quinta-feira, 27 de abril de 2017

MARÉ REVELADORA

Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor" (1 Coríntios 4:5).

Um homem foi morto às margens do Lago Michigan e seu corpo foi jogado nas águas. O assassino foi embora, mas, três dias depois, o corpo foi encontrado em frente à sua cabana. O culpado, tomado pela consciência, entregou-se às autoridades e confessou o crime. "Eu sei que foram as marés que fizeram isso! eu sei que foram as marés que fizeram isso!" era tudo o que o assassino conseguia dizer. Quando as marés da memória, consciência e razão começarem a chegar, no dia do juízo, tudo que está oculto será revelado. (Howard W. Ferrin)

O que as marés de nossa consciência nos revelam? O que revelam aos que nos rodeiam? O que revelam a Deus? A nossa vida tem sido transparente, verdadeira, sincera? Ou temos mantido muitas coisas ocultas, escondendo-as de todos que nos conhecem? E de Deus, temos tentado esconder alguma coisa?

O Senhor conhece nossas atitudes, nossos corações, nossos pensamentos. Nada podemos ocultar-Lhe e, se imaginamos que isso seja possível, enganamo-nos completamente.

Muito melhor é colocar tudo diante do Senhor, buscar perdão pelos erros e ajuda para alcançar os bons propósitos. Melhor é crer que Ele tem a solução para nossos problemas e o caminho certo para a realização de todos os nossos sonhos.

Quando a verdade de Deus está em nossas vidas, nada temos a temer, nenhuma dúvida nos inquieta, nenhuma tempestade pode impedir que a luz do sol brilhe nos lugares por onde passamos.

No dia do juízo as coisas ocultas serão reveladas. Que elas mostrem apenas a pureza de nossos corações transformados e a alegria de sermos filhos de Deus.

O que revelam as marés de Deus sobre você?

Paulo Barbosa

A VERDADE


quarta-feira, 26 de abril de 2017

SOU UM DE SEUS AMIGOS

No corre-corre de um terminal rodoviário algumas pessoas derrubaram um tabuleiro de maçã do amor, esparramando-as pelo chão. Somente um homem parou para ajudar a pequena vendedora.

Ao começar a recolher as frutas, ele percebeu que ela era cega. Gentilmente ajudou-a a levantar o tabuleiro e a ajuntar as maçãs.

Ao ficar verificar que várias de suas frutas se estragaram na queda, a menina ficou visivelmente apreensiva:

- Minha mãe vai ficar muito triste.
- Não se preocupe, minha querida, disse-lhe o homem, eu pago as maçãs que se estragaram.

Pagou e despediu-se dela, mas ela o chamou e perguntou:
- Moço, é você que é Jesus?
- Não, minha querida, mas sou um dos amigos dele.

Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros. João 13.35

Autor desconhecido

NO COMEÇO

terça-feira, 25 de abril de 2017

ANTES DO SOL SE PÔR

Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.

Efésios 4.26

De vez em quando acontecem coisas que nos deixam tristes, algumas até com raiva, muita raiva. O coração fica machucado, a alma ferida, a boca fala mais do que devia e o rosto entristece. 

A raiva é tão nociva alma que se for alimentada transforma-se em um sentimento embrutecido que deseja, planeja e pratica o mal. o ódio é  consequência de um coração que não perdoa.

O apóstolo Paulo preocupado com essa ação degradante da natureza humana aconselha ao homem a agir sabiamente diante de coisas que nos desagradam. Ele diz "ira-vos" - por mais estranho que parece, não é pecado você ter raiva é um sentimento natural do coração diante de ações que nos revoltam. O problema é: "o que fazer com ela?"

Ele aconselha o homem a resolver qualquer pendência antes do sol se pôr, antes que o dia finde. Se não deixar nada depois, se oferecer o perdão e estiver pronto a esquecer o mal feito, o homem está livre de um coração pesado e distante da influência do ódio, ele dormiria tranquilo e em paz com Deus e com o próximo. Seria mais feliz!

Fandermiler Freitas

UM BOM CORAÇÃO

segunda-feira, 24 de abril de 2017

CRESCENDO FORA DO AQUÁRIO

"e o Senhor vos faça crescer e abundar em amor uns para com os outros" 

1 Tessalonicenses 3:12


Um rapaz estava mergulhando em busca de peixes exóticos para colocar em aquários. Ele contou que um dos mais populares peixes de aquário é o tubarão. Ele explicou que se ele for confinado, ainda pequeno, seu crescimento será proporcional ao aquário. Ele poderá medir cerca de 15 centímetros quando estiver plenamente desenvolvido. Porém, se o tubarão for solto no oceano, crescerá até seu tamanho normal de cerca de três metros.

Isso acontece também com muitos que abrem o coração para Jesus. São cristãos atraentes, de 15 centímetros, que nadam em círculos dentro de uma poça. Mas, se forem colocados dentro de uma arena maior, entre toda a criação, crescerão bem mais e se tornarão verdadeiramente grandes.

Que tipo de crescimento temos experimentado em nossa vida cristã? Temos limitado nosso campo de testemunho às quatro paredes de nossa igreja ou temos nos oferecido a Deus para que a beleza de Cristo seja vista em nós até os confins da terra?

O amor de Deus tem sido vivenciado por nós no tamanho de quinze centímetros, limitado à nossa família e alguns irmãos da igreja ou tem ultrapassado as margens de nossa pequena poça e transbordado no oceano de nosso dia-a-dia, alcançando tanto os já amigos como aqueles que, em Cristo, poderão vir a ser?

Deus é poderoso e quer fazer sua vida brilhar em águas muito maiores. Creia nisso e você será muito mais feliz.

Paulo Roberto Barbosa

OS PROBLEMAS DA VIDA


domingo, 23 de abril de 2017

EU CREIO

Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?

João 11.40

A maioria das pessoas diz que crê, mas quando a vida exige prova da fé, o coração duvida e os olhos não veem o impossível, naufraga-lhe a esperança e a certeza se dissipa como uma neblina ao amanhecer.

Conta-se a história de um menino de quatro anos que tinha medo de água. Ele não sabia nadar e, por isso, não se arriscava a entrar na piscina, permanecia sentado na borda só com os pés na água. No entanto, quando o pai entrou na piscina, ele gritou: "Pai, me leva para onde o senhor vai."

– Aqui é fundo, meu filho. Você não prefere brincar na piscina das crianças?

– Pai, o senhor não deixa eu me afogar?

– Claro que não!

– Então, eu quero ir  com senhor.

Quantas vezes agimos tão diferente? Pedimos que Deus nos guie, nos ajude, nos abençoe, mas não queremos está com o Pai. Queremos as bênçãos, mas não permitimos que ele nos leve para o fundo!

Exigimos que o Pai nos dê o bem, mas não aceitamos as coisas ruins que nos acontece, clamamos pela felicidade, mas de forma alguma permitimos que Deus interfira na nossa vida com a Sua Palavra. Consideramos Deus, muitas vezes, injusto, mas não ouvimos sua voz quando fala conosco.

A verdade é que crer é algo superior a só acreditar, é confiar mesmo quando temos que ir para o fundo. Crer é entregar-se sem reservas a Deus e permitir que Ele nos diga o que fazer e como fazer. Você vive assim? Então você crê...

A PRÓPRIA TRISTEZA


sábado, 22 de abril de 2017

A ESPERA DE UM MILAGRE

Estava ali um homem enfermo havia trinta e oito anos. Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, perguntou-lhe: Queres ser curado?


Jo 5.5-6
 
Eu não gosto de esperar. É cansativo, irritante, mas em muitas ocasiões na vida é preciso ter paciência. E, eu não estou falando dos consultórios, nem das filas de banco, mas de coisas que são importantes e que estão além de nossas forças.
 
João narra a história de um homem que estava doente há 38 anos, sem poder andar. Nenhum médico pode ajudá-lo e sua situação só piorava. No entanto, apesar de tudo, ele tinha uma esperança: O tanque de Betesda - diz a Bíblia que um anjo descia em certo tempo, agitando-a; e o primeiro que entrava no tanque, uma vez agitada a água, sarava de qualquer doença que tivesse.
 
Mas aquele homem tinha um problema: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Por que isso acontece quando a gente está afligido por problemas? Não sei, mas quando eles prolongam, os amigos desaparecem e a gente acaba ficando só.
 
Posso imaginar quantas vezes aquele homem saiu de casa cheio de esperança e retornou sem nenhuma mudança. Viver a vida a espera de um milagre não é fácil. Muitas pessoas não suportam a dor, perdem a fé, a esperança e põem fim a vida.
 
Mas naquele dia, enquanto estava deitado, um homem foi ao seu encontro e o mandou levanta-se e ir para casa. Ele creu, tomou o seu leito e se foi. Sabe o que eu aprendo sobre milagres?
 
1. Você precisa querer que eles aconteçam;
2. Você precisa está no lugar certo e falar com a pessoa certa;
3. Você precisa saber esperar o tempo de Deus;
4. Você tem que obedecer a voz de Deus;
5. Não se engane, você colhe o que planta. Deus está olhando para você. Quer um milagre, então semeie fé, adube com amor e regue com louvor.

INIMIGO SILENCIOSO

sexta-feira, 21 de abril de 2017

O DESEJO DE MARTIN

"Ensina-me a fazer a Tua vontade, pois Tu és o meu Deus."

"A mãe de Bill disse que não posso mais brincar em sua casa. Por quê?" Martin, seis anos de idade, olhava para a face da mãe esperando uma resposta.

"Sente-se aqui ao meu lado, e eu lhe direi", a Sra. King respondeu. "E porque você é negro, e Bill é branco."  Então ela lhe falou sobre os navios negreiros que iam para a África e voltavam carregados com negros - os primeiros negros que chegaram à América. Ela descreveu para Martin a dura vida desses escravos. Falou-lhe sobre a Guerra Civil Americana e a libertação dos escravos por Abraão Lincoln. Explicou-lhe que muito embora eles não fossem mais escravos, as pessoas negras não se misturavam com as brancas. Os negros e os brancos frequentavam escolas diferentes e usavam sanitários públicos separados. Sentavam-se em lugares separados nos ônibus e nos teatros.

"Isto não é justo", Martin protestou.

"Não, não é", sua mãe concordou. "Mas assim é que é. Um dia as coisas poderão mudar." A medida em que ia se tornando maior, Martin ia também experimentando uma série de insultos que lhe deram a idéia de quanto sofriam também os outros negros. Gradualmente foi crescendo dentro dele o desejo de fazer alguma coisa que apressasse a mudança.

Na luta dos negros pela igualdade de direitos na América, Martin Luther King Jr. encontrou o que ele cria ser a vontade de Deus para a sua vida. A esta causa ele se entregou por completo. Esta entrega levou a seu assassinato na tarde de 4 de abril de 1968.

No dia anterior a sua morte ele tinha dito: "Eu gostaria de ter uma vida bem longa. Mas não estou preocupado com isto agora. Apenas quero fazer a vontade de Deus." O desejo de fazer a vontade de Deus é uma digna ambição para qualquer jovem de hoje. Que nobre alvo - fazer a vontade de Deus não importa o preço a pagar!

Há no mundo hoje a necessidade de homens e mulheres corajosos assim, "que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato... que permaneçam pelo direito ainda que caiam os céus".

Deus necessita de moços e moças com a dedicação e coragem de Martin Luther King Jr. Ele precisa de jovens que não temam repetir a oração de Davi: "Ensina-me a fazer a Tua vontade." Ele necessita de jovens que O sigam aonde Ele os levar, não importa quão perigoso possa ser o caminho.

Martin Luther King, Edward Preston, 1968, págs, 1-9 e 141

MEDO DA LUZ


quinta-feira, 20 de abril de 2017

UMA ORAÇÃO NO SENADO

Interessante oração feita em Kansas na sessão de abertura do Senado deles. Parece que oração ainda chateia algumas pessoas. Quando pediram para o ministro Joe Wright abrir a nova sessão do Senado de Kansas, todos estavam esperando o tradicional discurso, mas isso foi o que eles ouviram: 

"Pai celeste, nós estamos diante de Ti hoje para pedir Teu perdão e para buscar Tua direção e liderança. Nós sabemos que Tua palavra diz, 'Cuidado com aqueles que chamam o mal de bem,' mas isto é exatamente o que temos feito. Nós perdemos nosso equilíbrio espiritual e revertemos nossos valores. Nós exploramos os pobres e chamamos isso de loteria. Nós recompensamos preguiça e chamamos isso de bem-estar. Nós cometemos aborto e chamamos isso de escolha. Nós matamos os que são a favor do aborto e chamamos de justificável. Nós negligenciamos a disciplina de nossos filhos e chamamos isso de construção de auto-estima. Nós abusamos do poder e chamamos isso de política. Nós invejamos as coisas dos outros e chamamos isso de ambição. Nós poluímos o ar com coisas profanas e pornografia e chamamos isso de liberdade de expressão. Nós ridicularizamos os valores dos nossos antepassados e chamamos isso de iluminismo. Sonda-nos, oh, Deus, e conhece os nossos corações hoje; nos limpa de todo pecado e nos liberta. Amém!"

 A resposta foi imediata. Um número de legisladores saíram durante a oração em forma de protesto. Em 6 semanas, a igreja chamada Central Christian Church, onde o Rev.. Wright é pastor, recebeu mais que 5.000 ligaçoes e somente 47 foram negativas. A igreja agora está recebendo pedidos internacionais de cópias desta oração, como a Índia, África e Korea. 

O comentarista Paul Harvey colocou essa oração no ar no seu programa de rádio 'O Resto da História', e recebeu o maior índice de ouvintes que o seu programa já teve. Com a ajuda do Senhor, deixe essa oração ir para todo o canto da nossa nação. Para que essa oração, novamente, de todo o nosso coração volte a ser nosso desejo, para que possamos de novo ser chamados 'uma nação dirigida por Deus

PREOCUPAÇÃO

quarta-feira, 19 de abril de 2017

O QUARTO HOMEM

"Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações." Salmo 46: 1.

Aconteceu durante a Primeira Grande Guerra. O comandante H.G. Stoker e dois amigos escaparam da prisão de um campo de concentração na parte central da Turquia. Eles planejaram seguir na direção sudoeste rumo à costa, onde esperavam ser resgatados.

Antes de poderem estar em segurança eles tinham de cruzar as inóspitas montanhas Taurus onde havia lobos e soldados inimigos. O terreno era difícil e eles não tinham mapa nem bússola.

No dia 2 de abril de 1916, a décima primeira noite de sua viagem, eles chegaram à parte mais penosa. Foi então que aconteceu uma coisa estranha.

Os homens estavam caminhando em fila indiana a uns 15 passos afastados do comandante Stoker que ia à frente. De repente ele como que sentiu haver uma quarta pessoa acompanhando-os. Quando os homens paravam para descansar, o estranho não se juntava a eles, mas permanecia na sombra. Tão logo os homens retomavam a marcha, ele assumia o seu lugar. Jamais proferia uma só palavra, mas parecia ser um amigo chegado.

Teria o comandante Stoker imaginado a presença de um quarto homem, ou este realmente estivera ali? Na manhã seguinte contou aos outros sua experiência. Eles também haviam notado o estranho, e se indagavam aonde ele teria ido. "Parecia ser um encorajamento para nós aquela presença", um deles disse.

Na noite seguinte o estranho permaneceu com eles outra vez.

Neste período eles cobriram duas vezes a distância usual e escaparam aos guardas num dos pontos mais vigiados da rota.

Quem era o quarto homem?

Será que Jesus acompanhou aqueles homens através de perigosas montanhas, tal como havia estado com os três hebreus na fornalha ardente? Teria sido imaginação deles, ou o quarto homem era um anjo enviado para encorajá-los? Poderemos nós ter uma experiência semelhante a esta?

"Aquele que andou com os hebreus valorosos na fornalha ardente estará com os Seus seguidores em qualquer lugar. Sua constante presença confortará e sustentará. Em meio do tempo de angústia - angústia como nunca houve desde que houve nação - Seus escolhidos ficarão inamovíveis. Satanás com todas as hostes do mal não pode destruir o mais fraco dos santos de Deus. Anjos magníficos em poder os protegerão, e em favor deles Jeová Se revelará como 'Deus dos deuses', capaz de salvar perfeitamente os que nEle puseram a sua confiança." - Profetas e Reis, pág. 513.

Não é esta uma bela promessa

Pr. Marcelo Augusto de Carvalho

EXPERIÊNCIA

terça-feira, 18 de abril de 2017

A BÍBLIA DO CAPITÃO BLIGH

"Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito." Hebreus 4:12.

Um exemplo do poder da Palavra de Deus é retratado na história da Bíblia do capitão Bligh. Esse volume foi colocado na bagagem do capitão quando ele saiu para o Taiti no navio Bounty. No retorno, a tripulação se amotinou. Eles colocaram o capitão Bligh e 18 de seus homens num bote e deixaram-no à deriva no Oceano Pacífico.

Os amotinados tomaram seis homens e 12 mulheres de Taiti e navegaram para a ilha de Pitcairn, onde esperavam estar a salvo do governo inglês e estabelecer sua própria ilha-paraíso nos Mares do Sul.

Entretanto, eles não desfrutaram o paraíso, pois um dos homens sabia produzir cerveja, e logo eles passavam a maior parte do tempo em bebedeiras. Nesta condição eles brigavam pelas mulheres, matando-se uns aos outros. Depois de 10 anos só restou um dos homens: John Adams.

Ele parou de beber ao ver a responsabilidade que lhe pesava com o encargo de tantas mulheres e crianças. Ele desejava abrir uma escola, mas não tinha livros. Então lembrou-se da caixa de bagagem do Bounty, onde havia ficado a Bíblia do capitão Bligh. Depois de examina-Ia cuidadosamente, ele tratou de reunir as mulheres e as crianças cada dia em torno de si para ouvirem a leitura do livro santo.

Nunca mais se tocou em bebida. As crianças se tornaram limpas, bem comportadas, controladas, ordeiras. Aprenderam a ler e escrever. Foi construída uma igreja onde se realizavam reuniões aos domingos de manhã e nas terças-feiras à noite: Em lugar de palavras rudes, grosseiras, ouviam-se risos e palavras de louvor por toda a ilha.

Captain Bligh's Bible, George Vandeman, 1956.
Origin and Progress of SDA, M. E. Olsen, RH, 1925.
SDA Encyclopedia, pág. 998

O VENTO