quarta-feira, 31 de julho de 2019

A REJEIÇÃO MAGOA

Quando o candidato Adlai Stevenson perdeu as eleições presidenciais dos EU em 1952, ele disse que se sentia como um homem crescido que tinha acabado de se magoar no dedo do pé. Ele prosseguiu: "Dói demais para rir, mas eu estou velho demais para chorar." 

As crianças pequenas sentem a dor da rejeição quando um dos seus colegas é escolhido para recitar um poema ou cantar uma canção em vez deles. Quando crescerem, alguns deles não vão ser escolhidos para a equipa da universidade. Outros ainda vão ser rejeitados por uma jovem que eles querem namorar. Alguns podem se casar e pode acontecer que o seu companheiro os deixe por outra pessoa. 

Eles podem querer saber por que Deus permitiu que eles fossem rejeitados. Eu não tenho respostas fáceis para pessoas que foram feridas desta maneira. Eu só posso sugerir que eles olhem para Jesus, lembrando como Ele experimentou a rejeição. 

Ele foi desprezado pelos Seus irmãos e os Seus compatriotas. 

Ele ouviu a multidão exigir a Sua crucificação (Mateus 27:23). 

Na cruz, como o titular do nosso pecado, Ele sentiu tal abandono pelo Seu Pai que Ele clamou: "Deus Meu, Deus Meu, por que Me abandonaste?" (v.46). 

Quando sentires a profunda dor da rejeição, lembra-te que Jesus entende como te sentes. Ele te ama. Se acreditaste n'Ele, Ele te aceitou - Ele nunca rejeitará aqueles que confiam n'Ele (João 6:37). 

Fonte: www.gospel.com

NO CÉU




terça-feira, 30 de julho de 2019

PÂNTANO

Um riacho de águas limpas e cristalinas serpenteava lindos montes e cortava a floresta dividindo-a; em certo ponto do seu percurso viu que à sua frente havia um pântano sujo, por onde teria que passar. Triste, ele disse a Deus: 

– Senhor, que chato! Sou límpido, belo, e me exiges atravessar esse pântano sujo?

Deus respondeu: "Depende do seu modo de encarar o pântano. Se tiver medo, vai reduzir o ritmo de suas águas, dá voltas e, certamente misturar-se nele. Porém, se enfrentá-lo com rapidez, força e coragem, vai abrir caminho na lama; deixar para trás parte de suas águas, mas o vencerá. O que é perder parte das águas, comparado a tragédia de virar pântano?" 

Assim é a vida. Temos nossos problemas e desafios. Muitas vezes questionamos a Deus e com o coração angustiado pensamos em desistir. Se pararmos de lutar a lama e os obstáculos nos fará perder a fluidez e a força e, iremos aos poucos, nos tornando pântano. Porém, aquele que aceitar com confiança os planos de Deus e enfrentar os desafios com a fé e a coragem dos filhos de Deus, dominará seus pensamentos, firmará os seus passos no caminhos e transformará os seus sonhos em realidade e alcançará a paz mesmo em meio as águas escuras e lamacentas do caminho.

A VIDA CISTÃ


segunda-feira, 29 de julho de 2019

TUDO OU NADA

Um certo fazendeiro tinha um filho que na sua juventude gostava de competir com seus amigos para ver quem conseguia correr mais rápido. Esse mesmo rapaz desde pequeno corria com um bezerro nas costas o que veio a ajudá-lo no seu treinamento. Numa certa feita ouve um campeonato onde o mais veloz ganharia um grande prêmio em dinheiro, ele quando soube correu á seu Pai e pediu-lhe: 

-Pai! Permita-me participar deste campeonato e eu tenho certeza que vou ganhar!

Seu Pai muito eufórico permitiu, mas seu filho tornou-lhe á dizer:

- Mas Pai, eu preciso de uma certa quantia para pagar a inscrição. 

Seu Pai lhe disse:

- Meu filho é muito caro , Eu só tenho está fazenda, não tenho esta quantia! 

O filho insistiu dizendo:

- Pai, então vende a fazenda e inscreve-me e eu ganharei, eu tenho certeza Pai. Pai é tudo ou nada!

Seu Pai então vendeu sua fazenda e inscreveu seu filho.

Na hora da corrida, quando se deu a largada, seu filho disparou na frente e liderava a corrida, quando os torcedores começaram a jogar jóias preciosas, muito ouro e prata jogaram e o garoto por ser pobre esqueceu-se da corrida e começou a juntar aquelas jóias enquanto os outros corredores o ultrapassavam. 

De repente ele ouviu a voz de seu Pai que lhe dizia:

- Meu filho não olhe para estas coisas, olhe para corrida, meu filho é tudo ou nada!

E o rapaz tornou em si e correu, ultrapassou todos os competidores, pois tinha perdido todas as posições e ganhou a corrida.

A corrida é o mundo, nós estamos em uma grande corrida no qual muitas vezes o diabo nos tenta com falsas jóias querendo desviar nossa atenção do nosso real objetivo, mas quando escutamos aquela voz suave e meiga do Bom Pai que nos Ama e já venceu por nós retomamos as forças e vencemos tudo em Nome do Senhor Jesus!

"Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo." Jo 16:33

Benedito Gledson de Araújo Oliveira

NÃO FALA A VERDADE


domingo, 28 de julho de 2019

SOMENTE UMA NOITE

Acredito que você já percebeu que nem sempre nosso choro dura somente uma noite, e que, nem sempre a alegria vem pela manhã... 

Há dores físicas que muitas vezes nos acometem por muito tempo, ou mesmo por toda a vida...

E o que dizer de nossas dores psíquicas e emocionais? Elas também podem ser prolongadas e difíceis de tratar... podem necessitar de paciência, coragem, força e muito tempo até que Deus as possa sarar totalmente.

Isso é o que muda tudo. Nosso tempo junto de Deus nos enche de capacidade para lidar com cada uma de nossas dores.

E como é bom não precisar mentir em nossas orações! Como é bom deixar que as máscaras caiam, que as portas e janelas sejam trocadas, que a reforma de nossa casa íntima seja constante e contínua! Davi, rei de Israel, foi perseguido por Saul por longos e difíceis anos, no entanto, isto lhe pareceu ter durado apenas um dia; é dele o Salmo 30, onde lemos: “Pois a sua ira só dura um instante, mas o seu favor dura a vida toda; o choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria."

Não há segredos, ritos, promessas, receitas prontas, nem passo a passo a ser seguido, estarmos com o Pai, nosso Pai, pode não amenizar nossa dor instantaneamente, contudo nos consola o coração, nos fortalece a alma e nos preparar existencialmente para o que realmente importa: nossa vida futura. 

“Se temos esperança em Cristo tão somente para esta vida somos os mais dignos de compaixão de todos os homens” (1Coríntios 15,19)

Por: Luciana Rodrigues

OS GRANDES HOMENS


sábado, 27 de julho de 2019

QUEM SERÁ O PRÓXIMO A CHORAR?

Não sabemos quem será o próximo a chorar e a lamentar por causa de seus pecados.

Mas uma coisa sabemos com plena certeza, a saber, que todo aquele que chora será consolado pelo Espírito Santo com a concretização da promessa de ser perdoado e salvo.

Afinal, Jesus não tem dito: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados”?

Deus fez esta promessa de curar, guiar e consolar a todos os que chorarem entre os pecadores, por saberem o quanto o pecado entristece o coração do Senhor. 

“Isa 57:18 - Tenho visto os seus caminhos e o sararei; também o guiarei e lhe tornarei a dar consolação, a saber, aos que dele choram.”

Se você ler todo o capitulo de Isaías 57, você verá que esta promessa maravilhosa foi feita a qualquer tipo de pecador, pois até mesmo aqueles que estavam oferecendo seus filhos em sacrifício ao falso deus Moloque, achariam graça e misericórdia diante de Deus caso viessem a se arrepender com profunda tristeza do pecado horrendo que haviam praticado. 

Esta promessa se refere portanto ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio do qual toda e qualquer transgressão tem sido perdoada aos homens que se arrependem. 

Assim, portanto, quem será o próximo a chorar e a lamentar a sua triste condição pecaminosa, para que ache o perdão e a salvação em Jesus? 

Silvio Dutra

O CORAÇÃO LIMPO


sexta-feira, 26 de julho de 2019

VIDA EXEMPLAR

Há alguns anos, o governo comunista da China mandou um escritor escrever uma biografia do missionário Hudson Taylor com o objetivo de torcer os fatos e provocar descrédito no seu trabalho.

Enquanto o autor fazia a sua pesquisa, ficou bastante impressionado com o caráter santo e a vida dedicada de Taylor, concluindo que sua tarefa seria demasiadamente difícil de executar. Mesmo sabendo que estaria arriscando sua vida, colocou de lado sua caneta, abandonou o ateísmo e recebeu o Senhor Jesus como seu Salvador pessoal.

Nosso exemplo, queiramos ou não, influencia a muitos que estão ao nosso redor. Nosso testemunho poderá conduzi-los à eternidade com Deus ou sem Ele. Somos luz para o mundo e essa luz não pode, de maneira alguma, permanecer apagada.

A nossa vida é uma pregação constante e nossos amigos a ouvirão sempre que se encontrarem conosco. Quando Cristo é o principal tema de nosso viver diário, as trevas se dissipam, os escarnecedores se colocam à margem, os indiferentes são motivados, o sol das bênçãos de Deus brilha com mais intensidade.

É grande a nossa responsabilidade e precisamos estar bem conscientes disso. Seria muito bom se, a exemplo de Daniel, ninguém pudesse encontrar coisa alguma de que nos acusar a não ser o fato de vivermos para adorar e glorificar o nome de Cristo. Os acusadores seriam envergonhados, o mundo seria envergonhado, o diabo seria envergonhado, o nome de Jesus seria exaltado, os céus estariam em festa e a felicidade seria total em nossas vidas. Se alguém buscasse motivos em sua vida para desmoralizá-la, o que encontraria? Muita coisa errada ou apenas o reconhecimento de que você realmente tem uma vida exemplar?

ORAÇÃO DO PAI NOSSO


quinta-feira, 25 de julho de 2019

SORRIA SEMPRE

Jó 8:21 - Até que de riso te encha a boca, e os teus lábios de júbilo.

O Sorriso ajuda a dar um formosura ao rosto, mesmo a quem não é belo(a), o sorriso dar um ar de beleza as criaturas. O sorriso sincero de uma criança cativa até o mais duro dos corações e transmite a pureza e ingenuidade de uma alma. Existem pessoas que não conseguem oferecer um sorriso, sempre de cara fechada.

É incrível como estão sempre de mal com a vida. Não consegue aproximar-se de ninguém. A vida parece dura e solitária. Por seu estilo de vida, essas pessoas são infelizes, e ainda não descobriram o que um sorriso pode fazer, O SORRISO CONSOLA, CATIVA E CONFORTA.

Deus nos quer ver sempre felizes, façamos sua vontade, sejamos irmãos uns dos outros, usando de bondade e simpatia para com todos, e você verá um mover na sua vida, com um simples gesto de sorrir você poderá mudar o dia, a vida de quem recebe seu sorriso.

Até que de riso te encha a boca, e os teus lábios de júbilo. Jó 8:21

Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o SENHOR a estes. Salmos 126:2

OS VENCEDORES

quarta-feira, 24 de julho de 2019

ALMA VIVENTE

Dois ou três rapazes, numa visita a um museu nacional, leram ao lado de um dos armários, estas palavras: "O corpo de um homem; peso: 70kg". "Onde está o homem?", perguntou um dos rapazes. Ninguém lhe respondeu. No armário, havia jarras de água e outros jarros contendo fosfato de cálcio, carbonato de cálcio, potássio, sódio e outros elementos químicos. O compartimento ao lado continha galões cheios de gases, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio.

Estes elementos foram medidos em proporções exatamente iguais às do corpo humano. Depois de pensar sobre isto por algum tempo, o rapaz observou: "Então sou feito disto, sou somente isto, não há mais nada?" "Mais nada", concordou um estranho que sorriu e saiu. Mas o jovem ficou pensativo e seu companheiro lhe disse: "Se somos formados somente de um tanto de cálcio, outro tanto de gases, outro de água, etc., deveríamos ser todos iguais.

Deve haver alguma coisa mais, que não se possa guardar em armários".

"Sim" afirmou o outro, "há o que Deus coloca nesta matéria, o que nos torna uma alma vivente."

TODO OS HOMENS


terça-feira, 23 de julho de 2019

VIDA... QUAL A SUA ESCOLHA?

"Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna" (1 João 5:20).

"Deus não pergunta a nenhum homem se deseja a vida. Não é essa a escolha. Você deve recebê-la. A sua escolha é: como viver a vida que Deus lhe deu." (Rev. Henry Ward Beecher)

Deus nos deu uma vida e esta é a primeira bênção que recebemos do Pai celestial. Ele deseja que a vivamos de maneira abundante e feliz, mas, dá-nos a oportunidade de traçar nossos próprios caminhos. Podemos aceitar os Seus ensinos através das Escrituras -- a melhor e mais abençoada maneira de viver, ou ignorar a tudo que nos diz e fazer aquilo que queremos, seja certo ou errado.

Muitas vezes nos queixamos de que não realizamos nossos sonhos, de que a vitória sorri para todos -- menos para nós, de que lutamos, nos esforçamos, procuramos o sucesso e nada conseguimos. Queixamo-nos de Deus e não percebemos que todos os seus ensinos foram ignorados por nós. Murmuramos contra a sorte e não reconhecemos que o Senhor tem mais do que sorte para nos dar -- tem as Suas incomparáveis e incontáveis bênçãos e que só não as recebemos porque caminhamos de costas para Ele.

Quando nossas vidas estão colocadas diante da Vida -- o Senhor Jesus, tudo é diferente, tudo é mais gratificante, tudo é mais aprazível. Só mesmo a Vida sabe como viver bem a vida, só a Vida conhece as veredas que levam à vida plena e abundante, só a Vida pode prometer e garantir a vida eterna.

Se eu escolho viver minha vida na presença do Senhor, desfruto de uma felicidade real. Se eu escolho viver minha vida longe do Senhor, colho os frutos de minha decisão. Preciso saber o que devo escolher e o que devo esperar como resultado de minha escolha.

Eu já escolhi: fiquei com Jesus! E você?

Paulo Barbosa

EXAGERO


segunda-feira, 22 de julho de 2019

MAL ATRAI MAL E BEM ATRAI BEM

Provérbios 13.21: O mal persegue os pecadores; mas os justos são galardoados com o bem.

A Bíblia nos ensina que o pecado nos assedia muito de perto, pois está ligado à nossa natureza terrena.

Fazem bem, portanto, todos os que têm crucificado a carne com suas paixões, mortificando o pecado diariamente, porque este é um mal do qual nunca estaremos perfeitamente livrados, enquanto estivermos neste mundo.

Aqueles que vivem na prática deliberada do pecado, são continuamente perseguidos pelo mal que lhes sobrevém como frutos de suas próprias ações, ou como juízos de Deus. Porém, os que andam na justiça de Cristo e do evangelho são recompensados pelo bem, quer pelo fruto direto de suas ações, quer pelas bênçãos que Deus tem prometido conceder àqueles que procederem retamente. 

Silvio Dutra

DINHEIRO

domingo, 21 de julho de 2019

FAÇA-ME UM FAVOR

Era uma radiosa manhã de primavera. O sol brilhante iluminava as ruas estreitas e pitorescas de Florença, projetando uma profusão de luz no gabinete de trabalho de um dos mais famosos pintores de Toscana, André Verrocchio. Um rapaz muito pálido, curvado sobre seu cavalete, parecia completamente absorvido no trabalho. Sua nobre flauta era envolta por densa nuvem de tristeza.

De repente o jovem pintor foi interrompido. Uma mulher idosa, entrando no aposento, lhe disse com voz cheia de emoção:

- Meu filho, o mestre deseja vê-lo. Vá logo ter com ele.

Imediatamente, Leonardo deixou a palheta e os pincéis, e dirigiu-se
ao quarto do seu venerando mestre, que se encontrava entre a vida e a morte.

- Leonardo, disse-lhe o doente, com voz muito sumida, estou prestes a morrer; quer fazer-me um favor? É o último pedido que lhe faço.
 
O jovem ajoelhou-se junto do leito de seu mestre, tomou entre as suas mãos a mão trêmula que se lhe estendia e respondeu com forte emoção:
 
- Meu mestre, para satisfazer um desejo seu eu irei aonde você quiser e tudo farei; não há sacrifício algum que me pareça grande demais, se eu o fizer pelo amor que tenho a você.
 
O doente fixou os olhos baços, durante algum tempo, nos de seu discípulo e depois disse:
 
-    Leonardo, o trabalho que eu comecei para o altar do claustro de São João, você poderá acabá-lo por mim?
 
Leonardo baixou os olhos e, depois de alguns instantes, disse:
 
- Mestre, não sou capaz, absolutamente não sou capaz! Eu estragarei a sua obra se nela tocar.

Verrochio sorriu e disse com voz calma e nítida:
 
- Não, meu filho, faça o melhor que puder. Trabalha por amor a mim. A pintura precisa de ser acabada e você podes fazê-lo.
 
A tarde descia com suas sombras melancólicas. De uma pobre casebre de Florença começou a subir para o céu a súplica de um coração ardente: "Meu Deus, dizia Leonardo - porque era ele que se encontrava de joelhos - ajuda-me por amor de meu mestre a fazer o melhor que eu puder! Não sou digno dessa obra, bem o sei, mas auxilia-me por amor dele."
 
Passou-se um mês - período de sérias aflições para o jovem artista
 
- Pois ele sentia que a hora da partida de seu mestre se aproximava rapidamente. Afinal concluiu a pintura e apresentou-a ao doente, dizendo:
 
- Eu fiz o que pude, meu mestre, e tudo por amor a você!

Com grande admiração o bom velho, derramando lágrimas, respondeu-lhe, agitado por grande emoção:
 
- Meu filho, meu filho, você triunfou, e muito bem. Não preciso voltar mais ao trabalho e Florença orgulhar-se-á um dia do nome de Leonardo da Vinci! - Respigando

SERÁ UM DESPERDÍCIO


sexta-feira, 19 de julho de 2019

A CADERNETA VERMELHA

"Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá."

Êxodo 20:12

O carteiro estendeu o telegrama.  José Roberto não agradeceu e enquanto abria o envelope, uma profunda ruga sulcou-lhe a testa. Uma expressão mais de surpresa do que de dor tomou-lhe conta do rosto. Palavras breves e incisas:

- Seu pai faleceu. Enterro 18 horas. Mamãe.

José Roberto continuou parado, olhando para o vazio. Nenhuma lágrima lhe veio aos olhos nenhum aperto no coração. Nada! Era como se houvesse morrido um estranho. Por que nada sentia pela morte do velho?

Com um turbilhão de pensamentos confundido-o, avisou a esposa, tomou o ônibus e se foi, vencendo os silenciosos quilômetros de estrada enquanto a cabeça girava a mil.

No íntimo, não queria ir ao funeral e, se estava indo era apenas para que a mãe não ficasse mais amargurada. Ela sabia que pai e filho não se davam bem.

A coisa havia chegado ao final no dia em que, depois de mais uma chuva de acusações, José Roberto havia feito as malas e partido prometendo nunca mais botar os pés naquela casa.

Um emprego razoável, casamento, telefonemas à mãe pelo Natal, Ano Novo ou Páscoa... Ele havia se desligado da família não pensava no pai e a última coisa na vida que desejava na vida era ser parecido com ele.

O velório: Poucas pessoas. A mãe está lá, pálida, gelada, chorosa. Quando reviu o filho, as lágrimas correram silenciosas, foi um abraço de desesperado silêncio. Depois, ele viu o corpo sereno envolto por um lençol de rosas vermelho - como as que o pai gostava de cultivar. José Roberto não verteu uma única lágrima, o coração não pedia. Era como estar diante de um desconhecido, um estranho, um...

O funeral: O sabiá cantando, o sol se pondo. Ele ficou em casa com a mãe até a noite, beijou-a e prometeu que voltaria trazendo netos e esposa para conhecê-la.

Agora, ele poderia voltar à casa, porque aquele que não o amava, não estava mais lá para dar-lhe conselhos ácidos nem para criticá-lo. Na hora da despedida a mãe colocou-lhe algo pequeno e retangular na mão:

- Há mais tempo você poderia ter recebido isto - disse. Mas, infelizmente só depois que ele se foi eu encontrei entre os guardados mais importantes...

Foi um gesto mecânico que, minutos depois de começar a viagem, meteu a não no bolso e sentiu o presente. O foco mortiço da luz do bagageiro revelou uma pequena caderneta de capa vermelha. Abriu-a curioso. Páginas amareladas. Na primeira, no alto, reconheceu a caligrafia firme do pai:

"Nasceu hoje o José Roberto. Quase quatro quilos! O meu primeiro filho, um garotão! Estou orgulhoso de ser o pai daquele que será a minha continuação na Terra!"

À medida que folheava, devorando cada anotação, sentia um aperto na boca do estômago, mistura de dor e perplexidade, pois as imagens do passado ressurgiram firmes e atrevidas como se acabassem de acontecer!

"Hoje, meu filho foi para escola. Está um homenzinho! Quando eu o vi de uniforme, fiquei emocionado e desejei-lhe um futuro cheio de sabedoria. A vida dele será diferente da minha, que não pude estudar por ter sido obrigado a ajudar meu pai. Mas para meu filho desejo o melhor. Não permitirei que a vida o castigue"

Outra página

"Roberto me pediu uma bicicleta, meu salário não dá, mas ele merece porque é estudioso e esforçado. Fiz um empréstimo que espero pagar com horas extras" ·

José Roberto mordeu os lábios. Lembrava-se da sua intolerância, das brigas feitas para ganhar a sonhada bicicleta. Se todos os amigos ricos tinham uma, por que ele também não poderia ter a sua? E quando, no dia do aniversário, a havia recebido, tinha corrido aos braços da mãe sem sequer olhar para o pai.

Ora, o "velho" vivia mal-humorado, queixando-se do cansaço, tinha os olhos sempre vermelhos... e José Roberto detestava aqueles olhos injetados sem jamais haver suspeitado que eram de trabalhar até a meia-noite para pagar a bicicleta... !

"Hoje fui obrigado a levantar a mão contra meu filho! Preferia que ela tivesse sido cortada, mas fui preciso tentar chamá-lo à razão, José Roberto anda em más companhias, tem vergonha da pobreza dos pais e, se não disciplinar amanhã será um marginal. Foi assim que aprendi a ser um homem honrado e esse é o único modo que sei de ensiná-lo" ·

José Roberto fechou os olhos e viu toda a cena quando por causa de uma bebedeira, tinha ido para a cadeia e naquela noite, se o pai não tivesse aparecido para impedi-lo de ir ao baile com os amigos...

Lembrava-se apenas do automóvel retorcido e manchado de sangue que tinha batido contra uma árvore... Parecia ouvir sinos, o choro da cidade inteira enquanto quatro caixões seguiam lugubremente para o cemitério.

As páginas se sucediam com ora curtas, ora longas anotações, cheias das respostas que revelam o quanto, em silêncio e amargura, o pai o havia amado.

O "velho" escrevia de madrugada.

Momento da solidão, num grito de silêncio, porque era desse jeito que ele era, ninguém o havia ensinado a chorar e a dividir suas dores, o mundo esperava que fosse durão para que não o julgassem nem fraco e nem covarde.

E, no entanto, agora José Roberto estava tendo a prova que, debaixo daquela fachada de fortaleza havia um coração tão terno e cheio de amor

A última pagina. Aquela do dia em que ele havia partido:

"Deus, o que fiz de errado para meu filho me odiar tanto? Por que sou considerado culpado, se nada fiz, senão tentar transformá-lo em um homem de bem? Meu Deus, não permita que esta injustiça me atormente para sempre. Que um dia ele possa me compreender e perdoar por eu não ter sabido ser o pai que ele merecia ter".

Depois não havia mais anotações e as folhas em branco davam a ideia de que o pai tinha morrido naquele momento, José Roberto fechou depressa a caderneta, o peito doía.

O coração parecia haver crescido tanto, que lutava para escapar pela boca. Nem viu o ônibus entrar na rodoviária, levantou aflito e saiu quase correndo porque precisava de ar puro para respirar.

Para ele, os pais eram descartáveis e sem valor como as embalagens que são atiradas ao lixo.

Afinal, naqueles dias de pouca reflexão tudo era juventude, saúde, beleza, musica, cor, alegria, despreocupação, vaidade. Não era ele um semideus? Agora, porém, o tempo o havia envelhecido, fatigado e também tornado pai aquele falso herói.

De repente. No jogo da vida, ele era o pai e seus atuais contestadores. Como não havia pensado nisso antes?

Certamente por não ter tempo, pois andava muito ocupado com os negócios, a luta pela sobrevivência, a sede de passar fins de semana longe da cidade grande, à vontade de mergulhar no silêncio sem precisar dialogar com os filhos.

Ele jamais tivera a ideia de comprar uma cadernetinha de capa vermelha para anotar uma a frase sobre seus herdeiros, jamais lhe havia passado pela cabeça escrever que tinha orgulho daqueles que continuam o seu nome.

Justamente ele, que se considerava o mais completo pai da Terra?

Uma onda de vergonha quase o prostrou por terra numa derradeira lição de humildade. Quis gritar, erguer procurando agarrar o velho para sacudi-lo e abraçá-lo, encontrou apenas o vazio.

Havia uma raquítica rosa vermelha num galho no jardim de uma casa, o sol acabava de nascer. Então, José Roberto acariciou as pétalas e lembrou-se da mãozona do pai podando, adubando e cuidando com amor.

Por que nunca tinha percebido tudo aquilo antes? Uma lágrima brotou como o orvalho, e erguendo os olhos para o céu dourado, de repente, sorriu e desabafou-se numa confissão aliviadora:

-"Se Deus me mandasse escolher, eu juro que não queria ter tido outro pai que não fosse você velho! Obrigado por tanto amor, e me perdoe por haver sido tão cego?"

PREFERIU MORRER POR VOCÊ


quinta-feira, 18 de julho de 2019

RETRATOS DA ALMA


Se fosse possível fotografar a alma de um cristão antes da sua conversão até a sua maturidade espiritual, o que veríamos seria mais ou menos o seguinte:

Antes da conversão veríamos a alma amarrada a prazeres e a pessoas, posses materiais, talentos e dons os mais diversos, que teriam o maior e o melhor do seu afeto, tornando-se em verdadeiros objetos de idolatria.

Na conversão, ao se descobrir o quão digno e desejável é Cristo, muitos dos ídolos seriam removidos, mas outros permaneceriam em competição com Cristo, dividindo com Ele a adoração que lhe é exclusivamente devida.

Com o passar dos anos, na caminhada com Cristo, mais e mais, o maior e o melhor dos afetos da alma se revelariam voltados para o Senhor Jesus, e a devoção aos ídolos antigos foi perdendo lugar, e nas fotografias veríamos a alma cada vez mais livre das correntes que a aprisionavam.

E por fim, na maturidade espiritual, encontramos a alma desmamada do mundo, cumprindo o propósito para o qual fora criada por Deus, para adorá-lo e amá-lo acima de todas as demais coisas, ainda que boas e lícitas.

Familiares, filhos, carreiras, posses, talentos, gostos pessoais, e tudo o mais, deixou de estar em competição com Cristo, e alma acha agora todo o seu prazer somente em Deus.

Sivio Dutra

TUDO O QUE VOCÊ VÊ


quarta-feira, 17 de julho de 2019

MÃOS PERFEITAMENTE LIMPAS

"Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado" 

1 João 1:7

Um pequeno menino, que morava em uma comunidade onde seu pai era pastor, estava brincando no quintal. Ele fazia tudo que um menino de sua idade costumava fazer. Ele subia em árvores, balançava-se em um pequeno balanço preso a um galho forte, rolava na grama abraçado a seu cachorro. Sua mãe o chamou para o jantar e toda a família se reuniu em volta da mesa. Ao entrar, sua mãe olhou para ele e disse: "Deixe-me ver suas mãos, meu jovem". Marcas de suas mãos ficaram em suas calças jeans antes de ele mostrá-las. Sua mãe olhou para elas e perguntou: "Quantas vezes eu tenho de lhe dizer para lavar as mãos antes de comer?" Quando suas mãos estão sujas, têm germes por toda parte e você pode ficar doente. Depois da oração, quero que vá para o banheiro para lavar suas mãos". Todos curvaram as cabeças e o pai orou pela refeição. Assim que terminou, o menino começou a sair da cozinha. Quando atravessava a porta, ele parou e, virando-se, falou para a mãe: "Jesus e germes! Jesus e germes! É tudo que ouço por aqui e não vi nenhum dos dois."

Muitos de nós somos como o menino de nossa historinha. Ouvimos falar de pecado e de Jesus e não percebemos nenhum dos dois! Vivemos no erro, destruímos nossas vidas nos vícios, caminhamos por lugares de destruição, fazemos tudo que desagrada a Deus e não enxergamos o pecado que nos domina. Da mesma forma, em qualquer das situações citadas acima, Jesus está presente, oferecendo perdão, transformação de vida, um caminho de bênçãos e felicidade, mas não enxergamos a presença do Senhor que nos ama e quer o melhor para nós.

Nossas mãos espirituais estão sujas e por mais que tentemos limpá-las na roupa, em uma toalha, no lavatório do banheiro, nas desculpas inventadas nada conseguimos. Só o sangue de Jesus, derramado na cruz do Calvário, pode nos purificar do pecado.

O que você deseja que seus olhos espirituais vejam, o pecado ao seu redor ou Jesus em seu coração?

Paulo Roberto Barbosa

INTIMIDADE É MELHOR QUE CARGO


terça-feira, 16 de julho de 2019

EM CONSTRUÇÃO


É isso que acontece quando você se encontra num período de espera. Nada acontece! Só expectativas.

Por outro lado, só parece que não acontece nada. Na realidade, há muita coisa acontecendo. Os fatos ocorrem sepadamente do nosso envolvimento. Além disso, nós estamos sendo fortalecidos. Estabelecidos. Aperfeiçoados. Refinados.

Todos aqueles que DEUS usa grandemente são primeiro ocultos no segredo da SUA presença, longe do orgulho do homem. É Ali que a nossa visão se torna nítida. É ali que o sedimento é eliminado da corrente da nossa vida e nossa fé começa a agarrar o SEU braço. Abraão aguardou pelo nascimento de Isaque. Moisés não liderou o Êxodo senão com 80 anos. Elias esperou ao lado do riacho. Noé aguardou 120 anos pela chuva. Paulo ficou escondido 3 anos na Arábia. A lista não termina. DEUS está trabalhando enquanto SEU povo espera, ESPERA.

É isso que está acontecendo. Para o presente, nada. Para o futuro, tudo!

Charles Swindoll, em “JOSÉ”, livro da série Heróis da Fé
http://salmo37.wordpress.com/

APRENDER


segunda-feira, 15 de julho de 2019

NÃO PORTAR ARMAS

"Não matarás." 

Êxodo 20:13.

Há alguma ocasião em que seja correto matar? Que diremos do tempo de guerra? Não devem os cristãos apoiar seus governos unindo-se ao exército e ajudando a varrer do território pátrio o inimigo?

Não. Os Dez Mandamentos ensinam claramente que não devemos matar. Devemos procurar meios de honrar nosso país sem desonrar a Deus.

Os Cristão quando convocados para as forças armadas (serviço militar) deviam ser encorajados a declarar sua condição de não-combatentes. Isto significa que servirão a seu país de todo modo possível durante tempos de guerra, exceto o pegar em armas.

O praça Stanley W. Cook era não-combatente. Duas vezes ele recebeu a estrela de prata por ato de bravura no campo de batalha.

Uma ocasião ele foi enviado com uma patrulha noturna a fim de detectar a posição do inimigo. No caminho eles entraram num campo minado, e vários deles ficaram seriamente feridos. Stanley corajosamente fez o seu trabalho cuidando dos feridos e agonizantes à plena vista do inimigo.

No dia 5 de julho ele estava no calor de uma batalha. Sob pesado fogo ele ajudou a muitos feridos, pondo-os em segurança, e então permaneceu na retaguarda a fim de dar plasma sanguíneo a um agonizante. Aí foi alcançado pelo fogo inimigo e morto.

O exército dos Estados Unidos proclamou-o herói, mas em suas próprias palavras, escritas depois de ter sido notificado quando de sua primeira honraria, ele disse: "Não sou um herói. Estou apenas fazendo o trabalho que Deus espera que eu faça." Isto é o que é ser um não-combatente: não matar, não portar arma, não guerrear, mas servir ao país no modo em que Deus espera que ,a pessoa faça: salvando vidas, em vez de tirar vidas.

É correto, então, que meninos e meninas cristãos brinquem com coisas que imitem armas de fogo ou campos de batalha?

Jesus fica feliz quando ouve algum menino no campo de esportes ou no parque de diversões, dizer a outro: "Eu mato você"?

Se Deus deseja que sejamos não-combatentes na vida real, não tirando vidas, mas salvando vidas, não acha você que Ele espera o mesmo procedimento nas horas de lazer?

Seventh Day Adventist Encyclopedia, págs. 871 e 872.

EXPERIÊNCIA

domingo, 14 de julho de 2019

COMO CARANGUEJOS

"Pois me alegraste, Senhor, pelos teus feitos; exultarei nas obras das tuas mãos" (Salmos 92:4).


Charles L. Allen, em Milagre de Amor, escreve de um pescador amigo que lhe disse que nunca precisa de uma tampa para seu cesto de caranguejos. Se um dos caranguejos começa a subir por um dos lados do cesto, os demais logo o alcançam e, passando por cima, o empurram de volta para baixo. Algumas pessoas são muito parecidas com caranguejos.

O Senhor Jesus nos ensinou a amar ao próximo como amamos a nós mesmos. E se o amor de Deus está em nós, ficamos felizes quando nossos amigos alcançam grande sucesso, ou realizam um sonho há muito buscado, ou transformam as suas lutas em grandes vitórias. Como cristãos devemos nos alegrar com a alegria de nossos irmãos e comemorar com eles as bênçãos recebidas.

Infelizmente existem cristãos que ainda são capazes de dizer, em relação aos anseios de um irmão: "Tomara que não consiga." São como caranguejos, que não conseguem chegar ao topo e fazem de tudo para impedir que outros o consigam.

Precisamos compreender que Deus tem planos para cada um de nós, individualmente. E seremos imensamente felizes se nos colocarmos em nosso lugar e fizermos aquilo que o Senhor preparou para nós. Às vezes buscamos ardorosamente um lugar de destaque e, quando lá chegamos, percebemos que não era bem aquilo que imaginávamos. Frustrados, pelo muito esforço, descobrimos que tudo foi em vão. O melhor é deixar Deus nos dirigir porque Ele sabe o que é melhor e o que realmente alegrará nossos corações.

Não tenha inveja do sucesso de seus irmãos. Louve a Deus por eles serem abençoados. Exulte pelo muito que Deus tem feito por você e por eles. A sua alegria será dobrada por sua vitória e pela deles.


Paulo Roberto Barbosa

PALAVRAS DESTRÓEM


sábado, 13 de julho de 2019

O TREM DA ALEGRIA

Todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando as túnicas e vestes que Dorcas fizera quando estava com elas.

Atos 9.39

Certo dia, tomei café da manhã com um homem que vendeu jornais e engraxou sapatos por quase 60 anos nas ruas de uma cidade de Idaho, nos Estados Unidos.

Ele me contou sobre a sua vida naqueles dias, e como as coisas haviam mudado.

Eu lhe perguntei: “O que mais mudou, desde então?”

Ele disse: “As pessoas, elas não se importam mais umas com as outras.”

Como exemplo, ele contou-me sobre a sua mãe, que muitas vezes deu comida a homens que vinham à sua casa. Cada dia, ela preparava comida para a sua família e então fazia diversas refeições a mais porque sabia que viajantes sem nenhum lar iriam aparecer na hora das refeições. Ela tinha uma profunda compaixão por aqueles em necessidade.

Certa vez, ela perguntou a um homem como ele encontrou o caminho até a sua porta. Ele disse-lhe: “O seu endereço está escrito em todas as paredes dos vagões de trem em que os mais miseráveis viajam clandestinamente“.

Autor Desconhecido

CONTINUE EM FRENTE


sexta-feira, 12 de julho de 2019

DAR A VIDA PELOS AMIGOS

Ninguém tem maior amor do que este, de dar a sua vida pelos seus amigos.

João 15.13

A doença do sono assolava certa região da África. Por isso, não havia pregadores do Evangelho que se arriscassem a viver nessa região. Bakeri, uma jovem muganda, ofereceu-se para ensinar as mulheres e as crianças, perguntada por que faria isso, ela respondeu:

— Aquele povo está morrendo sem Cristo e eu conheço as pessoas e as amo. Como eu posso permitir que isso continue assim? Preciso falar de Jesus.

Por longos e afanosos meses andou por toda a parte, falando do amor de Cristo até que enfermou. O mal diagnosticado era a doença do sono. No hospital enquanto a doença a ia matando lentamente, continuou a obra de evangelização. Soube aproveitar seus últimos dias. Sem lamentos servia ao seu Senhor e amava o seu povo.

Amantino Adorno

PREPARA-SE

quinta-feira, 11 de julho de 2019

QUANDO A TRAGÉDIA SE TORNA VITÓRIA

Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito. 

Romanos 8:28.

O Dr. Gordon H. Schroeder gostava de contar a história de um menino que brincava com um barquinho de papel, num lago. De repente, o barco fugiu de seu alcance, e o menino começou a chorar. Outro menino, que se encontrava por perto, viu o que se passava, e começou a jogar pedras na direção do barquinho. Ao ver isso, o dono do barquinho chorou mais alto ainda, até compreender que as pedras não estavam atingindo e afundando o barco, mas o traziam de volta à margem do lago. As pedras caíam além do barco, mas as pequenas ondas que se formavam traziam-no para perto do menino.

Quase sempre reagimos negativamente quando encontramos pedras no meio do
caminho. Quando, porém, somos pacientes, logo entendemos que nossas provações e dificuldades podem encerrar as possibilidades de Deus. Os propósitos de Deus nem sempre são claros e visíveis em tempo de dificuldade, mas em tudo eles operam para o nosso bem.

A vida de José, no Egito, poderia ter-se tornado um muro de lamentações, se ele tivesse olhado para as pedras ao longo de seu caminho. Ali chegara como escravo, vendido a uma caravana pelos próprios irmãos. Os costumes daquele país eram diferentes. O conceito de moralidade não era restritivo. Enfim, se José fosse pessimista, teria desistido no início de sua peregrinação numa terra pagã. Ele, no entanto, não olhou para os obstáculos. Foi fiel a Deus na casa de Potifar e, mais tarde, desempenhou importante papel na distribuição de alimentos, no período das vacas magras.

No final de sua vida, José certamente olhou com gratidão para o passado e viu os sinais digitais das sábias e misericordiosas mãos divinas. O que parecia ser uma tragédia foi transformado por Deus numa bênção. Até Jacó, que durante muitos anos lamentara o desaparecimento do filho, chegou à conclusão de que Deus havia controlado o curso dos acontecimentos, sem, contudo, forçar as escolhas humanas.

http://iecmarianatorres.blogspot.com

VIVA EM COMUNHÃO


quarta-feira, 10 de julho de 2019

PEDIR SABEDORIA

Dá-me, pois, agora, sabedoria e conhecimento, para que eu saiba conduzir-me à testa deste povo; pois quem poderia julgar a este grande povo? 

II Crônicas 1:10

Se uma pessoa muito rica dissesse a você: "Peça o que quiser que eu lhe dê", o que solicitaria? Uma bolsa de estudos, uma bela casa, ou uma grande soma de dinheiro?

Certa noite, Deus apareceu a Salomão e disse-lhe: "Pede-me o que queres que Eu te dê." II Crôn. 1:7. O que você teria pedido a Deus, se estivesse no lugar de Salomão? O jovem rei pediu o que há de mais precioso: sabedoria. Esta é a riqueza das riquezas. Anos depois, ele escreveria: "Feliz o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento" (Prov. 3:13); "porque melhor é a sabedoria do que joias, e de tudo o que se deseja nada se pode comparar com ela" (Prov. 8:11). Salomão tinha sede de sabedoria. Ele estava convicto de que dinheiro e poder não eram suficientes para governar o povo do concerto. O elevado propósito estabelecido por Deus para Seu povo dependia de um rumo bem definido, de conselhos oportunos e de palavras oriundas da mente do Altíssimo. Quando Salomão disse: "Dá-me, pois, sabedoria", estava imbuído de um desejo sincero e profundo. (I Reis 3:9.) Não hesitava entre dois pensamentos: seu pedido era claro e definido. 

Certa vez, um jovem pediu conselho ao filósofo Sócrates, dizendo: "Tenho uma grande sede de conhecimento. Pode dizer-me como obtê-lo?" Sócrates pediu que o jovem o acompanhasse até à praia. O sábio conduziu-o para dentro da água até à cintura. Subitamente, Sócrates mergulhou o jovem, mantendo-o imerso a ponto de ele pensar que iria se afogar. Já fora da água, Sócrates perguntou-lhe: "Enquanto você estava submerso, o que desejou mais neste mundo?" A resposta foi lacônica: "Ar!", disse o moço. Então, o filósofo ponderou: "Siga seu caminho, e quando desejar conhecimento tanto quanto desejou ar instantes atrás, você certamente o encontrará."

Nesta época em que o homem está mais interessado em coisas do que em sabedoria, qual deve ser o nosso supremo desejo? O que temos pedido a Deus em nossas orações? Pedimos nós conhecimento com o objetivo de adquirir riquezas, fama e poder, ou pedimos sabedoria para partilhar o conhecimento da maior riqueza do Universo - o evangelho da salvação?

Bacon disse que "o homem pode tanto quanto sabe". E esta afirmação será tanto mais verdadeira quanto mais nos apossarmos da sabedoria que vem do alto.

Pergunta para reflexão: Na lista de seus pedidos a Deus, você dá prioridade à sabedoria ou às coisas materiais?