quarta-feira, 30 de setembro de 2015

JUSTIÇA

Quando um homem comete um crime e é apanhado ele será julgado de acordo com as Leis de seu país. É forma de a sociedade exigir justiça. Mas o que é justiça? Uma definição clássica de Justiça é "dar a cada um o que lhe é devido", ou "dar a cada um o que é seu de Direito"

Todo réu, em um julgamento, pode ser condenado e ter que pagar a uma pena. Mas se ele mostrar arrependimento e colaborar com os agentes da lei poderá ter sua pena encurtada ou até perdoada. No entanto, o seu crime continuará para sempre registrado em livros. Ele permanecerá para sempre no cadastro do indivíduo. O crime nunca é perdoado, a pena sim.

Diante de Deus, quando o homem comete um crime (pecado), ele terá de ser julgado porque seu pecado fica registrado num livro - E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros Ap 20.12. Portanto a situação do homem é de réu e condenado. A Bíblia diz que Deus não inocenta jamais o culpado. 

No entanto, se houver arrependimento o pecado (crime) pode ser perdoado, apagado do livro de Deus através do perdão. Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniqüidades, para sempre - Hb 10.17. Por isso, ao homem só resta uma saída: o perdão e um bom advogado - Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.

Não importa o seu crime (pecado), lembre-se que a justiça divina é baseada no amor e o amor cobre multidão de pecados - 1 Pe 4.8. Quando o homem busca a Deus de verdade, com o coração sincero e honesto, a Bíblia diz que o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado 1 Jo 1.7.

Fandermiler Freitas

LÁGRIMAS

terça-feira, 29 de setembro de 2015

ACREDITAR NOS SONHOS

É preciso acreditar nos sonhos sempre. Eles são como um sementinha que se joga na terra. Ela está pronta a germina, mas espera as condições lhe sejam favoráveis par abrir sua primeira folha. Assim é na vida, as realizações não acontecem por acaso. Nós precisamos lutar, é no esforço que as oportunidades nascem e no trabalho que as condições favoráveis surgem.

Charles Dickens, grande escritor inglês do século XIX, não parecia ter o direito de sequer sonhar com a fama e o sucesso. Nascido em um lar muito pobre (seu pai fora preso por não poder pagar as dívidas da família), só estudou até a quarta série. Ainda criança, trabalhava num porão e morava numa favela em Londres.

Os primeiros contos que escreveu foram todos recusados pelos editores da época. Alguns nem se deram ao trabalho de examiná-los. Embora tudo se mostrasse contrário, ele acreditava no seu potencial como escritor. Um dia, finalmente, um de seus contos foi aceito e publicado. Ele não recebeu nem um tostão por isso.

Mas com o incentivo do primeiro sucesso, dedicou-se ainda mais à sua carreira de autor literário. Saiu-se tão bem que, ainda em vida, tornou-se reconhecido e admirado por todos, sendo aclamado como um dos maiores escritores de língua inglesa de todos os tempos.

domingo, 27 de setembro de 2015

SEM PALAVRAS

No Brooklyn, Nova Iorque, Chush é uma escola que se dedica ao ensino de crianças especiais. Algumas crianças ali permanecem por toda a vida escolar, enquanto outras podem ser encaminhadas para uma escola comum..

Num jantar beneficente de Chush, o pai de uma criança fez um discurso que nunca mais seria esquecido pelos que ali estavam presentes.

Depois de elogiar a escola e seu dedicado pessoal, perguntou:

- Onde está a perfeição no meu filho Pedro, se tudo o que DEUS faz é feito com perfeição? Meu filho não pode entender as coisas como outras crianças entendem. Meu filho não se pode lembrar de fatos e números como as outras crianças. Então, onde está a perfeição de Deus? '

Todos ficaram chocados com a pergunta e com o sofrimento daquele pai, mas ele continuou:

- Acredito que quando Deus traz uma criança especial ao mundo, a perfeição que Ele busca está no modo como as pessoas reagem diante desta criança.

Então ele contou a seguinte história sobre o seu filho Pedro:

- Uma tarde, Pedro e eu caminhávamos pelo parque onde alguns meninos que o conheciam, estavam jogando beisebol. Pedro perguntou-me:

- Pai, você acha que eles me deixariam jogar?

Eu sabia das limitações do meu filho e que a maioria dos meninos não o queria na equipe. Mas entendi que se Pedro pudesse jogar com eles, isto lhe daria uma confortável sensação de participação. Aproximei-me de um dos meninos no campo e perguntei-lhe se Pedro poderia jogar. O menino deu uma olhada ao redor, buscando a aprovação de seus companheiros de equipe e mesmo não conseguindo nenhuma aprovação, ele assumiu a responsabilidade e disse:

- Nós estamos perdendo por seis rodadas e o jogo está na oitava. Acho que ele pode entrar na nossa equipe e tentaremos colocá-lo para bater até a nona rodada.

Fiquei admirado quando Pedro abriu um grande sorriso ao ouvir a resposta do menino. Pediram então que ele calçasse a luva e fosse para o campo jogar. No final da oitava rodada, a equipe de Pedro marcou alguns pontos, mas ainda estava perdendo por três. No final da nona rodada, a equipe de Pedro marcou novamente e agora com dois fora e as bases com potencial para a rodada decisiva, Pedro foi escalado para continuar. Uma questão, porém, veio à minha mente: a equipe deixaria Pedro, de fato, rebater nesta circunstância e deitar fora à possibilidade de ganhar o jogo? Surpreendentemente, foi dado o bastão a Pedro. Todo o mundo sabia que isto seria quase impossível, porque ele nem mesmo sabia segurar o bastão. Porém, quando Pedro tomou posição, o lançador se moveu alguns passos para arremessar a bola de maneira que Pedro pudesse ao menos rebater. Foi feito o primeiro arremesso e Pedro balançou desajeitadamente e perdeu. Um dos companheiros da equipe de Pedro foi até ele e juntos seguraram o bastão e encararam o lançador.

O lançador deu novamente alguns passos para lançar a bola suavemente para Pedro. Quando veio o lance, Pedro e o seu companheiro da equipe balançaram o bastão e juntos rebateram a lenta bola do lançador. O lançador apanhou a suave bola e poderia tê-la lançado facilmente ao primeiro homem da base, Pedro estaria fora e isso teria terminado o jogo. Ao invés disso, o lançador pegou a bola e lançou-a numa curva, longa e alta para o campo, distante do alcance do primeiro homem da base.

Então todo o mundo começou a gritar: Pedro corre para a primeira base, corre para a primeira. Nunca na sua vida ele tinha corrido... mas saiu disparado para a linha de base, com os olhos arregalados e assustado. Até que ele alcançasse a primeira base, o jogador da direita teve a posse da bola. Ele poderia ter lançado a bola ao segundo homem da base, o que colocaria Pedro fora de jogo, pois ele ainda estava correndo. Mas o jogador entendeu quais eram as intenções do lançador, assim, lançou a bola alta e distante, acima da cabeça do terceiro homem da base. Todo o mundo gritou:

- Corre para a segunda, Pedro, corre para a segunda base.

Pedro correu para a segunda base, enquanto os jogadores à frente dele circulavam deliberadamente para a base principal. Quando Pedro alcançou a segunda base, a curta parada adversária

colocou-o na direção de terceira base e todos gritaram:

- Corre para a terceira.

Ambas as equipes correram atrás dele gritando:

- Pedro, corre para a base principal.

Pedro correu para a base principal, pisou nela e todos os 18 meninos o ergueram nos ombros fazendo dele o herói, como se ele tivesse vencido o campeonato e ganho o jogo para a equipe dele.

- Naquele dia, disse o pai, com lágrimas caindo sobre face, aqueles 18 meninos alcançaram a Perfeição de Deus. Eu nunca tinha visto um sorriso tão lindo no rosto do meu filho!

MAIOR INJUSTIÇA


sábado, 26 de setembro de 2015

O ZELADOR DA FONTE

Conta uma lenda austríaca que em determinado povoado havia um pacato habitante da floresta que foi contratado pelo conselho municipal para cuidar das piscinas que guarneciam a fonte de água da comunidade.


O cavalheiro com silenciosa regularidade, inspecionava as colinas, retirava folhas e galhos secos, limpava o limo que poderia contaminar o fluxo da corrente de água fresca. Ninguém lhe observava as longas horas de caminhada ao redor das colinas, nem o esforço para a retirada de entulhos.

Aos poucos, o povoado começou a atrair turistas. Cisnes graciosos passaram a nadar pela água cristalina. Rodas d´água de várias empresas da região começaram a girar dia e noite. As plantações eram naturalmente irrigadas, a paisagem vista dos restaurantes era de uma beleza extraordinária.

Os anos foram passando. Certo dia, o conselho da cidade se reuniu, como fazia semestralmente. Um dos membros do conselho resolveu inspecionar o orçamento e colocou os olhos no salário pago ao zelador da fonte. De imediato, alertou aos demais e fez um longo discurso a respeito de como aquele velho estava sendo pago há anos, pela cidade. E para quê? O que é que ele fazia, afinal? Era um estranho guarda da reserva florestal, sem utilidade alguma. Seu discurso a todos convenceu. O conselho municipal dispensou o trabalho do zelador.

Nas semanas seguintes, nada de novo. Mas no outono, as árvores começaram a perder as folhas. Pequenos galhos caíam nas piscinas formadas pelas nascentes.

Certa tarde, alguém notou uma coloração meio amarelada na fonte. Dois dias depois, a água estava escura. Mais uma semana e uma película de lodo cobria toda a superfície ao longo das margens. O mau cheiro começou a ser exalado. Os cisnes emigraram para outras bandas. As rodas d´água começaram a girar lentamente, depois pararam. Os turistas abandonaram o local. A enfermidade chegou ao povoado.


Assim também acontece conosco quando relaxamos quanto as pequenas coisas da vida, elas sempre afetam as grandes. Que o Pai nos ajude a resolvermos sempre os pequenos problemas para que eles não cheguem a ser grandes.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

O INESPERADO

Retire o melhor de onde você está; se o inesperado ocorrer e requerer o máximo da sua atenção, dê a ele o seu melhor, porque isso poderá lhe trazer enormes dividendos. Martin Clark

Todos nós – sem exceção – sabemos o que é ser surpreendido pelo inesperado. Na verdade, existe no inesperado um valor extremamente precioso. As pessoas com as quais você nunca imaginou que iria ter contato, os lugares que jamais sonhou que iria conhecer, as coisas que nunca esperou que um dia iria ter delas notícia – tudo é capaz de levá-lo a novas e positivas direções.

Constitui sucesso genuíno ter a habilidade de retirar tudo que há de melhor da posição em que você está. Frequentemente o lugar em que você se encontra não é aquele onde você planejou estar. Ainda assim você pode extrair o melhor desse momento novo e inesperado. Lembre-se de que as mais afortunadas descobertas acontecem por acidente.

Continue a fazer seus planos específicos, mas sempre submetendo-os a Deus; trabalhe neles com visão e compromisso, mas jamais deixe de dar lugar ao inesperado. Essa simples mas poderosa atitude poderá lhe trazer uma oportuna serenidade em tempos do inesperado.

Para Meditação: O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor. Salmos 16:1

Nélio DaSilva

ENSINAR


quinta-feira, 24 de setembro de 2015

UMA MENSAGEM DIVINA

Filho do homem: eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e avisa-lo-ás da minha parte.

Ezequiel 3.17

Hoje em dia, muitos são os homens que se autodenominam religiosos. Eles exercem cargos influentes nas igrejas, se expõem com argumentos sólidos e apresentam autoridade no falar. Usam a Bíblia com grande oratória e criam dogmas de uma doutrina moderna.

No entanto, é preciso perguntar com muita seriedade: Ele é um atalaia de Deus? É bom frisar, que o verdadeiro Atalaia possui duas característica presentes em seu ministério: um chamado de Deus e uma mensagem divina.

Já ouvi muitos pregadores em seus sermões basearem-se em um sonho que teve, em uma visão de um irmão, em sua experiência de vida, nos dogmas de sua denominação religiosa, na nova ordem mundial etc. No entanto, o Profeta de Deus sempre inicia seu discurso dizendo: "Assim diz o Senhor"
 
O verdadeiro atalaia é aquele que só transmite a mensagem. Ele não a inventa, não a contesta, não a falsifica, não a amplia nem a reduz. Ele fala somente o que Deus lhe mandou e da forma que mandou.  "tu da minha boca ouvirás a palavra e avisa-lo-ás da minha parte."
 
Ao Atalaia de Deus, a única mensagem aceita é a da Bíblia. Na verdade, se lhe tirarem a Bíblia, não lhe resta mais nada. Tudo não passa da mais pura ilusão.
 
 Você tem ouvido um Atalaia? A sua mensagem é divina?
 
Fandermiler Freitas

A MENSAGEM


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

UM CHAMADO DIVINO

Filho do homem: eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e avisa-lo-ás da minha parte.

Ezequiel 3.17 

O Atalaia no contexto histórico em que o Livro de Ezequias foi escrito era um homem de muita responsabilidade. Dele dependiam cidades, reinos, pessoas, colheitas. Se o atalaia falhasse em avisar que o inimigo se aproximava, a morte, a destruição, a fome e a escravidão abateria a muitos.

No contexto bíblico, Deus afirma que o Atalaia não é um simples homem, ele recebeu um chamado divino. É a Deus que ele representa, não a homem ou religião - Eu te dei. 

Ter um chamado divino é uma responsabilidade gigantesca. Pois seu comissionamento ultrapassa todos os limites do entendimento humano. O apóstolo Paulo disse a respeito disso: Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele (I Cor 9.22-23)

O Atalaia deve está em sua torre todos os dias a observar a vida caminhar, a ver as estações passarem. Ele não temerá o céu escuro nem se iludirá com as nuvens avermelhas ou com o firmamento azul. Ele nunca esquecerá que a sua vida não é maior que sua missão.

O seu chamado é divino. Deus o deu as nações por Atalaia e, ele se sente honrado em ser usado por Deus.

Fandermiler Freitas

A POBREZA

terça-feira, 22 de setembro de 2015

QUANDO TUDO FALHAR

O Senhor seja louvado!

Crer quando todos os recursos fracassam agrada muitíssimo a Deus e é altamente aceito por ele. Jesus disse a Tomé “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.” João 20.29.

Bem aventurados os que creem quando não existe evidência de uma resposta a sua oração. Bem aventurados aqueles que confiam mais além da esperança quando todos os meios fracassaram.

Alguém chegou a um lugar de desespero, ao final da esperança e ao término de todo recurso. Um ser querido enfrenta a morte, e os médicos não dão esperança. A morte parece inevitável. A esperança se foi. Orou pelo milagre, porém, esse não aconteceu.

É nesse momento quando as legiões de Satanás se dirigem a atacar sua mente com medo, ira e perguntas opressivas como “Onde está teu Deus? 

Você orou até não lhe restaram lágrimas, jejuou, permaneceu nas promessas e confiou” Pensamentos blasfemos penetraram em sua mente: “A oração falhou, a fé falhou. Não vou abandonar a Deus, porem não confiarei Nele nunca mais. Não vale a pena!” Até mesmo perguntas sobre a existência de Deus acometem sua mente!

Tudo isso foi dispositivos que Satanás empregou durante séculos. Alguns dos homens e mulheres mais piedosos de todas as eras viveram tais ataques demoníacos.

Para aqueles que passam pelo vale da sombra da morte, ouçam essas palavras: O pranto durará algumas tenebrosas e terríveis noites, mas em meio a essa escuridão logo se ouvirá o sussurro do Pai: “Eu estou contigo. Nesse momento não posso lhe dizer por que, mas um dia tudo terá sentido. Verás que tudo era parte de meu plano. Não foi um acidente. Não foi um fracasso da tua parte. Agarre-se com força. Deixe Eu te abraçar nessa hora de dor”

Amado, Deus nunca deixou de atuar em bondade e amor. Quando todos os recursos falham, Seu amor prevalece: Aferre-se a sua fé.

Permaneça firme em Sua Palavra.

Não há outra esperança nesse mundo.

Autor: Pr David Wilkerson

O ERRO


segunda-feira, 21 de setembro de 2015

ATALAIA

Filho do homem: Eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e avisá-los-ás da minha parte.Ezequiel 3.17


A Bíblia usa muitas figuras para representar o homem que se deixa conduzir pela Palavra de Deus: Árvore plantada junto as corrente, o sal da terra, ovelha, vaso nas mãos do Oleiro, luz do mundo etc. Mas para mim, nenhuma delas é mais carregada de responsabilidade que a do ATALAIA.

O atalaia era um sentinela que vigiava um lugar. Seus olhos estavam sempre abertos para proteger outros dos ataques inimigos. Ele geralmente ficava no alto de uma torre ou guarita e observava ao longe. Era sua responsabilidade avisar de alguma anormalidade. Se ele falhasse, se ele dormisse, se ele não tocasse a trombeta, se ele não visse o inimigo, todos estariam em grande perigo.

Assim, somo todos nós que aceitamos Jesus. Deus nos comissionou com um dever, com uma obrigação - ser Atalaia de um mundo perdido e longe de Deus. A Bíblia diz que ele nos deu por Atalaia. Isso é mais que minha vontade, é minha finalidade, minha razão de existir. Já não é uma opção, é uma obrigação.

Que Deus nos ajude a sermos Atalias. Que consigamos reconhecer o mal ainda quando estiver longe e assim, sejamos rápido em avisar a quem nos rodeia.

Fandermiler Freitas

DEUS É TUDO OU NADA?


domingo, 20 de setembro de 2015

NÃO IGNORE O LIVRO

Texto de John Piper, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra. O que se segue é uma transcrição ligeiramente editada.

Isto é Atos 26.17-18. “Livrando-te deste povo, e dos gentios, a quem agora te envio, para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; a fim de que recebam a remissão de pecados, e herança entre os que são santificados pela fé em mim.”

Isto é incrível para mim. Isto é tão marcante. Isto é Jesus falando com Paulo quando ele o comissionou para ir pregar o evangelho. 

"Eu te envio para lhes abrires os olhos"- “Tu” - finito, falível ser humano não sobrenatural - "Eu te envio, para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de satanás a Deus". Vá fazer isso, Paulo. Para o que, evidentemente, Paulo diria, "Eu não posso fazer isso."

E Jesus sabe disso e, portanto, o ponto deste comando é que a sobrenatural, regeneradora obra de Deus é sempre feita através da agência humana. Sempre!

Você tem que ouvir ou ler, uma produção humana, a Palavra de Deus, a fim de ser nascido de Deus. Deus não vai abrir os olhos dos cegos para nada verem. Ele abre os olhos para verem Cristo.

Ele disse: "Haja luz em seu coração." E você viu a luz do Evangelho da Glória de Deus, na face de Cristo (2 Coríntios 4.4-6).

A segunda coisa que tem que acontecer se nós estamos buscando glorificar a Deus é que nós temos que olhar para o livro. Não é o suficiente simplesmente sair e orar para ter iluminação: "Oh, Espírito Santo, me diga o que eu preciso saber sobre Deus agora."

Isso é um insulto ao Espírito Santo porque a sua resposta vai ser, "eu escrevi um livro." Não ignore o meu livro. Não tente fazê-lo de outra maneira. Não tome atalhos em mim. Eu não preservei este livro através do sangue dos mártires para você brincar comigo. Tenha diante de sua face o meu livro e ore.

sábado, 19 de setembro de 2015

COMO GRÃO DE MOSTARDA

Nos Evangelhos, encontramos Jesus falando sobre a fé que promove milagres. "Pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível" (Mt 17.20).

Mas como podemos entender essa “fé como grão de mostarda”?

Primeiramente, imaginamos uma fé grandiosa, mas já sabemos que não é, pois o grão de mostarda era uma semente minúscula. Também não se trata apenas de ter uma pequena fé, pois no mesmo episódio Jesus havia repreendido seus discípulos por sua pouca fé.

Creio que o Senhor não se referia somente ao tamanho da fé; seu discurso era mais abrangente. Jesus subentendeu ali a qualidade, o tipo de fé – “como um grão de mostarda” e não "do tamanho de um grão de mostarda".

A semente de mostarda, embora muito pequena, num curto período de tempo transformava-se num arbusto cheio de galhos. Mesmo insignificante, o seu resultado era notável, reconhecido por todos.

O grão de mostarda possuía, em si mesmo, o potencial de produzir uma grande planta.

Da mesma forma deve ser a nossa fé. Por menor que seja, se for uma fé provinda de Deus e colocada em Deus, produzirá frutos evidentes. A fé, tal qual o grão, possui no seu âmago o poder transformador, a condição de produzir muito além do que se pode imaginar.

Essa fé não se apoia em nada humano, seja sentimento, percepção ou inteligência. Não necessita de esforço próprio, mas é a fé simples, ativa e producente, fundamentada em Jesus.

Aprendemos que é necessário "desenvolver a fé"; isso nada mais é do que viver o Evangelho, aperfeiçoar o caráter de Cristo em nós.

Não precisamos de uma medida específica de fé para promover milagres. Mais importante do que o tamanho da fé é o seu alicerce, Jesus, e as ações produzidas naturalmente através dela. O próprio Senhor afirmou: "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas..." (Jo 14.12).

Rosane Itaborai 

O SOL CAMINHA


sexta-feira, 18 de setembro de 2015

FRANK HIGGINS

Pessoas há que são descorteses porque são egoístas. Outras, porque são ignorantes, e outras, ainda, porque lhes falta imaginação. Jesus sempre Se interessava nas pessoas. Crianças, mendigos, doentes, a mulher junto ao poço, todos nEle encontravam um amigo. Sempre é edificante encontrar uma pessoa que tenha assimilado o espírito bondoso de Jesus.

Algum tempo atrás faleceu na Inglaterra um desses homens: Frank Higgins. Milhares o haviam ouvido falar, tinham-lhe visto o sorriso cativante e sentido seu cordial aperto de mão. Deu a vida à pregação do Evangelho aos rústicos trabalhadores nas derrubadas de matas, e à organização da assistência social entre eles. Frank Higgins amava os homens, não importava quão rude fosse o seu aspecto. Tão corpulento e corado era ele que poucos perceberam que estava literalmente dando a vida em favor dos outros enquanto andava, de lugar a lugar, levando às costas pesado cesto cheio de folhetos para distribuir aos trabalhadores.

Quando afinal teve de ser internado num hospital, para se submeter a uma intervenção cirúrgica, um grupo daqueles robustos homens que ele conduzira a Cristo combinou mandar um dentre eles em companhia de Frank, para de algum modo lhe ser útil, pois amavam muito aquele homem que lhes ensinara a amar ao Senhor. O homem escolhido era desses tipos agigantados e fortes, decididamente fora de lugar nos recintos de um hospital, e deixou-se ficar pelos corredores, aguardando oportunidade de ser útil a Frank. Ao chegar a hora da operação, disse- lhe: "Frank, você sabe que nós o amamos e queremos ajudá-lo; agora, enquanto os médicos vão fazer a operação, ficarei junto da porta; e, Frank, se os médicos virem que precisam de um litro de sangue, ou um pedaço de osso ou pele, podem contar comigo. Frank, você pode receber de mim a última gota de sangue ou cada um dos ossos deste corpo; não se esqueça, Frank, que estou junto da porta!"

Porventura nós já dissemos coisa semelhante Àquele que nos salvou, pela morte na cruz?

1001 Illustrations

A DOR E O AMOR


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

A CORRIDA DOS SAPINHOS

Era uma vez, uma corrida de sapinhos. O objetivo era atingir o alto de uma grande torre. Havia no local uma grande multidão assistindo. Muita gente para vibrar e torcer por eles. Começou a competição. Mas como a multidão não acreditava que os sapinhos pudessem alcançar o alto daquela torre, o que mais se ouvia era: "Que pena!!! Esses sapinhos não vão conseguir. Não vão conseguir." E os sapinhos começaram a desistir. Mas havia um que persistia e continuava a corrida, em busca do topo.

A multidão continuava gritando: Pena!!! "Vocês não vão conseguir". E os sapinhos estavam mesmo desistindo um por um, menos aquele sapinho que continuava tranquilo, embora arfante. Ao final da competição, todos desistiram, menos ele.

A curiosidade tomou conta de todos. Queriam saber o que tinha acontecido. E assim, quando foram perguntar ao sapinho como ele havia conseguido concluir a prova, descobriram que ele era surdo...


Não permita que pessoas com o péssimo hábito de serem negativas, derrubem as melhores e mais sábias esperanças de seu coração. Lembre-se sempre: Há poder em nossas palavras e em tudo o que pensamos!

Seja positivo!!!

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

A HISTÓRIA DE DUAS FAMÍLIAS

Grandemente se regozijará o pai do justo e quem gerar a um sábio nele se alegrará.

Provérbios 23.24-35

Há 300 anos na Inglaterra, Ricardo Eduardo, um conceituado advogado casou-se com Elizabete Tuttie; o filho dessa união, Timóteo Eduardo, tornou-se um dos fundadores da famosa Universidade Yale. Ele, por sua vez, foi o pai de Jonatas Eduardo, um famoso professor e filósofo inglês.

Todos os descendentes dos Eduardos incluem nada menos de 265 pessoas de educação superior, 12 reitores de universidades, 65 professores, 60 médicos, 100 pastores, 75 oficiais do Exército, 80 escritores, 3 membros do Congresso americano, 2 senadores e 1 vice-presidente dos EEUU.

Em contrapartida, um dos contemporâneos de Jonatas Eduardo, Max Jucke, marginal da Nova Inglaterra, que também teve uma longa lista de descendentes, teve em sua família 300 mortos na infância, 310 mendigos profissionais, 440 aleijados por doenças crônicas, 50 prostitutas, 60 ladrões, 7 assassinos e 53 condenados por outros crimes.

Coincidência?

terça-feira, 15 de setembro de 2015

O JOVEM DANIEL

E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar.

Daniel 1.8
  
Daniel foi levado cativo para a Babilônia quando era só um adolescente. Ele viu o povo se rebelar contra Deus, se afastar dos seus caminhos e abandonar a Palavra de Deus. E como resultado presenciou a invasão babilônica a Jerusalém, viu a morte de muitas pessoas e testemunhou o saque do templo.

Em Babilônia, tornara-se um jovem sem família, sem liberdade e sem religião. Ele era um cativo, um jovem com o destino traçado pelas mãos do Rei. Ali, ele deveria estudar e se concentrar em aprender a cultura, a ciência e as letras de seu conquistador.

Ele viveu os anos entre homens sábios de Babilônia, conheceu a cultura, a religião e ouviu os grandes pensadores. Isto tudo poderia ter movido seu coração para distante de Deus. No entanto, Daniel tinha por certo não se contaminar nem se deixar influenciar.

Ele nunca perdeu sua fé. Todo o conhecimento e a glória de Babilônia não lhe mudaram o coração nem lhe tornaram um homem triste e sem esperança. Pelo contrário, o fez forte e único.

Fandermiler Freitas

VIDA DIFÍCIL

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

CONHECE A TI MESMO


PRECE DE UM SOLDADO

Escuta-me, ó Deus! Eu nunca falei contigo. Hoje quero saudar-te. Sabe, diziam-me que tu não existias, e eu tolo, cri fosse verdade. Ontem contemplei o céu. Encontrava-me oculto numa cratera de granada...

Jamais poderia imaginar que, para ver-te, bastaria estender-me de costas no chão! Não sei se estarás disposto a ouvir-me. Espero que, pelo menos, me entendas. É incrível que eu não te tenha encontrado antes e viesse a fazê-lo num inferno como este.

Muito bem... já falei contigo. Embora o ataque nos espere para logo, ó Deus, não estou com medo desde que descobri que estás perto. Eis o sinal de ataque! Bem, Deus, preciso ir. Esquecia-me de dizer-te... que te amo. A batalha vai ser horrível... Esta noite - quem sabe? - talvez bata à porta do céu. Sei que não tenho sido teu amigo.

Mas.., receber-me-ás se ai chegar? Será possível?! Vê, Deus, estou chorando! Tão tarde te encontrei!... Quanto o sinto! Com licença: preciso ir... É incrível, mas sigo, sem temor, a enfrentar a morte!"

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

NO FUNDO DA PANELA

"Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração" 

Salmos 40:8

Vendedores de ovos, em muitos mercados de rua na África, mantêm uma panela de barro à mão, cheia de água. Os compradores podem escolher os ovos que desejam adquirir e colocá-los dentro da panela. Aqueles que afundam são frescos e os que flutuam são passados. A nossa vida e o nosso testemunho precisa ser semelhante aos ovos frescos na água.

Muitas vezes nos tornamos cristãos através do recebimento de Cristo como Senhor e Salvador, nos alegramos, sentimos o coração arder pela obra do Senhor, mas logo esfriamos e passamos a viver como aqueles ovos que flutuavam nas panelas de barro dos mercados africanos.

Nosso testemunho é superficial, nossa vida no altar de Deus não cria raízes profundas e o nosso compromisso é limitado.

Falamos que amamos a Cristo mas não o demonstramos. Dizemos que a igreja pode contar conosco mas faltamos a quase todas as convocações. Proclamamos que a congregação precisa orar muito para que o nome do Senhor seja glorificado em todos os propósitos mas não comparecemos às reuniões. Somos cristãos flutuando na beira da panela sem ir ao fundo.

Jesus disse que nos escolheu e nos enviou para produzir frutos que permaneçam. E para que isso seja real em nossas vidas é necessário muito mais do que flutuar na superfície da panela. Precisamos ter o vigor espiritual que nos conduza a um relacionamento profundo com o Senhor. Assim como os ovos bons permaneciam no fundo e os maus na superfície, aqueles que experimentaram verdadeiramente uma transformação pelo Espírito Santo não se contentam com a superficialidade.

Querem estar envolvidos completamente, querem mergulhar nos propósitos de Deus e não esperarão ser vistos para receber aplausos e elogios. Seu maior prazer é desaparecer para que o nome de Jesus receba toda honra e glória.

Que a sua vida cristã deixe de ser superficial e passe a glorificar a Jesus no fundo da panela.

Paulo Roberto Barbosa

DIAS FICAIS


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

ONDE ESTÁ O TEU DEUS?

Quando Pompeu, o grande general romano, tomou Jerusalém no ano 63 A.C., fez questão de visitar o templo, de cuja fama já tinha muito ouvido. Entrando no recinto fez questão de passar além do véu e penetrar no Santo dos Santos, para escândalo e consternação dos judeus que o seguiam. 

Pompeu esperava encontrar, oculta pelo véu, a imagem do Deus dos judeus, o Deus a quem ele atribuía a extraordinária resistência daquele povo através dos séculos a tantas guerras e derrotas. Mas nada encontrou no Santo dos Santos. Acostumado a ver os deuses dos povos representados por imagens dos mais variados tamanhos e aparência, Pompeu ficou maravilhado. Não podia entender um povo que não tinha uma imagem sequer e que tinha encontrado no coração humano o santuário mais digno para seu Deus. 

CONSTRUA


quarta-feira, 9 de setembro de 2015

ALGUMAS LIÇÕES QUE APRENDI COM AS PERDAS DA VIDA

1- É PRECISO SABER PERDER:
Nosso desejo está voltado para as vitórias da vida, por isso, nem sempre sabemos lidar com as perdas quando estas nos sobrevêm. Por isso, saiba perder, levantar a cabeça e aprenda com o deslize sofrido.

2- NUNCA DESISTA DE AVANÇAR, PERSISTA!
Não há luta que dure para sempre! Haverá um momento que você será um campeão, olhará para trás e verá que valeu a pena lutar e persistir naquilo que tanto buscou. As perdas podem até te fazer, por um instante, desistir, mas continue! Confie em Deus e tenha fé que há uma luz no fim do túnel! Prossiga! Não esmoreça quando estiver próximo a linha de chegada!

3- BUSQUE SE FORTIFICAR NA FRAQUEZA:
A Bíblia fala que quando estamos fracos, somos fortes. E é verdade! É no deserto da vida que paramos para refletir, nos revestir de sabedoria, consertarmos nossos erros e darmos a volta por cima. Além de tudo isso, são nos momentos de angústia e dor que enxergamos que não somos nada e que Deus é tudo! Portanto, se refugie em Deus, mas faça sua parte! Lembre-se que Deus não fará o que você mesmo terá que fazer!

4- PERDAS ANTECEDEM GRANDES VITÓRIAS:
Muitas vezes somos provados e tribulações nos assolam e solapam nosso alicerce. Tenha fé, vai passar! Inúmeros exemplos na Bíblia e nos dias atuais revelam que grandes vitórias são antecedidas por perdas lastimáveis aos nossos olhos. Eu acredito que todas as coisas cooperam para o nosso bem! Mais cedo ou mais tarde estaremos convictos dessa valiosa palavra!

5- NÃO SE AFASTE DOS PÉS DO SENHOR:
Esteja no vale ou no deserto, na alegria ou na dor, nunca se afaste de Deus! Quando perdermos nessa nossa trajetória da vida é que devemos, de coração, nos colocar diante de Deus e clamar pelo Seu socorro! A palavra de Deus é consolo para nossas almas quando diz que o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer. Descansa em Deus! Você perdeu? Está passando por tribulação? Espera com paciência que a tempestade em breve cessará!

6- HAVERÁ FESTA PROVISÓRIA POR PARTE DOS TEUS INIMIGOS:
Quem te odeia, momentaneamente, irá festeja pelo seu fracasso. É esperado, pois se nem Jesus, que é Deus, "agradou" a todos, foi crucificado, o que dirá de você e eu que nada somos! No entanto, no momento certo eles saberão que você pode até ter perdido uma luta, mas em Deus, vencerá a guerra! Diga ao fraco, eu sou forte!

7- ESFORÇA-TE E TENDE BOM ÂNIMO:
Não é fácil levantar após uma queda, mas prostrado não devemos ficar! Caiu? Sacode a poeira, abra um sorriso pois a vida continue! Anima-te! Dias melhores virão! Veja onde caiu e aprenda com os seus erros.

8- AGRADEÇA A DEUS PELAS PERDAS DA VIDA:
Aqui é difícil, hein? Por que eu devo agradecer a Deus pelo que eu perdi? Porque as perdas me tornam mais maduro, mais próximo de Deus, me mostra o quanto sou pequeno, o quanto dependo Dele, o quanto Deus é incompreensível (e graças a Deus por isso, senão eu estaria em seu lugar se O entendesse!) e que Ele é fiel acima de toda e qualquer circunstância!

Que a gente possa, de coração, aprender com as intempéries que surjam pelo caminho e cresça a cada dia.

Visite o Blog:
http://pastorgeraldomagela.blogspot.com/2012/02/algumas-licoes-que-aprendi-com-as.html

QUALQUER UM


segunda-feira, 7 de setembro de 2015

QUE MENTALIDADE...

Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aguentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.


Tiago 2.14-17
 
Eu tive fome, e tu formaste um grupo para discutir o problema.

Estive presa, e tu te retiraste para a tua capela para orar por minha libertação.

Estive nua, e tu questionaste a moralidade da minha aparência.

Estive enferma, e tu te ajoelhaste agradecendo a Deus por tua saúde.

Estive desabrigada, e tu falaste de abrigo espiritual em Deus.

Estive solitária, e tu me deixaste sozinha para orar por mim.

Tu parecia tão santo, tão próximo de Deus!

Mas eu ainda estou com fome, presa, nua, enferma, desabrigada e sozinha.

do livro "Mentalidade Cristã", de John Stott..

QUEM NÃO É BOM SOLDADO


domingo, 6 de setembro de 2015

A ROSA BRANCA

EU sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales.


Cantares 2:1   


Certa noite, em Londres, um evangelista seguia ao longo do Tâmisa em direção ao local onde deveria pregar. Um estranho pressentimento o fazia andar com lentidão, até que se deteve a contemplar a água tranquila, pensando nos séculos de história com seus dramas dos quais esse rio havia sido testemunha.


Desejava continuar seu trajeto, quando teve sua atenção despertada para uma jovem que caminhava em direção ao rio.


- Desculpe! - diz ele tranquilamente.



A jovem voltou-se e olhou assustada em redor de si, como se procurasse fugir.

- Queira perdoar que um estranho lhe fale - continuou. - Sou um Ministro do Evangelho, e vou ao salão de cultos que fica na primeira rua. Vejo que está abatida e perturbada. Não deseja ouvir a Palavra de Deus? Poderá achar descanso em Cristo que está pronto a ser seu amigo.

- Não. Não quero ir à sua reunião. Não quero nada com a sua religião. Deixe-me! respondeu ela.

- Quer então aceitar esta rosa branca? Talvez seja para você um símbolo, para lhe recordar que há, naquela sala, pessoas amigas que gostariam de ajudá-la, se ali for.

- Não. Oh! não - disse ofegante a moça, mas estendeu a mão e agarrou a rosa.

As lágrimas deslizavam-lhe pelo rosto. O homem de Deus seguiu para o salão e, nessa mesma noite, quando concluía o sermão, a mesma jovem que encontrara penetrou no recinto! Com a voz embargada, declarou, dirigindo-se ao pastor:

- Eu ia jogar-me ao rio, porque não mais podia continuar... Mas o senhor me falou com grande amor e me convidou a vir a este salão. Indelicadamente, me recusei. Então o senhor me ofereceu esta rosa branca, que é semelhante à que minha mãe me deu quando abandonei a casa há cinco anos.

Não foi difícil ao pregador responder: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna".

A jovem escutou atentamente. Então, desatando em soluços, ajoelhou-se. Quando se levantou, era "uma nova criatura em Cristo Jesus", e seu primeiro desejo foi regressar ao lar para ver a mãe.

Você gostaria de achar essa "Rosa Preciosa" e, como diz o hino, "provar o seu excelente odor"?

Então abra o seu coração e receba o Senhor Jesus, que lhe dará salvação eterna. Leia a Bíblia Sagrada e assista a cultos em qualquer igreja evangélica que professa o verdadeiro Salvador, Jesus.

SERVIR DE LIÇÃO

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

SENDO JUSTO (E PECADOR)

Os reformadores sempre enfatizaram o fato de que todos os crentes são justos e pecadores ao mesmo tempo. Somos justos, porque pela graça de Deus que há em Cristo -por meio da fé-, fomos declarados justos por Deus. Note que não estou dizendo "fomos tornados justos". Nunca devemos confundir justificação com santificação.

A justificação é instantânea. A santificação é processual. A justificação é a declaração formal da parte de Deus de que -todas as demandas da justiça de Deus referentes à vida do crente-, foram satisfeitas por intermédio do sacrifício e obediência de Cristo. A santificação é a principal evidência da presença da fé autêntica (mediante a qual o crente é pela graça divina justificado) no coração do homem. É a transformação do caráter.

Há três formas de se viver em pecado:

1. O crente justificado que encontra-se em processo de santificação. Em razão desta operação gradual da graça divina, o crente não é mais, do ponto de vista do caráter, o que um dia foi, mas ainda não é o que deve e gostaria de ser. Pode-se dizer, de certa forma, que ele está em pecado; mas perdoado, lutando contra os seus vícios e fraquezas morais, e dia após dia obtendo vitória.

2. O crente justificado, mas que está enfrentando um problema moral na sua vida cristã. Para este há duas boas notícias. A primeira: as Sagradas Escrituras não ensinam em nenhum versículo que o crente verdadeiro jamais passará em sua vida por conflitos morais específicos. Isso é consolador, pois se fossemos esperar vida moral perfeita para nos considerarmos salvos, a certeza da salvação haveria de ser coisa apenas para a vida após a morte. A segunda boa notícia: se o crente persistir na prática do pecado, Deus não permitirá que o seu coração se extravie de vez. O universo se voltará contra a vida do crente. Tudo o fará voltar para casa do Pai. Até ele voltar de vez. Ser amado por Deus não é fácil!

3. O pecador que ainda não se reconciliou com Deus através de Cristo. Este vive duplamente no pecado. Ele pratica o que é ofensivo a Deus, e encontra-se debaixo do justo juízo de Deus. Ele é pecador não justificado, não perdoado, não consciente da vileza de sua vida.

Quando o crente peca, peca contra o amor. Quando o ímpio peca, peca contra a lei. Quando o crente peca, torna-se exposto a disciplina do Pai. Quando o ímpio peca, torna-se exposto ao juízo de Deus. Quando o crente sofre por causa da disciplina de Deus, o seu sofrimento limpa o seu coração e o leva ao trono da graça de Deus. Quando o ímpio sofre por causa do seu pecado, este sofrimento não lhe serve para nada, somente aumenta sua ira e o torna pior. Salvo, aqueles casos, nos quais o ímpio que sofre, é um eleito, cuja dor haverá de levá-lo ao arrependimento e fé. Esse amor não é fácil, mesmo antes de nos convertermos.

Triste coisa é viver no pecado sem haver passado pela experiência da justificação. Triste coisa é pecar, e em vez de ser disciplinado pelo Pai, ser julgado pelo soberano juiz do universo.

Rev. Antônio Carlos Costa é pastor da Igreja Presbiteriana da Barra e presidente do Rio de Paz. Divulgação Genizah

Antônio Carlos Costa

FÉ NA HUMANIDADE


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

ONDE ESTÃO OS NOSSOS PÉS ????

Outro dia, ouvi alguém dizer que, nós não precisamos ter compromissos com nada e com ninguém, que cada um faz o que bem quiser e como quiser. A pessoa ainda dizia que ela, somente ela, era dona do seu próprio nariz e não tinha que dar satisfações. Que iria sim, em qualquer lugar que tivesse vontade, não importando se o tal lugar, fosse decente ou não. Que não haveria nada de mais em fazer o que ela faz. Será que é assim que funciona? Onde estão os nossos pés?

Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra. Salmos 119:101. Existem muitas advertências, conselhos e mandamentos acerca dos nossos pés, seja no sentido espiritual, seja no físico. É preciso ter cuidado com as emboscadas, alguns caminhos são cheios de armadilhas. E quando menos se espera, já não há retorno. Devemos buscar a santificação em tudo, e isto, é, observar onde estamos pisando com os nossos pés. Deixar sim, nossa vida aos cuidados do Senhor, para que Ele dirija os nossos passos.

Para iluminar aos que estão assentados em trevas e na sombra da morte; A fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz. Lucas 1:79. Essa pessoa acha que é capaz de viver livre, leve e solta. Sem compromissos, desleixadamente, sem prestar contas de seus atos aos seus familiares, a sociedade, aos amigos e principalmente a Deus. Vivemos em sociedade, precisamos uns dos outros, há regras, há respeito, educação. Precisamos viver em paz, necessitamos buscar ter paz com todos.

De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus. Romanos 14:12. Tudo, o que fazemos é de nossa responsabilidade. Há consequências, o pecado pode deixar nossos pés atolados, podemos seguir um caminho que não é bom. Atolei-me em profundo lamaçal, onde se não pode estar em pé; entrei na profundeza das águas, onde a corrente me leva. Salmos 69:2.

Aprendemos através da Palavra do Senhor, que precisamos sim, ter cuidado onde estamos colocando os nossos pés. Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; desvia o teu pé das suas veredas; Provérbios 1:15.

Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal. Provérbios 4:27.

Não podemos esquecer jamais que os nossos pés precisam ser formosos, somos dependentes do Senhor, necessitamos do Seu cuidado e devemos seguir o exemplo de Jesus Cristo.

Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. Romanos 10:15.

Valéria Belotti

IR EM FRENTE