sexta-feira, 31 de maio de 2013

A REVOLUÇÃO

Entrelaçar as mãos em oração é o começo de uma revolução contra a desordem do mundo (e de nossos mundos particulares). O profeta Daniel certamente concordaria. Quando ele, três vezes ao dia, unia as mãos em oração, praticava a desobediência civil contra um regime tirânico que proibia aquela prática. O que aconteceu depois de sua detenção e do confinamento numa cova de leões mostrou quem realmente detinha o poder.

Numa cena registrada em Apocalipse, o apóstolo João prevê uma ligação direta entre o mundo visível e o invisível. No momento culminante da Historia, o céu fica em silencio. Sete anjos de pé, com sete trombetas, aguardam pelo espaço de meia hora. Reina o silêncio, como se todo o céu prestasse a máxima atenção. Depois um anjo recolhe as orações do povo de DEUS na Terra – o acúmulo de todas as orações cujo conteúdo revela afronta, lamento, abandono, desespero, petição – mistura-as com o incenso e as apresenta diante do trono de DEUS. O silêncio finalmente se rompe quando as fragrantes orações são atiradas sobre a terra, porque então “houve trovões, vozes, relâmpagos e um terremoto” Ap 8:5.

A mensagem é clara. A História pertence aos intercessores, que com sua crença moldam o futuro. Os que oram são agentes essenciais na vitória final sobre o mal, o sofrimento e a morte.


Philip Yancey, em “ORAÇÃO, ELA FAZ ALGUMA DIFERENÇA?”, Ed Vida

quarta-feira, 29 de maio de 2013

PELO ATALHO NÃO SE ACHARÁ A PAZ

Isto tem sido visto inclusive no que se refere ao relacionamento com Jesus Cristo, que é a fonte de toda verdadeira Paz de espírito.

Todavia a Sua Paz nunca será achada no atalho, senão no Caminho que é o próprio Cristo, e que é definido objetivamente por Ele como sendo a prática da Sua Palavra. 

Ele disse que a construção segura e apta para a Paz é aquela que é feita sobre a Rocha da citada prática.

Tudo o mais é construir sobre a areia movediça que não é um fundamento adequado para nos manter em segurança e em paz quando a adversidade vem sobre nós. 

Resta então definir qual é a palavra de Cristo que importa ser praticada. 

Não há qualquer dificuldade para identificá-la porque Ele a transmitiu aos seus apóstolos e lhes disse que o Espírito Santo lhes conduziria à lembrança de tudo quanto lhes havia ensinado, como também lhes ensinaria tudo o mais relativo à verdade, que eles não poderiam suportar enquanto estivera com eles.

Dentre estas coisas podemos citar a clara compreensão entre a diferença marcante que há entre a Antiga Aliança do Velho Testamento à qual estavam apegados pela tradição, e a Nova Aliança, feita no Seu sangue derramado por nós na cruz, que substituiria a Antiga. 

Este ensino, foi registrado por escrito (os 27 documentos do Novo Testamento), pela ordenança e inspiração do Espírito Santo, pelos apóstolos e por alguns daqueles que estavam associados a eles em seus ministérios, e foram reunidos aos 39 livros que compunham o Velho Testamento. 

Vale lembrar todavia, que não será na mera leitura destes escritos que acharemos a paz e a salvação porque o próprio Senhor Jesus Cristo afirmou em seu ministério terreno aos fariseus, que eles examinavam as Escrituras, pensando que no somente fazê-lo teriam a salvação de suas almas.

As Escrituras do Velho Testamento testificam de Cristo. Se os fariseus se convertessem de fato a Deus eles teriam seus olhos espirituais abertos para o reconhecimento desta verdade na leitura que faziam das Escrituras. 
Todavia, não é por se ler a Bíblia que somos salvos, mas por irmos a Cristo.

É na comunhão com Ele em espírito, que achamos a salvação e a paz, e que somos capacitados a guardar a sua santa palavra. 

Silvio Dutra

domingo, 26 de maio de 2013

PUXE A CORDA DO SINO


"Alegre-se o coração dos que buscam ao Senhor. Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente"

1 Crônicas 16:10, 11


"A oração puxa a corda embaixo e o grande sino toca em cima junto às orelhas de Deus. Alguns tocam o sino fracamente, pois, suas orações são desanimadas; outros dão apenas um puxão ocasional na corda. Porém, aquele que se comunica com o Céu é o homem que pega a corda corajosamente e puxa continuamente com toda a sua força."

Com que disposição temos puxado a corda do grande sino de comunicação com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo? Quanto mais puxamos essa corda, mais comunhão temos com Deus. Quanto mais comunhão temos com o nosso Pai celestial, mais bênçãos recebemos aqui neste mundo. E essa é a razão de nossa grande felicidade.

Se estamos desanimados, mais motivos temos para puxar a corda do sino. As mãos estendidas do Senhor nos estimulam, nos alegram o coração, nos mostram que sempre haverá esperanças e que a vitória logo chegará. Portanto, nada de tristeza ou frustração -- puxemos com força a corda do sino.

Quer esteja alegre ou triste, busque ao Senhor. Quer tenha os sonhos já realizados ou muitos ainda por realizar, busque ao Senhor. Ele é o nosso socorro, nosso Amigo verdadeiro, nosso companheiro em qualquer situação.

Se você começar a sentir que está se cansando de tudo, puxe a corda do sino. Se a paz está lhe fugindo, puxe a corda do sino. Se seu amor a Deus e ao próximo está cada vez mais fraco, puxe a corda do sino. Se está se sentindo cada vez mais só, puxe a corda do sino. Deus ouvirá você, lhe socorrerá e um manancial de júbilo começará a jorrar de seu interior. Enquanto o sino estiver tocando, o sol das bênçãos de Deus estará brilhando intensamente em sua vida.

Não desanime jamais -- puxe a corda do sino.

Paulo Roberto Barbosa

sábado, 25 de maio de 2013

MOMENTOS DE PAZ


A paz de Deus, necessariamente, tem que sossegar nossas mentes e dar descanso aos nossos corações. A.B.Simpson

São raros os momentos neste mundo veloz em que tiramos tempo para desfrutar alguns poucos momentos de paz longe do barulho e do agitado burburinho que nos cerca. Quando não estamos correndo de um lado para o outro, estamos socializando, exercitando, brincando, comprando, limpando e mantendo a vida em ordem. 

Qual foi a última vez que você gastou algum tempo em quieta solitude sem ter que necessariamente estar fazendo alguma coisa? Simplesmente sentado olhando para o mar, ou para a beleza de um calmo lago ou observando o bater do vento sob as agitadas folhas? Qual foi a ultima vez em que você esteve totalmente descontraído sem ter que atender um compromisso e com a liberdade de apenas se sentar até que estivesse pronto para seguir adiante? 

Eventualmente a coisa mais saudável e o maior beneficio que você pode trazer a você mesmo e a sua família é simplesmente dar uma parada completa na sua rotina. Ao fazer isso, descontraia e desfrute a abundância da vida que lhe esta sendo dada por Deus. 

Para Meditação: Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas. Hebreus 4:10

Nélio DaSilva
http://www.encorajamento.com/

sexta-feira, 24 de maio de 2013

ESTE LINDO DIA


“Como é difícil pensar em Deus quando tudo está indo bem. “Temos tudo o que queremos” é uma frase terrível quando “tudo” não O inclui. 

C.S. Lewis 

Este não é um dia comum. Ele é singular, é especial e jamais haverá um outro como ele. Este dia está cheio de novas possibilidades. Realmente, este dia é um tesouro; você é um felizardo por recebe-lo e fazer com ele o que você desejar. 

Você pode decidir abraçar este dia singular e nele criar magníficos valores. Você pode se decidir se levantar, seguir em frente e viver este dia com toda a riqueza e exuberância que a vida lhe oferece. 

Lembre-se que para cada difícil desafio que você tem à frente, existe milhares de positivas possibilidades. Para cada desapontamento surgem novas oportunidades com imensa novas alegrias, novos contatos, novos relacionamentos, novas emoções. Abra-se para a beleza da vida – esta dádiva magnifica de Deus! Este é um lindo dia que Deus está lhe dando graciosamente para realmente viver.

Para Meditação: Este é o dia em que o Senhor agiu; alegremo-nos e exultemos neste dia. 

Salmos 118:24

 Nélio DaSilva

quarta-feira, 22 de maio de 2013

O SULTÃO E O VIZIR


Durante uns trinta anos, um vizir serviu ao seu senhor e era conhecido e admirado por sua lealdade, sinceridade e devoção a Deus. 

Sua honestidade, entretanto, lhe granjeara muitos inimigos na corte, que espalhavam histórias sobre a sua perfídia e má-fé. Eles falavam no ouvido do sultão o dia inteiro, até que ele também começou a desconfiar do inocente vizir e acabou condenando à morte o homem que lhe servia tão bem.

Naquele reino, quem fosse condenado à morte era amarrado e jogado no cercado onde o sultão mantinha os seus cães de caça mais ferozes. Os animais estraçalhariam a vítima de imediato.

Antes de ser jogado aos cães, entretanto, o vizir fez um último pedido. Precisaria de dez dias para sanar algumas pendências pessoais. Depois de ter a certeza de que o vizir não ia tentar fugir, o sultão lhe concedeu o pedido.

O vizir correu para casa, juntou cem moedas de ouro, depois foi visitar o caçador que cuidava dos cães do sultão. Ele ofereceu ao homem as cem moedas de ouro e disse, “Deixe-me cuidar dos cães durante dez dias”. O caçador concordou e durante os dez dias seguinte o vizir cuidou das feras com muita atenção, tratando-as bem e alimentando-as bastante. No final dos dez dias eles estavam comendo em sua mão.

No décimo primeiro dia, o vizir, foi chamado à presença do sultão, as acusações se repetiram e o sultão assistiu enquanto o vizir era amarrado e jogado aos cães. Mas quando as feras o viram, correram até ele abanando os rabos. Eles mordiscaram afetuosamente seus ombros e começaram a brincar com ele.

O sultão e as outras testemunhas ficaram espantadas, e o sultão perguntou ao vizir a razão dos cães pouparem a sua vida. O vizir respondeu, “Cuidei desses cães durante dez dias. O sultão mesmo viu o resultado. Eu cuidei do senhor durante trinta anos, e qual foi o resultado? Fui condenado à morte pela força das acusações levantadas por meus inimigos”.

O sultão ficou muito envergonhado. Ele não apenas perdoou o vizir como lhe deu belas roupas e lhe entregou os homens que o havia difamado. O nobre vizir os libertou e continuou a trata-los com bondade. (The Subtle Ruse: The Book of Arabic Wisdom and Guile, Séc. XIII)

COISAS PARA FAZER TODOS OS DIAS


segunda-feira, 20 de maio de 2013

É POR CAUSA DE PEQUENAS COISAS?


Não será por causa de poucas e pequenas coisas que um cristão deixará de ser arrebatado na volta do Senhor Jesus.

Será pela falta de uma só coisa, a saber: não ter comunhão com Ele. 

Somente quem estiver santificado subirá.

E qual será a medida desta santificação?

A Bíblia nos ensina claramente que ela não consiste em perfeição de obtenção das virtudes do Senhor (longanimidade, amor, domínio próprio, bondade, benignidade, paz, alegria etc).

Então, qual será a medida de santificação que nos fará participantes do arrebatamento?

Certamente isto não será feito pelo critério de medição, porque o que tiver pouca santificação subirá tanto quanto o que estiver muito santificado. 

Se houver em nós, em grande ou pequena medida, temor do Senhor, amor à Sua Palavra, dedicação aos deveres que nos são ordenados por Ele, como o da oração, da vigilância, da comunhão, da mortificação do pecado, dentre outros, que nos levam a estar ligados a Ele em espírito, então podemos estar certos de que estamos sendo santificados, porque sem a ação da graça em nossos corações, é impossível se dedicar a isto. 

Não será portanto por alguma fraqueza em nós, ainda não vencida pelo Espírito, que não seremos arrebatados naquele grande dia. 

Enquanto tivermos uma atitude de não fazer concessão a qualquer tipo de pecado, e estivermos buscando a vitória no Senhor, e tendo a certeza de fé que somos aceitos e aprovados por Ele, podemos sossegar o nosso coração e não ter qualquer incerteza quanto ao fato de que participaremos do arrebatamento.

Enquanto estivermos adquirindo o colírio da graça para que vejamos as realidades do reino de Deus; as vestes da fé na justiça de Cristo para cobrir a nossa nudez pecaminosa; o ouro da sabedoria de Deus para que sejamos ricos em entendimento espiritual; e sobretudo, o óleo do Espírito Santo, para termos a sua direção, instrução e poder em nossas vidas, podemos estar certos de que cantaremos o novo hino com palmas em nossas mãos, naquele maravilhoso dia em que seremos totalmente transformados, inclusive no que respeita ao corpo glorificado que receberemos para o encontro com o Senhor entre nuvens. 

Silvio Dutra

FALTA DE AMOR


domingo, 19 de maio de 2013

MÍSEROS CENTAVOS


Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que glorifiquem a Deus pelas boas obras que em vós observem.

I Pedro 2.12

Certa vez um pregador mudou-se para Houston, Texas, e, poucos dias depois que chegou, teve que ir de ônibus de sua casa até o centro da cidade.

Quando se sentou, descobriu ter recebido 25 centavos a mais no troco e pensou: "Vou devolver esses 25 centavos que recebi a mais"

Enquanto discorria sobre isso, dentro de si, ouviu o coração dizer: "Só são 25 centavos... esquece... Quem se preocuparia por quantia tão pequena?

no entanto, quando chegou ao ponto onde desceria do ônibus, parou momentaneamente na porta, e, então entregou a moeda ao motorista e disse: "Tome, você me deu troco a mais."

O motorista, com um sorriso, respondeu:  Você é o novo pregador?

O homem apenas assentiu com a cabeça...

— Tenho pensado sobre ir lhe ouvir. Mas, eu queria saber o que o senho faria se eu lhe desse um troco a mais.

Quando o pregador saiu do ônibus, agarrou-se literalmente ao poste mais próximo e exclamou: "Oh, meu Deus, me perdoe! Eu quase vendi seu filho por vinte e cinco centavos. "

Autor: Desconhecido

sábado, 18 de maio de 2013

VINGANÇA NÃO VINGA


Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor.

Romanos 12.19

No livro, O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, o personagem central é acusado injustamente por três falsos amigos.

Por causa disso é atirado na masmorra no dia do seu casamento. Ali fica durante doze anos. Perde a esposa, a juventude, os bens, tudo.

Quando finalmente consegue fugir da prisão, dedica sua vida a vingar-se de seus detratores. Vai atrás de um por um e consegue arruinar a vida de todos.

No final da história, apesar de concluir sua vingança, ele descobre que com aquilo não conseguia aliviar as dores do seu coração. Tornara-se uma pessoa amarga e infeliz. Arruinara a vida de seus inimigos, mas não pudera impedir que eles destruíssem a sua.

Fonte: Marcelo Aguiar, em Cura Pela Palavra, pg 37.

ENGANAR A SI MESMO


quinta-feira, 16 de maio de 2013

MANÁ DO CÉU


Então disse o SENHOR a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá, e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu o prove se anda em minha lei ou não.

Êxodo 16:4

Pensamento: Enquanto o povo de Israel peregrinou pelo deserto, não havia comida que sustentasse aquelas mais de 3 milhões de pessoas. E Deus então enviava pão do céu (maná) para que todas as manhãs eles recolhessem e se alimentassem. Deus apenas impôs uma condição: não poderiam guardar. Se colhessem mais do que precisavam para aquele dia, o maná apodrecia no dia seguinte.

E alguns tentaram guardar, porém Deus estava mostrando para o povo que Ele os sustentava e jamais os deixaria sem sustento.

Como você tem levado sua vida? Seu maná tem sido apenas no domingo? Acha que pode reservar coisas para o resto da semana?

Jesus ao ensinar o Pai Nosso, revela novamente esta verdade: O pão nosso de CADA DIA nos dai hoje…

E diz: Não andeis ansiosos pelo dia de amanhã…

Busque alimento no Senhor, o maná de cada dia que Ele tem para você. Certamente Ele têm. Basta você sair para recolher e se sustentar!!

O interessante é que enquanto o povo ficou no deserto, o maná nunca deixou de cair. Somente quando eles entraram na terra prometida, e comeram do fruto desta terra é que o maná cessou. Pois o Senhor já havia preparado coisas ainda melhores depois daquele tempo!

Josué 5: 12 - E cessou o maná no dia seguinte, depois que comeram do fruto da terra, e os filhos de Israel não tiveram mais maná; porém, no mesmo ano comeram dos frutos da terra de Canaã.

Ore: Senhor Deus, Tu és o meu sustento. Reconheço que sem Ti nada posso fazer. Peço que tires toda a minha ansiedade e me dê a paz. Ensina-me a confiar e depender de Ti. Tu és meu alimento, minha porção é o Senhor. Perdoe-me por tantas vezes querer ajuntar do maná que o Senhor tem me dado. Quero cultivar um relacionamento diário contigo. Em nome de Jesus, Amém.

Por 


segunda-feira, 6 de maio de 2013

TRAZENDO UM BALDE OU UM TONEL


"E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos" (1 João 5:14, 15).

"ó Senhor, eu me arrastei até Ti, em tempos de aridez, duvidosa, com minha xícara vazia, pedindo uma gota de refrigério. Se eu O conhecesse melhor, teria vindo correndo, trazendo um balde." (Nancy Spiegelberg)

Nosso Deus tem, realmente, muitas bênçãos para todos aqueles que nEle confiam. Ele as quer derramar sobre nossas vidas, sobre nosso lar, sobre todos os lugares onde passamos. Ele quer suprir todas as nossas necessidades, quer nos curar de todas as enfermidades, tanto físicas como espirituais, quer segurar as nossas mãos e conduzir-nos por caminhos de regozijo e felicidade.

E, se sabemos de tudo isso, por que continuamos duvidando? Por que continuamos murmurando diante dos pequeníssimos problemas que sempre julgamos serem maiores do que são? Por que preferimos acreditar nas dificuldades do que nas soluções que o Senhor tem preparado? Por que continuamos vivendo uma vida insípida e sem brilho, quando deveríamos caminhar por este mundo cantando e saltando de alegria?

O Senhor tem prazer em cuidar de nós. Ele providenciou coisas maravilhosas para encher de júbilo os nossos corações. Ele quer nos abraçar, quer sorrir conosco, quer subir as montanhas ao nosso lado, se estas forem necessárias para nossa edificação e crescimento espiritual. Ele sempre está ao nosso lado, quer chova ou faça sol, durante o dia e durante a noite, quando estamos acordados e quando estamos dormindo. É nosso companheiro inseparável, o nosso bondoso e querido Senhor.

Não precisamos nos arrastar para Deus, implorando uma migalha de Suas bênçãos. Podemos nos apresentar diante dEle com a convicção de que nos atenderá e encherá não apenas um balde, mas, um grande tonel, por maior que ele seja.

Eu tenho enchido o meu tonel. E você?

Paulo Barbosa

OS ERROS

sábado, 4 de maio de 2013

EU ESCOLHO

Escolhei hoje a quem haveis de servir. Eu e a minha casa serviremos ao Senhor.

Josué 24.15

Mauro era um tipo de pessoa que todos adorariam conhecer. Ele sempre estava de bom humor e sempre tinha algo positivo para dizer. Quando alguém lhe perguntava: "Como vai você?", ele respondia: "Melhor que isso, só dois disso!".

Um dia perguntei-lhe: Como você consegue ser uma pessoa tão positiva o tempo todo?

- Toda manhã eu acordo e digo a mim mesmo: Mauro, hoje você tem duas escolhas: ficar de bom humor ou ficar de mal humor. Então, eu escolho ficar de bom humor. E repito esta decisão o dia inteiro, a cada instante. Se alguém me irrita ou reclama de alguma coisa, seja do jeito certo ou não, eu escolho continuar de bom humor e tentar ver o lado positivo da situação.

- Mas, não e tão fácil assim, Mauro!

- É fácil, sim! A vida consiste em escolhas.

As palavras de Mauro não eram vazias. Ele realmente havia decidido viver de bem com a vida, e isso ficou muito bem estabelecido quando Mauro foi assaltado e levou três tiros. Por sorte, foi socorrido à tempo.

Ele conta que naquela hora tomou duas decisões: A primeira decisão que tomou, foi que queria viver, fosse como fosse. Mesmo que ficasse paralítico, não iria desistir da vida (essa sua obstinação facilitou o serviço de toda a equipe médica que o atendeu).

A segunda decisão, foi que iria passar aqueles terríveis momentos do melhor jeito que lhe fosse possível, e foi isso mesmo que ele fez. Quando os paramédicos lhe perguntaram se era alérgico à alguma coisa, Mauro, apesar de estar sangrando e gravemente ferido, fez com que todos caíssem na risada: "Sou alérgico a bala!"

Autor Desconhecido

quarta-feira, 1 de maio de 2013

A AGULHA MISIONÁRIA

Atos dos Apóstolos 9:39 - E, levantando-se Pedro, foi com eles; e quando chegou o levaram ao quarto alto, e todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando as túnicas e roupas que Dorcas fizera quando estava com elas.

Uma cristã da cidade de Jope havia falecido. Os outros discípulos mandaram uma mensagem ao Apóstolo Pedro, pedindo a presença dele no funeral. Quando Pedro chegou, “a sala se encontrava cheia de viúvas que choravam e mostravam umas às outras os casacos e outras roupas que Dorcas tinha feito para elas” (Atos 9:39).

Dorcas foi uma agulha consagrada ao Senhor. As costuras que fez por amor, ajudando as irmãs necessitadas, davam testemunho dela, mesmo após sua morte. Quando Pedro chegou, as lágrimas e as lamentações preenchiam o ambiente. O Apóstolo se ajoelhou, orou e disse duas palavras: “Levante-se, Dorcas.”
A resposta foi imediata: Dorcas voltou à vida e ao regozijo da sua obra missionária.

A Bíblia não limita o conceito de vocação apenas ao serviço de pastor, ou de ministro de música, ou de ministro de educação.

O Senhor estende Seu chamado a todas as profissões.

O Senhor não quer detalhes sobre o nosso ofício
- o que ELE quer saber é da natureza dos valores espirituais que nos motivam.

Ao restringir a vocação divina a apenas algumas atividades eclesiásticas, ao fazer isto somos culpados de tentar limitar o poder do Espírito.

O Senhor escolheu como Seus profetas desde um palaciano chamado Isaías, até um boiadeiro chamado Amós. Se somos sensíveis às orientações do Senhor, nosso lugar de profissão se transforma em campo missionário.

Que o digam as amigas de Dorcas e sua agulha missionária.

Pr. Olavo Feijó