quinta-feira, 21 de abril de 2016

PEQUENO OU GRANDE

Certa ocasião presenciei uma discussão entre uma cliente e um gerente de supermercado. Enquanto a mãe escolhia cuidadosamente as uvas, o filho ia comendo as frutinhas. Com delicadeza o gerente informou à criança que as uvas estavam à venda e não eram amostra grátis. A mãe saiu em defesa do filho: "Pelo amor de Deus!" disse, indignada. "Reclamar por algo tão pequeno!". Eu me perguntei que critérios ela usaria para traçar a linha entre "pequeno" e "grande". Talvez "grandes" fossem as frutas que se descascam, como a laranja? A única distinção que o garoto fazia era entre o que queria ou não. E ele queria aquelas uvas. Se a mãe corrigiu o filho em particular, nunca saberemos. Mas a mensagem que lhe transmitiu em publico foi clara e direta: roubar "pequenos objetos" é permitido, na verdade, nem chega a ser roubo.

Fonte: http://www.pastorwalterpacheco.com.br/

Nenhum comentário: