quinta-feira, 16 de agosto de 2018

ALMA ENTRISTECIDA

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.


Salmo 139.23-24


Quando pratico algo de errado - uma ação indevida, uma palavra inapropriada o coração fica cansado e sobrecarregado, geralmente eu costumo-me sentir desmotivado, porque a alma entristecida, torna o viver pesado e não permite a paz morar consigo.

Você já se sentiu assim? Se já, não se preocupe, essa sensação é uma reação natural do coração ao sentir o mal se emprenhar em invadir a vida do homem.  A nossa melhor atitude é sempre a cautela. Gritar, bater, falar mal, ofender nunca resolveu nada, pelo contrário amplia a aflição.

O contra ataque  mais saudável é analisar a nossa própria vida e desvendar a origem do que nos abate, aflige. Sempre é salutar perguntar: "Quem está trazendo o mal?"

Qualquer que seja a resposta o importante é está disposto a trazer a paz de volta a vida e, para isso, você tem que buscar de Deus sabedoria, humildade e coragem para destruir o mal usando somente as armas da bondade. Lembre-se: na maioria das vezes o mal se esconde em nós mesmos, protegido por nosso coração.



Andrea Cris Musica: Cria em mim Óh Deus.



A VERDADEIRA RIQUEZA


quarta-feira, 15 de agosto de 2018

GUARDA O TEU CORAÇÃO

"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida"

Pv 4.23

As fontes e os poços do Oriente eram preciosidades tratadas com cuidado especial. Tapava-se cuidadosamente com uma pedra a boca de uma nascente, de maneira que a expressão "uma nascente fechada" ou "uma fonte selada" tornou-se característica para tudo que era guardado com mais cuidado. Assim é o coração; ele é a fonte de onde procedem todas as nascentes da vida, como nos diz o sábio.

O coração e o intelecto são a fonte da vida. Se esta fonte for venenosa, a melhor parte da vida estará perdida. E o Livro que nos manda guardar o coração é a Carta Magna de um Pai bondoso e amável. Deus nos quer bem. Ele é o nosso melhor Amigo. Mas como havemos de guardar o coração?

Alguém disse que não podemos evitar que os pássaros voem sobre nossas cabeças, mas podemos impedir que façam ninhos sobre elas; assim não pode-mos evitar que os pensamentos e desejos maus entrem em nossos corações, mas podemos impedir que permaneçam nele. Expulsemo-los todos, sem demora, e enchamos o coração de coisas boas, para que ele se torne uma fonte preciosa.







CORAGEM DE SONHAR

terça-feira, 14 de agosto de 2018

JUSTIÇA FEITA


Numa pequena cidade vivia um zeloso cristão que se tornara magistrado. Certa manhã, compareceu diante dele, na sala do Tribunal, um amigo de sua mocidade, que se havia desviado do caminho da justiça e cometera um delito contra a lei do país. Aqueles que conheciam as relações que havia entre ambos, esperavam que o juiz tratasse o homem misericordiosamente; ficaram, porém, muitíssimo surpresos ao ouvirem que a sentença foi pesada multa.

Ficaram ainda mais surpresos quando o magistrado se dirigiu ao oficial, dentro do Tribunal, e, tirando do próprio bolso o dinheiro, pagou a multa. Cumprira seu dever como magistrado, defendera a lei, mas também mostrou um pouco da misericórdia de Deus em favor de seu amigo, ao pagar a penalidade que a sentença lhe impunha.

do livro "Mil Ilustrações Selecionadas", Dr. D. Peixoto da Silva, Casa Publicadora Batista, Rio de Janeiro, 1966

A QUALIDADE


segunda-feira, 13 de agosto de 2018

PAIXÃO


COMO ÁRVORES...

Qual o tamanho de um sofrimento? Quanto tempo devemos chorar por um ente querido que morreu ou pelo amor que se perdeu? Quanto tempo devemos guardar trancado um coração que sofreu uma traição? Quantos dias devemos ficar trancados em um quarto se alguém nos decepcionar? Qual o tamanho do ódio que devemos criar para aqueles que nos humilharam ou feriram? É muito difícil determinar o tamanho, o tempo certo. Tudo tem um limite, e cada um de nós é suficientemente adulto para perceber quando estamos passando dos limites.


Assim, as pessoas que se trancam na dor e fazem dessa dor o motivo para não viverem, para não lutarem e simplesmente desistirem da vida, estão indo contra um princípio natural e divino que aponta sempre para a continuidade da vida. Se você cortar uma árvore centenária e deixar apenas um pequeno toco, verá depois de alguns meses a vida renascer com pequenos galhos já crescendo e desafiando a vida para ressurgir.

Em alguns anos será novamente uma medida, nossa dor tem que ter limite, o nosso isolamento do mundo tem que ter um breque, porque somos como árvores frondosas que estão sujeitas a vários cortes durante nossa vida, alguns cortes derrubarão poucas folhas, outros podem até destruir todos os galhos que demoramos anos para juntar, mas sempre nos restarão algumas sementes que se regarmos com paciência e amor, em breve nos transformará de novo em belas árvores. 

Se você, no dia de hoje, é apenas um toco, lembre-se que dentro de você tem uma semente divina que deve ser cultivada sempre, que precisa muito mais da sua atenção que de mãos estranhas, por isso ame-se, respeite-se, respeite a vida e o curso que ela tem, transforme-se definitivamente numa árvore que dá frutos, que dá sombra e lembrar sempre a todos que enquanto existir vida existem possibilidades de transformar, de renascer e de ser feliz!!!! 

Alicinha
Fonte: http://www.webservos.com.br/

domingo, 12 de agosto de 2018

QUANDO O SENTIMENTO FALA MAIS ALTO DO QUE A JUSTIÇA

Ali está o pequeno Absalão brincando com seus irmãos nos jardins do palácio real.

Os olhos de seu pai o contemplam cheios de admiração e orgulho por ele, não por vislumbrar um espírito reto e piedoso que nele se formaria no futuro, mas senão somente por seus belos dotes físicos e sagacidade.

O pequeno cresceu e se transformou num monstro, a ponto de tentar contra a vida do próprio pai e levantar um exército contra ele com o intento de ocupar o trono em seu lugar. 

Ainda assim, Davi se conduzia apenas pelos sentimentos e gratas recordações dos tempos de infância e juventude do rapaz.

Então ordenou insistentemente a seus homens que poupassem a vida de Absalão na batalha que Deus ordenara que se levantasse contra ele e o seu exército infiel.

Mas o Senhor tinha outros planos em relação a isto e ordenou que fosse morto.

Joabe ouviu a Deus e não a Davi naquela ocasião e o matou.

Quando retornaram em triunfo da batalha, os homens que haviam colocado suas vidas em risco por causa de Davi e do seu reino - tendo inclusive havido baixas entre eles – não receberam boa acolhida da parte do rei, que recusava ser consolado pela morte de seu filho, e não conseguia vencer a tristeza que sentia.

Joabe o repreendeu com respeito e com sábias palavras, mostrando-lhe que procedia mal naquele caso pois estava desprezando os que haviam colocado suas vidas em risco por amor a ele, e estava prezando a quem odiava tanto a ele quanto a Deus.

Somente então ele se dispôs a demonstrar a devida gratidão aos que haviam lutado por ele. 

De igual modo, quantos não têm desprezado aqueles que lutam por seus interesses e que os amam em justiça e de fato, por causa de laços sentimentais que os cegam para a verdade?

Silvio Dutra

PAI SÁBIO

sábado, 11 de agosto de 2018

MOMENTOS DE PAZ


A paz de Deus, necessariamente, tem que sossegar nossas mentes e dar descanso aos nossos corações. A.B.Simpson

São raros os momentos neste mundo veloz em que tiramos tempo para desfrutar alguns poucos momentos de paz longe do barulho e do agitado burburinho que nos cerca. Quando não estamos correndo de um lado para o outro, estamos socializando, exercitando, brincando, comprando, limpando e mantendo a vida em ordem. 

Qual foi a última vez que você gastou algum tempo em quieta solitude sem ter que necessariamente estar fazendo alguma coisa? Simplesmente sentado olhando para o mar, ou para a beleza de um calmo lago ou observando o bater do vento sob as agitadas folhas? Qual foi a ultima vez em que você esteve totalmente descontraído sem ter que atender um compromisso e com a liberdade de apenas se sentar até que estivesse pronto para seguir adiante? 

Eventualmente a coisa mais saudável e o maior beneficio que você pode trazer a você mesmo e a sua família é simplesmente dar uma parada completa na sua rotina. Ao fazer isso, descontraia e desfrute a abundância da vida que lhe esta sendo dada por Deus. 

Para Meditação: Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas. Hebreus 4:10

Nélio DaSilva
http://www.encorajamento.com/

TODO HOMEM PROCURA


sexta-feira, 10 de agosto de 2018

NÃO COMO AS ONDAS DO MAR


"... porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte" 

Tiago 1:6

Samuel Rutherford declarou: "Acredite no Amor e no Poder de Deus, mais do que acredita em seus próprios sentimentos e experiências. Cristo é sua Rocha e esta Rocha não é como a maré que um dia está alta e no outro está baixa, mas como o mar."

Muitas vezes perdemos uma grande bênção porque nos deixamos dirigir por nossas próprias emoções que são completamente instáveis. Um dia estamos de bom humor e no outro, totalmente angustiados. Um dia cantamos e dançamos como se fôssemos a mais feliz das criaturas e no outro choramos e murmuramos como se fôssemos pobres coitados e derrotados. Um dia agimos como se fôssemos capazes de mover montanhas com a oração e no outro, como se fôssemos ateus e inimigos de Deus.

É preciso que a nossa fé seja inabalável, que a nossa esperança seja indestrutível, que o nosso "sim" ao Senhor nunca se torne um "talvez" ou um "não". É importante que tenhamos a compreensão de que o Senhor tudo pode e que aquele que crê também tudo pode, em nome do Senhor. É necessário que não esqueçamos jamais que somos salvos e não mais perdidos, que somos cristãos que confiam no seu Deus e não incrédulos que de tudo duvidam.

Cristo é nossa Rocha e nEle estamos firmados e protegidos. Dele vem a nossa força e o Seu poder não tem limite. Ele nos faz caminhar em segurança, nos abriga das intempéries, é a fonte de nossa alegria.

Não podemos ser como as ondas do mar que vão e voltam, que às vezes estão fortes e outras fracas, que uma hora estão lá em cima e outras lá embaixo. Os inconstantes não vão a lugar algum, não realizam seus sonhos, não se firmam no caminho, não alcançam grandes vitórias.

Você continua oscilando, como as marés, ou já aprendeu a descansar em Deus?

Paulo Barbosa

TRABALHO DURO


quinta-feira, 9 de agosto de 2018

UMA NOITE NO METRÔ

Ontem por volta de 23 horas, compartilhando a mensagem da Salvação no metrô. Entre muitos que não quiseram receber a mensagem, um rapaz entrou no trem, sentou-se próximo a mim, recebeu o folheto " Para onde você vai?", e passou a lê-lo com muita atenção!

Após completar a leitura se dirigiu novamente a mim e agradeceu a minha disposição de estar aquela hora Semeando a Palavra. Não sabe ele que isto é tanto uma honra como um prazer! Me disse que o Senhor havia despertado nele a consciência de que estar afastado de Seu Caminho era ruim. Me apresentou uma Bíblia surrada e marcada que disse ter usado muito em outros tempos e demonstrou que ela voltará a estar em suas mãos e olhos.

Mais uma vez me agradeceu, e obviamente lhe disse que devemos dar a Glória a Deus e servi-lo até estarmos com o Senhor.

Encerrou-se a conversa e orei por ele, e pelos outros que também receberam a Palavra!

Fui impelido a orar pela grande quantidade de homossexuais e lésbicas que estão nos metrôs nesses horários. Alguns até receberam as sementes do Evangelho, contudo a maioria recusou!

Deus é Soberano e irá salvar os seus! Eu creio plenamente nisso! Contudo Ele mesmo determinou os meios e designou aos que Ele já chamou para se dispor a participar da Missão que é DELE!

Não invente desculpas! 

Enquanto estiver indo pregue o Evangelho, use todos os meios, espalhe a semente, comece distribuindo folhetos, use seu campo de influência, amizades, faça um estudo bíblico com eles, evangelize de forma constante a àqueles que Deus mesmo lhe deu, foi por isso que Ele te colocou nesta família, vizinhança, trabalho, escola, universidade, curso, academia,..., acho que deu para entender!

Fazendo assim Ele lhe dará a oportunidade de ver novos nascimentos e de cuidar dos recém-nascidos, assim começa o fazer discípulos de Jesus, e você poderá então os ensinar a guardar tudo que Jesus ensinou.

Este relato só tem um objetivo: que você meu amado irmão e minha amada irmã use os talentos que Ele deu, e os negociei para que rendam uma grande colheita de salvos para a Glória de nosso Rei, Senhor e Salvador Jesus!

Com muito amor!

Seu irmão em Cristo e humilde servo do Senhor,

Sidnei Gomes Itaboray

PONTO DE VISTA


quarta-feira, 8 de agosto de 2018

O RELÓGIO DE DEUS

"(..) já se fazia escuro e Jesus ainda não viera ter com eles (..) por volta da quarta vigília da noite, veio ter com eles, andando por sobre o mar"

(João, 6.17b e Marcos, 6.48b)

Ainda? ? com essa palavra, João parece denunciar o ambiente de inquietação que se instalava entre os discípulos no meio do mar. Por mais que eles relutassem em tecer tais conjecturas, as altas ondas, o rijo vento, o barco afundando, a hora avançada, as forças mitigadas, o negrume da noite, todas as coisas pareciam apontar para um atraso divino, uma dessincronia entre a ação de Deus e as necessidades humanas, uma distração de Deus em face ao desespero humano.

Diz o texto que, naquele momento de medo, pânico, perplexidade, e de total incapacidade de não atribuir a Deus a falibilidade humana, Jesus vem andando por sobre as águas e o Seu relógio marcava a quarta vigília da noite. Teria Deus perdido a hora? Dormido no ponto? Havia o relógio divino trabalhado descompensado com a hora do nosso sofrimento? Teria Ele abdicado do compromisso radical que tem com as nossas vidas?

Não! Diz o texto enfaticamente: Ele veio na quarta vigília da noite. Por que? Porque é na quarta vigília que a noite se faz mais escura, as ondas mais revoltas e os ventos mais rijos em razão da proximidade do nascer do sol (o texto atesta esse fenômeno quando diz que neste período eles remavam com dificuldade porque o vento lhes era totalmente contrário). Como sempre, o relógio de Jesus estava rigorosamente pontual. Veio quando a escuridão era mais densa, as ondas mais encapeladas e os ventos totalmente contrários.

O relógio de Jesus é assim: sincronizado com o nosso sofrimento e as nossas dores. Jamais chega atrasado em nossa vida para a manifestação de Sua graça e de Sua misericórdia. Jamais posterga o milagre esperado. Ele sempre aparece quando a noite se faz mais escura e os ventos são totalmente contrários.

Talvez, muitos de nós estejamos, hoje, vivendo essa síndrome do ainda. Uma terrível sensação de que Deus perdeu a hora, Deus perdeu o bonde da história de nossa vida; um Deus atrasado em cumprir as Suas promessas. Talvez, muitos de nós estejamos nutrindo em nossas vidas essa ideia de um Deus distraído e incapaz de manifestar a Sua graça no tempo certo de nossos sofrimentos.

Precisamos entender isto: o Relógio de Jesus nunca falha. Ele Sempre aparece. Quando as trevas forem mais densas, as ondas mais revoltas e se fizer a quarta vigília da noite, louvemos e cantemos ao Senhor. Porque está vindo ao nosso encontro.

Creiamos nisto.

Rev. José Kleber Fernandes Calixto
Igreja Presbiteriana de Coromandel, MG.

O DIFÍCIL


terça-feira, 7 de agosto de 2018

CREDENCIAIS ETERNAS

"Nisto conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns pelos outros"

Jo 13.35

Uma noite chegamos às muralhas da China, depois de terem cerrado o portão. Através do guichê do portão, o guarda pediu-nos nossa carteira de identidade. Logo o portão se abriu e nos foi permitido entrar.

Algum dia chegaremos às muralhas da Cidade Eterna. Que credenciais teremos a apresentar, a fim de que a porta se abra? Será o nosso conhecimento da Bíblia? Nossa certidão de batismo? Nossa carta de membro da Igreja? Uma carta de recomendação do pastor? Ou a ficha de nossa vida diária?

Jesus nos deu a única resposta. Disse ele: "Nisto conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns pelos outros". Eis a prova principal de que fomos redimidos pelo sangue de Jesus Cristo: "amarmos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos".

Leo K. Mader