domingo, 10 de dezembro de 2017

VENTOS E TEMPESTADES

Um escritor inglês, do século passado, conta em uma de suas obras que na praia perto de sua casa, uma coisa muito interessante podia ser vista com frequência:

Um navio lançando a sua âncora no mar enfurecido. O navio dança sobre as ondas Parece estar sob o poder e à mercê delas. O vento e a água se combinam para fazer do navio o seu brinquedo. Parece que vai haver destruição; pois se o casco do navio for lançado sobre as rochas, será despedaçado.

Mas observamos que o navio mantém a sua posição. Embora à primeira vista parecesse um brinquedinho desamparado à mercê dos elementos, o navio não é vencido. Qual é o segredo da segurança deste navio? Como pode resistir às forças da natureza com tanta tranquilidade? Existe segurança para o navio no meio da tempestade porque ele está ancorado!

A corda à qual ele está amarrado não depende das águas, nem de qualquer outra coisa que flutue dentro delas. Ela as atravessa e está fixada no fundo sólido do mar. Não importa quão forte o vento sopre ou quão altas sejam as ondas do mar... A sua segurança depende da âncora que está imóvel no fundo do oceano.

Muitas vezes nos sentimos no meio de uma tormenta, sendo jogados pelas ondas da vida para cima e para baixo e açoitados pelo vento da adversidade. Parece-nos, às vezes, que não conseguiremos sobreviver a determinados períodos de nossas vidas.

Sem uma vida espiritual, a nossa vida é como um navio sacudido pelo mar enraivecido das circunstâncias incontroláveis da vida. Mas, confiando em Deus, experimentamos sua presença e amor como âncora da nossa vida. Nos sentimos encorajados e esperançosos. Essa esperança mantém segura e firme a nossa vida, assim como a âncora mantém seguro o barco.

L. R. Silvado

VALE A PENA


sábado, 9 de dezembro de 2017

AMOR ECTRAVAGANTE

O relato da vida real que se segue, é o testemunho pessoal de um médico judeu.

“Trabalhei como cirurgião do exército dos Estados Unidos durante a Guerra Civil”.

Após a batalha em Gettysburg chegaram ao hospital vários soldados feridos, entre eles Charlie Coulson.

Como Charlie era muito jovem para ser soldado, pois tinha 17 anos, alistara-se como tambor. Ele chegou com ferimentos graves, sendo necessário amputar-lhe um braço e uma perna.

Quando meus assistentes foram aplicar-lhe clorofórmio para a cirurgia, ele recusou-se e pediu para chamar-me e disse:

- Doutor, quando eu tinha 9 anos, dei meu coração a Jesus e desde aquele dia venho aprendendo a confiar Nele. Ele é minha força, Ele me sustentará enquanto o senhor estiver amputando meu braço e minha perna.

Então indaguei e pedi para que tomasse um pouco de conhaque. Mais uma vez ele respondeu:

- Doutor, quando eu tinha 5 anos, minha mãe se ajoelhou ao meu lado, pedindo à Jesus, para que eu nunca bebesse um gole de bebida alcoólica. Existe a possibilidade de eu morrer e ir para a presença de Deus. O senhor quer que eu chegue lá com bafo de conhaque?

Naquela ocasião, eu detestava Jesus, mas admirei a lealdade daquele rapaz com seu Salvador. Chamei então o Capelão, que conhecia bem o moço, pois este freqüentava as reuniões de oração.

Disse o Capelão:

- Charles, estou muito penalizado de vê-lo assim.

Respondeu Charlie ao Capelão:

-     Ah, eu estou bem senhor. O doutor me ofereceu clorofórmio e conhaque, mas eu não aceitei, pois quero me apresentar ao meu Salvador em meu juízo perfeito.

- Talvez você não morra, disse o Capelão. Mas, se o Senhor o levar, você deseja que eu faça alguma coisa?

- Capelão, respondeu o jovem, escreva uma carta para minha mãe e diga que tenho lido a Bíblia todos os dias, e tenho orado sempre para que Ele a abençoe.

- Estou pronto doutor. Prometo que não vou nem gemer se o senhor não me der o clorofórmio.

Garanti-lhe que não aplicaria a droga, mas antes de pegar o bisturi, fui a saleta tomar um gole de conhaque. Quando peguei a serra para cortar o osso, o rapaz colocou a ponta do travesseiro entre os dentes e sussurrou:

- Ó Jesus, bendito Jesus! Fica ao meu lado agora.

O rapaz cumpriu o que prometera, não gemeu.

Naquela noite não dormi pensando no rapaz. Pouco depois da meia-noite, levantei-me e fui ao hospital. Assim que cheguei disse o enfermeiro:

- Dezesseis soldados morreram.

- E Charlie também? Indaguei.

- Não, dorme como um bebê. Por volta das 9 horas, o Capelão leu as escrituras para Charlie e ambos cantaram hinos de louvor. Não consigo entender doutor como uma pessoa sentindo tanta dor ainda era capaz de cantar, completou o enfermeiro.

Passados 5 dias desde que fora operado, Charlie me chamou e disse:

- É chegada a minha hora. Creio que não terei mais um dia de vida. Sei que é judeu, e não crê em Jesus, mas gostaria que ficasse ao meu lado e me visse morrer confiando em meu Salvador.

Tentei ficar, mas não consegui, pois aquele rapaz regozijava no amor daquele Jesus que eu detestava.
Passados 20 minutos o enfermeiro me procurou no consultório.

-Doutor, Charlie está morrendo e gostaria de vê-lo novamente.

Chegando ao quarto, Charlie pediu-me que segurasse em sua mão e disse:

-Doutor, amo o senhor porque é judeu. O melhor amigo que tive neste mundo foi um judeu.

Perguntei-lhe quem era esse amigo, e ele replicou:

-    JESUS CRISTO. Quero apresentá-lo ao senhor antes de morrer. Enquanto o senhor me amputava, orei ao Senhor Jesus pedindo que manifestasse o seu amor ao senhor.

Essas palavras tocaram fundo em meu coração. Doze minutos depois ele dormiu seguro nos braços de Jesus.

Durante a guerra morreram centenas de soldados, mas só compareci ao sepultamento de Charlie Coulson.

As últimas palavras daquele rapaz me impressionaram muito. Possuía muitos bens matérias, mas teria dado todo meu dinheiro para crer em Cristo como ele cria.

Contudo a fé é algo que o dinheiro não compra.

Pouco depois esqueci o sermão de Charlie, embora não conseguisse esquecer-me do próprio moço. Durante 10 anos lutei contra Cristo com todo ódio que tinha por Ele, até que afinal a oração de Charlie foi atendida.

Um ano e meio após a minha conversão fui a uma reunião de oração no Brooklyn, onde as pessoas davam seus testemunhos. Depois de várias pessoas falarem, levantou-se uma senhora idosa e disse:

- Estou com os pulmões muito doentes, pouco tempo me resta. É um imenso prazer saber que muito em breve me encontrarei com meu filho e com Jesus. O Charlie, além de soldado da pátria, foi também soldado de Cristo.

E ela continuou:

- Ele foi ferido em uma batalha, e ficou aos cuidados de um médico judeu que lhe amputou um braço e uma perna. Morreu 5 dias após a operação. O Capelão escreveu-me uma carta relatando o que ocorrera entre meu filho e o médico em seus últimos momentos de vida.

Ao ouvi-la, não me contive. Levantei-me e fui correndo até ela. Apertei-lhe a mão e disse:

- Deus a abençoe, minha irmã! A oração do seu filho já foi atendida. Sou o médico judeu por quem o Charlie orou, e o Salvador dele agora é meu Salvador também. O amor de Jesus cativou minha alma. 

Esse relato toca profundamente nosso coração. Vemos em Charlie Coulson quatro qualidades notáveis:

Convicção, Descanso, Amor e Compromisso.

Mas vemos ainda a fidelidade de Deus que honrou essas quatro atitudes dele.

Busquem ao Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto. (Is 55:6)

Todo o que Nele confia jamais será envergonhado. (Rm10:11)

Quem converte um pecador do erro do seu caminho, salvará a vida dessa pessoa e fará que muitíssimos pecados sejam perdoados. (Tg 5:20)

Envie essa mensagem para seus amigos para mostrá-los que você os ama. 

Que JESUS ilumine seu caminho!


Quando dizes...
“Não posso resolver as coisas...”
Deus te diz:

“Eu guio seus passos”
(Provérbios 3:5-6)

Quando dizes:
“É impossível...”
Deus te diz:
“Tudo é possível”
(Lucas 18:27)



Bianca Medeiros

O SILÊNCIO DA ATITUDE

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

RÉU


Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo.

Mateus 5:21

Já presenciei um júri em que não havia corpo, armas nem testemunhas. Como saber se houve um crime? Como dizer com certeza que houve vítima se não há provas? Em alguns casos existem evidências capazes de absolver ou culpar os réus; noutros só o depoimento do acusado é capaz de revelar o desconhecido. Mas, na verdade, não há como se livrar da dúvida.

Jesus Cristo defendia a necessidade de levarmos em juízo aqueles que, por algum motivo, desrespeitavam as leis. Ele disse certa vez a um homem que queria que ele julgasse um caso de divisão de herança: quem me constituiu juiz entre vós?

A gente precisa compreender que todo homem é réu de um julgamento futuro. No entanto, precisamos entender que Deus não é como nós. Ele não é falho, não erra nem é influenciado pela emoção. O Pai tudo vê, tudo sabe, e  compreende os motivos e as intenções do coração. Portanto seu julgamento é justo e Ele jamais inocenta o culpado.

Fandermiler Freitas

O HOMEM MAIS SÁBIO


quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

OS NÓS DA CORDA

Havia um homem que vivia sempre sereno e atraía a atenção de todos que paravam para conversar com ele. Todos, pois, estavam curiosos para saber qual era o motivo de sua constante alegria e bondade. Um dia, o rei o procurou e falou-lhe: 

- Você sempre está alegre. Será que nunca fica preocupado com alguma coisa? Não se preocupa com o seu destino? Será que nunca pensa nos pecados dos quais Deus vai lhe pedir conta? Afinal, nesta vida, todos somos pecadores!


Ao que o homem respondeu: "Vossa Majestade tem toda a razão em dizer que a gente deve dar conta do mal que faz. Eu, por mim, penso e ajo assim: imagino que a gente está amarrado a Deus com uma corda."

- Como assim? - perguntou o rei.

- Quando a gente peca, corta essa corda. Mas quando a gente se arrepende e
pede perdão, o que Deus faz? Ele pega as duas pontas da corda e faz um nó para reatá-la. Desse jeito a corda fica mais curta e a gente fica mais perto de Deus. Os anos passam e a gente, apesar do esforço, continua falhando, mas Deus vai fazendo mais nós na corda e a gente acaba chegando cada vez mais perto dele... Então, por que devo me preocupar ou me entristecer?

O rei ficou muito admirado com a sabedoria do homem e entendeu a situação daqueles que, embora pecadores, conhecem e amam a Deus.

"Aumente em mim, Pai querido, com a força do seu Espírito, a disponibilidade em acolher a sua Palavra que, apesar de minhas falhas, você continua a semear em minha história, para que eu produza bons frutos e revele a todos a esperança segura que me guia ao seu Reino Eterno. Amém!"

PAZ E HARMONIA

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

DEUS ME AMA

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

João 3.16

Uma das maiores necessidade do ser humano é sentir-se amado. Conheço tantas histórias tristes de pessoas que tiveram a desventura de não serem amadas como desejaram e isso resultou em uma vida triste e, em alguns casos, amarguradas e com distúrbios.

O problema é que muitas vezes queremos algo que não é o amor, não pode ser amor! Já que o amor não é possessivo, destrutivo e corrupto. No amor não há a necessidade de ser correspondido  a altura do que sonhamos nem há a exigência de ser perfeito como nos sonhos. O amor é um sentimento do bem repleto de respeito, de verdade, de companheirismo.

Às vezes, as pessoas correm a vida inteira em busca de ser amadas e são constantemente decepcionadas ou desrespeitadas sem compreender que existe alguém que as ama com um amor puro, real e verdadeiro - Deus. E Ele foi capaz de provar o seu amor da forma mais dura possível - Deu seu filho para morrer numa cruz.

Fandermiler Freitas


THALLES ROBERTO - DEUS ME AMA


RI


segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

GRANDE AMOR

As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam. 
Cantares 8:7

Quando Romney, o grande artista inglês, era jovem, enamorou-se de uma senhorita e se casaram; porém a sua paixão foi maior pela sua arte. Um dia soube que o Sr. Josué Reynolds dissera que fora uma lástima o fato de Romney haver se casado, porque tinha talento para chegar a ser um grande artista e então não poderia subir muito devido a ter que cuidar de sua esposa.

Ao ouvir isto Romney separou-se de sua jovem esposa e foi para Londres. Pintou vários quadros de pessoas da mais alta posição social de toda a Inglaterra, produzindo assim, pinturas tão notáveis que valiam muitos milhares de dólares. Isto fez com que ele adquirisse renome e fama em Londres por algum tempo.

Porém, quando começou a envelhecer adoeceu, então, juntou todas as suas coisas e voltou para sua esposa, que ficara no norte da Inglaterra. Ela o recebeu e cuidou dele ternamente até que morresse. Alguém disse, então, que o espírito que sua esposa manifestou foi de maior valor que todas as pinturas feitas por ele.


A ALEGRIA

sábado, 2 de dezembro de 2017

ATITUDES CORRETAS

Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor.Hebreus 12:28

Quando o homem encontra-se com Jesus, seu coração é atingido pelos frutos do Espírito e torna-se capaz de influenciar o mundo com sua vida. Além disso, ele é constrangido a realizar fatos impossíveis para o homem comum (sem Deus), como por exemplo:

1. Amar - Ele tem a capacidade de irradiar o amor em todas as áreas da vida e está disposto a ajudar o próximo sempre que possível e a ser solidário com as suas necessidades.

2. Gratidão - Ele nunca é ingrato, tem claro em seu coração que mesmo nas maiores dificuldades Deus cuida dele e que sempre faz o melhor por ele. Por isso, sempre tem motivos para ser grato.

3. Adoração - Ele tem um coração sempre pronto a adorar ao Pai. Ele sempre traz frutos de louvor agradáveis e aceitáveis em seus lábios. Deus se alegra de sua adoração.

O Reino de Deus inicia-se nesta vida, no momento em que encontramos Jesus. Ele é inabalável e, portanto, é preciso que nos comportemos como um cidadão do céu.

Que Deus nos ajude a sermos luz a iluminar o mundo ao encontro de Deus.

Fandermiler Freitas

NÃO FIZ O MELHOR


sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

O PÃO NOSSO DE CADA DIA

Ninguém é digno do prazer de viver, se não usar suas angústias, ansiedades e aflições para irrigar a vida. Ninguém é digno das flores, se não sujar as mãos para lavrar a terra e cultivá-la. A existência tem curvas imprevisíveis, perdas inesperadas, choques fora do plano que traçamos.


Quando olhamos para o relacionamento que Jesus tinha com Seus discípulos, verificamos que Ele os testava constantemente. Era capaz de enviá-los sem suporte financeiro e sem alimentos para uma terra estranha. Orientava-os a experimentar o vale do medo e a construir segurança mesmo quando o mundo desabava sobre eles. Corria risco de ser morto por proteger uma prostituta sem nenhuma religiosidade aparente e queria que os Seus discípulos aprendessem a amá-la independentemente de seus comportamentos. Para espanto deles, o Mestre não tinha medo de expressar Seus pensamentos em lugares onde se recomendava a prudência.


A oração do Pai-Nosso é uma síntese complexa do que Jesus viveu e ensinou. O Deus dessa oração não prometeu caminhos sem obstáculos, oceanos sem tormentas. Mas prometeu o pão cotidiano em cada travessia, força na angústia, coragem nas incompreensões e paciência nas perdas.


Deus não prometeu uma existência sem desertos, mas ensinou que há um oásis nos escombros das dores. Não prometeu campos de flores, mas ensinou, através de Jesus, que há dignidade nos vales dos temores e esperança nos abismos das derrotas. Ensinou que a vida deve ser homenageadas a cada momento como um espetáculo único.


Deus não facilita a vida humana. Uma análise do comportamento de Deus indica que, se atender prontamente todas as necessidades humanas, criaria exploradores, e não seguidores, pessoas autoritárias e não altruístas.


O próprio Jesus comenta que é necessário bater, bater e bater à porta desse misterioso Pai. Não é um processo instantâneo, mas exige o esforço da fé, da paciência e a sabedoria que Ele tem o tempo certo para tudo.

Fonte: Augusto Cury, em “OS SEGREDOS DO PAI-NOSSO”

NOÇÃO DA BONDADE


quarta-feira, 29 de novembro de 2017

O AMANHÃ PERTENCE A DEUS

Alfred Hitchcock (1899-1980), famoso diretor de filmes de suspense, contou uma parábola para a revista Guideposts (1959) sobre o desconhecido. 

"Houve, certa vez, um rei a quem foram concedidos dois desejos. Seu primeiro pedido foi ver o futuro. Porém, quando ele viu tudo que aconteceria adiante - a beleza e a dor - ele imediatamente pediu seu segundo desejo: que o futuro fosse ocultado. "Eu agradeço ao Céu", proclamou o mestre do suspense, "o amanhã não pertence a qualquer homem. O amanhã pertence a Deus". 

Muitas vezes estamos tão preocupados com o dia de amanhã que esquecemos de viver o dia de hoje. Angustiamo-nos por ver demorar os nossos sonhos e anseios, concluímos que o nosso futuro é incerto, que nada dará certo para nós, e perdemos grandes oportunidades de viver felizes com as incontáveis bênçãos que o Senhor nos dá hoje. 

O amanhã pertence a Deus e precisamos confiar que será maravilhoso, mesmo que o momento atual não apresente sinais de que será assim. Deus é amor e tudo que faz por nós está baseado em amor. Se não o experimentamos é porque a nossa afobação em alcançar a pretensa felicidade por nossos próprios méritos e esforços, por vezes, nos leva a atalhos fora da vontade do Senhor, impedindo, assim, que encontremos as bênçãos que Deus preparou e colocou à nossa disposição. A nós cabe viver o dia de hoje da melhor maneira possível. 

Se a vontade do Senhor é que vivamos em amor, procuremos fazê-lo em todos os dias de nossa vida. Se a vontade do Senhor é que creiamos que Ele cuida de nós hoje e continuará cuidando por toda a eternidade, descansemos sem jamais duvidar disso. Se a vontade do Senhor é que testifiquemos da Sua grandeza aqui na terra, empenhemo-nos em fazer a nossa vida brilhar para a glória e honra do nome de Jesus. O amanhã a Deus pertence, e será repleto de felicidade para nós que vivemos com alegria e dedicação cada minuto do dia de hoje.

CONSELHOS

Há um ditado popular que diz: “Se conselho fosse bom, ninguém dava, vendia”. Este provérbio é geralmente citado depois que alguém recusa um conselho. Mas, independentemente da nossa resposta, uma palavra de orientação é sempre boa e valiosa. É isso que a Bíblia atesta.

“Onde não há conselho fracassam os projetos, mas com muitos conselheiros há bom êxito.” (Provérbios 15:22).

“Os planos mediante os conselhos têm bom êxito; faze a guerra com prudência.” (Provérbios. 20:18)

Nesses provérbios observamos o fracasso dos projetos não acompanhados de conselhos. A nossa tendência é tomar decisões com base em nosso próprio conhecimento, mas não é sábio agir assim. Quem não gostaria de ser bem-sucedido? Pois o texto diz que há êxito com muitos conselheiros. Este sucesso é oriundo de palavras sábias.

Outro provérbio bíblico diz: “Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança.” (Provérbios 11:14). O conselho aqui é sábio e está intimamente ligado à segurança. A linguagem do versículo está no contexto de monarquia, onde o rei tinha conselheiros que o ajudavam em todas as decisões, principalmente se deveriam ou não ir para a guerra. A segurança da nação dependia dos conselhos sábios que o monarca recebia. Nosso contexto é outro, mas há outras guerras sendo travadas. É a guerra contra as drogas, a imoralidade sexual, a violência, etc. Para sua segurança, tome conselhos sábios. Não se isole, mas ouça as pessoas que te amam e querem teu bem. Falando nisto, Deus é quem mais nos ama, por isso deixou a Sua Palavra, a Bíblia, para nos orientar (“Lâmpada para meus pés e a Tua Palavra e, luz para o meu caminho”. Salmo 119:105). 
      
Para findar, gostaria de deixar dois conselhos. Se você já crente no Senhor Jesus Cristo, aconselho-te a andar de modo digno da vocação a que você foi chamado, sem escândalo ao nome de Cristo. Mas, se você ainda não recebeu Cristo como teu Senhor e Salvador, aconselho-te a se prostrar diante Dele e pedir que mude teu coração para ser totalmente Dele. Desta maneira haverá sucesso espiritual e segura eterna para ti.  

Pr. José Roberto (João Pessoa)

SOCORRER