quinta-feira, 31 de outubro de 2019

PERDÃO

Certo dia, em alto mar, a caminho de casa, um oficial da Marinha resol­veu, sem qualquer motivo, abandonar a sua esposa, que vivia em Nova lor­que. Sob o domínio daquele ímpeto, lançou ao mar a Bíblia que ela lhe havia dado de presente. 


Depois de duas semanas de vida pecaminosa e infeliz num porto, ele ou­viu a pregação do evangelho numa igreja e começou a pensar seriamente na loucura que cometera. Então, foi até a frente, chorando, confessando seus pe­cados e pedindo ao evangelista que o aconselhasse. Este, imediatamente, res­pondeu:

— Escreva a sua esposa; conte-lhe o que se passou com o senhor hoje, aqui. Se ela for cristã, ela o perdoará.

Alguns dias depois, com a face radiante pelo gozo da nova vida que encontrara, o oficial procurou o pregador para mostrar-lhe uma carta, na qual a sua esposa lhe assegurava seu perdão e seu amor.


R. Roseway Robbins (Califórnia, E.U.A.)

O EVANGELHO


quarta-feira, 30 de outubro de 2019

EU É QUE SEI

Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que desejais.  
Jeremias 29.11

Existem diversas situações neste mundo, pelas quais podemos passar, que inevitavelmente, impedirá nossos olhos de ver o Senhor agindo a nosso favor: Uma morte trágica na família, uma doença devastadora, problemas de ordem financeira, divórcios, tragédias e etc.

O perigo da dor é que ela pode levar o homem a desacreditar em Deus, a enfraquecer na fé e a duvidar do amor e do cuidado do Pai. Não são poucos os exemplos de homens e mulheres que impulsionado pelo sofrimento se atiraram rumo ao desconhecido, abandonando os braços do Pai.

No entanto, o Senhor nos diz: "Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito". Quando o sofrer nos atingir é preciso confiar nas promessas de Deus e seguir em frente sem duvidar, porque o Criador sempre cuida de nós e há de levar-nos as águas tranquilas, onde toda a felicidade é possível.

Fandermiler Freitas

CÓLERA


terça-feira, 29 de outubro de 2019

SALMO 135 E O PRAZER DE DEUS EM TUDO O QUE ELE FAZ

Por John Piper

Louvai ao Senhor! 

Louvai o nome do Senhor; louvai-o, servos do Senhor. 

Vós que assistis na Casa do Senhor, nos átrios da Casa do nosso Deus. 

Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom; cantai louvores ao seu nome, porque é agradável. 

Porque o Senhor escolheu para si a Jacó e a Israel, para seu tesouro peculiar. 

Porque eu conheço que o Senhor é grande e que o nosso Deus está acima de todos os deuses. 

Tudo o que o Senhor quis, ele o fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos.


O salmo começa nos chamando para louvar o Senhor: Louvai ao Senhor. Louvai o nome do Senhor. Então, começando no verso 3 o salmista nos dá razões pelas quais nós deveríamos sentir o louvor se erguendo em nossos corações em direção a Deus. Ele diz, por exemplo (verso 3), "Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom." A lista de razões para louvores continua até chegar no verso 6, e este é o verso no qual eu quero focar:

Tudo o que o Senhor quis, ele o fez,
nos céus e na terra,
nos mares e em todos os abismos.

Salmo 115:3 diz a mesma coisa:

Mas o nosso Deus está nos céus;
e faz tudo o que lhe apraz.

Sempre com liberdade, nunca obrigado.

Este verso ensina que seja quando for que Deus age, ele age de uma forma que agrada a ele. Deus nunca é obrigado a fazer algo que ele odeia. Ele nunca é posto num beco sem saída onde seu único recurso é fazer algo que ele odeia fazer. Ele faz o que lhe apraz. E portanto, em algum sentido, ele tem prazer em tudo que ele faz.

Estes textos e muitos outros deveriam nos levar a inclinar-nos diante de Deus e louvar sua liberdade soberana — que em algum sentido em última instância ele sempre age com liberdade, de acordo com seu próprio "bel-prazer," seguindo os princípios de seus próprios deleites.

Deus nunca se torna a vítima da circunstância. Ele nunca é forçado a uma situação onde ele deve fazer algo em que ele não se apraz. Ele nunca é enganado. Ele não é preso em armadilha nem encurralado nem coagido.

Uma Oferta de Cheiro Suave

Mesmo no ponto singular da história onde ele fez o que em um sentido foi a coisa mais dura para Deus de se fazer, "não poupar a seu próprio Filho" (Romanos 8:32), Deus estava em liberdade e fazendo o que lhe agradou. Paulo diz que o auto-sacrifício de Jesus na morte foi uma "oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave." (Efésios 5:2). O maior pecado e a mais grandiosa morte e o ato mais duro de Deus foi agradável ao Pai.

E em seu caminho para o Calvário Jesus mesmo tinha legiões ao seu dispor. "Ninguém tira a minha vida de mim; Eu de mim mesmo a dou" — de seu bel-prazer, pelo gozo que lhe estava proposto. No ponto singular da história do universo onde Jesus pareceu apanhado em armadilha, ele estava com controle total fazendo precisamente o que lhe agradou — morrer para justificar pecadores como você e eu.

Então permaneçamos em temor e maravilhados. E tremamos por saber que não apenas nossos louvores à soberania de Deus mas também nossa salvação através da morte de Cristo dependem disto: "Mas o nosso Deus está nos céus e faz tudo o que lhe apraz."

Interpretação de todos os livros da Bíblia, vídeos, louvores, mensagens, sermões e estudos, galeria de imagens e muito mais em um único site, acessando o seguinte link:

http://25dutra.wix.com/copywriter-cv-pt

Silvio Dutra

SER VERDADEIRO


segunda-feira, 28 de outubro de 2019

PACIÊNCIA

"Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados... muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.

Por muito pouco a madame que parece uma "lady", solta palavrões e berros que lembram as antigas "trabalhadoras do cais", e o bem comportado executivo, "o cavalheiro", se transforma numa "besta selvagem" no trânsito que ele mesmo ajuda tumultuar.

Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido uma "mala sem alça", aquela velha amiga uma "alça sem mala", o emprego uma tortura, a escola uma chatice. O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio viraram novela.

Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela Internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos. Pobre de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para a espiritualidade, a paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta. Pergunte para alguém que você saiba que é "ansioso demais", onde ele quer chegar? Qual é a finalidade de sua vida? Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.

E você? Onde quer chegar? Está correndo tanto para que? Por quem? Seu coração vai aguentar? Se você morrer hoje de infarto o mundo vai parar? A empresa que você trabalha vai acabar? As pessoas que você ama vão parar? Será que você conseguiu ler até aqui? Respire...Acalme-se... O mundo está apenas na sua primeira volta e com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência".

Teilhard de Chardin

A PESSOA MAIS PERIGOSA


domingo, 27 de outubro de 2019

A MURALHA II

"Respondeu Ele: não; sou Príncipe do exército do Senhor e acabo de chegar. Então, Josué se prostrou com o rosto em terra, e O adorou e disse-lhe: que diz meu Senhor ao Seu servo? 
Josué 5.14

Naquele momento, diz a Palavra que Josué levantou os olhos. Não para divisar o cimo, o topo da muralha, o tamanho do problema, a grandeza da impossibilidade, a imensidão do obstáculo, mas para ver que ao seu lado estava o Deus que desce conosco à liça de nossas batalhas.

Será que já chegamos ao pé do nosso problema insolúvel, será que já chegamos ao fim dos nossos recursos e que só temos pela frente uma enorme muralha de dificuldades? Olhamos e só conseguimos ver o impossível, o " não pode", o "não tem jeito"? E não conseguimos ter esperança, ir adiante, porque há uma MURALHA ENORME diante de nós? Não desesperemos, a muralha pode ser grande, o exército inimigo, numeroso; suas armas, poderosas; mas a Palavra de Deus nos diz que temos ao nosso lado o Parceiro Invencível da vida – Jesus, aquEle que jamais perdeu uma batalha.

Façamos como Josué: levantemos os olhos da fé; não para divisar o cimo, o topo da muralha, o tamanho do problema, a grandeza da impossibilidade, a imensidão do obstáculo, mas para ver que não estamos sós. Deus se fez nosso Parceiro da vida (se Deus é por nós quem será contra nós?), desceu à liça de nossas batalhas, se conjugou às nossas vidas para derrubar a muralha da impossibilidade. Portanto, tiremos os olhos da situação imediata, das circunstâncias que se agigantam diante de nós. Vamos dar nova direção ao nosso olhar, uma nova orientação às nossas emoções. Olhemos para aquEle que é Maior que a sua muralha. Não desanimemos! O Príncipe do exército de Deus é o seu Parceiro Invencível da vida.

Rev. José Kleber Fernandes Calixto

É MUITO PIOR


sábado, 26 de outubro de 2019

A MURALHA I

Respondeu Ele: não; sou Príncipe do exército do Senhor e acabo de chegar. Então, Josué se prostrou com o rosto em terra, e O adorou e disse-lhe: que diz meu Senhor ao Seu servo? 

Josué 5.14 

Josué havia chegado ao pé da muralha. Inexpugnável, intransponível, a muralha era o limite, o ponto final, a visão perfeita da impossibilidade - significava o fim de sua capacidade e de suas forças. E ali, diante do impossível, Josué, achacado e diminuído por aquela visão perturbadora deixava-se invadir por um tropel de sentimentos que começavam a abalar as estruturas mais profundas de sua fé.

O que fazer? O que fazer quando nós chegamos diante do impossível, o que fazer quando nós chegamos ao limite de nossas forças, o que fazer quando a única coisa que conseguimos ver é uma muralha intransponível, quando a única coisa que conseguimos divisar diante de nós é a imensidão do topo, do cimo da impossibilidade?

A Palavra de Deus nos diz que naquele momento de total insolubilidade na vida do grande líder de Israel, Deus enviou o Príncipe do Seu exército ao seu encontro (manifestação visível do Messias Prometido que haveria de vir em forma humana - Jesus Cristo). Assim, diante da grande muralha, Josué não estava só; Jesus veio ao seu encontro e se fez o Parceiro Invencível da vida.

Rev. José Kleber Fernandes Calixto 

O QUE ELE QUER


sexta-feira, 25 de outubro de 2019

ALGUÉM AJUDOU

"Porque aos Seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos." 

Salmo 91:11

O expresso de passageiros de Caraqui estava correndo a quase cem por hora na manhã de 21 de janeiro de 1954. Ao virar uma curva o maquinista viu o perigo, mas demasiado tarde para evitar o desastre. O expresso foi direto de encontro a uma composição transportadora do óleo que estava descarrilada à frente. Não levou muitos minutos e os carros esmagados estavam em chamas com uma centena de pessoas presas em seu interior.

O Pastor A. F. Jesson estava dormindo na parte superior do leito do terceiro carro a contar da cabine do maquinista, quando começou a tragédia. E quando o esmagamento terminou, ele havia sido lançado para debaixo do seu beliche. Ele sentiu como se água estivesse correndo por cima dele. Era na verdade óleo diesel provindo da composição que causara o acidente. Então o Pastor Jesson agarrou-se ao seu beliche e conseguiu ver-se livre.

As chamas do óleo em combustão estavam já a uns dez metros de altura e o vento de inverno estava soprando essas chamas na direção do compartimento do Pastor Jesson. Foi aí que ele ouviu gritos de socorro. Um de seus companheiros de viagem ficou preso debaixo de um metro de ferragem retorcida.

Depois de procurar levantar pranchas muito pesadas, ele resolveu pedir ajuda. Um homem apareceu, mas os dois juntos ainda não conseguiram retirar o companheiro preso nos escombros. Nesta altura já havia fogo em seu carro, e o ajudante fugiu.

Não me deixe morrer! - gritava o homem preso nas ferragens.

O Pastor Jesson enviou um grito de socorro a Deus, e tratou de se curvar sobre o homem a fim de fazer mais uma tentativa.

Alguém me ajudou - o Pastor Jesson disse - e pudemos libertar o homem.
 
O Pastor Jesson olhou ao redor à procura do homem que o ajudara, mas não viu ninguém. Embora estivessem agora cercados pelas chamas, sua roupa encharcada de óleo não pegou fogo. Mãos com mãos, ambos se afastaram do compartimento em chamas.

O senhor me salvou a vida - disse o homem agradecido.

Agradeça ao Senhor - o Pastor Jesson disse, olhando para trás ao trem abrasado - sem Seu auxílio não teríamos saído vivos.

Pedindo licença, o Pastor Jesson foi para trás de alguns cactos e ajoelhou agradecendo ao Senhor pelo livramento. Ele não somente estava vivo, mas não sofrera sequer um arranhão em parte alguma do corpo.

Youth´s Instructor, 4 de maio de 1954, pág. 5.

SER FELIZ


quinta-feira, 24 de outubro de 2019

PERIGOS

Em seu ministério, John Wesley enfrentou várias dificuldades, oposições, perseguições, e somente anos depois, ao retornar, é que podia então declarar que a vitória foi alcançada. 

Quando retornou À Irlanda, havia frutificação; o número de membros multiplicava, em muitos lugares eram construídas capelas espaçosas e cômodas em todos os sentidos, graças à liberalidade do povo cristão. Embora Wesley  muito se regozijasse com esta prosperidade, compreendia  que ainda não estava isento de perigos: "não há agora, nenhuma oposição da parte dos ricos nem dos pobres. Em consequência disso, não há muito zelo, pois o povo vive satisfeito com  sua comodidade. 

Oh, em que circunstâncias o homem se achará livre dos perigos deste mundo? Quando se levanta a perseguição, quantos saem ofendidos! Quando tudo está em paz, quantos se esfriam e perdem o primeiro amor! Alguns perecem na tempestade, porém, a maioria na calmaria. Senhor, salva-nos, senão pereceremos!!"

Extraído do livro Vida de John Wesley

TEMPESTADES


quarta-feira, 23 de outubro de 2019

ESPERA EM DEUS

Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face.

Salmo 42:5

Nos dias de hoje, é tão fácil de se abater... A gente tem tantas preocupações, tantas coisas a resolver, tanto problemas a solucionar, gasta tanta energia em busca de dias melhores que acaba sempre  com o coração inquieto e abatido quando não atinge resultados satisfatórios.

O Salmista enfrentava dias assim. Sua alma parecia atordoada com as aflições da vida. Era tão forte o seu desânimo que ele precisava constantemente perguntar a sua alma: "Por que estás abatida?"

No entanto, o que mais me chama a atenção no versículo acima é a reação do Salmista diante da tristeza que maltrata a sua alma. Ele diz: "alma, esperar em Deus". Davi tinha um relacionamento aberto com seu interior. Ele segurava sua alma pela mão e gritava em seus ouvidos: "Espera em Deus, não te perturbes."

A reação natural do corpo ao desequilíbrio da vida é se sentir complemente derrotado. O filho de Deus, porém, não pode reagir assim. Ele tem Deus em seu auxílio e, precisa apenas aprender a esperar no Pai. 

A VONTADE


terça-feira, 22 de outubro de 2019

ESCOLHA A SUA RESPOSTA

Ninguém pode nos derrotar, a não ser que primeiramente nos tenhamos derrotado a nós mesmos. Dwight D. Eisenhower

Tenha em mente que a resposta que você dá a qualquer situação que lhe surge é uma escolha sua. Afinal, é você quem está tomando a atitude. Aqueles que continuamente respondem com ira, inveja, frustração ou outra atitude mesquinha irão colher os resultados de suas respostas amargas. Quando no entanto você decide responder com compreensão, paciência, isenção, confiança e coragem, os resultados são muito mais doces e suaves. 

A circunstância não determina a resposta. É você quem a determina. Em cada momento, em cada circunstância, você pode escolher a resposta que irá impulsionar a sua vida para a frente. Dessa maneira ninguém poderá empurrá-lo para baixo, a não ser que você permita. 

Você sempre tem a oportunidade de responder da melhor e da mais positiva maneira possível. Todas as vezes em que você se decide a responder de uma forma positiva, criativa – não importa qual seja a situação –, você estará fazendo um bem enorme a si mesmo e uma significativa diferença no mundo a seu redor. 

Para Meditação: ...pois ele, (Jesus) quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente I Pedro 2:23

Nélio DaSilva

A VIDA E O MEDO


segunda-feira, 21 de outubro de 2019

UM MAL ANTIGO

O que o olho não vê o coração não sente.

E com base neste princípio, valendo-se da ocultação e da clandestinidade, reis e poderosos da Terra, em grande número, pilharam e juntaram para si fortunas, especialmente por lançarem mão do erário público.

Ouvi certa vez alguém dizer que onde está o dinheiro ali estará o ladrão, numa alusão àqueles que procuram administrar finanças públicas e alheias.

Pode parecer que há um exagero nesta afirmação, mas ela se aplica e se demonstra válida no mundo real, em muitos casos, desde a mais remota antiguidade. 

Qual a razão disto?

Por que a necessidade de conselhos de fiscalização, de oposição a governos, que não raro também se corrompem em suas funções?

Por que os poderosos entendem que é um direito natural deles enriquecer à custa do empobrecimento e dominação de outros?

Por que a grande maioria não lesada pela prática nefasta a aprova e lamenta não ter também a oportunidade de ocupar o mesmo lugar daqueles que detêm o poder, com o intento de enriquecer ilicitamente?

A razão disso tudo se encontra na raiz do pecado original, quando o homem tinha tudo a seu dispor, quando Adão era o dono de tudo na Terra e não tinha qualquer concorrente, e ainda assim estava insatisfeito e queria mais poder por usurpá-lo do seu próprio Criador. 

Ele o fizera por sugestão do grande usurpador, satanás, o diabo, o qual ainda se encontra muito atuante no planeta Terra. 

Então há esta conjunção maldita da própria cobiça inerente ao coração humano decaído no pecado, e a insuflação deste pelo maior dos cobiçadores do universo. 

Qual poderia ser o resultado, quando há a oportunidade de pelo exercício do poder legitimado, de se satisfazer a cobiça sem limites que habita no coração?

Não admira que tantos que eram honestos quando viviam na pobreza e sem poder, sejam corrompidos facilmente quando acessam a posições onde poderão se valer de vantagens ilícitas para a obtenção de fama e riquezas.

Por isso somos ordenados na Bíblia a orarmos por todos aqueles que se encontram em posição de governo, para que tenhamos vida quieta e sossegada, que é agradável a Deus, livre dos malefícios advindos dos desmandos daqueles que poderão fazer coisas inimagináveis, quer por sua própria cobiça, quer pela dominação do diabo. 

A oração é a única solução, porque trocar este por aquele com a esperança de melhora, é o mesmo que esperar que de uma mesma fonte contaminada pelo pecado saia alguma água purificada que esteja livre da citada contaminação. 

Jesus nos ensinou sobre aquilo que sai naturalmente dos nossos corações, por ser ele a coisa mais corrompida de toda a criação. 
Confiemos então em Deus e no Seu poder de controlar os desmandos dos homens.

Deus tem também os seus Josés e Daniéis, ainda que em menor número, para nos abençoarem pela administração fiel, honesta e sábia dos bens públicos. Ele sabe como levantá-los e usá-los, nas horas de crise. Confiemos nisto e sosseguemos o nosso coração.

Silvio Dutra

UM GRANDE HOMEM


USA A ORAÇÃO

domingo, 20 de outubro de 2019

A CEIA DO SENHOR

Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.

1 Coríntios 11:26

O Espírito Santo inspirou quatro homens para descrever a Ceia do Senhor: Mateus, Marcos, Lucas e Paulo. Quando unimos estes relatos vemos claramente quão grande é o privilégio que todos os filhos de Deus têm de celebrar essa Ceia durante a ausência de nosso Senhor.

Lucas descreve esta instituição da seguinte maneira: Jesus, "tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim" (22:19). Mediante o partir do pão, o Senhor Jesus queria ilustrar Sua morte por nós.

O Senhor deu graças antes de partir o pão. Isso nos indica que tal comida deve estar unida à gratidão e à adoração. Nosso coração poderia permanecer insensível e nossa boca muda quando nos lembramos dos sofrimentos, da morte e do inexplicável amor do Senhor?

Depois de cear, o Senhor Jesus tomou o cálice. Paulo o chama de "o cálice de bênção" (1 Coríntios 10:16). Isso significa que nossas bênçãos se devem ao sangue de Cristo vertido na cruz.

Por meio da instituição da Ceia, Jesus Cristo deu um impressionante testemunho de Seu grande amor. É a lembrança da morte de nosso Salvador. Para nós, é uma oportunidade especial de comemorarmos juntos Sua pessoa. Como Ele nos amou! Como Ele fez algo extraordinário, que ninguém mais poderia fazer! Como é inimaginável a posição para a qual Ele nos trouxe por Sua morte: a de filhos do Deus altíssimo!

http://www.apaz.com.br

META DE VIDA

sábado, 19 de outubro de 2019

CULPA

Ouvi a história de um garoto que, sem querer, matou o passarinho preferido de sua vovó com seu estilingue. Não achando que alguém estivesse vendo, ele pegou o pássaro e enterrou. O que não sabia é que sua irmãzinha estava vendo tudo. 

Toda vez que a vovó mandava a garota fazer uma tarefa em casa, ela ameaçava o irmão dizendo: 

— Faça isso para mim, senão eu conto sobre o passarinho!

Depois de um tempo, já cansado de tanto trabalhar, o garoto chegou a sua vovó e disse:

— Vovó, eu quero te confessar algo, eu matei o seu passarinho.

A velhinha disse:

— Meu querido, eu sei! Eu vi tudo! Eu perdoei você! Só queria ver quanto tempo você aguentaria viver debaixo dessa escravidão!

Fonte: https://comentariosbiblico.wordpress.com

ÚLTIMAS CONSEQUENCIAS


sexta-feira, 18 de outubro de 2019

CREDENCIAIS ETERNAS

"Nisto conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns pelos outros"

Jo 13.35

Uma noite chegamos às muralhas da China, depois de terem cerrado o portão. Através do guichê do portão, o guarda pediu-nos nossa carteira de identidade. Logo o portão se abriu e nos foi permitido entrar.

Algum dia chegaremos às muralhas da Cidade Eterna. Que credenciais teremos a apresentar, a fim de que a porta se abra? Será o nosso conhecimento da Bíblia? Nossa certidão de batismo? Nossa carta de membro da Igreja? Uma carta de recomendação do pastor? Ou a ficha de nossa vida diária?

Jesus nos deu a única resposta. Disse ele: "Nisto conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns pelos outros". Eis a prova principal de que fomos redimidos pelo sangue de Jesus Cristo: "amarmos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos".

Leo K. Mader

O SÁBIO


quinta-feira, 17 de outubro de 2019

LUTA SEM SENTIDO

De onde procedem guerras e contendas que há entre vós? ...


Tiago 4.1


Tenho presenciado um espírito conturbado nos homens. Eles estão sempre estressados e enraivecidos. Se analisarmos o porque das constantes brigas, dos muitos problemas, das discussões inflamadas sinceramente nos surpreenderíamos com o resultado de nossa descoberta.

Parece que vivemos num campo minado, cercado por corações prestes a explodir. Hoje, se discute por nada, se digladiam sem razão e contender tornou-se um ato corriqueiro. Eu mesmo, tenho arduamente me policiado para que uma palavra sem sentido, sem razão escape e acabe fazendo um estrago desnecessário.

É incrível como não conseguimos deixar nada pra lá, nada pode ficar para depois. Muitas vezes, nos comportamos como se a única opção fosse lutar. Que triste engano o do nosso coração: o de conduzir o homem a uma guerra sem vencedores.

Um princípio que aprendi ao ler um livro de Rick Warren, foi: "Nunca entre numa luta quando não vai ganhar nada ao vencer". Já discutiu por causa de uma data sem sentido? "Foi em 1982". "Não, foi em 1983". "Não. Não foi. Foi em 1982". "Não foi não...". Que importa? Nunca entre numa batalha em que você não vai ganhar nada. (Rick Warren, em "Poder Para Ser Vitorioso", pg 158 - Ed Vida).

Fandermiler Freitas

LIVRE E PRISIONEIRO


quarta-feira, 16 de outubro de 2019

JOGAR O LIXO FORA

É fácil, para nós, guardar lixo. Acostumamo-nos tanto com ele que o consideramos um tesouro! 

A mãe passa o dia limpando o porão e separa uma grande quantidade de quinquilharias que devem ser jogadas fora. O pai está no trabalho e quando chega em casa seleciona quase tudo e leva de volta para o porão. 

Sábio é o líder que conhece lixo quando o vê e tem a coragem de livrar-se dele. Talvez estejamos colecionando lixo religioso que esteja entristecendo o Espírito Santo e dificultando a Sua atuação. Jogar fora o lixo não é fácil, mas muito importante para nosso crescimento diante de Deus. Quanto lixo estamos ainda acumulando em nosso porão espiritual? E o que nos falta para decidir jogá-lo fora? Ele para nada serve a não ser impedir que Deus faça grandes coisas em nossas vidas e através delas. 

Antigamente nós guardávamos mágoas, ressentimentos, ódio, avareza, ganância e outros tipos de quinquilharias que para nada serviam. Essas bugigangas espirituais tiram nossa paz, nossa fé, nossa alegria e impedem que experimentemos a plenitude das bênçãos do Senhor. E se sabemos disso, por que continuamos guardando lixo em nosso coração? Por que não nos livramos imediatamente desse lixo? 

É tempo de renovação, de limpeza, de varrer a casa e deixar ar puro entrar. Peçamos a Deus que nos ajude a jogar esse lixo fora e que passe um desinfetante celestial no local onde estava armazenado. Com a nossa casa espiritual limpa, poderemos decorá-la com amor, compreensão, louvor ao Salvador, alegria e felicidade. A nossa casa ficará mais perfumada e aconchegante. Todos terão prazer em entrar e certamente ficarão admirados com a transformação encontrada. Jogue fora todo o lixo e nunca mais permita que retorne.

 Paulo Roberto Barbosa

O CARÁTER DE UM HOMEM


terça-feira, 15 de outubro de 2019

PROFESSORES

Quase todas as pessoas guardam boa recordação da infância, e geralmente é a idade escolar que mais deixa marcas. E quantos de nós devemos aos nossos primeiros professores o bom rumo da vida! O menino James Calaghan tivera uma professora de Escola Dominical. Feito homem e enveredando na política, depois de eleito Primeiro Ministro do Governo Britânico, "teria manifestado intenso desejo de se encontrar com ela". 

Com a ajuda da imprensa, conseguiu localizar "aquela humilde professora que tinha ajudado o menino Calaghan a aspirar ao cargo de Primeiro Ministro". Recordou-se ela do tempo e até da igreja onde se deu a experiência de Calaghan. Benditos os humildes professores das Escolas Dominicais que se desempenham bem desta grande responsabilidade que têm, e principalmente os que trabalham com crianças.

"Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido. E que desde a tua meninice sabes as sagradas letras que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus" (2 Tm 3.14,15).

PROFESSOR


segunda-feira, 14 de outubro de 2019

ORAR AQUI MESMO

Certa vez, o dinâmico evangelista Moody, que tem o seu nome ligado a diversas instituições, fazia uma viagem através do Oceano Atlântico, quando irrompeu, a bordo, um incêndio de gigantescas proporções. Diante do perigo que a todos ameaçava, passageiros e tripulantes, alinharam-se e foram passando os baldes d'água para dominar o fogo. 

Vendo as labaredas do incêndio e a fumaça negra, que subia encaracolada, disse um crente ao notável pregador:

— Vamos ali, a um canto, orar para que Deus nos auxilie a debelar o mal.

Moody, porém, contestou:

— Não senhor, será muito mais conveniente que oremos aqui mesmo na fila, enquanto vamos passando os baldes.

E assim fizeram. Enquanto trabalhavam ativamente para extinguir as chamas, iam pedindo a Deus que os ajudasse. E dentro em pouco o fogo foi completamente abafado. Orar e agir conjuntamente - eis o segredo das grandes vitórias. 

Fonte: Renato Vargens - rvargens@email.it

NA ORAÇÃO

domingo, 13 de outubro de 2019

ALERTA

Qual é o propósito de sua vida? Qual é sua grande missão, aquela que dá sentido a sua existência? Se você tem uma resposta para essas perguntas, acrescento ainda outra: o que falta para sua missão estar completada?

Na história de Naamã aparece uma menininha cativa. Separada dos pais, levada à força para uma nação estrangeira de hábitos e religião esquisitos. Diferentemente de outros cativos famosos, como José e Daniel, ela não chegou a galgar altos postos na hierarquia Síria. Nenhum biógrafo se demorou muito nela. Sua história é contada para as criancinhas como exemplo de como uma criança pode ser útil, mas não vai muito mais longe do que isso. Será que ela cumpriu sua missão? Será que sua vida teve um propósito?

Em outra ocasião aqui contei a história de uma amiga gaúcha que em um momento particularmente negro de sua vida, precisou fazer uma viagem solitária a Belo Horizonte; ela chegou à igreja central no dia em que havia toda uma programação voltada para homenagear um casal que havia falecido dias antes em um acidente aéreo. O sermão daquela manhã a tocou profundamente, arrancou lágrimas aos litros e lavou uma parte dolorida de sua alma. Além disso, ela foi notada, mesmo em uma igreja tão grande, por duas famílias diferentes em momentos diferentes; uma delas a levou para almoçar, outra para passear pela cidade e depois acordaram de madrugada para levá-la ao distante aeroporto de Confins.

Enquanto ficamos esperando algo grandioso acontecer, enquanto ficamos aguardando nos encontrar numa situação ideal para podermos brilhar, a vida vai acontecendo. Agora mesmo. Deus chama todos Seus filhos para trabalhar e lhes concede os mais variados dons e as mais variadas tarefas também. Há as grandes e há as pequenas também. Ele espera que estejamos prontos a responder sim a qualquer tipo de chamado, em qualquer situação. Para minha amiga deprimida, o sermão foi uma tábua de salvação, mas aquelas pessoas dispostas a identificar um rosto estranho na multidão e agir de forma solidária, inclusiva e terna foram as cordas que terminaram de tirá-la da escuridão em que se encontrava. Não é só o Pr. Bullón que faz o serviço de Deus, a pessoa que está ao lado daquela alma em frangalhos e a abraça é tão parte do corpo de Deus quanto o pregador.

Mas é preciso estar atento aos chamados dEle para sermos Suas mãos, Seus pés, Seus olhos, Sua voz mesmo agora, pelos caminhos que caminhamos distraidamente, esperando algo acontecer em um futuro longínquo...

Levi de Paula Tavares

A CRUZ GRITA


sábado, 12 de outubro de 2019

APASCENTA MEUS CORDERINHOS

Anos atrás, numa distante terra missionária, seis meninos nus brincavam na rua suja de uma aldeia. Sem qualquer educação ou boa criação doméstica, nada haviam recebido que lhes proporcionasse um fundamento para o serviço do Senhor. Eram "apenas seis menininhos selvagens". 

Deus, porém, tinha os olhos naquelas terras, e reservara-lhes uma obra. Mandou um missionário à aldeia deles, e, pouco tempo depois, encontravam-se em uma escola cristã. Que mudança ocorreu em suas vidas! Ficaram limpos por dentro e por fora. 

Hoje, em virtude de alguém ter dado ouvidos à ordem do Mestre: "Apascenta os meus cordeiros", existem seis bravos obreiros de Deus naquela terra missionária. Em suas três ordenanças a Pedro, Jesus empregou duas palavras diferentes para "apascenta". 

Uma significa exclusivamente alimentar, mas, no versículo 16, "apascenta" inclui o sentido mais geral de "cuidar", "velar" ou pastorear". Jesus quer que não só "apascentemos" espiritualmente os meninos e meninas, mas quer que os "pastoreemos", conservando-lhes os pés juvenis nas veredas da justiça.

CADA CRIANÇA QUE NASCE


sexta-feira, 11 de outubro de 2019

A ALEGRIA DO SENHOR É A NOSSA FORÇA

Quando o povo de Israel foi restaurado em sua própria terra, vindo do cativeiro em Babilônia houve uma reunião solene presidida por Neemias e Esdras, ocasião em que as Escrituras Sagradas foram lidas e ensinadas ao povo.

O primeiro sentimento deles foi de grande tristeza, de profundo pesar, por saberem que tudo o que estava escrito na Lei de Moisés lhes sobreviera em razão do seu viver pecaminoso, e assim, podiam entender agora o quanto haviam agido contra um Deus tão Puro, Amoroso e Santo, e o quanto haviam desconsiderado Sua Palavra que agora lhes estava sendo recordada.

A tristeza do arrependimento, que é segundo Deus, não é para produzir abatimento e sentimentos de morte, senão de alegria e vida.

Quando podemos reconhecer que Ele deve ser obedecido e amado, e o pecado deve ser confessado e deixado, temos nisto motivo para nos alegrarmos em Sua presença, porque certamente Ele também está alegre conosco, e o prova concedendo-nos a força da Sua graça para gerar em nós a mais pura alegria espiritual.

Importa então, que seja expresso no exterior, aquilo que está presente em nosso interior, porque se Deus afasta o nosso opróbrio; restaura-nos na terra santa da Sua gloriosa presença, o que é motivo de grande alegria. E, por isso fizeram bem Neemias, Esdras e os levitas em instruírem o povo a não estar contristado no dia da reconciliação, mas a se regozijar grandemente, em face da bondade e misericórdia recebidas de Deus.

Assim, quando o Senhor nos convence dos nossos pecados pela Sua Palavra, e nos arrependemos e lamentamos, ficamos na condição que é adequada para recebermos as grandes e preciosas promessas do Evangelho.

Os que choram são então consolados; os de espírito enlutado são alegrados, e nisto se cumpre a palavra da promessa do efeito do evangelho feita através do profeta Isaías:

“e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória.” (Isaías 61.3)


Silvio Dutra

HONRARÁ A DEUS


quinta-feira, 10 de outubro de 2019

HOMENS COMUNS... E VITORIOSOS

"O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará" (Salmos 23:1).

"Não existem grandes homens. Existem somente grandes desafios que homens comuns, como eu e você, somos forçados a enfrentar, de acordo com as circunstâncias." Almirante William)

Não somos grandes homens, mas temos um grande Deus. Não somos importantes, mas o nosso Senhor Jesus Cristo tem toda a importância desse mundo. Enfrentamos grandes desafios, e a todos vencemos porque o Senhor é a nossa vitória!

Antes de conhecer o Senhor Jesus éramos criaturas comuns e nada podíamos fazer. Recebendo o Salvador no coração, continuamos sendo comuns, mas não somos mais criaturas... somos filhos do Deus Altíssimo! Que mudança maravilhosa!

O Senhor passou a ser o nosso Pastor e tem nos guiado pelos caminhos da felicidade. NEle encontramos a verdadeira paz, o motivo de estarmos neste mundo, a certeza de que não caminhamos sem rumo, a bênção de estarmos seguindo para o Céu de glória onde viveremos eternamente ao Seu lado.

Para que precisamos ser grandes se o grande Deus está conosco? Para que cobiçar as grandezas materiais deste mundo se vamos desfrutar das grandezas celestiais?

Se as circunstâncias nos colocam diante de grandes desafios, confiemos no Senhor que nos ajudará a ultrapassá-los. Se a nossa bênção depende do esforço de subir uma montanha, comecemos imediatamente a caminhada. Se as dificuldades exigem paciência e fé, esperemos sem duvidar. Uma coisa é certa: em nenhum momento estaremos sozinhos.

Se em um determinado momento você se sentir fraco e seus joelhos começarem a se dobrar, aproveite e, de joelhos, levante as mãos para o céu e, diante do Grande Deus, diga somente: "Sei que me darás a vitória. Obrigado Senhor!"

Paulo Roberto Barbosa

INJUSTIÇA


quarta-feira, 9 de outubro de 2019

NOVA ESTAÇÃO

“Veio ainda a Palavra do Senhor dizendo: Que vês tu, Jeremias? Respondi: Vejo uma vara de amendoeira. Disse-me o Senhor: Viste bem, porque Eu velo sobre a minha palavra para a cumprir” 
Jr 1:11-12

A amendoeira é uma das primeiras árvores a florescer na região da Palestina. Antes de brotar as folhas, flores brancas como a neve desabrocham. Enquanto a terra ainda está sob os efeitos do inverno, aquelas belas flores surgem espontânea e inesperadamente, surpreendendo-nos com a promessa de uma nova estação. Isso acontece a cada primavera: a exuberância nas flores, nas florestas e nos jardins, antes que as folhas apareçam e a relva fique verde outra vez.

Flores são como palavras. “Porque velo sobre a minha Palavra para a cumprir.” Essas palavras, como a flor da amendoeira, são promessas, são uma antecipação do que está por vir. Elas se transformam em algo. “E o verbo se fez carne” Jo 1:14

Não podemos ser ingênuos no trato com o mal – ele deve ser enfrentado. Também não podemos ficar intimidados, pois ele será usado por Deus para nosso bem. Assim, um dos mais extraordinários aspectos das boas-novas é que Deus usa pessoas de todos os tipos, até as más, para cumprir Seus bons propósitos. O grande paradoxo do julgamento divino é que o mal é utilizado como combustível no forno da salvação (não foi assim na cruz do calvário?).

Nossa tendência é subestimar Deus e superestimar o mal. Não vemos o que Deus está fazendo e, então, concluímos que Ele não está fazendo nada. Em contrapartida, enxergamos tudo o que o mal está realizando e concluímos que ele está no controle de tudo. As visões do profeta Jeremias dissipam as aparências. Por meio da amendoeira em flor somos ensinados a viver com ardente esperança e a nunca nos deixarmos intimidar pelo mal, pois se formos viver de acordo com a verdadeira imagem de Deus, conscientes de tudo o que Ele é, receptivos e sensíveis a tudo o que Ele está realizando, temos que confiar em Sua Palavra e acreditar naquilo que não vemos. 

ALELUIA!


Eugene Peterson, em “ÂNIMO!”


http://salmo37.wordpress.com

MODELAR A SI MESMO

terça-feira, 8 de outubro de 2019

ALIMENTADOS PELA GLÓRIA

“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” 

II Coríntios 3.18

As plantas são seres autotróficos, ou seja, produzem o seu alimento a partir de material inorgânico em conjunção com a luz solar.

É bem conhecido o processo da fotossíntese, pelo qual os vegetais produzem a glicose através da luz do sol.

Há nisto uma bela ilustração do modo pelo qual nosso espírito se alimenta, diferentemente de nosso corpo físico, que é heterotrófico e depende de material orgânico para a sua alimentação.

O nosso espírito também se alimenta de luz – da luz da glória de Jesus Cristo, que é o nosso Sol de Justiça.

Quando contemplamos a sua glória em espírito, através do mover do Espírito Santo em nós, somos fortificados, alegrados, pacificados e damos saltos de crescimentos espirituais, nos tornando mais semelhantes a Jesus.

Silvio Dutra

UMA PALAVRA ERRADA


segunda-feira, 7 de outubro de 2019

SOFRIMENTO

Um casal levou o filho ao médico. O doutor disse ao pai do garoto: “Você precisa segurar seu filho com força”. A mãe estava vendo tudo, mas preferiu sair a ver seu filho ser agulhado pelo doutor. O menino poderia pensar: “Meu pai está me fazendo sofrer, por que ele não me ajuda?”, mas o pai sabia que filho precisava daquela injeção para não ficar doente.

Deus também faz isso. Às vezes, Ele permite o sofrimento para o nosso bem, mas achamos que ele não nos ama. O que vai te ajudar nesses momentos de sofrimento é: pare de focar nos seus sofrimentos e foque no amor de Deus. Eu não sei porque você está passando por tantos sofrimentos, mas uma coisa, eu sei, Deus ama você.  (Edomm Hezrom)

MENTIRAS UNIVERSAIS