segunda-feira, 31 de janeiro de 2022

DEUS USA OS HUMILDES

Algum tempo atrás, fiz parceria com Michael W. Smith para um fim de semana ministerial. O retiro foi realizado em uma bela instalação na Carolina do Norte de propriedade da Associação Evangelística de Billy Graham. Michael e eu nos encontramos para revisar a programação do fim de semana, mas ele acabara de se encontrar com Billy Graham e estava tão emocionado que mal discutiu o retiro. O evangelista de 94 anos disse a Michael que esperava que seu nome não fosse mencionado em seu funeral. “O que?” perguntou Michael. “Espero apenas que o nome do Senhor Jesus seja exaltado.”

Billy Graham pregou para centenas de milhões de pessoas. Ele aconselhou todos os presidentes dos EUA, de Truman a Obama. No entanto, ele não queria ser mencionado em seu próprio funeral. Provérbios 22:4 diz: “A humildade é o temor do Senhor; seu salário são riquezas, honra e vida”.

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “God Uses the Humble”

SALVO


 

domingo, 30 de janeiro de 2022

OLHAI PARA CIMA

Eduardo tinha ido com seu pai a uma loja. À tarde eles desceram da montanha onde moravam em sua casinha, e caminharam na planície até à cidade. Havia muito que ver, e muitas compras a fazer na grande loja, onde se encontrava tudo que se queria.

Jantaram num restaurante, para alegria de Eduardo, e finalmente se puseram a caminho de casou. A escuridão cobria a Terra quando chegaram ao sopé da montanha. Eduardo procurou cuidadosamente no bolso o precioso canivete e a corrente que seu pai lhe havia comprado. Estavam em segurança. Depois, ele começou a difícil tarefa de subir o trilho daquela áspera e escura montanha.

E a cada minuto que se passava, escurecia mais. O pai, um pouco adiante, carregava um saco nos ombros. O saco continha as compras que eles haviam feito na loja. Eduardo desejava poder andar com pés tão seguros como o pai.

Ele tropeçava, porque suas pernas estavam trêmulas. Seus olhos, acostumados a estar fechados a esta hora, doíam e ele tentava enxergar os troncos e pedregulhos antes de cair neles. Mas quanto mais olhava, menos via.

Finalmente, Eduardo segurando a mão livre do pai, pôs nele a sua confiança para guiá-lo no caminho. Isto melhorou a situação e finalmente viram a luz brilhante de sua própria casa no cimo da montanha. Eduardo não tinha falado muito, até agora. Ele tinha que economizar fôlego para andar.

"Papai", disse ele com admiração, "eu desejaria poder andar pelo escuro sem tropeçar e cair. Como é que o senhor consegue?"

O pai parou imediatamente. Eduardo percebeu que estava olhando para ele com seus olhos bondosos.

"É assim, meu filho. Você tropeça porque olha sempre para seus pés". E pôs o saco no chão, tomou a cabeça de Eduardo em suas duas mãos voltando-a para cima. "Olhe para lá. Você vê onde o Céu está mais claro? É porque cortaram as árvores ali para fazer a estrada. Eu olho sempre para cima quando ando. Torna o caminho mais fácil."

Sim, torna o caminho mais fácil o olharmos para cima. A estrada está muito escura hoje. Se só olharmos em nosso redor ficaremos desanimados.

O olhar para cima é o olhar de fé em Deus. "Olhar para cima" é confiar nEle para obter direção quando tudo se acha em trevas e não vemos o caminho e as dúvidas nos assaltam, sentimos "medo do escuro". Nós nunca olharemos em vão, quando sinceramente olharmos para cima.

"Olhai para cima" é um esplêndido lema. 

Brado de Guerra.

EU VOU

 

sábado, 29 de janeiro de 2022

TUTTI FRATELLI" (Todos são irmãos)

A Cruz Vermelha surgiu cem anos atrás. Um jovem de Genebra chegara à região onde estava em andamento a terrível batalha de Solferino. Para lá se dirigiu porque queria ver Napoleão III. Em vez disso, viu carregamentos de feridos que eram trazidos a Castiglione a cada poucos minutos. Eram de todas as nacionalidades: franceses, alemães, eslavos, árabes, italianos - e jaziam pelas estradas e ruas de pedra, sofrendo, gemendo, blasfemando e morrendo.

Quando Jean Henri Dunant viu o horror da cena, logo se pôs em ação: arregimentou camponesas da Lombardia e organizou um sistema de primeiros socorros, que evoluiu até a organização de abrangência mundial conhecida como Cruz Vermelha. Ao contemplar o sofrimento de todos aqueles representantes de raças tão diversas, uma frase se lhe impôs à mente: "Tutti Fratelli!" (Todos são irmãos).

O gênio de Dunant teve suas raízes na fé cristã. Tornou-se um dos fundadores da Aliança Mundial da Associação Cristã de Moços. Observando as massas, foi, como seu Mestre, possuído de compaixão. “O coração arde dentro de mim ”, era uma de suas frases, e quando se punha em ação, clamava: “Rendo glória a Deus por tudo que o Senhor tem feito!”

H.W.L. / D. P. Silva - Mil Ilustrações

IMPORTANTE

 

sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

PAZ CONVOSCO (O CRISTÃO CONTEMPLATIVO)

Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.

João 20:21

Um autor desconhecido conta a história de um monge que construiu para si uma pequena cabana de pedras no flanco de uma montanha, vivendo ali por cinco anos, solitário.

Certo dia, depois de ler a comovente história da crucificação de Cristo, adormeceu e sonhou que ia andando pela estrada do Céu. Fazendo uma volta do caminho, achou-se face a face com Jesus.

— Ó Mestre!  exclamou ele, caindo de joelhos. - Por que nos deixaste?

Precisamos tanto de Ti! Não podias haver ficado conosco?

 Consumei a obra que tinha a fazer  respondeu Jesus docemente.

 Mas,  protestou o monge  a pobreza e o pecado ainda estão conosco. Ó Mestre, quem pode levar o fardo das necessidades humanas?

 Reparti com os que Me amam o fardo das necessidades humanas. Deixei com eles parte desse fardo.

 Mas, Mestre,  continuou o monge, começando a ver sua própria responsabilidade  que será se eles Te falharem?

- Ah! - respondeu Jesus.  Conto com os que Me amam, e "o amor nunca falha".

O monge despertou, perturbado. Seria direito que ele se separasse do mundo e se entregasse inteiramente à meditação, à leitura e à oração? De joelhos, buscou saber a vontade de Deus. Depois, havendo tomado sua decisão, pôs-se a caminho montanha abaixo. "Vou-me embora de volta", disse em voz alta. "O Mestre consumou Sua parte. Agora Ele trabalha por meio de mim. Não posso Lhe faltar."

D. P. Silva - Mil Ilustrações

OS TESTE DO CRISTÃO


 

quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

BANCO DA AMIZADE

Ali o Senhor falava com Moisés face a face, como quem fala com um amigo… 

Êxodo 16–11

No país africano do Zimbábue, os traumas de guerra e o desemprego causam desespero, mas as pessoas encontram esperança num “banco de amizades”. Elas podem conversar em xona (uma língua local) com as idosas kufungisisa, que são treinadas a ouvir as pessoas com depressão.

O Banco da Amizade foi lançado em Zanzibar, Londres e Nova Iorque. “Os resultados empolgam”, disse um pesquisador londrino e o de Nova Iorque concordou. “Você nem percebe que está apenas sentado num banco batendo papo com alguém que se importa.”

Esse projeto evoca a ternura e a admiração de conversar com nosso Deus Todo-Poderoso. Moisés fez uma tenda para nela ter comunhão com Deus, chamando-a de tenda de reunião. “Ali o Senhor falava com Moisés face a face, como quem fala com um amigo…” (Êxodo 33:11). Josué, seu assistente, nem sequer deixava a tenda, talvez porque valorizasse tanto seu tempo com Deus (v.11).

Hoje não precisamos mais de uma tenda de reunião. Jesus trouxe o Pai para perto. Como Ele disse aos Seus discípulos: “…Agora vocês são meus amigos, pois eu lhes disse tudo que o Pai me disse” (João 15:15). Sim, nosso Deus nos aguarda. Ele é o Ajudador mais sábio do nosso coração, nosso Amigo compreensivo. Fale com Ele agora.  

Por:  Patricia Raybon

PELA FÉ

 

quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

MARCAS DE CRISTO

Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo; Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos;

2 Coríntios 11:24-26

Sentei-me, uma tarde, num parque do Norte da Inglaterra, ao lado de um velho mineiro aposentado. Notei que ele tinha uma longa cicatriz na face esquerda, que atravessava todas as rugas de seu rosto. "Sofreu algum acidente nas minas?", perguntei-lhe. Um brilho estranho veio aos seus olhos, enquanto respondia: "Não, moço, esta cicatriz foi deixada

por uma garrafa quebrada, quando na minha mocidade seguia o general William Booth, fundador do Exército da Salvação. Tenho orgulho desta cicatriz".

Quando leio as Escrituras e encontro o versículo desta meditação, recordo, envergonhado, quão diminuto têm sido meus esforços e quão fraca, a minha resistência contra o mal, em nome de Jesus Cristo. A cicatriz honrosa que aquele homem trazia no rosto era, sem dúvida, "resistência até o sangue". A maioria de nós não precisa, hoje em dia, sofrer a tal ponto, mas se quisermos realmente avaliar nossa resistência ao pecado e ao mal, temos de olhar para a cruz de Cristo e lembrar que Ele morreu para que tivéssemos vida. Não devemos nos alegrar pela Sua obra redentora em nossas vidas e ter orgulho dos conflitos que enfrentamos em seu nome?

William Walton (Inglaterra) 

VALE A PENA

 

terça-feira, 25 de janeiro de 2022

DEUS GUARDA

Do tempo em que eram mais comuns os colportores, que são aquelas pessoas que vendem Bíblias e livros cristãos de porta em porta, levando assim a mensagem de salvação, obtemos o seguinte relato: 

Fui fazer uma entrega no município de Rio Verde. Quando cheguei à fazenda do Sr. João, a quem deveria entregar o livro Vida de Jesus, ele recusou-se a recebe-lo; então entreguei-o à sua esposa, que apareceu no momento, dizendo que estava com o dinheiro para pagar a encomenda feita. Nisto o Sr. João encolerizou-se e, avançando em direção à esposa, tomou o livro dizendo que estava disposto a matar e a morrer. Foi correndo até ao quarto e de lá trouxe o revólver, calibre 32, fez alvo em mim e disparou dois tiros; porém, ao sair fumaça do cano do revólver, as duas balas caíram ao chão. Quando o Sr. João viu as balas caídas, jogou o revólver de um lado e disse que nunca havia perdido um tiro com aquela arma. Em vista do ocorrido, procurei pegar o livro, colocá-lo na pasta e depois de andar uns trinta metros, vi por trás de mim duas das filhas do fazendeiro vindo ao meu encontro e pedindo o livro em nome do pai. Voltei-me e fiz, pessoalmente, a entrega do referido volume.

Então o Sr. João disse-me que era um desgraçado e que eu era um homem de Deus. Pediu-me perdão pela cena que havia proporcionado, recebeu o livro, pagou e ainda solicitou que estudasse com ele a Bíblia. Estudamos, demoradamente, a Escritura Sagrada e ele me prometeu entrar em contato com a igreja. 

Devo dizer aos meus caros colegas colportores que naquele momento de perigo eu abrira a Bíblia em Salmos 34:7. Assim como Deus me guardou naquela hora de tentação e perigo, também guardará cada um dos Seus filhos que nEle confiam.

Trombeteiros do Rei / D. P. Silva - Mil Ilustrações

CONTRADIÇÃO

 


segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

É MELHOR

“Dê, e será dado a você. Uma boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, será derramada em seu colo. Pois com a medida que você usar, será medido a você” (Lucas 6:38).

É melhor perdoar do que guardar rancor, melhor construir do que destruir, melhor procurar entender do que desconsiderar, melhor amar do que odiar.

A solução de Deus para os males da sociedade é um quórum de pessoas altruístas, doadoras de vida e amantes de Deus que fluem pelos bairros e empresas como agentes de limpeza, trazendo o bem e expulsando o mal. Eles vêm de todos os cantos do globo, refletem todos os tons de pele. Liberal, conservador, rural, metropolitano, jovem, velho. No entanto, eles estão unidos por essa descoberta incrível: a felicidade é encontrada ao doá-la. 

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “It Is Better”

ILUSÃO

 

domingo, 23 de janeiro de 2022

IMAGEM DISTORCIDA

"Ó Senhor, tu és nosso Pai; nós somos o barro, e tu o nosso oleiro; e todos nós obra das tuas mãos" 

Isaías 64:8

Um homem, desejando homenagear seu pai, contratou um escultor para que fizesse seu busto. Forneceu ao artista várias fotografias para que pudesse recolher características da imagem de seu pai e, com muita ansiedade, ficou ao lado assistindo o trabalho desde que este começou a moldar o barro. O escultor, contudo, não conseguia trabalhar direito, pois, a todo momento o homem queria "ajudar", removendo um pedaço de barro aqui e adicionando outro pedaço lá. Após um dia inteiro de trabalho, o resultado não passou de uma imagem distorcida.

De igual modo, ao pedirmos ao nosso Pai celeste que nos molde segundo a sua semelhança, não devemos tentar ajudá-lo. Como um barro nas mãos do escultor, devemos nos render inteiramente e permitir que Ele nos faça segundo à Sua vontade. Qualquer que seja a nossa intervenção, por menor que seja, resultará em uma imagem distorcida do Senhor. 

Deus tem Sua maneira de trabalhar em nossas vidas. Tem também o tempo certo para que cada transformação necessária seja feita. Mesmo que achemos que está doendo, ou que está demorando, ou que não está saindo como planejamos, o melhor que temos a fazer é confiar plenamente na ação do Senhor. Ao final, com alegria e regozijo no coração, constataremos o quão maravilhosa se tornou a nossa vida nas mãos perfeitas do Grande Oleiro!

Se Deus já começou a trabalhar em você, descanse e tenha paciência. Seu trabalho sempre será perfeito!

Paulo Roberto Barbosa

DECIDA SER

 

sábado, 22 de janeiro de 2022

ALERTA AOS WORKAHOLLICS

Um executivo muito bem-sucedido fazia sua caminhada pela praia ao entardecer. Notou à beira-mar um pescador que, ao lado do seu barco, tranqüilo contemplava o mar. Aproximou-se dele com a intenção de comprar alguns frutos do mar e notou que em seu barco havia poucos peixes. Perguntou-lhe então:

– Você vai pescar hoje?

– Não senhor hoje já encerrei o meu dia de trabalho.

– Mas, ainda é cedo, você pode aproveitar melhor o dia, pescar mais e ter maior quantidade de peixes para vender – sugeriu o executivo.

– Eu já pesquei o suficiente para hoje – respondeu o pescador.

O Executivo, inconformado, continuou: 

– Mas se você continuasse a pescar, venderia mais e poderia aumentar seu negócio, comprando mais um barco. Quem sabe, um barco a motor! A possibilidade de venda aumentaria, e com isso você ganharia mais dinheiro para ter uma frota de barcos! Talvez até uma rede de peixarias! Você já pensou na possibilidade de se tornar um executivo bem-sucedido como eu?

E o pescador, com jeito inocente, perguntou:
– Para quê?
– Para depois que estiver com a vida feita, poder tirar férias, tranqüilo e curtir uma praia como eu.

Nesse momento o pescador, surpreso, olhando para o homem, respondeu-lhe:

– Mas não é isto que eu estou fazendo agora?

Esta pequena história pode servir de instrumento para nos fazer pensar nosso estilo de vida. Ela pode nos sugerir uma série de questionamentos significativos a respeito de nós mesmos.

A primeira questão diz respeito ao significado do que é ser “bem-sucedido” na vida. Tomando o exemplo do executivo da história, e considerando toda influência capitalista e neoliberalista que estimula a competitividade em nossa sociedade, podemos reduzir o sucesso pessoal à situação profissional: trabalhar mais, para ganhar mais, para ser mais, para ter mais…  Enfim, qual o preço que se paga por tudo isso?

A segunda questão nos é apresentada pelo pescador: “Para quê tudo isso?” Qual a finalidade? Nosso lado executivo responderia que é para “estar com a vida feita”. E eu lhe pergunto: quando a vida está feita, está pronta? Estamos construindo a nossa vida o tempo todo e a todo instante. O importante é percebermos como estamos construindo nossa vida: se estamos investindo de mais em um lado; de menos em outro; ou mesmo deixando de investir em outras coisas importantes. Equilíbrio é fundamental.

A terceira e última questão. Será que em meio aos nossos muitos afazeres temos encontrado “tempo para contemplar o mar”? Vou tomar esta expressão como algo que nos remeta a vida como um todo, a vida de uma forma mais ampla. Encontrar tempo para: rever os amigos; curtir a família; caminhar na areia da praia de pés descalços; ver o por do sol ao lado de quem se ama; e coisas desse tipo. Essas coisas simples e banais, mas que dão sentido à nossa existência e trazem “riquezas” à nossa vida e daqueles que convivem conosco.

Não devemos viver para trabalhar, mas sim trabalhar para viver.

Autor: Sérgio Fonseca Cruz

SE HOUVER AMANHÃ

 

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

SUCESSOR

Veja a terra com os seus próprios olhos, pois você não atravessará o Jordão. Portanto, dê ordens a Josué, fortaleça-o e encoraje-o; porque será ele que atravessará à frente deste povo, e lhes repartirá por herança a terra que você apenas verá.’

Deuteronômio 3:27b-28

Pensamento:


Moisés guiou o povo de Israel para fora do Egito e no deserto, mas não conseguiu entrar na Terra Prometida por causa do seu pecado. Mas, por todos aqueles anos, Moisés nutriu e preparou a pessoa que faria o que ele não poderia fazer. Essa pessoa era Josué. Quem você está treinando, moldando, encorajando, motivando e chamando alguém para fazer o que você não poderá fazer? Quem é o sucessor que realizará seus sonhos? Quem é seu Josué?

Oração:

Santo e Justo Deus, por favor, leve-me para aqueles com quem o Senhor quer que eu compartilhe a minha vida e passar a herança da fé. Por favor, abra meus olhos para enxergá-los. Dê-me a força para viver minha vida honesta e corajosamente perante eles. No nome de Jesus eu oro. Amém. 

 Phil Ware

UM GRANDE INIMIGO

 

quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

PROTEÇÃO DIVINA NO MÉXICO

A história seguinte, relatada por Bárbara Westphal em The Junior Guide, de 1° de outubro de 1958, mostra que os anjos protegem ainda os filhos de Deus.

Juan Rivero atravessava uma solitária mata montanhosa, numa região do sul do México. Ao andar sobre as folhas secas, pareceu-lhe ouvir um ruído que lhe lembrava serpentes deslizando entre as folhas. Estaria alguém escondido atrás daquela árvore?

O coração de Juan pulsou mais forte. Talvez fosse apenas uma ave que pusera em movimento aquela ramagem. Entretanto, era certo que ele vira alguma coisa mexer-se. Tinha a impressão forte de que havia perto uma presença humana, que vistas humanas o observavam.

Nada podia fazer senão levantar o coração numa prece pedindo proteção e seguir caminho. Imediatamente lhe veio à memória um verso bíblico que aprendera de cor: "O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que O temem, e os livra." Estava ansioso por sair da floresta e alcançar uma clareira onde havia algumas casas, e assim poderia falar ao povo acerca do livro maravilhoso que estava vendendo.

Tempos depois, falou a um amigo acerca da impressão que tivera - de que alguém o estivesse observando, atrás de uma árvore. O amigo ficou sério, e disse: "É bem provável que fosse o filho da família a quem você está dando estudos bíblicos. Ouvi dizer que ele o quer matar porque você está ensinando a seus pais uma nova religião. Ele está irado porque os pais estão abandonando sua maneira antiga de viver - não usam mais comiteco (bebida alcoólica).

"O jovem colportor decidiu ali mesmo empenhar-se em granjear a amizade daquele moço que o queria matar. Por certo Deus o estava protegendo por algum motivo especial, pois do contrário aquele rapaz já o teria matado de emboscada. Tentaria conseguir sua amizade e levá-lo a estudar a Bíblia. Da próxima vez que foi dar estudos bíblicos em casa daquela família, estimou muito que o filho lá estivesse também. Era justamente o que queria.

Os mexicanos são muito dados, gostam de abraços e cumprimentos sorridentes. Quando Juan Rivero deu um grande abraço em seu inimigo, este não pôde resistir ao seu sorriso. Bem depressa estavam falando acerca de caça e pesca, e da política local. Dentro de poucos dias o rapaz estava estudando a Bíblia com seus pais!

Algumas semanas depois, a atitude do inimigo mudou completamente. Ficou ansioso de batizar-se e unir-se à igreja, juntamente com os pais.

— Tenho de lhe confessar uma coisa - disse um dia ao colportor, quando ambos estavam sós. - Eu pretendia matá-lo, quando começou a vir a nossa casa. Eu estava raivoso. Durante dias segui o senhor por toda parte. Um dia eu estava na floresta, atrás de uma árvore, e vi o senhor vindo pelo caminho. Fiz a pontaria com minha espingarda e puxei o gatilho, mas nada aconteceu. Não sei o que havia com a espingarda, pois naquela mesma manhã eu a havia usado, e ela funcionava perfeitamente.

— Ora, não se aflija por isso, amigo! - respondeu Juan. Isso tudo está perdoado e esquecido. Deus estava cuidando de mim naquele dia, porque Ele queria que eu lhe explicasse a Bíblia. Deus tem um plano para minha vida, e tem um plano para a sua também.

— Sim, tem razão. Foi um milagre, um verdadeiro milagre! Deus naquele dia estava cuidando de nós dois. Mas, diga-me uma coisa, Juan: quem eram aqueles dois homens altos que naquele dia caminhavam ao seu lado, na floresta? Nunca os tinha visto antes nem depois, em parte alguma. 

O rosto de Juan ficou pálido, não de temor, mas de humildade e gratidão, ao perceber que o grande Deus naquele dia enviara dois anjos do Céu para libertá-lo.

D. P. Silva - Mil Ilustrações

PRECISA OUVIR


 

quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

A PROTEÇÃO DIVINA

Certa manhã em que o missionário Tarr, na África, viajava em carro de boi, por uma estrada quente e poeirenta, chegou a um regato e resolveu parar a fim de tomar banho. Deixando os bois e o carro na estrada, subiu um pouco a barranca do rio até encontrar bonita e calma lagoa; começou então a despir-se.

Alguém parecia dizer-lhe: "Não se banhe aqui. É perigoso." Olhou atentamente em derredor. Nada de anormal parecia haver. Estava certo de que num rio pequeno não existia nenhum crocodilo. A voz fora apenas imaginação sua, pensou. Subiria um pouco mais e tomaria banho.

De novo lhe veio a voz: "Não se banhe aqui. É perigoso." "Estou por certo imaginando coisas hoje", pensou ao sentar-se para tirar o calçado. "Não pode haver perigo aqui. "Aconteceu, então, uma coisa estranha. Imediatamente começaram a tremer-lhe as mãos, de maneira que não pôde desatar o cordão dos sapatos. Não podia obrigar as próprias mãos a fazer o que desejava. "Deve haver aqui algum perigo. Deus está procurando proteger-me." Vestiu-se outra vez e caminhou mais para cima. Depois de banhar-se resolveu voltar cautelosamente pelo mato, a fim de ver se descobria o perigo na lagoa. Caminhou tão silenciosamente quanto possível para não dar qualquer sinal de sua aproximação.

Olhando para a lagoa, através da moita, viu fora d’água, a cabeça de um grande crocodilo! Estaria enganado? Talvez fosse apenas um pedaço de pau. Saltou rápido para a margem e, quase tão depressa, a grande cabeça do réptil desapareceu sob a superfície da água, deixando através da lagoa um círculo de ondulações. Reconheceu então ter ouvido a voz divina, avisando-o de que havia perigo na lagoa. Soube então porque um anjo a seu lado lhe fizera tremer tão violentamente as mãos, a ponto de não poder desatar o cordão dos sapatos. Se houvesse entrado na lagoa teria deparado com a morte horrível e quase inevitável.

Em cima no Céu, velava sobre ele um amoroso Deus. O Senhor olhara lá do Céu, vira o perigo e mandara-lhe o aviso. Mesmo ali, à margem do rio em que fora salvo da morte, o pastor Tarr ajoelhou-se e agradeceu a Deus o Seu protetor cuidado.

Declarou mais tarde ao contar a história: "Ninguém me pode dizer que Deus não vela por Seus filhos exatamente como nos tempos bíblicos. Sei que, se nEle confiarmos, cuidará de nós hoje como sempre o tem feito. Quando acontece qualquer coisa que me poderia fazer duvidar, tudo quanto tenho a fazer é lembrar-me do crocodilo que perdeu o almoço."

Murl Vance / D. P. Silva - Mil Ilustrações

SEGURANÇA


 

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

... E A SEU TEMPO CEIFAREMOS

Um missionário em Urfa, na Turquia, trabalhou por treze anos, sem batizar um só convertido. Tudo era desanimador, humanamente falando. Veio então uma epidemia de cólera. O povo fugia em pânico, abandonando à morte os enfermos. O missionário, esquecido de si mesmo, atendeu os doentes, terna e incansavelmente. Os sãos e os moribundos bendiziam o seu nome. Desgastado e exausto, ele próprio caiu, finalmente, vítima da peste. Todos os sobreviventes carregaram o seu corpo, com tristeza e reverência, para um pequeno bosque fora da cidade. Parecia agora que o trabalho do missionário havia chegado ao fim. 

Foi-lhe apontado, contudo, um substituto, que ao chegar, foi recebido por um grande grupo e levado com honras para Urfa. Grandes números voltaram-se para Cristo e uma boa casa de culto foi erguida dedicada à memória do "homem que morreu por nós". O grão de trigo havia caído na terra, e preciosa fora a colheita.

Informativo DSA / D. P. Silva - Mil Ilustrações

FÉ QUE NÃO SALVA

 

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

DEIXE O AMOR VENCER

Gritamos muito no pátio da escola primária. Todos os meninos marcharam pelo playground gritando: “Os meninos são melhores que as meninas!” Em resposta, as meninas desfilaram pela escola anunciando: “As meninas são melhores que os meninos”. Nós éramos um campus feliz.

Muitos se sentem bem gritando. Mas faz algum bem? Parece-me que há muitos gritos acontecendo. Nas ondas da rádio, em adesivos de para choques, nas mídias sociais.

“Acima de tudo, amem-se profundamente, porque o amor cobre uma multidão de pecados” (1 Pedro 4:8). Uma coisa é ter uma opinião; é outra coisa provocar uma briga. Vamos raciocinar juntos. Vamos trabalhar juntos. E se a troca de opiniões falhar, deixe o amor vencer. Se o amor cobre uma multidão de pecados, não pode cobrir uma multidão de opiniões? Resista ao impulso de gritar.

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “Let Love Succeed”

É IMPOSSÍVEL


 

domingo, 16 de janeiro de 2022

CAMINHO ERRADO

E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. 

Mateus 7:14

há alguns meses via a história de um jovem que foi acampar com  dois amigos e se perdeu na mata. Os bombeiros o procuraram por 20 dias e como não encontraram nenhum vestígios, desistiram das buscas. O pai do garoto, no entanto, nunca desistiu e após 71 dias de procura intensa encontrou o filho agonizando. Ele morreu em seus braços.

Essa história me faz lembrar do que Jesus nos disse no livro de Mateus: como é importante andarmos no caminho certo. Andando no caminho certo chegaremos ao destino certo. O mestre não estava falando literalmente das coisas dessa vida, algo muito maior, já que nessa caminhada, nós só temos uma única chance de acertar ou errar.

Mas como desassociar esse ensino da nossa vida? impossível! Mesmo assim fica o lembrete: Deus deseja que cada homem e mulher compreenda que a responsabilidade pelo futuro e destino eterno de cada um é consequencia do caminho, primeiro escolhido, depois trilhado por nós.

Fandermiler Freitas 

MILAGRE

 

sábado, 15 de janeiro de 2022

A VEREDA DOS JUSTOS

"Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito." 

Provérbios 4.18

Todo mundo gostaria que os dias sempre fossem claros e ensolarados. A neblina é incômoda e até perigosa, e na estrada traz consequências desastrosas. Fiquei impressionado com uma experiência que tive nas montanhas das imediações de Zurique, na Suíça, quando a visão não atingia 20 metros. Disse a meus familiares: "Venham, vamos subir até o sol". E de fato, apenas algumas centenas de metros acima, a cerração sumiu repentinamente, e nos encontramos na clara luz do sol.

O mesmo acontece na vida do crente. Será que você não anda muitas vezes por regiões escuras e nebulosas, sem nenhuma visão, com grande perigo de colidir com seu próximo, porque está irritado pela sua falta de visão espiritual? Não lhe parece muitas vezes que, em seu íntimo, só existe desesperança porque o sol da graça se esconde? O que fazer numa situação desesperadora, quando você se sente deprimido e abatido? Faça a única coisa correta: olhe para o alto! "Mais perto quero estar, meu Deus de Ti!" Resistindo ao inimigo e aproximando-se de Deus, as nuvens perigosas de cerração se afastam da sua alma. A escuridão é afastada de você, e imediatamente você obtém novamente a visão clara vinda de cima, de Jesus, o Autor e Consumador da fé!

http://www.chamada.com.br/

DIFERENÇA

 

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

SAIA E EMPURRE

Porque cada qual levará a sua própria carga.

Gálatas 6:5

Nos dias dos carros puxados a cavalo um homem foi informado de que havia primeira, segunda e terceira classes; como todos os bancos lhe pareciam iguais, ele comprou passagem de terceira por ser evidentemente mais barata.

Durante algum tempo, tudo correu bem e o homem congratulou-se por ter feito alguma economia. Contudo, mais um pouco e chegaram ao pé de uma íngreme ladeira e o cocheiro, freando os cavalos, gritou: 

— Passageiros de primeira classe conservem seus lugares, de segunda saiam e andem a pé e vocês de terceira empurrem o carro".

O que precisamos no trabalho do Reino são passageiros de terceira classe, aqueles que empurram. Não os de primeira que somente apreciam os outros trabalhando, nem os de segunda que estão prontos a andar e se afastam quando se apresentam as dificuldades, mas os de terceira que suportam "a carga e o calor do dia".

Christian Herald / D. P. Silva - Mil Ilustrações

SEM CRUZ

 


quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

MILHO DE PIPOCA

Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre. Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira.

São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.

Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor.

Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre. Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos.

Há sempre o recurso do remédio: APAGAR O FOGO! Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também. Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que a sua hora chegou: VAI MORRER.

Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela.

A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM!

E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado. Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar.

São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem.

A PRESUNÇÃO e o MEDO são a dura casca do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira.

Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria para ninguém.

Extraído do Livro “O Amor que acende a lua” de Rubem Aves
Fonte: http://webservos.com.br/gospel/reflexoes/Reflexoes_show.asp?id=16682

A QUALIDADE


quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

A ÚLTIMA MEIA LIBRA

A nossa história passou-se em Hull, cidade do norte da Inglaterra. 

Um jovem tinha decidido seguir a carreira missionária. Tendo sido aceito por uma Sociedade Missionária, que tinha começado a evangelizar a China, começou a seguir os respectivos estudos. 

Durante a sua preparação, deu-se um pequeno desencontro entre o pai do estudante e a Sociedade Missionária, sobre quem havia de pagar as despesas. Como resultado tanto o pai como a Sociedade deixaram em certa ocasião, o estudante sem recursos. O estudante, por sua vez, pensou em escrever ao pai e à Sociedade e mostrar a sua situação aflitiva, mas por fim pensou: "Antes de partir para o campo missionário eu devo experimentar a minha fé, enquanto estou na minha terra, para ver se Deus pode ou não olhar por mim, mesmo que tenha de operar milagres. 

"Com esta resolução, saiu para dar um passeio com a última meia libra na algibeira. A quem ele encontraria primeiro? Foi um pobre irlandês que lhe pediu que fosse ver a mulher, que estava a morrer.

O nobre estudante foi imediatamente, subindo a um casebre, onde encontrou a moribunda, rodeada de vários filhos cheios de fome. Diante daquele quadro e antes de orar pela enferma, sentou-se atormentado com a ideia de que sua última meia libra podia matar a fome àqueles inocentes. E resolveu o caso orando ao Senhor para ajudar a ter coragem de dar a sua meia libra, confiando que o Senhor fizesse o milagre de lhe dar outra! E assim fez.

Voltou para casa sem dinheiro algum, mas sentia-se feliz pelo ato que praticara. Para comer naquela noite ainda encontrou em casa alguma coisa. Só Deus sabia a sua situação. No dia seguinte, à hora do almoço, deu-se o milagre; o correio trouxe-lhe uma carta com uma nota de meia libra!

Este estudante veio a ser o abençoado Hudson Taylor, que fundou e desenvolveu a grande Missão do Interior da China, que tem vivido de fé, do poder da oração, seguindo em geral a norma de não pedir nada a ninguém, mas só a Deus e Deus tem correspondido, enviando-lhe os meios para ser uma das maiores missões da China. Que grande é o poder da fé e da oração!

Milagres Modernos / D. P. Silva - Mil Ilustrações


 

terça-feira, 11 de janeiro de 2022

UMA ORAÇÃO NO SENADO

Interessante oração feita em Kansas na sessão de abertura do Senado deles. Parece que oração ainda chateia algumas pessoas. Quando pediram para o ministro Joe Wright abrir a nova sessão do Senado de Kansas, todos estavam esperando o tradicional discurso, mas isso foi o que eles ouviram: 

"Pai celeste, nós estamos diante de Ti hoje para pedir Teu perdão e para buscar Tua direção e liderança. Nós sabemos que Tua palavra diz, 'Cuidado com aqueles que chamam o mal de bem,' mas isto é exatamente o que temos feito. Nós perdemos nosso equilíbrio espiritual e revertemos nossos valores. Nós exploramos os pobres e chamamos isso de loteria. Nós recompensamos preguiça e chamamos isso de bem-estar. Nós cometemos aborto e chamamos isso de escolha. Nós matamos os que são a favor do aborto e chamamos de justificável. Nós negligenciamos a disciplina de nossos filhos e chamamos isso de construção de auto-estima. Nós abusamos do poder e chamamos isso de política. Nós invejamos as coisas dos outros e chamamos isso de ambição. Nós poluímos o ar com coisas profanas e pornografia e chamamos isso de liberdade de expressão. Nós ridicularizamos os valores dos nossos antepassados e chamamos isso de iluminismo. Sonda-nos, oh, Deus, e conhece os nossos corações hoje; nos limpa de todo pecado e nos liberta. Amém!"

A resposta foi imediata. Um número de legisladores saíram durante a oração em forma de protesto. Em 6 semanas, a igreja chamada Central Christian Church, onde o Rev.. Wright é pastor, recebeu mais que 5.000 ligações e somente 47 foram negativas. A igreja agora está recebendo pedidos internacionais de cópias desta oração, como a Índia, África e Korea. 

O comentarista Paul Harvey colocou essa oração no ar no seu programa de rádio 'O Resto da História', e recebeu o maior índice de ouvintes que o seu programa já teve. Com a ajuda do Senhor, deixe essa oração ir para todo o canto da nossa nação. Para que essa oração, novamente, de todo o nosso coração volte a ser nosso desejo, para que possamos de novo ser chamados 'uma nação dirigida por Deus

TESOUROS DE DEUS

 

segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

CONFIE NA SUA HERANÇA

Normalmente pensamos em Josué como tomando a Terra Prometida. É mais preciso pensar em Josué como acreditando na palavra de Deus. Deus disse: “Eu te darei todo lugar onde puseres os pés, como prometi a Moisés” (Josué 1:3). Josué liderou os hebreus para cruzar o Jordão, derrubar os muros de Jericó e derrotar os trinta e um reis inimigos. Cada vez que ele enfrentava um desafio, ele o fazia com fé, porque confiava em sua herança.

E se você fizesse o mesmo? Diante de você está uma parede de medo de Jericó. Tijolo após tijolo de ansiedade e pavor. É uma fortaleza que lhe mantém fora de Canaã. As circunstâncias dizem: “Escute seus medos.” Sua herança diz o contrário: você é um filho do rei. Seu amor perfeito expulsa o medo. Siga em frente. Escolha sua herança.

Max Lucado
Tradução por Dennis Downing
Em Inglês: “Trust Your Inheritance”

MODIFICAR

 

domingo, 9 de janeiro de 2022

TERRÍVEL ENGANO

 um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte

Provérbio 14.12

No Século XVII, Galilei Galileu afirmou que a terra girava em torno do sol. Isto teve grande repercussão em sua vida. Foi convocado a Roma para apresentar defesa no tribunal do Santo Ofício. Foi excomungado, condenado a prisão, viveu isolado, alheio ao convívio social e morreu cego. Galileu foi vítima de um terrível engano.

Quantas vezes agimos assim? Acusamos, julgamos, condenamos, humilhamos as pessoas "erradas" quando na verdade elas estavam certas e nós errados. Um dos ensinamentos de Jesus é "Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles;"

No Livro de provérbios, Salomão fala do nosso modo errôneo de ver a vida e de muitas vezes nos enganarmos sobre nossas escolhas. Há caminhos que parecem ser direito (bom, o melhor), mas findam em dor, tristeza, tragédia, morte.

Que Deus nos ajude a fazermos escolhas saudáveis e nos livre desses terríveis enganos, para não trazermos mal sobre nós e os outros. Minha oração hoje é vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.

Fandermiler Freitas

CORAÇÃO EM PAZ

 

sábado, 8 de janeiro de 2022

UMA FONTE BOA

Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce.

Tiago 3:12

Conta-se a história de um rapaz que certa vez achou uma maçã. Acompanhando o tal rapaz ia um garotinho, seu amigo. O feliz possuidor da maçã gentilmente ofereceu-lhe o primeiro bocado da fruta, e quando este tomou somente um pedacinho, o rapaz generosamente disse-lhe: "Tire um pedaço maior, Toninho. Você tirou muito pouco". 

Não havia egoísmo no coração daquele moço; deu generosamente e com alegria, porque tinha um bom coração. O apóstolo Paulo diz que quando a fonte é pura as ações são boas. "O amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses..." (I Cor. 13:4 e 5) 

Por que pensamos e falamos de um modo até cruel e egoísta? Por que praticamos ações, muitas vezes, que depois nos envergonhamos? É o espírito em nosso interior que tudo nos dita o que devemos fazer. Se a fonte for boa as éguas serão doces. Se a fonte não for todas pura teremos as águas amargas. Sejamos "Fontes Doces"

ORAÇÃO

 

sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

NUM PRESÍDIO

Conta o pregador Moody que durante a guerra civil, quando o General Grant sitiava Richmond, ele ia para Chicago e teve de passar por Nova York, onde passou um domingo. Foi assistir à reunião de oração na rua Fulton. Nessa reunião ele pôde dizer algumas palavras e, terminado o culto, um homem se aproximou e convidou-o para pregar no dia seguinte no presídio de Tombs.

Ele supunha que os presos se reuniriam na capela da prisão, mas qual não foi sua surpresa quando viu que tinha de pregar a um auditório invisível. Eles permaneciam nas suas próprias celas. Havia duas ordens de celas por cima dele, e uma por baixo, e pregou a 300 ou 400 sentenciados. 

Depois da pregação, Moody quis ver o seu auditório. Ele se dirigiu à porta da primeira cela, onde havia uma pequena janela para deixar entrar luz e ar. Dentro havia dois homens jogando cartas. Eles jogaram durante toda a pregação. Moody lhes perguntou: 

— Por que estão aqui? 

— Porque nos metemos com maus companheiros, respondeu um, e o criminosos e livrou e nós fomos condenados. 

Um outro disse:

— O homem que cometeu o crime não foi condenado. 

Noutra cela disseram:

— Nós vamos ter novo processo. Um homem jurou falsamente contra nós. 

Em toda a sua vida, conta Moody que nunca achou tantos inocentes como naquela prisão. A natureza humana é a mesma em toda parte. 

Moody pensou: "Bem, vou percorrer este presídio para ver se posso encontrar um pecador". 

Levou tempo, mas afinal achou um homem sozinho na cela. Estava com a cabeça entre as mãos. Olhando pela janelinha, e Moody perguntou:

— Que tem você, amigo? Pude ver que estava chorando.

— Os meus pecados são tantos que não os posso suportar.

— Ah! Graças a Deus - disse Moody. 

— Tenho estado à sua procura.

Durante meia hora Moody falou com aquele homem. Suas palavras eram como um copo de água fria para um sedento. Contou quão perverso havia sido. Quando lhe pediu que orasse, o homem disse não saber. Teve a oportunidade de apontar-lhe o Salvador que o purificaria de todo o vil pecado. Afinal o homem orou: "Ó Deus, tem misericórdia de mim, um vil desgraçado."

Moody ficou tão interessado nesse homem que quase não podia separar-se dele. Sentiu compaixão dele, parecia um amigo, um irmão. Ao separar-se disse- lhe: “À noite estarei no hotel e das nove às dez horas, estarei orando por você e desejo que você ore também. 

Naquela noite o Espírito Santo impressionou tanto a Moody que desejou tornar a ver o homem. Moody foi ao presídio e o diretor permitiu-lhe falar com ele. Quando o viu, tomou sua mão e apertou-a enquanto lágrimas de alegria deslizavam-lhe pela face. Contou então que o Senhor lhe dera a salvação. Por que foi que o Filho de Deus passou aquela noite pelas outras celas e só salvou esse homem? Foi porque esse homem viu sua condição de perdido.

Moody, in Deus É Amor / D. P. Silva - Mil Ilustraçõe