senhor deixará de se calar para você, respondendo como está escrito em Zacarias 1.13: "...com palavras boas, palavras consoladoras."

Extraído do livro Mananciais no Deserto

EXIGI MUITO DE TI


quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

CONSIDERE ISTO

Não tente fazer alguma coisa a não ser que você esteja certo de si mesmo e com chances de ser bem sucedido. Por outro lado não desista de um determinado projeto simplesmente porque alguém não confia em você. - Stewart E. White

O General Douglas MacArthur foi rejeitado duas vezes pela academia de West Point. Ele tentou a terceira vez, foi aceito e o seu nome é presença obrigatória nos livros de história. 

A estrela maior do basketball mundial, Michael Jordan, foi cortado do time de basketball nos seus dias de ginásio. 

Os pais do famoso cantor de ópera Enrico Caruso queriam fazer dele um engenheiro. O seu professor declarou que Caruso não era habilitado para cantar e que a melhor coisa que deveria fazer era procurar uma outra maneira de ganhar a vida. 

Albert Einstein só aprendeu a falar aos quatro anos de idade, e não leu até completar sete anos. Seu professor o qualificou como "mentalmente vagaroso e sempre divagando na tolice dos seus sonhos." 

Em 1954, Jimmy Denny, dirigente do grupo Grand Ole Opry, despediu Elvis Presley depois de um show. Ele disse a Presley: "Como cantor você não vai a lugar nenhum. Você deve voltar ao seu trabalho de motorista de caminhão." 

Depois de rejeitar um grupo de rock chamado The Beatles, um executivo da Decca Recording Company, na Inglaterra, disse: "Nós não gostamos do som que eles produzem. Grupos de guitarra estão saindo de moda." O que é que outras pessoas estão dizendo ao seu respeito e que – infelizmente – você está acreditando? 

Para MeditaçãoEu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais." Jeremias 29.11

Nélio DaSilva

A FELICIDADE


quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

O PODER DO AMOR

Um garotinho de quatro anos de idade foi levado, das favelas de Chicago, para um orfanato. Depois de lhe haverem dado o banho e o terem aprontado para ir para a cama, à noite, quando a empregada lhe indicou o leito alvo e macio, erguendo os lençóis limpos e convidativos, ele fez um gesto de espanto, dizendo:

– A senhora quer que eu entre aí? Pra quê?
Claro, pois é aqui que você vai dormir!

O pequeno arregalou os olhos. A ideia de dormir num lugar desses era para ele compreender. Nunca em toda sua vida, dormira em uma cama.

Foi posto carinhosamente no leito e a empregada lhe deu o boa noite com um beijo. E aquele pedacinho de dente tirou a mão de debaixo das cobertas e esfregou na face, para enxugar o beijo.
Por que a senhora fez isso? - perguntou intrigado.
Mas na manhã seguinte se achegou para a empregada e lhe pediu:
A senhora não quer fazer aquilo de novo - aquilo que me fez ontem à noite?
Nunca dantes recebera um beijo, nem sabia da existência de tal expressão de afeto.
Uma semana depois, o garoto vinha para junto dela três ou quatro vezes ao dia e, com expressão de doçura, rogava: A senhora me quer amar um pouco?
Algumas semanas depois chegou ao orfanato uma senhora, desejosa de adotar um órfãozinho como filho, de maneira que a empregada lhe trouxe aquele garotinho. A senhora, fitando-o, disse:
Tomazinho, você não gostaria de ir para minha casa? Ele ficou olhando para o chão. Tornou ela: - Eu lhe darei um cavalinho e uma porção de brinquedos, e você terá um tempo divertido, e lhe darei muitos passatempos interessantes.
O pequeno continuou fitando o chão, sem dar nenhuma atenção à senhora. Esta continuou falando, procurando persuadi-lo, e por fim o pequeno lhe fitou o rosto e disse:
A senhora vai me amar, também?
 
Digo-lhes, amigos, há nesta historinha muito de patético, que nos fala eloquentemente do poder do amor.

1001 Illustrations.

CAMINHAR

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

LIVRE ACESSO

Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne,

Hb 10.19-20

Quando Deus criou o homem, Ele planejou um ser livre, sem defeitos e pecados com o qual pudesse manter comunhão. No entanto quando Adão pecou todo o projeto de Deus foi afetado de tal ponto que a comunhão foi perdida.

Mas Deus não se conformou em ver o homem caminhando pela estrada da tragédia, Ele enviou Jesus para morrer numa cruz. A cruz era a única forma de poder reaproximar o homem de Deus. Ela não só trouxe Deus para perto do homem como abriu um novo caminho para que o homem possa encontrar Deus no mais sagrado dos tabernáculos: o céu.

Hoje, podemos celebrar o livre acesso ao Santos dos Santos. Eu e você pudemos fechar nossos olhos com sinceridade de coração e entrar em comunhão com Deus, ouvir seus conselhos e sentir Sua presença através do sangue de Jesus.

Obrigado Jesus pelo Teu sangue que nos permite encontrar-se com Deus.

SOLIDARIEDADE E AMOR

Meus vizinhos estavam voltando do sítio, um sol forte, e muito quente, quase uns dez quilômetros longe de casa. Na estrada eles encontraram sete jovens pedindo carona. Eles estavam exaustos de tanto andarem, pois haviam ido brincar em uma cachoeira. No carro só havia lugar para quatro pessoas, três ficariam, e teriam que continuar a caminhada. Diante da oferta de meus vizinhos, os jovens recusaram eles não queriam deixar nenhum dos amigos para trás. Meus vizinhos então vieram embora, porém o coração de minha vizinha doeu em deixá-los ali.

Depois de já terem percorrido alguns metros regressaram e fizeram duas viagens, deixando os jovens próximos de suas casas. Os jovens agradeceram muitíssimo, mas quem realmente sentiu-se feliz e satisfeita foi a minha vizinha que veio contar-me toda eufórica que havia feito uma bela ação. O que me chamou atenção foi a união e a solidariedade daqueles jovens. Eles poderiam ter aceitado a carona, deixando que as meninas viessem e os meninos ficassem, ou tirar a sorte para ver quem viria ou quem ficaria.

Mas não, ou vão todos, ou não vai ninguém. Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 1º Coríntios 13:1,2.

Solidariedade é a dependência mútua entre os homens. Sentimento que leva- os a se auxiliarem mutuamente. É uma relação mútua entre coisas dependentes. É um direito compromisso pelo qual as pessoas se obrigam umas pelas outras.

Porque, se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Eclesiastes 4:10. A Solidariedade consiste, não em receber, mas em dar, independente de raça, credo e do sentimento de compaixão. O amor cobre todas essas distinções e arrisca a própria vida de maneira a proporcionar socorro.

Aprendemos assim que temos que ter um sentimento pelo próximo, independente da proximidade física, de local, mas exclusivamente o sentimento de amor. Onde há a solidariedade não há solidão. Fomos chamados para viver uma fé solidária e não solitária. (John Wesley).

Encontramos muitos exemplos de solidariedade na Palavra de Deus. A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo. Tiago 1.27.

Quando nós abrimos caminhos construindo e exercitando a solidariedade e o amor, nós conseguimos relacionarmos cada vez mais e melhor com as pessoas. Sentimos compaixão. Foi o que a minha vizinha sentiu em relação aos jovens. É o que Deus tem sentido e agido sobre cada um de nós. Vamos praticar a solidariedade e o amor.

Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? Mateus 18:33.
Valéria Belotti

OCUPADOS


FRAQUEZA


segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

NATAL... ÁRVORES VIVAS ENFEITADAS DE GRATIDÃO

O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” 

Lucas 2:10, 11

“Uma vela de Natal é uma expressão de amor. Sem fazer qualquer barulho, suave e lentamente, vai se doando e ficando cada vez menor.”

É maravilhoso quando entendemos o que é o verdadeiro Natal. Jesus demonstrou o Seu amor quando nasceu nesse mundo para nos proporcionar uma vida de plena felicidade. Ele nasceu para morrer e, em Sua morte, nós nascemos para a vida eterna.

É bom ter uma mesa preparada para receber nossos queridos, é bom dar e receber presentes, é bom aproveitar a oportunidade para consertos, pedidos de perdão e restauração de amizades desfeitas. Mas isso não é Natal! Natal é adoração a Cristo, é lábios agradecidos louvando ao Senhor, é amor a Deus pelo presente enviado. Natal não é uma roupa nova e sim uma nova vida no altar do Senhor. Natal não é uma árvore com luzes piscando, mas uma vida que ilumina o mundo sem piscar. Natal não é uma época de saudar o Papai Noel e sim de glorificar o Pai do Céu, nosso Deus, nossa razão de viver.

Natal é uma entrega de vida, como a vela que muitos acendem em suas comemorações. É um “importa que Ele cresça e eu diminua”. É nossa vida como árvore viva, enfeitada de gratidão por Jesus ter nascido em nosso coração.

Devemos comemorar o Natal? Eu comemoro! E muito! Obrigado Jesus, por ter nascido, por mim… para mim… Que grande bênção!

Feliz Natal!

Pr. Paulo Roberto Barbosa, do site – Escuro Iluminado:

ENTENDER O NATAL


domingo, 24 de dezembro de 2017

O QUE É UM FELIZ NATAL?

“O anjo, porém, lhes disse: Não temais, porquanto vos trago novas de grande alegria que o será para todo o povo: É que vos nasceu hoje, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” 

Lucas 2:10, 11

Um entrevistador de televisão estava caminhando nas ruas de Tóquio na semana do Natal.  Como em quase todo o mundo, as compras de Natal são um grande sucesso comercial no Japão.  O entrevistador parou uma jovem senhora na calçada e perguntou: “O que quer dizer o Natal?” Rindo, ela respondeu:
“eu não sei.  Seria o dia em que Jesus morreu?” existia alguma verdade em sua resposta.

Nos dias atuais, mesmo nos países cristãos, o Natal parece uma festa de muitos presentes.  O único que não está presente é o Senhor Jesus, razão da comemoração do Natal.  As casas estão enfeitadas de bolas coloridas, as mesas estão repletas de pratos saborosos, por toda parte são encontradas garrafas de bebidas, todos se abraçam, cantam e dançam, tudo é alegria.  Mas onde está o dono da festa?  Onde está o Salvador?  Onde está o Senhor que nasceu para nos dar vida e vida com abundância?

Parece que Cristo continua relegado à manjedoura de Belém, longe de nossos olhos, de nossa casa, de nossas vidas.  Mas não deveria ser assim.  Ele é a única coisa importante do Natal, o motivo real de nossa alegria.

O Natal deve ser comemorado com Jesus na manjedoura de nossos corações, nas cores de nossa felicidade, na fartura de nossa adoração e obediência.  A festa é Jesus, a alegria é Jesus, os louvores são para Jesus, os abraços são dados por causa de Jesus.

O que significa ter um “Feliz Natal”?  Ganhar muitos presentes?  Comprar roupas novas?  Reformar a casa?  Tudo isso é apenas consequência de um “Feliz Natal”.

Um “Feliz Natal” existe quando Jesus é o Senhor e Salvador de nossas vidas, o iluminador de nossos lares, o guia de todas as nossas decisões.  Isso é ter um “Feliz Natal”!

Paulo Barbosa

sábado, 23 de dezembro de 2017

UMA HISTÓRIA DE NATAL

A história de John Pierpont é uma seqüência de fracassos. Após formar-se na Universidade de Yale, iniciou sua carreira de professor, mas faltava-lhe energia para manter a ordem na classe. Por isso, fracassou como docente. Tentou a advocacia, mas era excessivamente escrupuloso, e os colegas mais espertos sempre levavam a melhor sobre ele. E mais uma vez fracassou. Resolveu ser comerciante, mas vendia muito barato e não sabia dizer não aos pedidos de fiado. Também fracassou.

Talvez o pastorado fosse o lugar ideal para uma pessoa tão generosa. Por isso, John Pierpont matriculou-se no curso de Teologia da Universidade de Harvard. Formou-se e foi ordenado pastor, mas fracassou também no pastorado. Tentou a política, porém não conseguiu eleger-se para nenhum cargo.

John Pierpont faleceu em 1866, com oitenta e um anos de idade, alquebrado por inúmeras frustrações. Seu corpo foi sepultado no Cemitério de Mount Auburn, em Cambridge, Massachusetts. E sobre seu túmulo há uma pequena lápide de granito, onde está escrito: JOHN PIERPONT - POETA, PREGADOR, FILÓSOFO, FILANTROPO. Ele viveu seus últimos anos num emprego muito humilde, numa das subseções do Ministério da Fazenda, em Washington, abrindo e fechando gavetas de arquivos.

Mas o nome de John Pierpont ficou gravado na história não por seus fracassos, mas por um grande sucesso. Numa fria tarde de inverno, enquanto caía a neve, ele escreveu numa partitura as notas de Jingle Bells, a canção que celebra a alegria de se deslizar pelo escuro gelado das noites brancas, num trenó puxado por um cavalo. Quase cento e cinqüenta anos após o falecimento de John Pierport, milhões de pessoas ao redor do mundo são embaladas por essa linda canção de Natal. Apesar de tantos fracassos, uma única canção foi o suficiente para gravar na História o nome de John Pierpont.

Muito mais importante do que ter o nome gravado na História é tê-lo escrito no Livro da Vida. Neste livro estão gravados os nomes daqueles que viverão eternamente felizes com Jesus. “Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor” (Apocalipse 21.3,4). Foi para nos garantir essa felicidade que Jesus veio ao mundo. Ele nasceu, viveu e, por fim, morreu pregado em uma cruz para pagar pelos nossos pecados e nos garantir a salvação. A Bíblia diz: ”Dificilmente alguém morreria por um justo. Mas Deus prova o seu própria amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Romanos 5.7-9). 

- Rev. Adão Carlos no boletim da Igreja Presbiteriana de Campinas

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

SER CRISTÃO É SER UM PEQUENO CRISTO NESTA TERRA

E ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de JESUS, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. 
Mateus 1.21

E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens. 
Lucas 2.52

O Natal representa o nascimento de Cristo dia após dia em nossa vida. Ser cristão é ser um pequeno Cristo nesta terra, um discípulo de Jesus que vive de acordo com o que Ele ensinou com sua própria vida.

Querido irmão, que o Natal seja uma data especial para você e para todos os seus familiares. Que neste dia, vocês possam repensar sobre o que o nosso Senhor e Salvador veio ensinar-nos com sua vida e com seu relacionamento com Deus e com os homens!

Que o amor, o perdão, a alegria, a paz, a bondade, a mansidão, a tolerância, a compaixão e o domínio-próprio sejam constantes em nosso viver diário! Que a intimidade com Deus, a unção, a autoridade e o poder divino sejam desenvolvidos em nossa vida diariamente até chegarmos à estatura de Cristo!

Meu desejo de todo o coração é que você e sua família tenham Jesus reinando em sua vida, para que as marcas dele estejam impregnadas em tudo o que fizerem, em suas palavras e atitudes. E, assim, todos verão e sentirão a diferença em seu viver, sendo atraídos para Deus por sua vida, seu modo de ser e de agir.

Que Deus o abençoe cada dia mais!

Um forte abraço e Feliz Natal!

pastora Elizete Malafaia

NÃO DURA PARA SEMPRE


quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro" 

Mateus 6:24

Um parente de meu marido contou-me que seus antepassados abandonaram a Inglaterra para roubar ovelhas. Eles foram para a Holanda mas tiveram que sair também de lá para poderem praticar sua religião. Eles vieram para a América onde podiam roubar ovelhas e praticar sua religião ao mesmo tempo! (Sarah Watson)

Quero aproveitar apenas o assunto de nossa ilustração para a nossa reflexão de hoje. Até que ponto podemos estar divididos entre Deus e outros interesses? Como poderemos deixar Deus de lado para enveredar em outros caminhos que nada têm a ver com Ele? Podemos ser cristãos em um determinado período e não cristãos em outro? É possível servir ao Senhor e ao mundo simultaneamente?

Muitas vezes pensamos que sim! Temos uma vida no caminho do Senhor e, ao dobrar uma esquina, assumimos outra personalidade. E esquecemo-nos de que Deus é Onipresente e vê tudo o que fazemos, seja em Seu caminho seja em outras veredas ocultas.

Em um dia da semana vestimo-nos de vestes santas e em outros as trocamos por outras, menos brancas, menos limpas, menos imaculadas. Achamos que, assim, enganamos a Deus. É verdade que conseguimos enganar... não a Deus, mas a nós mesmos!

Não devemos amar por um momento e odiar no outro. Não podemos ter uma fé inabalável em um dia e murmurar, incrédulos, em outro. Não devemos caminhar, em um instante, para o Céu e, no outro, para lugares obscuros, longe do Senhor.

Quando nos deixamos enganar por nossas incertezas, caminhamos e não vamos a lugar algum; esforçamo-nos e só adquirimos cansaço; erguemos as mãos para tocar as bênçãos e elas não estão lá.

Não ande vacilante em dois caminhos... escolha apenas um. Escolha Jesus!

Paulo Barbosa

LIVRES

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

O BALÃO VERMELHO

Benny tinha setenta anos quando morreu subitamente de câncer, em Wilmette, Illinois. Como sua neta de dez anos, Rachel, nunca teve a oportunidade de dizer adeus, ela chorou durante vários dias. Mas depois de receber um grande balão vermelho em uma festa de aniversário, voltou para casa com uma idéia - uma carta para o vovô Benny, enviada para o céu em seu balão.

A mãe de Rachel não teve coragem de dizer não e observou com lágrimas nos olhos o frágil balão subir por entre as árvores que cercavam o jardim e desaparecer.

Dois meses depois, Rachel recebeu esta carta com carimbo do correio de uma cidade a 900 quilômetros de distância, na Pensilvânia:

"Querida Rachel,

Vovô Benny recebeu a sua carta. Ele realmente a adorou. Por favor, entenda que coisas materiais não podem ficar no céu, por isso tiveram que mandar o balão de volta para a Terra - eles só guardam os pensamentos, as lembranças, o amor e coisas desse tipo no céu.

Rachel, sempre que você pensar no vovô Benny, ele saberá e estará muito perto, com um amor enorme por você.

Sinceramente, Bob Anderson (também um vovô)."

MICHAEL CODY

QUEM ERRA?

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

A PEDRA

O distraído nela tropeçou,
o bruto a usou como projétil,
o empreendedor, usando-a construiu,
o campônio, cansado da lida.
Dela fez assento,
para os meninos foi brinquedo,
Drummond a poetizou,
Davi matou Golias...
Por fim;
o artista concebeu a mais bela escultura.
Em todos os casos,
a diferença não era a pedra
mas o homem.





Antonio Pereira

MUDAR A SI MESMO

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

UMA FALSA LIBERDADE

Em nossos dias, milhões de almas que ainda se encontram escravizadas ao pecado, por não terem sido libertadas por Cristo, caminham debaixo de uma sentença de morte espiritual eterna, cuja condenação final será executada a partir do momento em que deixarem este mundo, e todavia, caminham debaixo da falsa convicção de que são livres porque pensam que por simplesmente se considerarem pessoas que têm fé em Deus, são livres para fazerem o que for da sua própria vontade.

Mas, a liberdade cristã não é liberdade para a carne, mas liberdade para a Nova Criatura. Libertação do jugo do pecado para poder fazer não a própria vontade carnal, mas a de Deus, revelada em Sua Palavra e ensinada e moldada pelo Espírito Santo. 

A carne deve ser mortificada; por isso foi crucificada juntamente com Cristo quando Ele morreu na cruz do Calvário (Gál 5.24). E este benefício é para aqueles que de fato não caminham segundo a carne, mas segundo o Espírito.

Silvio Dutra

OS DIAS NUNCA SÃO IGUAIS



domingo, 17 de dezembro de 2017

O QUE ACONTECE COM VOCÊ...

"Não é o que acontece com você, mas o que você faz com aquilo que acontece com você." W. Mitchell (1943 - )



Em 19 de julho de 1971, enquanto dirigia sua motocicleta a mais de 100 quilômetros por hora, W. Mitchell se distraiu e chocou-se contra um caminhão em alta velocidade, perdendo tudo.

O desastre atirou a ambos, ele e sua motocicleta, comprada no dia anterior, para bem longe do caminhão, fazendo-o espatifar-se na estrada. Como se não bastasse, o tanque da Honda 750 de Mitchell, que estava cheio de gasolina, explodiu, queimando praticamente todo o seu corpo e desfigurando seu rosto. A explosão foi tão grande que pôde ser vista à vários quarteirões de distância.

Mitchell entrou em coma profundo mas recobrou a consciência no hospital, descobrindo que seu rosto já estava irreconhecível e seus dedos tinham desaparecido, queimados no acidente. Foram meses sofrendo dores terríveis, não somente físicas, mas emocionais. Várias cirurgias para tentar melhorar a aparência de um rosto destruído pelas chamas foram feitas. Coloque-se no lugar dele. Lutando para sair daquela "catástrofe", do tipo que derruba a maioria das pessoas para o resto da vida, Mitchell mudou-se para uma pequena cidade, onde as pessoas poderiam conhece-lo melhor e, assim, deixarem de lado sua aparência. Lá, fundou uma empresa para fabricar carvão, usando o dinheiro que sobrara do seguro de acidentes. Mesmo desfigurado, o "monstro" ficou milionário em quatro anos. Era novembro de 1975.

Foi quando, durante uma nevasca, o avião no qual viajava caiu. O acidente foi terrível e os tanques do avião explodiram... mas Mitchell, milagrosamente, sobreviveu a este novo desastre. Agora, além de ter tido que reaprender a viver com todas as dores e cicatrizes, ele também estava paralisado da cintura para baixo, sendo forçado a usar uma cadeira de rodas pelo resto da vida. Como disseram alguns... um monstro sobre rodas. Sua mulher o deixou. Seu mundo, novamente, estava negro.

Mesmo assim, W. Mitchell é hoje um dos conferencistas mais respeitados dos Estados Unidos. Ele não tem dedos e não anda, mas mesmo assim foi eleito para prefeito (usava o slongan: "vote em mim e não serei somente mais um rosto bonito") e é mais ativo e realizador do que a maioria das pessoas que eu e você conhecemos. Pessoas para as quais uma unha quebrada ou um dia de chuva são um motivo para acabar com seus dias.... e com os nossos.

Talvez você tenha um problema real. Mas se ele está impedindo você de fazer o que deve ser feito, pense em W. Mitchell. Ele poderia estar em casa, olhando a TV e se escondendo do mundo, e nenhum de nós o recriminaria. Mas não está.

Algumas pessoas reclamam: 'se eu não fosse tão velho... ou tão jovem... se ao menos eu tivesse aquela pessoa ao meu lado....ou longe de mim'... se eu tivesse dinheiro... ou aquele diploma... se eu morasse naquela casa.... se tivesse aquele emprego...' As desculpas vão se seguindo. Cada um de nós tem as próprias desculpas. Quais são as suas?

Compare a história de W. Mitchell com a sua. A maquiagem borrou? Você ainda tem o rosto. A unha quebrou? Você ainda tem os dedos. O sapato furou? Você ainda tem os pés.

Engraçado como alguns dos nossos "horríveis problemas" ficam ridículos, quando comparamos às tragédias que outras pessoas superaram. Como diz W. Mitchell: "Não é o que acontece com você, mas o que você faz com aquilo que acontece com você."

UMA VERDADE DITA


sábado, 16 de dezembro de 2017

ANOS DEPOIS


O generoso será abençoado, porque dá do seu pão ao pobre. 

Provérbios 22:9.

Muito tempo atrás, um rapaz que estava viajando para a região Oeste dos Estados Unidos chegou a uma fazenda e pediu uma acomodação onde pudesse passar a noite. O proprietário recebeu-o com boa vontade. Pouco depois, outro viajante e sua esposa pararam e perguntaram se poderiam pernoitar ali. O jovem marido, que sofria de tuberculose, explicou que tinha somente quatro dólares para pagar o alojamento. O fazendeiro convidou-os a entrar e disse que não cobraria nada pelo pernoite.

O primeiro rapaz, sentindo pena do viajante enfermo, ofereceu-lhe sua cama e disse que dormiria no celeiro, o que ele realmente fez. Na manhã seguinte, quando o homem doente e sua esposa estavam partindo, o fazendeiro colocou 100 dólares na mão dele e disse que os usasse, sem preocupar-se no caso de não poder devolvê-los.

Vinte anos se passaram. O primeiro rapaz viajava perto da fazenda onde havia pernoitado tantos anos atrás e decidiu ver se o proprietário ainda morava no mesmo lugar. Morava. Enquanto recordavam aquele dia, outro visitante bateu à porta. Por uma dessas coincidências únicas na vida, era o outro viajante! Havia recuperado a saúde, e a fortuna lhe havia sorrido. Tomara conhecimento, recentemente, de que seu generoso anfitrião havia sofrido sérios reveses financeiros. Estava passando por ali para pagar a generosidade dele.

- Amigo - disse ele ao fazendeiro - você me deu 100 dólares quando eu estava necessitado, e agora quero pagar-lhe 100 dólares para cada dólar que me deu.
Bem que eu gostaria de saber os nomes das pessoas dessa história, mas não sei. Tudo o que sei é que ela foi "contada pelo rapaz que chegou primeiro àquela casa de fazenda".

A generosidade tem suas recompensas, até mesmo nesta vida. Jesus disse: "Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão." S. Luc. 6:38. Mas não espere que sempre aconteça dessa maneira. Seja generoso porque isso faz parte da regra áurea - e espere bênçãos espirituais, não materiais.

HOMEM LIVRE

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

INÚTIL

Esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas por temporal. Para eles está reservada a negridão das trevas. 

2 Pedro 2:17 

Se eu tivesse de fazer uma lista de coisas que não servem para nada, começaria com esta. Uma fonte sem água é mais inútil que uma árvore sem frutos, pois pelo menos a sombra se aproveita, ou no pior dos casos usamos a madeira como lenha.

O texto fala de falsos profetas, mas quero tomar a liberdade de expandir a aplicação um pouco mais adiante, porque considero um momento importante. Todo inútil é, como o nome está dizendo, sem-utilidade. Entendo que precisamos medir nosso grau de utilidade continuamente.

Um marido que não serve sua esposa e filhos é um inútil, um cristão que não evangeliza é um inútil, um crente que não se santifica é um inútil. Um empregado que não produz eu demito, imagine o que Deus fará com obreiros inúteis, não precisa nem pensar muito. Até porque a Palavra nos diz que eles terão um tratamento específico.

Enquanto escrevo estas palavras pessoas estão morrendo de fome enquanto outros inúteis que poderiam ajudar só acumulam riquezas. Enquanto vivo meu momento gostoso com Deus têm pessoas aí em redor indo para o inferno, por causa de gente inútil. Outros que intencionalmente torcem a verdade e escondem os fatos, nem preciso comentar.

Não acho que nenhum cristão realmente nascido de novo seja totalmente inútil, afinal de contas o Espírito Santo habita nele, mas entre zero e cem por cento precisamos nos posicionar. Qualquer coisa abaixo de 50 é um perigo, pode ser considerado morno...

Meu irmão: desperte. Desacomode-se. Envolva-se no projeto de Deus. Dedique-se. Invista-se. Mova-se. Suba seu escore, seja ele qual for. Glória a Deus pelos 99%, mas vamos almejar a totalidade, a perfeição, a santidade - plenos. Eu posso melhorar e você também, eu te convido a tentar.

OremosPai, não quero ser irrelevante, quero fazer diferença, como fonte de boa água. Usa-me e me reveste de vontade de te servir. Em nome de Jesus. Amém. 

Mário Fernandez 

VENCENDO COM A PACIÊNCIA

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

O QUE IMPRESSIONA A DEUS?

O esforço humano nunca pode impressionar um Deus onipotente, e a grandeza dos homens jamais pode impressionar um Deus de grandeza infinita. Isto é má notícia para aqueles que competem com Deus, mas boa notícia para aqueles que querem viver pela fé.

O Salmo 147 é uma emocionante declaração de esperança para um povo que desfruta do gozo e certeza de que Deus é Deus. O salmista afirma: “Conta o número das estrelas, chamando-as todas pelo seu nome” (v. 4). Ora, isto é mais do que podemos apreender! “Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é sobremodo elevado, não o posso atingir” (Sl 139.6).

A Terra, onde vivemos, é um pequeno planeta que gira em torno de uma estrela chamada Sol, que tem o volume um milhão e trezentas vezes maior do que o da Terra. Existem estrelas milhões de vezes mais luminosas do que o Sol. Existem aproximadamente cem bilhões de estrelas em nossa galáxia, a Via Láctea, que tem cem mil anos-luz de extensão. (Um ano-luz equivale a 299.792.458 km/s.) O Sol viaja a 249 km/s, e, por isso, seriam necessários, duzentos milhões de anos para que o sol cumprisse apenas uma órbita em volta da Via Láctea. Existem milhões de outras galáxias além da nossa.

Agora, ouça novamente: o Salmo 147 afirma que Deus conta o número de todas as estrelas. Não somente isso, afirma também que Ele as chama pelo nome que lhes deu, tal como se faz a animais de estimação. Você os olha, observa suas características e chama-os por algum nome que se enquadre nas diferenças

O sol tem um nome na mente de Deus. Ele chama o sol por seu nome, diz a ele o que fazer e ele obedece. E assim o fazem trilhões de estrelas. (Assim como todos os elétrons, em todas as moléculas dos elementos das estrelas e dos planetas, incluindo os elementos que se encontram nas guelras de um tubarão que vive embaixo das rochas, na costa da ilha de Rhode.)

Ora, o que impressionaria um Deus como este? Salmo 147.10-11 nos mostra com clareza:

Não faz caso da força do cavalo, nem se compraz nos músculos do guerreiro. Agrada-se o Senhor dos que o temem e dos que esperam na sua misericórdia.

John Piper, em “UMA VIDA VOLTADA PARA DEUS”
http://salmo37.wordpress.com/

A REAL TRAGÉDIA DA VIDA


quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

FAZENDO A CORRETA AVALIAÇÃO

Por que seria menos importante servir a Deus e ao seu reino eterno, do que aos homens e seus interesses imediatos e terrenos?

Todavia é o que ocorre comumente, até mesmo entre aqueles que são filhos de Deus. Isto sucede em razão de serem, tanto Deus, como o Seu reino, invisíveis. Não possuem aparência externa, logo, quando se caminha por vista e não por fé, ficamos cegos e incapacitados de fazer uma justa e correta avaliação do que é mais importante.

Afinal, como podemos atribuir valor ao que não vemos; que não experimentamos; que não conhecemos?

Ainda que se fale sobre isto, pouco será a ajuda para enxergarmos a verdade, caso não tenhamos nossos olhos e ouvidos abertos para verem e ouvirem as coisas relativas ao reino dos céus, pela graça de Jesus e pelo poder do Espírito.

Como entenderemos a profunda exatidão e realidade das advertências bíblicas, para que sirvamos a Deus com temor e tremor?

Como poderemos aceitar que estamos em grande risco, quando negligenciamos os interesses de Deus e da Igreja, especialmente por não dar a devida atenção, respeito e acatamento aos instrumentos que Ele usa para nos liderar e conduzir?

O que dizer então, quando aqueles que são chamados por Ele para apascentar o Seu rebanho são também cegos e irresponsáveis?

Se temos que prestar contas de nossas ações àqueles que são constituídos como autoridade e têm poder sobre nós em assuntos seculares, quanto mais não teremos que prestar Àquele que é o Todo-Poderoso?

Ele consideraria coisa de somenos importância, que abandonemos nossas obrigações ministeriais que Ele mesmo nos atribuiu para serem cumpridas?

Ele não levaria em conta o abandonarmos sem motivo e sem a Sua permissão, a congregação na qual nos colocou para que em unidade fizéssemos Sua obra?

Seus olhos estão continuamente sobre nós, e em todo o tempo somos julgados quanto ao que pensamos e fazemos. Ele não é como um supervisor humano que pode nos controlar apenas quando estamos ao alcance da Sua vista.

Como não temeríamos então, muito mais Aquele que pode não somente nos recompensar por nosso bom comportamento, como também nos repreender e infligir danos eternos por nossas negligências e irresponsabilidade?

Caminhemos, portanto com temor e tremor durante toda a nossa peregrinação terrena, vigiando e orando em todo o tempo, para que não percamos de vista e da lembrança estas verdades tão importantes para o nosso bem-estar espiritual e para a glória de Deus.

Silvio Dutra

NENHUM MAL

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

NÃO TENHO TEMPO

Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu.
Eclesiastes.3.1

Em um mundo que gira com tanta presa, o homem já não tem tempo. Ele anda ocupado demais:

– Não tenho tempo para fazer isto ou aquilo.

– Não posso, pois tenho que trabalhar.

– Não consigo, pois vou ter que resolver um problema.

Em um mundo que não pára de correr, temos sempre muito o que fazer. A Bíblia conta a história de homens que foram convidados para uma festa de casamento, mas não puderam ir. Eram homens ocupados com coisas desta vida:

– Tenho uns bois para experimentar.

– Tenho meus campos para olhar.

– Tenho meus pais para cuidar.

Meu querido, deste que Deus criou o mundo, o tempo corre na mesma direção e com a mesma velocidade. A terra não gira hoje mais rápido que no tempo de Noé, Davi ou de Paulo.

O Problema não é o tempo!!!

O Problema não é que você é ocupado demais!!!

O Problema não é que o relógio correr depressa!!!

O problema é que você nunca tem tempo para Deus. Nos dias de Noé, todos estavam ocupados: comendo, bebendo, dando-se em casamento e não tinha nenhum tempo para Deus.

Nos dias de Jesus, muitos homens ouviram a mensagem do Evangelho, mas poucos tinham tempo para Deus. Não é diferente de hoje. Todos têm sempre o que fazer para si, nunca sobra tempo para Deus.

Os ponteiros do relógio não param, nada os detém, e vamos ficando velhos a cada dia. Mas lembre-se: um dia teremos que dá conta de todo o tempo disponível que tivemos aqui na terra.

UM HOMEM DE PAZ


segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

O FAROL - SIMPLESMENTE FASCINANTE

Minha mente viaja no passado, navega nos idos anos da minha meninez... Conduz-me até a infância - tempo incomparável - me leva até meu pai, que a saudade (em vislumbres) insiste em me fazer ver...

No farol, lá está meu velho a cumprir sua rotina de vigilância: ele é íntegro, seguro, uma referência... embora solitário, como o próprio farol.

Meu pai se orgulha de ser quem é, ele é a luz dos mares, a bússola dos navegantes, a última esperança para os nautas apavorados e perdidos... Ele é quem mantém o foco luminoso da sinaleira, por isso, se sente o próprio farol, naquelas densas noites sem lua e sem estrelas...

Mas durante o dia, que agonia! quanto tédio ficar ali, mas isso foi até o dia em que eu cresci um pouquinho, e pude acompanhá-lo, e a minha presença fez meu pai aprender a sorrir...

Meu pai tinha muitos planos que me envolviam: sonhava em me fazer um comandante do mar, e fez pra mim um barquinho maneiro, e me ensinou as primeiras braçadas com o remo, para então eu saber como ir, como também saber voltar.

Ali da passarela de acesso ao farol, me aguardava ansioso, e quando me avistava era uma festa de arrepiar... Ah, que ternura! que amor imenso, e que cangote gostoso pra me carregar... O resto do dia era só chamego, e ele, inspirado e contente, me ensinava outra arte: traduzir com os dedos as emoções que é do peito, que se tornavam em canções de ninar... e de amar.

Tempos depois ganhei uma lancha, depois um pesqueiro, e ai um pequeno iate, em seguida um maior... e eu também já era grande, um rapazote apaixonado, inteiramente apaixonado, a navegar...

Não demorou e eu já tinha um navio (meu pai era incrível na arte de negociar, e eu, na arte de aprender pilotar), e cada vez navegava mais longe, e quanto mais longe, mais demorava a voltar...

Imagino a angústia do meu paizinho, novamente sozinho, de dia na plataforma, esperando notícias, com o olhar perdido no horizonte, e a noite no seu farol, emitindo sinais pra que eu o encontre... Mas eu estava afastado demais... há dias, meses e anos de distância... e o meu pobre pai, ainda me esperando.

Ah, que vontade revê-lo! preciso ir, preciso arranjar um jeito, e decidido fui (os compromissos que me perdoem), meu pai necessita muito mais de mim e dos meus zelos.

Avisto o farol, mas cadê meu velho? Acostumei tanto a retornar e vê-lo, mas desta vez só o vazio me recepcionou, tão cruel e frio...

Cartas pelo chão, a plataforma parece longa demais... Cadê meu pai? Cadê seu grito de euforia e boas-vindas? Cadê seu sorriso? Cadê seu colo? Cadê seu semblante sereno e bonito!!! Cadê?

O farol está triste, meio apagado, meio de luto... Meu pai deitado, fraco, febril, quase se despedindo... Que cena lastimável, que dor, que pavor repentino... o que fazer, meu Deus? como agir? Socorre-nos, oriente-me, abraça-nos com Teu imenso Amor Divino.

Orei... Deus me deu forças. Papai ao me ver esboçou um sorriso, ajoelhei ao seu lado, e me senti outra vez seu menino...

Vamos pai, levante-se! quero recuperar o tempo perdido, voltar a ser como antes - concluir a canção de nossas vidas, escrever novos versos e compor a melodia mais linda... que já é um sucesso!!!

Toque o piano ai, pai, deslize seus velhos dedos com toda a leveza do seu ser... dedilhe seu amor, tire o som do seu coração... Toque pai! toque ai... PAI? PAPAI? Não me deixe por favor, abra os olhos, abra os olhos... PAI!!! (...)

Enfim o verão, o inverno se foi - é vida que segue - é preciso continuar navegando... é preciso ensinar os caminhos do mar...

Novas gerações chegam, outras se vão, mas o farol continua ali, imponente, dando luz pra gente, e iluminando com lampejos a escuridão...

Meu herdeiro precisa saber disso: o marujo precisa do mar como também precisa do farol. Meu filho vai, e eu fico... fico aqui a zelar pelas suas noites escuridão afora, e a esperá-lo voltar quando quem lhe orienta é o sol.

"Barcos maiores vão cada vez mais longe... e quanto mais longe, mais se demora a voltar. A gente cresce, e assim a vida segue..."

""Apegue-se à instrução de seu pai, não a abandone; guarde-a bem, pois dela depende a sua vida" (Provérbios 4: 13)



Cícero Volney
Fonte: http://www.webservos.com.br/

DAI-ME VERDADE


domingo, 10 de dezembro de 2017

VENTOS E TEMPESTADES

Um escritor inglês, do século passado, conta em uma de suas obras que na praia perto de sua casa, uma coisa muito interessante podia ser vista com frequência:

Um navio lançando a sua âncora no mar enfurecido. O navio dança sobre as ondas Parece estar sob o poder e à mercê delas. O vento e a água se combinam para fazer do navio o seu brinquedo. Parece que vai haver destruição; pois se o casco do navio for lançado sobre as rochas, será despedaçado.

Mas observamos que o navio mantém a sua posição. Embora à primeira vista parecesse um brinquedinho desamparado à mercê dos elementos, o navio não é vencido. Qual é o segredo da segurança deste navio? Como pode resistir às forças da natureza com tanta tranquilidade? Existe segurança para o navio no meio da tempestade porque ele está ancorado!

A corda à qual ele está amarrado não depende das águas, nem de qualquer outra coisa que flutue dentro delas. Ela as atravessa e está fixada no fundo sólido do mar. Não importa quão forte o vento sopre ou quão altas sejam as ondas do mar... A sua segurança depende da âncora que está imóvel no fundo do oceano.

Muitas vezes nos sentimos no meio de uma tormenta, sendo jogados pelas ondas da vida para cima e para baixo e açoitados pelo vento da adversidade. Parece-nos, às vezes, que não conseguiremos sobreviver a determinados períodos de nossas vidas.

Sem uma vida espiritual, a nossa vida é como um navio sacudido pelo mar enraivecido das circunstâncias incontroláveis da vida. Mas, confiando em Deus, experimentamos sua presença e amor como âncora da nossa vida. Nos sentimos encorajados e esperançosos. Essa esperança mantém segura e firme a nossa vida, assim como a âncora mantém seguro o barco.

L. R. Silvado