quinta-feira, 8 de julho de 2021

LUTAS

Alfred Adler, discípulo de Freud que depois se afastou do mestre, relata um episódio interessante. Numa estação ferroviária da Europa, um homem mal trajado e meio bêbado clamava pela caridade pública, quando dele se aproximou um homem bem vestido, um industrial bem-sucedido que, diante da solicitação de ajuda, perguntou ao pedinte a razão da solicitação.

— Por que eu devo dar dinheiro a você?

O mendigo passou a explicar que ele era um dos órfãos da grande guerra, seu pai morrera no front, sua mãe em um bombardeio, seus irmãos foram todos dispersos, não sabia do paradeiro de nenhum deles; muito sofrimento! 

— A única coisa que eu poderia fazer era me embriagar de tanta tristeza e solidão, e viver de caridade pública - dizia ele, entre lágrimas. 

O rico industrial lembrou-lhe que ele igualmente perdera os pais e os irmãos na guerra, e que não tinha nada a fazer a não ser trabalhar muito e dedicar-se com afinco a seu negócio. Assim enriquecera. Ele se interessou pela história do mendigo bêbado, principalmente porque era parecida com a sua. Notou traços físicos semelhantes no mendigo, descobriram que eram irmãos! 

A mesma história, trajetórias completamente diferentes! As lutas são neutras, como o sol que derrete a manteiga e endurece o barro. 

O apóstolo Paulo, em Rm 5 diz: "...gloriemo-nos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a perseverança, e a perseverança a experiência, e a experiência a esperança; e a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado". 

Ele que era um homem de lutas (só naufrágios sofreu três) está nos dizendo que as lutas refinam nosso caráter. Ele aprendeu a ser vitorioso nas lutas, com as lutas.

Nenhum comentário: