segunda-feira, 31 de maio de 2021

ABRA OS CELEIROS DO CÉU

Alguém que você conhece está sob ataque. Seu vizinho está deprimido. Sua irmã está no caminho errado. Seu filho está encarando um grande desafio. Você pode não saber o que dizer. Você pode não ter muitos recursos para ajudar. Mas, você tem isso: você tem a oração. De acordo com esta promessa suas orações provocam a resposta de Deus nas vidas dos seus entes queridos. Tiago 5:16 diz “A oração de um justo é poderosa e eficaz.”

Quando oramos uns pelos outros, entramos na oficina de Deus, levantamos um martelo e ajudamos ele a cumprir os seus propósitos. Nossas orações abrem os celeiros celestiais. A ligação entre a bondade de Deus e os seus amigos é a sua oração. Quando você ora, quando você fala por aqueles que precisam de ajuda àquele que ajuda pode dar, algo maravilhoso acontece.

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “Unlock the Storehouses of Heaven”

BOLSOS CHEIOS


 

domingo, 30 de maio de 2021

CONSTRUÍNDO PELA FÉ

O pastor Roldan dirigia uma pequena congregação em Buenos Aires, mas um dia ele começou a sentir aflorar em sua mente a ideia de fazer algo pelas crianças abandonadas. Ver as crianças vagando pelos trens, dormindo nas estações, partia seu coração. Ele não sabia o que fazer com esse fardo, que compartilhou com sua esposa,

e se perguntava: “Onde conseguiríamos o dinheiro para começar um orfanato?”

Por um tempo, eles permaneceram orando, até que um dia lhe ocorreu pedir permissão a uma rádio, para usar uma parte do terreno onde eles tinham suas antenas. Eles deram a autorização e o pastor, com grande alegria, começou a procurar materiais, pediu nas vizinhanças e com a ajuda de alguns irmãos começou a construir uma casa para abrigar os meninos. Aos seis meses, eles já tinham mais de45 crianças que eram cuidadas por ele, sua esposa e outros irmãos na igreja. Como eles foram sustentados? Pela provisão de Deus. Uma leiteria lhes dava leite, uma padaria lhes dava pão, outras igrejas que ele visitava doaram roupas, móveis, utensílios, comida. A sociedade nos ensina que, quando queremos fazer algo, precisamos primeiro ter os meios. Quando empreendemos algo para o Senhor, temos que violar essa lei. Deus quer que comecemos com o que temos e Ele nos ajudará com o fornecimento do que precisamos. Nenhuma grande obra para o Senhor começa com base na segurança do homem; tudo dependerá da fé em Deus.

 Alberto D. Gandini/José Luis Martínez - 502 Ilustraciones Selectas

 

sábado, 29 de maio de 2021

O PODER DE UMA MENSAGEM – ALBERT SCHWEITZER

Um folheto escrito por Alfred Boegner foi o elemento importante na decisão de Albert Schweitzer para deixar Paris e marchar para a África.

Um dia, tarde da noite, Schweitzer regressou da universidade onde trabalhava como professor. Estava tão cansado que prestou pouca atenção às cartas que sua governanta havia colocado em sua mesa; então olhou-as rapidamente, até que uma revista com uma capa verde chamou sua atenção. Folheando-a, foi atraído por um artigo escrito por Alfred Boegner intitulado: "As necessidades da Missão no Congo". "Aqui sentado na África", escreveu Boegner, "oro a Deus pedindo que os olhos de alguém em quem o olhar do Senhor já tenha caído, leia e responda a esse chamado dizendo: 'Eis-me aqui, Senhor.'

"Comovido pelo poderoso e fervoroso convite de Boegner para ir ao Congo e ajudá-los, Schweitzer inclinou a cabeça naquela noite e orou: "A busca acabou. Eu irei”.

Aquilo o inspirou a se tornar um médico missionário. Schweitzer estudou medicina na Universidade de Estrasburgo, e em 1913 ele estava marchando para a África, onde começou a servir em Lambarene, na África Equatorial Francesa. Seu primeiro hospital na selva começou em uma cozinha.

Quando ele decidiu ser missionário-médico, Schweitzer era o diretor da Escola Teológica Saint Thomas da Universidade de Estrasburgo. Ele já era um renomado escritor, teólogo, pastor e músico. Ele era o melhor intérprete, no órgão, das composições de Johan Sebastian Bach. Mas, sentindo o chamado de Deus, virou as costas a todo prestígio e promessa de sucesso e mergulhou sua vida na obscuridade da África.

O compromisso total de sua vida de serviço em nome de Jesus Cristo teve seu início no artigo escrito por um missionário desconhecido que servia no Congo.

 José Luis Martínez - 502 Ilustraciones Selectas

O EVANGELHO

 

sexta-feira, 28 de maio de 2021

EXEMPLO DE COMPAIXÃO

O Dr. Albert Schweitzer em 1913 começou o seu trabalho como missionário médico em Lambaréné, na África Equatorial Francesa. Com o tempo Schweitzer construiu ali um grande hospital e base missionária. Milhares de africanos foram tratados no hospital a cada ano. 

Em 1952 ele ganhou o Prêmio Nobel da Paz por seu trabalho em África. Mas em vez de usar o alto valor do prêmio em suas próprias necessidades, ele usou o dinheiro para expandir e melhorar o hospital e construir uma colônia de leprosos. 

Quando Schweitzer foi pela primeira vez à África, estava tratando uma vez um homem que apesar de gravemente doente, tinha ainda a esperança de que o missionário cristão fosse capaz de curá-lo. 

Olhando para o rosto tranquilo do médico, o africano perguntou:

- Quem te enviou aqui?

 A que o compassivo médico respondeu:

- O homem de Nazaré me enviou.

 José Luis Martínez - 502 Ilustraciones Selectas

CADA SAUDADE


 

quinta-feira, 27 de maio de 2021

A INFLUÊNCIA

Josiah Elliott era um humilde pregador rural da Carolina do Norte. Por quase cinquenta anos, ele serviu a Deus fielmente em pastorado nas áreas rurais. Mas Elliott queria ser pastor de uma igreja na cidade, mesmo que apenas uma vez na vida. Ele orava frequentemente: "Senhor, não me deixe para sempre no campo. Deixe-me pastorear uma igreja na cidade".

Elliott nunca pastoreou uma igreja na cidade, mas Deus sempre abençoou seu ministério. De uma de suas igrejas no campo saíram dois jovens que se tornaram presidentes da Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos, e um deles chegou a ser presidente da Aliança Batista Mundial.

Um deles foi Casper C. Warren, um grande pregador que serviu como pastor da grande congregação da Primeira Igreja Batista de Tulsa, Oklahoma. O outro foi George W. Truett, que foi durante 47 anos pastor da Primeira Igreja Batista de Dallas, Texas, uma das maiores igrejas batistas do mundo.

Esses dois homens tocaram centenas de milhares de vidas durante seu ministério. Parece que Josiah Elliott teve um ministério mais frutífero nas igrejas rurais do que talvez ele jamais teria na cidade.

 J. B. Fowler / José Luis Martínez - 502 Ilustraciones Selectas

O COMEÇO DE DEUS


 

quarta-feira, 26 de maio de 2021

O CHAMADO À CORAGEM

Seja forte e corajoso ... 

1Crônicas 28:20

Numa exposição de estátuas masculinas, em Londres, está a estátua solitária de uma mulher, Millicent Fawcett, que lutou pelo direito das mulheres ao voto. Imortalizaram-na em bronze segurando um estandarte exibindo palavras que ela ofereceu em tributo a um sufragista: “A coragem exige coragem em todos os lugares”. Ela insistiu que a coragem de alguém encoraja outros e convoca à ação as almas tímidas.

Quando Davi se preparava para entregar seu trono a Salomão, seu filho, explicou-lhe sobre as responsabilidades que logo pesariam sobre os ombros dele. Talvez Salomão tivesse estremecido sob o peso do que enfrentaria levando Israel a seguir todas as instruções de Deus e a guardar a terra que o Senhor lhes confiara e supervisionando a monumental tarefa de construir o Templo (vv.8-10).

Conhecendo o filho, Davi o encorajou: “Seja forte e corajoso […]. Não tenha medo nem desanime, pois o Senhor Deus, meu Deus, está com você” (v.20). A verdadeira coragem nunca surgiria da própria habilidade ou confiança de Salomão, mas, sim, de confiar na presença e força de Deus. O Senhor proveu a coragem que Salomão precisava.

Quando nos deparamos com dificuldades, muitas vezes tentamos despertar a ousadia ou nos encher de bravura. Deus, no entanto, é aquele que renova a nossa fé. Ele estará conosco e a Sua presença nos enche de coragem.

Por:  Winn Collier
Fonte: https://paodiario.org

SE ELES SOUBESSEM

 


terça-feira, 25 de maio de 2021

NÃO MATARÁS

Eu sou o Senhor, o teu Deus... Não matarás. 

Êxodo 20. 2, 7)

Ao longo desta semana vamos buscar na palavra de Deus as orientações de como ajudar a cuidar e proteger a vida.

Lurdinha, de nove anos, chegou da aula exausta. Mal avistou a mãe e já saiu desabafando: Mãe, não aguento mais o Lucas! Um dia ainda esgoelo ele! Lurdinha!, exclamou a mãe, eu nem te conheço mais! Você não aprendeu na Escola Dominical que devemos amar nossos colegas e fazer tudo pelo bem deles? É, mãe... Mas o Lucas é muito chato!

Em nossa relação com outras pessoas há sempre alguém que não suportamos. Se você reparar bem, notará que a pessoa que é muito chata para nós pode ser benquista por outros. Onde está o problema? Está no outro ou em nós mesmos?

Por isto estudaremos o mandamento do Senhor que afirma Não matarás. O que significa isto? Lutero deu a seguinte explicação para este mandamento: Devemos temer e amar a Deus e, portanto, não causar dano ou mal algum ao nosso próximo em seu corpo; mas devemos ajudar-lhe e favorecê-lo em todas as necessidades corporais.

Você percebe o que Deus espera de nós? Não é o desprezo, a rejeição ou a morte das pessoas indigeríveis. Pelo contrário, ele exige um esforço especial de nós, para vermos os outros como criaturas amadas por Ele e a quem devemos amar.

Sabe por que Deus coloca pessoas chatas em nosso caminho? Para nos dar uma oportunidade de aprender a amar. Se amarmos apenas quem nos ama, o que temos de especial?

Senhor, ajuda-me a olhar e ver todas as pessoas com os olhos compassivos de Jesus. Amém. 

Ministério Encontrão (http://www.me.org.br)

AMANDO AS PESSOAS


 

segunda-feira, 24 de maio de 2021

UMA LIÇÃO SOBRE MORDOMIA

Dois crentes muito ricos, um advogado e o outro, empresário, fizeram uma viagem ao redor do mundo. Na Coréia, eles visitaram um templo onde o pastor lhes servia como intérprete e guia. Eles passaram por um campo onde viram um pai e seu filho arando. O filho jovem e forte puxava o arado e o pai o guiava. 

Os visitantes ficaram surpresos e concluíram que eram muito pobres.

 Sim, eles são - foi a resposta -, eles são membros da igreja. Eles queriam participar com sua oferta na construção do templo. Eles venderam seu único boi e entregaram o dinheiro como uma oferta. Nesta primavera, eles precisam puxar eles próprios o arado. 

Os visitantes, impressionados, responderam:

— Este é um verdadeiro sacrifício.

 Eles não o chamam assim - explicou o pastor.  Eles se sentiram privilegiados por ter um boi para vender e oferecer ao Senhor. 

Os dois viajantes não disseram nada. 

Ao retornar à sua cidade, eles contaram a experiência à sua igreja e ao seu pastor. Um deles confessou: "Eu nunca fiz nada ou disse algo que realmente viesse a me custar de verdade. Eu sempre ofereci o que sobrava. Eu tive que ir à Coréia para aprender”.

O rei Davi nos fala sobre isso em 2 Samuel 24:18-24.

 José Luis Martínez - Ilustraciones Selectas

MISSÃO

 

domingo, 23 de maio de 2021

JESUS ESPALHA FELICIDADE

Jesus foi acusado de muita coisa, mas ele nunca foi descrito como um mal-humorado, carrancudo ou egoísta. As pessoas não lamentaram quando ele apareceu. Ele chamou as pessoas por nome. Ele escutou suas histórias. Ele respondeu as suas dúvidas. Ele visitou seus parentes enfermos e ajudou seus amigos doentes. Jesus pescou com os pescadores e almoçou com o baixinho e pronunciou palavras de forte afirmação.

Ele foi para casamentos. Ele foi para tantas festas que foi criticado por se juntar com pessoas de caráter duvidoso. Milhares vieram ouvir ele ensinar. Centenas decidiram o seguir. Deixaram as suas carreiras para estarem com ele. A declaração de missão dele dizia assim “Eu venho para dar vida e vida em abundância.” (João 10:10 VFL). Jesus era feliz, ele nos quer assim também.


Max Lucado

Tradução por Dennis Downing

Em Inglês: “Jesus Spread Happiness”

A CRUZ QUE ENSINA A AMAR

 

sábado, 22 de maio de 2021

BEM-AVENTURADO OS MISERICORDIOSOS

Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia.

Mateus 5:7

Zélia Walters conta a história de um homem desempregado, por nome Donley, que se viu forçado a mendigar. Certa noite, uma bondosa senhora lhe deu um dólar, dizendo:

- Aí está, compre alimento; e não se desanime ainda quão difíceis as coisas pareçam. Há para o senhor, algures, um trabalho. Espero que o encontre em breve.

- Obrigado, a senhora me deu um novo impulso e um novo coração. Jamais esquecerei sua bondade.

Aquelas palavras o fizeram sentir-se como um homem, não um fracassado.

- O senhor estará se nutrindo do pão de Cristo; passe-o adiante - disse ela.

Donley gastou meio dólar num restaurante barato, e resolveu guardar o outro para o dia seguinte. Mas ao pensar no "pão de Cristo", não podia reservar o dinheiro só para si; e assim o repartiu com um velho camarada que estava com fome. Durante a refeição, Donley observou que o velho estava embrulhando um pedaço do pão num guardanapo de papel.

- Guardando alguma coisa para amanhã, hein?

- Oh, não! E que há um menino lá em baixo, na rua, que tem passado maus bocados, e eu o vi chorando com fome. Quero dar-lhe o pão.

Um terceiro faminto partilharia o pão de Cristo. Ambos levaram o alimento para o menino faminto, que começou a comê-lo avidamente. Logo o garoto parou de comer e chamou um cão perdido e assustado:

- Vem cá, amigo, vou te dar a metade.

A seguir, tomou a atitude de um novo rapaz. Pôs-se de pé, e começou a vender seus jornais com renovado vigor.

Após uma palavra de animação ao velho, Donley voltou-se e viu o cão perdido a farejar-lhe a perna. Acariciou-o e encontrou em torno de seu pescoço uma coleira em que se achava o nome do dono. Ao ir entregar o cão a esse dono, foram-lhe dados em recompensa dez dólares. Donley olhou para a nota, meio aturdido.

- Não desejava receber isto. Queria simplesmente devolver o cão a seu dono.

- Leve-a. O que o senhor fez vale mais do que isto para mim; e, ao que parece, o senhor precisa de um emprego, não é? Venha amanhã ao meu escritório.

Uma pessoa nunca perde ao repartir seu pão com um faminto.

Fonte: Coletânea de Ilustrações Homilética

SOB CONTROLE

 

sexta-feira, 21 de maio de 2021

AMIGO EM INIMIGO

Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor. Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.

Gálatas 5:13,14

Certo fazendeiro contava acerca de um desentendimento que houve entre ele e seu vizinho. Por pouco não houve entre eles uma cena de sangue. Passados alguns dias, saiu de carro sob fortes chuvas e, no caminho, notou que outro automóvel estava atolado no barro. Para sua surpresa, o motorista em apuros era o seu inimigo. A principio ele

pensou em passar de lado e deixá-lo com seu próprio infortúnio, mas venceu o sentimento vingativo e parou para ajudá-lo.

Aquele ato transformou o inimigo de outrora num dedicado amigo. Que grande recompensa resultou de um simples ato de solidariedade humana. Aquilo que palavras ásperas e mau humor não haviam conseguido, foi alcançado em poucos minutos por um ato de bondade, praticado no lamaçal do caminho.

Na rua, no metrô, no ônibus, no afã da vida diária, ou no lamaçal do caminho, a fraternidade de Cristo operará milagres em qualquer tempo. A humanidade em toda parte, a nossa vizinhança, está sedenta por esta demonstração de amizade e atos de presteza que só Cristo inspira.

"Servindo-vos uns aos outros em amor."

Earl Perry (Kansas, E.U.A.)

O REINO DE DEUS

 

quinta-feira, 20 de maio de 2021

SOLIDARIEDADE E AMOR

Meus vizinhos estavam voltando do sítio, um sol forte, e muito quente, quase uns dez quilômetros longe de casa. Na estrada eles encontraram sete jovens pedindo carona. Eles estavam exaustos de tanto andarem, pois haviam ido brincar em uma cachoeira. No carro só havia lugar para quatro pessoas, três ficariam, e teriam que continuar a caminhada. Diante da oferta de meus vizinhos, os jovens recusaram eles não queriam deixar nenhum dos amigos para trás. Meus vizinhos então vieram embora, porém o coração de minha vizinha doeu em deixá-los ali.

Depois de já terem percorrido alguns metros regressaram e fizeram duas viagens, deixando os jovens próximos de suas casas. Os jovens agradeceram muitíssimo, mas quem realmente sentiu-se feliz e satisfeita foi a minha vizinha que veio contar-me toda eufórica que havia feito uma bela ação. O que me chamou atenção foi a união e a solidariedade daqueles jovens. Eles poderiam ter aceitado a carona, deixando que as meninas viessem e os meninos ficassem, ou tirar a sorte para ver quem viria ou quem ficaria.

Mas não, ou vão todos, ou não vai ninguém. Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 1º Coríntios 13:1,2.

Solidariedade é a dependência mútua entre os homens. Sentimento que leva- os a se auxiliarem mutuamente. É uma relação mútua entre coisas dependentes. É um direito compromisso pelo qual as pessoas se obrigam umas pelas outras.

Porque, se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Eclesiastes 4:10. A Solidariedade consiste, não em receber, mas em dar, independente de raça, credo e do sentimento de compaixão. O amor cobre todas essas distinções e arrisca a própria vida de maneira a proporcionar socorro.

Aprendemos assim que temos que ter um sentimento pelo próximo, independente da proximidade física, de local, mas exclusivamente o sentimento de amor. Onde há a solidariedade não há solidão. Fomos chamados para viver uma fé solidária e não solitária. (John Wesley).

Encontramos muitos exemplos de solidariedade na Palavra de Deus. A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo. Tiago 1.27.

Quando nós abrimos caminhos construindo e exercitando a solidariedade e o amor, nós conseguimos relacionarmos cada vez mais e melhor com as pessoas. Sentimos compaixão. Foi o que a minha vizinha sentiu em relação aos jovens. É o que Deus tem sentido e agido sobre cada um de nós. Vamos praticar a solidariedade e o amor.

Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? Mateus 18:33.
Valéria Belotti

SOLIDÃO


quarta-feira, 19 de maio de 2021

SIGNIFICOU TANTO

E assentaram-se com ele na terra, sete dias e sete noites; e nenhum lhe dizia palavra alguma, porque viam que a dor era muito grande.


Jó 2:13 


Uma coisa que eu aprendi na vida, nas horas ruins e difícil do viver, é que a companhia, a presença e o olhar são mais preciosos do que palavras e sorrisos.

Tony Campolo conta que uma vez foi a um funeral. Por engano foi parar a uma sala errada onde jazia o corpo de um homem idoso. A viúva era a única enlutada presente. Ela parecia tão só que Campolo decidiu ficar para o funeral. Ele chegou mesmo a acompanhá-la ao cemitério. No fim do funeral, Campolo acabou por confessar-lhe que não havia conhecido o marido dela. 

– Eu pensei o mesmo - disse a viúva - Mas realmente não faz mal. O senhor nunca, mas nunca, vai entender o que isto significou para mim.

A maioria das vezes os que sofrem lembram-se das presenças despretensiosas e singelas dos que apenas o acompanharam. Alguém que esteve presente quando foi preciso, que escutou, que não estava sempre olhando para o relógio, que abraçou, tocou e chorou.

Um coração que sofre, na maioria das vezes, só precisa de alguém disposto a caminhar com ele algumas horas. As palavras não importam. A gente precisa é da companhia, mesmo que se faça em silêncio e de um abraço. A alma jamais esquecerá.

A HUMANIDADE ESTÁ CANSADA


terça-feira, 18 de maio de 2021

SUBINDO E DESCENDO

"Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer" (João 15:5).


Um pequeno menino, brincando nos fundos de sua casa, jogava sua bola para o alto e a segurava novamente. Um senhor que passava pelo local, já idoso e há muito afastado de brincadeiras infantis, perguntou ao menino o que ele estava fazendo. Este respondeu: "Estou brincando de lançar a bola com Deus. Eu lanço a bola para o alto e ele lança de volta para mim."

Não estamos em condições de julgar a habilidade de Deus de jogar bola, mas sabemos que tudo que sobe deve descer. O processo é tão previsível que poderíamos nos referir a ele como uma lei científica. O mesmo processo aplicasse às nossas vidas religiosas. É muito bom "subir" para uma grande experiência com Deus, mas poderemos nos desiludir se não lembrarmos que devemos "descer" novamente.

Muitas vezes nos aplicamos exclusivamente à tarefa de prosperar, tanto em relação à vida material como espiritual.

Queremos ter o melhor e ser o melhor. Conseguimos um pouco e queremos mais. Nunca estamos satisfeitos e a ânsia de chegar mais alto nos transforma em pessoas de difícil trato e até infelizes.

A nossa vida é constituída de altos e baixos e precisamos estar preparados para ambas as situações. E quando os nossos "altos" suplantam os "baixos" e nos tornamos pessoas de grande sucesso, é indispensável que entendamos que o mesmo não acontece com todos os demais e que devemos manter a humildade característica dos vencedores e, principalmente, dos filhos de Deus.

Muito mais prazeroso para nós é cumprir a lei do descer após estar no alto através de atitudes de simpatia, generosidade e humildade do que ver ruir os nossos sonhos após uma queda por atos de arrogância e prepotência.

Saiba subir e descer, e suas bênçãos jamais terão fim.


Paulo Roberto Barbosa

A PAZ


segunda-feira, 17 de maio de 2021

TODO MUNDO PRECISA DE UM TORCEDOR

Cada pessoa precisa ouvir um “maravilhoso”. Entenda porquê. Empresas gastam bilhões de dólares para nos convencerem que somos gordinhos, fedorentos, feios e ultrapassados. A insegurança habita em bilhões de corações. Você distribuiria encorajamento? Você pode fazer acontecer um pouco de felicidade? Você pode lembrar à humanidade que nós fomos feitos na imagem de Deus? Que fomos escolhidos, destinados e amados?

Comece escutando atentamente. Peça para alguém lhe contar a história dele ou dela. Dê o mais raro de presentes: sua plena atenção. Elogie abundantemente. Incentivo bíblico não é uma palavra tipo casual, mas sim uma determinação premeditada para levantar o espírito de outra pessoa. Todo mundo precisa de uma líder de torcida Dê o presente que Deus adora dar – o presente do encorajamento.

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “Everyone Needs a Cheerleader”

CORAGEM

 


domingo, 16 de maio de 2021

QUAL É O SEU SABOR?

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.

Mateus 5.13

- Nas bem-aventuranças de Mateus 5.3-12, Jesus define os elementos essenciais do caráter do cristão. Entretanto, na metáfora do sal e da luz, nos versos 13 a 16, Ele considera a influência do cristão.

- Na verdade, essas duas seções do Sermão do Monte estão intimamente relacionadas. Afinal, a influência do cristão depende do seu caráter. Sem um caráter cristão, não pode haver influência cristã.

- O que queremos dizer quando falamos que sem um caráter cristão, não há influência cristã?

Simplesmente isto: que os assim chamados cristãos, que não são misericordiosos, mansos, nem puros de coração e outras coisas mais, não são realmente cristãos, embora pertençam à igreja. Essa pessoa exercerá alguma influência, mas sua influência não será cristã.

- E aí está um problema para a igreja. Porque como a pessoa é chamada de cristã e pertence à igreja, suas ações são vistas pela comunidade em geral como representando aquilo que significa cristianismo. Mas isso é um falso testemunho.

A maneira trapaceira de alguns fazerem negócios e o orgulho ou difamação de outros apresentam um falso testemunho à comunidade. Isso não é testemunho cristão.

- Devemos observar também que Mateus 5.13 diz que os cristãos são o sal da Terra. Se eles são cristãos, não há outra escolha.

Marcelo Augusto de Carvalho

O MAL E O BEM EM MIM

 

sexta-feira, 14 de maio de 2021

SÃO CURADAS


A PRATA

Havia um grupo de mulheres num estudo bíblico do livro de Malaquias. Quando elas estavam estudando o capítulo 3, elas se depararam com o versículo 3 que diz: "Ele assentar-se-á como fundidor e purificador de prata"...

Este verso intrigou as mulheres e elas se perguntaram o que esta afirmação significava quanto ao caráter e natureza de Deus. Uma das mulheres se ofereceu para tentar descobrir como se realizava o processo de refinamento da prata e voltar para contar ao grupo na próxima reunião do estudo bíblico.

Naquela semana esta mulher ligou para um ourives e marcou um horário com ele para assisti-lo em seu trabalho. Ela não mencionou a razão de seu interesse na prata, nada além do que sua curiosidade sobre o processo de refinamento da prata. Enquanto ela o observava, ele mantinha um pedaço de prata sobre o fogo e deixava-o aquecer.



Ele explicou que no refinamento da prata devia-se manter prata no meio do fogo onde as chamas eram mais quentes de forma a queimar todas as impurezas. A mulher pensou em Deus mantendo-nos num lugar tão quente, depois ela pensou sobre o verso novamente, que "ele se assenta como um fundidor e purificador da prata".

Ela perguntou ao ourives se era verdade que ele tinha que se sentar em frente ao fogo o tempo todo que a prata estivesse sendo refinada. O homem respondeu que sim. Ele não apenas tinha que sentar-se lá segurando a prata, mas também tinha que manter seus olhos na prata o tempo inteiro que ela estivesse no fogo. Se a prata fosse deixada, apenas por um momento, em demasia nas chamas, ela seria destruída.

A mulher silenciou por um instante. Depois ela perguntou: "Como você sabe quando a prata está completamente refinada?".


Ele sorriu e respondeu: "Oh, é fácil. Quando eu vejo a minha imagem nela".

quinta-feira, 13 de maio de 2021

O PERGIDO DAS DISSENÇÕES

Um marinheiro britânico relatava que a mais terrível batalha naval da qual ele participou aconteceu uma noite quando seu navio de guerra confundiu outro navio inglês, acreditando que ele era um inimigo. Ambos os navios se atacaram com todas as armas disponíveis. Muitos marinheiros morreram e muitos outros ficaram feridos, e os dois navios sofreram grandes danos.

Quando o amanhecer chegou, eles descobriram seu erro trágico quando viram a mesma bandeira flamulando nos dois navios. Então as equipes se cumprimentaram e choraram amargamente. 

Algumas vezes igrejas cristãs cometem o mesmo erro.

 Joe E. Trull, José Luis Martínez - Ilustraciones Selectas

UMA VIDA PODEROSA

 

quarta-feira, 12 de maio de 2021

TALENTOS

Na Itália, na cidade de Cremona, viveu durante o século 16 um jovem chamado Antonio. Este jovem sentia-se frequentemente triste porque ele morava em um lugar famoso por sua música, mas ele não podia cantar ou tocar. Sua voz não era nada de especial, então ele nunca foi convidado a cantar no coral juvenil de Cremona. Quando começou a ter aulas de violino, os vizinhos convenceram a seus pais de que ele deveria parar de tocar. Ainda assim, Antonio ainda queria ter sua parte na arte musical. 

Seus amigos zombavam dele porque parecia que o único talento de Antonio era entalhar; mas ele não desanimou. Um dia, ficou sabendo que um famoso fabricante de violinos chamado Amati vivia em Cremona. No dia seguinte, ele foi vê-lo e implorou para que o artesão o admitisse como aprendiz em sua oficina. Ali ele esteve trabalhando e estudando durante muitos anos. O amor pela escultura se desenvolveu até ele chegar a ser um artista. Ele pacientemente fez muitos violinos, procurando que cada um fosse melhor e mais bonito que o anterior. 

Quando Antonio morreu, ele deixou mais de 1.500 violinos feitos, cada um com o nome "Antonio Stradivarius". Hoje são os violinos mais procurados na Terra. Sua grande qualidade permanece inalterada ao longo dos séculos. Os violinos de Antonio são vendidos hoje por valores astronômicos.

Antonio Stradivarius não sabia cantar nem tocar, mas fez o que pôde; e agora, depois de trezentos anos, seus violinos ainda produzem música belíssima.

Às vezes, os cristãos se preocupam porque não podem cantar, tocar, pregar ou ensinar. No entanto, o mais importante não é qual e quantos são nossos talentos ,mas o que fazemos com eles. Um canto de louvor a Deus e de serviço ao homem que está no coração de um crente dedicado encontrará, sem dúvida, alguma maneira apropriada de expressão.

 José Luis Martínez - Ilustraciones Selectas

PARA NOS LEMBRAR

 

terça-feira, 11 de maio de 2021

O VIVER DA SEGUNDA MILHA

“Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas” 

Mateus 5:41

A segunda milha tem uma história fascinante. Se não tirarmos tempo para compreender a história por trás das palavras, perderemos o seu significado. Esta parábola baseia-se num quadro de um país ocupado. O verbo “forçar” vem do grego, aggareuein. O substantivo vem de uma palavra persa, que no antigo sistema postal significava estafeta. As estradas eram divididas em estádios cerca de um dia de distância uns dos outros. No final de cada estádio havia provisão de alimento, água e acomodação para o estafeta.

O costume era que qualquer cidadão e seu cavalo podiam ser forçados a percorrer um estádio. A palavra aggareuein representa tal alistamento compulsório. Através dos anos, a palavra passou a indicar trabalho forçado ou fornecimento de bens pelas pessoas de um país ocupado. As forças de ocupação podiam exigir o serviço dos vencidos mediante a força. Na Palestina, a qualquer instante o judeu podia ser forçado ao serviço. Ele não tinha recurso senão cooperar e cumprir o que lhe exigiam.

O que Jesus parece estar dizendo é que se caminharmos a milha que alguém nos peça, estaremos apenas cumprindo o que é requerido de um país ocupado. Contudo, se com o fardo nas costas indicarmos a disposição de continuar em serviço, causaremos boa impressão nos outros com nossa disposição
amorosa. O mínimo necessário não impressiona a Jesus. Ele chama o seu povo para manter o fardo nas costas e prosseguir.

Essa história tem uma implicação prática na questão do ressentimento. Em vez de nos ressentirmos ao ser forçados ao serviço, Jesus sugere que devemos manifestar amor prático pela pessoa de quem nos ressentimos. Vá além das expectativas. Dê a si mesmo além do seu limite e descobrirá
que o segundo fôlego do Espírito Santo estará infundindo vida, energia, amor e perdão.

Cristo nos chama para o viver da segunda milha.

Autor Desconhecido

FIÉIS A NÓS MESMOS


segunda-feira, 10 de maio de 2021

MUDANDO VIDAS

Num domingo de 1915, em Chicago, Leon Trotsky, renomado líder da Revolução Bolchevique Russa de 1917, frequentou a escola dominical acompanhando um amigo. O professor não apareceu para dar aulas e não notificou ninguém de que estaria ausente naquela manhã. Trotsky se retirou da sala de aula e, até onde se sabe, nunca frequentou outra. Dois anos depois, ele se envolveu intensamente na revolução que levou o regime comunista ao poder.

Joseph Stalin, responsável pela morte de milhões de pessoas, estudou para ser padre da Igreja Ortodoxa Russa, a qual havia se tornado tão mundana e corrupta que ele se rebelou e escolheu o comunismo como seu modo de vida.

Mahatma Gandhi, líder de milhões de pessoas na Índia, estudou o cristianismo na Inglaterra, mas o rejeitou porque viu que os cristãos não estavam à altura dos ensinamentos de Jesus.

Dois adolescentes cresceram em Dallas, Texas, vagabundos e valentões. Um professor fiel da escola dominical se comunicava com um deles toda semana. Em vez disso, outro professor pensava em relação ao outro valentão, seu aluno, que não precisava desse tipo de garoto em sua classe. O primeiro jovem foi salvo e chegou a ser o Secretário de Evangelismo da Convenção Batista da Flórida. O outro foi quem matou o presidente John Kenndy.

A escola dominical faz a diferença na vida das pessoas, e o testemunho cristão (ou a sua falha) pode impactar a história!

Dorothy Wilkinson / José Luis Martínez - 502 Ilustraciones Selectas

ESTUDAR A BÍBLIA

 

domingo, 9 de maio de 2021

TRÊS HOMENS E SUAS MÃES

Ted escrevia para sua mãe todo dia. Ele sempre começava a carta com a mesma frase: “Minha preciosa queridinha mainha”.

Frank era tão ligado a sua mãe que quando ele mudou-se para a faculdade ele pediu que sua mãe fosse com ele. Aquela faculdade foi Harvard, e ela foi.

Harry era mais apegado ainda com a sua mãe. Seus assessores frequentemente ficaram frustrados porque sempre que Harry tinha uma decisão difícil ele queria ligar para a mãe dele, para pedir a opinião dela.

Um psicólogo, hoje, talvez diria que estes homens tinham uma obsessão com suas mães. Certamente diria que eram dependentes demais. Talvez diria que eram homens que não conseguiram se realizar sozinhos, homens inseguros.

Mas, Ted Roosevelt (presidente dos EUA de 1901-09) aquele que escrevia para sua mãe todo dia, não parece ter sido um homem dependente demais.

O primo dele Franklin Roosevelt (presidente dos EUA de 1933-45), que levou sua mãe com ele para Harvard - parece que consegui se realizar bem na vida.

Harry Truman, o sucessor de Roosevelt (presidente dos EUA de 1945-53) frequentemente ligava para sua mãe da Casa Branca para pedir sua opinião. Ele não nos parece ser um homem inseguro ou dependente.
 
Depender de mãe ou confiar naquela que nos criou de fato pode ser um sinal de um homem que sabe valorizar o serviço humilde e abnegado daquelas cujo serviço muitas vezes é ignorado pelo mundo. Que todos nós saibamos valorizar as nossas mães.
 
Adaptado de uma pregação de Max Lucado

AMOR DE MÃE


sábado, 8 de maio de 2021

SOMENTE CRISTÃOS

Diz-se que o grande John Wesley contou que uma vez tivera um sonho em que via muitas pessoas encaminhando-se para o inferno. Preocupado, perguntou se entre aquelas pessoas havia algum metodista.

— Sim, por sinal há bastantes.

 E batistas?

 Também.

 E presbiterianos?

 Sim, também.

Então, em seu sonho ele viu-se de repente na porta do céu, e perguntou diligentemente quem eram aqueles que estavam lá dentro.

 Há metodistas?

 Nenhum! – lhe responderam.

 Presbiterianos?

 Tampouco.

 Católicos?

 Tampouco os há.

 Batistas?

 Nenhum.

 Quem, pois, está aí dentro?

 Somente cristãos. Homens e mulheres que confessam diariamente a Cristo com seus lábios e suas vidas.

 José Luis Martínez - 502 Ilustraciones Selectas

PRA QUE SERVE A ORAÇÃO

 

sexta-feira, 7 de maio de 2021

ELE ILUMINA O CAMINHO

Aos justos nasce luz nas trevas. 

Salmo 112:4

Certa noite uma missionária no Peru foi visitar um grupo de crentes. Ela sabia que a casa onde eles se encontravam ficava situada num precipício e o caminho era perigoso. Apanhou um táxi até onde este a podia levar e depois começou a escalar a pé a perigosa subida até à referida casa. A noite estava escura e o caminho era muito difícil. Ao fazer uma curva, deu de caras com vários crentes que traziam lanternas. Tinham saído para iluminar o caminho. Os seus medos dissiparam-se e ela terminou o trajeto facilmente.

De modo semelhante, Deus ilumina o nosso caminho. Quando confiamos em Jesus como nosso Salvador, Ele, que é a Luz do mundo, entra nas nossas vidas e remove a escuridão do nosso desespero e pecado. Esta luz continua a confortar-nos em tempos de tristeza. No meio da mágoa, dificuldade, doença, ou desilusão, o Senhor clareia o caminho e encoraja os Seus filhos transmitindo-lhes esperança.

Esta pode advir da palavra de exortação de outro crente. Pode ser a iluminação da Palavra de Deus pelo ministério do Espírito Santo. Pode ser a confiança tranquila como resposta a uma oração sincera. Ou pode ser a ajuda milagrosa para uma necessidade específica. Qualquer que seja o caso, Deus envia luz quando somos engolidos pela escuridão.

Jesus ilumina na noite mais escura! 

Por vezes, Deus põe-nos na escuridão para nos mostrar que Jesus é a Luz. 

Tele-Fé On Line

MEDO DA LUZ


quinta-feira, 6 de maio de 2021

MAIS VALE GASTAR COM AQUILO QUE É MAIS IMPORTANTE

Uma mulher reclamou que criar e educar o filho era uma despesa tremenda. "Ele come como um leitão; rasga sapatos, camisas e calças sem saber como. Eu vivo apenas para comprar comida, roupas e material escolar".

Aos onze anos, o menino ficou doente e morreu. Quando a criança faleceu, morreu junto a razão que ela tinha para viver e lutar, e ela faleceu logo em seguida.

Tudo o que está vivo e cresce, custa. O que está doente custa mais. O que está morto não custa nada. Mas também não inspira nem move os demais. O mesmo acontece com a igreja. É melhor gastar dinheiro em “roupas novas” porque as pessoas crescem, do que usá-las em “remédios” porque estão doentes. E cientes sempre de que uma obra morta não tem custo algum, apenas lágrimas de luto.

 José Luis Martínez - 502 Ilustraciones Selectas (adaptado)

POR VEZES