sábado, 28 de fevereiro de 2015

AS DUAS PULGAS

Virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas.

II Timóteo 4.3-4

Muitas instituições caíram e caem na armadilha das mudanças drásticas de coisas que não precisam de alteração, apenas aprimoramento. O que lembra a história de duas pulgas. Elas estavam conversando e então uma comentou com a outra:

- Sabe qual é o nosso problema? Nós não voamos, só sabemos saltar. Daí nossa chance de sobrevivência, quando somos percebidas pelo cachorro, é zero. É por isso que existem muito mais moscas do que pulgas.

E elas contrataram uma mosca como consultora, entraram num programa de reengenharia de voo e saíram voando. Passado algum tempo, a primeira pulga falou para a outra: "Quer saber? Voar não é o suficiente, porque ficamos grudadas ao corpo do cachorro e nosso tempo de reação é bem menor do que a velocidade da coçada dele. Temos de aprender a fazer como as abelhas, que sugam o néctar e levantam voo rapidamente."

E elas contrataram o serviço de consultoria de uma abelha, que lhes ensinou a técnica do chega-suga-voa. Funcionou, mas não resolveu. A primeira pulga explicou por quê:

- Nossa bolsa para armazenar sangue é pequena, por isso temos de ficar muito tempo sugando. Escapar, a gente até escapa, mas não estamos nos alimentando direito. Temos de aprender como os pernilongos fazem para se alimentar com aquela rapidez.

E um pernilongo lhes prestou uma consultoria para incrementar o tamanho do abdômen. Resolvido, mas por poucos minutos. Como tinham ficado maiores, a aproximação delas era facilmente percebida pelo cachorro, e elas eram espantadas antes mesmo de pousar. Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha:

- Ué, vocês estão enormes! Fizeram plástica?

- Não, reengenharia. Agora somos pulgas adaptadas aos desafios do século XXI. Voamos, picamos e podemos armazenar mais alimento.

- E por que é que estão com cara de famintas?

- Isso é temporário. Já estamos fazendo consultoria com um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar. E você?

- Ah, eu vou bem, obrigada. Forte e sadia.

Era verdade. A pulguinha estava viçosa e bem alimentada. Mas as pulgonas não quiseram dar a pata a torcer:   Mas você não está preocupada com o futuro? Não pensou em uma reengenharia?

- Quem disse que não? Pensei, sim! E fui conversar com a minha avó, que tinha a resposta na ponta da língua.

- E o quê ela disse?

- Não mude nada. Apenas sente no cocuruto do cachorro. É o único lugar que a pata dele não alcança.

MORAL: Você não precisa de uma reengenharia radical para ser mais eficiente. Muitas vezes, a GRANDE MUDANÇA é uma simples questão de reposicionamento.

Autor: Max Gehringer (adaptado)
Fonte: www.metaforas.com.br

UMA ÚNICA NECESSIDADE DA ALMA


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

O MELHOR DA VIDA

João 14:6 - "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim."

Tente segurar água em suas mãos e ela vai se esvair rapidamente. Porém, se você se imergir dentro de uma piscina cheia da mesma água, ela vai estar continuamente ao seu redor pelo tempo que você queira.

A vida é da mesma maneira. A vida não pode caber e nem pode ser segura pelas suas mãos. Para experimenta-la em sua plenitude você precisa se imergir dentro dela. É necessário deixar que a vida flua completamente para que você possa experimenta-la com alegria.

Ao contrario do que é constantemente pregado na nossa sociedade, absolutamente não é necessário possuir para que você venha a desfrutar o melhor desta vida. Muito frequentemente nós gastamos tempo, esforço, energia e dinheiro tentando possuir aquilo que jamais poderá realmente nos satisfazer. A palavra “precisar” assume grandes e reais limitações. A realidade porém, é que quando você está livre da necessidade de possuir você está verdadeiramente livre de suas limitações.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

APENAS OBEDEÇA

Certo navio procedia do Oriente e singrava nas proximidades do litoral da América do Sul. A viagem fora longa. O suprimento de água fora insuficiente e, aquela altura, acabou-se. Ali estavam, em pleno oceano, sem água potável, com a terrível ameaça de morrer de sede.

Felizmente, um navio de bandeira brasileira aproximou-se o bastante para que o barco em dificuldade pedisse por sinais: “Por favor, cedam-nos um pouco de água potável”. A resposta do navio brasileiro foi imediata: “Desçam os baldes onde estão”. O aflito capitão pensou em tratar-se de uma ordem descabida e repetiu o pedido. E, de novo, o sinal com as mesmas palavras: “Desçam os baldes onde estão”. Obedecendo ao sinal, um balde então foi baixado e mergulhou no oceano. Içado para bordo, o capitão tocou com eles a língua e constatou que a água era doce. O que não sabia é que estavam no centro da larga corrente de água doce, que a força das águas do rio Amazonas empurra para o Atlântico!

INJUSTIÇA


sábado, 21 de fevereiro de 2015

DOIS LADRÕES

Com ele crucificaram dois ladrões, um à sua direita, e outro à sua esquerda.



Mc 15.27



Tem dias que eu fico a pensar nestes dois homens. Posso imaginar que talvez fossem amigos, participaram dos mesmos crimes. Eles não eram só ladrões, eram grandes ladrões, porque receberam como punição a morte.



Sem conjecturar muito, posso dizer que eles tinham outros planos, sonhavam com outras coisas. Mas nada saiu como esperavam. E agora, enquanto o sol escurecia, eles sabiam que tudo terminara, que chegara o final da estrada.



Você já se sentiu assim? Talvez em algum momento da vida quando terminou um namoro, perdeu algum bem, ficou reprovado, não passou em teste, um parente morreu. Diante de algumas situações chegamos a pensar: é o final. Mas esses homens não, eles realmente tinham chegado ao fim...



Olhar para frente e não conseguir fazer planos para o amanhã é terrível! Aqueles dois homens não conseguiam ver o futuro. Hoje, ao redor do mundo, tem muita gente assim. São incapazes de sonhar, de amar, de perdoar. Estão morrendo por dentro. Sofrendo a agonia de atrofiar o coração. Jesus naquele dia fez toda a diferença. Se você está vivendo como os ladrões da cruz, Jesus pode te ajudar, clame ao Pai e Ele renovará tua esperança.

Fandermiler Freitas

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

ESPERANÇA

Agora, pois, Senhor, que espero eu? A minha esperança está em ti.

Salmo 39.7

A esperança é uma ilha na alma, onde o ser semelhante a um náufrago senta-se a beira da praia contemplando o horizonte. O coração é o seu guardião e jamais se cansa. Dia vai, dia vem, céu azul, nuvens negras, ondas gigantes, calmaria. Não importa o que aconteça na vida, na ilha esperança continua-se a incansável missão de esperar.

A Bíblia narra a história de uma mulher que viveu 12 anos de dor, tristeza e diagnósticos sem esperança, consumida por uma hemorragia. Gastou sua fortuna e, aos poucos, foi perdendo sua condição social. Isolou-se em sua casa enquanto atrofiava o desejo de viver.

Jairo é outro exemplo que nos leva a refletir sobre nós mesmos. Toda a sua riqueza resumia-se em uma filha. A felicidade era sua companheira amada até que chegou a triste notícia: a menina morreu. Tristezas, desespero, agonia, apoderou-se de sua alma.

Mas quando Jesus aproximou-se da cidade, essas duas almas não perderam nem por um momento a fé e arrastados pela esperança que ainda persistia em viver, caminharam ao encontro do Mestre.

Em meu redor, vejo muitas pessoas tristes, cansadas, angustiadas, incapazes de disfarçar o desespero da alma e a infelicidade do coração. vivem uma vida difícil. No entanto, nem por um momento cogitam a possibilidade de aproximar-se de Jesus.

Que pena! Pois acredito que no tempo de Jesus, existiam muitos Jairos, que perderam sua filha para a morte e muitas mulheres que viviam atormentadas por doenças, mas só aqueles que foram a Jesus tiveram suas esperanças renovadas e a realidade transformada.

Minha Esperança - Tommy Coomes.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

A DRACMA PERDIDA

Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar?

 Lucas 15.18

Nós estamos sempre perdendo coisas. Uma chave, um papel importante, uma caneta. É incrível como às vezes ficamos preocupados por não saber onde pusemos determinada coisa. Lembro-me de que alguns dias, fizemos uma busca minuciosa por causa de um celular. reviramos a casa, procuramos no trabalho, revisamos os últimos passos feitos e nada. O dia passou naquela agonia. Só a noite, resolvemos examinar a bolsa da mulher. Lá estava ele descarregado num bolso, escondido entre os papéis e apetrechos femininos.

A história que Jesus contou sobre uma mulher que perde uma dracma é bem parecida. Ela havia ganhado uma joia, formada de dez dracma, uma corrente que usava na cabeça. Possivelmente foi um presente de noivado que representava o amor e o compromisso dos noivos.

Mas agora, ela havia perdido uma. E isso não era bom. o que o noivo e as pessoas diriam: Que ela não era zelosa nem cuidadosa, que desprezava o símbolo do amor do homem que a amava e a escolheu.

Diz a Bíblia que ela procurou com grande afinco, vasculhou a casa inteira e só descansou depois que encontrou sua dracma. Quem dera que nós fôssemos assim! Ah! Se tivéssemos a determinação desta mulher para buscar o que se perdeu e que não descansássemos até ter de volta o que não está mais em nossas mãos.

Fandermiler Freitas

MAIS PODEROSA


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

SERPENTE ENTRE OS LIVROS

Certo dia um senhor na Índia foi para sua biblioteca, e tirou um livro da estante. Ao fazer isso sentiu uma pequenina dor no dedo, como uma picada de alfinete. Julgou que um alfinete fora espetado por alguma pessoa descuidada na capa do livro. Mas logo seu dedo começou a inchar, em seguida o braço, e então o corpo todo; e em poucos dias morreu. Não era um alfinete que estava entre os livros, mas uma serpente pequena e venenosa.

Há muitas serpentes entre os livros hoje em dia Elas se aninham na folhagem de algumas de nossas mais fascinantes literaturas; elas se enrolam em redor das flores cujo perfume envenena os sentidos. As pessoas leem e ficam encantadas com o enredo da história, com a perícia dos caracteres agrupados, pelo brilho das descrições, e dificilmente sentem a picada do alfinete do mal que se insinua. Mas ele dá a ferroada e envenena. Quando o registro das almas arruinadas for feito, sobre quantas estará escrito: "Envenenada pelas serpentes entre os livros!" Cuidemo-nos contra a serpente, e leiamos, apenas aquilo que é são, instrutivo e proveitoso.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

A BÊNÇÃO DA AFLIÇÃO

As joias de um cristão são as suas aflições.

Num de seus livros, Spurgeon faz uma afirmação que algumas vezes consideramos linda, outras, assustadora. Diz ele: As joias de um cristão são as suas aflições. Das aflições uns saem melhores, outros saem piores e totalmente destruídos, daí minha percepção sobre aflições serem lindas ou assustadoras. 

Jesus, sem rodeios, em João 16.33 faz uma certeira e inequívoca afirmação: No mundo tereis aflições. Notou o plural? Aflições. De todo tipo e intensidade, sem aviso prévio e nos períodos mais inesperados. Não dá para fugir. Estampar uma cara de feliz o tempo todo também não dá, ou seja, não dá para fingir. Sofremos. É inescapável que assim seja. 

Para intensificar ainda mais as aflições, os sofrimentos que sofremos são acompanhados de injustiças. Pelo menos na maioria das vezes. Injustiças para as quais não encontramos nenhuma explicação. Até porque, se algo é injusto, já não resta nenhuma explicação satisfatória, apenas a dor do abuso, da exploração, da intimidação, da humilhação. 

E por que as aflições são comparadas a joias na opinião de Spurgeon? Vamos deixar ele mesmo responder. Num outro texto, veja o que ele diz sobre as aflições na vida do crente: O melhor dos santos de Deus deve beber o fel; o mais precioso de seus filhos deve carregar a cruz. Nenhum cristão desfrutou perpétua prosperidade. Talvez o Senhor tenha destinado a você, de início, uma vereda plana e desanuviada, porque você era fraco e tímido. Mas, agora que você está mais forte na vida espiritual, deve passar pelas experiências mais maduras e mais ásperas dos filhos adultos de Deus. Precisamos de ventos e tempestades para exercitar nossa fé, que arranquem o galho seco da autoconfiança e nos tornem mais firmemente enraizados em Cristo. O dia do mal revela-nos o valor de nossa gloriosa esperança. 

Para mim, muitas vezes as aflições são incompreensíveis. Por que? Para que? Até quando? O que faço? Enfim, nada de resposta, apenas incompreensão. Uma coisa sei: isso é aflição. Insuportável muitas vezes. Pela fé, e só pela fé, consigo me juntar a Jó: Bendito seja o nome do Senhor! Dando, tirando, curando, permitindo a dor, castigando, silenciando, revelando, multiplicando, subtraindo, não importa como seja, com ou sem compreensão, bendito seja o Nome do Senhor!

Fonte/Créditos/Origem:
http://www.soudapromessa.com.br/

O DESTINO QUE MERECEMOS


domingo, 8 de fevereiro de 2015

DEUS SEMPRE ENVIA SEUS ESQUILO

"...o Senhor vosso Deus é quem vai convosco. Não vos deixará, nem vos desamparará" 

Deuteronômio 31:6

David Brainerd, missionário para os índios, em uma de suas muitas jornadas para visitar uma tribo, foi colhido por uma forte tempestade. Ele procurou um lugar para se abrigar e por fim encontrou um tronco oco de uma árvore muito grande.

Enquanto esteve ali, orou pelos índios que estava indo visitar, pedindo que Deus cuidasse de todas as suas necessidades. Ele não tinha nada para comer e com o passar das horas, sentiu fome. De repente um esquilo se aproximou da árvore. Bateu os dentes por alguns instantes e logo desapareceu. Brainerd notou que ele deixou algumas nozes para trás. O missionário comeu aquelas nozes. A tempestade durou três dias e o missionário permaneceu ali. Todos os dias o esquilo vinha e depositava algumas nozes na entrada.

David Brainerd sabia que o esquilo havia sido enviado por Deus.

Como é maravilhoso saber que Deus jamais deixa de cuidar de Seus filhos. Sejam quais forem as dificuldades, Ele sempre providencia a solução. Mesmo que as circunstâncias nos levem a pensar que poderemos sucumbir, Ele chega e, com muito amor, estende as mãos para nos ajudar. Ele sempre tem um "esquilo" para enviar e nos socorrer.

Se enfrentamos lutas com enfermidades, Ele vai enviar algum esquilo para nos abençoar. Se o problema é financeiro, um outro esquilo será encarregado de nos acudir. Se nos sentimos tristes e solitários, um esquilo especial surgirá para alegrar os nossos dias.

O que deve estar bem claro para nós é que o Senhor nunca nos desamparará. A nossa fé não pode, jamais, perder a esperança. Ele está junto a nós, sempre esteve, jamais se afastará.

Os estoques de esquilos e nozes do Senhor duram para sempre.
Não existe nenhuma tempestade que possa impedir que os esquilos espirituais e as nozes de bênçãos cheguem para todos aqueles que confiam plenamente na provisão do Senhor.

Paulo Roberto Barbosa

A VERDADEIRA FELICIDADE


sábado, 7 de fevereiro de 2015

SERPENTES

"Existem na índia pessoas que adoram serpentes. Isto é algo terrível. Conta-se de certa mãe que viu entrar em sua casa uma enorme serpente que se enroscou no corpo de sua filhinha de apenas seis meses de idade. A mãe, crendo que era um animal sagrado, não se pôs a intervir e teve que deixar que sua filhinha morresse. Meu espírito se horripilou quando li semelhante notícia, diz Moody, mas na realidade, não sei se não estamos iguais aos da Índia em algumas coisas. Há serpentes que entram em muitos lares cristãos, envolvendo os nossos filhos, enquanto que os pais e as mães parecem estar dormindo"

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

VERDADEIRA SATISFAÇÃO

O filme épico baseado no romance de Margaret Mitchell, E o Vento Levou, começa com essas linhas: "Havia uma terra de fidalgos e plantações de algodão, chamava-se Velho Sul. Lá, nesse belo mundo o cavalheirismo teve seu último grande momento... Você só vai encontrá-lo nos livros, pois ele não é mais que um sonho relembrado, uma civilização que o Vento Levou".

Não é somente uma forma de vida que desaparece, mas também os sonhos que guiam os personagens principais. Durante a Guerra Civil, Scarlett O'Hara está preocupada com o seu amado Ashley Wilkes, no final da história, está desiludida. Salomão viu a futilidade em buscar satisfação em pessoas e coisas. Apesar da riqueza acumulada e do conhecimento, de ter completado grandes obras e casado com muitas mulheres, ele disse: "… tudo é inútil, é correr atrás do vento!" (Eclesiastes 1:14).

Por que a busca por coisas transitórias não nos realiza? A resposta bíblica é de que fomos criados para encontrar nossa verdadeira satisfação e realização em Deus. Jesus prometeu: "… eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente" (João 10:10). Pessoas e coisas vêm e vão. Mas a satisfação espiritual que Cristo nos oferece vai durar neste mundo e perdurar até a eternidade.

FELICIDADE


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

MANTENHA O GARFO

Havia uma jovem mulher que tinha uma doença terminal e lhe foi previsto apenas mais três meses de vida. Desta forma, ela começou a colocar suas coisas "em ordem".  

Passado algum tempo, ligou para um amigo e pediu que viesse à sua casa para discutirem determinados aspectos de seus últimos desejos. 

Conversaram sobre vários pontos e ela lhe disse sobre todas as suas vontades relacionadas ao serviço funerário. Tudo estava em ordem e o amigo preparava-se para sair quando a mulher lembrou-se de algo muito importante para ela. 


- Tem mais uma coisa! Disse excitada 

- Do que se trata? Perguntou o amigo. 

- Isto é muito importante. - a mulher continuou - Eu quero ser enterrada com um garfo em minha mão direita. 

O amigo ficou olhando a mulher sem saber o que dizer. 

- Isto é uma surpresa para você, não é? A jovem mulher perguntou. 

- Bem, para ser honesto, estou confuso com este seu pedido. Respondeu o amigo. 

A mulher então explicou: Quando eu era criança e visitava minha avó, quando no jantar os pratos começavam a ser recolhidos, minha vó inclinava-se em minha direção e cochichava em meu ouvido: "Mantenha o seu garfo". Era minha parte favorita porque eu sabia que algo melhor estava por vir... como o bolo de chocolate ou a torta de maçã. Algo sempre maravilhoso, e com substância! - Assim, eu apenas quero que as pessoas me vejam lá no caixão com um garfo em minha mão e então perguntarão "para que é o garfo?". Então quero que lhes diga: "ela mantém seu garfo porque o melhor está por vir". 


Tradução Sergio Barros

SE VOCÊ ACREDITAR