quarta-feira, 29 de outubro de 2014

SIGA-ME

Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me.

Mateus 16:24

Podemos presumir sobre a presença de Deus em nossas vidas. Podemos imaginar que, porque Jesus disse que estaria conosco para sempre, que Ele nos seguirá aonde quer que andemos (Mat 28:20). Jesus não nos segue; nós é que devemos seguir a Ele.

Você não convida Deus para se juntar às suas atividades. Ele lhe convida a se envolver na atividade dEle. Jesus disse “Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi” (João 15:16).

Seguindo Jesus requer obediência absoluta. Ele não procura o nosso conselho sobre qual direção nós achamos conveniente. Deus já sabe o que é melhor sem ter que nos consultar.

Seguindo Jesus lhe levará a experiências que você jamais imaginou. Você estará com Jesus enquanto ele chora por aqueles presos nas garras do pecado. Você sentirá a dor que Jesus sente. Você verá aqueles que estavam espiritualmente cegos experimentando a alegria de chegar a ver Deus pela primeira vez.

Você verá vidas destruídas, sendo restauradas. Você verá casamentos consertados; pessoas presas, libertadas; e aqueles que choram, sendo confortados. Às vezes será fácil seguir a Jesus.

Outras vezes, você será tentado a abandoná-lo. Seguindo Jesus pode significar passando por uma tempestade ou ficando em pé na montanha.

Pode ser que você tenha parado de seguir a Jesus, mas quer recomeçar. Quando você parou de seguir Jesus, você fez de acordo com seus planos. Mas, o retorno para Jesus é somente segundo as condições dEle.

Ele é Deus, e não você. Você está pronto a seguir a Jesus para onde, quando e sob quaisquer condições? Somente assim é que você pode segui-lo.

Do livro "Experiencing God Day by Day" (Experimentando Deus Dia Após Dia), de Henry Blackaby

NÃO PERMITIREI


terça-feira, 28 de outubro de 2014

VENTOS E TEMPESTADES

Um escritor inglês, do século passado, conta em uma de suas obras que na praia perto de sua casa, uma coisa muito interessante podia ser vista com frequência:

Um navio lançando a sua âncora no mar enfurecido. O navio dança sobre as ondas Parece estar sob o poder e à mercê delas. O vento e a água se combinam para fazer do navio o seu brinquedo. Parece que vai haver destruição; pois se o casco do navio for lançado sobre as rochas, será despedaçado.

Mas observamos que o navio mantém a sua posição. Embora à primeira vista parecesse um brinquedinho desamparado à mercê dos elementos, o navio não é vencido. Qual é o segredo da segurança deste navio? Como pode resistir às forças da natureza com tanta tranquilidade? Existe segurança para o navio no meio da tempestade porque ele está ancorado!

A corda à qual ele está amarrado não depende das águas, nem de qualquer outra coisa que flutue dentro delas. Ela as atravessa e está fixada no fundo sólido do mar. Não importa quão forte o vento sopre ou quão altas sejam as ondas do mar... A sua segurança depende da âncora que está imóvel no fundo do oceano.

Muitas vezes nos sentimos no meio de uma tormenta, sendo jogados pelas ondas da vida para cima e para baixo e açoitados pelo vento da adversidade. Parece-nos, às vezes, que não conseguiremos sobreviver a determinados períodos de nossas vidas.

Sem uma vida espiritual, a nossa vida é como um navio sacudido pelo mar enraivecido das circunstâncias incontroláveis da vida. Mas, confiando em Deus, experimentamos sua presença e amor como âncora da nossa vida. Nos sentimos encorajados e esperançosos. Essa esperança mantém segura e firme a nossa vida, assim como a âncora mantém seguro o barco.

L. R. Silvado

CAMINHAR NA TEMPESTADE


segunda-feira, 27 de outubro de 2014

TU ME AMAS?

"Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as cousas, tu sabes que eu te amo." 

João 21.17

Se você é um daqueles que têm de reconhecer e confessar: "Senhor, meu discipulado naufragou, eu fracassei miseravelmente", então você chegou ao ponto de ser chamado para o discipulado interior. O Senhor ressurreto está bem perto de você. Ele pode lhe dar um ministério bem claro e concreto antes de chamá-lo para O seguir. Depois da tripla afirmação de Pedro: "Senhor,... tu sabes que que eu te amo", o Senhor Jesus diz três vezes: "Apascenta os meus cordeiros... Pastoreia as minhas ovelhas... Apascenta as minhas ovelhas." Você, "Pedro" naufragado, que ama a Jesus: Ele tem um novo e concreto encargo para você: apascentar Seus cordeiros, Suas ovelhas! Juntos, procuremos as ovelhas perdidas, que "não são deste aprisco", e sirvamos ao Senhor com toda nossa prontidão. O encargo do Senhor "apascenta as minhas ovelhas" é uma mensagem de esperança para os desqualificados, para aqueles que desistem porque fracassaram, mas que amam a Jesus de verdade!

DISPOSTO A CAMINHAR


domingo, 26 de outubro de 2014

ELEIÇÃO NO BRASIL


A CEIA DO SENHOR

Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.

1 Coríntios 11:26

O Espírito Santo inspirou quatro homens para descrever a Ceia do Senhor: Mateus, Marcos, Lucas e Paulo. Quando unimos estes relatos vemos claramente quão grande é o privilégio que todos os filhos de Deus têm de celebrar essa Ceia durante a ausência de nosso Senhor.

Lucas descreve esta instituição da seguinte maneira: Jesus, "tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim" (22:19). Mediante o partir do pão, o Senhor Jesus queria ilustrar Sua morte por nós.

O Senhor deu graças antes de partir o pão. Isso nos indica que tal comida deve estar unida à gratidão e à adoração. Nosso coração poderia permanecer insensível e nossa boca muda quando nos lembramos dos sofrimentos, da morte e do inexplicável amor do Senhor?

Depois de cear, o Senhor Jesus tomou o cálice. Paulo o chama de "o cálice de bênção" (1 Coríntios 10:16). Isso significa que nossas bênçãos se devem ao sangue de Cristo vertido na cruz.

Por meio da instituição da Ceia, Jesus Cristo deu um impressionante testemunho de Seu grande amor. É a lembrança da morte de nosso Salvador. Para nós, é uma oportunidade especial de comemorarmos juntos Sua pessoa. Como Ele nos amou! Como Ele fez algo extraordinário, que ninguém mais poderia fazer! Como é inimaginável a posição para a qual Ele nos trouxe por Sua morte: a de filhos do Deus altíssimo!

http://www.apaz.com.br

sábado, 25 de outubro de 2014

CUMPLICIDADE


O TEMOR DO SENHOR

O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência. 

Provérbios 9:10

Pensamento: Procuramos muitas coisas, mas só uma traz a sabedoria. Paulo lembrou aos cristãos de Atenas que Deus nos fez para que O buscássemos e O achássemos (Atos 17). A sabedoria de Provérbios continua a nos levar de volta à ideia de "conhecer a Deus" e ter um temor profundo e reverente para com Ele como a fonte da sabedoria. O entendimento de prioridades, necessidades, propósitos, alvos, problemas e questões só pode ocorrer quando primeiro reconhecemos quem é o Senhor e O conhecemos nas nossas vidas diárias.

Oração: Santo, Majestoso, Justo e Eterno Deus. Confesso que lhe conheço muito menos do que o Senhor me conhece. Mas a sua fidelidade na minha vida, seu poder mostrado na história, sua graça compartilhada com tantos através da cruz de Cristo, e sua promessa para me levar para seu lar um dia ajudam a me sustentar. Quero conhecê-lo para que minha vida possa estar perdida na Sua vontade — não para a minha glória ou ganho, mas para o Seu louvor. Peço que o Senhor se faça conhecido para mim nas coisas que faço hoje. No nome de Jesus eu peço. Amém.

 http://www.iluminalma.com/

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

DESÂNIMO

Consoante uma fábula antiga, Satanás um dia fez uma liquidação, oferecendo à venda suas ferramentas. Estas se achavam expostas, trazendo cada uma seu rótulo: Ódio, inveja, malícia, ciúmes, doença, desespero, crime, etc. Um pouco à parte, encontrava-se uma ferramenta de aspecto inocente, em forma de cunha, com o rótulo: "Desânimo".
 
Estava já muito gasta, mas tinha marcado um preço muito mais alto que as outras, mostrando que era objeto de estimação.

Quando lhe perguntaram a razão de tão alto preço, Satanás respondeu:
"Esta ferramenta é a que eu uso com mais facilidade e mais eficazmente do que qualquer das outras, porque poucas pessoas sabem que ela me pertence. Com ela abro portas que não consigo abrir com outras; e uma vez dentro, posso usar qualquer ferramenta que eu escolha."

A DOR CAUSADA


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

A PERSPECTIVA DE DEUS

Gênesis mostra, através da história de José, DEUS operando por trás dos bastidores.

Se alguém teve um motivo válido para ficar decepcionado com DEUS, esse alguém foi José. Suas corajosas investidas, querendo fazer o bem, nada lhe proporcionaram senão problemas.

Fico imaginando se, enquanto José apodrecia num calabouço egípcio, não ocorreram à sua mente perguntas tais como – DEUS é injusto? Está calado? Escondido?

Mas, por um instante, volte-se para a perspectiva de DEUS. Foi de propósito que ELE “se retraiu” para permitir que a fé de José chegasse a um novo nível de maturidade? E poderia ser, por isso, que Gênesis dedica mais espaço a José do que a qualquer outra pessoa? Em meio a todas as suas tribulações, José aprendeu a confiar: não que DEUS impediria as dificuldades, mas, que ELE compensaria até mesmo as dificuldades. Reprimindo as lágrimas, José tentou explicar sua fé a seus irmãos assassinos – “Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém DEUS o tornou em bem…”

Visite o Site:http://salmo37.wordpress.com/

Philip Yancey, em “DECEPCIONADO COM DEUS”

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

CORAÇÕES DISTANTES

O ódio excita contendas, mas o amor cobre todas as transgressões.
Pv 10.12

Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos: Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?

— Gritamos porque perdemos a calma disse um deles.

— Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado? Questionou novamente o pensador.

— Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça, retrucou outro discípulo.

E o mestre volta a perguntar: Então não é possível falar-lhe em voz baixa?

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador. Então ele esclareceu:

— Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido? O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância. Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas? Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê? Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram. E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta. Seus corações se entendem. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas. Por fim, o pensador conclui, dizendo:

— Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta.

Anônimo

É UMA PENA


terça-feira, 21 de outubro de 2014

EM MEU CORAÇÃO

Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei.
 
Salmos 40:8

Pensamento: Muitos de nós somos paranoicos sobre a palavra "lei", e achamos difícil ouvir uma passagem como esta. Mas devemos reconhecer que o alvo da Nova aliança de graça e o dom do Espírito é que a lei de Deus seja escrita nos nossos corações e demonstrada nas nossas vidas. Deus não está preocupado que a lei seja escrita em pedra. Jeremias profetizou de tal dia quando o foco do povo de Deus seria seu desejo de fazer a vontade de Deus — uma paixão para amar as coisas que nosso Pai ama e odiar as coisas que Ele odeia.

Oração: Aba Pai, quero fazer a sua vontade. Quero agradá-lo, glorificá-lo e levar outros ao Senhor. Dê-me discernimento espiritual para saber qual é a sua vontade e coragem espiritual para realizá-la hoje. Quero que seu caráter e justiça informem meu coração quando estou sendo tentado por Satanás a não viver para o Senhor. Humilhe-me gentilmente quando estou errado ou perdido. No poderoso nome de Jesus eu oro. Amém.

http://www.iluminalma.com/dph/

UM CAMINHO A PERCORRER


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A MULHER E O GÊNIO

Havia uma mulher corcunda magoada com o mundo, que vivia magoada com seu terrível calombo nas costas. A mulher andava curvada, rastreando os cantos com seus olhos tristes, mal humorada, até que um dia encontrou um objeto mágico onde há séculos vivia um gênio, que se materializou na sua frente oferecendo-lhe quatros pedidos por sua libertação.

A mulher fez o primeiro: “Eu queria ter uma casa mais bonita do que a chata da Dona Maria, aquela mulher fofoqueira...”

Zás!!! Apareceu-lhe uma casa maravilhosa. 

Veio o segundo pedido: “Eu queria ter um carro muito mais bonito, possante e moderno do que o infeliz do Seu Zé.”

Zás!!!! Surgiu em sua frente um carro sensacional.

Assim fez o terceiro pedido: “Eu queria ter mais jóias do que a Dona Joana, aquela intragável.”

Zás!!! Apareceram-lhe jóias maravilhosas.

Foi a vez do quarto e último pedido: “Agora, gênio, eu quero que você realize meu último pedido: Que suma aquilo que traz as amarguras da minha vida, meu desgosto, meu maior defeito...”

E Zás!!!!... Sumiu-lhe a língua....

LUZ E TREVAS


domingo, 19 de outubro de 2014

NÃO TEMAS

"O desânimo é o anestésico que o diabo vos dá antes de vos tirar o coração." "Desalento é pecado."

Dizia João Wesley que aborrecia tanto o desanimar-se quanto praguejar ou jurar. Um cristão nunca devia desalentar-se.

Um rapazinho viu num jornal o anúncio "Precisa-se de um rapaz". Precisava daquele trabalho. Às 8 horas da manhã seguinte, lá estava ele na loja. Encontrou, porém, vinte outros rapazes na fila diante da porta. Desanimou-se?

Voltou para casa queixando-se: "Que oportunidade tem hoje um rapaz? Vinte para um emprego!? Não, aquele jovenzinho, não! Coisa alguma lhe podia extinguir a chama no coração. Que fez ele? Escreveu apressadamente um bilhete; correu depressa até à frente, e passou-o ao secretário, dizendo:

-  Quer ter a bondade de entregá-lo ao Chefe imediatamente? É muito importante que ele receba esta mensagem quanto antes."

Seu entusiasmo foi comunicativo. O secretário foi ter com o chefe, e disse:
- Há lá fora um rapazinho que diz ser muito importante que o senhor leia isto imediatamente.

Ele recebeu o bilhete, abriu-o e ali viu na caligrafia de um menino, estas palavras: "Sou o vigésimo garoto da fila. Não tome nenhuma decisão enquanto não me vir."

O chefe sorriu, releu, e levantou-se depois, dizendo:
- Gostarei de ver um rapaz assim. Não se desanimou com vinte outros em sua frente. Tem iniciativa.

Foi à porta da frente e começou a contar até vinte e um. E o número vinte e um obteve o emprego!

MIL ILUSTRAÇÕES

LUZ ACESSA


sábado, 18 de outubro de 2014

NEM TUDO QUE EU QUERO, EU POSSO - PARTE II

“Muitos de nós hoje só ouvimos a parte da frase que diz ‘tudo posso’. A sociedade Americana, com seu namoro com os ideais modernos e conceitos de progresso e realização, vende toneladas de livros e seminários diários em sessões lotadas sobre ‘como’ tudo podemos.

Mas, o foco de Paulo não é tanto nas realizações e habilidades, como se ele fosse de alguma forma superior ao homem comum; é mais sobre Cristo que lhe dá a força para ser fiel à vontade dEle. É aquele que me fortalece que merece o crédito e a glória.

Não é que Paulo não se importa com progresso, como ele indica em 1:25 (embora ele o define como o desenvolvimento de um caráter de servo e fé, não necessariamente proeza mental ou administrativa), mas que Cristo é quem dá a graça para tanto ‘progresso’ (1 Cor 15:10).”

Paulo tinha o dom de curar e curou muitas pessoas, chegando a curar todos numa ilha inteira (Atos 28:7-9). Mas, houve ocasião em que Paulo não pôde curar um discípulo próximo a ele, Trófimo (2 Tim 4:20). Tudo posso naquele que me fortalece? Sim, dentro dos limites que Deus estabelece e permite.

Paulo queria pregar o Evangelho na Ásia (Atos 16:6-7). Mas ele foi impedido de pregar lá e teve que viajar até a Macedônia para poder pregar onde Deus queria. Pregar era bom e necessário. Certamente Deus queria que o Evangelho fosse pregado na Ásia. Qual o problema em Paulo pregar na Ásia? Só Deus sabe, mas ele fechou aquela porta.

Haverá ocasiões em que vamos querer fazer coisas boas, até coisas para Deus, mas não conseguiremos, porque não será a vontade de Deus naquele momento, ou naquela situação, naquele lugar, ou com aquela pessoa. Tudo posso naquele que me fortalece? Sim, quando, como, aonde e com quem Deus quer. Mas, somente porque algo é bom, espiritual e para servir os outros, não quer dizer que Deus vai abençoar.

Podemos, então, dizer que O ponto de Filipenses 4:13 não é sobre as minhas realizações, e sim condições para o que Deus quer realizar através de mim ou dentro de mim. “Tudo posso naquele que me fortalece.” A grande questão não é se realmente posso TUDO. Talvez a pergunta mais importante é “para que” ele está me fortalecendo?

  “Já que com sua força humana caída ele foi um obstáculo para Cristo, Paulo aprendeu a regozijar na sua fraqueza para que a força de Cristo, e não a sua, fosse evidente (2 Cor 12:9-10). Deve ser notado também que este versículo não é a carta branca para obter ‘poder’ de Deus para realizar qualquer coisa que nós queiramos. Paulo recebeu de Cristo força interna impressionante para realizar a vontade de Cristo, não a sua (Efé 2:10; 3:16; Tito 2:11-12).”

Dennis Downing

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

NEM TUDO QUE EU QUERO, EU POSSO!

Um Cristão quer abrir uma pequena livraria para vender Bíblias e livros de estudo bíblico em seu bairro. Falta o dinheiro para comprar as mercadorias e pagar os primeiros meses de aluguel. Ele ora a Deus fervorosamente para Deus “abrir essa porta”.

Uma irmã quer começar uma obra de ajuda a crianças carentes num bairro perto do prédio da igreja. A liderança da igreja não a considera apta para esta obra, mas não tem outra pessoa que queira se envolver. Ela pede a Deus que Ele mude os corações dos líderes. Ela aguarda ansiosamente o dia em que vai começar a ajudar as crianças.

Outra irmã quer casar e ser missionária em Rondônia. Ela tem certeza que é a vontade de Deus e ora com plena convicção de que Deus vai conceder este pedido.

Todos estes discípulos são encorajados pelos irmãos próximos a eles. Em orações e bilhetes, em palavras e abraços, todos recebem o apoio de seus irmãos. E todos são fortalecidos com as palavras de Paulo – “tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4:13).

E não é isso mesmo que Paulo quis dizer? Ele não estava dizendo que, em tudo de bom que queremos fazer, Deus vai nos dar a força, a sabedoria, ou até os recursos financeiros necessários? É claro que deve ser algo segundo a vontade de Deus. Certamente não deve ser por motivos egoístas. Mas, se for algo de bom, para evangelizar, para edificar a igreja, para servir os outros, Deus promete nos dar tudo que precisamos. Não é isso que Paulo quis dizer?

Não. Não foi bem isso. Sabemos que não foi bem isso que Paulo quis dizer porque nos versículos antes e depois deste, o assunto que Paulo trata não tem nada a ver com obras ou realizações – o que está mais em pauta é a sobrevivência. Antes e depois Paulo fala de como aprendeu a ficar contente em situações diversas e adversas.

Paulo fala de como aprendeu a viver em “pobreza” (v. 11), “fartura e fome” e “abundância e escassez” (v. 12). Depois ele expressa a gratidão dele pela igreja de Filipos que o ajudara com suas “necessidades” (v. 16). Paulo não está relatando grandes conquistas e realizações. Ele está falando de como Deus lhe deu força para enfrentar algumas das situações mais difíceis da sua vida. Não devemos esquecer que quando Paulo escreveu estas palavras ele estava em cadeias (1:13,17), prisioneiro de um império brutal e autoritário.

A maior conquista que Deus deu a Paulo não foi algo que Deus fez por meio dele. Foi algo que Deus fez por dentro dele. O que chamou a atenção de Paulo não foi como Deus moveu montanhas por meio de suas orações, mas como Deus mudou seu coração por meio de Cristo habitando dentro dele.

Quanto a grandes conquistas ou respostas a oração, Paulo de fato havia visto como nem sempre Deus faz o que pedimos, mesmo quando é algo bom e para os outros. A Paulo, um homem de fé sincera e poderosa, foi negado algo bom e desejável que pediu ao Senhor – uma cura. Em 2 Coríntios 12:8-9 vimos que, apesar de toda sua fé e amor ao Senhor, Paulo não recebeu o que queria. Tudo posso naquele que me fortalece? Sim, se realmente for da vontade de Deus. 


Dennis Downing

COM O QUE DAMOS


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

AO MESTRE COM CARINHO

E aconteceu que, concluindo Jesus este discurso, a multidão se admirou da sua doutrina; Porquanto os ensinava como tendo autoridade; e não como os escribas. 

Mateus 7.28-29

Conheço pouca gente que não guarda com saudade ou gratidão lembranças de um professor. Alguém que marcou sua vida por seu modo cativante de ensinar e viver.

Jesus, quando andou neste mundo, influenciou muita gente pelo seu modo único de viver. A Bíblia diz que as pessoas o admiravam pelo seu modo de ensinar. E não foram poucas as pessoas que o consideravam Mestre.

O que Jesus, o maior dos mestre, nos diz sobre ensinar:

1. Que devemos ser sempre agradáveis ao que nos ouvem, mesmo quando temos que falar algo sério ou desagradável;

2. Que devemos falar com a autoridade necessária para que a mensagem alcance o objetivo a que se propõem.

3.  Que a simplicidade seja a primeira característica da mensagem, para que todo sejam alcançados por ela.

4. Que tudo seja feito com amor, respeito e alegria. 

Jesus se tornou um mestre para os seus ouvintes porque ele alcançou o coração das pessoas e sua mensagem era baseada no amor.

Parabéns a todos os professores! Sem esquecer o Maior dos Mestres: Jesus!

Fandermiler Freitas

PROFESSOR


terça-feira, 14 de outubro de 2014

A VITÓRIA DO MESTRE

"Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé."  

1 Pedro 5.8-9

A exortação de Pedro diz que devemos ser sóbrios e vigilantes, até mesmo se estamos sempre confirmando a vitória de Jesus. Paulo diz exatamente o mesmo em Efésios 6.10-11. Ele não diz que devemos lutar contra os ataques astutos do inimigo, antes pelo contrário, que devemos nos tornar fortes no Senhor. Negamos o combate da fé? Não! Mas não lutamos para alcançar a vitória, lutamos a partir da vitória alcançada por Jesus! Talvez agora alguém possa retrucar: se Satanás de fato foi vencido, como então ele ainda pode estar tão atuante?

1. Porque a vitória do Senhor Jesus Cristo tem que ser colocada à prova diante do mundo visível e invisível por meio daqueles que creem em Jesus Cristo.

2. Porque a pessoa só pode ser salva com base em sua livre decisão. Ela deve escolher entre Jesus e Satanás, entre luz e trevas, entre vida e morte.

3. Porque o Deus soberano e santo não tem necessidade de oprimir as trevas pela força. Pois pura e simplesmente a presença de Deus e o dom do Seu amor, Jesus Cristo, que, como a luz do mundo, reconciliou o mundo com Deus, tirou o poder de Satanás!

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

O JEITINHO DO DIABO

O Diabo o levou a um lugar alto e mostrou-lhe num relance todos os reinos do mundo. E lhe disse: “Eu te darei toda a autoridade sobre eles e todo o seu esplendor, porque me foram dados e posso dá-los a quem eu quiser. Então, se me adorares, tudo será teu”.

Jesus respondeu: “Está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus, e só a ele preste culto’”.
Lucas 4:5-8

Jesus veio estabelecer seu Reino aqui na terra. A segunda tentação era de fazer isso pelo caminho curto.

A essência desta tentação é a de que o fim justifica os meios. Se o nosso alvo ou projeto é bom ou importante, seremos eventualmente tentados a dar um "jeitinho" nos obstáculos ou barreiras.

Um exagero aqui ou omissão acolá. Algo emprestado sem permissão ou uma "mentirinha" podem ajudar a alcançar o alvo.

No entanto, naquele passo já começamos a desvirtuar o que poderia ser obra de Deus. Ela se torna feito do inimigo.

Há obras que parecem de grande importância no Reino de Deus, mas, que acabam impedindo a vontade dEle justamente pelos meios que nós usamos.

Os meios legítimos e verdadeiros são muito mais demorados e cansativos. Seu preço às vezes é muito alto. Mas, só eles trazem glória ao Único que merece.

O "culto racional" do crente (Rom 12:1) é uma vida regida pela vontade do Senhor em tudo: motivos, meios e metas. Pode haver caminhos mais curtos, mas, somente um leva ao céu. Foi este que Jesus escolheu.

Sejam quais forem os desafios que você enfrentará hoje ou em breve, escolha o meio que glorifique a Deus. Este é o caminho que levará para onde você quer ir.

Pai Santo, ajude-nos a ficarmos atentos e purificar tudo: motivos, meios e metas. Que o Senhor seja glorificado em tudo que fazemos e tudo que somos. Que nosso caminho seja sempre um - nos passos do nosso Salvador. Em nome de Jesus oramos. Amém.

A VIDA É PERFEITA


domingo, 12 de outubro de 2014

FAÇA-ME UM FAVOR

Era uma radiosa manhã de primavera. O sol brilhante iluminava as ruas estreitas e pitorescas de Florença, projetando uma profusão de luz no gabinete de trabalho de um dos mais famosos pintores de Toscana, André Verrocchio. Um rapaz muito pálido, curvado sobre seu cavalete, parecia completamente absorvido no trabalho. Sua nobre flauta era envolta por densa nuvem de tristeza.

De repente o jovem pintor foi interrompido. Uma mulher idosa, entrando no aposento, lhe disse com voz cheia de emoção:

- Meu filho, o mestre deseja vê-lo. Vá logo ter com ele.

Imediatamente, Leonardo deixou a palheta e os pincéis, e dirigiu-se
ao quarto do seu venerando mestre, que se encontrava entre a vida e a morte.
- Leonardo, disse-lhe o doente, com voz muito sumida, estou prestes a morrer; quer fazer-me um favor? É o último pedido que lhe faço.
 
O jovem ajoelhou-se junto do leito de seu mestre, tomou entre as suas mãos a mão trêmula que se lhe estendia e respondeu com forte emoção:
 
- Meu mestre, para satisfazer um desejo seu eu irei aonde você quiser e tudo farei; não há sacrifício algum que me pareça grande demais, se eu o fizer pelo amor que tenho a você.
 
O doente fixou os olhos baços, durante algum tempo, nos de seu discípulo e depois disse:
 
-    Leonardo, o trabalho que eu comecei para o altar do claustro de São João, você poderá acabá-lo por mim?
 
Leonardo baixou os olhos e, depois de alguns instantes, disse:
 
- Mestre, não sou capaz, absolutamente não sou capaz! Eu estragarei a sua obra se nela tocar.

Verrochio sorriu e disse com voz calma e nítida:
 
- Não, meu filho, faça o melhor que puder. Trabalha por amor a mim. A pintura precisa de ser acabada e você podes fazê-lo.
 
A tarde descia com suas sombras melancólicas. De uma pobre casebre de Florença começou a subir para o céu a súplica de um coração ardente: "Meu Deus, dizia Leonardo - porque era ele que se encontrava de joelhos - ajuda-me por amor de meu mestre a fazer o melhor que eu puder! Não sou digno dessa obra, bem o sei, mas auxilia-me por amor dele."
 
Passou-se um mês - período de sérias aflições para o jovem artista
 
- Pois ele sentia que a hora da partida de seu mestre se aproximava rapidamente. Afinal concluiu a pintura e apresentou-a ao doente, dizendo:
 
- Eu fiz o que pude, meu mestre, e tudo por amor a você!
Com grande admiração o bom velho, derramando lágrimas, respondeu-lhe, agitado por grande emoção:
 
- Meu filho, meu filho, você triunfou, e muito bem. Não preciso voltar mais ao trabalho e Florença orgulhar-se-á um dia do nome de Leonardo da Vinci! - Respigando

sábado, 11 de outubro de 2014

ROSA BONHEUR E SEU LEÃO

Poucos há que não tenham visto alguns dos lindos quadros da pintora Rosa Bonheur, cuja especialidade era pintar animais.

Rosa possuía um leão domesticado, ao qual deu o nome de Nero, e que lhe era muito manso e dócil. Um dia Rosa teve de ausentar-se de Paris, onde morava, e assim mandou Nero para o Jardim Zoológico, certa de que lá iria ser bem tratado. Depois de viajar dois anos, voltou e foi ver seu querido leão. Para sua tristeza, encontrou-o muito doente e cego. Ali estava deitado sozinho a um canto, quando sua dona lhe disse: "Nero!" O pobre animar saltou imediatamente e, com grande rugido de contentamento, correu com tanta força em direção de Rosa que, batendo contra as grades da jaula, caiu atordoado. Rosa tomou seu fiel amigo e o levou para casa, cuidando dele até à morte.

Quando o grande leão estava a morrer, nos braços de sua dona, com a língua, áspera como um ralo, lambia debilmente as mãos bondosas de Rosa, segurando-as firmemente com as garras, em sua agonia mortal. Com essa derradeira carícia, parecia dizer: "Não me abandone!" Assim o amor amansa até as criaturas mais ferozes. - Dumb Animals

OBJETIVO DA VIDA


sexta-feira, 10 de outubro de 2014

ELE FEZ O QUE PODIA

Durante a Segunda Guerra Mundial, Oscar Schindler entrou para os anais da história por algumas coisas que fez. Mulherengo e beberrão, subornava os membros do partido nazista, e, no entanto, escondia no fundo de seu coração uma pérola preciosa, que era sua compaixão pelos judeus condenados de Krakow na Polônia.

Aqueles que Hitler perseguia para matar, Schindler os empregava na fábrica para salvar. Ele não podia salvar a todos, apenas alguns, por isso fez o que podia. Aquela que seria uma fábrica que lhe daria muitos lucros, tornou-se um refúgio para mil e cem afortunadas almas, cujos nomes ele escreveu em sua lista — a lista de Schindler.

Se você viu o filme com este título, se lembrará do final da história. Com a derrota dos nazistas a coisa mudou de rumo. Agora Schindler era caçado, e os prisioneiros libertados. Temendo ser preso, tentou escapar furtivamente durante a noite, mas ao aproximar-se de seu automóvel, Oscar Schindler fica surpreso com o que vê: os trabalhadores de sua fábrica estão postos alinhados nos dois lados da rua. Estavam ali para agradecer ao homem que salvou suas vidas. Um dos judeus entrega a Schindler uma carta de agradecimento elogiando-o por seu esforço em salvá-los, assinada por cada pessoa sobrevivente. Recebe também de presente um anel feito do ouro, retirado do dente de um dos trabalhadores. No anel, os trabalhadores esculpiram uma frase do Talmude: "Aquele que salva uma única vida, salva o mundo todo".

Naquele momento, no ar frio da noite Polonesa, Schindler é cercado pelos judeus libertados. Ali, diante dele, fila após fila de rostos alegres, maridos e esposas, pais e filhos, reconhecem o que Schindler fez por eles, e sabem que jamais esquecerão tudo aquilo!

O que se passou na mente de Schindler naquele momento? Que emoções vêm à mente de uma pessoa quando está face a face com aqueles que ela salvou da morte?

Um dia descobriremos. Schindler contemplou diante de si o rosto daqueles que ele salvou; nós também passaremos pela experiência. Schindler ouviu satisfeito e emocionado a gratidão daquelas pessoas; nós passaremos pela mesma experiência. Ele deparou-se diante de um grupo de redimidos; nós teremos a mesma experiência diante de Jesus Cristo.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

AS DUAS MOEDAS

Um jovem, estudante em uma das universidades, foi um dia dar um passeio com um professor, que era comumente chamado de amigo pelos alunos, isso por conta de sua bondade para com aqueles que esperaram por suas instruções.

Andando juntos viram deitado no caminho de um par de sapatos velhos, que supostamente pertencia a um homem pobre que trabalhava em um campo por perto, e que tinha quase terminado seu trabalho diário.

O aluno virou-se para o professor, dizendo: “Vamos fazer uma pegadinha sem maldade com o homem:. Vamos esconder seus sapatos, e esconder-nos atrás dos arbustos, e esperar para ver a sua perplexidade quando ele não encontrá-los”

“Meu jovem amigo”, respondeu o professor, “nunca devemos nos divertir à custa dos pobres. Mas você é rico e pode dar-se um prazer muito maior por meio deste pobre homem. Coloque uma moeda em cada sapato, e depois vamos nos esconder e ver como isso afeta-lo. “

O aluno fez isso e ambos se colocaram atrás dos arbustos. O pobre homem logo terminou seu trabalho, saiu do campo para o caminho onde ele havia deixado seu casaco e sapatos.

Depois de colocar o casaco, ele enfiou o pé em um de seus sapatos, mas sentindo algo duro, ele abaixou-se para ver o que era, e encontrou a moeda. Espanto e admiração eram vistos em seu rosto. Ele contemplava a moeda, virou-as várias vezes olhando sempre para ela.

Ele então olhou em volta para todos os lados, mas não viu pessoa alguma. Depois ele colocou o dinheiro no bolso, e começou a colocar o outro sapato, mas sua surpresa foi dobrada ao encontrar a outra moeda.

Seus sentimentos venceram, ele caiu de joelhos, olhou para o céu e pronunciou em voz alta um fervoroso agradecimento em que falou de sua esposa que estava doente e indefeso, e seus filhos sem pão, a quem esta graça oportuna, de alguma mão desconhecida , pouparia de perecer.

O estudante ficou lá profundamente afetado, e seus olhos se encheram de lágrimas. ”Agora”, disse o professor, não está muito mais satisfeito do que se tivesse feito a brincadeira maldosa? “

O jovem respondeu: “Você me ensinou uma lição que jamais esquecerei. Sinto agora a verdade das palavras, que eu nunca havia compreendido antes:.” É mais abençoado dar do que receber “.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

O PODER DO AMOR

Um garotinho de quatro anos de idade foi levado, das favelas de Chicago, para um orfanato. Depois de lhe haverem dado o banho e o terem aprontado para ir para a cama, à noite, quando a empregada lhe indicou o leito alvo e macio, erguendo os lençóis limpos e convidativos, ele fez um gesto de espanto, dizendo:

– A senhora quer que eu entre aí? Pra quê?
 
Claro, pois é aqui que você vai dormir!

O pequeno arregalou os olhos. A ideia de dormir num lugar desses era para ele compreender. Nunca em toda sua vida, dormira em uma cama.

Foi posto carinhosamente no leito e a empregada lhe deu o boa noite com um beijo. E aquele pedacinho de dente tirou a mão de debaixo das cobertas e esfregou na face, para enxugar o beijo.
 
Por que a senhora fez isso? - perguntou intrigado.
 
Mas na manhã seguinte se achegou para a empregada e lhe pediu:
 
A senhora não quer fazer aquilo de novo - aquilo que me fez ontem à noite?
Nunca dantes recebera um beijo, nem sabia da existência de tal expressão de afeto.
 
Uma semana depois, o garoto vinha para junto dela três ou quatro vezes ao dia e, com expressão de doçura, rogava: A senhora me quer amar um pouco?
 
Algumas semanas depois chegou ao orfanato uma senhora, desejosa de adotar um órfãozinho como filho, de maneira que a empregada lhe trouxe aquele garotinho. A senhora, fitando-o, disse:
 
Tomazinho, você não gostaria de ir para minha casa? Ele ficou olhando para o chão. Tornou ela: - Eu lhe darei um cavalinho e uma porção de brinquedos, e você terá um tempo divertido, e lhe darei muitos passatempos interessantes.
 
O pequeno continuou fitando o chão, sem dar nenhuma atenção à senhora. Esta continuou falando, procurando persuadi-lo, e por fim o pequeno lhe fitou o rosto e disse:
 
A senhora vai me amar, também?
 
Digo-lhes, amigos, há nesta historinha muito de patético, que nos fala eloquentemente do poder do amor.

1001 Illustrations.

SER FELIZ


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

NÃO, UMA BÊNÇÃO DISFARÇADA

"e tendo chegado diante da Mísia, tentavam ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não lho permitiu. Então, passando pela Mísia, desceram a Trôade. De noite apareceu a Paulo esta visão: estava ali em pé um homem da Macedônia, que lhe rogava: Passa à Macedônia e ajuda-nos. E quando ele teve esta visão, procurávamos logo partir para a Macedônia, concluindo que Deus nos havia chamado para lhes anunciarmos o evangelho" (Atos 16:7-10).

Muitas vezes, com certeza, já ouvimos, de algum amigo, a frase: "Eu espero que você consiga exatamente o que quer". Será que já paramos para refletir sobre ela? Estamos, constantemente, desejando coisas de que não necessitamos ou que não são boas para nós. "Nossos olhos são maiores do que nossos estômagos".

O "não" de Deus frequentemente é uma bênção disfarçada e pode levar a uma missão maior, como o apóstolo Paulo descobriu ao receber o chamado do homem da Macedônia.

Como reagimos ao ouvir um "não" em nossas pretensões? Fechamos o semblante? Murmuramos por mais um fracasso? Deixamos transparecer nosso mau-humor culpando a todos pela nossa frustração?

Muitas vezes esse "não" tem sabor de vitória. Ele pode valer muito mais do que um "sim". Ele pode ser o primeiro passo para uma grande conquista. Quando o "não" vem do Senhor, devemos sorrir e cantar porque Ele terá algo maior e mais grandioso para nós. Basta apenas que confiemos nEle, que saibamos compreender o que realmente deseja e aguardar as maravilhas que seguirão a esse "não" abençoado.

O segredo para uma vida abundante e feliz é esperar sempre a vontade de Deus. Se vivermos dessa maneira, tanto o "sim" como o "não" terão o mesmo valor e trarão o mesmo regozijo para o nosso coração.

Você murmura quando Deus responde "não" ou agradece a Ele por mostrar-lhe que seu propósito estava equivocado?

Paulo Roberto
http://www.iluminalma.com

QUEM SABE DIZER


domingo, 5 de outubro de 2014

VENDENDO O VOTO

Então, um dos doze, chamado Judas Iscariotes, indo ter com os principais sacerdotes, propôs: Que me quereis dar, e eu vo-lo entregarei? E pagaram-lhe trinta moedas de prata.

Mt. 26.14-15 
 
Vivemos um momento especial. Época de eleição. Estamos prestes a decidir que país queremos para os próximos quatro anos. É o momento de pedirmos orientação a Deus na escolha de homens sábios e compromissados. Diz a Bíblia que feliz a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para sua herança.
 
As pessoas escolhem seus candidatos de diferentes maneiras: afinidade, interesse, amizade e outros como Judas: que me quereis dar? Judas trocou Jesus por 30 moedas. O triste disso tudo é que ele se vendeu e destruiu seu futuro por algumas moedas.
 
O mesmo acontece hoje, muitos vendem à consciência, o direito, a responsabilidade, o futuro, a esperança por algum favor. O voto tornou-se material de troca. E todo mundo acha isso normal. Mas Deus diz Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal.

E o mais dolorido é que mesmo entre os que se chamam cristão isso é natural. Se você foi lavado pelo sangue de Jesus sua vida é do Mestre. A Ele pertence seus bens, inclusive seu voto.
 
Peça orientação ao Pai e O ouça. Deus nos chamou a ser luz e sal. Ele espera que sejamos diferente. Neste domingo, vote segundo o princípio bíblico.

Boa escolha!!!!!

Fandermiler Freitas

A MAIORIA PODE ERRAR


sábado, 4 de outubro de 2014

GASTAR DINHEIRO NA ELEIÇÃO


ELEITOS

"Do SENHOR vem a salvação."

Jonas 2:9

Certa vez Deus disse a Moisés: "Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão." A compaixão de Deus não depende de quem a recebe ou de quem a busca, mas exclusivamente de Ele a dar. (Rm 9.15-16).

Eleição significa "escolher ou selecionar". Quando o Espírito de Deus toca na alma, coração e espírito do homem e ele entende a verdade de Deus, passando a viver uma vida com Deus, foi eleito por Deus.

Por isso o apóstolo Paulo declara: "Pela graça sois salvos". Isso significa que ninguém pode fazer nada para ser salvo. Jesus explicou como isso acontece - convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não creem em mim.

Só o Espírito de Deus pode convencer o homem a crer na Bíblia e acreditar no Evangelho. E está é a condição básica para ser filho de Deus - Crê no Senhor Jesus e serás salvo. Se você tem Jesus na sua vida, lembre-se: você é um eleito de Deus e não é para um pleito de 4 anos, mas para toda a eternidade.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

IGREJA SOB RISCO II

“Mas olhai por vós mesmos, porque vos entregarão aos concílios e às sinagogas; e sereis açoitados e sereis apresentados perante presidentes e reis, por amor de mim, para lhes servir de testemunho, E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas que perseverar até o fim, esse será salvo” 

Marcos 13: 9 e 13

A Bíblia diz que no fim dos tempos os filhos de Deus serão perseguidos e odiados. Veja aqui abaixo alguns projetos de lei, que SE APROVADOS, impedirão a nossa ação a favor do Evangelho no Brasil.

Mudanças no texto da Constituição que garantem a liberdade de culto. Se aprovadas, fica proibido culto fora das igrejas (evangelismo de rua), cultos religiosos só com portas fechadas.

 1. Projeto nº 4.720/03 – Altera a legislação do 'imposto de renda' das pessoas jurídicas.

2. Projeto nº 3.331/04 – Altera o artigo 12 da Lei nº 9.250/95, que trata da legislação do imposto de renda das 'pessoas físicas'.

Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições.

3. Projeto nº 299/99 – Altera o código brasileiro de telecomunicações (Lei 4.117/62).

Se aprovado, reduziria programas evangélicos no rádio e televisão a apenas uma hora.

4. Projeto nº6.398/05 – Regulamenta a profissão de Jornalista

Contém artigos que estabelecem que só poderá fazer programas de rádio e televisão, pessoas com formação em JORNALISMO, Significa que pastores sem a formação em jornalismo não poderão fazer programas através desses meios.
 
5. Projeto nº 1.154/03 – Proíbe veiculação de programas em que o teor seja considerado preconceito religioso.

Se aprovado, será considerado crime pregar sobre idolatria, feitiçaria e rituais satânicos. Será proibido que mensagens sobre essas práticas sejam veiculadas no rádio, televisão, jornais e internet.
 
6. Projeto nº 952/03 – Estabelece que é crime atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa-fé das pessoas.
 
Convertido em Lei, pelo número de reclamações, pastores serão considerados 'criminosos' por pregarem sobre dízimos e ofertas.
 
7. Projeto nº 4.270/04[/b] – Determina que comentários feitos contra ações praticadas por grupos religiosos possam ser passíveis de ação civil.
 
Se convertido em Lei, as Igrejas Evangélicas ficariam proibidas de pregar sobre práticas condenadas pela Bíblia Sagrada, como espiritismo, feitiçaria, idolatria e outras. Se o fizerem, não terão direito a se defender por meio de ação judicial.
 
8. Projeto de nº 216/04[/b] – Torna inelegível a função religiosa com a governamental.
 
Significa que todo pastor ou líder religioso lançado a candidaturas para qualquer cargo político, não poderá de forma alguma exercer trabalhos na igreja.

Existem outros projetos em andamento, entre eles:
Casamento de homens com homens e mulheres com mulheres.
Estabelecer um dia oficial do 'Orgulho Gay' em todas as cidades brasileiras, entre outros.

O BRASIL É DO SENHOR JESUS CRISTO!!!
Estamos fazendo a nossa parte,
faça também a sua!!!

Comunidade Evangélica Herdeiros da Promessa Divina. – “Uma Igreja com visão de Águia”.
Pastor Eder Galhardo e Equipe.
www.pastoredergalhardo.com
Terra do Avivamento

ELEIÇÃO


quinta-feira, 2 de outubro de 2014

IGREJA SOB RISCO

A fé cristã está sob risco no Brasil. Este é o alerta proclamado por líderes religiosos, igrejas, entidades cristãs, organizações confessionais e milhões de pessoas para quem, em um futuro próximo, as liberdades individuais – aí incluída a religiosa, insculpida como direito fundamental no artigo 5º da Constituição –, podem ser severamente afetadas. Não se trata do risco de uma ruptura institucional, como uma revolução, ou a possibilidade de guinada rumo a um regime avesso ao Cristianismo, como o foi o comunismo ao longo de boa parte do século 20. Não; as mudanças que têm ocorrido são perfeitamente legais, já que baseadas em processos legislativos previstos no Estado democrático de Direito. É aí que mora o perigo. Atualmente, tramitam no Congresso Nacional e em diversas Casas parlamentares estaduais e municipais uma série de projetos que, à primeira vista, visam apenas a promover o desenvolvimento de uma sociedade mais justa, pluralista e laica. Porém, alguns desses dispositivos podem não só interferir na expressão individual da fé como flexibilizar questões polêmicas para os cristãos, como a prática do aborto e o consumo de entorpecentes, além de introduzir novos entendimentos da ideia de família, dignidade humana e ética cristã – alguns dos quais, inconciliáveis com a Palavra de Deus.

A coisa não para por aí. O conjunto de projetos, propostas e substitutivos legais em tramitação nos Legislativos federal, estaduais e municipais mostra que o funcionamento das instituições religiosas também pode sofrer alterações, sobretudo em relação ao controle sobre os valores arrecadados e o uso desses recursos. As preocupações aumentaram a partir da tramitação do Projeto de Lei (PL) 122/06, a famigerada lei anti-homofobia, que acendeu a centelha de temores em amplos setores católicos e evangélicos. No texto original, ao tipificar como crime o cerceamento das liberdades da pessoa homossexual, a proposta abria margem para que um gay pudesse exigir de um pastor ou padre ser batizado, casado e recebido como membro da comunidade cristã nessa condição, ainda que isso contrarie os princípios da instituição. Os ministros poderiam ser processados, caso suas prédicas contra a homossexualidade fossem consideradas discriminatórias, ainda que baseadas na própria fé e moral cristã.

No dia 20 de novembro, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal votaria o substitutivo apresentado pelo relator da matéria, o senador gaúcho Paulo Paim, do PT. Com a sala lotada de pastores, representantes de entidades religiosas e políticos evangélicos, a proposta foi retirada de pauta. Houve um acordo entre Paim e as lideranças religiosas para tentar um maior entendimento em torno do texto final. É algo que parece impossível de se conseguir. Em tramitação há mais de 12 anos, o projeto, originado da Câmara dos Deputados, é uma amostra da queda-de-braço entre o segmento religioso e o Legislativo quando o assunto são temas ligados à moral e aos costumes. Tem sido assim desde que a Igreja começou a assumir destaque como ator político, a partir da Assembleia Nacional Constituinte de 1986. Organizados em bancadas religiosas suprapartidárias, parlamentares evangélicos e católicos deixam de lado suas diferenças teológicas para atuar em uma convergência de interesses.

Variadas esferas da vida pública têm sido afetadas nos últimos anos por uma série de iniciativas. A questão dos direitos e liberdades individuais e coletivos, por exemplo. Nas grandes cidades brasileiras, antigas práticas evangelísticas, como cultos ao ar livre e a simples distribuição de folhetos, têm sido cerceadas em nome de ordenamentos municipais. Já não se permite, nos trens suburbanos do Rio de Janeiro, a pregação da Palavra de Deus, sob a justificativa de que provoca incômodo e "constrangimento" aos adeptos de outros credos. "Existe um patrulhamento ideológico difuso, incentivado, por um lado, pelo Estado; e por outro, por setores organizados da sociedade, notadamente antipáticos ao Cristianismo", aponta o teólogo Paschoal Augusto Rheinner, membro da Igreja Metodista em Porto Alegre (RS), onde exerce o magistério cristão. Para ele, essa tendência tem se acentuado nos últimos anos. "Ao mesmo tempo em que o país desperta para agendas positivas, como o combate à discriminação de minorias e a valorização dos direitos humanos, ocorre um retrocesso quando vemos os poderes constituídos se envolvendo em questões que não lhe competem."

- See more at: http://searanews.com.br/a-igreja-sob-risco/#sthash.ywDFrYrU.dpuf

FELICIDADE

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

EM QUEM VOCÊ VAI VOTAR

E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinquenta, e maiorais de dez;

Êxodo 18:21

Essa foi a ordem de Deus a Moisés para a formação de um grupo capaz de julgar questões de ordem social, criminal, religiosas e morais, com o intuito de que houvesse paz, harmonia justiça e prosperidade em Israel.

Nos dias de hoje, todo cidadão que vive em uma democracia tem o direito de votar em seus representantes - os homens responsáveis para julgar o povo, criar as leis e trabalhar o social. O problemas é que, às vezes, os eleitos não correspondem as expectativas dos eleitores e, em vez, de serem bênção, se tornam problemas.

A Bíblia nos aconselha a buscar entre os muitos que se apresentam àqueles que são:

1. Capazes - que tem a capacidade física, psicológicas, morais e éticas para lhe representar.

2. Tementes a Deus - que tenham o temor de Deus em sua vida e que sejam homens compromissados com a Palavra de Deus. 

3. Homens de verdade, que odeiem a avareza - homens e mulheres que não sejam movidos pela ganância e que não enxerguem na política apenas a oportunidade de se dar bem na vida.

O povo de Deus precisa ter cuidado. O seu voto é importantíssimo para o futuro que a Igreja sonha. Quando os nossos líderes estão longe de Deus o povo sofre, a igrejas é atacada e as questões morais são abolidas.

Que nesta eleições votemos como um filho de Deus.

Fandermiler Freitas