quinta-feira, 20 de julho de 2017

2. RESOLVA OS PROBLEMAS CEDO

Deixe-me contar-lhe a história de um casal: alguém que eu amo muito estava varrendo o quintal de sua casa. A vassoura, no quintal, pegou sol, chuva, vento; seu cabo estava cheio de grandes farpas. Então, ao varrer, uma grande farpa entrou em seu dedo da mão direita. Ele tentou tirá-la, mas como era destro, quanto mais ele tentava tirá-la, mais ela entrava. A farpa era muito grande e dolorosa. Ele pensou em pedir ajuda a sua esposa, com quem havia acabado de discutir, mas ela é uma mulher com temperamento forte, que quando se irrita pode demorar semanas saboreando o doce líquido de seu anticongelante espiritual. Semanas nas quais ele se tornava, para ela, o homem invisível. Quando sua esposa finalmente falou, e pode ajudar, ela examinou seu dedo de má vontade, mas a farpa já havia entrado tão profundamente em seu dedo que não estava mais visível. E, apesar de não estar mais visível, ele não conseguiu mais voltar a dobrar seu dedo da mesma forma. Por isso, Paulo disse em Efésios 4:26: "Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira." Se você deixa o sol se por ainda sentindo a ira, quando acordar já não vai mais encontrar a farpa, e essas farpas o envenenam. Se você tiver que corrigir alguma coisa com seu cônjuge, mesmo que seja com grande esforço, não vá dormir sem resolver o problema. No dia seguinte, mesmo tendo sido difícil, você se sentirá melhor. Quem se acostuma a dormir sem resolver o problema, na esperança de que a noite "apague" as coisas, pode acabar fazendo seu cônjuge sentir o gosto do ressentimento.

http://familia.com.br

Nenhum comentário: