sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

ATÉ O FIM

porque Deus mesmo disse: "Nunca o deixarei, nunca o abandonarei".

Hebreus 13:5

William Stidger narra como um rapazinho que jazia na mesa de operação, tendo de sofrer uma intervenção séria, pediu ao pai que ficasse com ele para lhe segurar a mão enquanto o médico o anestesiava. Justamente antes de lhe colocarem a máscara de éter, ele olhou para o pai, e disse com inteira confiança:

- O senhor ficará comigo até o fim, não é, papai?

O pai respondeu com lágrimas de compreensão:

- Certamente ficarei, meu filho.

Eis o que significa a verdadeira amizade. Significa acompanhar por todo o caminho, até o fim.

O amigo que é mais chegado do que um irmão, Jesus, nosso melhor amigo, acompanha por todo o caminho. Ele diz: "De maneira alguma te deixarei nunca jamais te abandonarei. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século" (Hb 13.5; Mt 28.20).

Cultivemos-Lhe a amizade e, à Sua semelhança, sejamos um amigo verdadeiro para todos -os que têm e os que não têm amigos.

Fonte: http://recursoshomiletica.blogspot.com

ADORAÇÃO


quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

ANDAR EM CÍRCULOS

Há mais realidade expressa na frase "caminhando em círculos" do que imaginamos. Nas desoladas paragens do Ártico, onde terra e céu parecem confundir-se num só, o viajante precisa reconhecer os marcos, tais como regatos e valados. Geralmente precisa cavar fundo para ver se está sobre a terra ou gelo do mar. Se ele se descontrolar, perder-se-á ou chegará ao mesmo ponto de partida.

A vida para muitos é meramente um "andar em círculos". Porém para qualquer um de nós, Jesus torna-se o caminho, quando lhe concedemos o lugar certo no coração. Ele é também a luz, o pão e a água da vida. E um companheiro que promete: "Estou convosco sempre'. Que mais pode desejar um peregrino solitário, com todas essas garantias? Certamente não estamos sós.

Percy lpalook (Alaska, E.U.A.)

DEUS RECOMENDA


quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

LEITÃO COM BATATAS

De Tahuape, na Nova Zelândia, veio esta interessante história de feliz acontecimento.

A manhã era cinzenta, chuvosa e fria. Nossa heroína se dirigia com passo acelerado para tomar um ônibus. Se o perdesse, chegaria tarde ao seu trabalho. Aproximou-se dela um homem pedindo dinheiro para poder comer alguma coisa. Um impulso de bondade a induziu a dizer ao desconhecido:

- Moro naquela casa que se vê lá. No refrigerador está o que sobrou de um leitão assado com batatas. Aqui está a chave. Vá e coma. Quando sair, deixe a chave debaixo do tapete, no corredor da entrada.

Durante o percurso de ônibus uma ideia a assolou: "Não havia mulher mais estúpida no mundo". Porém resolveu sobrepor-se a seus temores, ante a convicção de que os seres humanos reagem nobremente a atos de confiança...

Sim, ali estava a chave, sob o tapete. Abriu a porta e a duras penas pôde acreditar no que seus olhos viam. A casa inteira resplandecia de limpeza, tudo estava em seu lugar. Até as vidraças tinham sido lavadas.

No refrigerador encontrou um bilhete escrito com letra grosseira, no qual se lia:

"Prezada senhorita. Talvez você não consiga compreender nunca o bem tão grande que me fez. Faz alguns dias que sai da penitenciária. Estou livre sob a palavra. Francamente, foram para mim muito duros estes dias. Porém você me deu o estímulo que me faltava. Um milhão de graças".

GIGANTES


terça-feira, 28 de janeiro de 2020

A MIM O FIZESTE

Era época de exames na escola de medicina de uma grande universidade África do Sul. Como parte do trabalho prático, exigia-se que dois candidatos diagnosticassem certas doenças e prescrevessem seus respectivos tratamentos. Portanto, era preciso encontrar os casos de doenças. 

Um grande número de pacientes negros achava-se num hospital dos arredores. Alguns foram trazidos ao local do exame, mas os assistentes brancos recusaram-se a removê-los das ambulâncias para a sala de exame. Assim, as enfermeiras brancas que estavam de plantão e os próprios examinadores tiveram de transportar os pacientes.

Aos assistentes que se recusaram, por preconceito racial, a se ocuparem com os pacientes e a todos aqueles, de qualquer raça, omissos em face da necessidade alheia, diz Jesus: "Quando não o fizeste a um destes meus pequeninos irmãos, a mim não o fizeste".

Como cristãos, é nosso sagrado dever estender mãos ajudadoras a todos, pois Deus é o criador da humanidade e oferece sua salvação, através de Cristo, para todos os seus filhos.

Joseph B. Webb (África do Sul)

O AMOR


segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

CONFIANÇA NO TODO-PODEROSO

Em agosto de 1930 houve um eclipse do sol. Meu irmão e eu em companhia de um astrônomo, observávamos o fenômeno através de óculos escuros. Este conservava sua atenção no cronômetro. Quando tudo terminou, ele disse: "Foi exatamente no segundo predito há vinte e cinco anos pelos cientistas da época".

Andava eu, então, bastante preocupada porque tinha perdido meu emprego e aquela experiência me trouxe este pensamento: "Se este universo é governado por um Poder que faz com que tudo corra normal e matematicamente no minuto exato, certamente terei confiança, seja qual for o meu destino". Que lição maravilhosa eu aprendi!

Esta lição serve para todos nós. Por que tanta tensão, receio e preocupações na hora presente? Temos a promessa do suprimento de todas as nossas necessidades cada dia que passa. Por que não cremos e agimos confiantes nas promessas de Deus? Por que não "aprendemos a arte de descansar no seu poder"? Por quê? Por que não o fazemos?

Emma M. Wuerry (Ontário, Canadá)


domingo, 26 de janeiro de 2020

EU GASTEI O SALMO 23

Certa senhora que costumava fazer visitas a diversas pessoas, em nome de sua igreja, ao chegar à casa de uma mulher idosa, encontrou-a chorando e perguntou-lhe qual o motivo de sua tristeza. A amável velhinha respondeu: "Eu gastei o salmo 23..." Ela havia gasto inteiramente a página da Bíblia com seus dedos, ao manuseá-la. Mas a visitadora assegurou-lhe que ninguém pôde jamais "gastar" um salmo. 

Durante quase três mil anos os filhos de Deus têm usado os salmos como um tesouro precioso. A inspiração que perpassou pela alma dos salmistas tem sido o manancial dos filhos de Deus.

Este legado precioso -os Salmos -traz a marca dos homens que experimentaram o poder de Deus e captaram um flagrante de um Deus que se oferece ao homem. Um homem que diz: "Caiam mil ao teu lado, e dez mil à tua direita; tu não serás atingido" (SI 91.7) conhece Deus como pessoa. É a visão de Deus, Todo-poderoso e Todo-amoroso, oferecendo-se a Seus filhos.

Nós, cristãos, encontramos muita inspiração nesta poesia de tantos séculos.

Unimo-nos aos nossos irmãos necessitados, oramos juntos pela presença de Deus, e nossas perguntas são respondidas pelo Senhor ressurreto.

CRISTO NO CORAÇÃO


sábado, 25 de janeiro de 2020

RECOMPENSAS

O nome dele era Fleming e era um pobre fazendeiro escocês. Um dia, enquanto trabalhava para ganhar a vida e o sustento para sua família, ele ouviu um pedido desesperado de socorro vindo de um pântano nas proximidades. Largou suas ferramentas e correu para lá.

Lá chegando, enlameado até a cintura de uma lama negra, encontrou um menino gritando e tentando se safar da morte. O fazendeiro Fleming salvou o rapaz de uma morte lenta e terrível. No dia seguinte, uma carruagem riquíssima chega à humilde casa do escocês. Um nobre elegantemente vestido sai e se apresenta como o pai do menino que o fazendeiro Fleming tinha salvado.

— Eu quero recompensá-lo - disse o nobre. -Você salvou a vida do meu filho.

— Não, eu não posso aceitar pagamento pelo que eu fiz, responde o fazendeiro escocês, recusando a oferta. 

Naquele momento, o filho do fazendeiro veio à porta do casebre.

- É seu filho? - perguntou o nobre.

- Sim, - o fazendeiro respondeu orgulhosamente.

— Eu lhe farei uma proposta. Deixe-me levá-lo e dar-lhe uma boa educação. Se o rapaz for como seu pai, ele crescerá e será um homem do qual você terá muito orgulho.

E foi o que ele fez. Tempos depois, o filho do fazendeiro Fleming se formou no St.Mary's Hospital Medical School de Londres e ficou conhecido no mundo como o notável Senhor Alexander Fleming, o descobridor da Penicilina. 

Anos depois, o filho do nobre estava doente com pneumonia. O que o salvou? Penicilina.

O nome do nobre? Senhor Randolph Churchill. O nome do filho dele? Senhor Winston Churchill.

Alguém disse uma vez que a gente colhe o que a gente planta.

Trabalhe como se você não precisasse do dinheiro.

Ame como se você nunca tivesse tido uma decepção.

A CHAVE DO PERDÃO


sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

ESPELHO

Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos. Ele respondeu:

A Política, sem princípios; o Prazer, sem compromisso; a Riqueza, sem trabalho; a Sabedoria, sem caráter; os negócios, sem moral; a Ciência, sem humanidade; a Oração, sem caridade.

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis​​, se eu sou amável,
que as pessoas são tristes, se estou triste,

que todos me querem, se eu os quero,

que todos são ruins, se eu os odeio,

que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio,

que há faces amargas, se eu sou amargo,

que o mundo está feliz, se eu estou feliz,

que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva,

que as pessoas são gratas, se eu sou grato.

A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta. A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim.

"Quem quer ser amado, ame"

Autor desconhecido

CAPRICHOS


quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

A TENTAÇÃO DE DESISTIR

O momento em que a tarefa se torna mais difícil, e a tentação de desanimar se torna mais forte, é amiúde o ponto em que o sucesso está mais próximo. 

Talvez você já tenha lido sobre as ricas descobertas de diamantes em kimbeley, há uns cem anos. Na esperança de enriquecerem depressa, muitos  afluíram para aquela região para tentar a fortuna. Cada um demarcou sua  propriedade e começou a cavar. Muitos dos que chegaram cedo lograram grande  fortunas. A princípio, o trabalho era fácil e as pedras preciosas facilmente  encontradas. Porém, depois de uns dois anos, a  maior parte da camada  superficial havia sido peneirada e todo o tesouro colhido. Debaixo dessa  camada havia outra de uma argila azulada e dura, que resistia às mais fortes mãos ou ferramentas. Poucos foram os que pensaram em atravessar essa camada  aparentemente impenetrável. Um após outro os homens foram abandonando seus  campos, ou vendendo por bagatelas para qualquer um que fosse suficientemente  tolo para comprá-los. Logo espalhou-se a notícia de que o campo de diamantes  estava esgotado. 

Barnett  Barnato era proprietário de uma lojinha perto do campo de diamantes. Havia chegado tarde demais para adquirir um terreno daqueles. E  agora seus negócios estavam declinando à medida que os homens abandonavam os  campos. Decidiu então que deveria comprar um dos terrenos que estavam sendo  vendidos por preço tão baixo. Um dia, enquanto tentava abrir uma brecha  naquela argila dura como pedra, para ver o que havia ali debaixo, notou que  alguém o observava. Era um homem que havia vindo da Inglaterra em busca de  clima mais moderado, esperando assim recuperar a saúde. O estranho observou  o trabalho de Barnato por um ou dois dias e então comprou também parte do  campo e começou a trabalhar.
Foi assim que Banett Barnato e Cecil Rhodes se tornaram os proprietários de um dos mais ricos campos de diamantes do mundo. Eles uniram as forças para  formar o De Beers Corporation, que continua em atividade até hoje. 

Numa palestra para estudantes, o presidente de uma universidade  norte-americana resumiu a experiência desses dois homens nestes termos:  “Quando o cavar se torna difícil, a maioria das pessoas procura uma desculpa  para abandonar a tarefa. Mas é precisamente aí que a pessoa sábia cava com  mais avidez e energia que nunca!”

SE FEZ PEQUENO


quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

CORAGEM

Savonarola, dominicano italiano, agitava Florença com seus sermões perturbadores. O Papa, desejando silenciar o caloroso pregador, ordenou que um bispo dominicano fosse a Florença tentar convencer o rebelado. 

— Santo Padre, obedecerei, mas desejo que sejam fornecidas armas, solicitou o bispo.

— Que armas?, indagou o Papa. 

—Ora, esse monge prega que não podemos ter concubinas, nem cometer simonia ou viver licenciosamente. Se o que ele diz a esse respeito for verdade, como lhe replicarei?

— Ora, ora - respondeu o Papa - agrade o monge, trate-o com diplomacia. Se for necessário, ofereça-lhe um chapéu de cardeal. Mas, acalme-o.

O bispo recebeu bondosamente o último cartucho e ofereceu o suborno a Savonarola. A resposta do monge foi:

— Venha ouvir meu sermão amanhã; dar-lhe-ei a resposta. 

E não foi sem surpresa que, no dia seguinte, o bispo ouvia ataques ainda mais severos aos erros da Igreja, ataques que culminaram com a declaração final que encerrava o assunto: "Não desejo outro chapéu vermelho senão o do martírio, colorido com o meu próprio sangue".

ESPINHOS


terça-feira, 21 de janeiro de 2020

DEUS DEU, DEUS TOMOU...

Ao anoitecer de um sábado, um rabi, mestre de invejável cultura e admirável bondade, entretinha-se na escola pública ensinando a Santa Lei a seus discípulos, sem imaginar que em sua casa, a tristeza e o luto haviam se hospedado.

Dois de seus filhos haviam morrido enquanto trabalhavam, pastoreando ovelhas no alto de um monte e a mãe chorava inconsolável, aos pés dos dois cadáveres. Mesmo petrificada pela dor, vinha-lhe à mente o pobre e idoso marido, cuja saúde a preocupava tanto, que logo iria defrontar o tremendo espetáculo.
O respeito à vontade divina e a caridade de esposa deram-lhe, porém, grande força de alma. 

Cobriu com um lençol os filhos e, orando, pôs-se a esperar o marido. 

À noite, mal entrou em casa, o marido indagou pelos filhos. A esposa, com o rosto lavado de lágrimas, desviou dele seus olhos e, com uma desculpa qualquer, serviu-lhe o vinho e o círio para a prece. O marido cumpriu o ato religioso e insistiu em saber dos filhos. Com mais uma desculpa, a mulher ofereceu ao marido, há muitas horas em jejum, umas fatias de pão. O marido provou um pedacinho e a questionou porque parecia tão triste. 

Armando-se de coragem, com um respirar profundo a esposa disse: 

- Eu, meu marido, preciso muito de um conselho teu. Já a algum tempo, um nosso amigo me procurou e deixou sob minha guarda algumas joias, extremamente valiosas. Veio hoje reclamá-las. Ai de mim! Não contava que viesse tão cedo. Devo restituí-las? 

- Ó minha esposa! Estou a desconhecer-te! Essa sua dúvida é pecaminosa!

- Mas já me afeiçoei tanto a elas... 

- Não te pertencem! 

- Queria-lhes tanto bem... Talvez tu também...

- Ó mulher! - exclamou atônito o marido. Que dúvidas essas suas! Que pensamentos! Querer apropriar-te do que não te pertence, sonegar um depósito, coisa sagrada! 

- É assim que pensas? balbuciou a esposa, chorosa.

Enxugando os olhos e novamente buscando forças em seu coração, disse a mulher:

- Muito preciso de teu auxílio para fazer esta dolorosa restituição. Vem ver as joias depositadas, que ambos fomos chamados a restituir. 

Suas mãos geladas tomaram as mãos do marido e o levaram ao quarto onde os filhos se encontravam. Ergueu os lençóis e disse:

- Aqui estão as joias. Reclamou-as Deus!

Em sua mútua dor, um encontrou no outro o ombro para chorar e aceitar, com resignação, os insondáveis (mas sempre misericordiosos) desígnios de Deus.

PARA VENCER


segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

TUDO O QUE TINHA

Era uma bela loja, situada num bairro rico e prospero da cidade. A joalheria estava com vários clientes ilustres, quando entrou pela porta uma pequena menina, vestida com muita simplicidade. O guarda tentou afasta-la, mas o dono da loja, que gostava muito de criança, falou para deixa-la entrar, e que ele mesmo a atenderia.

A pequena menina agradeceu e chegou perto do balcão, dizendo:

- Gostei desse anel.  Ele vai ficar lindo na minha irmã! Por favor, faça um pacote bem bonito!

O dono da loja perguntou:

- Quanto você tem?

A menina tirou um pacote de moedas do bolso e colocou-as em cima da mesa, muito feliz.

- Isso dá? Vendi minha boneca favorita, que ganhei no ano que nossa mamãe morreu. Eu quero dar um presente para minha irmã. Quanto minha mãe morreu, ela parou de estudar para tomar conta de mim e de meus irmãos. Ela não tem tempo para ela. Hoje ela está fazendo dezoito anos e tenho certeza de que ela gostará muito desse anel. 

O homem entrou, fez um embrulho mito bonito, colocou um laço vermelho e entregou para a menina, que saiu cantando toda feliz. 

Ainda não havia findado o dia quando entrou na loja uma jovem muito bela. Colocou sobre o balcão um embrulho desfeito e perguntou:

- Por favor, esse anel foi comprado aqui?

– Sim minha jovem.

– E quanto custou?

– Ah!, falou o dono da loja. O preço de qualquer produto da minha loja e sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o cliente. 

A jovem continuou:

– Mas minha irmã tinha somente algumas moedas que ela conseguiu vendendo uma boneca velha! O anel é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagá-lo!

O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e o devolveu a jovem.

– Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar. ELA DEU TUDO O QUE TINHA.

O silêncio encheu a pequena loja e duas lágrimas rolaram pela face emocionada da jovem e de todos que assistiram a cena enquanto suas mãos tomavam o pequeno embrulho.

E NÓS, TERÍAMOS DINHEIRO PARA PAGAR O QUE JESUS DEU PARA NÓS?

VASOS USADOS POR DEUS


sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

PROSSEGUINDO PARA O ALVO

Prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus" 

Filipenses 3.14

Um jovem violinista apresentava seu primeiro recital. O auditório estava à cunha. Cada número era aplaudido freneticamente. A multidão delirava. O jovem músico agradeceu os aplausos, mas não deu demonstração de sentir-se lisonjeado. Quase todo o tempo tinha os olhos fitos na galeria.

Quando o som dos derradeiros acordes morreram, um ancião na galeria fez com a cabeça um sinal de aprovação. Imediatamente, o jovem mostrou-se satisfeito, e sua fisionomia iluminou-se de felicidade. Os aplausos da multidão pouco lhe importavam, enquanto não tivesse recebido a aprovação de seu mestre.

Os olhos do cristão devem estar fitos em Cristo. Sua pureza, Sua santidade, Sua perfeição, unicamente, podem ser nosso alvo. Logo que algum outro ser se torne nosso exemplo, nosso herói na fé, ficamos sujeitos à decepção. Conheci um homem a quem eu tinha em alta estima. Era homem, cuja simples aparência impunha respeito e admiração. Quem suporia que o maligno tivesse semeado joio em seu coração? quando ele caiu - pois foi o que aconteceu - muitos ficaram enfraquecidos na fé.

Fonte: http://recursoshomiletica.blogspot.com/

O MEDO


quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

HOMEM - PÓ

Que é o homem, que dele te lembres? e o filho do homem, que o visites? Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus, e de glória e de honra o coroaste
Salmos 8.4,5

Disse o filósofo Platão: "O homem é um animal de duas pernas - sem penas." 

Sócrates, então, comprou um galo, tirou-lhe as penas, e levou-o à escola de Platão, exclamando: "Eis o homem de Platão".

O homem tem sido comparado a diversas espécies de animais: animal que ri, animal que cozinha, animal com polegares, animal preguiçoso. O Dr. Franklin o chama de animal que faz instrumentos. Um animal que cultiva é a sugestão de Walker. Hazlitt o designa animal poético. Diz Adam Smith: "Animal algum é como o homem. O homem é um animal que faz negócios. Cão algum troca um osso com outro".

O homem, ser decaído da graça de Deus por sua desobediência.

O homem, ser redimido, pela infinita graça de Deus, através do sangue.

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

O QUE O PERDÃO PODE FAZER?

Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. 

Lucas 23:34.

Wilfred T. Grenfell, famoso médico missionário, nasceu em 1865. Em 1892, ainda na faixa dos vinte anos, ele dedicou sua vida ao povo da costa oriental do Canadá, onde serviu ao seu Senhor até cinco anos antes de sua morte, em 1940. Certa vez, quando lhe perguntaram o que o havia influenciado para que dedicasse a vida ao trabalho cristão humanitário naquela fria e agreste região do Labrador, aqui está a razão que ele deu:

Certa noite, uma senhora foi levada para a sala de emergência do hospital onde ele trabalhava. Era evidente que não havia esperança de vida para ela. Segundo o depoimento de testemunhas, o marido dela havia chegado bêbado em casa e, num ímpeto de ira, jogara contra ela um lampião aceso de querosene. Os vizinhos chamaram a polícia. O marido, que começava a ficar sóbrio, e um oficial foram até o leito onde ela se encontrava. O oficial curvou-se e perguntou àquela senhora exatamente o que havia ocorrido. A princípio ela recusou-se a dizer qualquer coisa, mas ele insistiu. Por fim, ela simplesmente disse: "Senhor, foi apenas um acidente." E morreu pouco depois.

Grenfell disse que se o amor podia perdoar uma agressão daquela magnitude, ele queria seguir o exemplo de Jesus e dedicar a vida ao ministério em favor dos outros. Será que o perdão daquela senhora exerceu um efeito semelhante sobre o marido? Não sei, mas vamos esperar que sim.

Perdoar aqueles que nos ofenderam, aqueles que sob um ponto de vista humano não merecem perdão, pode exercer um poderoso efeito para o bem. Quando Jesus perdoou aqueles que O crucificavam, causou uma impressão profunda em muitos dos responsáveis por Sua morte. Atos 6:7 diz que, subseqüentemente, "muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé".

Algo semelhante pode ter acontecido quando Estêvão perdoou aqueles que o apedrejaram até à morte (ver Atos 7:58-60). Não é improvável que a conversão de Saulo tenha brotado daquela experiência.
Quando você e eu fazemos como Jesus fez, e perdoamos espontaneamente aqueles que nos magoaram, o efeito sobre eles também pode ser o mesmo - mas não conte com isso. Afinal de contas, nosso objetivo na vida como cristãos é seguir o exemplo de Cristo, e não fazer com que os outros se sintam mal por ter-nos prejudicado.

Fonte: http://recursoshomiletica.blogspot.com.br/

FAZER BEM

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

UMA PESSOA BEM-SUCEDIDA

"Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, cuidando de fazer conforme toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; não te desvies dela, nem para a direita nem para a esquerda, a fim de que sejas bem sucedido por onde quer que andares" (Josué 1:8).

Entre os apóstolos, o sucesso absolutamente assombroso era Judas e o humilhante fracasso era Pedro. Judas era um sucesso naquilo que causa impressão na maioria das pessoas: era bem-sucedido política e financeiramente. Ele conseguiu, com habilidade, o controle das finanças dos apóstolos; ele manipulou, com grande desembaraço, as forças políticas da época para concretizar o seu propósito. Pedro era um fracasso nas áreas em que a maioria de nós também tem dificuldade de vencer: era impotente diante das crises e incapaz de ter um bom relacionamento social.

Na prisão de Jesus ele desmoronou, acovardou-se. Ele não era o companheiro ideal que gostaríamos de ter nos momentos de lutas e nem alguém que gostaríamos que nos acompanhasse em um acontecimento social. O tempo, é claro, modificou a nossa avaliação sobre os dois homens. Judas, agora, é um exemplo de traição e Pedro é um dos nomes mais honrados na igreja de todo o mundo. Judas é um vilão, Pedro é um santo.

Infelizmente o mundo continua ainda valorizando o enganoso sucesso de Judas: riqueza financeira e sucesso político.

Tais conquistas de nada lhe serviram. Apenas levaram-no à perdição.

Muitas vezes a nossa momentânea incapacidade e os tropeços que nos sugerem iminentes derrotas são, na verdade, o primeiro passo para que, com a ajuda de Deus, sejamos alçados às mais empolgantes conquistas. É exatamente quando o nosso "eu" se sente impotente que a mão do Senhor se apresenta para nos conduzir ao porto da realização de nossos anseios.

O nosso sucesso não pode ser medido pelas conquistas materiais, embora isso também possa acontecer em nossas vidas. Ele é real quando estamos diante de Cristo, sem medo, sem culpa e com o coração cheio de júbilo por saber que caminhamos no centro de Sua vontade.

Você está alegre por Cristo habitar em seu coração? Saiba que é, de fato, uma pessoa muito bem-sucedida!

Paulo Roberto Barbosa

EXPECTATIVAS


sexta-feira, 10 de janeiro de 2020

DEUS É POR NÓS

Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?

Romanos 8.31

Quando a gente enfrenta momentos difíceis na vida ou quando acontece algo terrível, como catástrofes naturais, atentados terroristas, acidentes ou assassinatos cruéis, muitas pessoas costumam se perguntar: Onde estava Deus?

É difícil entender que, às vezes, o mal é necessário para nos ensinar verdades que não veríamos claramente. Quando a doença chega, a dificuldade financeira, a morte na família, as calamidades e tudo o mais que você possa está enfrentando, fica complicado acreditar que tudo isso pode se transformar num bem para a sua vida ou de alguém que você ama.

Mas uma coisa que prendi com todas as minhas dores é que Deus é por nós. É verdade, Deus é por nós. Seus amigos podem ter esquecido de você, seus familiares podem até culpá-lo e ignorá-lo, seus irmãos podem se envergonhar de você e seus conhecidos lhe desprezarem, mas Deus, não, Ele está torcendo por você. É como um técnico maluco no banco, gritando, passando instruções ou um torcedor na arquibancada aplaudindo, incentivando e comemorando cada vitória sua.

Você pode até se sentir só, mas não está. Deus te acompanha no caminho;

Você pode até chorar de dor e tristeza, mas Deus te estende a mão a cada dia;

Você pode até desanimar e pensar em parar, mas Deus te segura para não cair;

Você pode até achar tudo impossível e pouco improvável, mas para Deus não há impossíveis;

Você pode até ser abandonado por todos, mas Deus sempre estará perto de você.

Gostaria que você repetisse bem alto para que seus ouvidos ouçam a sua voz:
DEUS É POR NÓS!

DEUS É POR NÓS!

DEUS É POR NÓS!

DEUS É POR NÓS!

Portanto, não olhe para as suas dificuldades ou problemas, olhe para aquele que tem estado contigo desde quando tu eras um pequeno feto, que te ama e luta as tuas guerras. Esse ser te ama e é por ti.

A MAIORIA


quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

TEMPESTADE

EM 1978, uma terrível tempestade no Atlântico Norte fustigou o luxuoso transatlântico Queen Elizabeth 2. Ondas da altura de um prédio de dez andares abatiam-se contra o navio, fazendo-o balançar como uma rolha. Móveis e passageiros eram jogados de um lado para o outro, enquanto o navio arfava violentamente. Notável é que houve apenas ferimentos leves entre os 1.200 passageiros. Boa engenharia, bons materiais e boa construção evitaram que o navio se desconjuntasse.

Séculos atrás, outro navio se encontrava nas garras de uma violenta tempestade. O apóstolo Paulo e mais 275 outros estavam a bordo. Temendo que o navio se desconjuntasse com a intensidade da tormenta, os marujos aparentemente passaram “recursos” — correntes ou cordas — por baixo do navio de um lado ao outro para manter juntas as tábuas de madeira do casco do navio. Todos os passageiros a bordo se salvaram, mas não o navio. — Atos, capítulo 27.

Provações na vida podem, às vezes, fazer-nos sentir como se estivéssemos num navio em mar turbulento. Ondas de ansiedade, desapontamento e depressão podem abater-se sobre nós, testando ao máximo o nosso amor. Para suportar essas tempestades e evitar que nos ‘desconjuntemos’, nós também precisamos de alguns “recursos”.

Fonte: https://wol.jw.org

NÃO É ERRADO


quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

NADA LEVAMOS

Quando à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:

1. Primeiro que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época.

2. Segundo que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...).

3. Terceiro que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões.

Alexandre explicou:

1. Primeiro quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte.

2. Segundo quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem.

3. Terceiro quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Você já ouviu falar que alguém viu um caminhão de mudança na frente de um cemitério sendo descarregado para levar os bens para o céu ou inferno de um morto?

Todo o arroz que acumulamos ou comemos, todo o dinheiro que gastamos ou guardamos, não faz diferença nenhuma na eternidade. O que faz diferença é se nossa vida foi depositada aos cuidados do Pais e se buscamos as coisas lá do alto enquanto caminhávamos no pós desta estrada.

ESPERANÇA


terça-feira, 7 de janeiro de 2020

O DIPLOMA

"Sede agradecidos!" 
Cl 3.15b
Muitas histórias se têm contado de pais que muito se esforçaram para garantir o futuro dos filhos. Mães viúvas que trabalharam humildes e anonimamente com esse ideal.

Um jovem, em solenidade que se realizava, acabara de receber das mãos do reitor o seu diploma de médico. Seus pais eram muito pobres e trabalhavam até agora para o pagamento da mensalidade na faculdade. Mas ele soube aproveitar o tempo, e com a ajuda que pedia a Deus, era o primeiro da turma. Como tal, estava recebendo uma distinção especial.

Recebeu o diploma, agradeceu as referências elogiosas, e, ante a admiração de todos, encaminhou-se em direção ao velho pai presente, e, entregando-lhe o papel, disse:

- Pai, este diploma te pertence.

DEUS VAI MUDAR


segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

PORQUE NÁO NÃO DESANIMAMOS

Mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. 

2 Coríntios 4.16


Paulo não consegue enxergar da forma que costumava (e não havia óculos). Ele não consegue ouvir como ouvia antes (e não havia aparelhos auditivos). Ele não se recupera dos espancamentos como costumava se recuperar (e não havia antibióticos). Sua força, caminhando de cidade em cidade, não se mantém como antes. Ele vê as rugas em seu rosto e pescoço. Sua memória não é tão boa. E ele admite que isso é uma ameaça à sua fé, alegria e coragem.

Mas ele não desanima. Por quê?

Ele não desanima porque o seu homem interior está sendo renovado. Como?

A renovação do seu coração vem de algo muito surpreendente: ela vem por olhar para o que ele não pode ver.

“Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas” (2 Coríntios 4.18).

Este é o modo de Paulo não desanimar: olhar para o que você não pode ver. O que ele via?

Alguns versículos mais adiante, em 2 Coríntios 5.7, ele diz: “Andamos por fé e não pelo que vemos”. Isso não significa que ele salta no escuro sem a evidência do que existe ali. Isso significa que, por enquanto, as realidades mais preciosas e importantes do mundo estão além dos nossos sentidos físicos.

Nós “olhamos” para essas coisas invisíveis através do evangelho. Nós fortalecemos nossos corações — renovamos nossa coragem — fixando nosso olhar na verdade invisível e objetiva que vemos no testemunho daqueles que viram Cristo face a face.
Fonte: Voltemos ao Evangelho e Ministério Fiel – Devocional Alegria Inabalável – John Piper

ESPERANÇA

domingo, 5 de janeiro de 2020

LAMA OU BELEZA?

A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz.

Mateus 6.22

Quando olhamos ao nosso redor, o que desejamos encontrar? Procuramos o que há de bom na vida ou nos detemos no que há de ruim? Sinceramente, podemos encontrar de tudo. A vida é um misto de alegria e tristeza, dor e felicidade. É o nosso mode de ver quem determina o que vemos.

Lincoln Steffens aprendeu essa verdade quando era menino. Ele estava observando um artista pintar o quadro de um rio barrento. Disse ao artista que não gostou da pintura porque havia muita "lama" nela. O artista admitiu que havia lama no quadro, mas o que ele estava vendo era a beleza das cores e os contrastes da luz nas partes escuras.

Posteriormente, Steffens disse em um de seus sermões:

– Lama ou beleza? Qual das duas procuramos enquanto caminhamos pela vida? Se procurarmos lama e feiúra, nós as encontraremos - elas estarão lá. Assim como o artista encontrou beleza no rio barrento - porque era isso o que ele estava procurando, no decorrer da vida nós também encontraremos aquilo que desejamos ver. Procurar o melhor e enxergar a beleza é a maneira certa de extrairmos o que a vida tem a nos oferecer a cada dia.

O que os seus olhos tem visto. Apenas o mal ou também tem se rendido a alegria e beleza da vida?

IGNORÂNCIA

sábado, 4 de janeiro de 2020

EU NÃO POSSO FAZER TUDO SOZINHO

“Não posso levar todo esse povo sozinho; essa responsabilidade é grande demais para mim” 

Números 11:14

Um dia, Moisés disse a Deus que a sua tarefa de liderar o povo de Israel no deserto era muito pesada para ele. E o Senhor respondeu a Moisés dizendo para ele encontrar setenta homens com capacidade de liderança. Ele disse: “Eu (...) tirarei do Espírito que está sobre você e o porei sobre eles. Eles o ajudarão (...), de modo que você não tenha que assumir tudo sozinho” (Números 11:17).

Entenda isso: você nunca conseguirá realizar os seus sonhos enquanto for incapaz ou não quiser fazer com que os outros acreditem nele. Não pense que só porque o seu sonho vale a pena, as pessoas vão, automaticamente, comprar a sua ideia e querer participar. Não funciona assim. O mesmo sonho que pode te abençoar, pode também ser enterrado se você não se unir às pessoas certas. Moisés disse:

“Não posso levar todo esse povo sozinho; essa responsabilidade é grande demais para mim. Se é assim que vais me tratar, mata-me agora mesmo; se te agradas de mim, não me deixes ver a minha própria ruína” (Números 11:14,15).

Veja que Moisés estava no seu limite. Então, não espere até que você esteja à beira de um ataque de nervos ou veja tudo se desmoronar, para pedir ajuda.

Quando Deus escolhe alguém, Ele sempre chama outros para ficar junto com essa pessoa. Então, comece a olhar ao seu redor. Você pode precisar de apenas uma pessoa, ou pode precisar de várias. Na verdade, quanto maior for o seu sonho, maior a sua equipe deve ser. Mas aqui está a boa notícia: o tamanho do seu sonho determina o tamanho das pessoas que serão atraídas por ele. Se você tem um grande sonho, você tem um potencial ainda maior para que pessoas boas venham te ajudar. O que você precisa é se unir a elas, convidá-las, transmitir as suas ideias e, em seguida, deixá-las te ajudar.

Pastor Antônio Júnior

QUE SEJA


sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

A DOR QUE NÃO PASSA

Você tem uma dor que parece que nunca irá passar? Todos os dias tenta mostrar às pessoas que está bem, mas, por dentro o seu coração continua em pedaços? Saiba que toda ferida na alma leva um tempo para cicatrizar, então, por que ficar se cobrando por isso, como se fosse falta de fé e confiança em Deus? A Bíblia diz que a tristeza é melhor do que o riso, porque o rosto triste melhora o coração.

Nós vivemos em uma época em que as pessoas têm vergonha de chorar, mas a Bíblia está repleta de exemplos de homens e mulheres que expunham os seus sentimentos. Quando Neemias ficou sabendo que os muros de Jerusalém foram derrubados e que o seu povo estava passando por grande sofrimento, ele sentou e chorou por vários dias enquanto orava ao Senhor. Quando Ana não suportou mais a dor de não poder gerar filhos e ainda ser humilhada por causa disso, ela derramou a sua alma perante o Senhor e clamou por um milagre. Em ambos os casos, a resposta de oração veio, porque Deus não resiste a um coração quebrantado.

Às vezes, as maiores lutas geram em nós uma fé muito maior do que se estivéssemos em tempos de bonança. Você sabia que 70% dos Salmos são poemas de dor? E que o Antigo Testamento tem um livro só de lamentações? Salomão, o homem mais sábio que já existiu, chegou a dizer que "o coração do sábio está na casa onde há luto" (Eclesiastes 7:4). Ele disse isso porque sabia que quando estamos no fundo do poço emocional, é que exploramos as questões mais profundas da vida: "Por que estou aqui? Pra onde eu irei depois que morrer?". Certa vez Davi estava sentindo tanta dor na alma que disse:

“Estou exausto de tanto gemer. De tanto chorar inundo de noite a minha cama; de lágrimas encharco o meu leito. Os meus olhos se consomem de tristeza; fraquejam por causa de todos os meus adversários” (Salmos 6:6,7).

Percebeu que você não é a única pessoa a passar por momentos de dor? Vivemos em um mundo corrompido pelo pecado e por isso, mais cedo ou mais tarde, sofreremos. Mas isso não quer dizer que temos pouca fé! Por isso eu quero te dar um conselho: Você está cansado de lutar? Diga isso para Deus! Está aborrecido com alguém? Deixe que Deus saiba disso. Está cansado de mostrar às pessoas que você está bem quando não está?

Comece a mostrar a verdade a partir de hoje. Vá em frente e enfrente a sua dor de maneira natural. Creia que Deus entende tudo o que você passa. Ele conhece a dor da perda, afinal, Ele entregou o próprio Filho para morrer na cruz, não é mesmo? Mas saiba também que Ele conhece a alegria da ressurreição! E, se você crer nEle de todo coração, você também experimentará essa alegria verdadeira.

Pastor Antônio Júnior

UMA CABANA


quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

FLEXIBILIDADE

Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo

Tiago 4.15



Com o passar dos anos, tive o privilégio de liderar diversas viagens para as terras bíblicas. Nos meses antes das nossas partidas, fazíamos uma série de reuniões de orientação, como preparação para a viagem. Planos, horários, acomodações de hotel, informações de contato — tudo podia sofrer alterações com qualquer notícia inesperada.

Por essa razão, a flexibilidade era algo que sempre se destacava em nosso tempo de preparação. A disposição de aceitar as circunstâncias e de se ajustar a qualquer mudança que pudéssemos encontrar era de grande valor. A vida tem imprevistos para os quais a melhor resposta é a flexibilidade.

Tiago falou sobre flexibilidade no capítulo 4 de sua carta. Embora seja sábio planejar o futuro, devemos fazê-lo conscientes de que os propósitos de Deus podem ser diferentes dos nossos. Em vez de dizer simplesmente: “Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade” (v.13), Tiago nos aconselhou a sermos flexíveis em relação à direção de Deus em nossa vida. E afirmou: “Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo’” (v.15).

O desejo de seguir a Cristo nos faz descansar em Seus planos perfeitos — e a flexibilidade nos ajuda a estar preparados para irmos a qualquer lugar para onde Ele nos levar.

O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos. Provérbios 16:9