terça-feira, 31 de maio de 2016

DESÂNIMO

Um ladrão foi assaltar uma senhora que estava muito desanimada. Quando ele se aproximou dela, ele gritou: 

— Isso é um assalto! A bolsa ou a vida?

A senhora respondeu com uma tristeza profunda: 

— Meu filho, tanto faz, pois tanto a bolsa quanto minha vida estão vazias!

Ninguém está com uma arma apontada para sua cabeça dizendo: “Fique desanimado!”. É você quem decide ficar assim. Você não nasceu desanimado.  (Rick Warren )

Fonte: https://comentariosbiblico.wordpress.com

MAIS BRILHANTE

segunda-feira, 30 de maio de 2016

LEMBRANÇAS

Um velho sábio estava caminhando por um campo de neve quando viu uma mulher chorando.

— “Por que choras?“, perguntou ele.

— “Porque me lembro do passado, da minha juventude, da beleza que via no espelho, de todos bens que possuía... Deus foi extremamente cruel comigo porque me deu memória. Ele sabia que eu ia sempre recordar da primavera da minha vida e chorar“.

O sábio ficou contemplando o campo de neve, com o olhar fixo em determinado ponto. À determinada altura, a mulher parou de chorar.

— “O que estás vendo aí?“, ela perguntou ao sábio.

— “Um campo de rosas“, disse ele e continuou: “Deus foi generoso comigo porque me deu memória. Ele sabia que, no inverno, eu poderia sempre recordar a primavera, e sorrir“.

domingo, 29 de maio de 2016

SOFRIMENTO

Um casal levou o filho ao médico. O doutor disse ao pai do garoto: “Você precisa segurar seu filho com força”. A mãe estava vendo tudo, mas preferiu sair a ver seu filho ser agulhado pelo doutor. O menino poderia pensar: “Meu pai está me fazendo sofrer, por que ele não me ajuda?”, mas o pai sabia que filho precisava daquela injeção para não ficar doente.

Deus também faz isso. Às vezes, Ele permite o sofrimento para o nosso bem, mas achamos que ele não nos ama. O que vai te ajudar nesses momentos de sofrimento é: pare de focar nos seus sofrimentos e foque no amor de Deus. Eu não sei porque você está passando por tantos sofrimentos, mas uma coisa, eu sei, Deus ama você.  (Edomm Hezrom)

sábado, 28 de maio de 2016

CULPA

Ouvi a história de um garoto que, sem querer, matou o passarinho preferido de sua vovó com seu estilingue. Não achando que alguém estivesse vendo, ele pegou o pássaro e enterrou. O que não sabia é que sua irmãzinha estava vendo tudo. 

Toda vez que a vovó mandava a garota fazer uma tarefa em casa, ela ameaçava o irmão dizendo: 

— Faça isso para mim, senão eu conto sobre o passarinho!

Depois de um tempo, já cansado de tanto trabalhar, o garoto chegou a sua vovó e disse:

— Vovó, eu quero te confessar algo, eu matei o seu passarinho.

A velhinha disse:

— Meu querido, eu sei! Eu vi tudo! Eu perdoei você! Só queria ver quanto tempo você aguentaria viver debaixo dessa escravidão!

Fonte: https://comentariosbiblico.wordpress.com

O QUE MACHUCA


sexta-feira, 27 de maio de 2016

PREOCUPAÇÕES

“Winston Churchill, primeiro ministro do Reino Unido, no ano de 1945, uma vez disse:

Quando eu olho para trás e penso em todas aquelas preocupações, me lembro da história de um velho homem que no seu leito de morte disse: “Eu tive muitos problemas na vida, dos quais nunca realmente foram nenhum problema”.

Pense nas suas preocupações do ano que se passou e verá que 90% das coisas que te preocupavam nunca aconteceram de fato.”

Fonte: https://comentariosbiblico.wordpress.com/

CONHECER AS PESSOAS


terça-feira, 24 de maio de 2016

PODER SEM CONTROLE

As Cataratas do Niágara são uma das visões mais espetaculares que alguma vez já vi. O rugido de 170 mil metros cúbicos de água por minuto faz delas a queda de água mais poderosa da América do Norte. Porém, poucas pessoas sabem que mais de 50% da água do rio é desviada antes de alcançar estas quedas de água, através de quatro túneis enormes. 

Essa água passa por turbinas hidrelétricas que providenciam energia para zonas próximas, dos EUA e Canadá, antes de voltar ao rio já para além das Cataratas. Alguns gostariam que os outros pensassem na vida deles como as Cataratas do Niagara - algo selvagem, espetacular, e sonoro. Mas poder sem controle dissipa-se em energia inútil. 

Moisés pensou que poderia usar o seu poder real para libertar o povo de Deus da escravidão em que se encontrava. Ele usou mal o seu poder matando um egípcio, o que apenas lhe fez desperdiçar poder porque perdeu o respeito do seu próprio povo (Êxodo 2:11-15). Deus teve que lhe ensinar a mansidão (Números 12:3). Os mansos prosperam porque têm o poder sob controle. O nosso Senhor disse: "Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra" (Mateus 5:5). Talvez estejas tentando viver neste mundo pelo teu próprio poder. Deixa que Deus te ensine a mansidão para que vivas na Sua força e dependas dela.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

FILA INDIANA

"Para mim os homens caminham pela face da Terra em fila indiana. 

Cada um carregando uma sacola na frente e outra atrás. Na sacola da frente, nós colocamos as nossas qualidades. Na sacola de trás guardamos os nossos defeitos. Por isso durante a jornada pela vida, mantemos os olhos fixos nas virtudes que possuímos, presas em nosso peito.

Ao mesmo tempo, reparamos impiedosamente nas costas do companheiro que está adiante, todos os defeitos que ele possui.

E nos julgamos melhores que ele, sem perceber que a pessoa andando atrás de nós, está pensando a mesma coisa a nosso respeito.”

(Gilberto de Nucci)

OPORTUNIDADE


sábado, 21 de maio de 2016

JULGAMENTO INJUSTO

Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele. Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no nome do Filho Unigênito de Deus.


João 3.17-18

Alguém certa vez me disse: Se eu for para o inferno Deus será injusto comigo.

Curioso, com essa afirmação respondi: por quê?

— Eu já fiz tanta coisa boa nesse mundo. Já ajudei tanta gente. Se Deus me condenar ao inferno ele seria muito injusto.

— As coisas não funcionam assim! Deus é um bom Juiz e, um bom juiz não condena ou absolve um réu baseado nessa lógica.

— Não?!! - Respondeu admirado o homem. E qual é a lógica de Deus?

— Imagine se um homem matasse alguém e o bandido fosse preso e levado a julgamento. Ao chegar diante do juiz, falasse: "Senhor juiz, eu realmente cometi esse crime, mas, gostaria de mostrar aqui que eu também já fiz muitas coisas boas". E passasse a narrar fatos e apresentar testemunhas que comprovassem que realizou boas ações. Ao final do julgamento, dissesse: "gostaria que o senhor me absolvesse em razão das muitas coisas boas que já fiz." Em sua opinião, meu amigo, o juiz seria justo ou injusto se absolvesse o assassino?

— Totalmente injusto!!

— Da mesma forma, Deus não julga o homem levando em consideração apenas o que de bom ou mal ele fez. Pelo contrário, a Bíblia diz que Deus olha para o coração do homem e Vê se ele crê em seu Filho Unigênito. Só aceitar Jesus como o seu Salvador poderá conduzir sua alma ao céu.

NUNCA PROMETA


sexta-feira, 20 de maio de 2016

O SENTIDO DA VIDA


“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” 

1 Coríntios 10:31

Li que 50% dos cristãos acreditam que a felicidade e a realização pessoal são o propósito da vida. Em outras palavras, eles acreditam que Deus os colocou na Terra para que pudessem ser felizes e ter realização pessoal. Mas não é isso o que a Bíblia ensina. A Bíblia nos ensina que fomos criados para dar glória a Deus.

O profeta Isaías disse: “Todo o que é chamado pelo meu nome, a quem criei para a minha glória, a quem formei e fiz.” (Isaías 43:7). Nós fomos criados para dar glória a Deus. Portanto, devemos glorificá-Lo em tudo o que fazemos com nossas vidas, como o apóstolo Paulo nos lembra: “A fim de que nós, os que primeiro esperamos em Cristo, sejamos para o louvor da sua glória.” (Efésios 1:12).

Paulo também nos diz: “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” (1 Coríntios 10:31). Ele diz também: “Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o corpo de vocês.” (1 Coríntios 6:20).

Fomos criados para glorificar a Deus, em todas as situações e circunstâncias. Assim é não porque Deus precisa de nosso louvor, mas porque NÓS PECISAMOS louvá-Lo para encontrarmos o sentido da vida. Portanto, deveríamos refletir um pouco a respeito disso e perguntar: “Como posso glorificar a Deus? Tenho buscado a vontade de Deus para minha vida? Tenho andado da maneira que Ele quer que eu ande? Tenho feito o que Ele quer que eu faça?” É nesse compromisso de Lhe dar glória que a nossa vida encontra o propósito, o significado e a felicidade que procuramos.

A POLÍTICA



sexta-feira, 13 de maio de 2016

MORRER DUAS VEZES


PROSSIGO PARA O ALVO

"Prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus" (Fp 3.14).

Um jovem violinista apresentava seu primeiro recital. O auditório estava à cunha. Cada número era aplaudido freneticamente. A multidão delirava. O jovem músico agradeceu os aplausos, mas não deu demonstração de sentir-se lisonjeado. Quase todo o tempo tinha os olhos fitos na galeria.

Quando o som dos derradeiros acordes morreram, um ancião na galeria fez com a cabeça um sinal de aprovação. Imediatamente, o jovem mostrou-se satisfeito, e sua fisionomia iluminou-se de felicidade. Os aplausos da multidão pouco lhe importavam, enquanto não tivesse recebido a aprovação de seu mestre.

Os olhos do cristão devem estar fitos em Cristo. Sua pureza, Sua santidade, Sua perfeição, unicamente, podem ser nosso alvo. Logo que algum outro ser se torne nosso exemplo, nosso herói na fé, ficamos sujeitos à decepção. Conheci um homem a quem eu tinha em alta estima. Era homem, cuja simples aparência impunha respeito e admiração. Quem suporia que o maligno tivesse semeado joio em seu coração? quando ele caiu - pois foi o que aconteceu - muitos ficaram enfraquecidos na fé.

Fonte: http://www.universodesbravador.com.br

quinta-feira, 12 de maio de 2016

AS LIÇÕES DO SOFRIMENTO

Ao analisar sua vida, em quais pontos houve um maior crescimento? Sempre que faço esta pergunta, com raras exceções, a pessoa menciona o momento da dor, da perda, do profundo e inexplicável sofrimento em sua vida.

Ainda assim, quando a chuva cai sobre nossas cabeças, tendemos a pensar que Deus fechou seu guarda-chuva de proteção e nos abandonou na tempestade. Nossa confusão durante estes momentos origina-se de nossa falta de compreensão sobre o papel da dor em nossas vidas.

Curiosamente, o apóstolo nunca lamentou o fato de que as pessoas para quem ele estava escrevendo sofriam dor e perseguição, tampouco ele oferece conselhos sobre como escapar delas. Ao contrário, ele enfrenta o sofrimento firmemente, dizendo a eles (e a nós) que não se surpreendam, e promete que Deus proverá os benefícios por suportarem os sofrimentos da vida.

Mesmo quando a vida se torna fatigante e obscurecida, raios de esperança traspassam as nuvens para estimular o nosso crescimento. Na verdade, sem a dor não haveria o menor crescimento, pois permaneceríamos sem abrigo, delicados, ingênuos, irresponsáveis e imaturos.

Charles Swindoll, em “RENOVE SUA ESPERANÇA”

terça-feira, 10 de maio de 2016

NÃO TRANSGRIDA A LEI

Eu detesto legalismo eclesiástico. A lista do pode e não pode inventada por homens para oprimir outros homens e mulheres. O legalismo é o contrário do que ensina o Evangelho. 

Cristo liberta para que possamos andar com ele em... amor e gratidão. Nunca, por medo do peso da mão do senhor de engenho eclesiástico. Agora, andar na linha gera felicidade, autoridade e paz. 

Quem quiser ser verdadeiramente, ser feliz, tema ao... Senhor! Obedecer às leis, fugir do pecado, andar humildemente com o Senhor estão na base de uma vida prazerosa. Ser gente boa de Deus, fazer o bem, perdoar, relevar, entregar dízimos e ofertas, manter uma boa e saudável convivência com as pessoas se traduzem uma vida de harmonia e paz. 

Ou seja, ser subserviente a uma lei eclesiástica pode nos transformar em escravos espirituais da instituição, mas obedecer aos preceitos de Deus gera vida e alegria indizíveis. 

Eu rasgo a lista eclesiástica dos fariseus e piso em cima de seus livros de conduta moral. Mas, imploro que a gente leia a Palavra de Deus e siga os preceitos da Lei do Senhor em nosso viver diário. 

Nada nos fará sobreviver a tempestades, derrubar gigantes, passar pela prova sem se queimar, resistir a tentações como guardar a Palavra bem no íntimo de nossas vidas. Ignore as leis do abusador, mas jamais quebre as Leis do Senhor.

Pr Geraldo Magela

domingo, 8 de maio de 2016

O VELHO SUETER

Em meu guarda-roupa há um suéter que raramente uso. Está muito pequeno. As mangas estão muito curtas e os ombros muito apertados. Faltam alguns botões e o tecido está esfarrapado. Eu devia jogá-lo fora. Não há razão de conservá-lo. Eu nunca o usarei novamente. A lógica que eu devia desocupar o lugar e me livrar deste suéter.

Isso é o que a lógica diz.

Mas o amor não me permite jogá-lo fora.

Algo peculiar sobre este suéter me faz conservá-lo. O que há de especial nele? Em primeiro lugar, não há nele nenhuma etiqueta. Em nenhum lugar se diz que foi feito na Tailândia, ou que deve ser lavado em água fria. Ele não tem etiqueta porque não foi feito numa fábrica. Não tem etiqueta porque não foi feito numa linha de montagem. Não é o produto de empregado anônimo que o fez para ganhar a vida. É a criação de uma mãe dedicada expressando seu amor.

O suéter é singular. Único de sua espécie. Não pode ser substituído. Cada laçada foi feita com cuidado. Cada fio foi selecionado com afeto.

E apesar de o suéter ter perdido sua utilidade, não perdeu nada do seu valor. Ele não é valioso por causa de sua função, mas por causa de quem o fez.

Isto deve ter sido o que o salmista tinha em mente quando escreveu: "Entreteceste-me no ventre de minha mãe." (Salmo 139:13)

Max Lucado em “O Aplauso do Céu”, Editora United Press Ltda., 1997 Campinas, São Paulo

sábado, 7 de maio de 2016

UMA HISTÓRIA DE MÃE

Estimado leitor, há uma história muito antiga na minha memória que, por ser mesmo muito antiga, não faço mais a mínima ideia de como ela se alojou na minha mente. Creio que nem mesmo deva ter acontecido e deve ser mais uma desses episódios que pertencem ao nosso imaginário coletivo. Diz mais ou menos assim.

No fim daquele ano, a turma iria formar-se no antigo Segundo Grau (hoje chamamos de Ensino Médio). Para comemorar, a direção da escola propôs aos formandos que fizessem uma pequena comemoração.

A ideia agradou aos alunos e eles, a fim de terem o dinheiro necessário, estipularam uma pequena quantia a ser paga todo mês e cada formando teria, portanto, direito de convidar algumas pessoas. Somente mesmo os familiares mais próximos e alguns amigos.

Tudo estava indo às mil maravilhas não fosse o fato de uma determinada aluna da turma morrer de vergonha da sua mãe, senhora muito simples, que ganhava a vida lavando roupas para fora. Vez ou outra, até sentia alguma admiração pela mãe e por sua labuta sem fim. Era o dia inteiro colada ao tanque, esfregando roupa por roupa, com o intuito de ter como pagar as contas de casa.

Mas essa admiração não era suficiente para fazer com que a filha se convencesse a estar com a mãe em público e decidiu, então, não contar nada sobre a comemoração. Mas, dependente da mãe como era, como conseguir o dinheiro para fazer parte da colação de grau? Passou a dizer que precisava comprar livros, pois sabia que para isso a mãe não lhe negaria o dinheiro.

O problema é que as despesas com “os livros” foram ficando cada vez mais altas, e a mãe resolveu ir até a escola entender o que estava acontecendo. Afinal de contas, por mais bem intencionada que estivesse, a escola exigira leituras demais e manter tais gastos já era impossível.

Ao chegar, foi recebida pela diretora e foi logo contando a sua história. Para sua surpresa, não havia livro nenhum, e a garota foi chamada à presença de ambas, mãe e diretora, para explicar melhor aquela situação.

Quando a aluna entendeu o que estava acontecendo, não deu conta de manter a farsa e confessou tudo. Disse, na frente da mãe, da vergonha que sentia e que não queria sua presença na festa. A mãe desabou num choro enorme ao constatar que, enquanto trabalha dias e noites, sua filha tramava ir à festa sem a sua companhia. A diretora, estupefata, disse que a mãe, doravante, era sua convidada e que fazia questão absoluta de sua presença. A mãe agradeceu e foi embora.

Desnecessário dizer que, no dia da festa, a mãe não compareceu. Amava tanto a filha que preferiu sofrer o desgosto de não a ver se formar a ser um incômodo para ela. Mãe é assim mesmo: é capaz de amar até mesmo quando seu amor não é correspondido.
Senhoras mães, parabéns pelo seu dia!

sexta-feira, 6 de maio de 2016

CUIDA BEM DE MIM

Minha oração hoje, admito, é mesmo egoísta. Estou pensando só em mim, me perdoem. Faz anos que só penso no bem estar das outras pessoas. Cada visita, cada mensagem, cada ação minha era para fazer bem ao “povo de Deus”. Acredito que fiz bem agindo assim, mas agora cansei de pedir pelos outros. 

Peço-te por mim. Mas, hoje, quero mudar. Hoje, quero pensar só em mim. Por isso, peço ao Senhor que cuide bem de mim. Trata-me com carinho, Senhor. Põe-me no colo. Faz-me cafuné. Sussurra que me ama. Diz que nunca me desamparasse, Senhor. Afirma que gosta de mim, apesar de meus pecados e falhas e gafes. 

Cuida bem de mim, Senhor. Do feito que meu pai e minha mãe me trataram quando era criança, faz semelhante comigo… Quando eu chorar, quando eu tiver fome, quando eu tiver medo, brinca comigo, me alimenta, me consola. 

Não estou pedindo pelo fim da fome nos paises africanos, não intercedo pelo fim dos regimes comunistas, não perco agora o meu tempo querendo o fim do tráfico de drogas no Rio e no Recife. Nada tão grandioso. Nada tão altruísta. 

Só peço uma coisa, que muitos não ousam pedir, por se enxergarem “muito espirituais”, melhores que eu. Não me ocupo de outra coisa, agora. Só um pedido me queima o peito: cuida bem de mim, Senhor. Merecer, não mereço. Mas, pedir eu posso: cuida bem de mim, meu Pai!

Escrito pelo Pr Geraldo Magela

quarta-feira, 4 de maio de 2016

ARREPENDIMENTO

Porque eu declararei a minha iniquidade; afligir-me-ei por causa do meu pecado.


Sal. 38:18

Um jovem falava com o grande evangelista Moody, sobre o arrependimento. – Isso nunca me fulminou – disse o moço.

– Que quer o senhor dizer?, perguntou Moody.

– Ora – respondeu o jovem – a alguns ele fulmina e a outros não. Tenho visto muitos se arrependerem e se colocarem ao lado de Cristo, mas eu mesmo nunca me senti fulminado.

Aquele moço tinha a ideia errada de que o arrependimento fosse coisa que fulminasse, como o raio. Isso, naturalmente, não é verdade. O arrependimento não é uma emoção. É uma profunda convicção de se haver cometido um mal. Leva a pessoa a volver-se para Deus, a fim de ser purificada do mal.

do livro "Mil Ilustrações Selecionadas", Dr. D. Peixoto da Silva, Casa Publicadora Batista, Rio de Janeiro, 1966

domingo, 1 de maio de 2016

APESAR DE TUDO, COMPENSA

Muitos idealistas morreram sem ver frutificados seus esforços e seu trabalho, com os corações profundamente angustiados e decepcionados.

O fez mais na Inglaterra, do que qualquer outro, no sentido de libertar os filhos dos pobres da exploração de ambiciosos e inescrupulosos. Lutou duramente, por 17 anos, antes que o parlamento aprovasse a lei que limitava o trabalho de menores em fábricas a 10 horas diárias. Teve de esperar mais de 30 anos, para vencer a oposição dos empregadores e ver a lei em vigor.

Ninguém fez mais para livrar os povos de língua inglesa da maldição da escravidão do que John Woolman, um simples crente. Morreu clamando a Deus que desse liberdade aos escravos. Os resultados de seu sacrifício só apareceram após sua morte.

(Extraído de VASSÃO, Amantino Adorno. Esteiras de Luz. Rio de Janeiro: Juerp, 1971.