quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

PONTO FRACO NO CARÁTER

Um velho castelo, nos tempos da Idade Média, foi assediado. Seus defensores lutavam, havia dias, para que as muralhas não fossem escaladas. O inimigo assaltante já perdia a esperança de triunfar quando foi descoberta, em certo ponto da fortaleza, uma janelinha que não ofereceria muita resistência. Depois de arrombada percebeu-se, porém, que ela era pequena demais para dar passagem a um homem. O comandante teve uma idéia: à noite introduziu um menino por ali e o encarregou de abrir uma das portas da muralha. Feito isso, foi fácil obter a vitória.

Uma pequena tendência que temos para este ou para aquele mal é a janelinha por onde o inimigo – pecado – entra e pode escravizar-nos perpetuamente. – Respigando.

Fonte: http://www.iasdemfoco.net

GRATIDÃO

 


terça-feira, 29 de dezembro de 2020

NAS NUVENS

Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.

Filipenses 4.11-12

É incrível como somos afetados pelo que nos cerca. A alegria e a tristeza são resultados do que temos ou estamos vivenciando. O mundo ensina isso. Propagandas sugerem que a felicidade está em se ter um carro, um bem, uma roupa ou em viajar por lugares exóticos.

O Apóstolo Paulo, no entanto, tinha uma ideia bem diferente das coisas: Ele acreditava que a vida não se resumia em ter bens ou estar em diferentes lugares.  Essas coisas não produziam a felicidade. Ofereciam sim, momentos de paz, conforto e descanso. A alegria de Paulo estava em olhar  para as coisas do alto e em servir a Deus. Ouça o que ele nos disse: em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus. Atos 20.22-24.

Os Filhos de Deus têm uma visão diferente da vida. Eles passam por tragédias, dores, necessidades, aflições, mas não perdem a alegria. Eles ficam tristes, mas não infelizes. Padecem da ilusão, mas não perdem a esperança. Sofrem a injustiça, são humilhados, atacados, passam fome, sentem o abandono, mas nunca se desesperam.

É como se estivessem sempre andando nas nuvens. A terra não os atinge, mesmo que o coração doa e a alma sofra, jamais os olhos se fecham numa redoma de tristeza, porque ele sabem que Deus controla tudo.

Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada. Rm 8.18


ACREDITAR NA LUTA


segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

ENQUANTO HOUVER AMIZADE

Acredito que você já percebeu que nem sempre nosso choro dura somente uma noite, e que, nem sempre a alegria vem pela manhã...

Há dores físicas que muitas vezes nos acometem por muito tempo, ou mesmo por toda a vida...

E o que dizer de nossas dores psíquicas e emocionais? Elas também podem ser prolongadas e difíceis de tratar... podem necessitar de paciência, coragem, força e muito tempo até que Deus as possa sarar totalmente.

Isso é o que muda tudo. Nosso tempo junto de Deus nos enche de capacidade para lidar com cada uma de nossas dores.

E como é bom não precisar mentir em nossas orações! Como é bom deixar que as máscaras caiam, que as portas e janelas sejam trocadas, que a reforma de nossa casa íntima seja constante e contínua!Davi, rei de Israel, foi perseguido por Saul por longos e difíceis anos, no entanto, isto lhe pareceu ter durado apenas um dia; é dele o Salmo 30, onde lemos: “Pois a sua ira só dura um instante, mas o seu favor dura a vida toda; o choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria."

Não há segredos, ritos, promessas, receitas prontas, nem passo-a-passo a ser seguido, estarmos com o Pai, nosso Pai, pode não amenizar nossa dor instantaneamente, contudo nos consola o coração, nos fortalece a alma e nos preparar existencialmente para o que realmente importa: nossa vida futura.

“Se temos esperança em Cristo tão somente para esta vida somos os mais dignos de compaixão de todos os homens” (1Coríntios 15,19)

Por: Luciana Rodrigues

SER FELIZ

 

domingo, 27 de dezembro de 2020

SEGUINDO O LÍDER

Se alguém quer ser meu seguidor, negue a si mesmo, tome diariamente sua cruz e siga-me. 

Lucas 9.23

No espaço aéreo sobre a nossa casa, três caças rasgam o céu, voando tão próximos que parecem ser apenas um. “Uau”, digo ao meu marido, Dan. “Impressionante”, ele concorda. Vivemos perto de uma base da Força Aérea e não é incomum ver essas manobras.

Toda vez que esses jatos voam, no entanto, faço a mesma pergunta: “Como podem voar tão juntos e não perder o controle?”. Aprendi que a razão óbvia é a humildade. Confiando que o líder está viajando na velocidade e trajetória correta, os pilotos dos aviões que acompanham o líder submetem-se a qualquer desejo pessoal de mudar de rota ou de questionar o trajeto determinado pelo líder. Em vez disso, eles entram em formação e o seguem bem de perto. O resultado? Uma equipe bem melhor.

Não é diferente para os seguidores de Jesus. Ele diz: “…Se alguém quer ser meu seguidor, negue a si mesmo, tome diariamente sua cruz e siga-me” (v.23). O caminho do Senhor foi de autonegação e sofrimento, o que pode ser difícil de seguir. Mas, para sermos discípulos eficazes, somos convidados a deixar de lado os desejos egoístas e juntarmos diariamente os fardos espirituais, servindo primeiro aos outros em vez de a nós mesmos, seguindo Jesus de perto.

Essa caminhada humilde e próxima com Deus nos dá uma visão e tanto. Seguindo a Sua liderança e permanecendo bem perto dele, podemos ser semelhantes a Cristo. Assim, os outros não nos verão, mas verão o Senhor. Uma simples palavra para definir isso: “Uau!”.

Patricia Raybon

O DESEJO DE SER FELIZ


 

sábado, 26 de dezembro de 2020

NÃO PASSEIES PELO PÂNTANO

“Você vai se arrepender!” Eu ignorei o alerta sem nem virar. Para que eu ia me arrepender? Eu tomei o atalho.

Eu estava a caminho de um piquenique. As mesas ficaram do outro lado de um pântano. O departamento de parques havia gentilmente construído uma ponte sobre o pântano. Mas quem precisava de uma ponte? Eu aventurei a minha passagem. A lama engoliu os meus pês. Coisas rasteiras nadaram ao meu redor. Eu acho que vi um par de olhos me observando. Eu comecei a dar ré, meus chinelos engolidos no abismo. Eu saí, coberto em lama, picado por mosquitos e com rosto vermelho.

Eu andei até a mesa de piquenique. Foi um piquenique miserável, mas foi um provérbio certeiro. A vida vem com vozes. Vozes levam a escolhas, e escolhas têm consequências!

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “Don’t Stroll Through the Swamp”
de “God is With You Every Day”

O AVIVAMENTO

 


sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

O MENINO QUE VIU COMO JESUS

A seguinte história foi contada sobre uma família que parou numa lanchonete no dia de Natal. Eles estavam viajando, longe de casa, e pararam para descansar e almoçar. A família de Nancy eram os únicos com crianças na lanchonete.

Nancy conta como foi: "Eu coloquei Joãozinho, de dois anos, numa cadeira de bebê e notei que a lanchonete era calmo e todo mundo estava comendo e conversando.  De repente Joãozinho gritou "Oi, amigo."

Meu filho bateu na mezinha da cadeira e seus olhos estavam alegres e animados. Ele estava sorrindo e gaguejando. Eu olhei ao redor e vi a pessoa para quem ele falou. Num canto, perto da porta, estava sentado um mendigo. A roupa do homem estava suja e manchada.

Eu podia ver os dedos de um dos seus pés num sapato desgastado. Seu cabelo estava assanhado. Sentamos um pouco longe dele, mas eu imaginei como era o cheiro do homem. O mendigo acenou no ar meio doido. "Olá meu amiguinho. Oi homenzinho. Tudo bem?" ele falou para Joãozinho.

"O que é que a gente faz,"? eu perguntei a meu marido.

"Oi. Olá," gritou Joãozinho para o homem.

Todo mundo na lanchonete olhou para a gente e depois para o homem.  Nosso almoço chegou e daí o homem realmente começou a gritar. "Meu amiguinho! Você conhece 'Atirei um pão no ga-tô-tô'"… ?

Ninguém achou graça no mendigo. Ele obviamente estava bêbado. Eu e meu marido ficamos constrangidos. Mas, não queríamos criar uma cena. Tentamos ignorar o velhinho. Comemos em silêncio. Mas, Joãozinho não. Ele cantou tudo que sabia e o mendigo continuou com seus comentários.

Finalmente acabamos nossa refeição e fomos sair. Meu marido foi pagar a conta e pediu que eu saísse logo da lanchonete. O mendigo estava perto da porta. Eu orei "Ó senhor, me deixe sair daqui antes que ele fale de novo com Joãozinho."

Quando passei perto do homem eu virei de costas para ele. Quando fiz isso, Joãozinho se inclinou de repente e se jogou para o mendigo. Antes que podia parar ele, Joãozinho já estava nos braços do homem. De repente um velhinho, sujo e de mau cheiro e um menino pequenino consumaram sua amizade.

Num ato de confiança total, Joãozinho deitou sua cabecinha no ombro do mendigo e sorriu. O mendigo fechou os olhos e ninou e balançou Joãozinho em seus braços. O tempo parecia parar. Finalmente o velhinho abriu seus olhos e olhou diretamente nos meus.

"Tome cuidado deste menino." Ele conseguiu dizer.

"Eu vou, sim." Eu disse, mal conseguindo falar.

Ele levantou Joãozinho do seu ombro, e, com ternura e muita dificuldade, como se tivesse doendo muito, colocou meu menino de volta nos meus braços. O homem disse "Deus te abençoa, doutora. Você me deu meu presente de Natal."

Eu mal consegui falar. Estava tão envergonhada. Com Joãozinho nos meus braços, corri para o carro. Meu marido me perguntou porque eu estava chorando. Eu só conseguia dizer "Meu Deus, meu Deus, me perdoe."

Eu havia acabado de testemunhar o amor de Cristo por meio de uma criancinha. Meu filho não viu nenhum pecado, e não fez nenhum julgamento. Ele, uma criança, viu uma alma, quando eu, uma Cristã só vi roupa suja. Eu fui uma Cristã que era cega, segurando uma criança que não foi. Eu senti como se Deus estivesse me perguntando:

"Você está disposto a compartilhar seu filho por um momento, quando eu compartilhei o meu para eternidade"?

Aquele mendigo me lembrou também, que para entrar no Reino, precisamos todos nos tornarmos como crianças.

- Autor desconhecido. Tradução: Dennis Downing, do site www.hermeneutica.com.br.

SEM COMPARAÇÃO

 

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

O NASCIMENTO DE JESUS

O nascimento de Jesus não foi um fato que passou despercebido. Apesar de Jesus não ter um lugar adequado para nascer, a história de como ele veio ao mundo é cheia de beleza, mistério e de fatos extraordinários. O seu nascimento mudou a história da humanidade para sempre. Aquele estábulos em Belém não foi só o caso triste de um casal que não tinha onde seu filho nascer foi o palco da maior história de amor! Ela jamais será esquecida, porque ali, entre os animais, o verbo se fez carne e habitou entre nós.

O Primeiro Natal - A História do Natal Contada pelas Crianças - Voa Flor.


Fandermiler Freitas

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

A PROMESSA DE BELÉM

Um presente notável pode chegar num pacote comum! Foi assim em Belém.

Não pensamos muito no apóstolo Paulo em nossas reflexões Natalinas. Mas devíamos. As palavras dele em Filipenses 2:5-11 são o resumo mais eloquente da promessa Bíblica de Belém: “Cristo Jesus, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte, e morte de cruz!

Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.”

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “The Bethlehem Promise”

AMAR OS OUTROS

 

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

SEU REINO JAMAIS TERÁ FIM

"Seu Reino jamais terá fim." 

Lucas 1:33

Em Belém, o ser humano que melhor entendia quem Deus era e o que ele estava fazendo, é a moça adolescente num estábulo fedorento.

Enquanto Maria olha no rosto do bebê. Seu filho. Seu Senhor. Sua Majestade - ela não consegue tirar seus olhos dele agora. De alguma forma, Maria sabe que está segurando Deus.

Então ele é assim. Ela lembra as palavras do anjo. "Seu Reino jamais terá fim." (Lucas 1:33)

Ele parece qualquer coisa menos um rei. Seu choro, embora forte e saudável, ainda é o choro tocante e indefeso de um bebê.

Majestade no meio do comum. Santidade na sujeira e suor. Divindade entrando no mundo, no chão de um estábulo, pelo ventre de uma adolescente na presença de um carpinteiro.

Deus chegou perto!

E Lucas 1:33 afirma, "Seu Reino jamais terá fim."

Max Lucado

PRESENTES NO NATAL

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

CHINELOS DOURADOS

Faltavam apenas cinco dias para o Natal. O espírito da ocasião ainda não tinha me atingido, mesmo que os carros lotassem o estacionamento do shopping. Dentro da loja, era pior. Os últimos compradores lotavam os corredores.

– Por que vim hoje? Perguntei a mim mesmo. Meus pés estavam tão inchados quanto minha cabeça. Minha lista continha nomes de diversas pessoas que diziam não querer nada mas eu sabia que ficariam magoados se eu não os comprasse qualquer coisa. Comprar para alguém que tem tudo e com os preços das coisas como estão, fica muito difícil.

Apressadamente, eu enchi meu carrinho de compras com os últimos artigos e fui para a longa fila do caixa. Na minha frente, duas pequenas crianças – um menino de aproximadamente 10 anos e uma menina mais nova, provavelmente de 5 anos. O menino vestia roupas muito desgastadas. Os tênis me pareceram grandes demais e as calças de brim muito curtas. A roupa da menina assemelhava-se a de seu irmão. Carregava um bonito e brilhante par de chinelos com fivelas douradas.

Enquanto a música de Natal soava pela loja, a menina sussurrava desligada mas feliz. Quando nos aproximamos finalmente do caixa, a menina colocou, com cuidado, os chinelos no balcão. Tratava-os como se fossem um tesouro. O caixa anunciou a conta:

– São $6,09. Disse.

O menino colocou suas moedas enquanto procurava mais em seus bolsos. Veio finalmente com $3,12.

– Acho que vamos ter que devolver, disse. Nós voltaremos outra hora, talvez amanhã.

Com esse aviso, um suave choro brotou da pequena menina.

– Mas Deus teria amado esses chinelos, ela resmungou…

Bem, nós vamos para casa e trabalharemos um pouco mais. Não chore. Nós voltaremos, disse o menino.

Rapidamente, eu entreguei $3,00 ao caixa. Estas crianças tinham esperado na fila por muito tempo. E, além de tudo, era Natal. De repente um par de braços veio em torno de mim e uma pequena voz disse:

– Agradeço, senhor.

– O que você quis dizer quando falou que Deus teria gostado dos chinelos? eu perguntei.

O pequeno menino me respondeu:

– Nossa mãe está muito doente e vai pro céu. Papai disse que ela pode antes mesmo do Natal, estar com Deus.

E a menina completou: – Meu professor disse que as ruas no céu são de ouro, brilhantes como estes chinelos. Mamãe não ficará bonita andando naquelas ruas com esses chinelos?

Meus olhos inundaram-se de lágrimas e eu respondi:

– Sim, tenho certeza que ficará.

Silenciosamente agradeci a Deus por usar estas crianças para lembrar-me do verdadeiro espírito de Natal. O importante no Natal não é a quantidade de dinheiro que se gasta, nem a quantidade de presentes que se compra, nem a tentativa de impressionar amigos e parentes. O Natal é o amor em seu coração.

Share on Facebook
Fonte:https://ejesus.com.br/

DESEJOS PARA O NATAL

 

domingo, 20 de dezembro de 2020

UM PRESENTE ESPECIAL

Sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.

Efésios 4.32

Uma menina de apenas sete anos de idade tentou fazer uma surpresa para sua mãe no dia de natal.

Em meio a muitos papéis de embrulho que a mãe havia comprado, a menina retirou uma folha de papel dourado e tentou embrulhar uma caixinha de presente.

Quando a mãe descobriu que ela havia usado o seu papel preferido, gritou com a menina, que começou a chorar. Em lágrimas, a menina entregou o presente. Ao ver a caixinha toda embrulhada, a mãe desculpou-se, mas quando abriu o presente, ficou novamente furiosa. A caixa estava vazia. Esbravejando disse: “Se você quer dar um presente a alguém, você precisa colocar alguma coisa dentro da caixa”.

A menina respondeu: “Mas eu coloquei, mamãe, coloquei uma porção de beijinhos pra você”.

Colaborador: A. A. P.
Fonte: O MENSAGEIRO, edição 2006,  pg. 7.
Do site: https://www.sitedopastor.com.br

JESUS CRISTO


 

sábado, 19 de dezembro de 2020

CÂNTICOS DE NATAL NA CHINA

Em um programa de Natal organizado na Universidade de Nanquim foi apresentado "Noite Feliz" ou "Noite de Paz" e ilustrado com slides coloridos feitos por um artista chinês. Quando chegamos, a Capela estava tão cheia de crianças, senhoras com bebês e mendigos que quase não havia lugar para os estudantes. Comecei a murmurar desapontada, pois todos tinham ouvido falar dos quadros e lá estavam, para vê-los.

Por que não podemos aqui na Universidade, na capital, fazer um programa de acordo com nossos planos, lindo e digno?" perguntei.

As luzes se apagaram. Os quadros mostraram como a cântico foi escrito. Então foi projetada na tela a letra do hino "Tudo é Paz". As estrofes uma por uma em grandes caracteres chineses - e ao lado da estrofe escrita uma figura colorida ilustrando-a. Como uma grande onda, o auditório se levantou e cantou. Os estudantes, com suas boas vozes, uniram-se às nossas em um grande coro. As crianças aclamavam. O cântico estava barulhento demais para "Noite de Paz". Mas não podíamos evitá-lo. Não podíamos parar. Cantamos outra vez o hino todo. Era como um dique quando se rompe, e as águas se precipitam com impetuosidade sempre crescente para a liberdade. Deste modo foram os cânticos de Natal naquele ano. No fim do trabalho eu estava queimada de vergonha por ter desejado que os mendigos e crianças não tivessem vindo, e disse a mim mesma: "Que seria se eles não tivessem vindo?"

Fonte: http://jesusvoltara.com.br

UM BOM INVESTIMENTO

 

sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

A ESPERANÇA NASCEU

Nenhum dia é um acidente, nem por acaso. Nenhum ato é sem propósito ou perdido. Olhe para o nascimento de Jesus em Belém. Um rei ordenou um censo. José foi forçado a viajar. Maria, grávida e redonda feito uma joaninha, balançava em cima de um jumento. A hospedaria estava cheia. A hora era tarde. O evento era uma tremenda confusão.

No entanto, no meio da confusão, a esperança nasceu. E ainda está. Eu não gosto de confusões. Mas, eu amo Natal porque nos lembra das promessas Natalinas que moldam corações. Bem depois que os hóspedes foram embora, os cantores foram para casa e as luzes desarmadas, estas promessas permanecem: Deus faz com que tudo coopere para o bem daqueles que O amam (Romanos 8:28). Talvez você pode usar um pouco de Natal este Natal?

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “Hope Was Born”

ENCONTROS


 

quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

ADORAR

Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.

 Mateus 2:2

Pensamento: A cena dos magos do oriente partindo em busca do Rei dos Judeus é uma das mais precisas descrições sobre a adoração cristã. Eles queriam saber onde Jesus estava, e não onde Jesus esteve. Adoração é experiência diária de vida, nunca pode ficar no passado. Um verdadeiro adorador não se conforma em estar num local onde Cristo não está. Você tem a certeza de que Jesus está com você? O Espírito Santo lhe diz: "É tempo de encontrar a Jesus. Nunca é tarde para recomeçar".

Oração: Pai querido, o exemplo dos magos que percorreram um longo caminho para adorá-lo enquanto o Senhor Jesus era ainda um recém-nascido, mostra que eu devo adorar a Jesus pelo que Ele É, e não pelo que Ele faz! E não importa se o caminho é longo, difícil e estreito, o que eu quero é adorar a ti por toda minha vida. Eu oro em nome de Jesus. Amém.

 Fonte: www.devocionaldiario.com.br 

NOSSA RIQUEZA


 

quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

A RECOMPENSA

Melhor é o pouco com justiça do que a abundância de colheita com injustiça.

Provérbios 16:8

Um pobre rapaz se dirigia à casa do tio a fim de lhe pedir auxilio para sua mãe doente e seus irmãos. No caminho o jovem achou uma carteira com 50 dólares. O tio recusou dar auxílio, e o jovem voltou para casa, onde contou a sua mãe sobre o achado da carteira. Sentia que não seria direito usar aquele dinheiro. A mãe concordou com sua decisão. Assim, anunciaram a carteira e o dono apareceu. Era um homem rico o dono da carteira, e ao ouvir a história da família ofereceu o dinheiro e tomou o rapaz a seu serviço. E este rapaz tornou-se um dos mais bem sucedidos comerciantes de Ohio.

A honestidade sempre traz a sua recompensa, quando não ao bolso, pelo menos ao espírito. A paz de espírito é a maior riqueza que uma carteira recheada!

Fonte: http://www.iasdemfoco.net

DEUS NA TERRA


 

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

QUANDO PARAM OS PONTEIROS

Vocês não sabem como será a sua vida amanhã, pois vocês são como uma neblina passageira, que aparece por algum tempo e logo depois desaparece.

 Tiago 4:14 NTLH

Um jovem ministro ia guiando por movimentada estrada americana. Estava contente, pois seu trabalho ia indo bem e no dia seguinte ele e sua esposa iriam começar alguns dias de férias.

Rodando pela estrada abaixo, em direção contrária, ia um ônibus de passageiros. Nem o ministro nem o motorista do ônibus sabiam que a tragédia se achava a apenas alguns segundos de distância. Mas assim era. Para evitar de engavetar pela traseira de um carro que estava na frente, o motorista do ônibus freou.

O ônibus desviou-se fortemente para a direita, indo em cima do carro do pastor. Dois dias depois esse jovem morria no hospital sem voltar mais à consciência. Havia em sua Bíblia uma folha de papel em que ele copiara uns versos cujo sentido é este:

O relógio da vida não é ferido senão, uma vez,
e homem algum tem o poder de dizer justo
quando os ponteiros pararão, se tarde, se cedo.
Agora é o único tempo que vos pertence!
Trabalhai, orai, dai de boa vontade, não confieis no amanhã,
pois o relógio poderá estar parado então.

Fonte: http://www.iasdemfoco.net

JESUS SOFREU


 

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

AJUDAR SEMPRE

Não deixes de fazer bem a quem o merece, estando em tuas mãos a capacidade de fazê-lo. Não digas ao teu próximo: Vai, e volta amanhã que to darei, se já o tens contigo. 

Provérbios 3:27-28

Pensamento: Muitas vezes as pessoas dizem "volte amanhã" porque não querem ajudar. Para muitos essa é uma forma sutil de dizer "não", mas para Deus isso é falta de sabedoria. Se Deus lhe abençoou e deu condições a você para ajudar o seu próximo, então ajude sempre que você puder, pois é desta maneira que testemunhamos a presença de Cristo em nossas vidas.

Oração: Pai querido perdoa pelas vezes que deixei de ajudar meu próximo mesmo tendo condições de ajudá-lo. Não permita que eu venha omitir ajuda a ninguém. Eu creio que o Senhor é a fonte, e eu sou apenas um canal para fazer com que as Suas bênçãos cheguem àqueles que necessitam. Eu oro em nome de Jesus, amém.

Fonte: https://www.devocionaldiario.com.br

O AMOR DE JESUS

 

domingo, 13 de dezembro de 2020

"ELES NÃO O MERECEM, SENHOR"

Paulo I. Wellman, em The Chain, conta-nos uma bela história originária dos negros do Sul. Ela se refere à quarta tentação. Todos conhecemos as três tentações de Jesus no monte, isto é, a da fome, do insultuoso desafio e do ambicioso orgulho. Mas os negros do Sul falam de uma quarta tentação, que veio a Jesus quando Ele estava suspenso na cruz. Satanás retornou a Ele e sussurrou-Lhe ao ouvido: "Eles não O merecem, Senhor."

Nesta altura do drama do Calvário, o Mestre levantou a voz e clamou: "Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem." E imediatamente Satanás fugiu, pois ele sabia que os poderes das trevas jamais poderiam prevalecer contra a imaculada alma do Filho de Deus. – The Conquest of Life.

Fonte: http://www.iasdemfoco.net

A GLÓRIA DA BÍBLIA


sábado, 12 de dezembro de 2020

DEIXAR TUDO

Nem a sua prata nem o seu ouro os poderá livrar no dia da indignação do Senhor, mas pelo fogo do seu zelo toda esta terra será consumida, porque certamente fará de todos os moradores da terra uma destruição total e apressada.

Sofonias 1:18

Quando, em 12 de setembro de 1857, em consequência de um violento temporal perto do Cabo Hatteras, foi a pique o navio "Central América", com quase 600 passageiros a bordo. Havia entre eles muitos homens que vinham das minas de ouro da Califórnia. Eles traziam cinturões nos quais guardavam seus tesouros. Agora, no momento do perigo iminente, desfizeram-se dos cinturões e o lançaram sobre o convés, e quem quisesse poderia levá-los. Pois, esse peso, atado ao corpo, ia levá-los à morte segura. Outros tinham bolsas que guardavam valores de milhares de dólares, e estas também foram abandonadas e ninguém as tocou. Também as malas foram abertas e o metal resplandecente foi derramado sobre o chão.

Um dos mineiros abriu um saco de viagem e esvaziou seu conteúdo. Era ouro em pó, no valor de 20.000 dólares. Ao mesmo tempo que fazia isso, disse que quem quisesse satisfazer-se de ouro, poderia levá-lo. Mas todos o deixaram de lado como se fosse pó da terra. – Our First Century.

Fonte: http://www.iasdemfoco.net

HOMEM E DEUS

 

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

"O QUE TENHO"

Não precisamos ser ricos para auxiliar a outros. Um ato de bondade é de mais valor que prata e ouro. O Senhor não nos pede que demos o que não temos, mas o que temos.

Um mendigo aleijado esforçava-se em concertar um traje velho que havia sido lançado de uma janela, quando um grupo de rapazes grosseiros se reuniram em torno dele, arremedando lhe os desajeitados movimentos e caçoando dele. Súbito, um nobre rapazinho do meio do grupo auxilia o pobre aleijado a fazer o seu conserto e coloca-o no saco. Depois, pôs uma moeda de prata na mão do mendigo e sai correndo, quando uma voz do alto diz: "Menino do chapéu de palha, olhe para cima." Uma senhora, na janela, disse-lhe, comovida, as seguintes palavras: "Deus o abençoe, meu bom pequeno. Deus o abençoará por isso!"

E enquanto ele prosseguia o seu caminho, pensou no grande prazer que havia proporcionado a seu próprio coração, ao fazer o bem. Pensou no olhar de gratidão do pobre mendigo; no sorriso da senhora e sua aprovação. E, acima de tudo, ele quase podia ouvir seu Pai celestial dizer: "Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia." – Seleto.

VALIOSO

 

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

"NÃO QUERIA SABER DE MORRER"

Um grupo de estudantes estava reunido na sala de anatomia de certa Faculdade de Medicina. Tinham uma pequena folga; e, rindo, discutiam os casos do dia. Os despojos humanos diante de si não afetavam sua jovialidade. Não lhes ocorria que também eles em breve poderiam ser cadáveres tão inanimados e impotentes como o que tinham para dissecar.

O mais notável do grupo era o Costa. O mais folgazão de todos. As caçoadas que lhe irrompiam dos lábios vinham entremeadas de nomes vãos e expressões injuriosas à Majestade divina. Os colegas não lhe faziam a mais leve observação para que refreasse sua linguagem. Completamente indiferente ao pecado em que incorria, encostou-se à parede com a agulha, já usada na dissecação do cadáver, presa descuidadamente no avental. A prosa foi-se animando, surgindo uma discussão sobre um assunto qualquer em que ele tomava parte saliente.

Estando a falar apaixonadamente, levantou a mão bruscamente para fazer um gesto, e, ao assim fazer, aconteceu ferir a mão na ponta da agulha, a qual lhe abriu fundo arranhão. Um silêncio profundo se fez na sala; todos empalideceram. "Olhe, Costa, isso é muito perigoso!", observou-lhe então gravemente um dos colegas. "Bem sei que é!", confirmou ele assustado. "Que devo fazer?"

"Vamos imediatamente procurar o médico", disseram os companheiros; e como um relâmpago partiram a buscá-lo. Foi um momento de ansiedade terrível enquanto aguardava o prognóstico, que foi logo dado.

O Costa sabia agora que a morte inexorável o fulminaria irremediavelmente em menos de 24 horas. Toda a ciência do mundo não lhe podia valer. Grande desespero e terror se apoderaram do Costa tão logo se viu frente a frente com a inesperada morte. Não nos atrevemos a relatar os horrores que se passaram dele até soltar o derradeiro suspiro. Podemos apenas repetir as palavras de um seu colega, testemunha de suas últimas horas: Foi um quadro pavoroso quando se viu desenganado, porque nem por nada queria saber de morrer. – Guia do Viajante.

Fonte:http://www.iasdemfoco.net

NÃO PODE ENTRAR


 

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

O PRÊMIO DA BONDADE

Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem.

Romanos 12.21

O Conde Leon Tolstoi, grande escritor russo, tinha uma filhinha. Conta-se que um dia esta estava brincando com outras meninas e meninos quando começou uma briga entre ela e um dos meninos.

– Papai, – disse a menina chorando, ao entrar no quarto do conde – aquele menino me segurou no braço. Por que o senhor não lhe dá umas pancadas?

O senhor Tolstoi sentou a filhinha em seus joelhos e disse:

– Para que devo eu castigá-lo? Se eu fizer isso, ele se zangará comigo também e ao invés de aborrecer somente a um, aborrecerá a dois: você e eu. O melhor é que nós o alegremos. Toma esta geleia e estes pastéis e entrega-lhes com muito carinho.

Nem necessitamos, por certo, dizer o que seguiu ao presente da menina. Esta pequena aprendeu de seu papai o ensino de Jesus: "Devolvei o bem pelo mal." 

Fonte:http://www.iasdemfoco.net

O GRANDE AMOR DE JESUS

 

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

VOCÊ VAI SUPERAR

A palavra de Deus para Josué é a palavra de Deus para nós. “Seja forte e corajoso” (Josué 1:6). Não tenha medo diante das suas aflições. Tome posse da terra que Deus lhe deu. “Então o SENHOR disse a Josué: ‘Saiba que entreguei nas suas mãos Jericó, seu rei e seus homens de guerra’.” Deus não disse “Josué, tome a cidade.” Deus disse “Josué, receba a cidade que eu tomei.” Josué não foi adiante esperando ser vitorioso. Ele sabia que Deus já tinha a vitória.

O mesmo pode ser dito de você e seu desafio. Deus não diz, Roberto, vença seu hábito. Ele diz, Roberto, eu venci os hábitos da sua vida. Receba a bênção da vitória. A pergunta não é: você vai superar? A pergunta é quando você superará? A vida sempre trará desafios. Mas Deus sempre nos dará força para encará-los.

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “You Will Overcome

JESUS

 

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

O ASSOMBRO DO ESCRAVO

Mediterrâneo. Um escravo muçulmano que se achava a bordo atraiu sua atenção. Procurou palestrar com ele, descobrindo logo que era esperto e inteligente. Ao saber das circunstâncias de sua vida, soube que era livre de nascimento, mas que caindo prisioneiro de guerra, fora reduzido à escravidão. O negociante penalizou-se muito com a triste condição do pobre cativo. 

Quanto mais reparava nele, mais se interessava por ele, mais simpatizava com ele. Por fim, começou a nutrir o ideia de remi-lo da escravidão. Indagando cautelosamente a respeito da quantia necessária, logo viu que a mesma excedia muito todos os lucros que esperava tirar daquela viagem. A ideia, contudo, não o abandonava.

Por fim fez uma oferta, que foi aceita. Ora, aconteceu que o escravo percebeu o negócio, não sabendo o propósito do negociante, supondo, que ia passar de senhor para senhor como qualquer peça de fazenda. Saltou à frente e gritou: "Então o senhor que aparentava ser tão bondoso e compadecido, não passa, afinal, de um vil comprador de escravos?! Porventura não terei eu tanto direito à liberdade como o senhor mesmo?

Continuou numa torrente de invectivas enraivecidas, quando o negociante pôs ternamente o olhar sobre ele e lhe disse: "Sim, eu comprei a você, mas para lhe dar a liberdade." No mesmo instante acalmou-se a tempestade de indignação. Debulhou-se em lágrimas, e, caindo aos pés de seu libertador, bradou: "O senhor libertou-me o corpo mas cativou-me o coração. Sou seu escravo para sempre!"

http://www.profetaseprofecias.com.br/ilustracao-para-sermoes/o-assombro-do-escravo.html#ixzz36VFqRwdW

SENDO BONS

 

domingo, 6 de dezembro de 2020

JESUS ESTEVE AQUI

Meu pai, um homem de poucas palavras, contou a meu irmão e a mim, “Filhos, Natal é sobre Jesus!” Num daqueles momentos de ler um livro antes de dormir, em algum lugar entre os contos de fada eu pensei no que ele disse. Eu comecei a fazer as perguntas de Natal. E continuo fazendo elas desde então!

Deus sabe como é ser humano. Quando falamos com ele sobre datas de vencimento e tempos difíceis, ele entende. Ele já esteve lá. Ele já esteve aqui. Por causa de Belém, temos um amigo em Jesus. O Natal começa o que a Páscoa celebra. O menino na manjedoura virou o Rei na cruz. Ele não nos diz “Limpe-se antes de entrar.” Ele oferece “Entre e deixe-me lhe limpar.” Não é como agarramos nele que importa, mas o agarrar dele em nós! E o agarrar dele é seguro!

Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “Jesus Has Been Here”
do livro “E Tudo Comecou em Belem”

BONDADE