sexta-feira, 2 de dezembro de 2022

UMA GANHADORA DE ALMAS CEGA E ILETRADA

Um missionário na África contou a história de uma mulher idosa que foi alcançada pelo evangelho. Embora ela fosse cega e não pudesse ler nem escrever, ela queria compartilhar sua nova fé com os outros. Ela foi ao missionário e pediu uma cópia da Bíblia em francês. Quando ela conseguiu, ela pediu ao missionário para sublinhar João3:16 em vermelho e marcar a página em que estava, para que ela pudesse encontrar aquele versículo facilmente. Sem compreender bem, o missionário fez o que apequena senhora lhe pedira.

Mas, curioso, o missionário queria ver o que ela faria, e então um dia ele a seguiu. À tarde, pouco antes da saída dos alunos da escola da vila onde morava, ela se dirigiu para a porta da frente. Conforme os meninos iam saindo da escola, ela parava um deles e perguntava se ele sabia ler francês. Quando ele dissesse "sim", ela pedia a ele

que lesse o verso que estava marcado em vermelho. Então ela perguntava: 

— Vocês abe o que isso significa?

E contava a ele sobre Cristo.

R. Kent Hughes - Colossenses e Filemom: A Supremacia de Cristo / Ministry 127

A MEDIDA DE UM HOMEM

 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2022

COMPAIXÃO – IDE OU ESPERE?

Um filho chegou em casa e encontrou sua mãe conversando com um maltrapilho na cozinha. O homem esfarrapado comia o lanche que a senhora havia preparado.

A mulher fora ao mercado e encontrou o maltrapilho sentado, solitário num canto e notando sua  grande necessidade, não apenas de ajuda física , mas também espiritual - convidou-o a ir a sua casa comer algo.

— Gostaria de poder encontrar muitas pessoas como a senhora no mundo - disse o maltrapilho

— Elas existem. Você tem apenas que procurá-las - disse a senhora.

— Mas senhora - respondeu ele - não a procurei, mas a senhora procurou por mim!
Não é esse o chamado de Deus e a lição da parábola da ovelha perdida (Lucas 15:3-7)?
 
José Luiz Martínez - 503 Ilustraciones Escogidas

PESSOAS ALEGRES

 

quarta-feira, 30 de novembro de 2022

PODER DO ALTO!

Um trabalhador da General Motors estava tentando cortar um metal novo muito duro. Depois de repetidos e inúteis esforços, resolveu levar o material ao gerente geral da corporação, que era um engenheiro de automóveis bem conhecido e inventor, e lhe disse que não poderia cortá-lo. O engenheiro lhe perguntou:

— Você usou o diamante para cortar metais?

O trabalhador disse que não, mas depois foi tentar fazer e conseguiu cortá-lo com o diamante. Então o administrador lhe disse:

— Não é que o metal seja muito duro, mas que nossas ferramentas não são fortes o suficiente.

Cristo sabia que as "ferramentas" dos primeiros discípulos não eram fortes o suficiente para fazer por si mesmos o trabalho difícil que ele lhes havia designado. Ele reconheceu que a força humana não tinha o poder suficiente para espalhar o evangelho em um mundo hostil. É por isso que Cristo insistiu que seus discípulos esperassem até o Espírito Santo chegar, antes de se dedicarem à tarefa de cumprir a Grande Comissão (Atos 1:4,8; Lucas 24:49).

 José Luiz Martínez - 503 Ilustraciones Escogidas

O TAMANHO DO HOMEM

 

terça-feira, 29 de novembro de 2022

FRANK HIGGINS

Pessoas há que são descorteses porque são egoístas. Outras, porque são ignorantes, e outras, ainda, porque lhes falta imaginação. Jesus sempre Se interessava nas pessoas. Crianças, mendigos, doentes, a mulher junto ao poço, todos nEle encontravam um amigo. Sempre é edificante encontrar uma pessoa que tenha assimilado o espírito bondoso de Jesus.

Algum tempo atrás faleceu na Inglaterra um desses homens: Frank Higgins. Milhares o haviam ouvido falar, tinham-lhe visto o sorriso cativante e sentido seu cordial aperto de mão. Deu a vida à pregação do Evangelho aos rústicos trabalhadores nas derrubadas de matas, e à organização da assistência social entre eles. Frank Higgins amava os homens, não importava quão rude fosse o seu aspecto. Tão corpulento e corado era ele que poucos perceberam que estava literalmente dando a vida em favor dos outros enquanto andava, de lugar a lugar, levando às costas pesado cesto cheio de folhetos para distribuir aos trabalhadores.

Quando afinal teve de ser internado num hospital, para se submeter a uma intervenção cirúrgica, um grupo daqueles robustos homens que ele conduzira a Cristo combinou mandar um dentre eles em companhia de Frank, para de algum modo lhe ser útil, pois amavam muito aquele homem que lhes ensinara a amar ao Senhor. O homem escolhido era desses tipos agigantados e fortes, decididamente fora de lugar nos recintos de um hospital, e deixou-se ficar pelos corredores, aguardando oportunidade de ser útil a Frank. Ao chegar a hora da operação, disse- lhe: "Frank, você sabe que nós o amamos e queremos ajudá-lo; agora, enquanto os médicos vão fazer a operação, ficarei junto da porta; e, Frank, se os médicos virem que precisam de um litro de sangue, ou um pedaço de osso ou pele, podem contar comigo. Frank, você pode receber de mim a última gota de sangue ou cada um dos ossos deste corpo; não se esqueça, Frank, que estou junto da porta!"

Porventura nós já dissemos coisa semelhante Àquele que nos salvou, pela morte na cruz?

1001 Illustrations

MILAGRES


segunda-feira, 28 de novembro de 2022

O QUE ACONTECE COM VOCÊ...

"Não é o que acontece com você, mas o que você faz com aquilo que acontece com você." W. Mitchell (1943 - )



Em 19 de julho de 1971, enquanto dirigia sua motocicleta a mais de 100 quilômetros por hora, W. Mitchell se distraiu e chocou-se contra um caminhão em alta velocidade, perdendo tudo.

O desastre atirou a ambos, ele e sua motocicleta, comprada no dia anterior, para bem longe do caminhão, fazendo-o espatifar-se na estrada. Como se não bastasse, o tanque da Honda 750 de Mitchell, que estava cheio de gasolina, explodiu, queimando praticamente todo o seu corpo e desfigurando seu rosto. A explosão foi tão grande que pôde ser vista à vários quarteirões de distância.

Mitchell entrou em coma profundo mas recobrou a consciência no hospital, descobrindo que seu rosto já estava irreconhecível e seus dedos tinham desaparecido, queimados no acidente. Foram meses sofrendo dores terríveis, não somente físicas, mas emocionais. Várias cirurgias para tentar melhorar a aparência de um rosto destruído pelas chamas foram feitas. Coloque-se no lugar dele. Lutando para sair daquela "catástrofe", do tipo que derruba a maioria das pessoas para o resto da vida, Mitchell mudou-se para uma pequena cidade, onde as pessoas poderiam conhece-lo melhor e, assim, deixarem de lado sua aparência. Lá, fundou uma empresa para fabricar carvão, usando o dinheiro que sobrara do seguro de acidentes. Mesmo desfigurado, o "monstro" ficou milionário em quatro anos. Era novembro de 1975.

Foi quando, durante uma nevasca, o avião no qual viajava caiu. O acidente foi terrível e os tanques do avião explodiram... mas Mitchell, milagrosamente, sobreviveu a este novo desastre. Agora, além de ter tido que reaprender a viver com todas as dores e cicatrizes, ele também estava paralisado da cintura para baixo, sendo forçado a usar uma cadeira de rodas pelo resto da vida. Como disseram alguns... um monstro sobre rodas. Sua mulher o deixou. Seu mundo, novamente, estava negro.

Mesmo assim, W. Mitchell é hoje um dos conferencistas mais respeitados dos Estados Unidos. Ele não tem dedos e não anda, mas mesmo assim foi eleito para prefeito (usava o slongan: "vote em mim e não serei somente mais um rosto bonito") e é mais ativo e realizador do que a maioria das pessoas que eu e você conhecemos. Pessoas para as quais uma unha quebrada ou um dia de chuva são um motivo para acabar com seus dias.... e com os nossos.

Talvez você tenha um problema real. Mas se ele está impedindo você de fazer o que deve ser feito, pense em W. Mitchell. Ele poderia estar em casa, olhando a TV e se escondendo do mundo, e nenhum de nós o recriminaria. Mas não está.

Algumas pessoas reclamam: 'se eu não fosse tão velho... ou tão jovem... se ao menos eu tivesse aquela pessoa ao meu lado....ou longe de mim'... se eu tivesse dinheiro... ou aquele diploma... se eu morasse naquela casa.... se tivesse aquele emprego...' As desculpas vão se seguindo. Cada um de nós tem as próprias desculpas. Quais são as suas?

Compare a história de W. Mitchell com a sua. A maquiagem borrou? Você ainda tem o rosto. A unha quebrou? Você ainda tem os dedos. O sapato furou? Você ainda tem os pés.

Engraçado como alguns dos nossos "horríveis problemas" ficam ridículos, quando comparamos às tragédias que outras pessoas superaram. Como diz W. Mitchell: "Não é o que acontece com você, mas o que você faz com aquilo que acontece com você."

PAZ


domingo, 27 de novembro de 2022

CONDIÇÃO PARA A PAZ NA ALMA

Em paz me deito e logo adormeço, pois só tu Senhor me fazes viver em segurança

Salmo 4.8

Toda a aplicação em obediência à vontade de Deus é requerida para a Paz, porque a se a Paz é fruto da Sua presença conosco, em comunhão com o nosso Espírito, isto não será possível em uma alma não santificada. 

Busquemos a Santificação pela obediência à Palavra, e o Senhor permanecerá em nós conforme tem prometido fazer se guardarmos os Seus mandamentos. 

Se assim não fora, bastaria frequentar os cultos de adoração e oração, sentir a presença de Deus, obtendo por conseguinte a Sua Paz no coração, para logo perdê-la por causa por causa de um modo de viver carnal e mundano.

Silvio Dutra

PAZ COM DEUS


sábado, 26 de novembro de 2022

COMO É BOM TER AMIGOS!

Serapião era um velho mendigo que perambulava pelas ruas da cidade. Ao seu lado, o fiel escudeiro, um vira lata branco e preto que atendia pelo nome de Malhado.

Serapião não pedia dinheiro. Aceitava sempre um pão, uma banana, um pedaço de bolo ou um almoço feito com sobras de comida dos mais abastados.

Quando suas roupas estavam imprestáveis, logo era socorrido por alguma alma caridosa. Mudava a apresentação e era alvo de brincadeiras.

Serapião era conhecido como um homem bom, que perdera a razão, a família, os amigos e até a identidade. Não bebia bebida alcoólica, estava sempre tranqüilo, mesmo quando não havia recebido nem um pouco de comida.

Dizia sempre que Deus lhe daria um pouco na hora certa e, sempre na hora que Deus determinava, alguém lhe estendia uma porção de alimentos. Serapião agradecia e rogava a Deus pela pessoa que o ajudava.

Tudo que ganhava, dava primeiro para o malhado, que, paciente, comia e ficava a esperar por mais um pouco. Não tinha onde dormir, onde anoiteciam, lá dormiam.

Quando chovia, procuravam abrigo embaixo da ponte do ribeirão Bonito e, ali o mendigo ficava a meditar, com um olhar perdido no horizonte. Aquela figura me deixava sempre pensativo, pois eu não entendia aquela vida vegetativa, sem progresso, sem esperança e sem um futuro promissor que Serapião levava.

Certo dia, com a desculpa de lhe oferecer umas bananas fui bater um papo com o velho Serapião. Iniciei a conversa falando do Malhado, perguntei pela idade dele, o que Serapião, não sabia. Dizia não ter idéia, pois se encontraram um certo dia quando ambos andavam a toa pelas ruas.

- Nossa amizade começou com um pedaço de pão - disse o mendigo. Ele parecia estar faminto e eu lhe ofereci um pouco do meu almoço e ele agradeceu abanando o rabo, e daí, não me largou mais. Ele me ajuda muito e eu retribuo essa ajuda sempre que posso.

- Como vocês se ajudam? Perguntei.

- Ele me vigia quando estou dormindo; ninguém pode chegar perto que ele late e ataca. Também quando ele dorme, eu fico vigiando para que outro cachorro não o incomode. Continuando a conversa, perguntei:

- Serapião, você tem algum desejo de vida?

- Sim, respondeu ele - tenho vontade de comer um cachorro quente, daqueles que a Zezé vende ali na esquina.

- Só isso? Indaguei.

- É, no momento é só isso que eu desejo.

- Pois bem, vou satisfazer agora esse grande desejo.

Saí e comprei um cachorro quente para o mendigo. Voltei e lhe entreguei. Ele arregalou os olhos, deu um sorriso, agradeceu a dádiva e em seguida tirou a salsicha, deu para o Malhado, e comeu o pão com os temperos.

Não entendi aquele gesto do mendigo, pois imaginava ser a salsicha o melhor pedaço.

- Por que você deu para o Malhado logo a salsicha? - Perguntei intrigado. Ele, com a boca cheia, respondeu:

- Para o melhor amigo, o melhor pedaço. E continuou comendo, alegre e satisfeito.

Despedi-me do Serapião, passei a mão na cabeça do Malhado e saí pensando com meus botões: Aprendi alguma coisa hoje.

Como é bom ter amigos. Pessoas em que possamos confiar. E saber reconhecer neles o seu real valor, agindo em consonância. Por outro lado, é bom ser amigo de alguém e ter a satisfação de ser reconhecido como tal.

Jamais esquecerei a sabedoria daquele eremita: "PARA O MELHOR AMIGO O MELHOR PEDAÇO".


Autor: Desconhecido

VIDA DIFÍCIL

sexta-feira, 25 de novembro de 2022

DEUS NOS OUVE

Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a vontade de Deus, ele nos ouvirá. E se sabemos que ele nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que temos o que dele pedimos. (1 João 5.14-15) 

Esta passagem é um incentivo aos cristãos que aprenderam como devem crer e como devem amar. Eles precisam lembrar que a piedade deles vem da Palavra que foi proclamada e que não devem viver de qualquer outra forma a não ser com fé e amor. João prevê uma objeção vinda dessas pessoas: “E se o meu coração estiver frio e eu sentir que me falta a fé?”. “Aqui está o remédio” – diz João – “Peça e ore. Ele o ouvirá”.

Tiago diz: “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida” (Tg 1.5). O melhor ensino sobre como se deve agir é confiar na oração. Paulo diz: “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus” (Fp 4.6). Igualmente, Agostinho diz: “Senhor, dá-me o que ordenas”. Assim, nós também devemos orar: “Senhor, dá-nos fé”.

Esse versículo é um incentivo à oração, e João descreve como orar de maneira excelente. Primeiramente, ele nos lembra que podemos ter “confiança”, a qual é a alma da oração. Em seguida, ele nos instrui quanto ao que pedir: “alguma coisa de acordo com a vontade de Deus”. Finalmente, devemos também crer que “ele nos ouve”. Tiago diz que “[aquele que duvida] tem mente dividida e é instável em tudo o que faz” (Tg 1.8). No entanto – ele diz –, quando pedir, “peça […], porém, com fé, sem duvidar” (v. 6). 

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato

VIVER É ENFRENTAR


quinta-feira, 24 de novembro de 2022

O MUNDO É MEU

Uma senhora viajando num ônibus, viu uma jovem amável, com lindas tranças loiras, que parecia tão alegre! E teve o desejo íntimo de ser tão bela quanto ela. Súbito a jovem foi descer. Quando ela se arrastou pelo corredor do ônibus, a senhora viu então o cruel aparelho que lhe mantinha em posição os membros inferiores – era vítima de paralisia. Mas, ao passar junto daquela senhora, que sorriso esboçou! Diante disso, ela pensou: "Ó meu Deus, perdoa-me quando lamento! Tenho dois pés sadios. O mundo é meu!"

Então a senhora desceu, para comprar uns doces. O rapaz que servia ao balcão era tão simpático e amável! Falou com ela, dizendo:

– É muito agradável falar com pessoas como a senhora. A senhora vê – sou cego!

Novamente, a senhora com gratidão, diz: "Ó Deus, perdoa-me quando me queixo. Tenho dois olhos. O mundo é meu!"

Então, descendo a rua, ela deparei com uma criança de olhos azuis. Ali estava a observar outras crianças que brincavam. Parecia não saber que devia fazer. Ela se deteve um momento e lhe perguntou:

– Meu bem, por que você não vai brincar com os outros?

A garotinha continuou olhando para as crianças sem lhe responder, e então a senhora compreendeu que ela não ouvia.

E outra vez, disse:

"Ó Deus, perdoa-me quando me queixo! Tenho dois ouvidos. O mundo é meu!

"Com pés que me levam aonde quero, com olhos para contemplar a beleza de um pôr-do-sol, com ouvidos para ouvir tudo que quero – ó  meu Deus, perdoa-me quando solto queixas! Sou de fato abençoada. O mundo é meu!" 

Fonte: http://www.iasdemfoco.net/

APRENDI


quarta-feira, 23 de novembro de 2022

A VERDADE ACIMA DE TUDO

Ouvi do pastor Ruy Nagel a história de uma senhora cristã que precisava desesperadamente vender um imóvel para poder liquidar uma hipoteca. 

Quando alguém ia ver o imóvel, ela sempre dizia:

— Esta pode ser uma boa compra, mas quem adquirir o imóvel terá que trocar a caldeira por outra nova.

Diante disso, muitos acabavam desistindo. Então, a filha, aborrecida com essa atitude da mãe, disse-lhe:

— A senhora sempre tem que informar aos compradores a respeito da caldeira, mamãe?

— Creio que sim, minha filha. Não conheço nenhuma declaração bíblica que diga que devemos dizer a verdade sempre que pudermos e mentir quando for conveniente.

Um último interessado, depois de ouvir todas as explicações, disse:

— Negócio feito. Sou técnico em caldeiras e eu já sabia do problema. O que poderia me deixar preocupado seria a senhora não me dissesse nada acerca da caldeira, porque, então, eu poderia pôr em dúvida as demais informações. Agora, me sinto seguro para comprar o imóvel.

O que você acha desse testemunho? Se aquela mulher tivesse ocultado o problema da caldeira, cedo ou tarde, o futuro proprietário do imóvel, saberia que foi enganado, e o nome de Jesus seria manchado. Lembre-se: Você que serve a Deus carrega um nome a preservar. Não o seu como pessoa de Deus, mas o nome de alguém que está acima de todo nome - JESUS CRISTO.  Façamos deste verso uma mensagem direcionada para mim e para você. Que o Senhor Deus nos ajude nessa nossa avaliação pessoal.

http://pastorwalterpacheco.com.br

A VERDADE