sábado, 5 de abril de 2014

EM BENEFÍCIO DO POVO

Quando Madame Curie alcançou a tremenda vitória científica oferecendo ao mundo a bênção dos Raios-X, alguém sugeriu que ela tirasse patente do seu descobrimento, pois poderia assim, compensar-se dos trabalhos que tivera e ganhar dinheiro. 

Recusou-se a fazê-lo.Queria que os Raios-X fossem usados por todos sem qualquer objetivo de lucro.

O mesmo ocorreu com o grande cientista brasileiro Vital Brazil quando seu Instituto lançou um medicamento à base do curare, elemento precioso nos casos de intervenção cirúrgica. Um amigo perguntou se ele ia tirar patente. Deu ele uma gargalhada e exclamou:

― Patente pra quê? Quem quiser que use para o benefício do povo...

(Extraído de VASSÃO, Amantino Adorno. Esteiras de Luz. Rio de Janeiro: Juerp, 1971.)

Nenhum comentário: