quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

OLHA AS ESTRELAS, MAS...

E ele disse: A este tempo determinado, segundo o tempo da vida, abraçarás um filho. E disse ela: Não, meu SENHOR, homem de Deus, não mintas à tua serva.

 2 Reis 4:16

Foi Theodore Roosevelt quem disse: Mantenha os seus olhos nas estrelas e os seus pés na terra. Foi tão somente uma maneira de dizer, "pense alto, mas aja com muita prudência e cuidado". Planos maravilhosos podem dar em nada ou em prejuízo, se na execução deles, os pés forem tirados do chão.

No decorrer da vida conheci pessoas, e eu mesmo já fiz parte do grupo e incrementei as estatísticas, que por algum motivo fitaram as estrelas e tiraram os pés do chão. Acreditaram em tudo e em todos ao redor e se deram mal, e eu fui um deles. Outros (bem, acho que entre estes nunca estive) só têm os pés no chão, mas nunca olharam as estrelas. Quando alguém lhes acena com a possibilidade de algo grande, recuam como a sunamita fez diante de Elizeu, dizendo: Não meu Senhor, homem de Deus, não minta para a tua serva. 2 Reis 4:16. 

À luz da Bíblia, Theodore Roosevelt estava certíssimo. Depois de provado, o nosso pai na fé Abraão escutou do Senhor: Olha para as estrelas. Pode contá-las? Assim será tua descendência. Nosso Deus é um Deus grande, o Deus dos impossíveis, e Ele prometeu fazer coisas grandes e firmes para aqueles que clamassem a Ele, conforme está escrito em Jeremias 33.3. A Palavra fala para entrarmos no Santuário com ousadia para sermos ajudados, e diz também para abrirmos bem a nossa boca, com o significado de pedirmos com ousadia, olhando as estrelas.

Mas, poderemos perder nossas bênçãos se não executarmos mesmo aquilo que é plano de Deus, com prudência. Saul foi empossado rei por escolha do próprio Senhor, mas perdeu sua benção na execução da função, por imprudência. O divisor de águas entre o sucesso e o fracasso é a prudência, o cuidado na execução. É o "pé na terra". Por isso é que está escrito: Ata a prudência no teu pescoço, como se fosse um colar. Um colar de prudência e cuidado. Seja ele o teu mais importante adereço, mas que ele não engesse o teu pescoço a ponto de impedir -lhe de mover a cabeça e os olhos para o alto.

Olha, nem oito e nem oitenta. Nem só a cabeça nas nuvens, ou melhor, nas estrelas, e nem só os pés na terra, ainda que se tivesse de optar por uma, a segunda seria bem melhor. Conheço muitos que fizeram essa segunda opção, mas suas vidas carecem daquele sabor que somente o sonho ousado pode acrescentar. 

Olha para as estrelas, mas não se deixe atrair a ponto de sair flutuando. Suba até lá só com o coração. 

Por Pr. Sinval 

Nenhum comentário: