quarta-feira, 31 de outubro de 2018

ARREPENDIMENTO

Porque eu declararei a minha iniquidade; afligir-me-ei por causa do meu pecado.

Salmo 38:18

Um jovem falava com o grande evangelista Moody, sobre o arrependimento. – Isso nunca me fulminou – disse o moço.

– Que quer o senhor dizer?, perguntou Moody.

– Ora – respondeu o jovem – a alguns ele fulmina e a outros não. Tenho visto muitos se arrependerem e se colocarem ao lado de Cristo, mas eu mesmo nunca me senti fulminado.

Aquele moço tinha a ideia errada de que o arrependimento fosse coisa que fulminasse, como o raio. Isso, naturalmente, não é verdade. O arrependimento não é uma emoção. É uma profunda convicção de se haver cometido um mal. Leva a pessoa a volver-se para Deus, a fim de ser purificada do mal. – Meditações Matinais.

TEMPO DE MUDAR


terça-feira, 30 de outubro de 2018

AMOR INCONDICIONAL

Pessoas há que são descorteses porque são egoístas. Outras, porque são ignorantes, e outras, ainda, porque lhes falta imaginação. Jesus sempre Se interessava nas pessoas. Crianças, mendigos, doentes, a mulher junto ao poço, todos nEle encontravam um amigo. Sempre é edificante encontrar uma pessoa que tenha assimilado o espírito bondoso de Jesus.

Algum tempo atrás faleceu na Inglaterra um desses homens: Frank Higgins. Milhares o haviam ouvido falar, tinham-lhe visto o sorriso cativante e sentido seu cordial aperto de mão. Deu a vida à pregação do Evangelho aos rústicos trabalhadores nas derrubadas de matas, e à organização da assistência social entre eles. Frank Higgins amava os homens, não importava quão rude fosse o seu aspecto. Tão corpulento e corado era ele que poucos perceberam que estava literalmente dando a vida em favor dos outros enquanto andava, de lugar a lugar, levando às costas pesado cesto cheio de folhetos para distribuir aos trabalhadores.

Quando afinal teve de ser internado num hospital, para se submeter a uma intervenção cirúrgica, um grupo daqueles robustos homens que ele conduzira a Cristo combinou mandar um dentre eles em companhia de Frank, para de algum modo lhe ser útil, pois amavam muito aquele homem que lhes ensinara a amar ao Senhor. O homem escolhido era desses tipos agigantados e fortes, decididamente fora de lugar nos recintos de um hospital, e deixou-se ficar pelos corredores, aguardando oportunidade de ser útil a Frank. Ao chegar a hora da operação, disse-lhe: "Frank, você sabe que nós o amamos e queremos ajudá-lo; agora, enquanto os médicos vão fazer a operação, ficarei junto da porta; e, Frank, se os médicos virem que precisam de um litro de sangue, ou um pedaço de osso ou pele, podem contar comigo. Frank, você pode receber de mim a última gota de sangue ou cada um dos ossos deste corpo; não se esqueça, Frank, que estou junto da porta!"

Porventura nós já dissemos coisa semelhante Àquele que nos salvou, pela morte na cruz? – 

Fonte: 1001 Illustrations.

O BEM QUE NÃO FEZ

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

ROSA BONHEUR E SEU LEÃO

Poucos há que não tenham visto alguns dos lindos quadros da pintora Rosa Bonheur, cuja especialidade era pintar animais.

Rosa possuía um leão domesticado, ao qual deu o nome de Nero, e que lhe era muito manso e dócil. Um dia Rosa teve de ausentar-se de Paris, onde morava, e assim mandou Nero para o Jardim Zoológico, certa de que lá iria ser bem tratado. Depois de viajar dois anos, voltou e foi ver seu querido leão. Para sua tristeza, encontrou-o muito doente e cego. Ali estava deitado sozinho a um canto, quando sua dona lhe disse: "Nero!" O pobre animar saltou imediatamente e, com grande rugido de contentamento, correu com tanta força em direção de Rosa que, batendo contra as grades da jaula, caiu atordoado. Rosa tomou seu fiel amigo e o levou para casa, cuidando dele até à morte.

Quando o grande leão estava a morrer, nos braços de sua dona, com a língua, áspera como um ralo, lambia debilmente as mãos bondosas de Rosa, segurando-as firmemente com as garras, em sua agonia mortal. Com essa derradeira carícia, parecia dizer: "Não me abandone!" Assim o amor amansa até as criaturas mais ferozes. - Dumb Animals

UM OUTRO CAMINHO


domingo, 28 de outubro de 2018

UM NOBRE ROMANO

Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.

2 Coríntios 5:21

Talvez vocês já tenham ouvido a história de um jovem romano que fora condenado à morte. Tinha cometido um crime de traição e acabava de ser condenado à morte pelos juiz, quando se adiantou o seu irmão mais velho que tinha servido à pátria nos campos de batalha, defendendo-a contra os inimigos e perdendo os dois braços.

Este, pondo-se em pé diante dos juízes, erguendo os tocos dos braços decepados, intercedeu pela vida do irmão; não pelo que o irmão fizera, mas pelo que ele, o intercessor, fizera. Reconhecia que o seu irmão era criminoso e merecedor da morte; mas, pelo que tinha feito em defesa da pátria, implorava que a vida lhe fosse poupada. Considerando os argumentos deste nobre romano, os juizes, pelos seus merecimentos, perdoaram o irmão criminoso.

É exatamente o que Cristo faz por todos nós, pecadores. Cristo morreu no Calvário para que pudéssemos viver. Nós merecemos a morte; mas, pela intercessão de Cristo, que deu a Sua vida para nos salvar, Deus perdoa os nossos pecados. – The Traveler's Guide.

A CRUZ DE CRISTO


sábado, 27 de outubro de 2018

O AMOR É CORTÊS

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, 

Gálatas 5:22

O general Lee dirigia-se de trem para Richmond. Havia muitos homens no carro. Numa das estações embarcou uma senhora bastante idosa e visivelmente enferma. Tinha já percorrido quase todo o carro, quando chegou junto do general, que se levantou e lhe deu o lugar.

Imediatamente muitos homens se ergueram para oferecer ao atencioso militar a sua cadeira. "Obrigado, cavalheiros" – respondeu ele – "onde não há lugar para uma senhora idosa e respeitável, muito menos haverá para um general." 

O.S. M.

NA LISTA


sexta-feira, 26 de outubro de 2018

AMAI-VOS UNS AOS OUTROS

Em Miami, Flórida, jaz num leito de hospital o pequeno Allen McDonalds, de 10 anos de idade. Tinha mais da metade do corpo coberto de queimaduras de segundo e terceiro graus. O cirurgião declarou que uma operação de enxerto da pele era necessária a fim de salvar-lhe a vida.

Sem um momento de hesitação, o irmão de Allen, de 14 anos, prontificou-se a dar a quantidade de pele que fosse necessária. Sua oferta foi aceita, e o médico cortou 1625 centímetros quadrados de tecido das coxas de João e enxertou-as no corpo queimado de seu irmão.

Que admirável exemplo de dedicação fraternal! João McDonalds aceitara o repto de João, o apóstolo: "Amemo-nos uns aos outros." Aceitamos nós também? Talvez não sejamos chamados a ajudar um irmão queimado, mas que faremos ao deparar um animal ferido, uma criança perdida, uma família em necessidade?

Fonte: http://www.iasdemfoco.net

DIFÍCEIS DE AMAR


quinta-feira, 25 de outubro de 2018

AMOR DIVINO

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

João 3:16,17

Um ministro escocês em Glasgow estava num sábado pela manhã buscando ilustrar o amor de Cristo, e contou a história de uma mãe que tomou seu pequeno filho numa noite e foi para uma das montanhas escocesas. Caiu neve e ela perdeu o caminho. Exausta, foi forçada a deitar-se na neve, depois cobriu a criança com seu "xale". Na manhã seguinte ela foi encontrada morta.

Disse o ministro: "Seu filho foi achado com vida, e cresceu, deve ser hoje um homem de trinta anos de idade. Se ele ainda vive e se lembra daquela história, como sua mãe o salvou desabrigando-se a si mesma, estou certo de que se lhe expandiria o coração de amor por haver tido uma mãe tal. Deve reverenciar-lhe a memória e agradecer a Deus constantemente pelo que ela por ele fez. E tu, amigo, se não amas a Jesus cristo, que morreu para te salvar, em um filho ingrato."

Passados uns poucos dias, foi o ministro chamado para conversar com um homem moribundo, que havia muito estava enlameado no pecado. Era o filho daquela mãe. Ele fora à igreja naquela manhã e ouvira a narrativa. Não podia evadir-se da aplicação da mesma. Em seu leito de morte aceitou o Cristo do Calvário.  

Keith L. Brooks

UM ATO DE AMOR

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

ÁRVORES ALTAS

"Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante: É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre a rocha" 

Lucas 6:47-48

Quando uma tempestade cai violentamente sobre um determinado local, atinge furiosamente tudo que encontra no caminho. As árvores sentem a força dos ventos, balançam e se curvam sob o poder da tormenta. Todas as árvores sentem a força dos ventos, mas, as mais altas árvores são as que sentem mais. a árvore mais alta que permanece sente a força dos ventos mais do que todas as demais.

Muitas vezes questionamos o fato de passarmos por angústias e sofrimentos durante a nossa vida. Achamos que, pelo fato de sermos cristãos fiéis ao Senhor, não deveríamos ter que suportar tantas lutas e batalhas. Mas, não será exatamente por isso que somos atacados? Não será exatamente por sermos "árvores mais altas" que somos mais facilmente atingidos pelos ventos e turbulências deste mundo? Não será por causa de nossa firmeza espiritual e capacidade de aguentar as aflições que Deus permite tais lutas?

O Senhor nos advertiu que "no mundo teríamos aflições", mas, ao mesmo tempo, garantiu-nos que estaria ao nosso lado e que seríamos vitoriosos.

A casa firme na rocha também sofre ação dos ventos, como a que está construída na areia. Porém, uma cai e a outra permanece. As árvores pequenas, inexperientes, fracas na fé, não são capazes de resistir os ventos dos problemas. E, fracas, ao caírem, têm muito mais dificuldade em levantar-se novamente. O que Deus quer dizer para nós, quando permite que sejamos submetidos às intempéries deste mundo, é que sabe que estamos preparados para enfrentar os ventos. Podemos balançar, podemos nos curvar, mas, por fim, os ventos passarão e estaremos ainda de pé. Ele é a nossa força e nesta força seremos vencedores.

Você é uma "árvore alta"? Saiba que os problemas acabarão e você permanecerá firme.

Paulo Roberto Barbosa
Fonte: http://www.webservos.com.br

NÃO DIZER NADA

terça-feira, 23 de outubro de 2018

A ESCRAVIDÃO DO DINHEIRO

Um comerciante, que ia muito bem de negócios, foi ficando cada vez mais indiferente a sua fé, à medida que prosperava financeiramente. Afinal, afastou-se inteiramente da igreja. Então o visitou um velho amigo que, depois dos cumprimentos, colocou sobre a mesa uma folha de papel, na qual estava escrita uma palavra.

–  Você é capaz de ler esta palavra?

–  Perfeitamente: Deus.

Então o amigo tirou do bolso uma moeda, colocou-a sobre a palavra e perguntou:

–  É capaz de ler, agora, o que está escrito aí?

–  Não.

–  E por que não?

–  Porque a moeda está encobrindo a palavra.

Então o velho falou, com toda seriedade:

– Ó meu amigo, é sempre assim: o dinheiro encobre a Deus de nossa vista. Como você ficou rico, já não enxerga a Deus nem a Sua causa. Não quer desviar-se do seu falso caminho?

Fonte: http://www.iasdemfoco.net/

ACREDITE!

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

TODAS AS DÁDIVAS SÃO RETRIBUÍDAS

Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo.

Lucas 6:38

O presidente de uma empresa farmacêutica recebeu uma dose de seu próprio remédio, que lhe foi grato ao paladar.

Por vários anos E. Claiborne Robins, chefe de uma firma de laboratório farmacológico em Richmond, em Virgínia, de vez em quando fechava seu estabelecimento para levar seus 170 empregados em breves viagens de férias. Washington, D.C., foi o destino da primeira excursão.

Seguiram-se viagens mais longas – uma a Neva York, outra a Miami. A companhia pagava todas as despesas. Quando lhe perguntaram porque seguia costume tão contrário às práticas comerciais, o Sr. Robins respondeu: "Estou convencido de que esses empregos de capital num pouco de recreação pagam seus dividendos na atitude do pessoal para com sua tarefa."

Em seu vigésimo aniversário de presidência da firma, o Sr. Robins recebeu uma agradável surpresa – seus empregados viraram as coisas, e ofereceram ao chefe uma viagem à custa deles próprios. Entregaram-lhe dois cheques – um simulado contra o Banco do Divertimento, e um verdadeiro, de 4.200 dólares – e sugeriram que ele e a sua esposa fossem em viagem por quinze dias a Acapulco, México.

Seria erro supor que as ações generosas e boas são sempre retribuídas com bondade, como no caso citado. Muitas vezes os dividendos vêm por outras maneiras ...

Fonte: http://www.iasdemfoco.net/

BOM PELA METADE


domingo, 21 de outubro de 2018

NÃO FOI INÚTIL

Uma jovem, que gostava muito de flores, estava cultivando uma roseira junto de certa muralha de pedra. Crescia a planta vigorosamente, mas não florescia. Dia após dia a moça a cultivava, regando-a e fazendo o possível para que ela produzisse.

Certa manhã em que a jovem, desapontada, permanecia perto da roseira, julgando que todos os seus esforços tivessem sido inúteis, ouviu a voz de sua vizinha. Era uma inválida que vivia presa à sua habitação. A vizinha lhe dizia: "Você não pode imaginar o quanto tenho desfrutado com as flores da roseira que você plantou." A moça, erguendo-se sobre a muralha, pôde ver do outro lado dela grande quantidade de botões de rosas. Uma haste da planta, atravessando um interstício da parede, fora florescer belamente do outro lado.

Aí está uma lição magnífica. Muitas vezes somos tentados a julgar que os nossos esforços estão sendo inúteis, quando realmente estão eles produzindo efeitos onde a nossa percepção não os apanha. A nossa missão é a de fazer o bem: os frutos aparecerão onde e quando a Providência o determinar. – J.B.

O AMOR


sábado, 20 de outubro de 2018

BENEFICÊNCIA MULTIPLICADA

Um rico negociante de S. Petersburgo mantinha por sua conta vários missionários na índia e dava liberalmente à causa de Deus em sua própria terra. Perguntou-lhe alguém como podia fazer tanto, ao que respondeu:

– Quando eu servia ao Diabo, fazia-o em grande escala. E quando, por Sua graça, Deus me chamou das trevas, resolvi que Cristo havia de receber mais de mim do que o Diabo recebera. Mas, quanto à razão de eu poder dar tanto, os senhores devem perguntar a Deus, que é quem me habilita a fazê-lo. Quando me converti, disse ao Senhor que Sua causa teria parte de tudo que meu negócio lucrasse; e todos os anos, desde que fiz essa promessa, os lucros têm duplicado. Assim, posso eu duplicar minhas dádivas à Sua causa.

http://www.iasdemfoco.net

O CONHECIMENTO DA BÍBLIA


sexta-feira, 19 de outubro de 2018

A RECOMPENSA DE FAZER O BEM

Um comerciante rico de Nova York, retornando à casa numa tarde fria, encontrou na soleira da porta uma criança pobre, descalça e banhada em lágrimas. Seu coração ficou cheio de compaixão. Tomou-a, alimentou-a e vestiu-a, e, juntamente com um cesto de alimentos e um cobertor, mandou-a para casa, dizendo-lhe que viesse a ele sempre que necessitasse de alimento, roupa ou combustível. A mãe, que era viúva, sentiu-se confortada, e sempre que a pobreza a atingia demais, a criança ia à casa do comerciante.

Um dia chegou chorando amargamente. Sua mãe havia morrido e ela não tinha ninguém que lhe valesse senão o bom comerciante. Este fez o enterro da pobre senhora e levou a filha para casa até que pudesse escrever aos parentes, porque a mãe se casara contra a vontade dos pais e estava deserdada. Os parentes então a tomaram do comerciante. Com o correr dos anos, sobreveio um infortúnio ao homem que havia sido misericordioso. A morte de seus familiares e a quebra financeira deixaram-no na pobreza e ao desamparo. Finalmente teve de ficar na rua.

Um dia sofreu um acidente e foi levado para o hospital. Isso foi noticiado pelos jornais, que fizeram um resumo de sua vida e infortúnio. Uma bondosa senhora leu a notícia e dirigiu-se para o hospital de Nova York, para junto do leito do pobre e velho homem.

A princípio ele não reconheceu nela a pequena que outrora ele auxiliara. Ela havia recebido boa educação, casara-se e vivia na abastança. Nunca esquecera seu primeiro benfeitor, mas não conseguira relembrar os seus traços até o momento em que leu a notícia no jornal. Levou-o para casa e cuidou dele durante o resto dos dias de sua vida, como se fosse o seu próprio pai. 

The Illustrator.

SUA PRINCIPAL OBRIGAÇÃO


quinta-feira, 18 de outubro de 2018

QUANDO CRISTO CRESCE

“...Importa que Ele cresça e eu diminua”
 
Ninguém gosta de se sentir diminuído diante de alguém. Pelo ponto de vista divino não é assim que as coisas devem caminhar.
 
Ser diminuído diante de Deus fará, proporcionalmente com que Cristo cresça em nossas vidas, e quando Cristo cresce muitas bênçãos são derramadas.

Quando Cristo cresce, diminui meus impulsos, apelos e preferências, que insistem em querer reger minha vida.

Quando Cristo cresce diminui a falta de fé, de esperança e o medo de não conseguir chegar ao alvo proposto pelo Senhor.

Quando Cristo cresce passo a enxergar o amanhã com mais clareza e sou aquecido pelo desejo de querer ser um vaso nas mãos do oleiro.

Quando Cristo cresce vejo o invisível e me lanço no rio da dependência exclusiva de Deus.

Quando Cristo cresce deixo de ser mais eu para ser mais Ele; corro sem me cansar, vôo como águia, derrubo muralhas sem precisar tocar as mãos nela.

Quando Cristo cresce eu diminuo; passo a ser uma criança dependendo do amor, do zelo e do cuidado de seus pais. Sou convencido de que nada posso fazer sem a Sua ajuda; sou constrangido pelo Seu amor incondicional que não olha para minhas imperfeições.

Quando Cristo cresce descanso em seus braços, coloco diante Dele minhas ansiedades, sou capaz de lançar o pão sobre às águas, andar sobre o mar e até dizer em alta voz que “importa agradar a Deus do que aos homens”.

Quando Cristo cresce, cresce também a certeza de que sou mais do que vencedor e por maior que sejam minhas fraquezas, é justamente nelas que o poder de Deus se aperfeiçoa em mim.

Ricardo Maia

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

BOAS NOVAS... BOAS MESMOS

"por isso, quanto está em mim, estou pronto a anunciar o evangelho" 

Romanos 1:15

"O Evangelho não deve ser tratado como uma palavra a ser explicada. Ele se proclama pelo exemplo a ser demonstrado. Ele é "Boas Novas" e podemos mostrá-lo através de nosso testemunho, de nossa mudança de vida, do brilho de nossas atitudes, da alegria pela salvação eterna."

Quando Jesus entra no coração de uma pessoa, ele se define sozinho. Não precisamos explicar o que aconteceu. As pessoas ao redor percebem a transformação, a nova maneira de falar, o novo comportamento junto à família e aos amigos. Ele sugere um desejo de conhecer mais aos que o observam, induz a uma imitação, produz um desejo incansável de experimentar o mesmo prazer, exige uma decisão imediata. Este é o Evangelho de Cristo, um recomeço de vida, uma sensação de esperança, uma inquietação por fé, um glória a Deus que atinge até os que não creem.

Quando o Evangelho do Senhor bate palmas à porta de nossos corações, não pensamos em explicações, não buscamos seu significado no melhor dicionário, não pesquisamos na internet o seu verdadeiro valor. Apenas... queremos abraçá-lo, convidá-lo, recebê-lo com o regozijo que nunca havíamos alcançado. O Evangelho é Jesus! O Evangelho é amor! O Evangelho é vida eterna e isso é tudo que nos interessa.

O Evangelho me alcançou quando não pensava nele e louvo a Deus por, agora, não pensar em mais nada além dele. Ele foi o começo de minha vida e estará comigo até que esta vida se acabe.

Obrigado, querido Deus, por tão grandioso presente que recebi há mais de 40 anos.

Paulo Barbosa

SALVAR NOSSAS ALMAS


terça-feira, 16 de outubro de 2018

A VINGANÇA DO AMOR

Meu nome é Dabousu. Nasci na França e durante a Segunda Guerra Mundial defendi minha Pátria nos campos de batalha.

No ano de 1944 fui feito prisioneiro pela Gestapo (polícia alemã) e fui condenado à morte. Considerando que era casado e tinha quatro filhos, não me mataram, mas fui levado a um campo de concentração e condenado à cadeia perpétua.

Depois de nove meses, pesava somente 40 quilos. Meu corpo estava coberto de chagas. Quebrei o braço direito, e, devido á falta de recursos médicos, o osso se soldou fora do lugar.

No da 24 de dezembro meus pensamentos estavam, mais do que nos outros dias, voltados para minha família. Eu estava no meio da depravação e da sujeira e, em contraste, imaginava como estariam minha esposa e filhos. Mergulhado nestes pensamentos, um policial entrou no pavilhão onde eu e os presos dormíamos. Gritou meu nome. Apresentei-me a ele e me deu ordem para segui-lo. Levou-me à casa do comandante. Guiou-me até a sala de jantar onde o comandante estava assentado perante uma mesa preparada como se fosse o banquete de um rei. Que visão maravilhosa para os meus olhos famintos! No entanto, não me ofereceu sequer as migalhas.

Deixou-me parado, fitando-o, enquanto se regalava com as várias iguarias que estavam sobre a mesa. Assim passou o tempo; ele comendo e eu olhando-o.

Certamente, o comandante sabia que eu era um cristão no Senhor Jesus Cristo e escolheu esta maneira de torturar-me. Deve ter chegado a ele a notícia de que eu falava de meu Salvador a meus companheiros. Satanás tentou-me de maneira terrível. Soavam em minha mente estas palavras: "Como é, Dabousu, continuas crendo no Salmo 23? Nele não está escrito: "O Senhor é meu Pastor, NADA ME FALTARÁ?". Naquele momento orei fervorosamente ao Senhor, ao mesmo tempo que dizia para comigo mesmo: Sim, continuo crendo no Salmo 23. Continuo crendo na Palavra de Deus".

Naquele preciso momento, um rapaz chegou trazendo uma bandeja com uma xícara de café e vários pastéis. Os pastéis pareciam bem saborosos e o comandante comia-os com muita satisfação. Voltou-se para mim e me disse: "Sr. Dabousu, sua senhora é uma excelente cozinheira. Dou-lhe os meus parabéns por seu trabalho".

Quando o comandante percebeu que eu não o entendia foi mais explícito: "Há sete meses que sua esposa está enviando-lhe periodicamente um pacote com biscoitos, pastéis, tortas e todas estas coisas que está vendo sobre a mesa. Tenho apreciado muito a comida de sua esposa".

Agora eu estava entendendo o que ele quis dizer-me. Pensei em minha querida esposa e nas crianças. Do pouco que certamente teriam para comer, abstinham-se do melhor para que eu tivesse alguma coisa para comer. E ali estava um homem enchendo seu estômago com ricos manjares à custa de minha querida família.

Mais uma vez, o diabo veio tentar-me. A voz do tentador soava em minha mente: "Odeie-o, Dabousu, aborreça-o, maldiga-o, grite, bata nele..." Eu orei fervorosamente e Deus me ajudou. Nenhum sentimento de ódio encheu meu coração, porém, eu ansiava que ele me convidasse para comer. Mesmo que não me desse nada para comer, que pelo menos deixasse pegar naqueles alimentos feitos carinhosamente pelas mãos de minha esposa. Mas o comandante egoísta e glutão comeu tudo e depois me dirigiu palavras grosseiras. Finalmente, disse-lhe: "Senhor comandante, embora o Sr. tenha tantas coisas, na realidade é pobre. Quanto a mim, sou rico, pois sou salvo pelo sangue precioso do Senhor Jesus Cristo".

Após ouvir meu testemunho, seu furor acendeu-se contra mim de tal maneira que suas palavras passaram a cair sobre mim como uma cachoeira. Mandou-me de volta para o pavilhão, junto com meus companheiros.

Quando terminou a guerra fui libertado junto com os outros prisioneiros. Daquele dia em diante me propus a descobrir o paradeiro do comandante. A maior parte dos comandantes dos campos de concentração foram mortos. Este, porém, tinha escapado usando um disfarce. Durante mais de dez anos o procurei, até que por fim consegui descobrir seu paradeiro. Fui visitá-lo, acompanhado de um pregador do Evangelho. Inicialmente, fingiu não me reconhecer.

"Eu era o número 175 no registro do campo de concentração", disse-lhe eu. "O Sr. não se lembra do dia 24 de dezembro de 1944?"

Como uma folha estremecida pelo vento, o homem começou a tremer. Sua esposa, que estava a seu lado, ficou cheia de pânico. "Veio para vingar-se?", disse-me ela com voz temerosa e fraca. Eu respondi: "Sim, vim para vingar-me". Olhou-me atemorizada.

Abaixei-me para pegar um pacote que eu tinha trazido, abri-o e apareceu uma magnífica torta feita por minha esposa. Pedi à Sra. do comandante que nos preparasse um café. Quando ficou pronto, os quatro nos assentamos à mesa.

Enquanto comíamos, os olhos do antigo comandante se encheram de lágrimas. Implorou-me que o perdoas-se. Respondi-lhe: "Ali mesmo, enquanto o Sr. me perseguia, eu o perdoei em nome do Senhor Jesus Cristo".

Um ano mais tarde, o antigo comandante juntamente com sua esposa aceitaram o Senhor Jesus como seu Salvador. Continuaram na fé e deram evidências de que tinham nascido de novo. Guiados pelo Espírito Santo, eles entenderam o amor de Deus, derramado em nosso coração. Este mesmo amor nos ajuda a obedecer as palavras do Senhor Jesus Cristo. "Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos de vosso Pai celeste (Mateus 5.44-45)"

Fonte: Revista Plenitude nº 21 – Agosto/1984

INJUSTIÇA

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

UMA MISSÃO EXTRAORDINÁRIA

"Quando a multidão ficou sabendo disso, seguiu-o até lá. Ele os recebeu bem, falou-lhes a respeito do reino de Deus e curou os que precisavam de cura" 

Lucas 9:11

Ana confidenciava a uma irmã da igreja: "Eu penso que o nosso mundo é muito agitado. Não aguento o pessoal do trabalho, nem os colegas da faculdade onde estudo e nem os vizinhos que encontro quando saio de casa. Minha vontade é me mudar para uma montanha e viver sozinha por lá". A irmã falou em seguida: "O nosso querido Senhor e Salvador Jesus Cristo também ficava cansado, caminhava sempre por longas distâncias e era assediado por grandes multidões. Porém, sempre atendia a todos com amor, com um sorriso nos lábios, com um desejo ardente de ver todos felizes. Eu também me canso, às vezes, mas ao lembrar do Senhor, sinto-me renovada e procuro testificar do quanto sou abençoada por Deus."

Temos compreendido que a nossa missão, no mundo, é anunciar, tanto com nossas palavras como com nosso exemplo, a bênção de ter Jesus no coração? Temos feito isso com alegria e gratidão a Deus por ter enviado Jesus para nos salvar e nos dar a vida eterna? Temos nos sentido privilegiados por sermos escolhidos para esse trabalho extraordinário?

Podemos nos sentir cansados, frustrados, decepcionados e até angustiados com os enganos do mundo, mas não podemos deixar de reconhecer que tudo isso é passageiro e não impede que glorifiquemos ao Senhor por ter escrito nossos nomes no Livro dos Céus e ter ido preparar uma casa para vivermos a seu lado para sempre. Quando entendemos isso, o cansaço desaparece, as frustrações deixam de ser importantes, as angústias se transformam em momentos de regozijo e felicidade.

Você ainda deseja fugir do mundo ou louva a Deus pela oportunidade de ser, aqui, uma bênção em Suas mãos?

Paulo Barbosa

AO MESTRE

domingo, 14 de outubro de 2018

LOUVAI AO SENHOR

Partes de um sermão de Charles Haddon Spurgeon, traduzidas e adaptadas pelo Pr Silvio Dutra.

(É de suma importância, para nossa instrução espiritual, que as palavras de louvor e gratidão do Salmo 145 tenham partido do coração e dos lábios de Davi, uma vez que experimentou em toda sua vida grandes lutas e tribulações que a maioria de nós não teria sido capaz de suportar. Mas ele não somente as suportou como se gloriou nelas pois viu em tudo que sofreu o forte braço do Senhor lhe guiando, sustentando e livrando. Na verdade, louvores e gratidão desta dimensão somente podem ser entoados por aqueles que tiveram que atravessar grandes montes e vales na companhia amiga e amorosa do Senhor – nota do tradutor)

"Proferirão abundantemente a memória da tua grande bondade, e cantarão a tua justiça." (Salmo 147.5)

Este é um "Salmo de louvor de Davi", e você vai ver que todo ele está inflamado por um forte desejo de que Deus possa ser muito magnificado. Por isso, Davi usa uma variedade de expressões e as repete com santa veemência: "Eu vos exalto." "Bendirei o teu nome." "Todo dia eu te bendirei". "Louvarei seu nome para todo o sempre." "Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado." "Uma geração proclamará as tuas obras à outra geração." "Falarei da magnificência gloriosa da tua majestade." "Os homens devem falar da força dos Seus atos terríveis" e outras palavras do mesmo sentido até o último verso, "A minha boca falará o louvor do Senhor, e toda a carne louvará o seu santo nome para todo o sempre."
Davi não se contenta em declarar que o Senhor é digno de louvor, ou em suplicar que Seu louvor deve ser sentido no coração, mas ele vai publicamente proclamá-lo. Abertamente declarado, claramente pronunciado e alegremente proclamado em canção. O salmista inspirado, movido pelo Espírito Santo, convida toda a carne, sim, e todas as obras de Deus a entoarem louvores ao Altíssimo!

Sílvio Dutra

A SABEDORIA E A TOLICE

sábado, 13 de outubro de 2018

DECEPCIONADO

Ele respondeu: Tenho sido em extremo zeloso pelo SENHOR, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derribaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só, e procuram tirar-me a vida.

1 Reis 19:14  

Elias era um homem de Deus e sempre seguiu a risca as ordens do Pai. Por vários anos tinha servido a Deus com amor e dedicação. Ninguém poderia dizer que ele não fora fiel e dedicado. Ele mesmo disse isso a Deus no versículo acima.

Durante sua vida, Elias sentiu o poder de Deus agindo: foi alimentado por corvos, orou e fogo caiu do céu e consumiu o altar, suplicou ao Pai e ele ressuscitou o filho da viúva, orou e houve seca sobre a terra, orou novamente e voltou a chover.

Mas agora, ele estava se sentido só, escondido no mais profundo de uma caverna. Estava em depressão, decepcionado com a vida. Havia servido a Deus e isso o tinha levado a um vale mui triste, a ponto de pedir para si a morte: Basta; toma agora, ó SENHOR, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais.

Mas Deus não abandona os seus, Ele foi até Elias com a seguinte pergunta: "O que fazes aí, Elias?". Sabe o que Deus queria dizer para Elias? 

1. O seu lugar não é aí.
2. Você precisa ver a verdade e a verdade é que você tem que passar por cavernas, mas não precisa permanecer nelas.
3. Você nunca vai está só.
4. Não se sinta decepcionado porque a história não terminou.

Deus levantou Elias do mais profundo de sua dor e decepção e o levou novamente a vida. É isso que Deus faz com todo a aquele que na tristeza e decepção ouve a sua voz.

Fandermiler Freitas

VITÓRIAS

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

A AMIZADE É MELHOR QUE O OURO

O homem de muitos amigos deve mostrar-se amigável, mas há um amigo mais chegado do que um irmão. 

Provérbios 18.24

Suas relações familiares ou de amigos são vitais para sua felicidade. O tempo gasto com pessoas que você ama nunca é desperdiçado.

As amizades são melhores do que o ouro. Elas satisfazem nosso interior. Selecione àquelas que o Espírito Santo lhe determinou, e cultive este aconchego.

Quando você pára de produzir, a solidão e a preguiça abafam todo seu entusiasmo. Então comece um projeto em sua vida. Inicie a construção dos seus sonhos. Resista àqueles que querem controlar e mudar as suas metas pessoais. Mas, junte-se àqueles que lhe apoiam e lhe incentivam a realizar seus sonhos. Pois a felicidade de uma pessoa se compõe de duas metas:

01- As relações pessoais com quem você gosta.

02- E as suas realizações de propostas e sonhos para sua vida.

E nunca se esqueça  de que Deus deve fazer parte dos seus projetos de vida, porque ele é o patrocinador dos seus sonhos.

Prof. Freitas
(BASEADO NOS COMENTÁRIOS DO PR. MIKE MURDOCK)
Fonte: http://blogdoproffreitas.blogspot.com.br/

OPORTUNIDADES


quarta-feira, 10 de outubro de 2018

AS RIQUEZAS NÃO TRAZEM FELICIDADE

Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.

Mateus 6:19-21

Um dia, um rei caminhava por um caminho sem ser acompanhado da guarda. Demonstrava grande aborrecimento pela vida, apesar de ter muitas fazendas e muito dinheiro depositado em diversos bancos. De repente, chegaram aos seus ouvidos as palavras de um hino que um irlandês cantava: "Sou filho de um rei." O rei se aproximou do irlandês e lhe perguntou por que estava tão contente, tendo um trabalho tão duro.

Ele respondeu:

– Sou filho de um rei e tenho uma grande herança, a qual irei receber quando findarem os trabalhos desta vida.

O rei começou a meditar e chegou à conclusão de que a Felicidade e a Paz nesta vida não consistem nas riquezas, mas sim no amor de Deus, o Pai, que nos inflama deste mesmo amor para com os nossos semelhantes.

http://www.iasdemfoco.net

SANTIFICAÇÃO


terça-feira, 9 de outubro de 2018

SERÁ QUE OS MAUS SÃO REALMENTE PRÓSPEROS?

Existiu um homem na Bíblia que questionou algo semelhante, ele se chamava Asafe. Certa vez ele disse: “Pois eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos” (Salmos 73:3). Além de fazer essa constatação, Asafe chegou quase a se desviar da sua fé por causa disso: “Quanto a mim, porém, quase me resvalaram os pés; pouco faltou para que se desviassem os meus passos” (Salmos 73:2). Asafe estava olhando os maus, focada em sua prosperidade material, como se isso fosse a única prosperidade que uma pessoa pudesse ter. Mas, felizmente, ele refletiu e conseguiu alcançar a verdade de Deus sobre este tema: “até que entrei no santuário de Deus e atinei com o fim deles” (Salmos 73:17). O que os maus colherão em suas vidas? O que poderão fazer com suas riquezas após as suas mortes? As suas riquezas poderão subornar o Deus todo poderoso? Ou comprar a eles um lugar no paraíso? Ou ainda, as suas riquezas poderão comprar o julgamento de Deus que virá sobre eles? Certamente que não! É por isso que homens malignos e que são vistos como prósperos, na realidade tem a menor de todas as prosperidades, o dinheiro!

Por fim, gostaria de deixar claro que não há problema em os servos de Deus buscarem a melhoria de suas vidas, buscarem prosperidade financeira. Deus também nos abençoa com a prosperidade financeira. No entanto, nunca podemos achar que sermos abastados é um indicativo de que somos prósperos. Prosperidade bíblica é muito mais do que isso!

Presbítero André Sanchez

A CRUZ DE CRISTO


segunda-feira, 8 de outubro de 2018

POR QUE DEUS PERMITE QUE OS MAUS SEJAM MAIS RICOS QUE MUITOS BONS?

Essa é uma questão difícil. Mas como vimos, a prosperidade de Deus não é medida por quantidade de bens. Os maus também podem ser esforçados e conseguir bens como fruto de seu trabalho  ou mesmo podem ser trapaceadores para adquirir as suas riquezas. Já os bons, esses devem ser tal qual como o apóstolo Paulo ensinou: “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” (Filipenses 4:11). Os servos de Deus devem aprender a servir a Deus com o mesmo empenho e alegria, tendo ou não bens e riquezas. O crente pode se esforçar e ter muitos bens como fruto de seu trabalho, mas não será isso que apontará para a sua verdadeira prosperidade.

Presbítero André Sanchez

COMPROMISSO


domingo, 7 de outubro de 2018

POR QUE DEUS DÁ PROSPERIDADE AOS HOMENS MAUS?

Adicionar legenda
Geralmente costumamos associar a prosperidade a ter uma vida financeira abastada. Sendo assim, quando olhamos alguém que tem boa casa, bom carro, uma vida financeira abastada, costumamos logo concluir que essa pessoa é uma pessoa próspera e abençoada por Deus. No entanto, será que a prosperidade de Deus se mede pelos bens que uma pessoa tem? Analisando a Bíblia, gostaria de pegar como exemplo um homem que foi muito próspero. Ele foi certamente o homem mais próspero que já pisou sobre a terra. Esse homem chegou a declarar algo incrível: “Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” (Lucas 9:58). O homem mais próspero da Bíblia não tinha em sua “conta corrente” muitos bens materiais, era pobre! Isso nos leva a perceber que a  prosperidade bíblica está muito além de ter bens!

Da mesma forma houve um rapaz que é mencionado na Bíblia e que era muito rico. No entanto, diante do chamado de Jesus, veja a reação dele: “Ouvindo-o Jesus, disse-lhe: Uma coisa ainda te falta: vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos céus; depois, vem e segue-me. Mas, ouvindo ele estas palavras, ficou muito triste, porque era riquíssimo” (Lucas 18:22). A minha pergunta é: esse rapaz era próspero? Ele tinha muitas riquezas, mas rejeitou a maior riqueza: Jesus. Logo, ele não era próspero! Ele era apenas um jovem rico e nada mais.

Presbítero André Sanchez

sábado, 6 de outubro de 2018

LUZES ALINHADAS

Ensina-me a fazer a Tua vontade, pois Tu és o meu Deus: guie-me o Teu bom Espírito por terreno plano. 

Sal. 143:10. 

Em uma noite escura e sem estrelas, há muitos anos, o Dr. F. B. Meyer atravessava o Canal de S. Jorge, no País de Gales, quando começou a imaginar como é que uma embarcação viajando numa noite como aquela poderia chegar ao porto sem perder-se. O comandante estava ali por perto, de modo que o Dr. Meyer lhe fez a pergunta.

- O senhor vê aquelas três luzes? - perguntou o comandante.

- Sim - respondeu o Dr. Meyer.

- Bem, o piloto precisa manobrar o navio até que aquelas três luzes pareçam ser uma só. Quando isso acontecer, saberemos a posição exata da entrada do porto.

Algo semelhante acontece no âmbito espiritual. Quando pedimos que Deus responda às orações, três coisas precisam estar "alinhadas": (1) Está a nossa oração em harmonia com a vontade de Deus revelada em Sua Palavra? (2) A resposta à nossa oração trará glória a Deus? (3) Estamos dispostos a esperar que Deus nos responda no momento certo e da maneira apropriada, segundo a Sua onisciência? Quando essas três "luzes-guia" estiverem alinhadas, poderemos descansar na certeza de que nossas orações serão sempre atendidas para o nosso bem eterno.

RICOS

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

A LISTA DA ALEGRIA

Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo."

 João 15:11


O escritor, C. W. Metcalf estava trabalhando num lar de abrigo como voluntário quando conheceu Chuck de 13 anos de idade, que estava terminalmente doente. Um dia Chuck deu meia dúzia de folhas de papel escritas de ambos os lados a Metcalf e disse: "Quero que entregue isto aos meus pais depois de eu morrer. É uma lista de quantas vezes nos divertimos e rimos juntos." Metcalf estava espantado como este jovem rapaz, no limiar da morte estava pensando no bem-estar de outros.

Metcalf entregou a lista. Anos mais tarde ele decidiu fazer a sua própria lista. Em princípio ele ficou surpreso com a dificuldade na compilação da sua "lista da alegria." Mas quando começou a procurar momentos de riso, satisfação e alegria no dia a dia, a lista cresceu.

Qualquer lista de alegria que nós como cristãos possamos compilar irá sem dúvida incluir muitas referências à presença e poder de Jesus Cristo. Não importa quais sejam as circunstâncias, a alegria é a Sua dádiva graciosa a todos que confiem n'Ele. Mesmo quando Jesus estava prestes a enfrentar a agonia da cruz, Ele tinha alegria em mente. Ele disse aos Seus discípulos: "Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo" (João 15:11).

Porque não começar uma lista de alegria hoje. Pode ser uma boa lembrança do amor fiel do Senhor e a alegria que Ele traz ao coração. - David MacCasland

PARA MULTIPLICARES A TUA ALEGRIA, CONTA AS TUAS BÊNÇÃOS.