quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

A MAJESTADE DO AMOR DE DEUS

Como está escrito: Amei a Jacó, e odiei a Esaú. 
Romanos 9:13

Um cavalheiro, que pensava consistir o cristianismo somente em problemas misteriosos, disse a um velho ministro: Parece-me muito estranha a seguinte declaração: "A Jacó amei, mas aborreci a Esaú."
 
"Sim, é muito estranha", disse o ministro, "porém, qual é a parte que lhe parece mais estranha?" "Oh!", respondeu o cavalheiro, "o que concerne ao aborrecimento de Esaú."
 
"Bem, senhor", replicou-lhe o ministro, "quão maravilhosamente somos feitos e quanta diferença há entre um e outro!" A parte mais inconcebível desta história é como Deus pôde amar a Jacó. Não há mistério tão profundo como o do amor de Deus. - N.T.
Mil Ilustrações

NOVO AVANÇO


terça-feira, 30 de dezembro de 2014

GRANDE AMOR

As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam. 
Cantares 8:7

Quando Romney, o grande artista inglês, era jovem, enamorou-se de uma senhorita e se casaram; porém a sua paixão foi maior pela sua arte. Um dia soube que o Sr. Josué Reynolds dissera que fora uma lástima o fato de Romney haver se casado, porque tinha talento para chegar a ser um grande artista e então não poderia subir muito devido a ter que cuidar de sua esposa.

Ao ouvir isto Romney separou-se de sua jovem esposa e foi para Londres. Pintou vários quadros de pessoas da mais alta posição social de toda a Inglaterra, produzindo assim, pinturas tão notáveis que valiam muitos milhares de dólares. Isto fez com que ele adquirisse renome e fama em Londres por algum tempo.

Porém, quando começou a envelhecer adoeceu, então, juntou todas as suas coisas e voltou para sua esposa, que ficara no norte da Inglaterra. Ela o recebeu e cuidou dele ternamente até que morresse. Alguém disse, então, que o espírito que sua esposa manifestou foi de maior valor que todas as pinturas feitas por ele.


sábado, 27 de dezembro de 2014

CAMPO DE BATALHA

Quando estou numa batalha, sabendo que DEUS prometeu, mas, mesmo assim sendo atacada pela dúvida e descrença, gosto de ler e meditar nessa passagem:

“O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E não enfraquecendo na fé, não atentou para o seu próprio corpo já amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara. E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus, E estando certíssimo de que o que ele tinha prometido também era poderoso para o fazer.” Rm 4:18-21

Abraão tinha recebido uma promessa de DEUS de que faria com que ele tivesse um herdeiro. Muitos anos vieram e se foram, e ainda não havia nenhuma criança. Abraão ainda estava esperando em fé, crendo que o que DEUS havia dito aconteceria. Enquanto ele se mantinha firme, era atacado por pensamentos de dúvida.

A desobediência numa situação como esta é simplesmente desistir quando DEUS está nos ordenando que perseveremos. Desobediência é negligenciar a voz do SENHOR ou o que quer que DEUS esteja nos falando pessoalmente.

DEUS coloca sonhos no coração do SEU povo; eles começam como sementinhas. Assim como uma mulher tem uma semente plantada no seu ventre quando fica grávida, da mesma forma ficamos “grávidos” com as coisas que DEUS promete. Durante a “gravidez”, o inferno trabalha arduamente para tentar fazer com que “abortemos” nossos sonhos. Uma das armas usadas é a dúvida; a outra é a descrença. Ambas trabalham contra a mente.

Joyce Meyer

O QUE AMAMOS


quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

RAZÃO DO NATAL

Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor. 

Lucas 2:11

A esta altura do mês de dezembro, você deve estar bastante cansado de ter andado pelo comércio e por muitas lojas na correria insana à procura de presentes e dos preparativos para a celebração do Natal junto à sua família e amigos.

Obviamente, não acredito em Papai Noel, mas achei muito interessante o seguinte texto de autor desconhecido intitulado “Nenhuma comparação”:

“Por que Jesus é melhor do que Papai Noel? Papai Noel vive no polo norte. Jesus está em todos os lugares. Papai Noel anda num trenó. Jesus anda nas asas do vento e andou sobre as águas. Papai Noel nos visita uma vez por ano. Jesus está sempre presente para nos ajudar. Papai Noel enche suas meias com presentes. Jesus supre todas as suas necessidades. Papai Noel entra pela chaminé sem ser convidado. Jesus está à porta e bate... então, entra em nosso coração quando convidado.

“Você tem que ficar na fila para ver Papai Noel. Basta mencionar o nome Jesus, e Ele está ali pertinho. Papai Noel deixa você sentar em seu colo. Jesus deixa você descansar em Seus braços. Papai Noel não sabe o seu nome, ele diz: ‘Ei, garotinho’, ‘Ei, menininha, como é o seu nome?’ Jesus já sabia nosso nome antes mesmo de nascermos. Ele não somente conhece nosso nome, Ele sabe o nosso endereço também. Ele conhece nossa história e nosso futuro, e sabe quantos fios de cabelo temos na cabeça.

“Papai Noel tem a sacola cheia de doces. Jesus tem o coração cheio de amor. Papai Noel diz: ‘Não precisa chorar.’ Jesus diz: ‘Vou cuidar de você; lance seus cuidados sobre Mim e Eu cuidarei de você.’

“Os que ajudam o Papai Noel fazem brinquedos. Jesus faz vidas novas, remenda corações feridos, conserta lares quebrados e constrói mansões.

“Papai Noel coloca presentes sob sua árvore. Jesus tornou-se nosso presente e morreu numa ‘árvore’.”

Não há sombra de dúvidas; realmente não há comparação. Apenas devemos nos lembrar do verdadeiro sentido do Natal. E colocar Jesus no centro da festa.

Jesus é a razão do Natal.

Elbem César

ENTENDER O NATAL


quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

O MAIOR PRESENTE

Todos os anos, as lojas ficam cheias de pessoas a procura de presentes e os supermercados oferecem desde panetones até ceias caras e sofisticadas, tudo para que o natal seja uma festa completa.

A gente se envolve nesse clima que acaba se deixando levar pelo consumismo e acaba esquecendo de que o natal é muito mais que festas, comidas e presentes. É preciso, de vez em quando, parar para pensar na forma de viver que estamos desenvolvendo e voltar o olhar para o primeiro natal.

E ver que naquele dia também houve festa. Diz a Bíblia que os anjos cantavam nos céus a mais bela música que este mundo já ouviu e que pastores foram a Belém e adoraram ao menino na manjedoura e que reis do Oriente ofereceram seus presentes: ouro, incenso e mirra!

O maior presente do primeiro natal não foi o louvor dos anjos nem foi o ouro, a mirra ou incenso dos magos, mas foi o amor de Deus que encarnou em uma criança e nasceu em Belém! O maior presente do Natal foi Jesus Cristo!

Que neste natal não nos esqueçamos disso nem por um minuto e que louvemos ao Senhor por seu Filho Jesus!

Feliz Natal

 Fandermiller Freitas

SUGESTÕES DE PRESENTE DE NATAL


terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A ESTRELA E OS MAGOS

E, tendo nascido Jesus em Belém de Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.

Mateus 2.1-2

Hoje, estive a pensar naquela estrela que apareceu aos Reis magos no Oriente. Como uma estrela pôde anunciar uma mensagem tão maravilhosa sem proferir uma palavra? Como aqueles homens sabiam que tinha que segui-la? O que falaram os conhecidos, parentes e até amigos quando eles anunciaram que iriam encontrar um novo rei?

Não sabemos exatamente o que aconteceu nem de suas reais dificuldades, mas uma coisa eu sei: não foi fácil! Eles tiveram de prevalecer contra os argumentos de todos os demais homens. Posso até imaginar que os chamaram de loucos, fanáticos e até de faltar com o bom senso.

O natal se aproxima, as pessoas correm para se prepararem para as festas. São presentes, comidas, luzes, família reunida e muitas outras coisas que tomam importante lugar no natal. É tanta agitação que os preparativos do natal tomam todo o tempo e espaço no coração da gente, de tal forma que sobra pouco tempo para pensar em Deus.

Minha oração é que semelhante aqueles homens possamos parar um pouco, deixar muitas dessas preocupações de lado e nos voltarmos para aquele que fez a estrela aparecer e os reis magos enfrentarem tantas dificuldades, percorrerem tão grande espaço e vencerem a desconfiança do seu próprio coração, para encontrarem o menino Jesus.

Feliz Natal!
Fandermiler Freitas
 

ENTENDER O NATAL


segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

OS PASTORES E O DESEJO DE ADORAR

Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.

 Lucas 2.7-8

Os planos de Deus são misteriosos e maravilhosos! Você não concorda? O problema é que, ás vezes, o Pai precisa interferem na história de homens para que estes planos se realizem, e, ao fazer isto, Ele causa mudanças drásticas na vida dessas pessoas.

Foi assim com os pastores que tudo o que queriam era ter uma noite tranquila com suas ovelhas. Talvez estivessem cansados de um dia longo de trabalho, ou então, queriam apenas dormir para enfrentarem o dia seguinte.

Na verdade, quando os anjos apareceram e anunciaram que Jesus tinha nascido, eles foram afetados em sua rotina de vida e sentiram-se desafiados a encontrar o Messias prometido que havia nascido numa manjedoura.  Abandonaram suas ovelhas, se desfizeram de todo o cuidado e atenção que davam ao rebanho e foram sem pensar, sem preocupações, sem dilemas adorar o Filho de Deus.

Que o exemplo dos pastores nos afete positivamente e que, neste natal, sintamos o desejo de encontrar-se com Jesus, mesmo que seja preciso abandonar nossas preciosas ovelhas.

Que jamais esqueçamos que o principal da festa é o Filho de Deus que nasceu para nos trazer esperança e vida!

Fandermiler Freitas

domingo, 21 de dezembro de 2014

MAR VERMELHO

Porém Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto perto do mar Vermelho;

Ex.13.18

Em algum momento da vida já esteve em um caminho sem saída? Você olha para todos os lados e não ver nada em que possa se agarrar. Foi assim que o povo de Israel se encontrava quando Faraó com seus seiscentos carros se levantaram contra eles.

A saída do Egito tinha sido comemorada com festa e alegria, o povo avançava rumo a terra prometida e o coração de cada homem, mulher e criança ia cheio de sonhos. Depois de ver o que Deus tinha operado no Egito, cada israelita acreditava ser tudo possível.

No entanto, quando ao longe uma pequena nuvem de poeira se ergueu no deserto, anunciando que Faraó e seu exército os perseguiam, toda alegria virou tristeza. Quem disse que a vida com Deus é só alegria? O Pai Exige fé e confiança. Por isso, não se admires de ver um cristão autêntico sofrer ou passar dificuldades. As adversidades fazem parte da vida com Cristo. Elas moldam nosso caráter e nos modelam.

O povo apressou-se em fugir, no entanto a única coisa que encontrou foi o Mar Vermelho, e então lamentou ter ouvido Moisés e obedecido a voz de Deus. Já vi muitas pessoas agirem assim, basta o Mar Vermelho surgir no horizonte para perderem toda a convicção em Deus e desacreditar de suas promessas.

O Mar Vermelho foi o primeiro obstáculo que pôs o povo a prova. Israel mostrou-se fraco e  rebelde. Deus nos ama e deseja levar-nos a uma terra prometida. Mas uma coisa é certa: dificuldades, obstáculos e provas surgirão durante nossa caminhada. Cada Mar Vermelho que se erguer será a oportunidade de crescer, evoluir e ver o poder de Deus agir.

JOSÉ E MARIA

E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. 
Lucas 1.26-27

Se já assistiu a uma partida de xadrez, já viu o enxadrista mover as peças no tabuleiro com habilidade e estratégias a conduzir o oponente ao lugar e a situação que ele desejava. Da mesma forma, Deus teve que preparar os tempos para o nascimento de Jesus, ele moveu várias peças, tocou no coração de reis e governos, mudou a história de homens simples, fez a natureza se manifestar em festa e até anjos irradiaram graça e louvor.

No entanto, ninguém foi mais afetado que José e Maria. Eles estavam em preparação para o casamento. Faziam planos para uma vida feliz e, de repente, um anjo anuncia-lhes que Jesus estava chegando ao mundo e que eles seriam os pais do Filho de Deus.

À princípio, talvez não entenderam o que realmente significava isso. Mas, aos poucos, foram compreendendo que a tarefa não seria nada fácil. Teriam de abandonar seus planos, sonhos e desejos e se submeterem ao "novo" projeto de Deus.

O natal nunca foi só festa, luzes, presentes! Não, foi muito mais, teve dor, fuga, renúncia, mas, sobretudo amor, muito amor, tanto divino (Deus enviando seu filho aos homens) como humano (Maria e José renunciaram suas vidas e sonhos para serem os pais do menino que nasceria para salvar a humanidade).

Fandermiler Freitas

sábado, 20 de dezembro de 2014

PERDOANDO

Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.

Ef. 4.32

Quando somos traídos, enganados nos sentimos tão mal. A gente confia em alguém, entrega-lhe uma parte importante da nossa existência e, de repente, vemos a dor rasgar nossa vida, ferida pelas mãos de quem não esperávamos.

Quando Jesus estava no jardim do Getsêmani, ele viu a traição chegar na pessoa de Judas, um amigo, um discípulo, o tesoureiro. Sendo assim, ele era alguém em quem Jesus confiava. Mas a reação do Mestre me encanta: Amigo, para que vieste?

Eu fico imaginando como alguém que conhece tudo, que sabia o que Judas estava tramando, que ele estava conduzindo soldados e sacerdotes por aquele jardim para que Ele, o Filho de Deus, fosse preso e acusado perante as autoridades, que isso o levaria a morte, e ainda assim, deu a face para alguém que desejava e planejava o seu mal. E logo, aproximando-se de Jesus, lhe disse: Salve, Mestre! E o beijou.

Mas como poderia ser diferente, se durante todo o seu ministério, ele pregou o amor, o perdão, a outra chance? Como poderia agora, no teste final de sua missão falhar? Jesus apenas nos mostrou que ser atacado, humilhado, traído, odiado não nos dar o direito de agirmos do mesmo modo.

Ele não era igual a Judas! Era a luz, o filho de Deus e, Judas, as trevas, e como qualquer outro ser humano precisava de amor, da verdade, do perdão. E por ser assim, quando encontrou-se com Judas no Jardim, agora não como Mestre e discípulo, mas de lado opostos - Jesus ainda ofereceu o amor e o perdão.

Que Deus nos ajude a seguir os passos de Jesus.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

ORGULHO... DE QUÊ?



"Quem subirá ao monte do SENHOR, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade..."

 Salmos 24:3, 4

Duas senhoras, em Xangai, estavam conversando sobre Hudson Taylor, desejando saber se, alguma vez, ele se sentiu tentado a ser orgulhoso. Uma das senhoras se dirigiu à esposa de Hudson Taylor e lhe fez a pergunta. A esposa do missionário disse que não sabia responder a tal pergunta. Mas, depois da conversa, ela foi até o marido e lhe falou sobre o assunto. Ele se mostrou surpreso e perguntou: "Orgulhoso, de que?" A esposa respondeu: "Pelas coisas que você fez". Imediatamente, então, ela recebeu a bela resposta: "Que eu saiba, nunca fiz nada". Taylor estava certo. Ele nunca fez qualquer coisa. Deus fez tudo nele e através dele.

Que grande privilégio é saber que Deus faz grandes e maravilhosas coisas, tanto em nossas vidas como através delas. Quando isso acontece, nós somos muito abençoados e as pessoas que estão junto a nós também o são.

Quando deixamos Deus trabalhar em nossas vidas, andamos no caminho certo, fazemos o que é correto e somos muito mais felizes. A nossa vida transmite fé, o nosso rosto mostra um sorriso inigualável, nossas atitudes são dignas de serem imitadas, os ambientes são iluminados e o nome de Jesus é sempre glorificado e engrandecido.

De que devemos nos orgulhar? Não de nós mesmos, nem do que fazemos, nem dos resultados de nosso trabalho. Nós nos orgulhamos pelo fato de termos sido escolhidos, de estarmos sendo usados por Deus, de ser um canal de regozijo para todos. Nada somos e, ao mesmo tempo, somos tudo. Somos filhos de Deus e herdeiros do Céu de glória. Essa é a grande razão de nosso contentamento.

A vaidade é o caminho mais rápido para o fracasso. A humildade nos leva muito mais longe... Afinal, ter orgulho de que?

Paulo Barbosa

OLHAR PARA TRÁS


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

SUA DOR NÃO É DESCULPA


Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis, tu serás medido 

Mateus 7: 1-2

Não sei por que acreditamos que temos mais privilégios que os outros, que nossa dor é maior, que nosso caso é mais urgente. Às vezes exigimos tanto dos outros e não queremos que os outros exijam nada de nós. alegamos que estamos sofrendo, que nosso filho, nossa mãe etc... Precisamos compreender que outro também sofre, tem filhos...

O homem precisa entender que nossa dor não é desculpa para nada... Podemos até alegar, mas no fundo sabemos que ela é só uma desculpa. Na verdade temos um coração capaz de reagir as macelas da vida e, ainda assim, olhar o próximo com amor e misericórdia.

Conta-se a do médico que entrou no hospital às pressas após ter sido chamado para uma cirurgia de emergência. Ele respondeu a chamada o mais rápido possível, mesmo sem saber de quem se tratava o paciente, pois era um profissional correto, além do que, era um homem de bom coração e temente a Deus. Trocou a roupa, vestiu seu jaleco e foi direto para centro cirúrgico.

No corredor, encontrou-se com o pai do enfermo (e então soube que o paciente em questão era o filho de um influente político da cidade). Vindo ao seu encontro, o tal deputado já chegou demonstrando nervosismo por sua “demora” e em tom áspero perguntou:"Por que você levou tanto tempo para vir? Você não sabe que a vida do meu filho está em perigo? Por acaso você não tem senso de responsabilidade?"

O médico sorriu meio que sem graça e lhe disse:

"Lamento muito, é que eu não estava próximo daqui, mas vim o mais rápido que pude assim que recebi a ligação... Só que agora, gostaria que você se acalmasse para que eu possa fazer da melhor maneira o meu trabalho"

O político no entanto continuou com a sua rabugice e disse: "Você quer que eu me acalme? Estais de brincadeira! Queria ver se fosse o teu filho que estive à beira da morte, se você se manteria calmo? E então, o que você diz?"

O médico, sem perder o ritmo de seus passos, olhou pra ele e falou: "Eu diria o mesmo que disse Jó, lá na Bíblia Sagrada: Do pó viemos e ao pó voltaremos, Deus me deu e Deus me tirou, Bendito seja o nome do Senhor". Vou te dizer uma coisa, os médicos não podem prolongar a vida de ninguém, mas Deus pode. Então te aconselho a interceder a Deus por teu filho, enquanto eu e minha equipe faremos o nosso melhor, dependentes também da graça de Deus"

E antes que o doutor entrasse na sala de operações, ouviu ainda um último murmúrio do deputado: "Dar conselhos é muito fácil...” 

Algumas horas depois, a cirurgia havia sido concluída e com sucesso, o médico fez questão de vir dar a notícia pessoalmente ao pai do garoto, e anunciou: “Graças a Deus! Seu filho está a salvo!"

Dito isso, e sem esperar qualquer palavra, ele saiu às pressas, assim como chegou. O homem o seguiu querendo saber detalhes... ao que o médico disse: "A enfermeira te dará o relatório completo."

- Por que ele é tão arrogante? (resmungou o político), Será que ele não podia esperar nem mais uns minutinhos para falar sobre o estado do meu filho? ", 

A enfermeira, que ouvira seus muxoxos, respondeu: "Senhor, o filho único do doutor que acabou de salvar o seu, morreu ontem em um acidente de avião, ele estava no velório quando o hospital o chamou para a cirurgia de seu menino. Agora que ele cumpriu a missão de fazer o melhor por seu filho, ele saiu correndo, pois quer chegar a tempo de enterrar o seu querido filho."

Que Deus nos ensine a não usar a dor como desculpa nem a julgar o próximo por nosso modo egoísta de ver o mundo.

REGRA DO AMOR


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

ABANDONASTE

"Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor."
Apocalipse 2.4

Quantas vezes a gente se afasta de coisas que considerávamos importantes e valiosas por motivos tão banais? Era um encontro, um sonho, um amigo, um amor, um valor, um sentimento? Muitas! E algumas delas são trocadas por um vício, são substituídas por um novo amor, outras são simplesmente desprezadas e abandonadas.

Da mesma forma que quando crescemos deixamos de apreciar as coisas de crianças, nós vamos deixando pelo caminho os pedaços daquilo que deixaram de ser importantes para nós à medida que avançamos nos anos.

No versículo acima, o Senhor Jesus lamenta que os cristãos de Éfesos, outrora tão dedicados, com conduta exemplar e feitos louváveis, se encontrarem afastados do primeiro amor, vivendo um novo amor, com novos objetivos e alvos que os conduzia ao distanciamento do propósito para os quais foram chamados.

As vezes a gente não entende que não basta ir a igreja é preciso está vivendo o amor genuíno. O amor de Deus.

Fandermiler Freitas

AINDA BEM


sábado, 13 de dezembro de 2014

COISA ALGUMA DEMASIADO DIFÍCIL PARA DEUS

Ah Senhor Deus! Eis que tu fizeste os céus e a terra com o teu grande poder, e com o teu braço estendido; nada há que te seja demasiado difícil;

Jeremias 32.17
 
Muitos anos atrás, dois estranhos se achavam numa rua de Plymouth, na Inglaterra. Era meia-noite, e o grande relógio da cidade soava as horas. Onze. Doze. Treze! Os dois homens discutiram o esquisito fenômeno por um momento, depois foi cada um para sua direção.

Várias semanas depois, o capitão Jarvis, um dos homens, despertou de manhã cedo, com a forte impressão de que devia fazer alguma coisa. Levantou, vestiu-se e desceu as escadas. Diante da porta, o soldado que o servia estava com o cavalo selado e pronto para montar. Intrigado, o capitão Jarvis montou e afastou-se. Não tinha ideia quanto ao lugar a que devia ir, nem por que, de modo que afrouxou as rédeas no pescoço do animal, deixando seguir para onde quisesse.

No lugar de embarque, o barqueiro estava pronto para atender passageiros. Sentira-se impressionado de ser necessário ali. Do outro lado do rio, montou e prosseguiu. Numa das maiores cidades, perguntou se havia algo especial ali, e lhe foi dito que um homem estava sendo julgado por crime de homicídio.

Dirigindo-se apressadamente para o tribunal, o capitão entrou justamente quando o juiz perguntava ao prisioneiro:

-    Tem você alguma coisa a alegar em seu favor qualquer coisa?

-    Não tenho nada a dizer, senhor, senão que sou inocente.

E contou então a história do relógio que batera treze horas em vez de doze e como outro homem observava esse fato além dele.

-    Esse homem poderia provar que eu estava ali (no próprio momento em que foi cometido o homicídio), mas é um caso desesperado. Como o poderia eu encontrar?

-    Estou aqui! Estou aqui! - exclamou o Capitão Jarvis.

E contou a notável cadeia de acontecimentos que o haviam levado ao tribunal, e confirmou a história contada pelo homem acusado. Este foi posto em liberdade.

Mil Ilustrações

O ÊXITO DA VIDA



sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

PRIMAVERA

Afasta, pois, do teu coração o desgosto e remove da tua carne a dor, porque a juventude e a primavera da vida são vaidade.

Ec. 11-10

Eu adoro flores. Adoro ver as árvores floridas, o som próprios dos pássaros, as borboletas e beija-flores deslizando sobre as rosas. Quando a primavera lança seus primeiros raios no horizonte é como se a natureza se transformasse e os sons ganhassem formas e cores. É como se um pincel mágico desenhasse alegria na vida.

A primavera chegou! A mais bela das estações! E com ela a esperança de que tudo será renovado. A natureza se veste de um verde mais vivo e lança flores pelos galhos na certeza de que a vida irá continuar e de que em breve pequenas plantas surgirão para perpetuar a espécie.


Na terça-feira, dia 22 de setembro, ouvi no jornal a notícia de que a primavera iniciou às 18h18min e pensei "como Deus é bom para conosco! Ele nos permitiu viver mais uma estação". Não é só o momento de agradecer ao Pai por seu cuidado, proteção e carinho, mas a ocasião de avaliar os nossos passos para não mergulharmos no absurdo da vaidade, da perda de tempo.


Salomão declara no versículo acima que se não tivermos atenção, os nossos passos nos levarão para junto da ilusão, e a dor e o desgosto nos acompanharão pelo caminho e a primavera, o momento de festejarmos a alegria de viver e as belezas da vida, será apenas uma estação sem vida e cor.


Jesus Cristo disse aos seus discípulos que a vida não é fácil, que haveria grandes dificuldades, mas era preciso ter bom ânimo; porque ele venceu o mundo. Hoje, poucos dias depois do início da primavera, siga a voz do Mestre, anime-se e olhando para a nova estação caminhe em direção a vitória conquistada por Ele na cruz.

Fandermiler Freitas

LIVRE E PRISIONEIRO


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

POUCA BAGAGEM

Todos os grandes heróis da fé andaram por terreno desconhecido em algum momento de suas vidas. É o caso de Noé, ele, certamente, deu cada passo estritamente de acordo com a revelação divina. Sabia que DEUS estava no controle de sua vida e o tinha colocado no lugar certo, no momento certo.

Esse é exatamente o local onde queremos estar. É o tipo de certeza que devemos ter. Temos de estar caminhando tão próximos do SENHOR que ouvimos SUA voz no meio de qualquer tumulto em nossa vida. Temos de confiar NELE de forma tão completa que O seguiremos onde quer que nos conduza. Temos que andar estritamente dentro da luz revelada que ELE nos deu, não correndo adiante dela, nem ficando para trás, e nem nos debatendo para tomar outra direção.

Quando viajamos pelo deserto, há grande possibilidade que DEUS não nos revele o destino final. ELE tem várias razões para agir assim. Se revelasse para onde estamos indo, não estaríamos caminhando pela fé. Em geral a magnitude daquilo que está a nossa frente está a cima da nossa capacidade de compreensão. Podemos comprometer os planos de DEUS por pensarmos muito pequeno, ou podemos atrasar todo o processo por causa da dúvida.

DEUS conduziu os israelitas através do deserto porque, se os levasse pela rota direita, eles teriam de enfrentar os filisteus.DEUS sabia que naquele momento os israelitas ainda estavam com muito medo e não conseguiriam confiar que ELE lutaria por eles.

Você e eu não precisamos ficar tanto tempo no deserto, pois, podemos dar uma resposta diferente. DEUS nos conduz para o deserto porque quer que aprendamos a caminhar.pela fé, confiando NELE a cada passo. Reconhecemos que o deserto é o lugar onde DEUS nos chama para esquecermos nosso conforto e nos movemos em direção ao desconhecido, a fim de que ele possa nos guiar para onde precisamos ir.

Na travessia no seu deserto, eu sugiro que carregue pouca bagagem, leve a Palavra de DEUS, uma medida de paciência, uma veste de louvor, um pequeno tapete para aqueles momentos de oração fervorosa, e um vaso vazio para armazenar a água viva que DEUS derrama sobre você.


Stormie Omartian no livro "O PODER DA FÉ EM TEMPOS DIFÍCEIS" Ed Mundo Cristão

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

VIDA EXEMPLAR

Há alguns anos, o governo comunista da China mandou um escritor escrever uma biografia do missionário Hudson Taylor com o objetivo de torcer os fatos e provocar descrédito no seu trabalho.

Enquanto o autor fazia a sua pesquisa, ficou bastante impressionado com o caráter santo e a vida dedicada de Taylor, concluindo que sua tarefa seria demasiadamente difícil de executar. Mesmo sabendo que estaria arriscando sua vida, colocou de lado sua caneta, abandonou o ateísmo e recebeu o Senhor Jesus como seu Salvador pessoal.

Nosso exemplo, queiramos ou não, influencia a muitos que estão ao nosso redor. Nosso testemunho poderá conduzi-los à eternidade com Deus ou sem Ele. Somos luz para o mundo e essa luz não pode, de maneira alguma, permanecer apagada.

A nossa vida é uma pregação constante e nossos amigos a ouvirão sempre que se encontrarem conosco. Quando Cristo é o principal tema de nosso viver diário, as trevas se dissipam, os escarnecedores se colocam à margem, os indiferentes são motivados, o sol das bênçãos de Deus brilha com mais intensidade.

É grande a nossa responsabilidade e precisamos estar bem conscientes disso. Seria muito bom se, a exemplo de Daniel, ninguém pudesse encontrar coisa alguma de que nos acusar a não ser o fato de vivermos para adorar e glorificar o nome de Cristo. Os acusadores seriam envergonhados, o mundo seria envergonhado, o diabo seria envergonhado, o nome de Jesus seria exaltado, os céus estariam em festa e a felicidade seria total em nossas vidas. Se alguém buscasse motivos em sua vida para desmoralizá-la, o que encontraria? Muita coisa errada ou apenas o reconhecimento de que você realmente tem uma vida exemplar?

EXIGI MUITO DE TI


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

NADA LEVAMOS

Quando à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:

1. Primeiro que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época.

2. Segundo que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...).

3. Terceiro que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões.

Alexandre explicou:

1. Primeiro quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte.

2. Segundo quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem.

3. Terceiro quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Você já ouviu falar que alguém viu um caminhão de mudança na frente de um cemitério sendo descarregado para levar os bens para o céu ou inferno de um morto?

Todo o arroz que acumulamos ou comemos, todo o dinheiro que gastamos ou guardamos, não faz diferença nenhuma na eternidade. O que faz diferença é se nossa vida foi depositada aos cuidados do Pais e se buscamos as coisas lá do alto enquanto caminhávamos no pós desta estrada.

NÃO FIZ O MELHOR


domingo, 7 de dezembro de 2014

FIZ O QUE PUDE

Um jovem ambicioso aceitou um emprego em uma grande fábrica. Tudo foi bem na primeira manhã, mas pouco depois do almoço a máquina com que ele trabalhava começou a fazer estranho ruído. Por vários minutos o novo e juvenil empregado fez oficiosamente este e aquele arranjo, apertou um parafuso aqui e outro ali, e usou generosamente o lubrificante. O estranho ruído porém continuava.

Demasiado orgulhoso para reconhecer que era deficiente na habilidade mecânica, o rapaz desligou a máquina. Fez várias tolices com uma chave inglesa, depois ligou a chave novamente, esperançoso. A máquina se recusou a trabalhar. Suando de tensão nervosa, continuou seus esforços de reparação, mas sem nenhum resultado.

A essa altura, apareceu o mestre. Acanhado, o novo empregado explicou o caso do ruído, e tentou defender suas tentativas de consertar a máquina. Encolhendo os ombros, terminou seu discurso assim: "Afinal, fiz o que pude." "Jovem", respondeu o experimentado mestre, "aqui, fazer o melhor é mandar me chamar!"
 
A maioria de nós tem tido experiências semelhantes. Temos lutado em nossa força humana com problemas para os quais nos havemos demonstrado incapazes. Afinal, impotentes, olhamos ao redor para sentir o Mestre a contemplar-nos, e dizendo: "Invoca-me no dia da angústia. Eu te livrarei."

Mil Ilustrações

DEUS NÃO ESTÁ DESILUDIDO


sábado, 6 de dezembro de 2014

NÃO DESANIMAR!

Abraão Lincoln também experimentou muito de derrota antes de seu triunfo final. Se bem que recebesse muitos reveses ao lutar por ir avante, não desistiu. Considerem esta lista de retrocessos, entremeados de êxito:
 
1.    Perdeu o emprego em 1832.
 
2.    Foi derrotado na legislatura de Illinois    em 1834.
 
3.    Fracassou nos negócios em 1833.
 
4.    Eleito para a câmara estadual em 1834.
 
5.    Morreu a eleita do seu coração em 1835.
 
6.    Sofreu de esgotamento nervoso em 1836.
 
7.    Derrotado para orador da legislatura de Illinois em 1838.
 
8.    Derrotado na indicação para o Congresso    em    1843.
 
9.    Eleito para o Congresso em 1846.
 
10.    Perdeu a reindicação em 1848.
 
11.    Rejeitado para importante cargo oficial em 1849.
 
12.    Derrotado para o Senado em 1854.
 
13.    Derrotado para indicação como vice-presidente em 1856.
 
14.    Novamente derrotado para o Senado em 1858.
 
15.    Eleito presidente em 1861.
 
Todos nós temos experimentado derrotas, especialmente em nossa luta contra o pecado. Mas embora tenhamos fracassado muitas vezes, não devemos desistir. Como nosso Salvador, podemos vencer. Podemos participar do triunfo final, quando o Rei dos reis terá posto "na Terra o direito".

IMITE-AS


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

A FÉ É O REMÉDIO

A velha semente de trigo deve morrer para que se manifeste a vida de uma nova planta.

A morte do velho homem é portanto necessária para que brote a nova criatura.

Até mesmo a morte e transformação do nosso corpo físico é necessária para que recebamos o novo corpo glorificado que nos foi prometido.

Então para o cristão tudo é lucro. Nada mais é perda. Louvemos e nos alegremos então no Senhor que nos tem dado isto.

O remédio que Jesus prescreveu aos discípulos para vencerem a turbulência de seus corações, é o mesmo remédio que temos que tomar, a saber a fé em Deus.

Ele lhes disse que cressem no Pai e que cressem também n`Ele.

Construa sua confiança nos grandes princípios revelados na Palavra, especialmente nas promessas que Deus nos deu pelo Filho.

Crer no Pai e no Filho é o melhor remédio para curar o coração aflito. Por isso a promessa para o justo é que viverá pela fé.

E a fé é direcionada para o céu, para as moradas celestiais que o Senhor foi preparar para nós.

Principalmente quando ficamos firmes na fé nas aflições a vida de Cristo transborda em nós em todas as circunstâncias.

Ela não está ancorada em nada deste mundo que passará, mas no céu e nas coisas que não podem ser abaladas ou removidas.
Silvio Dutra

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

ONDE ESTAMOS CONSTRUINDO A VIDA ?

Jack Lannom, orador especializado em motivação, diz que a grandeza de nossas vidas depende da fundação onde elas estão construídas. As pessoas podem não ver onde estamos fundamentados, mas observarão os frutos de um alicerce sólido através do qual conduzimos nossas vidas. 

Ele ilustra seu ponto de vista da seguinte maneira: a maioria das pessoas olha para o edifício Empire State e diz: "Uau! Que prédio incrível!" Porém, um arquiteto, alguém que realmente conhece edifícios, ao olhar para o mesmo prédio, exclama: "Uau! Que fundação!" Nenhum edifício pode alcançar uma grande altura ou resistir ao teste do tempo se não tiver uma fundação bem sólida. 

Como temos construído a fundação de nossas vidas? Elas estão firmadas em nossa própria força? Em nossa competência? Em nosso dinheiro? Nas pessoas importantes que conhecemos e em quem depositamos toda a nossa confiança? E se a força nos faltar? E se a nossa capacidade não for tão grande quanto necessária? E se perdermos todo o dinheiro? E se as pessoas importantes se afastarem de nós? O que nos sobrará? Precisamos estar alicerçados em uma fundação que nunca falha, que nunca desaparece, que nunca nos abandona. 

Jesus é esse fundamento. Ele jamais nos frustrará, jamais nos desamparará, jamais deixará de cumprir as Suas promessas. Ele nos ama apesar do que somos, nos protege mesmo quando não merecemos, está conosco mesmo quando Lhe somos indiferentes. Quando o Senhor está em nosso coração, as pessoas certamente comentarão a nosso respeito: "Uau! Pelo brilho de seu rosto eu vejo que você é um filho de Deus!

VISÃO


segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

O PÃO NOSSO DE CADA DIA

Ninguém é digno do prazer de viver, se não usar suas angústias, ansiedades e aflições para irrigar a vida. Ninguém é digno das flores, se não sujar as mãos para lavrar a terra e cultivá-la. A existência tem curvas imprevisíveis, perdas inesperadas, choques fora do plano que traçamos.


Quando olhamos para o relacionamento que Jesus tinha com Seus discípulos, verificamos que Ele os testava constantemente. Era capaz de enviá-los sem suporte financeiro e sem alimentos para uma terra estranha. Orientava-os a experimentar o vale do medo e a construir segurança mesmo quando o mundo desabava sobre eles. Corria risco de ser morto por proteger uma prostituta sem nenhuma religiosidade aparente e queria que os Seus discípulos aprendessem a amá-la independentemente de seus comportamentos. Para espanto deles, o Mestre não tinha medo de expressar Seus pensamentos em lugares onde se recomendava a prudência.


A oração do Pai-Nosso é uma síntese complexa do que Jesus viveu e ensinou. O Deus dessa oração não prometeu caminhos sem obstáculos, oceanos sem tormentas. Mas prometeu o pão cotidiano em cada travessia, força na angústia, coragem nas incompreensões e paciência nas perdas.


Deus não prometeu uma existência sem desertos, mas ensinou que há um oásis nos escombros das dores. Não prometeu campos de flores, mas ensinou, através de Jesus, que há dignidade nos vales dos temores e esperança nos abismos das derrotas. Ensinou que a vida deve ser homenageadas a cada momento como um espetáculo único.


Deus não facilita a vida humana. Uma análise do comportamento de Deus indica que, se atender prontamente todas as necessidades humanas, criaria exploradores, e não seguidores, pessoas autoritárias e não altruístas.


O próprio Jesus comenta que é necessário bater, bater e bater à porta desse misterioso Pai. Não é um processo instantâneo, mas exige o esforço da fé, da paciência e a sabedoria que Ele tem o tempo certo para tudo.

Fonte: Augusto Cury, em “OS SEGREDOS DO PAI-NOSSO”

domingo, 30 de novembro de 2014

O AMOR QUE TUDO SOFRE

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

I Coríntios 13.7

Uma jovem teve que abandonar o lar por causa dos maus tratos que o pai, ébrio, lhe infligia. Por muito tempo ela ficou muito ressentida com o pai, mas depois aceitou a Cristo, e seus ressentimentos cederam ao desejo de mostrar ao pai o que o amor de Cristo fizera por ela, e resolveu voltar para casa. Falou ao pastor acerca de sua resolução.

— Que fará você, perguntou-lhe ele, se seu pai continuar a implicar com você acerca de tudo?
 
— Esforçar-me-ei um pouco mais, respondeu ela.
 
— Que fará se ele a maltratar e acusar injustamente e você for tentada a perder a paciência?
 
— Orarei um pouco mais, foi a resposta.
 
— Que fará se ele a espancar e ferir, como tantas vezes fazia outrora? Não o abandonará, então?
 
A menina pensou por um momento, e então volveu:
 
— Eu o amarei com mais empenho.
 
Essa jovem possuía o amor de que Paulo escreve em I Cor. 13:7, amor que "tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta".

Mil Ilustrações

sábado, 29 de novembro de 2014

VENCER O MAL COM AS ARMAS DE DEUS

De Gênesis a Apocalipse pode ser localizado o trabalho de Satanás como enganador de toda a terra habitada, até que o clímax é alcançado, e são revelados os resultados plenos do engano no Jardim do Éden, no Apocalipse.

Em Gênesis nós temos a história simples do jardim, com o primeiro casal exposto ao perigo de seres malignos no mundo não visível. Nós achamos registrado o primeiro trabalho de Satanás lá no Éden como enganador, e a forma sutil do seu método de engano.

Nós o vemos trabalhando nos desejos mais elevados e mais puros de uma criatura inocente.

Então, a inocência não é nenhuma garantia de proteção do engano.

O modo mais agudo no qual o diabo engana o mundo é quando ele entra no disfarce de alguém, ou algo, que aparentemente está falando dos interesses de Deus.

Ele disse a Eva que eles seriam como deuses, mas escondeu dela que seriam como demônios.

O alvo verdadeiro dele era enganar Eva fazendo com que desobedecesse a Deus, mas com o argumento de que ela seria como Deus.

Veja que ele costuma argumentar aparentemente em favor de Deus. Ele não disse que o pecado tornaria o homem semelhante ao diabo, mas que seria semelhante a Deus.

O Espírito Santo, através do apóstolo Paulo ordena a todos os cristãos, no sexto capítulo da epístola aos Efésios, a estarem revestidos permanentemente com toda a armadura de Deus para poderem empreender a luta na qual têm que se empenhar contra os principados e potestades, de maneira que possam resistir às ciladas do diabo e permanecerem inabaláveis.

Esta armadura é composta das armas espirituais da verdade, da justiça, da salvação, da fé, da Palavra de Deus, numa vida de oração e súplica por todos os santos.

E é estando fortalecido no Senhor Jesus e na força do Seu poder que os cristãos poderão triunfar nesta guerra espiritual que têm que travar com os poderes das trevas.

A autoridade de Cristo sobre Satanás e seu exército de demônios é realizada por meio do equipamento que os cristãos podem receber do Espírito Santo, e Cristo tem dado autoridade em Seu Nome aos seus seguidores sobre os espíritos malignos.

Silvio Dutra

FRAQUEZA


sexta-feira, 28 de novembro de 2014

OLHAI PARA O ALTO

Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra;

Colossenses 3.2

Vivemos tão ocupados. São tantas coisas que temos que fazer que, por vezes, sentimos pequeno o dia. Certa vez Jesus disse a uma mulher super atarefada: "Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária". 

O nosso problema é que achamos que podemos resolver tudo, mudar tudo quando na realidade a vida não é tão simples assim. É preciso ter cuidado para  não nos iludirmos com a terra. O Apóstolo Paulo falou: "porque muitos há, dos quais repetidas vezes vos disse, e agora vos digo até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo... os quais só cuidam das coisas terrenas." 

Deus nos alerta a estarmos pensando nas coisas lá do alto, elas são eternas. Não sofrem interferência do homem, da política, do mal, ninguém pode dar um "jeitinho". Estão no céu. É preciso ir ao céu para poder tocá-las.

O apóstolo Paulo nos aconselha a ter cuidado com o modo como vivemos neste mundo. Nós temos que ir ao mercado, trabalhar, construir, plantar, vender. Afinal vivemos na terra, mas era preciso lembra sempre que "a nossa pátria está nos céus". 

Na correria do dia a dia, acabamos esquecendo que esta vida é passageira e que nada aqui nos pertence. Deus nos permitiu segurar nossos tesouros, por algum tempo, mas no final, teremos que passar a outros.  

A grande preocupação do Pai é que os nossos olhos contemplem sempre as coisas do alto. Elas são eternas. E olhar para o alto significa viver uma vida que valorize as coisas espirituais.

Fandermiler Freitas

QUEM CAMINHA