terça-feira, 22 de novembro de 2011

IRMÃO ELDO

portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.

Rm 8.1

Quando alguém morre, a gente costuma refletir sobre isto. É sempre bom tirar lições. A Bíblia diz  que a sabedoria clama pelas ruas, grita pelas praças e nas esquinas levanta a sua voz. Toda vida, por mais simples que foi tem ensinamentos maravilhosos a revelar-nos e no mais esplêndido dos homens tem tragédias e lições a nos advertir.

O irmão Eldo era um homem simples, viveu a harmonia no seu extremo. Preferia o silêncio a uma palavra que ofendesse. Falava como quem desenha, escolhendo as palavras com cuidado. Sempre percebi sabedoria e sinceridade no seu jeito manso de se expressar.

Viveu dois extremos: uma vida entregue aos cuidados do Pai (foi aí que encontrou a alegria da harmonia e conheceu a satisfação de viver em família. Aprendeu a ser dependente de Deus e a doença lhe ensinou a confiar e esperar no Pai) e "os momentos difíceis", como ele mesmo chamava (as várias décadas dependentes do alcoolismo, na qual conheceu o lado negro dos prazeres e viveu suas tragédias).

Ele resumia numa frase sua convenção: "Perdi a perna, para não perde minha alma". referindo a amputação de sua perna e ao encontro que teve com Deus.

Deixará muitas saudades e um vazio na alma de quem com ele conviveu. Que Deus nos ajude a ouvir a sabedoria falar conosco.

2 comentários:

Rosinéia Guilherme disse...

O irmão Eldo era um exemplo do que é uma vida transformada por Deus. Sentirei falta de sua tranquilidade. Que Deus pela sua infinita bondade console os seus familiares.

José de Araújo disse...

Obrigado senhor, por mais um exemplo de uma vida trasformada pelo teu amor e misericórdia...