sexta-feira, 29 de novembro de 2013

AS LIÇÕES DO CARVALHO

Você conhece uma árvore chamada de CARVALHO. Pois é, essa arvore é usada pelos botânicos e geólogos como um medidor de catástrofes naturais do ambiente.

Quando querem saber o índice de temporais e tempestades ocorrentes numa determinada floresta eles observam logo o carvalho (existindo no local, é claro) que naturalmente é a árvore que mais absorve as conseqüências de tempestades e temporais.

Quanto mais temporais e tempestades o carvalho enfrenta, mais forte ele fica! Suas raízes naturalmente se aprofundam mais na terra e seu caule se torna mais robusto, sendo impossível uma tempestade arrancá-lo do solo ou derrubá-lo! Mas não pense que os cientistas precisam fazer estas análises todas para saber isso! Basta apenas eles olharem para o carvalho. Devido a absorver as conseqüências das tempestades, a robusta árvore assume uma aparência disforme, como se realmente tivesse feito muita força, muitas vezes uma aparência triste!!!!!!!

Cada tempestade para um carvalho é mais um desafio a ser vencido e não uma ameaça! Numa grande tempestade muitas árvores são arrancadas mas o carvalho permanece firme!!! Assim somos nós. Devemos tirar proveito das situações contrárias à nossa vida e ficarmos mais fortes! Um pouco marcado, Muitas vezes com a aparência abatida, mas fortes!!!! Com raízes bem firmes e profundas na terra!

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

SALVO PELA ESPERANÇA

"Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus." 

Tito 2: 13

Stein Gabrielson, 23 anos de idade, permaneceu no deck do cargueiro norueguês Norse Variant e ficou vendo a costa da Virgínia ir-se afastando. Era uma tarde de quarta-feira, 21 de março de 1973.

Se tivesse sorte alcançaria Glásgua com sua carga de carvão em poucos dias. Mas o carvão jamais chegou a Glásgua. Na manhã seguinte um furacão fez soçobrar o navio, partindo-o em pedaços.

“Os botes salva-vidas! " o capitão Hansen gritou, "soltem-nos e saltem para fora na água!" Enquanto o capitão dava a ordem, uma onda gigantesca se abateu contra o navio e este afundou.

A sucção do navio que afundava levou Stein para as profundezas.
Mas com o diminuir o efeito da sucção ele conseguiu chegar à superfície, sendo jogado de um lado para outro como um pedaço de cortiça.

Miraculosamente um bote salva-vidas passou por perto e Stein subiu nele. Ventos com velocidade igual a cento e sessenta quilômetros por hora e ondas de incomensurável altura tornavam praticamente impossível a existência de sobreviventes. Stein esperava que a Guarda Costeira o encontrasse daí a poucas horas.

Pela parte da manhã de sábado Stein estava exausto. Estivera sem dormir durante dois dias completos. Ele desejara dormir, mas a esperança de salvamento manteve-o acordado até a manhã seguinte, quando finalmente chegou o auxílio. Ele havia estado sem alimento, sem água, e sem dormir por umas 70 horas. Havia lutado contra os ventos, as ondas, as baixas temperaturas, e a neve que caía. Nenhuma pessoa teria sobrevivido, mas Stein conseguiu-o. Ele foi salvo pela esperança.

No tempo de angústia que está para sobrevir a este mundo antes da volta de Jesus, ocorrerão experiências similares a de Stein. A sobrevivência parecerá impossível. Poderosas ondas de dúvidas assaltarão a cada um. "Estão todos os meus pecados confessados e perdoados?" você se perguntará. Nessa hora você será salvo do desencorajamento pela fé nas promessas de Deus e na esperança de Sua vinda.

Uma tempestade de forças como de furacões está prestes a se abater sobre este mundo. Você está preparado? Deus dá a você hoje a oportunidade de se preparar. As promessas que você aprende agora servirão como salva-vidas naquela hora e lhe darão esperança.

Sare En Kom Tilbake, Reader's Digest, maio de 1976, págs. 106-112.

EVITAR CRÍTICAS


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

UMA GROSSA BAGUNÇA

"Digo ao SENHOR: Tu és o meu Senhor; outro bem não possuo, senão a ti somente" 

Salmos 16:2

Um pequeno menino, certa noite, orou: "Querido Deus, espero que Você cuide bem de Você mesmo. Se acontecer alguma coisa com Você, todos nós estaremos metidos em uma grande e grossa bagunça!"

Apesar da ingenuidade do menino, ele falou uma coisa muito certa. Todos nós dependemos de Deus para tudo e, sem Ele ou sem Sua direção, nada podemos fazer, nenhuma decisão conseguiremos tomar e a lugar nenhum poderemos ir.

Sem Deus em nossas vidas não existe o verdadeiro amor. Sem a Sua graça e unção, não temos esperança ou fé. Sem a Sua proteção, não desfrutamos a verdadeira e tranquila paz.

Sem Deus não teríamos a bênção de um Salvador, as consolações do Espírito Santo, a certeza de que um lar está preparado no Céu para vivermos eternamente. Sem ele em nossos corações, sentimo-nos vazios e fracos, caminhamos desorientados e sem objetivos.

Existem muitas pessoas que vivem com a vida bagunçada, com a fé deteriorada, com as esperanças desfalecidas, com a felicidade arruinada. O que lhes falta? Uma vida consolidada no altar do Senhor, uma entrega total, uma confiança inabalável, virar as costas para as coisas fúteis do mundo a fim de poder olhar somente para Jesus.

Se queremos acabar com a bagunça e ter uma casa espiritual limpa e arrumada, precisamos abrir o coração para Cristo, deixá-Lo dirigir cada um de nossos dias, alegrar-nos ao fazer a Sua vontade.

Como disse aquele pequeno menino em oração, sem o Senhor você só terá bagunça em sua vida espiritual.

Paulo Roberto Barbosa

domingo, 24 de novembro de 2013

O MAIS ESCURO DOS DIAS

"Mas Ele foi traspassado pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades;... e pelas Suas pisaduras fomos sarados."

Isaías 53:5.

Para muitos que estava observando, este foi o dia mais inesquecível da vida. Para a figura central do drama foi um dia de agonia e horror. Para os amigos do Homem foi um dia de tristeza e desespero. Para os soldados romanos foi um longo dia que teve início nas primeiras horas da manhã dessa sexta-feira, quando foram ao Jardim de Getsêmani para prender o Homem.

Agora o mais escuro dia da história humana estava quase findo. O Homem estava suspenso na cruz entre dois ladrões. Sua mãe permanecia próximo chorando. Os soldados lançavam sortes sobre Suas vestes. A multidão se colocou sobre as rochas do Gólgota para vê-Lo morrer.

A carne do Homem estava lanhada pelos golpes que Ele havia recebido. Sangue corria da cabeça ferida. A dor fazia vergar-Lhe o corpo. Ele linha sede. Seus ressequidos lábios proferiram as palavras:

"Deus Meu, Deus Meu, por que Me desamparaste?" "Ele salvou aos outros, e a Si mesmo não Se pode salvar. Desça agora da cruz, se é o Cristo, o Rei de Israel, para que vejamos e creiamos", a multidão zombava.

Cristo poderia ter descido da cruz. Ele não precisava morrer de morte tão cruel e padecer tamanha afronta. Não precisava suportar a tortura e a vergonha.

Mas ali ficou Ele, por você e por mim. Foi punido para que você pudesse ser livre. Sofreu, para que você fosse salvo. Ele morreu, para que você pudesse viver.

Não podemos ter certeza absoluta de que o dia 7 de abril do ano 30 A O seja a data correta da morte de Cristo. Alguns bons estudiosos acham que sim. Outros, igualmente bons estudantes, pensam que foi dia 27 de abril do ano 31 A.D. Mas tenha acontecido no dia de hoje ou em qualquer outra data, não importa realmente. O importante é que aconteceu. Jesus morreu - e Ele o fez por você e por mim. Por quê?

Porque nos ama; ama a você e ama a mim.

Como é possível que exista semelhante amor, jamais o compreenderemos plenamente. Apenas podemos exclamar com emoção: "Maravilhoso amor!"

SDABAC, vol 5, págs. 251-254.

TE MACHUCAR



sexta-feira, 22 de novembro de 2013

QUANTO VALE UM MILAGRE?

Uma garotinha esperta, de apenas 6 anos de idade, ouviu seus pais conversando sobre seu irmãozinho mais novo. Tudo que ela sabia era que o menino estava muito doente e que estavam completamente sem dinheiro.

Iriam se mudar para um apartamento num subúrbio, no próximo mês, porque seu pai não tinha recursos para pagar as contas do médico e o aluguel do apartamento.

Somente uma intervenção cirúrgica muito cara poderia salvar o garoto, e não havia ninguém que pudesse emprestar-lhes dinheiro.

A menina ouviu seu pai dizer a sua mãe chorosa, com um sussurro desesperado: "Somente um milagre poderá salvá-lo. " Ela foi ao seu quarto e puxou o vidro de gelatina de seu esconderijo, no armário. Despejou todo o dinheiro que tinha no chão e contou-o cuidadosamente, três vezes.

O total tinha que estar exato. Não havia margem de erro. Colocou as moedas de volta no vidro com cuidado e fechou a tampa. Saiu devagarzinho pela porta dos fundos e andou 5 quarteirões até chegar à farmácia.

Esperou pacientemente que o farmacêutico a visse e lhe desse atenção, mas ele estava muito ocupado no momento. Ela, então, esfregou os pés no chão para fazer barulho, e nada! Limpou a garganta com o som mais alto que pôde, mas nem assim foi notada. Por fim, pegou uma moeda e bateu no vidro da porta. Finalmente foi atendida!

O que você quer? Perguntou o farmacêutico com voz aborrecida. Estou conversando com meu irmão que chegou de Chicago e que não vejo há séculos, disse ele sem esperar resposta.

Bem, eu quero lhe falar sobre meu irmão. Respondeu a menina no mesmo tom aborrecido. Ele está realmente doente... "E eu quero comprar um milagre. "

"Como?" Balbuciou o farmacêutico admirado.

"Ele se chama Andrew e está com alguma coisa muito ruim crescendo dentro de sua cabeça e papai disse que só um milagre poderá salvá-lo. E é por isso que eu estou aqui. Então, quanto custa um milagre? "

"Não vendemos milagres aqui, garotinha. Desculpe, mas não posso ajudá-la." Respondeu o farmacêutico, com um tom mais suave.

"Escute, eu tenho o dinheiro para pagar. Se não for suficiente, conseguirei o resto. Por favor, diga-me quanto custa." Insistiu a pequena.

O irmão do farmacêutico era um homem gentil. Deu um passo à frente e perguntou à garota: "Que tipo de milagre seu irmão precisa? "

"Não sei." Respondeu ela, levantando os olhos para ele. "Só sei que ele está muito mal e mamãe diz que precisa ser operado. Como papai não pode pagar, quero usar meu dinheiro. "

"Quanto você tem?" Perguntou o homem de Chicago.

"Um dólar e onze centavos." Respondeu a menina num sussurro. "É tudo que tenho, mas posso conseguir mais se for preciso."

"Puxa, que coincidência," sorriu o homem. "Um dólar e onze centavos! Exatamente o preço de um milagre para irmãozinhos."

O homem pegou o dinheiro com uma mão e, dando a outra mão à menina, disse: "Leve-me até sua casa. Quero ver seu irmão e conhecer seus pais. Quero ver se tenho o tipo de milagre que você precisa."

Aquele senhor gentil era um cirurgião, especializado em neurocirurgia. A operação foi feita com sucesso e sem custo algum. Alguns meses depois, Andrew estava em casa novamente, recuperado.

A mãe e pai comentavam alegremente sobre a sequência de acontecimentos ocorridos. "A cirurgia," murmurou a mãe, "foi um milagre real. Gostaria de saber quanto deve ter custado."

A menina sorriu. Ela sabia exatamente quanto custa um milagre... Um dólar e onze centavos... Mais a fé de uma garotinha...

* * *

Não há situação, por pior que seja, que resista ao milagre do amor. Quando o amor entra em ação, tudo vence e tudo acalma. Onde o amor se apresenta, foge a dor, se afasta o sofrimento e o egoísmo bate em retirada.

Autor Desconhecido

SEM TIRAR DO CORAÇÃO


terça-feira, 19 de novembro de 2013

CASA CONSAGRADA

Então os oficiais falarão ao povo, dizendo: Qual é o homem que edificou casa nova e ainda não a consagrou? Vá, e torne-se à sua casa para que porventura não morra na peleja e algum outro a consagre.

Deuteronômio 20.5

A consagração era algo tão importante para um Israelita que a lei determinava a quem edificou uma casa e ainda não a consagrou que não fosse a guerra, mas voltasse para sua casa e a consagrasse.

Consagrar significa dedicar uma pessoa ou algo a Deus. E tudo aquilo que é consagrado deve servir e ser usado unicamente para o louvor e serviço de Deus.

Para consagrar uma casa ao senhor é preciso ter coragem, pois isso exige determinação e compromisso. Ao consagrar sua casa a Deus, você oferece seu lar para que o Pai tenha livre acesso a ela, habite entre vós e encha de paz e alegria os cômodos. Esta atitude, no entanto, não é simples, implica que retire dela tudo aquilo que desagrada a Deus e que possa impedir uma harmonia maior com o Pai.

Para um Israelita isto era fundamental e necessário para a saúde espiritual e emocional da nação. Uma casa consagrada significava um lar mais perto de Deus, homens e mulheres compromissados com o Pai e, sobretudo, famílias felizes.

A presença de Deus é o segredo para uma família equilibrada, feliz e vivendo em harmonia. Nós, cristão, temos a necessidade de consagrar nosso lar a Deus.

Fandermiler Freitas

APRENDI QUE A CORAGEM


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

AS TATUAGENS DE DEUS

“Para onde poderia eu escapar do Teu Espírito? Para onde poderia fugir da Tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura também lá estás. Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar, mesmo ali a Tua mão direita me guiará e me susterá.” 

Salmos 139: 7-10

Às vezes tentamos arduamente entrar na presença de Deus, mas a verdade é que é impossível se esconder Dele. Ele está constantemente nos buscando. Talvez você sinta que o Senhor não está perto de você, mas é por isso que é tão importante conhecer a Palavra. O profeta Isaías fez uma reclamação perante o Senhor, contando-lhe o que o Seu povo dizia: “Mas Sião diz: O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim”. E o Senhor responde ao povo: “Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos te gravei; os teus muros estão continuamente perante mim” (Isaías 49: 14-16).

Os pais não foram os primeiros a terem a ideia de carregar sempre fotos de seus filhos – Deus carrega uma foto de Seus filhos por toda a parte. Da próxima vez que questionar seu valor como pessoa, lembre-se que Deus tem uma foto sua tatuada nas palmas de Suas mãos.
Joyce Meyer, em “PAZ”

domingo, 17 de novembro de 2013

ACALME MEU PASSO

Acalme meu passo, Senhor.

Desacelere as batidas do meu coração, acalmando minha mente.

Diminua meu ritmo apressado com uma visão da eternidade do tempo.

Em meio às confusões do dia a dia, dê-me a tranquilidade das montanhas.

Retire a tensão dos meus músculos e nervos com a música tranquilizante dos rios de águas constantes que vivem em minhas lembranças.

Ajude-me a conhecer o poder mágico e reparador do sono.

Ensina-me a arte de tirar pequenas férias: reduzir o meu ritmo para contemplar uma flor, papear com um amigo, afagar uma criança, ler um poema, ouvir uma música preferida.

Acalme meu passo, Senhor, para que eu possa perceber no meio do incessante labor cotidiano dos ruídos, lutas, alegrias, cansaços ou desalentos, a Tua presença constante no meu coração.

Acalme meu passo, Senhor, para que eu possa entoar o cântico da esperança, sorrir para o meu próximo e calar-me para escutar a Tua voz.

Obrigado Senhor, pelo dia de hoje, pela família que me deste, pelo meu trabalho e sobretudo pela Tua presença em minha vida.

ASSIM SEJA...

ASSUMIR RISCOS


quarta-feira, 13 de novembro de 2013

AJUDEI A CHORAR

Chorai com os que choram.
 
Romanos 12.15

Conta-se a história de um menino muito amoroso.

Certa vez, quando ele viu seu vizinho, um senhor idoso, chorando por causa do recente falecimento de sua esposa, sentou no seu colo, encostou a cabeça em seu peito e simplesmente ficou ali, quieto.

Mais tarde, a mãe lhe perguntou o que ele tinha dito ao vizinho entristecido.

- Nada, respondeu a criança, eu apenas o ajudei a chorar.

MERECER CONFIANÇA


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

ELE ME SUSTENTA

Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou. 

Salmo 3.5

Hoje, pela manhã, estive pensando neste versículo, em como Deus é bom para comigo. Enquanto eu dormia à noite anterior, o meu Pai velava por mim, me sustentava e me protegia.

Davi escreveu este salmo em um momento muito delicado. Ele fugia de seu filho Absalão que havia tomado o trono de Israel e procurava matá-lo. A Bíblia diz que Davi reconhecia que era Deus quem o guardava e auxiliava. Eu tenho essa mesma impressão, certeza e convicção.

Às vezes, me sinto tão seguro em meu lar, protegido por muros e grades que uma falsa sensação de segurança me invade a alma. E nesta certeza, se a gente não olhar para o tabuleiro inteiro, terá a ilusão de que somos autossustentáveis.

Davi sabia que mesmo sendo um rei e tendo um exército ao seu dispor, sem Deus, ele não poderia nem dormir e acordar com segurança. 

Obrigado, meu Pai, por me sustentar todas as noites, me dar noites tranquilas e de descanso. Você também pensa assim?

Fandermiler Freitas

ILUDIR

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

A ORAÇÃO QUE PARECE NÃO SER RESPONDIDA

Um poema virou história e conta o seguinte: uma professora de Escola Dominical convidou seus alunos e suas alunas para irem a um piquenique no fim de semana e adiantou:

-- Se não chover, vamos todos passar o dia no campo. Vai ser muito bom, vamos levar bastante lanche e brincar muito.

A turma de alunos era formada por animados pré-adolescentes. Assim, todos ficaram muito animados aguardando a chegada do sábado, para irem ao campo e desfrutarem do desejado piquenique.

Um dos alunos, uma menina de aproximadamente 12 anos, orou cada noite que antecedeu o fim de semana, pedindo ao Pai do Céu para que não chovesse no dia do passeio programado.

Finalmente o sábado chegou e, para sua decepção, chovia torrencialmente. Da vidraça da janela de sua casa, a garota olhava a cada instante as teimosas gotas de chuva caírem, para certificar-se se aquela incômoda “visita” iria logo embora.

O mau tempo continuava e ela, vendo que a ousadia da chuva era mais forte que seu desejo, desistiu de olhar o aguaceiro e passou o dia muito triste e acabrunhada. A família tentava ajudá-la dizendo que outros dias viriam e outro piquenique seria agendado.

Chegando a noite, a garota foi dormir. Entretanto, antes de adormecer, apanhou seu diário e escreveu a seguinte frase: HOJE O SENHOR DISSE "NÃO".

Que importante lição! A oração da menina não foi atendida tal como ela esperava, mas foi ouvida e respondida de acordo com os propósitos de Deus, que sempre nos oferece o melhor.

Em Marcos 14.36, Jesus Cristo pede ao Pai que afaste dele aquele cálice.

A oração de Jesus teve como resposta um longo e doloroso silêncio. Será que sua prece não foi ouvida? Com certeza foi, mas Deus tinha um propósito: vida eterna a todos os seus filhos. Assim, Jesus Cristo, inocente, foi imolado por nós, os pecadores.

Será que compreendemos quando Deus nos responde com um "não"? Será que não é hora de deixar que Ele conduza a nossa caminhada?

Por trás de um não, há muitos sins.

RINALVA CASSIANO SILVA

ORAR É A RESPIRAÇÃO DA ALMA

domingo, 3 de novembro de 2013

O PRINCIPAL OBJETIVO EM NOSSA VIDA

Isto, porém, vos digo, irmãos: o tempo se abrevia; o que resta é que não só os casados sejam como se o não fossem; mas também os que choram, como se não chorassem; e os que se alegram, como se não se alegrassem; e os que compram, como se nada possuíssem; e os que se utilizam do mundo, como se dele não usassem; porque a aparência deste mundo passa.” (I Cor 7.29-31)

O apóstolo Paulo chama a nossa atenção para o que é principal: “Irmãos, o tempo é curto", e, portanto, se ocupem com estas coisas como se vocês não as tivessem porque a aparência deste mundo passa. Esta é a razão pela qual ninguém, senão um verdadeiro cristão pode relacionar-se moderadamente com as coisas deste mundo. Por quê? Porque ninguém, senão um cristão fiel tem um objetivo principal que permeia toda a sua vida; ele busca o céu e a felicidade, porque isto estará com ele mais tarde e para toda a eternidade.

Por isso a sua fé permeia todos os assuntos: o casamento, compras, o mundo. E não deve se importar com se entristecer ou se alegrar, porque há um grande e principal objetivo em vista.

Ele não será negligente na execução dos seus deveres, relativos ao casamento, ao uso do dinheiro, às suas funções neste mundo, procurando sempre, em tudo, fazer o melhor com a ajuda e a direção do Espírito Santo, todavia, sempre terá este sentimento de que o Reino de Deus e a sua justiça, sempre deve ocupar o lugar principal em sua mente, coração e ações.

Assim, não concentrará o principal de seus esforços em objetivos terrenos e passageiros, mas naqueles que se referem a Deus e às coisas espirituais e eternas, porque é isto o que lhe ordena o seu Senhor.

Ele sabe que o tempo é curto, e portanto, deve ser moderado em todas as coisas deste mundo.

O envolver-se em demasia com tudo o que respeita à vida que temos aqui embaixo conquista totalmente as nossas afeições por estas coisas, e não poderemos ter e manter o nosso amor a Deus acima de tudo e de todos, conforme é ordenado por Ele.

Se temos um afeto desmedido por qualquer coisa desta vida, faremos todo o empenho para não perdê-la, e ficaremos fatalmente imobilizados e desmotivados caso aconteça a perda, o que é de se supor, que aconteça mais cedo ou mais tarde.

Daí nosso Senhor ter afirmado tão categórica e expressamente: “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14.33);

“Quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preserva-la-á para a vida eterna.” (João 12.25);

“Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; (Mat 10.37).


Deus não consentirá que nosso afeto por Ele esteja em competição com qualquer outra coisa ou pessoa deste mundo.

Nada e ninguém deve ser motivo para que Ele não seja servido em primeiro lugar por nós. Nem bens terrenos, ou cônjuges, ou filhos, ou carreira, nem nossas tristezas, nem nossas alegrias, enfim, nada é nada.

De tudo cuidaremos com zelo e amor, mas não deixaremos de tributar a honra, o culto, o serviço que são devidos ao Senhor, antes de tudo o mais.

Sem este sentimento e prática de renúncia jamais poderemos servi-lo e amá-lo do modo pelo qual importa fazê-lo.
E há uma urgência no uso que fazemos de nossa vida aqui embaixo porque a vida é curta, e o tempo do nosso encontro com o Senhor é certo, e ele julgará todas as nossas obras.

E o que tivermos deixado de fazer para o Senhor não poderá ser recuperado, porque não poderemos voltar atrás e começar tudo de novo.

Silvio Dutra

sábado, 2 de novembro de 2013

ELE BATALHA POR NÓS

O que DEUS faz quando estamos sem saída????

BATALHA. ELE BATALHA POR NÓS.

ELE pisa no ringue, nos direciona e assume o controle: “DEUS pelejará por nós e vos calareis.” Ex 14:14

Seu trabalho é lutar. O nosso é CONFIAR.

Apenas confiar. Não administrar, ou questionar, ou tirar o volante das mãos D´ELE. Nosso trabalho é orar e aguardar. Nada mais é necessário. “Só ELE é a minha rocha e a minha salvação; é a minha defesa, não serei abalado.” Sl 62:6.

Precisamos ser pacientes, mas, não a ponto de perder o desejo. Devemos ser ansiosos, mas não a ponto de não podermos esperar. ELE cumprirá SUA promessa. Eis que faço novas todas as coisas, ELE prometeu. Limparei de seus olhos toda lágrima. Restaurarei o sorriso apagado pela dor. Tocarei novamente as sinfonias não ouvidas pelos surdos e o pôr do sol nunca visto pelos cegos.

Acredite-me quando digo que valerá a pena. Nenhum custo é muito alto. Se você precisa pagar o preço, faça-o. Nenhum sacrifício é grande demais, confie em DEUS a qualquer custo.

O GRANDE COMPOSITOR guarda o melhor para o final. E DEUS, o Autor da vida e Compositor da ESPERANÇA, ELE tem feito o mesmo por você.

O melhor está por vir.

“QUANDO DEUS SUSSURRA SEU NOME”


Marcelo Carius